Você está na página 1de 101

Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO ACRE – IESACRE


CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

CLEIR DE CASTRO E COSTA FILHO

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL COM MÓDULOS XBEE

Rio Branco
2016
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

CLEIR DE CASTRO E COSTA FILHO

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL COM MÓDULOS XBEE

Monografia apresentada para o Curso de


Graduação em Engenharia Elétrica, Instituto
de Ensino Superior do Acre, como requisito
para obtenção da nota da disciplina Trabalho
de Conclusão de Curso II.

Orientador: Prof. Me. Camilo Mendes de


Oliveira

Rio Branco
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

2016
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

Catalogação na Fonte
Biblioteca da União Educacional do Norte, Rio Branco/Acre

C837a COSTA FILHO, Cleir de Castro

Automação residencial com módulos XBEE / Cleir de Castro e Costa Filho. Rio
Branco: IESACRE, 2016.

79f; 29 cm.
Monografia (Graduação – Engenharia Elétrica) – IESACRE, 2016.
Orientador: Prof. Me. Camilo Mendes de Oliveira.

1. Automação residencial 2. Módulos XBEE 3. Rede ZigBee I. Instituto de Ensino Superior


do Acre (IESACRE) II. Título

CDD: 621.3

Ficha catalográfica elaborada pela bibliotecária Kezia Santos CRB-11/601


Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

CLEIR DE CASTRO E COSTA FILHO

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL COM MÓDULOS XBEE

Monografia apresentada no Curso de Graduação em Engenharia Elétrica do


Instituto de Ensino superior do Acre, como requisito para obtenção do título de
Engenheiro Eletricista.

Orientador Prof. Me. Camilo Mendes de Oliveira


Instituto de Ensino Superior do Acre

Banca examinadora Prof.ª. Esp. Maria Rosângela R. dos Santos


Instituto de Ensino Superior do Acre

Banca examinadora Prof. Otavio Ribeiro Chaves


Instituto de Ensino Superior do Acre

Aprovação em 30 de novembro de 2016


Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

DEDICATÓRIA

Dedico este trabalho a Deus,


a minha esposa, família e a
todos aqueles que me
ajudaram a trilhar este
caminho.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

AGRADECIMENTO

Agradeço, primeiramente, a
Deus que me deu energia e
garra para concluir todo este
trabalho.
A minha esposa e família que
me incentivou durante todos
estes anos em que estive na
faculdade.
Aos professores do Instituto
de Ensino Superior do Acre,
pela confiança, apoio e
reflexões críticas. Ao meu
orientador Camilo pela sua
disponibilidade e por prestar
todos as orientações e
esclarecimentos para o meu
desempenho neste trabalho.
A todos os amigos que fiz
nestes anos de curso, e que
me apoiaram a superar os
momentos mais difíceis
nessa jornada.
Enfim, a todas as pessoas
que de alguma forma
contribuíram para que eu
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

conseguisse realizar mais


essa etapa da minha vida.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

“Inovação é que distingue um


líder de um seguidor. “
Steve Jobs
Época negócios online (2016)
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

RESUMO

A literatura aponta a difusão da automação residencial em diversos países e


apresenta margem de crescimento significativo no Brasil. Este trabalho apresenta
conceitos de automação residencial e os aplica no desenvolvimento de um protótipo
que aplica tecnologias que apliquem o protocolo ZigBee. Assim, Arduino e módulos
XBEE foram utilizados no desenvolvimento do protótipo que possibilitou os testes
permitiram auferir a estabilidade do ZigBee. Esta tecnologia foi comparada a outras
tecnologias de rede sem fio para demonstrar suas vantagens para uso em
automação residencial. Uma interface gráfica responsiva foi desenvolvida para
permitir a interação remota do usuário com o protótipo. Qualquer usuário com
acesso à internet e credenciais de acesso consegue ativar uma Tomada de Uso
Geral controlada pelo sistema. O ZigBee se mostrou estável durante os testes
realizados com o protótipo em uma residência de 150m 2 e distância de até 10m
entre o módulo de controle e o módulo receptor.

Palavras-chave: Automação Residencial, Xbee, ZigBee.

ABSTRACT
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

The literature points to the spread of automation in several countries and presents
significant growth margin in Brazil. This paper presents concepts of home automation
and applies in the development of a prototype that applies technologies that
implement the ZigBee Protocol. Thus, Arduino and XBEE modules were used in the
development of the prototype that enabled the tests made it possible to obtain
stability of ZigBee. This technology was compared to other wireless technologies to
demonstrate its advantages for use in home automation. A responsive GUI was
developed to allow the interaction of the user with the prototype. Any user with
access to the internet and access credentials can activate a general-purpose Outlet
controlled by the system. The ZigBee proved to be stable during the tests with the
prototype in a residence of 150 m 2 and distance up to 10 m between the control
module and the receiver module.

Keywords: Residential automation, Xbee, ZigBee.


Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

LISTA DE SIGLAS

API - Aplication Program Interface


APS- Application framework
AT - application transparent
DSSS –Direct Sequence Spread Spectrum
IDE - Integrated Development Environment
IEEE - Institute of Electrical and Electronics Engineers
IESACRE- Instituto de Ensino Superior do Acre
MAC-Media Acess Control
NASA - (National Aeronautics and Space Administration
OFDM - Orthogonal Frequency Division Multiplexing
PHP - Personal Home Page
RSI - Retail site Intelligence Temperature Monitoring Solution
SIG - Special interest Group
TUG - Tomada de uso Geral
W-LAN - Wiriless Local Area Networks
WLAN- Wireles Local Area Networks
WPAN- Wireless Personal Area Networks
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

LISTA DE FIGURAS

Figura 1 - Topologia do sistema..................................................................................20


Figura 2 - Coordenador da Rede................................................................................21
Figura 3 - Módulo Controlador....................................................................................22
Figura 4 - Ligação da TUG..........................................................................................22
Figura 5 - Módulo regulador de tensão.......................................................................23
Figura 6-Interface da IDE do Arduino.........................................................................24
Figura 7-Fluxograma Arduino.....................................................................................25
Figura 8 - Xbee explorer usb.......................................................................................26
Figura 9 - Tela inicial do X-CUT..................................................................................27
Figura 10 - Tela 1........................................................................................................29
Figura 11 - Tela 2........................................................................................................29
Figura 12 - Logica para verificação do status da TUG...............................................30
Figura 13 - Logica para mudança de estado da TUG................................................31
Figura 14 - XAMPP.....................................................................................................32
Figura 15 - Mercado de automação residencial em 2015..........................................36
Figura 16 - Consumo de Energia Elétrica...................................................................38
Figura 17- Alguns exemplos de redes wireless..........................................................39
Figura 18- Padrões Wireless.......................................................................................40
Figura 19 - Canais padrão 802.11b............................................................................43
Figura 20 - Comparação 802.11n versos 802.11ac..................................................45
Figura 21- Camadas do protocolo ZigBee..................................................................47
Figura 22- As quatro camadas do protocolo ZigBee..................................................47
Figura 23-Arquitetura da pilha ZigBee........................................................................48
Figura 24- Topologia estrela.......................................................................................51
Figura 25- Topologia em Arvore.................................................................................51
Figura 26- Topologia em malha..................................................................................52
Figura 27- Xbee-Pro e pinos.......................................................................................53
Figura 28- Antenas do Modulo Xbee..........................................................................55
Figura 29- Formato do pacote de dado API................................................................56
Figura 30- Arduino mega.............................................................................................59
Figura 31- Ethernet Shield..........................................................................................59
Figura 32 - Xbee Shield...............................................................................................60
Figura 33-Rele.............................................................................................................60
Figura 34- Retail Site Intelligence (RSI) Temperature Monitoring Solution................61
Figura 35 - Configuração do Xbee..............................................................................62
Figura 36 - Carga Ativada...........................................................................................63
Figura 37 - Módulo controlador Ligado.......................................................................63
Figura 38 - Erro módulo coordenador.........................................................................64
Figura 39 - Erro módulo controlador...........................................................................65
Figura 40 – Código PHP.............................................................................................71
Figura 41 – Programação Arduino parte 1..................................................................72
Figura 42 – Programação Arduino parte 2..................................................................73
Figura 43 – Programação Arduino parte 3..................................................................74
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

Figura 44 – Programação Arduino parte 4..................................................................75


Figura 45 – Programação Arduino parte 5..................................................................76
Figura 46 – Programação Arduino parte 6..................................................................77
Figura 47- Programação Arduino parte 7...................................................................78
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

LISTA DE TABELAS

Tabela 1- Parâmetros do modulo Coordenador.........................................................27


Tabela 2- Parâmetros par o Modulo end device.........................................................28
Tabela 3- Comparação do mercado de automação 2015..........................................37
Tabela 4 - Tabela de Orçamento................................................................................38
Tabela 5 - Padrões 802.11..........................................................................................41
Tabela 6 - Comparação das diferentes tecnologias wireless.....................................41
Tabela 7- Padrões 802.11...........................................................................................44
Tabela 8 - Comparação do padrão ZigBee com outros Padrões...............................50
Tabela 9 - Descrição dos pinos dos módulos Xbee/Xbee-Pro...................................53
Tabela 10 - Características Xbee e Xbee-Pro............................................................54
Tabela 11- Nome e Valores do pacote API................................................................57
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO.........................................................................................................15
1.1 JUSTIFICATIVA....................................................................................................15

2 OBJETIVOS DA PESQUISA...................................................................................17
2.1 OBJETIVO GERAL...............................................................................................17
2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS.................................................................................17

3 METODOLOGIA DA PESQUISA............................................................................18
3.1 TIPO DE ESTUDO................................................................................................18
3.2 MATERIAIS DE ESTUDO.....................................................................................18
3.3 ETAPAS DO ESTUDO..........................................................................................19
3.4 IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO.......................................................................19
3.4.1 Arquitetura de Hardware.................................................................................19
3.4.1.1 Coordenador da rede......................................................................................20
3.4.1.2 Módulo controlador.........................................................................................21
3.4.2 Arquitetura de Software..................................................................................23
3.4.2.1 Arquitetura do Software arduino.....................................................................23
3.4.2.2 Configuração do modulo Xbee.......................................................................26
3.4.3 Arquitetura do Software Web..........................................................................28

4 REFERENCIAL TÉORICO......................................................................................33
4.1 AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL..............................................................................33
4.1.1 Benefícios da automação residencial............................................................34
4.1.2 Custo da Automação residencial...................................................................35
4.2 TECNOLOGIAS WIRELESS.................................................................................38
4.2.1 Especificações IEEE 802.11............................................................................40
4.2.2 Padrão 802.11a.................................................................................................42
4.2.3 Padrão 802.11b.................................................................................................42
4.2.4 Padrão 802.11g.................................................................................................43
4.2.5 Padrão 802.11n.................................................................................................43
4.2.6 Padrão 802.11ac...............................................................................................44
4.2.7 Bluetooth...........................................................................................................45
4.3 PADRÃO ZIGBEE.................................................................................................46
4.3.1 Características do padrão ZigBee..................................................................49
4.3.2 Tipos de redes..................................................................................................50
4.3.3 Xbee...................................................................................................................52
4.3.3.1 Comunicação do Xbee....................................................................................55
4.3.3.2 Configuração do Xbee....................................................................................57
4.4 ARDUINO..............................................................................................................58
4.4.1 Arduino mega...................................................................................................58
4.4.2 Shields do Arduino..........................................................................................59
4.5 APLICAÇÕES PRATICAS....................................................................................60

5 RESULTADOS.........................................................................................................63
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

CONCLUSÃO.............................................................................................................66

REFERÊNCIAS...........................................................................................................67

APÊNDICE A – CÓDIGO DA PROGRAMAÇÃO DO PHP........................................71

APÊNDICE B – CÓDIGO DA PROGRAMAÇÃO DO ARDUINO..............................72

APÊNDICE C – ARTIGO CIENTÍFICO.......................................................................79


Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

19

1 INTRODUÇÃO

Com a criação da eletricidade, foi instaurado um marco nas residências,


mudando o modo de como eram iluminadas e possibilitando o desenvolvimento de
equipamentos melhores e capazes de alterar o modo de vida. Entretanto, apesar de
grandes avanços, a sociedade do século XX não escolheu a automação residencial
como prioridade, adiando por décadas o sonho de uma casa automatizada
(BOLZANI, 2010).
No entanto, o mercado de automação está crescendo, fazendo surgir novas
empresas e equipamentos que trazem uma gestão de recursos habitacionais. Com a
popularização da internet - e junto com ela a difusão de dispositivos móveis - é cada
vez mais comum sistemas automatizados que possibilitam o controle por meio de
dispositivos móveis (BRANQUINHO, 2012).
Impulsionado por esse crescimento, novas tecnologias se desenvolvem com
ênfase nas redes sem fio (BOLZANI, 2010). No meio desse cenário, o ZigBee foi
proposto pela ZigBee Alliance como um pacote de especificações abertas para
comunicação sem fio. Sua utilização se dá em equipamentos que não necessitam de
alta taxas de transmissão de dados e necessitam de baixo consumo (SILVA, 2014).
Assim, com a crescente demanda por automação residencial, o protocolo ZigBee é
capaz de prover um sistema confiável?
Desta forma, o objetivo deste trabalho é apresentar um sistema de
automação residencial desenvolvido para utilizar o protocolo ZigBee. Cada
dispositivo se comunica com uma central de controle desenvolvida utilizando a
plataforma Arduino. A interação do usuário com o sistema se dá através de uma
interface web.

1.1 JUSTIFICATIVA

A motivação pela escolha desse tema ocorre ao se observar a busca por


comodidade e praticidade. A automatização de processos muitas vezes simples -
acender as luzes, abrir um portão, controlar o nível de luminosidade, ligar ou desligar
um equipamento - pode levar o usuário a um novo tipo de experiência.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

20

Com a criação de um sistema de automação residencial, o usuário poderá


controlar qualquer equipamento de sua residência, mesmo que esteja distante,
precisando apenas de um dispositivo com conexão com a internet.
Outro fator que se pode ressaltar é a economia de energia, pois lâmpadas
que estariam acessas desnecessariamente podem ser apagadas, aparelhos que
tenham sidos esquecidos ligados podem ser desligados, entre outros sistemas que
podem ser implementados, como os sistemas de segurança.
Assim, a procura por sistemas que possam oferecer ao usuário segurança,
comodidade é praticidade vem se tornado cada vez maior.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

21

2 OBJETIVOS DA PESQUISA

1.1 OBJETIVO GERAL

Construir um protótipo de automação residencial com módulos Xbee que


possibilite o controle remoto de eletrodomésticos ligados a uma TUG.

1.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

a) descrever as características do protocolo ZigBee e comparar com outras


tecnologias.
b) demonstrar a viabilidade técnica de uso do protocolo ZigBee em
automação residencial.
c) desenvolver uma interface gráfica responsiva para que usuários possam
controlar remotamente o protótipo por meio de dispositivos com acesso à
internet.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

22

3 METODOLOGIA DA PESQUISA

1.3 TIPO DE ESTUDO

Pode-se classificar o presente trabalho como pesquisa aplicada. Segundo


Gil (2010), este é um tipo de pesquisa cujo objetivo é a aquisição de conhecimentos
com vista à aplicação numa situação especifica.
Quanto aos seus objetivos gerais, é caracterizado como trabalho de
pesquisa explicativa, visto que se buscou a identificação de fatores que determinam
ou contribuem para a ocorrência de fenômenos, ou seja, tem por finalidade explicar
o porquê das coisas. Quanto aos métodos empregados, aplicou-se a pesquisa
experimental. Pois, segundo Souza et al. (2013), está relacionado a experimentar,
gerar inovações, testar materiais, simular eventos, fazer estudos com protótipos.
Quanto a sua abordagem, utilizou-se uma abordagem qualitativa, pois este trabalho
se preocupa com aprofundamento e compreensão do objeto de estudo sem
quantificação dos resultados.

1.4 MATERIAIS DE ESTUDO

Para a realização do projeto foi utilizado os seguintes materiais que foram


alvos de estudos.

Quadro 1- Materiais Utilizados


Materiais Descrição Quantidade
Arduino Mega Plataforma de prototipagem 1
eletrônica
Modulo Xbee Módulo com Protocolo 2
ZigBee
Arduino Xbee Shield Shield Xbee 1
Xbee Explorer USB Modulo para configuração 1
do Xbee
Protoboard Placa para montagem do 1
circuito
Resistor 1KΩ,4.7KΩ, 10K Ω 3
Transistor BC547 1
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

23

Diodo 1
Módulo de potência Regula a tensão para 5V e 1
YwRobot 3,3V
1.5 ETAPAS DO ESTUDO

Para a realização do projeto foram realizadas as seguintes etapas:


a) Levantamento teórico.
b) Desenvolvimento modular do protótipo.
c) Teste do protótipo.

1.6 IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO

A elaboração do protótipo de sistema de automação residencial para


controle de uma TUG foi segmentada em algumas etapas. A primeira etapa foi a
elaboração do circuito, momento dedicado à montagem. A segunda etapa foi a
elaboração do software do Arduino, onde consta toda a lógica de controle do
sistema. Nesta etapa também foi realizada a programação de integração dos
módulos Xbee com a unidade de controle. A terceira etapa foi a construção da
interface web e sua integração com a unidade de controle. Onde consta toda a
interface na qual o usuário do sistema utilizará, ou seja, o rosto do sistema.

1.6.1 Arquitetura de Hardware

Para a elaboração do circuito foi utilizado diversos componentes que se


comunicam entre si. Na Figura 1 é possível observar a topologia do sistema. O
usuário acessa o sistema por meio de um dispositivo com acesso à internet.
Qualquer solicitação feita pelo usuário através da interface web é enviada para o
coordenador do sistema de automação, que interpreta a solicitação é envia o
comando para o módulo que faz a leitura de status, ativa ou desativa a TUG.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

24

Figura 1 - Topologia do sistema

Fonte – SILVA (2014)

1.6.1.1 Coordenador da rede

Para a construção do coordenador foi utilizado um Arduino Mega 2560, um


módulo Ethernet Shield, um módulo Xbee Shield e um módulo Xbee configurado
como coordenador.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

25

O Ethernet Shield no Arduino possibilita que o Arduino seja conectado ao


roteador via cabo ethernet.
A integração destes módulos com a plataforma Arduino pode ser observada
na Figura 2.

Figura 2 - Coordenador da Rede

O coordenador foi alimentado através de uma fonte ligada à rede elétrica.

1.6.1.2 Módulo controlador

Para a construção do módulo controlador foi utilizado um Xbee configurado


como end device, uma TUG, um transistor BC547B, um resistor de 1000 Ω, um
diodo, um módulo regulador de tensão da YwRobot e um relé Shield.
O circuito para o ligamento do relé que controla a TUG é mostrado na Figura
3.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

26

Figura 3 - Módulo Controlador

Fonte - FÉO (2016)

O sinal digital vindo do módulo Xbee passa pelo transistor para um aumento
de tensão de 3,3V para 5V, possibilitando o acionamento do relé e, como
consequência, da TUG.
Com relação a TUG, sua ligação foi realizada diretamente na rede elétrica. A
fase da rede foi ligada nos contados normalmente aberto do relé e o neutro foi ligado
diretamente na TUG, como ilustra a Figura 4.

Figura 4 - Ligação da TUG

Para a energização do circuito foi utilizada uma bateria que fornece 9v. Um
regulador de tensão reduz a tensão para 5V, para a energização do relé e realiza,
também, a redução da tensão para 3,3V com a finalidade de energizar o módulo
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

27

Xbee. Na Figura 5 se observa como o módulo regulador de tensão foi posto na


protoboard para alimentar o circuito.

Figura 5 - Módulo regulador de tensão

Fonte - SUNFOUNDER (2016)

1.6.2 Arquitetura de Software

Nesta etapa foi modelada e desenvolvida a interface web para interação do


usuário com o sistema. Também foi nesta etapa que se realizaram os tratamentos
de falhas de comunicação e interação do módulo coordenador com o módulo de
controle.
A criação da arquitetura do software foi dividida em duas partes. Sendo a
primeira a programação do Arduino e a segunda as configurações dos módulos
Xbee.

1.6.2.1 Arquitetura do Software arduino

Para a codificação do software de operação no Arduino foi utilizada a IDE do


Arduino, que é um ambiente de desenvolvimento pelo próprio fabricante para a
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

28

criação de códigos para esta plataforma. Na Figura 6 mostra-se a interface gráfica


da IDE.
Figura 6-Interface da IDE do Arduino

Fonte - FBS ELETRONICA (2013)

Utilizou-se a versão 1.6.10 desta IDE, que pode ser encontrada


gratuitamente no site do fabricante. Também foram utilizadas algumas bibliotecas
específicas, que são um conjunto de funções pré-escritas utilizadas para facilitar o
desenvolvimento de programas. Foram utilizadas as bibliotecas Ethernet e Xbee-
arduino.
A biblioteca Ethernet permite a configuração do Arduino para que ele receba
dados via cabo Ethernet. Já a biblioteca Xbee-arduino permite que se realize a
comunicação com os módulos Xbee via comunicação API, visto que essa
comunicação fácil é implementação complexa, pois exige o envio de pacotes pré-
estabelecidos, conforme descrito no item 1.9.3.1.
O fluxograma da Figura 7 as etapas principais de controle desenvolvida pelo
software desenvolvido para execução no Arduino.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

29

Figura 7-Fluxograma Arduino


Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

30

Como está descrito na Figura 7, o Arduino inicia e entra em loop infinito,


aguardando uma solicitação gerada a partir da interface web. Após receber uma
requisição do cliente web, o arduino identifica qual o tipo de ação que o cliente está
solicitando, realiza o tratamento necessário para enviar o pacote de dados via
comunicação API, e envia os dados ao modulo Xbee remoto.
Após o envio da solicitação, o modulo Xbee remoto retorna uma mensagem
com uma resposta de erro ou de sucesso, que o Arduino encaminha para o cliente
web. O Arduino também retorna mensagens de erro caso a solicitação do cliente
web não seja válida, e em casos nos quais o Arduino não consegue se comunicar
com o modulo remoto.

1.6.2.2 Configuração do modulo Xbee

Para configurar os módulos foi utilizado o software X-CUT desenvolvido pela


Digi international e disponível para download no site da fabricante. A versão usada
do software foi a 6.1.0. Também foi utilizado um adaptador USB-SERIAL
denominado Xbee explorer usb, mostrado na Figura 8 , que tem a função de fazer a
comunicação entre o modulo Xbee e o computador com o software X-CUT.

Figura 8 - Xbee explorer usb

Fonte – SOUSA (2016)

A fabricante também disponibiliza um tutorial em inglês de como utilizar o


software X-CUT. Após instalado, o X-CUT apresenta a interface mostrada na Figura
9.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

31

Figura 9 - Tela inicial do X-CUT

Fonte - SOUSA (2016)

Após os módulos Xbee serem reconhecidos pelo programa X-CUT, duas


configurações foram realizadas. A primeira foi para o Xbee coordenador da rede, é a
segunda foi para o Xbee end device responsável pelo acionamento da TUG.
O Xbee coordenador é conectado fisicamente ao Arduino e, juntos, atuam
como um servidor responsável por receber e transmitir informações. Para o Xbee
coordenador foi realizado a atualização do firmware para ZigBee cordinator API, cuja
versão é 21A7. As configurações realizadas e seus parâmetros são mostrados na
Tabela 1.

Tabela 1- Parâmetros do modulo Coordenador


Parâmetro Ajuste Ajuste Função
padrão
PAN ID 1234 0 Identificação da PAN
NI Coordenador ‘’ Nome do dispositivo
na rede
AP 2 1 (2) Modo API sem
caractere sinalizado

Para o Xbee end device, foi realizada atualização para o firmware ZigBee
end device API com a versão 29A7, e também foram aplicadas as configurações e
parâmetros apresentados na Tabela 2.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

32

Tabela 2- Parâmetros par o Modulo end device


Parâmetro Ajuste Ajuste padrão Função
PAN ID 1234 0 Identificação da PAN
NI TUG ‘’ Nome do dispositivo na rede
AP 2 1 (2) Modo API sem caractere
sinalizado
DH 0013A200 0 Parte alta do endereço de 64 bis
do módulo destino (coordenador)
DL 4098BF1E 0 Parte baixa do endereço de 64
bis do módulo destino
(coordenador)

O software X-CUT também possibilita realizar a criação de uma rede ZigBee,


adicionar dispositivos, enviar e receber pacotes, um ótimo recurso para testar a rede
ZigBee.

1.6.3 Arquitetura do Software Web

Para a criação da página web foi utilizado o angularJS, um framework em


Java Script, de código aberto, desenvolvido pela Google. Seu principal objetivo é
auxiliar no desenvolvimento Front-end de aplicações web, ou seja, as páginas que
são exibidas pelo navegador de internet.
Também foi utilizado o angular material, que é uma implementação do
material design no angularJS. O material design, desenvolvido pela Google, é um
movimento de interação visual que se adapta em diferentes dispositivos e em
diferentes tamanhos de telas.
A interface web foi criada com duas telas. A primeira tela é a tela de login
onde o usuário deverá validar seu acesso ao sistema. Na Figura 10 é possível
visualizar a tela de login.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

33

Figura 10 - Tela 1

Após o login no sistema, a segunda tela é exibida. Nesta tela o usuário tem
acesso à lista dos dispositivos que serão controlados, sua situação no sistema e o
botão para ativar e desativar cada dispositivo. A Figura 11 mostraApós o login no
sistema, a segunda tela é exibida. Nesta tela o usuário tem acesso à lista dos
dispositivos que serão controlados, sua situação no sistema e o botão para ativar e
desativar cada dispositivo. A Figura 11 mostraApós o login no sistema, a segunda
tela é exibida. Nesta tela o usuário tem acesso à lista dos dispositivos que serão
controlados, sua situação no sistema e o botão para ativar e desativar cada
dispositivo. A Figura 11 mostraErro! Autoreferência de indicador não válida. a tela de
controle dos dispositivos. a tela de controle dos dispositivos. a tela de controle dos
dispositivos.

Figura 11 - Tela 2
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

34

Também aplicada a linguagem de programação PHP, que é uma linguagem


de código aberto especialmente adequada para o desenvolvimento web. O que
distingue o PHP do angularJS é o fato de o código ser executado no lado do
servidor. O PHP foi utilizado entre o dispositivo do cliente e o Arduino.A lógica
empregada para o desenvolvimento do código pode ser analisada na Figura 12 e na
Figura 13Figura 13.

Figura 12 - Logica para verificação do status da TUG


Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

35

Na Figura 12 mostra-se a lógica usada para solicitar o estado em que a TUG


se encontra. Quando o usuário acessa a página o sistema abre uma conexão com o
Arduino por meio da internet e envia uma solicitação requisitando o status da TUG e
apresenta ao usuário por meio da interface web.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

36

Figura 13 - Logica para mudança de estado da TUG

Na Figura 13 mostra-se a lógica usada quando o usuário solicita a mudança


de estado da TUG. Quando o usuário ativa o botão, o sistema envia o estado do
botão, se foi ligado ou desligado, ao Arduino, que informa à interface se a ação foi
executada com sucesso ou apresenta o erro encontrado.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

37

Utilizou-se o XAMPP para disponibilizar a página a ser acessada pelo


cliente. O XAMPP é um pacote com os principais servidores de código aberto no
mercado, incluindo FTP, banco de dados MySQL e Apache, com suporte às
linguagens PHP e Perl. Na Figura 14Figura 14 ilustra-se a interface do programa.

Figura 14 - XAMPP

Após os testes em rede local a página de interação com o usuário foi


hospedada em um servidor na internet. Assim, o usuário poderá acessar o sistema
de qualquer lugar com conexão à internet permitindo o acionamento remoto das
TUG controladas.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

38

4 REFERENCIAL TÉORICO

1.7 AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL

A automação é um conceito que vem se praticando desde os primórdios da


humanidade, pois se caracteriza como a simplificação de processos que auxiliem o
ser humano nas suas tarefas diárias sejam elas, industriais, comerciais, domesticas
ou no campo. Entretanto foi a revolução industrial a grande alavancada na
automação, pois ela possibilitou a mecanização de processos[ CITATION PEN09 \l
1046 ].
Com a chegada do computador pessoal, da internet, e a melhora de acesso
a equipamentos eletrônicos, criou-se uma cultura de acesso a dados digitalizados
permitindo criar projetos onde suas funções estejam interligadas e trabalhando em
conjunto [ CITATION PEN09 \l 1046 ].
Segundo Teza (2002), a automação alcançou vários mercados, tais como:
 Industrial: onde permitiu o controle automatizado de máquinas, e a
simplificação de processos, abaixando o custo de produção e de mão de obra;
 Comercial: que possibilitou o controle de estoque mais eficiente, um
controle eficiente nas finança e operações comerciais, além de uma de uma maior
facilidade em alcançar seus consumidores;
 Predial: responsável pela automação de tarefas realizadas em
condomínios de edifícios comerciais ou residenciais;
 Residencial: que possibilitou uma nova experiência ao usuário
doméstico permitindo um maior conforto e segurança através de simplificação de
afazeres diários.
Nesse cenário, a automação residencial nada mais é que o uso da
tecnologia integrada para a obtenção de conforto, segurança e economia em uma
residência (ROVERI, 2012).
Várias tecnologias têm surgido, destacando-se aquelas que usam tecnologia
sem fio, pois evita grandes reformas para implantação da automação (SILVA,2014).
Outras vantagens da utilização de redes sem fio são: facilidade de instalação
e informação em tempo real de qualquer lugar da cobertura da rede sem fio
[CITATION Rog07 \l 1046 ].
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

39

Existe no mercado uma variedade de soluções para automação residencial


onde cada usuário pode escolher o que mais se adequa às suas necessidades.
Entretanto, Bolzani (2004) aponta que existem algumas características fundamentais
que devemos encontrar em um sistema inteligente, tais como:
 Capacidade para integrar todos os sistemas - toda a rede doméstica deve
estar interligada e deve possibilitar o monitoramento e controle externo.
 Atuação em condições variadas - o sistema deve ser de fácil uso tanto para
usuários com um entendimento tecnológico bom tanto para o usuário com
pouco entendimento. Deve suportar condições adversar como mudança
climáticas e falta de energia.
 Memoria - O sistema deve guardar informações de utilização do sistema para
a criação de histórico.
 Noção temporal - O sistema deve ser capaz de reconhecer o dia e a noite
além de estações a fim de possibilitar a automação de processos com passe
nesses aspectos.
 Facilidade de reprogramação - Deve permitir a fácil manutenção desses
equipamentos.
 Capacidade de autocorreção - Deve ser capaz de identificar e sugerir
soluções para os problemas.
Com a realização da automatização de uma residência, consegue-se ter um
maior conforto sem desperdício, obtendo assim um menor consumo de
energia[ CITATION BOL04 \l 1046 ].

1.7.1 Benefícios da automação residencial

Pode-se caracterizar os benefícios da automação residencial nos seguintes


requisitos: segurança, conforto, economia de energia, comunicação, controle de
iluminação e acessibilidade [ CITATION PEN09 \l 1046 ].
Na área da segurança a automação residencial se caracteriza por processos
que ajude na proteção físicas dos moradores e de seus pertences. Pode-se citar
como exemplo: Alarme contra invasão, detecção de vazamento de gás, detectores
de incêndio, monitoramento remoto de sinais vitais e simuladores de
presença[ CITATION Dan09 \l 1046 ].
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

40

Quanto ao conforto, pode ser caracterizado como a redução de processos


burocráticos e repetitivos: acionamento de luzes remotamente, controle automático
de temperatura e controle de estado de eletrodomésticos[ CITATION Dan09 \l
1046 ].
Economia de energia caracteriza-se por processos que ajudem no controle e
racionamento energético, para que haja um melhor uso da energia elétrica. Pode-se
citar como exemplo: o controle de iluminação, controle de temperatura e
motores[ CITATION Vic12 \l 1046 ].
Comunicação é a interligação dos diversos processos de uma residência.
Pode-se citar o controle pelo celular de qualquer lugar com conexão à internet e
envio de chamadas automáticas em caso de emergência[ CITATION Vic12 \l 1046 ].

1.7.2 Custo da Automação residencial

Apesar do mercado de automação ter crescido, a automação residencial


ainda está muito associada a artigo de luxo. A AURESIDE (Associação Brasileira de
Automação Residencial) aponta que existe um potencial para fornecimento de
equipamento em 1,8 milhões de residências e estima que apenas 300 mil
residências possuem equipamento de automação residencial. Portanto, há um
mercado inexplorado de aproximadamente 1,5 milhões de residências. A AURESIDE
diz ainda que 78% dos brasileiros tem interesse em automação residencial e que o
mercado tem expectativa de atingir US$ 58,68 bilhões até o ano de 2020
[ CITATION AUR16 \l 1046 ].
O custo de implementação pode variar muito dependendo do que o cliente
deseja. Partindo de R$1 mil reais, para sistema de iluminação de uma sala, e chegar
até R$250 mil reais para uma automação completa [ CITATION Ema15 \l 1046 ].
A empresa iHouse, pioneira no brasil em tecnologia de automação
residencial embarcada, promete automatizar sua casa a partir de R$ 4.590 mais o
custo da mão de obra (IHOUSE, 2016).
Outro levantamento feito pela AURESIDE compara o mercado de
automação com outros países conforme mostra a Figura 15.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

41

Figura 15 - Mercado de automação residencial em 2015.

Fonte - PLATAFORMA CONECTAR (2015)

A Figura 15 mostra um crescimento significativo mesmo em mercados mais


maduros, ficando entre 11 e 20%. Esse crescimento se deve ao aparecimento de
novos produtos, a participação de grandes empresas como a Apple, e de
concessionarias de telecomunicações e de energia [ CITATION PLA15 \l 1046 ].
Apesar de o Brasil ter potencial na automação residencial, quando
comparados a outros países os números se tornam pequenos, como mostra a
Tabela 3.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

42

Tabela 3- Comparação do mercado de automação 2015

Fonte - PLATAFORMA CONECTAR (2015)

Para explicitar os benefícios econômicos que a automação residencial traz, a


Tabela 4 apresenta um estudo de caso realizado em uma residência de 2500m 2,
com um consumo médio mensal de 9800Kw/h e comum gasto mensal de R$
4.800,00 reais [ CITATION PEN09 \l 1046 ].

Tabela 4 - Tabela de Orçamento

Fonte – NETO (2009)

Como resultado da automação foi constatado uma redução média mensal de


40% no consumo de energia elétrica, uma redução média mensal de R$ 1.964,00.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

43

Na Figura 16 mostra-se os dados de consumo da residência em questão[ CITATION


PEN09 \l 1046 ].

Figura 16 - Consumo de Energia Elétrica

Fonte – NETO (2009)

1.8 TECNOLOGIAS WIRELESS

Dentre as tecnologias usadas, a construção de redes sem fio se diferencia


pois se utilizam de ondas eletromagnéticas que carregam o sinal sobre parte ou todo
o trajeto sem a necessidade da utilização de cabos para transporte dos dados
(MONSIGNORE, 2007). A rede Wireless é a maior aposta na democratização de
acesso a informações, sendo utilizadas em áreas como industrial, comercial e
residencial [ CITATION PEN09 \l 1046 ].
Na Figura 17 alguns exemplos de como a rede pode ser montada.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

44

Figura 17- Alguns exemplos de redes wireless

Fonte - FLICKENGE et al. (2013)

A rede wireless pode ser usada de diversas formas, como uma simples
extensão da rede até um ponto remoto, por exemplo. Podendo ser um ponto de
acesso onde clientes wireless acessam a rede ou pode ainda ser uma rede com
vários pontos comunicando-se entre si conforme se pode observar na Figura 17
(FLICKENGE et al., 2013). Sua classificação é dada por sua área de cobertura
conforme mostra a Figura 18 (ZUCATO, 2009).
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

45

Figura 18- Padrões Wireless

WAN
IEEE 802.16e 3GPP,
3GPP2,
IEEE 802.20 EDGE (GSM)
(proposed)
IEEE 802.16 - MAN ETSI HiperMAN
2004 AND
HIPERACCESS
IEEE 802.11 – LAN ETSI
WirelessLAN HiperLAN

IEEE 802.15 – PAN ETSI


Bluetooth HiperPAN

Fonte - 6ª SINFORM - SEMANA DE INFORMÁTICA DA UESC (2006)

As WLAN (Wireless Local Area Networks), se caracterizam como redes


locais que permitem a interconexão entre dispositivos e entre dispositivos é a
internet. Pode-se citar como exemplo as redes sem fio que encontramos em
residências, empresas, hotéis, aeroportos, oferecendo a comodidade da mobilidade
e eliminando o uso de cabo como conexão (6ª SINFORM - SEMANA DE
INFORMÁTICA DA UESC, 2006).
As tecnologias ZigBee e Bluetooth são classificadas como redes W-PAN
(Wireless Personal Area Networks). Apesar de estarem na mesma rede W-PAN,
possuem características diferentes e apresentam diferentes posições no mercado.
Inicialmente as redes W-PAN foram projetadas para interconectar celulares, laptops,
tabletes, fones de ouvido, assim seu alcance é pequeno de no máximo 10 metros
(ZUCATO, 2009).

1.8.1 Especificações IEEE 802.11

As tecnologias sem fio datam de 1990 e utilizavam da faixa de frequência de


900Mhz com taxa de transmissão de 1Mb/s. Logo após vieram aplicações não
padronizadas e proprietárias que operavam na faixa de frequência de 2,4Ghz,
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

46

impossibilitando a comunicação entre dispositivos de fabricantes


diferentes[ CITATION Emm11 \l 1046 ].
Assim em 1997 o IEEE definiu uma arquitetura de rede sem fio conhecida
por IEEE 802.11, que especifica as camadas físicas e a de controle de acesso ao
meio (MAGNO, et al., 2013).
A Tabela 5 a seguir mostra as principais caraterísticas da família IEEE
802.11

Tabela 5 - Padrões 802.11

Fonte - RUPPEL, UNRUH e UNRUH (2013)

Tabela 6 - Comparação das diferentes tecnologias wireless

Fonte – ZUCATO (2009)


Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

47

Sendo finalizado e aprovado em 1997, o padrão 802.11 especifica taxa de


transferência de até 2Mb/s e frequência de operação de 2,4GHz, conforme
especificado na Tabela 5 [ CITATION RUP13 \l 1046 ].
A Tabela 6 fornece as principais características entres os diferentes tipos de
tecnologias wireless como alcance, tipo de encriptação, banda de frequência,
alcance, números de nos etc.
Desde a criação do padrão 802.11 a IEEE vem trazendo correções e
melhorias para melhorar questões de segurança e desempenho. Sendo que estas
melhorias são representadas por letras que acompanha o 802.11[ CITATION
Emm11 \l 1046 ]

1.8.2 Padrão 802.11a

Ratificado pelo IEEE em 16 de setembro de 1999 o 802.11a utilizaa técnica


de modulação OFDM (Orthogonal Frequency Division Multiplexing), que possui uma
eficiência maior e possibilita transferência de 6Mb/s a 54Mb/s, dependendo da
distância. Conforme é apresentado na Tabela 6 (MAGNO, et al. 2013).
Foi o primeiro padrão sem fio a utilizar uma frequência de 5MHz e utiliza
300MHz da faixa de 5GHz. Esta faixa é dividida em canais de 20MHz que são
subdivididos em 52 subportadoras, sendo 48 para transmissão de dados e 4 para
controle de erro (MAGNO, et al. 2013).
Por operar numa frequência maior, o padrão tem um alcance menor quando
comprado aos padrões 802.11b/g, e também o padrão é incompatível com padrões
802.11b/g, o que diminui sua popularidade (MAGNO, et al. 2013).

1.8.3 Padrão 802.11b

O padrão 802.11b foi colocado no mercado em 16 de setembro de 1999.


Utiliza espelhamento espectral por sequencia direta (DSSS -Direct Sequence
Spread Spectrum) e ocupa a faixa de 2,4GHz, possuindo uma capacidade de
transmissão de até 11Mb/s, que pode ser reduzida até 1Mb/s dependendo do lugar
de utilização [ CITATION RUP13 \l 1046 ].
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

48

Figura 19 - Canais padrão 802.11b

Fonte - EMMANUEL (2011)

O padrão possui 14 canais, cada um com 25MHz, sendo que a utilização


desses canais depende do órgão regulador de cada pais. Contudo, o uso mais
comum é de 11 canais. Como resultado, a faixa de frequência em que o padrão é
permitido se restringe a 81MHz, onde 3 canais não são sobrepostos, ou seja, não
interferem um no outro. Conforme ilustra Figura 19[ CITATION Emm11 \l 1046 ].
Devido à compatibilidade com os padrões 802.11/g/n e por operar numa
faixa de frequência amplamente utilizada, o padrão 802.11b foi amplamente adotado
[ CITATION Emm11 \l 1046 ].

1.8.4 Padrão 802.11g

O padrão 802.11g, mesmo com a chegada tardia no mercado, tornou-se o


protocolo padrão de muitos aparelhos. Utiliza o mesmo espaço de frequência que
802.11b, entretanto sua modulação é a OFDM (Ortogonal Frequency Division
Multiplexing). Tem capacidade de transmissão de 54Mb/s, podendo ser diminuída
até 22Mb/s dependendo do lugar de utilização. Outra vantagem é o fato de ser
compatível com o padrão 802.11b, garantindo que aparelhos que possuem o padrão
802.11b possam se comunicar com o padrão 802.11g (FLICKENGE, et al., 2013).

1.8.5 Padrão 802.11n

Com o intuito de desenvolver um padrão que atendesse a crescente


demanda por uma maior taxa de transmissão em julho de 2009 a IEEE aprovou o
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

49

padrão 802.11. Em suas especificações contempla o uso da frequência de 2,4GHz e


5GHz. Este padrão permite uma taxa de transmissão de até 600Mb/s, sendo bem
maior que outros padrões da família 802.11 e tendo também uma taxa de
transmissão maior que algumas tecnologias de redes cabeadas. Outra vantagem do
padrão é o fato de ser compatível com os padrões 802.11a e 802.11b, além disso
possui um alcance de 300 metros [ CITATION Emm11 \l 1046 ].

Tabela 7- Padrões 802.11

Fonte - EMMANUEL (2011)

Na Tabela 7 são apresentados os principais comparativos do padrão


8022.11n com outros padrões da família 802.11[ CITATION Emm11 \l 1046 ].

1.8.6 Padrão 802.11ac

A especificação 802.11ac é a mais recente a ser posta no mercado, criada


entre os anos de 2011 e 2012 e sendo aprovada em 2013 pela IEEE (MAGNO, et
al., 2013).
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

50

Figura 20 - Comparação 802.11n versos 802.11ac

Fonte - MAGNO et al (2013)

Observando a Figura 20 constata-se a evolução do padrão 802.11ac em


relação a 802.11n. O padrão 802.11ac opera na faixa dos 5Ghz, que é menos
suscetível à interferência é permite conexões mais confiáveis, pois essa faixa é
menos utilizada por outros aparelhos eletrônicos. A Figura 20 também apresenta um
aumento na largura de banda de 40MHz para 80MHz e 160MHz, elevando também
sua taxa de transmissão para até 1024Mb/s. Outro ponto importante é que o padrão
permite que vários blocos de informações sejam enviados para diferentes
utilizadores ao mesmo tempo e na mesma gama de frequência (MAGNO, et al.,
2013).

1.8.7 Bluetooth

Outra tecnologia muito usada atualmente é o Bluetooth que começou a ser


desenvolvida pela empresa Ericsson Mobile Communications em 1994. O nome
Bluetooth é uma referência ao rei viking Harald Bluetooth, que unificou a Dinamarca
e a Noruega, no século X[ CITATION SID06 \l 1046 ].
A partir de 1988 a Ericsson juntou-se com outras empresas (Nokia, Intel,
Toshiba e IBM) com o objetivo de desenvolver um padrão aberto de comunicação
sem fio, garantindo assim um sucesso imediato do Bluetooth com mais de 2000
membros na SIG (Special interest Group). O principal objetivo dessas empresas é a
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

51

criação de um dispositivo de baixo custo, baixo consumo, com alcance de 10 metros


e transferências de até 720Kps[ CITATION SID06 \l 1046 ].
Homologado pela IEEE através da norma 802.15.1 que define as
especificações da camada física (PHY) e da subcamada de controle e acesso ao
meio (MAC) para dispositivos fixos, portáteis e móveis com o alcance de até 10
metros. O Bluetooth utiliza uma frequência de 2,4Ghz. Outra característica é que o
Bluetooth cria automaticamente conexões independentes entre os dispositivos,
permitindo até 8 dispositivos. Conforme especificado na Tabela 6 [ CITATION
RUP13 \l 1046 ].
As aplicações do Bluetooth são vastas, podendo ser usadas para transmitir
dados e voz em aparelhos portáteis como celulares, notebooks, fone de ouvido,
como também em aparelhos não portáteis, como computador de mesa [ CITATION
RUP13 \l 1046 ].

1.9 PADRÃO ZIGBEE

Desenvolvido pela ZigBee Alliance, uma associação criada por grandes


empresas do ramo, a tecnologia ZigBee foi criada para operar a taxa de bits típica
para dispositivos simples como sensores, lâmpadas, e outros equipamentos de
automação residencial e industrial, ou seja, foi criado para suprir a necessidade de
sistemas que atua em baixa latência, e necessitam de automatização para baixo
consumo de energia e um bom custo benefício (PENACHIM NETO, 2009).
Segundo Monsignore (2007), o ZigBee pode oferecer: baixa potência
(otimizado para uso de baterias), operar nas bandas não licenciadas de 2.4GHz,
868MHz e 915MHz, protocolo simples (podendo ser implementado em
microcontroladores de baixo custo), centenas de dispositivos por rede, flexibilidade
na rede (estrela, arvore ou malha), taxa de dados até 250Kb/s, tamanho de
hardware reduzido.
O ZigBee foi especificado pela norma IEE802.15.4 homologada em 2003,
que define as duas primeiras camadas do ZigBee, sendo a camada física e a
camada MAC (Media Access Control), conforme a Figura 21 (ROVERI, 2012).
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

52

Figura 21- Camadas do protocolo ZigBee

Fonte - ROVERI (2012)

O padrão ZigBee possui quatro camadas, sendo duas delas definidas pela
IEE802.15.4, conforme mostrado acima, além da camada de rede e aplicação,
conforme mostra a Figura 22 e Figura 23 (ROVERI, 2012).

Figura 22- As quatro camadas do protocolo ZigBee

Fonte - ROVERI (2012)


Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

53

Figura 23-Arquitetura da pilha ZigBee

Fonte - Zucato (2009)

A camada física tem a responsabilidade de tratar os dados brutos por meio


de um canal de comunicação, ou seja, receber informações do meio externo e
entrega-la a camada MAC (ROVERI, 2012).
A camada MAC é responsável pelo acesso ao meio, é responsável por
controlar o acesso aos canais de rádio frequência. Além disso, define quais os tipos
de dispositivos permitidos na rede, a estrutura e a validação dos pacotes de dados.
A camada MAC também faz o controle do processo de sinalização, ou seja,
a transmissão de pequenos dados denominados beacons que tem como objetivo
permitir que estações estabeleçam e mantenham uma conexão, trazendo uma maior
credibilidade ao funcionamento da rede. A mesma também realiza a associação e
dissociação de dispositivos e, adicionalmente, fornece bases para implementação de
mecanismos de segurança apropriados as aplicações (ESCHNER, 2011).
Conforme Roveri (2012) a camada de rede oferece dois serviços, o de dados
e o de gerenciamento. Sendo que sua responsabilidade é controlar o fluxo de dados
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

54

na rede, distribuir os endereços de 16 bits, controlar a distância que um quadro pode


alcançar na rede, e definir se o modo de comunicação é, unicast, broadcast ou
multicast.
A camada de aplicação que está dividida em três elementos, a subcamada
de suporte à aplicação (APS), application framework e ZigBee device Object
(ROVERI, 2012).
A subcamada de suporte à aplicação é responsável por manter uma base de
dados dos dispositivos ligados a ele, e prover transmissão de dados para os
dispositivos ligados na rede (SILVA,2014).
A apllication framework é destinada à alocação dos objetos de aplicação do
zigbee. Estes objetos possuem funções definidas pelo fabricante incluindo primitivas
de serviços de dados (ESCHNER, 2011).
E por último, zigbee device Object é responsável pela comunicação do APS
e os objetos de aplicação, e pela descoberta de novos serviços oferecidos por
dispositivos na rede (ESCHNER, 2011).

1.9.1 Características do padrão ZigBee

O padrão ZigBee possui diversas funcionalidades e características que


foram criadas para atender o mercado, principalmente o de automação. Abaixo
vemos algumas de suas principais características.
 Baixo consumo de energia: Tem a capacidade de entrar no modo sleep e
diminuir seu consumo de energia de 70mili amperes para 50 micro amperes.
 Baixo custo.
 Grande quantidade de nós: podendo ter 65535
 Diferentes topologias de rede: estrela, arvore ou malha.
 Baixa latência: tempo pequeno de ligação à rede e rapidez na transição do
modo sleep para o modo ativo.
 Segurança e confiabilidade: possui modo de encriptação (ESCHNER, 2011).
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

55

Tabela 8 - Comparação do padrão ZigBee com outros Padrões

Fonte - SALEIRO e EY (2009)

A Tabela 8 apresenta uma comparação entre o ZigBee e outras tecnologias


wireless com ênfase em suas principais aplicações. A principal vantagem do ZigBee
é o fato de ter um baixo consumo, pois para um projeto que exija baixo consumo de
energia, um alcance considerável, e a possibilidade de redes de diferentes tipologias
o ZigBee passa a ser a melhor escolha[ CITATION Sal09 \l 1046 ].
Mesmo o protocolo ZigBee tendo uma baixa largura de banda, como
podemos ver na Tabela 8, é o ideal para aplicações que não necessitam de grandes
transferências de dados como na automação residencial que se utiliza apenas de
leituras de pequenos dados e controle de cargas [ CITATION Sal09 \l 1046 ].

1.9.2 Tipos de redes

Uma característica importante do ZigBee, como já citado, é a possibilidade


de ter diferentes topologias de rede, que permitem a configuração conforme a
necessidade (ESCHNER, 2011).
A primeira delas é a topologia estrela, que tem como principal característica
o fato que os dispositivos finais não conseguem se comunicar diretamente entre si,
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

56

somente através de um coordenador conforme a Figura 24. Esta topologia é


adequada para aplicações de baixa complexidade (ZUCATO, 2009).

Figura 24- Topologia estrela

Fonte - ESCHNER (2011)

Já a topologia em árvore, usa uma estratégia hierárquica onde os


coordenadores se comunicam com os módulos roteadores que se comunicam com
os dispositivos finais, conforme Figura 25. Esta estrutura permite que a rede cresça
geograficamente (ZUCATO, 2009).

Figura 25- Topologia em Arvore


Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

57

Fonte - ESCHNER (2011)

E por fim, a topologia em malha, nela os roteadores podem se comunicar


diretamente, sem a necessidade de passar por um coordenador, possibilitando
indefinidamente o crescimento descentralizado, conforme se observa na Figura 26.
Outra vantagem é a possibilidade de redirecionamento de rotas em caso de perca
de conexão por um roteador (ESCHNER, 2011).

Figura 26- Topologia em malha

Fonte - ESCHNER (2011)


Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

58

1.9.3 Xbee

O Xbee, é um modulo de rádio frequência desenvolvido pela Digi


international fabricante de dispositivos de comunicação sem fio. O Xbee possui o
protocolo ZigBee embarcado no seu próprio microcontrolador. Cada modulo possui
diversos pinos que, dependendo de como configurado, podem atuar como
acionadores ou leitores, além disso, dispõe de todas as características que uma
rede ZigBee possui. Na Figura 27 tem-se a pinagem do modulo Xbee e na Tabela 9
mostra-se as configurações de cada pino (ESCHNER, 2011).

Figura 27- Xbee-Pro e pinos

Fonte - HEBEL, BRICKER e HARRIS (2010)

Tabela 9 - Descrição dos pinos dos módulos Xbee/Xbee-Pro


Pino # Nome Direção Descrição
1 VCC - Alimentação 3,3v
2 DOUT Saída Saída de dados da UART
3 DIN /  Entrada Entrada de dados da UART
4 DO8 Saída Saída digital 8
Inicializa módulo (um pulso nível 0 de pelo menos
5 RESET Entrada
200ms)
Saída do PWM 0 / Indicador de Força do sinal de RF
6 PWM0 / RSSI Saída
(RX)
7 PWM1 Saída Saída do PWM 1
Ainda não tem uma função definida (futura
8 (Reservado) -
implementação)
Linha de Controle da Função Sleep ou Entrada
9  / SLEEP_IRQ / DI8 Entrada
digital 8
10 GND - Terra
Entrada/Saíd
11 AD4 / DIO4 Só Entrada Analógica 4 ou Entrada/Saída Digital 4
a
Entrada/Saíd
12  / DIO7 Controle de Fluxo CTS ou Entrada/Saída Digital 7
a
13 ON / SLEEP Saída Indicador de Estado do Módulo
14 VREF Entrada Voltagem de Referência para as Entradas A/D
15 Associação / AD5 / DIO5 Entrada/Saíd Indicador de Associação, só Entrada Analógica 5 ou
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

59

a Entrada/Saída Digital 5
Entrada/Saíd Controle de Fluxo RTS, só Entrada Analógica 6 ou 
16  / AD6 / DIO6
a Entrada/Saída Digital 6
Entrada/Saíd
17 AD3 / DIO3 Só Entrada Analógica 3 ou Entrada/Saída Digital 3
a
Entrada/Saíd
18 AD2 / DIO2 Só Entrada Analógica 2 ou Entrada/Saída Digital 2
a
Entrada/Saíd
19 AD1 / DIO1 Só Entrada Analógica 1 ou Entrada/Saída Digital 1
a
Entrada/Saíd
20 AD0 /DIO0 Só Entrada Analógica 0 ou Entrada/Saída Digital 0
a
Fonte – ROGERCOM (2016)

Como mostra a Tabela 9 , há diversos pinos com diferentes configurações,


sendo que os pinos DOUT e DIN são pinos que recebem os dados via porta serial. O
pino RESET é reservado para restaurar o modulo a sua configuração de fábrica. Os
pinos CTS / RTS / DTR são usados para sinalizar que o Xbee está pronto para
receber ou enviar dados. Os pinos DIO0-DIO7 / D08 são usados como entrada e
saídas digitais ou analógica [ CITATION Heb10 \l 1046 ].
Apesar de ter a pinagem semelhante, os módulos Xbee vem em diferentes
versões, como podemos ver na Tabela 10.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

60

Tabela 10 - Características Xbee e Xbee-Pro

Fonte - SALEIRO e EY (2009)

A principal diferença entre eles é a potência de saída e a sensibilidade de


transmissão, o que afeta seu alcance. Também podem se diferenciar fisicamente no
estilo da antena como mostra a Figura 28 [ CITATION Sal09 \l 1046 ].

Figura 28- Antenas do Modulo Xbee

Fonte - COMPUTUTORIALS (2016)

Os módulos Xbee também são divididos em série, sendo que a série 1 são
mais básicos e suportam apenas os protocolos IEEE 802.15.4 e sem o protocolo
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

61

ZigBee. Já os de série 2 suportam operações como coordenador, roteador e


dispositivos finais. Possuem um maior alcance e possuem um hardware mais
avançado, além de ter o protocolo ZigBee [ CITATION ROV12 \l 1046 ].
Uma característica importante do Xbee é o modo sleep, que permite que o
mesmo entre em hibernação e aumente a economia de energia para o sistema
[ CITATION Riv11 \l 1046 ].

1.9.3.1 Comunicação do Xbee

Quanto ao modo de comunicação, existem duas maneiras de operar: no


modo transparente (AT) e no modo API (Aplication Program Interface).
No modo de comunicação AT o Xbee atua somente como uma comunicação
serial cabeada, ou seja, todos os dados que chegam através do pino de entrada são
transmitidos via rádio frequência e todos os dados que chagam por rádio frequência
são direcionados ao pino de saída. Neste modo de comunicação não há
possibilidade de configuração dos pinos à distância, sendo possível somente via
porta serial [ CITATION Soa12 \l 1046 ].
Este modo de comunicação é recomendado para transmissão ponto-a-
ponto, pois o mesmo não indica a falha ou sucesso da transmissão de dados, e nem
permite a identificação do endereço de origem[ CITATION Len16 \l 1046 ].
Na operação API todos os dados enviados e recebidos são organizados em
quadros (frame) definidos pelo fabricante, como mostra a Figura 29, facilitando o
gerenciamento dos módulos por outros programas e aumentando a escalabilidade
da rede. O próprio Xbee realiza os tratamentos necessários para que as mensagens
sejam transmitidas com sucesso, em acordo com o padrão ZigBee. Em caso de erro
o próprio modulo sinaliza com mensagens de erro, possibilitando assim o tratamento
do mesmo [ CITATION Riv11 \l 1046 ].
Este modo é usado para criar uma rede ZigBee mais completa, pois permite
o endereçamento de pacotes a um nó especifico da rede, pode ler e configurar as
configurações dos pinos remotamente, identificar de qual modulo é o pacote
recebido, entre outros[ CITATION Len16 \l 1046 ].
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

62

Figura 29- Formato do pacote de dado API

Fonte - ROVERI (2012)

Como mostra a Figura 29 o pacote possui uma estrutura definida. O start


delimiter é o byte que identifica o início do pacote. O segundo é o lenght que utiliza 2
bytes para identificar o tamanho do pacote. O terceiro e o frame data que possui o
identificador do comando, conforme Tabela 11, é o endereçamento do modulo
remoto. O último é o checksum que faz a verificação da integridade do
pacote[ CITATION ROV12 \l 1046 ].
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

63

Tabela 11- Nome e Valores do pacote API

Fonte - ROVERI (2012)

1.9.3.2 Configuração do Xbee

Para a configuração do Xbee utiliza-se o X_CUT (Xbee- Configuration &


Test Utility), software criado pelo fabricante que permite aos desenvolvedores
interagir com o Xbee através de interface gráfica. O programa possui todas as
ferramentas necessárias para configurar o Xbee e serve também para enviar
comandos e fazer atualizações [ CITATION Fer16 \l 1046 ].
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

64

1.10 ARDUINO

Arduino é uma plataforma de prototipagem eletrônica de código aberto


baseado em uma simples placa de entrada e saída e um ambiente de
desenvolvimento formado por um microcontrolador Atmel AVR, com entradas e
saídas analógicas é digitais. É destinada a designers, hobbistas, técnicos,
engenheiros e pessoas interessadas em criar projetos (ARDUINO, 2016).
O Arduino é um ambiente multiplataforma, pois pode ser executado em
diferentes sistemas operacionais como o Windows e o Linux. Além disso poder ser
programado de maneira fácil bastando colocar um cabo USB no computador e no
arduino e geralmente sem a necessidade de alimentação. Possui também um
hardware de baixo custo e um ambiente educacional ideal [ CITATION FBS13 \l
1046 ].
O Arduino possui dois componentes principais, sendo o primeiro deles o
hardware, que é feito numa placa de prototipagem no qual os projetos são
construídos. O hardware possui diversos modelos como, o arduino uno, mega e o
arduino mini.
O Arduino é similar a um minicomputador, possuindo um microprocessador
responsável pelos cálculos e tomadas de decisões, possui memória RAM utilizada
para guardar dados e instruções. Possui também memória flash utilizada para
guardar o software, ou seja, é um computador com menor poder de processamento [
CITATION Anw16 \l 1046 ].
O segundo componente é o software, que é utilizado para escrever o código
do programa, salvá-lo, compilá-lo, e realizar a gravação no Arduino. O software é
baseado no framework Wiring e na linguagem de programação C/C++ [ CITATION
Anw16 \l 1046 ].
Após a gravação do código no Arduino, a utilização do computador se torna
desnecessária, pois o Arduino se torna uma placa totalmente independente, sendo
apenas necessário alimentá-lo com uma fonte externa de energia.

1.10.1 Arduino Mega

O Arduino Mega possui 54 pinos digitais, 15 deles podem ser utilizados


como saídas PWM (Pulse Width Modulation), 16 entradas analógicas, 4 portas
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

65

seriais de hardware, uma conexão USB, um conector de alimentação, um cabeçalho


ICSP, e um botão de reset (ARDUINO, 2016).

Figura 30- Arduino mega

Fonte - ARDUINO (2016)

1.10.2 Shields do Arduino

A plataforma oferece placas que podem ser adicionadas ao arduino para


dar-lhe novas funcionalidades, essas placas são chamadas de Shields[ CITATION
Riv11 \l 1046 ].
Dentre as Shields do arduino pode-se citar: Ethernet Shield, Xbee Shield, e o
relé Shield.

Figura 31- Ethernet Shield

Fonte - ARDUINO (2016)

O Ethernet Shield é responsável por fazer a conexão com a internet, possui


em padrão RJ-45, um slot para cartão micro-SD integrado como podemos ver
naFigura 31 (ARDUINO, 2016).
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

66

Figura 32 - Xbee Shield

Fonte - ARDUINO (2016)

A Shield Xbee permite que Xbee se comunique com o arduino, podendo


assim fazer uma comunicação sem fio (ARDUINO, 2016).

Figura 33-Rele

Fonte - ARDUINO (2016)

O relé é o responsável pelo o acionamento elétricos/eletrônico, através do


acionamento da bobina. Permite o acionamento de circuito de mais altas correntes
utilizando o comando em correntes mais baixas. Existem várias especificações para
o relé que podem suportar cargas maiores como os relés de alta potência. Para este
trabalho foi utilizado um relé suporta uma carga de até 10 Ampere (ARDUINO,
2016).

1.11 APLICAÇÕES PRATICAS

A tecnologia ZigBee se apresenta promissora para aplicação em automação


residencial, num preço mais acessivo. Com a utilização desse protocolo diversos
sistemas podem ser criados de forma mais robusta. Dentre esses sistemas pode-se
citar: Controle de iluminação, aquecimento, ventilação, ar condicionados, TVs,
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

67

sensores de água, sensores de eletricidade, de gás, de movimento, de fumaça, e


dispositivos eletrônicos em geral (VASQUES et al., 2010).
A ZigBee alliance disponibiliza em seu site uma lista de produtos que
utilizam o protocolo ZigBee e faz parcerias com várias empresas de automação que
procuram integrar o protocolo ZigBee em seus produtos [ CITATION ZIG16 \l 1046 ].
A empresa iHouse, empresa brasileira que trabalha com automação
residencial embarcada e a Digi international, fabricante do modulo Xbee, são
exemplos de empresa que integram o protocolo em seus produtos.
Outro exemplo é a empresa Wincor Nixdorf, que é uma das principais
fornecedoras de soluções de TI e serviços para o setor de varejo. Desenvolveu, em
parceria com grandes supermercados, um sistema simples e poderoso que inclui
hardware e software para o monitoramento da temperatura dos alimentos
encontrados nos supermercados com a finalidade de trazer mais segurança
alimentar. O sistema é chamdado de RSI - Retail site Intelligence Temperature
Monitoring Solution (ZIGBEE ALLIENCE, 2016).

Figura 34- Retail Site Intelligence (RSI) Temperature Monitoring Solution

Fonte - ZIGBEE ALLIENCE (2016)

Como apresentado na Figura 34 , esses dispositivos são de fácil instalação e


opera com uma infraestrutura sem fio baseado em ZigBee e possui diversas
características: a) vida útil de 7 a 10 anos, b) sendo à prova de água, c) um sistema
de alerta via mensagens, d) um software intuitivo e gestão inteligente de estados,
como ciclos de degelo[ CITATION ZIG16 \l 1046 ].
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

68

Outro exemplo de utilização do protocolo ZigBee foi em 07 de julho de 2015


quando a NASA (National Aeronautics and Space Administration) lançou com
sucesso o modulo Xbee RF em um foguete de sondagem[ CITATION ZIG16 \l
1046 ].

Figura 35 - Configuração do Xbee

Fonte - ZIGBEE ALLIENCE (2016)

O dispositivo Xbee tinha como objetivo enviar dados de sensores, que


recolhia dados como temperatura, aceleração e pressão para o Arduino mega, que
processava e filtrava os dados e encaminhava ao satélite. Por fim, as informações
eram repassadas ao comando em terra, conforme é ilustrado na Figura
35[ CITATION ZIG16 \l 1046 ].
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

69

5 RESULTADOS

O protótipo construído permitiu a ativação remota de uma TUG por meio da


interface web apresentada na Figura 36.

Figura 36 - Carga Ativada

A Figura 37 apresenta o módulo controlador após ativação realizada por


meio da interface web.

Figura 37 - Módulo controlador Ligado


Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

70

Após a constatação de que o protótipo estava funcionando como esperado,


foram realizadas simulações de erro. A primeira simulação reproduziu a falta de
conectividade entre a interface web e o módulo coordenador. A Figura 38 apresenta
o erro reportado pelo o sistema.

Figura 38 - Erro módulo coordenador

Também foi simulada falha de comunicação do módulo coordenador com o


módulo controlador. A Figura 39 apresenta o erro reportado pelo sistema.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

71

Figura 39 - Erro módulo controlador

O sistema diferencia uma falha de comunicação no link de acesso à internet


do usuário de um erro de comunicação dos módulos ZigBee.
Dessa forma, observa-se que são alcançados os objetivos propostos. Os
dispositivos relacionados neste trabalho, após as devidas configurações, viabilizam
o acionamento e controle da TUG utilizando o protocolo ZigBee.
Os testes foram realizados numa residência de 150m 2, com uma distância
de 10 metros entre o módulo coordenador e o módulo controlador. Os mesmos
mostram que o ZigBee estabelece transmissão de dados confiável e eficiente para
controle da automação.
Pode-se sugerir para trabalhos futuros a elaboração de placa de circuito
impresso com os componentes necessários para o controle da TUG; a criação do
protótipo com possibilidade de alimentá-lo pela rede elétrica, eliminando assim a
dependência de baterias para o módulo de controle da TUG; estudo de caso com
automação completa de uma residência, incluindo tomadas, iluminação e sensores.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

72

CONCLUSÃO

O protótipo desenvolvido possibilitou constatar que o ZigBee é uma ótima


opção para projetos que necessitem de baixa taxa de transferência de dados e que
tenham requisitos rígidos de comunicação confiável e baixo consumo.
O ZigBee tem arquitetura versátil e dispõe de diversos recursos agregados
que facilitam sua integração com tecnologias já disseminadas como a plataforma
Arduino.
Por fim, mesmo com o crescimento do mercado, os custos com automação
residencial ainda a classifica como um artigo de luxo, o que limita o número de
famílias interessadas em automatizar suas residências. Assim, o conjunto de
tecnologias em torno do ZigBee vem para melhorar o custo benefício da automação
residencial.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

73

REFERÊNCIAS

6ª SINFORM - SEMANA DE INFORMÁTICA DA UESC, 2006, Ilhéus. MINI-


CURSO TECNOLOGIAS DE REDES SEM FIO. Ilhéus: UESC - Universidade
Estadual de Santa Cruz, 2006. 60 p.

ARDUINO. Arduino. 2016. Disponível em: <https://www.arduino.cc>. Acesso em: 27


jun. 2016.

AURESIDE (Brasil). Automação Residencial: demanda na Construção Civil.


Disponível em: <http://www.aureside.org.br/noticias/automacao-residencial-
-demanda-na-construcao-civil>. Acesso em: 06 out. 2016.

BARGOENA, Rodrigo. Tecnologia WiMAX - Aplicando na cidade de


Parauapebas - PA. 2010. 34 f. TCC (Graduação) - Curso de Engenharia
Elétrica, Universidade Norte do Paraná- UNOPAR, Parauapebas, 2010.

BOLZANI, Caio Augustus Morais. Análise de Arquiteturas e Desenvolvimento de


uma Plataforma para Residências Inteligentes. 2010. 155 f. Tese (Doutorado) -
Curso de Engenharia Elétrica, Engenharia de Sistemas Eletrônicos, Escola
Politécnica da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

BOLZANI, Caio Augustus Morais. Desenvolvimento de um Simulador de Controle


de Dispositivos Residenciais Inteligentes: Uma Introdução aos Sistemas
Domóticos. 2004. 115 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Engenharia Elétrica,
Engenharia de Sistemas Eletrônicos, Escola Politécnica da Universidade de São
Paulo, São Paulo, 2004.

BRANQUINHO, Ledson Reis. Controle e Supervisão de Estações Remotas por


Rádio Frequência via Web aplicado a Domótica. 2012. 48 f. TCC (Graduação) -
Curso de Engenharia de Telecomunicações, Centro de Ensino superior de Juiz de
Fora, Juiz de Fora, 2012.

COMPUTUTORIALS. Módulos XBee... Lo básico. Disponível em:


<http://compututorials.blogspot.com.br/2011/11/modulos-xbee-lo-basico.html>.
Acesso em: 14 nov. 2016.

ÉPOCA NEGÓCIOS ONLINE. As 20 melhores frases de Steve Jobs. Disponível


em: <http://epocanegocios.globo.com/Inspiracao/Vida/noticia/2015/09/20-melhores-
frases-de-steve-jobs.html>. Acesso em: 17 nov. 2016.

ESCHNER, Rodrigo Hommerding. Sistema de Automação Residencial Baseado


em Sensores ZigBee. 2011. 38 f. TCC (Graduação) - Curso de Ciência da
Computação, Instituto de Informática, Universidade Federal do Rio Grande do Sul,
Porto Alegre, 2011.

EMMANUEL, Marcio Webler. Transporte eficiente de conteúdos de vídeo


empregando Agregação de Quadros para transmissão de fluxos de vídeo
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

74

escalável em redes IEEE 802.11n. 2011. 139 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de


Engenharia Elétrica, Departamento de Engenharia Elétrica, Mestrado) -pontifícia
Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

FARAHANI, Shahin. ZigBee Wireless Network and Transceivers. Burlington:


Newnes, 2008. 400 p.

FBS ELETRÔNICA. APOSTILA ARDUINO: Com aplicações baseada na placa:


ARDUINO UNO. 2013. Disponível em: <https://fbseletronica.wordpress.com/2013/10
/23/finalizada-nossa-apostila-arduino/>. Acesso em: 07 out. 2016.

FÉO, Maurício. Acionando 110/220V com sinais de 5V. Disponível em:


<http://engenheirando.com/eletronica/reles/>. Acesso em: 09 nov. 2016.

FERNANDES, Dácio Gonçalves de Oliveira; VAZ, Wenderson da


Silva. Acionamento e controle de iluminação utilizando o protocolo de
comunicação sem fio zigbee. 2016. 60 f. TCC (Graduação) - Curso de Curso
Superior de Tecnologia em Redes de Telecomunicações, Departamento de Áreas
Acadêmicas Iv, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás,
Goiânia, 2016.

FERREIRA, Victor Zago Gomes. A domótica como instrumento para a


melhoria da qualidade de vida dos portadores de deficiência. 2010.
41 f. TCC (Graduação) - Curso de Tecnologia em Automação Industrial, Instituto
Federal de Educação, Ciência e Tecnológica da Paraíba, João Pessoa, 2010.

FLICKENGE, Rob et al. Wireless networking in the developing world. 3. ed.


Copenhagen: Wndw, 2013. 520 p.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas
S.a, 2010.

HACHOUCHE, Anwar S. Apostila Arduino Básico. Disponível em: <http://www


.eletrogate.com/apostila-de-arduino-pg-33c29>. Acesso em: 07 out. 2016.

HEBEL, Martin; BRICKER, George; HARRIS, Daniel. Getting Started with


XBee RF Modules: A Tutorial for BASIC Stamp and Propeller Microcontrollers.
USA: Parallax, 2010. 163 p.

IHOUSE (São Paulo). Pioneirismo em automação residencial. Disponível em:


<http://www.ihouse.com.br/ihouse.php>. Acesso em: 06 out. 2016.

LIMA, Emanuel Maycon Santos; NOBRE, Antonio Ygo Magalhães; ALENCAR,


Rômulo Alexandre Ellery de. Automação residencial de baixo custo com arduino
mega e ethernet shield. 2015. 17 f. TCC (Graduação) - Curso de Sistemas de
Informação, Centro Universitário Estácio, Ceará, 2015.

MAGNO, Ricardo et al. Como evoluíram as normas wi-fi ieee 802.11? Porto:


Universidade do Porto, 2013. 24 p.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

75

MAUDONET, Roger Luporini. Estudo comparativo entre redes sem fio e redes


cabeadas. 2007. 38 f. Monografia (Especialização) - Curso de Ciência da
Computação, Faculdade de Jaguariúna, Jaguariúna, 2007.

MONSIGNORE, Ferdinando. Sensoriamento de ambiente utilizando o padrão


ZigBee. 2007. 92 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Engenharia Elétrica,
Universidade de São Paulo, São Carlos, 2007.

MONTEBELLER, Sidney José. Estudo sobre o emprego de dispositivos sem fios


wireless na automação do ar condicionado e de outros sistemas
prediais. 2006. 129 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Engenharia Elétrica,
Engenharia de Energia e Automação Elétricas, Escola Politécnica da Universidade
de São Paulo, São Paulo, 2006.

NETO, Moacir Penachim. Automação Residencial. 2009. 41 f. TCC


(Graduação) - Curso de Engenharia Elétrica, Universidade São Francisco,
Campinas, 2009.

PLATAFORMA CONECTAR. Como se situa o Brasil no mundo da Automação


Residencial? 2015. Disponível em: <http://plataformaconectar.blogspot.com.br/2015
/12/como-se-situa-o-brasil-no-mundo-da.html>. Acesso em: 10 out. 2016.

RIVERO, Ilo Amy Saldanha. Rede de Sensores sem Fio para Monitoramento de


Equipamentos Eletrônicos. 2011. 101 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de
Programa de Pós-graduação em Informática, Pontifícia Universidade Católica de
Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011.

ROVERI, Michael Rubens. Automação residencial. 2012. 87 f. TCC (Graduação) -


Curso de Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores, Faculdade
Politec, Santa Bárbara D’oeste, 2012.

ROGERCOM (Brasil). Descrição dos pinos dos módulos Xbee/Xbee-


Pro. Disponível em: <http://www.rogercom.com/ZigBee/ZigBeePag02.htm>.
Acesso em: 30 out. 2016.

RUPPEL, Alexandre; UNRUH, Fábio; UNRUH, Ricardo Henrique. Protótipo de um


sistema de iluminação residencial com controle remoto sem fio - wi-fi. 2013. 92
f. TCC (Graduação) - Curso de Tecnologia em Gestão Comercial Elétrica,
Acadêmico de Eletrotécnica, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba,
2013.

SALEIRO, Mário; EY, Emanuel. ZigBee - uma abordagem prática. Portugal:


Universidade do Algarve Escola Superior de Tecnologia Engenharia Eléctrica e
Electrónica, 2009. 52 p.

SILVA, Bruna Roberta Seewald da. Sistema de automação residencial de baixo


custo para redes sem fio. 2014. 55 f. TCC (Graduação) - Curso de Engenharia de
Computação, Instituto de Informática, Universidade Federal do Rio Grande do Sul,
Porto Alegre, 2014.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

76

SILVA, Danise Suzy da. Desenvolvimento e Implementação de um


Sistema de Supervisão e Controle Residencial.2009. 65 f. Dissertação
(Mestrado) - Curso de Engenharia Elétrica, Universidade Federal do Rio Grande do
Norte, Natal, 2009.

SOARES, Sérgio Aurélio Ferreira. Rede de Sensores Sem Fio Para Localização e


Monitoramento de Pequenos Ruminantes. 2012. 79 f. TCC (Graduação) - Curso
de Engenharia da Computação, Universidade Federal do Vale do São Francisco,
Juazeiro, 2012.

SOUZA, Dalva Inês de et al. Manual de orientações para projetos de


pesquisa. Novo Hamburgo: Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da
Cunha, 2013. 55 p.

 SOUSA, Lenielson Rodrigues de. Acionamento dos Motores CC de uma


Embarcação Teleoperada. 2016. 125 f. TCC (Graduação) - Curso de
Engenharia Elétrica, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de, 2016.

SUNFOUNDER. How to use YwRobot Power Supply Properly. Disponível


em: <https://www.sunfounder.com/wiki/index.php?
title=How_to_use_YwRobot_Power_Supply_Properly>. Acesso em: 11 nov. 2016.

TEZA, Vanderlei Rabelo. Alguns aspectos sobre a automação residencial -


domótica. 2002. 108 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Ciência da Computação,
Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

VASQUES, Bruna Luisa Ramos Prado et al. ZigBee. 2010. Disponível em:


<http://www.gta.ufrj.br/grad/10_1/zigbee/index.html>. Acesso em: 07 out. 2016.

ZIGBEE ALLIENCE. Produtos. Disponível em: <http://www.zigbee.org/>. Acesso


em: 07 out. 2016.

ZIGBEE ALLIANCE. Improve Food Safety: ZigBee-based Temperature


Monitoring Solution from Wincor Nixdorf and Telaid. 2016. Disponível em:
<http://www.zigbee.org/improve-food-safety-zigbee-based-temperature-monitoring-
solution-from-wincor-nixdorf-and-telaid/>. Acesso em: 09 out. 2016.

ZUCATO, Fábio Labegalini. REDE ZIGBEE GERENCIADA POR SISTEMA DE


MONITORAMENTO UTILIZANDO TCP/IP E GPRS. 2009. 138 f. Dissertação
(Mestrado) - Curso de Engenharia Elétrica, Universidade de São Paulo, São Carlos,
2009.
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

77

APÊNDICE A – CÓDIGO PHP

Figura 40 – Código PHP


Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

78

APÊNDICE B – CÓDIGO DA PROGRAMAÇÃO DO ARDUINO

Figura 41 – Programação Arduino parte 1


Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

79

Figura 42 – Programação Arduino parte 2


Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

80

Figura 43 – Programação Arduino parte 3


Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

81

Figura 44 – Programação Arduino parte 4


Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

82

Figura 45 – Programação Arduino parte 5


Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

83

Figura 46 – Programação Arduino parte 6


Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

84

Figura 47- Programação Arduino parte 7


Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

85

APÊNDICE C – ARTIGO CIENTÍFICO

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL COM MÓDULOS XBEE


RESIDENTIAL AUTOMATION WITH XBEE MODULES

Cleir de Castro e Costa Filho1

RESUMO

A literatura aponta a difusão da automação residencial em diversos países e


apresenta margem de crescimento significativo no Brasil. Este trabalho apresenta
conceitos de automação residencial e os aplica no desenvolvimento de um protótipo
que aplica tecnologias que apliquem o protocolo ZigBee. Assim, Arduino e módulos
XBEE foram utilizados no desenvolvimento do protótipo que possibilitou os testes
permitiram auferir a estabilidade do ZigBee. Esta tecnologia foi comparada a outras
tecnologias de rede sem fio para demonstrar suas vantagens para uso em
automação residencial. Uma interface gráfica responsiva foi desenvolvida para
permitir a interação remota do usuário com o protótipo. Qualquer usuário com
acesso à internet e credenciais de acesso consegue ativar uma Tomada de Uso
Geral controlada pelo sistema. O ZigBee se mostrou estável durante os testes
realizados com o protótipo em uma residência de 150m 2 e distância de até 10m
entre o módulo de controle e o módulo receptor.

Palavras-chave: Automação Residencial, Xbee, ZigBee.

1
Acadêmico concludente do curso de Engenharia Elétrica (IESACRE).
Wendel Ricardo de Souza Rego (Layout elaborado para o curso de enfermagem 2014–2,04, out/2014)

86

ABSTRACT

The literature points to the spread of automation in several countries and presents
significant growth margin in Brazil. This paper presents concepts of home automation
and applies in the development of a prototype that applies technologies that
implement the ZigBee Protocol. Thus, Arduino and XBEE modules were used in the
development of the prototype that enabled the tests made it possible to obtain
stability of ZigBee. This technology was compared to other wireless technologies to
demonstrate its advantages for use in home automation. A responsive GUI was
developed to allow the interaction of the user with the prototype. Any user with
access to the internet and access credentials can activate a general-purpose Outlet
controlled by the system. The ZigBee proved to be stable during the tests with the
prototype in a residence of 150 m 2 and distance up to 10m between the control
module and the receiver module.

Keywords: Residential automation, Xbee, ZigBee.


87

1 INTRODUÇÃO

Com a criação da eletricidade, foi instaurado um marco nas residências,


mudando o modo de como elas eram iluminadas, permitindo o desenvolvimento de
equipamentos melhores e capazes de alterar o modo de vida. Entretanto apesar de
grandes avanços, a sociedade do século XX não escolheu a automação residencial
como prioridade, adiando por décadas o sonho de uma casa automatizada
(BOLZANI,2010).
No entanto, o mercado de automação está crescendo, fazendo surgir novas
empresas e equipamentos que trazem uma gestão de recursos habitacionais. Com a
popularização da internet - e junto com ela a difusão de dispositivos móveis - é cada
vez mais comum sistemas automatizados que possibilitam o controle por meio de
dispositivos móveis (BRANQUINHO, 2012).
Impulsionado por esse crescimento, novas tecnologias se desenvolvem com
ênfase nas redes sem fio (BOLZANI, 2010). No meio desse cenário, o ZigBee foi
proposto pela ZigBee Alliance como um pacote de especificações abertas para
comunicação sem fio. Sua utilização se dá em equipamentos que não necessitam de
alta taxas de transmissão de dados e necessitam de baixo consumo (SILVA, 2014).
Assim, com a crescente demanda por automação residencial, o protocolo ZigBee é
capaz de prover um sistema confiável?
Desta forma, o objetivo deste trabalho é apresentar um sistema de
automação residencial desenvolvido para utilizar o protocolo ZigBee. Cada
dispositivo se comunica com uma central de controle desenvolvida utilizando a
plataforma Arduino. A interação do usuário com o sistema se dá através de uma
interface web.
Enfim a motivação pela escolha desse tema ocorre ao se observar a busca
por comodidade e praticidade, levando em conta essas necessidades, a
automatização de processos muitas vezes simples como: acender as luzes, abrir um
portão, controlar o nível de luminosidade, ligar ou desligar um equipamento tudo isso
através da internet, pode levar ao usuário a um novo tipo de experiência.
Com a criação de um sistema de automação residencial, o usuário poderá
controlar qualquer equipamento de sua residência de qualquer cômodo ou lugar que
tenha uma conexão com a internet podendo estar vinte e quatro horas conectado a
sua residência através de um aparelho que tenha conexão com a internet.
88

Outro ponto que podemos ressaltar é a economia de energia, pois luzes que
muitas vezes estariam acessas desnecessariamente estarão apagadas, aparelhos
que tenham sidos esquecidos ligados podem ser desligados a distância, dentre
outros sistemas que podem ser implementados.
Outra vantagem da automação residencial é a segurança, pois pode-se ser
instalado vários sistemas como, sistema de vigilância pelo celular, botão de pânico,
simulador de pessoas, entre outros que com integração com internet traz mais
segurança aos usuários.
Assim a procura por sistemas que possam oferecer ao usuário segurança,
comodidade é praticidade vem se tornado cada vez maior.
89

6 METODOLOGIA DA PESQUISA

1.12 TIPO DE ESTUDO

Pode-se classificar o presente trabalho como pesquisa aplicada. Segundo


Gil (2010), este é um tipo de pesquisa cujo objetivo é a aquisição de conhecimentos
com vista à aplicação numa situação especifica.
Quanto aos seus objetivos gerais, é caracterizado como trabalho de
pesquisa explicativa, visto que se buscou a identificação de fatores que determinam
ou contribuem para a ocorrência de fenômenos, ou seja, tem por finalidade explicar
o porquê das coisas. Quanto aos métodos empregados, aplicou-se a pesquisa
experimental. Pois, segundo Souza et al. (2013), está relacionado a experimentar,
gerar inovações, testar materiais, simular eventos, fazer estudos com protótipos.
Quanto a sua abordagem, utilizou-se uma abordagem qualitativa, pois este trabalho
se preocupa com aprofundamento e compreensão do objeto de estudo sem
quantificação dos resultados.

1.13 MATERIAIS DE ESTUDO

Para a realização do projeto foi utilizado os seguintes materiais que foram


alvos de estudos.

Quadro 1- Materiais Utilizados


Materiais Descrição Quantidade
Arduino Mega Plataforma de prototipagem 1
eletrônica
Modulo Xbee Módulo com Protocolo 2
ZigBee
Arduino Xbee Shield Shield Xbee 1
Xbee Explorer USB Modulo para configuração 1
do Xbee
Protoboard Placa para montagem do 1
circuito
Resistor 1KΩ,4.7KΩ, 10K Ω 3
Transistor BC547 1
Diodo 1
Módulo de potência Regula a tensão para 5V e 1
YwRobot 3,3V
90

1.14 ETAPAS DO ESTUDO

Para a realização do projeto foi realizado as seguintes etapas.


a) Levantamento teórico;
b) Elaboração do protótipo com o protocolo ZigBee
c) Teste do protótipo

1.15 IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO

A elaboração do protótipo de sistema de automação residencial para


controle de uma TUG foi segmentada em algumas etapas. A primeira etapa foi a
elaboração do circuito, momento dedicado à montagem. A segunda etapa foi a
elaboração do software do Arduino, onde consta toda a lógica de controle do
sistema. Nesta etapa também foi realizada a programação de integração dos
módulos Xbee com a unidade de controle. A terceira etapa foi a construção da
interface web e sua integração com a unidade de controle. Onde consta toda a
interface na qual o usuário do sistema utilizará, ou seja, o rosto do sistema.

1.15.1 Arquitetura de Hardware

Para a elaboração do circuito foi utilizado diversos componentes que se


comunicam entre si. Na Figura 1 mostra-se a arquitetura geral do sistema. Em
princípio o usuário acessa o sistema pela internet, por consequência, o sistema
envia os dados ao roteador localizado na residência, que em seguida envia para o
coordenador do sistema de automação que interpreta os dados é envia o comando
requisitado para o módulo que está junto ao dispositivo controlado.
91

Figura 48 - Funcionamento geral do sistema

Fonte - SILVA (2014)

Ao observar a Figura 1 nota-se que a mesma pode ser dividida em três


partes. A primeira parte é composto por um roteador com conexão à internet,
responsável por receber os comandos vindo do sistema web e repassa-lo ao
coordenador da rede. A segunda parte é composto pelo coordenador da rede e a
terceira parte é composto pelo módulo que irá controlar a TUG.

1.15.1.1 Coordenador da rede

Para a construção do coordenador foi utilizado o arduino Mega 2560, o


Ethernet Shield, Xbee Shield e o Xbee configurado como coordenador.
Em seguida foi colocado o Ethernet Shield no arduino, permitindo que o
arduino seja conectado ao roteador via cabo ethernet.
Após foi colocado, o Xbee Shield mais o Xbee, junto ao arduino com
Ethernet Shield. Podemos ver o resultado dessa junção na Figura 2.
92

Figura 49 - Coordenador da Rede

O coordenador foi alimentado através de uma fonte, ligada a rede elétrica,


que fornece a tensão necessária ao coordenador.

1.15.1.2 Módulo controlador

Para a construção do módulo controlador foi utilizado, um Xbee configurado


como end device, uma TUG, um transistor BC547B, um resistor de 1000 Ω, um
diodo, um módulo regulador de tensão da YwRobot e um relé Shield.
Enfim o circuito para o ligamento do relé que controla a TUG é mostrado na
Figura 3.
Figura 50 - Módulo Controlador

Fonte - FÉO (2016)

Em primeiro lugar, o sinal digital vindo do módulo Xbee passa pelo transistor
para um aumento de tensão de 3,3V para 5V possibilitando o acionamento do relé e
como consequência a da TUG.
93

Com relação a TUG sua ligação foi realizada diretamente na rede elétrica.
Onde a fase da rede foi ligada nos contados normalmente aberto do relé e o neutro
foi ligado diretamente na TUG como ilustra a Figura 4.

Figura 51 - Ligação da TUG

Para a energização do circuito foi utilizada uma bateria que fornece 9v ao


circuito. Foi utilizado, também, um regulador de tensão que reduz a tensão para 5V,
para a energização do relé e realiza, também, a redução da tensão para 3,3V com a
finalidade de energizar o módulo Xbee.

1.15.2 Arquitetura de Software

Nesta etapa foi definido o comportamento do sistema ao se realizar uma


ação como acionar um botão. Também foi nesta etapa que se realizou os
tratamentos no caso de falhas no sistema é onde se definiu para qual modulo Xbee
irá o comando.
A criação da arquitetura software foi dividida em duas partes. A primeira é a
programação do arduino e o segundo é as configurações dos módulos Xbee.

1.15.2.1 Arquitetura do Software arduino

Para a criação do Software do arduino foi utilizado a IDE do arduino, que


nada mais é do que um ambiente de desenvolvimento criado pelo próprio fabricante
para a criação de códigos para o mesmo.
A versão da IDE utilizada foi a 1.6.10 que pode ser encontrado gratuitamente
no site do fabricante. Também foram utilizadas algumas bibliotecas, que são um
conjunto de funções pré-escritas utilizadas para facilitar o desenvolvimento de
programas. No presente projeto foram utilizadas as bibliotecas Ethernet e Xbee-
arduino.
94

A biblioteca Ethernet do arduino permite a configuração do arduino para que


ele receba dados via cabo Ethernet. Já a biblioteca Xbee-arduino permite que se
realize a comunicação com os módulos Xbee via comunicação API, visto que essa
comunicação não é uma tarefa fácil, pois exige o envio de pacotes pré-estabelecidos
com diversos campos.
Assim quando o arduino é iniciado entra em loop infinito sempre no aguardo
de uma conexão com o cliente web. Após receber uma requisição do cliente web, o
arduino identifica qual o tipo de ação que o cliente está solicitando, realiza o
tratamento necessário para enviar o pacote de dados via comunicação API, do
modulo Xbee, e envia os dados ao modulo Xbee remoto.
Após o envio o modulo Xbee remoto retorna uma mensagem com uma
resposta de erro ou de sucesso a qual o arduino encaminha para o cliente web.
Também o Arduino retorna mensagens de erro caso a solicitação do cliente web não
seja válida e em no caso em que o arduino não consegue se comunicar com o
modulo remoto.

1.15.2.2 Configuração do modulo Xbee

Para configurar os módulos foi utilizado o software X-CUT desenvolvido pela


Digi international e está disponível para download no site da fabricante. A versão
usada do software foi a 6.1.0. Também foi utilizado um adaptador USB-SERIAL
denominado Xbee explorer usb, que tem a função de fazer a comunicação entre o
modulo Xbee e o computador com o software X-CUT.
A fabricante também disponibiliza um tutorial em inglês de como utilizar o
software X-CUT.
Após os módulos Xbee serem reconhecidos pelo programa X-CUT foram
feitos dois tipos de configurações. A primeira foi para o Xbee coordenador da rede, é
o segundo foi para o Xbee end device responsável pelo acionamento da TUG.
O Xbee coordenador fica junto ao arduino e juntos atuam como um servidor
responsável por receber e transmitir informações. Para o Xbee coordenador foi
realizado a atualização do firmware para ZigBee cordinator API cuja versão é 21A7 e
foi realizado as configurações da Tabela 1 em seus parâmetros.
95

Tabela 12- Parâmetros do modulo Coordenador


Parâmetro Ajuste Ajuste Função
padrão
PAN ID 1234 0 Identificação da PAN
NI Coordenador ‘’ Nome do dispositivo
na rede
AP 2 1 (2) Modo API sem
caractere sinalizado

Para o Xbee end device foi realizado a atualização para o firmware ZigBee
end device API com versão 29A7 e também foram aplicadas as configurações da
Tabela 2 em seus parâmetros.

Tabela 13- Parâmetros par o Modulo end device


Parâmetro Ajuste Ajuste padrão Função
PAN ID 1234 0 Identificação da PAN
NI TUG ‘’ Nome do dispositivo na rede
AP 2 1 (2) Modo API sem caractere
sinalizado
DH 0013A200 0 Parte alta do endereço de 64 bis
do módulo destino (coordenador)
DL 4098BF1E 0 Parte baixa do endereço de 64
bis do módulo destino
(coordenador)

O software X-CUT além de poder definir parâmetros é atualizar o firmware,


pode-se realizar a criação de uma rede ZigBee, adicionar dispositivos, é enviar e
receber pacotes, trazendo um ótimo recurso para testar a rede ZigBee.

1.15.3 Arquitetura do Software Web

Para a criação da página web foi utilizado o angularJS um framework em


Java Script, de código aberto, desenvolvido pela Google. Seu principal objetivo é
auxiliar no desenvolvimento de Front-end de aplicações web, ou seja, as páginas
que rodam dentro do navegador do cliente.
Também foi utilizado angular material, que é uma implementação do
material design no angularJS. O material design, desenvolvido pela Google, é um
96

movimento de interação visual que se adapta em diferentes dispositivos e em


diferentes tamanhos de telas.
Logo depois a página web foi criada com duas telas. A primeira tela será a
tela de login onde o usuário deverá validar sua entrada no sistema. Como este
presente trabalho se trata de um protótipo foi criado apenas um usuário para o
sistema.
Logo após que se realiza o login no sistema, a página é redirecionada para a
segunda tela onde foi elaborado uma tabela com uma lista dos dispositivos que
serão controlados, sua situação no sistema é o botão para o controle dos
dispositivos. No caso deste projeto foi a adicionado apenas um nó de controle, pois
o mesmo se trata de um protótipo.
Além disso foi utilizado a linguagem de programação PHP, que é uma
linguagem de código aberto especialmente adequada para o desenvolvimento web.
O que distingue o PHP do angularJS é que o código é executado no lado do
servidor. Enfim o PHP será o responsável por enviar os dados vindo do cliente para
o arduino.
Assim o sistema irá interagir com o usuário da seguinte forma:
primeiramente, ao usuário entrar na página o sistema envia uma solicitação
requisitando o status da TUG via internet ao arduino, que como resultado, retorna ao
servidor web a situação da TUG, por consequência, o servidor informa ao usuário
seu status.
Após a requisição do status da TUG o sistema aguarda um comando de
ligar ou desligar a TUG. Assim quando o usuário aperta o botão o sistema envia o
estado do botão, se foi ligado ou desligado, ao arduino, que por consequência,
retorna ao servidor web se a ação foi executada com sucesso. Caso a operação
tenha tido sucesso o sistema informa que a operação foi executada, pelo contrário,
informa erro ao executar a ação.
Ainda mais o Web site, em princípio, foi hospedado em uma rede local
utilizando um computador como servidor. O programa utilizado para criação do
servidor local foi o XAMPP.
O XAMPP é um pacote com os principais servidores de código aberto do
mercado, incluindo FTP, banco de dados MySQL e Apache com suporte às
linguagens PHP e Perl.
97

Após o teste em redes local o Web site foi hospedado em um servidor na


internet, como resultado o usuário poderá acessar o sistema de qualquer lugar com
conexão à internet, permitindo, que o mesmo controle sua carga a distância.
7 RESULTADOS

O protótipo construído permitiu a ativação remota de uma TUG por meio da


interface web apresentada na Figura 52.

Figura 52 - Carga Ativada

A Figura 53 apresenta o módulo controlador após ativação realizada por


meio da interface web.

Figura 53 - Módulo controlador Ligado

Após a constatação de que o protótipo estava funcionando como esperado,


foram realizadas simulações de erro. A primeira simulação reproduziu a falta de
98

conectividade entre a interface web e o módulo coordenador. A Figura 54 apresenta


o erro reportado pelo o sistema.

Figura 54 - Erro módulo coordenador

Também foi simulada falha de comunicação do módulo coordenador com o


módulo controlador. A Figura 55 apresenta o erro reportado pelo sistema.

Figura 55 - Erro módulo controlador

O sistema diferencia uma falha de comunicação no link de acesso à internet


do usuário de um erro de comunicação dos módulos ZigBee.
99

Dessa forma, observa-se que são alcançados os objetivos propostos. Os


dispositivos relacionados neste trabalho, após as devidas configurações, viabilizam
o acionamento e controle da TUG utilizando o protocolo ZigBee.
Os testes foram realizados numa residência de 150m 2, com uma distância
de 10 metros entre o módulo coordenador e o módulo controlador. Os mesmos
mostram que o ZigBee estabelece transmissão de dados confiável e eficiente para
controle da automação.
Pode-se sugerir para trabalhos futuros a elaboração de placa de circuito
impresso com os componentes necessários para o controle da TUG; a criação do
protótipo com possibilidade de alimentá-lo pela rede elétrica, eliminando assim a
dependência de baterias para o módulo de controle da TUG; estudo de caso com
automação completa de uma residência, incluindo tomadas, iluminação e sensores.
100

CONCLUSÃO

O protótipo desenvolvido possibilitou constatar que o ZigBee é uma ótima


opção para projetos que necessitem de baixa taxa de transferência de dados e que
tenham requisitos rígidos de comunicação confiável e baixo consumo.
O ZigBee tem arquitetura versátil e dispõe de diversos recursos agregados
que facilitam sua integração com tecnologias já disseminadas como a plataforma
Arduino.
Por fim, mesmo com o crescimento do mercado, os custos com automação
residencial ainda a classifica como um artigo de luxo, o que limita o número de
famílias interessadas em automatizar suas residências. Assim, o conjunto de
tecnologias em torno do ZigBee vem para melhorar o custo benefício da automação
residencial.
101

REFERÊNCIAS

BOLZANI, Caio Augustus Morais. Análise de Arquiteturas e Desenvolvimento de


uma Plataforma para Residências Inteligentes. 2010. 155 f. Tese (Doutorado) -
Curso de Engenharia Elétrica, Engenharia de Sistemas Eletrônicos, Escola
Politécnica da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

BOLZANI, Caio Augustus Morais. Desenvolvimento de um Simulador de Controle


de Dispositivos Residenciais Inteligentes: Uma Introdução aos Sistemas
Domóticos. 2004. 115 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Engenharia Elétrica,
Engenharia de Sistemas Eletrônicos, Escola Politécnica da Universidade de São
Paulo, São Paulo, 2004.

BRANQUINHO, Ledson Reis. Controle e Supervisão de Estações Remotas por


Rádio Frequência via Web aplicado a Domótica. 2012. 48 f. TCC (Graduação) -
Curso de Engenharia de Telecomunicações, Centro de Ensino superior de Juiz de
Fora, Juiz de Fora, 2012.

FÉO, Maurício. Acionando 110/220V com sinais de 5V. Disponível em:


<http://engenheirando.com/eletronica/reles/>. Acesso em: 09 nov. 2016.

SILVA, Bruna Roberta Seewald da. Sistema de automação residencial de baixo


custo para redes sem fio. 2014. 55 f. TCC (Graduação) - Curso de Engenharia de
Computação, Instituto de Informática, Universidade Federal do Rio Grande do Sul,
Porto Alegre, 2014.