Você está na página 1de 6

UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA

AFRO-BRASILEIRA

MEMORIAL ACADÉMICO

Nome: Pedro kiuma da Silva

Disciplina: Leitura e Produção de Texto

Professora: Dr. Ana Paula Rabelo e Silva

Letras / Português
INTRODUÇÃO

Chamo – me Pedro Kiuma da Silva, nasci aos 10 de junho de 1994 em Angola,


na província de Zaire na parte norte do mesmo país, sou filho de João da Silva e de
Mayisa Maria João ambos angolanos, tenho 8 irmãos.

Venho de uma família pobre e de pais separados, meu pai artesão de profissão e
minha mãe vendedora de um mercado de um bairro periférico da capital do país a minha
infância foi passada em Luanda atual município capital de Angola.

Ao lado dos meus três irmãos Miguel, Américo e Tigre e meu pai começa os
meus primeiros passos de vida e receber a educação pilar que respeito aos mais velhos,
saudar ao acordar, fazer os trabalhos de casa e frequentar a igreja pois ainda não tinha
idade escolar.

Com o passar do tempo ia crescendo e sentindo a falta da minha mãe como


criança sentia a necessidade de ter uma mãe ao lado para receber carinho e instruções
vindo de uma mãe, pois vivia um meio onde as crianças da minha facha etária estavam
na presença de seus país a receberem cuidados essências.

Sendo criança não entendia o motivo da separação deles do lado do meu pai
dizia que a culpa da separação não via dele já a minha não pude saber a versão dela
sobre o assunto porque ela estava longe de nós.

Mas tarde ela tinha voltado na província do Zaire no município do Tomboco


comuna do Kiowa e estando gravida de minha irmã menora Ana vivendo junto dos seus
pais e exercendo o atividade do campo.
INÍCIO DO ENSINO PRIMÁRIO

O começo ao ensino primário foi aos 5 anos de idade quando ingressei a


escola pública de nº 815 vulgarmente por conhecida por escola 15 onde
frequentei a iniciação, 1ª á 2ª classes nos anos de 2001 á 2003.

No ano de 2004 a pedido de uma tia irmã mais nova do meu pai para
viver comigo em outro município da capital do país propriamente no samba
atual distrito do município de Belas.

Com a mudança de escola fui estudar a 3º e 4 classes onde aprendi a ler e


escrever, foi a primeira vez que deixei os meus irmãos e pai para estar com a
minha tia onde aos fins-de-semana os meus irmãos aproveitava-me visitar-me.

Em 2005 voltei a viver com os meus irmãos e pai por não haver
entendimento entre a tia e seu marido e eu estava envolvido na briga então meu
pai decidiu em falar com seu irmão menor que é professor me fui matriculado na
escola de ensino público nº 818 também conhecida como escola nova.

Na mesma escola estudei por dois anos a 5ª classe reprovando porque


não tive aproveitamento no primeiro ano de 2005 e no segundo ano em 2006
também reprovado por indisciplina e uma tristeza envolver que havia causado ao
meu pai.

Por consequência da conduta negativa durante os anos anteriores fiquei


dois anos sem estudar também internado no centro de reabilitação REMAR onde
aprendi lá a respeito da palavra de Deus mesmo lá conheci irmãos que ensinaram
a não ter uma boa conduta fui obrigado a sair do mesmo.

REGRESSO A ESCOLA

Em 2008 retorno a estudar por decisão do meu pai sendo assim já com
outro comportamento fruto de conselho vindo dos pais, irmãos e tios, ingressei
já em uma escola privada colégio Guima.

Com o regresso a escola tornei me aluno dedicado aos estudos dai optei
por não reprovar mais e ter um comportamento adequado que a instituição exigi
aos alunos, por lá estudei durante 5 anos, da 5º a 9 classe no ano de 2008 á 2013
por incentivo de alguns professores comecei a cultivar o hábito de leitura e
pespectivar o curso que faria no ensino médio.

No mesmo colégio o gosto das disciplinas teóricas principalmente pela


língua portuguesa aumentaram, foi então, que decidi fazer o curso de Ciências
Económicas e Jurídicas focadas para às Ciências Sociais que haveria de ter uma
ligação com às disciplinas que gostava.

ENSINO MÉDIO

Depois de terminar Iº ciclo, a convite do meu irmão mais velho Miguel


que era director daquela escola na altura decidimos assim há voltar a terra natal
para ingressar ao ensino médio ano de 2014.

No mesmo ano comecei a estudar e frequentar a 10º classe no curso de


ciências económicas e jurídicas escolher de forma voluntária por influência da
música que fui criando gosto com o passar dos anos, na classe que frequentava
dedicava- me em quase todos disciplinas.

Ainda na escola ia conhecendo aos poucos os professores e colegas que a


direção da escola incentivou os estudantes a criar uma associação dos estudantes
pois via a necessidades de realizações de uma atividades especificas que fossem
realizados pelos mesmos.

No meio do ano realizou-se a eleição para que possa votar a o elenco da


associação dos estudantes em que fui o vencedor com associação realizamos diversas
atividades como publicações de jornais murais, campanhas de limpeza, palestras com
vários temas e palestrantes.

No ano de 2015 continuei sendo estudante dedicado e no comando da


associação dos estudantes incentivando em outras escolas do município a criação da
mesma para assim termos o espirito do associativismo não só na nossa instituição.

Em 2016 no último ano do ensino médio redobrei a dedicação porque queria


terminar o ensino médio para assim no ano posterior ingressar ao ensino superior pois
não era fácil conseguir uma vaga em universidade pública, por esse motivo tinha dois
motivo para estudar o primeiro terminar o ensino logo e outro começar cedo a
preparação devido o assunto já mencionado.

Sendo assim termino o ensino médio e deixo a associação em outras mãos de


novos colegas já tinha passado a experiência que tive quanto a nossa liderança com os
cooperantes enquanto esperava a certificação que confirma o término do ensino médio e
preparando para o ensino superior aumentava.

No princípio do ano de 2017 com o certificado em mão fiz a inscrição em duas


universidades públicas uma na capital do país na universidade matriz Agostinho Neto
no curso de geodemografia e filosofia, e na província onde viu-me a nascer Zaire na
capital M’Banza Kongo no curso de ensino de psicologia e Gestão de Empesas que não
fui aprovados em ambas universidades.

Com resultado negativo em ambas universidades tive que ficar um ano sem
estudar para prepara-me novamente tentar no ano seguinte pois precisava de estudar e
não tinha como ingressar numa universidade privada como afirmei no começo nasci em
uma família pobre os meus pais não têm como custear-me na privada.

INGRESSO AO ENSINO UNIVERSIDADE

Em 2017 com o fracasso que tive de não consegui de entrar fez-me redobrar o
esforço em 2018 passei meses a estudar sozinho em casa e em algumas bibliotecas
como a Mediateca de Luanda, do Cazenga, do Tribunal Constitucional e meu gosto pela
língua portuguesa continuou aumentando tencionava estudá-la no nível de superior.

Em 2018 escrevi-me em várias instituições de ensino superior públicas situada


na capital do país como no Instituto Superior de Ciências de Educação “ISCED” de
Luanda e de província vizinha como é caso do Bengo nos cursos de ensino de língua
portuguesa e história e no Instituto Superior de Serviço Social de Angola “ ISSS” e
senti que valeu apenas ter estudado bem desta vez.

Fui admitido em dois cursos em duas universidades que tinha testado no curso
de ensino de história e de serviço social, matriculei-me no curso de serviço social que
foi a minha estreia ao ensino superior e fui ganhando gosto aos poucos durante os dois
anos que frequentei embora não conclui pelos motivos que explicarei já

INGRESSO A UNILAB

Voltando para ano de 2017 por via de um amigo que conheci a alguns atrás que
tinha ingressado na Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-
Brasileira no ano anterior falo-me da mesma e pesquisei como é, quais os critérios para
feitura da inscrição e seleção para assim vir a estudar.

Tendo informações sobre ela aquele ano testei mas não tive sucesso pois não
tinha feito bem a prova então decidiu esquecer sobre este assunto pois no ano seguinte
já frequentava o ensino superior que era satisfação para mim.

Em 2018 por incentivo de um amigo novamente que hoje frequenta o curso de


ensino química pediu-me informei sobre as inscrições mas ela diz testar mais pois já
tinha reprovado mas o meu irmão Miguel deu-me força para fazer apenas a inscrição e
fui selecionado a fazer a prova de redação que aconteceu no dia 6 de Outubro de 2018
no Auditório da Faculdade de direito da universidade Agostinho Neto sem motivação
para ir fazer ganhei coragem e fui fazer.

A prova correr-me bem e consegui ser aprovado no curso de Letras de língua


portuguesa no ingresso 2019.1, no processo de tratar a documentação foi longo e
demoroso, fui o líder da nossa fase ajudei os colegas a tratar os documentos.

Durante o período de tratar a documentação tiveram momentos altos e baixos


precisei de ajuda dos meus familiares dentre eles os meus irmãos mais velhos Miguel e
Américo foram eles que deram o dinheiro da tratar todo, bati portas de algumas
instituições do país como Instituição de Gestão de Bolsa de Estudo “ INAGBE”
Ministério de ensino superior e uma televisão privada de Angola TV ZIMBO por meio
do programa “FALA ANGOLA” mas não obtivemos êxitos.

Depois de conseguir de tratar os documentos e obtenção do visto, dia 08 de Abril


que viajemos com os colegas, em momento despedida com a família e namorada
aconteceu a partida para República Federativa do Brasil onde chegamos na madrugada
do dia 09 de Abril fomos recebidos pelos tutores no aeroporto de norte do Brasil na
cidade de Fortaleza e fomos aos restaurante da universidade o chamado RU e fomos
acomodado em casa dos nossos acolhedores.

A partir daquele data começou o meu percurso na unilab sou graduando em


letras de língua de portuguesa o primeiro semestre onde não está sendo fácil começar
uma nova vida longe da minha família, habituando com a comida do RU, novas
realidades diferente de onde vim, estou a ter oportunidade de conviver com pessoas de
muitas nacionalidades desde professores, colegas e no método de ensino mas aos
poucos com ajuda de Deus e dedicação acredito que está sendo possível.

Estou dedicando-me imenso aos estudos pois pretendo ser um excelente


profissional na área em que estou graduando cultivando o hábito de ler e escrever bem
todos os dias que acordo acredito que daqui a alguns anos direi valeu o esforço.

Sou imenso grato à Deus pela oportunidade de vir estudar ao Brasil pois nem
todos o têm, sem esquecer as pessoas que ajudar-me de chegar aqui os meus familiares.