Você está na página 1de 27

Introdução

Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

Pesquisa Operacional
Dualidade

Prof. Laércio Ives Santos

IFNMG
Campus Montes Claros

Bacharelado em Ciência da Computação

2016/2

1 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

Seções

1 Introdução

2 Análise Econômica

3 Relações Primais Duais

4 Interpretação Econômica do Dual

2 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

O problema Dual
Todo Problema de programação Linear possui um
problema Dual correspodente
Chamaremos o problema original de "Primal"e o dual de
"Dual"
Nossa Definição de problema Dual requer expressar o
problema primal na forma: todas as restrições são
equações cujo lado direito é não negativo e todas as
variáveis são não negativas.
Para mostrar como o problema dual é construído, o
problema primal é definido na forma de equações:
Max/Min z = nj=1 cj xj
P

Sujeito A: ni=1 aij xj = bi , i = 1, 2,..., m


P
xj ≥ 0, j = 1, 2,..., n (incluindo as variáveis de folga, sobra e
auxiliares)
3 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

O problema Dual

Regras para Criação do Modelo Dual


Uma variável dual é definida para cada equação(restrição)
Primal.
Uma restrição Dual é definida para cada variável Primal.
Os coeficientes da restrição (coluna) de uma variável
primal definem os coeficientes do lado esquerdo da
restrição dual, e seus coeficientes na função objetivo
definem os coeficientes do lado direito.
Os coeficientes da função objetivo do problema dual são
iguais aos coeficientes do lado direito das equações de
restrições do problema primal.

4 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

O problema Dual

Regras para Criação do Modelo Dual


Se o problema for de maximização ele então será de
Minimização no Dual
Restrições ≥ geram variáveis ≤ 0
Restrições ≤ geram variáveis ≥ 0
Restrições = geram variáveis Irrestritas em Variáveis ≤ 0
geram restrições ≤
Variáveis Irrestritas geram restrições =
Variáveis com a restrição ≥ geram restrições do tipo ≥
Variáveis com restrições ≤ geram restrições do tipo ≤

5 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

O problema Dual
Exemplo 1:
Modelo Primal:
Maximizar z = 5x1 + 12x2 + 4x3
Sujeito A: 
 x1 + 2x2 + x3 ≤ 10
2x − x2 + 3x3 = 8
 1
x1 , x2 , x3 ≥0
Adicionando a folga na primeira restrição, fica:
Maximizar z = 5x1 + 12x2 + 4x3 + 0x4

x1 + 2x2 + x3 + x4 = 10
2x1 − x2 + 3x3 =8
x1 , x2 , x3 , x4 ≥0

6 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

O problema Dual

Exemplo 1:
Vamos Criar a função objetivo com duas variávels (duas
restrições) y1 , y2
Min W= 10y1 + 8y2
Modelo Dual Aplicado as regras: ...
Se temos quatro variaveis no primal (x1 ,.., X4 ) teremos quatro
restrições no Modelo DUAL.
1 Restrição 1: coeficientes de x1 nas equações (1,2),
coeficiente de x1 na função objetivo 5. No Modelo Primal
x1 ≥ 0. Portanto o Dual fica y1 + 2Y2 ≥ 5
2 Restrição 2: coeficientes de x2 nas equações (2,-1),
coeficiente de x2 na função objetivo 12. No Modelo Primal
x2 ≥ 0. Portanto o Dual fica 2y1 − Y2 ≥ 12

7 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

O problema Dual

Exemplo 1:
1 Restrição 3: coeficientes de x3 nas equações (1,3),
coeficiente de x3 na função objetivo 4. No Modelo Primal
x3 ≥ 0. Portanto o Dual fica y1 + 3Y2 ≥ 4
2 Restrição 4: coeficientes de x4 nas equações (1,0),
coeficiente de x4 na função objetivo 0. No Modelo Primal
x4 ≥ 0. Portanto o Dual fica y1 + 0Y2 ≥ 0
Como a primeira Restrição é ≤ então temos que, y1 ≥ 0 ,
Como a segunda restrição é =, logo, y2 deve ser irrestrita.

8 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

O problema Dual
Primal
Maximizar = 5x1 + 12x2 + 4x3 + 0x4

x1 + 2x2 + x3 + x4 = 10
2x1 − x2 + 3x3 =8
x1 , x2 , x3 , x4 ≥0

Dual
Minimizar W= 10y1 + 8y2


 y1 + 2Y2 ≥ 5
2y1 − Y2 ≥ 12


y1 + 3Y2 ≥ 4
y + 0Y2 ≥ 0

 1



y1 ≥0
y2 é Irrestrita / Livre
9 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

Análise Econômica

O quadro Final do método simplex possui variáveis


básicas e não básicas
A função objetivo está escrita em função das variáveis não
básicas
O valor das variáveis Básicas estão na coluna b(solução).
Os valores da variáveis não básicas é zero
O coeficiente da variável não básica na função Objetivo
mede a tendência do objetivo com aquela variável. Indica
variação proporcional do objetivo com pequenos
aumentos naquela variável.

10 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

Análise Econômica

11 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

Análise Econômica

Exemplo Ilustrativo
Max Lucro= 3x1 + 2x2


 2x1 + x2 ≤ 100 Total de Horas para Acabamento
x1 + x2 ≤ 80 Total de Horas para Carpintaria

 x1
 ≤ 40 Máximao de Soldados produzidos
x1 , x2 ≥0

x1 quantidade de soldados produzidos por semana


x2 quantidade de trens produzidos por semana

12 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

Análise Econômica

13 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

Análise Econômica

O quadro inicial do Simplex fica como Abaixo;

14 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

Análise Econômica

O quadro final do Simplex fica como Abaixo (solução)

x1 = 20; x2 = 60; xf3 = 20; xf1 = 0; xf2 = 0; Z = 180;


A função objetivo do quadro final é: Z = 1Xf1 + 1xf3 = 180

15 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

Análise Econômica
O coeficiente da variável não básica na função Objetivo
mede a tendência do objetivo com aquela variável. Indica
variação proporcional do objetivo com pequenos
aumentos naquela variável.
1) O coeficiente de xf1 é 1, sendo assim, o aumento em uma
unidade do recurso associado a xf1 (Horas Para acabamento)
resulta em 1 unidade no valor da função objetivo (lucro).
2) O coeficiente de xf2 também é 1, sendo assim, o aumento
em uma unidade do recurso associado a xf2 (Horas Para
Carpintaria) resulta em 1 unidade no valor da função objetivo
(lucro).
3) O coeficiente de xf3 é 0, sendo assim, o aumento em uma
unidade do recurso associado a xf3 (Máximo de soldados)
resulta em 0 unidades no valor da função objetivo (lucro).
16 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

Análise Econômica

Isso siginifica que:


1) Se aumentarmos 1 hora a mais para acabamento teremos
R$ 1.00 a mais de lucro por semana
2) Se aumentarmos 1 hora a mais para carpintaria teremos R$
1.00 a mais de lucro por semana
3) O recurso associado a xf3 (Máximo de soldados) não é
escasso, ou seja, não adianta aumentar a margem de
produção. Isso não irá aumentar nosso lucro.
Mostrando...
Dizemos que 1, 1 e 0 são os valores de oportunidades para
os recursos: Horas Para acabamento, Horas Para Carpintaria e
quantidade de soldados, respectivamente

17 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

Análise Econômica

18 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

Relações Primais Duais

Cada solução viável básica primal corresponde a uma


solução básica inviável Dual
Uma solução ótima primal corresponde a uma solução
ótima dual com Z = W
O coeficiente da variável decisão objetivo primal é o valor
da variável de folga correspondente na solução Dual
(coeficiente de xi igual valor de yfi )
O coeficiente da variável de folga na função objetivo primal
é o valor da variável de decisão correspondente na
Solução Dual (xfi igual valor de yi ))

19 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

Relações Primais Duais


Exemplo:
Max Z= x1 + 2x2 + 3x3
S.A 
 x1 + x2 + x3
 ≤ 10
2x1 + x2 + 4x3 ≤ 12

2x + 3x2 − x3 ≤ 9
 1


x1 , x2 , x3 ≥0
Dual correspondente:
Min W= 10y1 + 12y2 + 9y3
S.A 

 y1 + 2y2 + y3 ≥1
y1 + y2 + 3y3 ≥2

y + 4y2 − y3 ≥3
 1


y1 , y2 , y3 ≥0
20 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

Relações Primais Duais


Exemplo: Colocando as variáveis de folga no primal e no
dual temos..
Max Z= x1 + 2x2 + 3x3
S.A 

 x1 + x2 + x3 + xf1 = 10
2x1 + x2 + 4x3 + xf2 = 12

2x1 + 3x2 − x3 + xf3 = 9

x1 , x2 , x3 , xf1 , xf2 , xf3 ≥ 0

Dual correspondente:
Min W= 10y1 + 12y2 + 9y3
S.A 
 y1 + 2y2 + y3 − yf1 = 1

y1 + y2 + 3y3 − yf2 = 2

y + 4y2 − y3 − yf3 = 3
 1


y1 , y2 , y3 , yf1 , yf2 , yf3 ≥ 0
21 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

Relações Primais Duais


Exemplo. As tabela iniciais do primal e do dual ficam:
Primal

Dual

22 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

Interpretação Econômica do Dual


Vamos considerar o problema abaixo:

Em que x1 e x2 são as quantidades dos produtos 1 e 2 (P1, P2)


a produzir
Max Lucro= 50x1 + 90x2
S.A 
 2x1 + 3x2 ≤ 300
10x1 + 5x2 ≤ 1000
x1 , x2 ≥0

23 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

Interpretação Econômica do Dual

O quadro Final da resolução pelo simplex é:

24 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

Interpretação Econômica do Dual

O Modelo Dual Correspondente


Min D= 300y1 + 1000y2
S.A 
2y1 + 10y2 ≥ 50
3y + 5y2 ≥ 90
 1
y1 , y2 ≥0
O quadro Final da resolução derivado da solução primal é:

25 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

Interpretação Econômica do Dual

O valor y1 = 30, foi obtido do coeficiente da variável xf1 na


função objetivo, e representa, portanto, o valor de
oportunidade do recurso, R1. Isto é, cada unidade do
recurso R1 tem capacidade de gerar um lucro de 30.
O valor y2 = 0, foi obtido do coeficiente de xf2, indicando o
valor de oportunidade do recurso R2. O resultado é
coerente, já que o recurso R2 não é escasso. (xf2 = 500)
O valor de y1 , é portanto, o valor de oportunidade por
unidade do recurso R1, isto é, a capacidade da unidade
do recurso gerar lucro, nesse modelo.

26 / 27
Introdução
Análise Econômica
Relações Primais Duais
Interpretação Econômica do Dual

Interpretação Econômica do Dual

Na função objetivo Dual, cada parcela mede, então o valor


de oportunidade dos recursos envolvidos na produção
(estoque x valor de oportunidade unitário de cada
recurso). A função objetivo dual, mede portanto, a
capacidade de o estoque gerar lucro.
Cada uma das restrições compara o valor de oportunidade
atribuído aos produtos pelos recursos, com o calor de
oportunidade atribuído aos produtos pelo mercado
Ex 2y1 + 10Y2 ≥ 50
quando a remuneração de mercado cobre o valor atribuído
pelos recursos o produto é fabricado.

27 / 27

Você também pode gostar