Você está na página 1de 3

AD2

ANÁLISE MACROECONOMICA

Questão 01) Qual é a vantagem do PIB ser quantificado através dos preços em vez de se
utilizar apenas as unidades dos diferentes bens produzidos na economia?

Questão 02) Por que o Banco Central não exerce um controle perfeito sobre a quantidade
de moeda ofertada na economia?
Questao 03) Sobre o modelo keynesiano simplificado, responda:
a) É um modelo de estudo da economia preceituando a demanda como fator que gera a
oferta ou o inverso ( a oferta é que gera a demanda)?
b) È mais apropriado para países cuja demanda seja insuficiente para alcançar a oferta,
ou o inverso ( a oferta é insuficiente para afetar a demanda)?
c) Porque seria insensato supor que a propensão marginal a consumir da população seja
igual a 1;
d) Os investimentos são considerados como fator de oferta ou de demanda?
e) O que significa investimento autônomo?
Questão 04) Os bancos não gostam, mas algumas vezes a taxa real de juros de seus
empréstimos acaba sendo negativa. Responda justificando:
a) È possível que essa taxa seja negativa?
b) È no curto ou no longo prazo o período para o banco melhor calcular a taxa real de
juros que quer ganhar?
c) A remuneração efetiva do banco com os empréstimos é dada pela taxa nominal ou pela
taxa real de juros?
d) O que é spread bancário?
e) Se for possível, descreva uma situação (ou exemplo, ou equação) em que a taxa real
de juros é zero.
RESPOSTAS

Questão 1)

A vantagem de quantificar o PIB utilizando-se o preço do produto adquirido no lugar de


utilizar apenas a quantidade adquirida é que desse modo pode-se chegar ao PIB por meio
do somatório das despesas dos consumidores finais, uma vez que o valor da produção de
um país é igual à soma dos gastos efetuados pelos agentes econômicos desse país.

Questão 2)

O Banco Central não exerce um controle perfeito sobre a quantidade de moeda ofertada
na economia porque os Bancos Comerciais, através do mecanismo chamado de
multiplicador bancário ou dos meios de pagamento, também criam moeda. Tal mecanismo
consiste no empréstimo de parte dos depósitos realizados em tais bancos por seus
clientes, que, em parte, acabam se tornando novos depósitos, gerando recurso para
novos empréstimos. Sendo assim, o Banco Central não possui um controle perfeito da
oferta de moeda, contudo possui mecanismos para controlar a influência dos Bancos
Comerciais em tal oferta, é a chamada política monetária, que pode se dar por meio de
três mecanismos: operações de open market, reservas compulsórias e a taxa de
redesconto.

Questão 3)
a)
Pelo modelo Keynesiano a demanda agregada é o fator que induz o crescimento
econômico, levando à elevação da oferta, para que um novo ponto de equilíbrio seja
alcançado. Para que tal modelo funcione é necessário que haja a existência de
capacidade ociosa na economia de modo a possibilitar a expansão da produção.

b)
O modelo Keynesiano simplificado é o mais apropriado para países cuja demanda seja
insuficiente para alcançar a oferta, ou seja, países que possuem capacidade produtiva
ociosa, pois, do contrário, seria observada uma elevação dos preços em decorrência da
falta de produtos para atender a demanda.

c)
Dizer que a propensão marginal a consumir de uma população é igual 1 significa dizer
que qualquer elevação de renda dessa população será revertida em consumo, o que é
insensato visto que parte de uma elevação de renda sempre é poupada.

d)
Os investimentos são considerados como fator de demanda.

e)
O investimento autônomo, em grande parte, independe da variação ou do nível corrente
de atividade econômica. Em geral, o investimento autônomo corresponde ao investimento
em modernização da capacidade produtiva existente, ou seja, trata-se de investimento em
inovação tecnológica, sendo determinado pela estratégia concorrencial das empresas.

Questão 4)
a)
Sim, é possível que a taxa real de juros de um empréstimo bancário, por exemplo, seja
negativa. Para tanto, basta que a taxa de inflação do período de vigência do empréstimo
seja superior a taxa nominal de juros (Taxa cobrada pelo banco).

b)
No curto prazo torna-se mais fácil para o banco calcular de modo mais eficaz a taxa real
de juros que deseja ganhar em suas operações de empréstimo, devido às incertezas a
cerca das taxas de inflação a longo prazo.

c)
A remuneração efetiva do banco com os empréstimos é dada pela taxa real de juros.

d)
Spread bancário é a diferença entre os juros cobrados pelos bancos nos empréstimos
concedidos às pessoas físicas ou jurídicas, e as taxas pagas pelos bancos aos
investidores que aplicam suas reservas monetárias no banco.

e)
Vamos supor que eu tenha pegado na presente data um empréstimo no valor de R$
1000,00 junto a um banco comercial. O contrato reza que o prazo de vencimento de tal
empréstimo é de 1 ano e que a taxa de juros será de 10% a.a.. Óbvio que tratando-se de
um banco comercial, tal taxa de juros (Juros Nominal) foi calculada com base numa
expectativa de inflação ao longo desse período cujo valor será inferior a esses 10%, de
modo que o Banco possa lucrar em cima do empréstimo por mim obtido. Contudo, em
virtude de descontroles do governo, após 1 ano, na data de vencimento do meu
empréstimo, a taxa de inflação ao longo tenha sido exatamente de 10%. Conforme
firmado em contrato, no vencimento pagarei ao Banco R$ 1100,00, todavia, devido a taxa
de inflação, o banco não terá obtido lucro algum sobre a operação de empréstimo em
virtude dos juros reais de tal operação ter sido igual a 0%.