Você está na página 1de 4

CONTRATO DE ARRENDAMENTO

Entre,

A Sra Gracinda Teixeira Tavares Ferreira Ataide, portadora do BI nº


000301082LA030 emitido aos 18/08/2015 pelo arquivo de identificação da
Luanda, residente em Luanda, na Rua Da India nº 68 Bairro do Cruzeiro, em
Luanda, com poderes bastantes para o efeito, doravante designada
“SENHORIO”,

E de outro lado

A Sra Zino Isabel Kiala, portadora do BI Nº 000799707LA031 emitido pelo


arquivo de Indentificação de Luanda aos 11/01/2018/ até 10/01/2023,
doravante designada “ARRENDATÁRIO”,

1ª Cláusula:

Objecto

O objecto do presente instrumento é o arrendamento do imóvel localizado em


Luanda no Bairro Da Maianga, Rua Kwamme krumah nº7 primeiro andar,
inscrito na Repartição Fiscal do 1º Bairro de Luanda, sob o artigo da matriz nº
________ e descrito na conservatória do Registo Predial da Comarca de Luanda
sob o nº a folha ____, do livro _______.

2ª Cláusula:

Utilização do Imóvel

A presente locação do imóvel destina-se exclusivamente a fins residências, não


é permitido sublocá-lo ou usá-lo para fins diferentes.

O referido imóvel encontra-se equipado de um gerador, uma bomba de água e


aparelhos de ar condicionado (nos quartos).

3ª Cláusula:

Duração e validade do contrato

1. O presente contrato tem a duração de 1 (um) ano com inicio a 01 de Outubro


de 2017 até 1 de Outubro de 2018, considerando-se automaticamente
renovável, se nenhuma das partes solicitar a sua renúncia num prazo de 90
dias.

1
2. Não caberá ao “SENHORIO” a renúncia do contrato antes do termo do prazo
estabelecido, a menos que ocorra algum evento de força maior.

4ª Cláusula:

Do valor da renda e pagamentos

1. A renda mensal estabelecida é AOA 125.000,00 (Cento e Vinte mil kwanzas) que
serão depositados nas coordenadas bancárias a indicar pelo “SENHORIO”Banco
Millenium, IBAN :AO06 0055 0000 0008 6128 10174 ;Numero de Conta-
10008612810001 a partir do quarto mês de estadia, pós foi acordado entre as
partes referidas uma renda mensal de AOA 110.000,00 pelo os primeiros três
meses.

3. Os pagamentos relativos aos 6 (Seis) meses de aluguer serão feitos da seguinte


forma: 6 (seis) meses pagos antecipadamente, no montante de AOA 720.000,00
(Sete cento e vinte mil kwanzas) Após os doze primeiros meses a renda mensal
será paga antecipadamente uma vez ao ano.

5ª Cláusula:

Das obrigações do “SENHORIO”

1. O “SENHORIO” obriga-se ao pagamento de todas as despesas relativas a


utilização do imóvel, nomeadamente, água, luz e condomínio, se houver até a
data de inicio do presente contrato de arrendamento;

2. Ceder ao “ARRENDATÁRIO”, para os fins estabelecidos na cláusula 1ª deste


contrato, o imóvel referido, na data combinada para sua entrega;

3. Não interferir na administração e manutenção do local arrendado;

4. Responsabilizar-se pelo o pagamento atempado de todos os impostos, taxas e


quaisquer outras contribuições que incidam sobre o espaço arrendado, até ao
inicio do contrato;

6ª Cláusula:

Das obrigações do “ARRENDATÁRIO”

1. O “ARRENDATÁRIO” obriga-se na vigência do contrato a efectuar o


pagamento atempado e pontualmente conforme indicações do
“SENHORIO”;

2. A efectuar o pagamento dos encargos referentes a água, energia eléctrica


que consumir distribuída pela rede pública ou outras fontes alternativas,

2
bem como as despesas relativas aos serviços de telefone e imposto predial
urbano, se existir;

3. Manter, e restituir no final do contrato, o imóvel em bom estado de


conservação, limpo e asseado, sem deteriorações, salvo as inerentes ao seu
uso ordinário;

4. O “ARRENDATÁRIO” obriga-se a comunicar ao “SENHORIO”, por escrito,


avarias ou danos verificados no imóvel, durante a vigência do presente
contrato.

7ª Cláusula:

Da sublocação e Benfeitorias

As benfeitorias feitas no imóvel serão pertenças do imóvel e não poderão por


isso ser levantadas ou demolidas.

8ª Cláusula:

Do reajuste do valor

As partes acordam a nenhum ajuste anual ao presente contrato de aluguer


sobre o valor da renda mensal paga pelo “ARRENDATÁRIO”;

9ª Cláusula:

Força Maior

1. Em caso de ocorrência de “Força Maior” observar-se-á uma suspensão do


contrato e do pagamento das rendas, devendo imediatamente ser
retomados, após a cessão da ocorrência de tal Força Maior, resguardado os
interesses do “ARRENDATÁRIO”.

2. Para fins previstos neste artigo, considera-se o caso de força maior qualquer
evento normalmente imprevisível ou estranho à vontade das partes, que as
impeça de satisfazer as suas obrigações ou exercer os seus direitos, tais
como: incêndio, não advindo do uso incorrecto do imóvel ou dos bens a ele
inerentes, calamidades naturais, guerras e motins;

3. A parte que em primeiro lugar tomar conhecimento da causa de força


maior deve, quando essa causa não seja notória, comunicá-la
imediatamente a outra parte;

4. Se a causa de força maior persistir por mais de 30 dias, qualquer das partes
poderá rescindir o contrato, não cabendo qualquer indemnização, salvo os
compromissos até aquela data. Não havendo obrigações de indemnização,

3
deverão, no entanto e de preferência, adoptar as medidas que
conjuntamente julguem convenientes para minimizar ou até eliminar as
consequências dos casos de força maior.

10ª Cláusula:

Da caducidade e litígios

1. As partes comprometem-se a cumprir o contrato de boa-fé, e qualquer


litígio emergente deste contrato, será em primeira instância resolvido
amigavelmente entre as partes;

2. Se persistir o litígio, as partes elegem como exclusivamente


competentes o Tribunal Civil e administrativo de Luanda.

Por estarem às partes em concordância com as cláusulas e condições


contratuais acima designadas, assinam as partes o presente contrato de
arrendamento em duas vias de igual teor e forma, para um só efeito jurídico.

Luanda, aos 27 de September 2017.

O Primeiro Outorgante O Segundo Outorgante