Você está na página 1de 5

See discussions, stats, and author profiles for this publication at: https://www.researchgate.

net/publication/291708387

LÓGICA: UMA ABORDAGEM TEÓRICA

Conference Paper · September 2015

CITATIONS READS

0 940

4 authors, including:

Milena Rocha Machado Sergio Silva Ribeiro


Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (UNICENTRO) Briercrest College and Seminary
1 PUBLICATION   0 CITATIONS    46 PUBLICATIONS   27 CITATIONS   

SEE PROFILE SEE PROFILE

Some of the authors of this publication are also working on these related projects:

Strategic Digital City, Management Information System, Multidimensional Information Structure View project

Grupo de Pesquisas em Ciências Sociais Aplicadas - GPCSA View project

All content following this page was uploaded by Sergio Silva Ribeiro on 25 January 2016.

The user has requested enhancement of the downloaded file.


LÓGICA: UMA ABORDAGEM TEÓRICA

Milena Rocha Machado (UNICENTRO), Elidianne Marcondes Soares


(UNICENTRO), Tamiris Voeltz da Silva (UNICENTRO), Sergio Silva Ribeiro
(Orientador), e-mail: professor@sergioribeiro.com.br

Universidade Estadual do Centro-Oeste/Setor de Ciências Sociais Aplicadas


(SESA), Departamento de Administração, Guarapuava, Paraná.

GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas, SUBÁREA: Administração

Palavras-chave: Lógica; Operadores; Tabela Verdade; Proposições.

Resumo
A lógica é a ciência que estuda as leis gerais do pensamento e seus critérios de
validade. Seu objetivo é elucidar as referências teóricas dos valores lógicos
destacando os principais pontos a serem estudados, analisando as suas leis
buscando responder qual relação e divergências entre os estudos dos autores.
Aborda a lógica e a maneira de como aplicá-la corretamente. Foi identificado que os
autores pesquisados possuem pouca divergência em suas teorias.

Introdução

A lógica busca formalizar as leis do pensamento e estabelecer uma


linguagem apropriada evitando paradoxos, possibilitando alcançar a verdade sem
erros (NERICI, 1985; CASTRUCCI, 1973).
Proposição é formada por sujeito, predicado e verbo, a qual pode ser
classificada como falso ou verdadeiro. Argumento é formado por sentenças de
justificativas e uma conclusão, que podem ser consideradas como válidas ou
inválidas. Uma tabela de verdade apresenta todos os valores lógicos possíveis para
uma proposição simples ou composta, onde são representadas por P e Q. Os
operadores lógicos são: negação, conjunção, disjunção, disjunção exclusiva,
condicional e bicondicional (NERICI, 1985; MUNDIM, 2002; CASTRUCCI, 1973).
A tautologia, contradição e contingência assumem na proposição valores
como verdadeiro, falso, ou verdadeiro e falso respectivamente em suas tabelas
verdade (LIMA, 20--; HEGENBERG, 2012; MORTARI, 2001).
Será abordado no presente trabalho a lógica e seus principais pontos a serem
estudados, que entre eles estão: conceito de lógica, histórico e sua importância,
proposição, argumentos, tabela de verdade, operadores lógicos, tautologia,
contradição e contingência. Também tem como objetivo analisar a lógica e suas leis
buscando responder qual relação e divergências entre os estudos dos autores.

Materiais e Métodos

O método de investigação utilizado foi a pesquisa bibliográfica de caráter


explicativo.

Anais da IV SIEPE – Semana de Integração Ensino, Pesquisa e Extensão


26 a 30 de setembro de 2015, UNICENTRO, ISSN – 2236-7098
Segundo Gil (2010, p.50) “a pesquisa bibliográfica é desenvolvida a partir de
material já elaborado, constituído principalmente de livros e artigo científicos”. Todo
e qualquer tipo de estudo parte de uma pesquisa bibliográfica, uma das maiores
vantagens de uma pesquisa bibliográfica é que existe uma grande quantidade de
material que pode ser consultado.
Para Gil (2010, p. 28) as pesquisas explicativas “são aquelas pesquisas que
tem como preocupação central identificar os fatores que determinam ou que
contribuem para a concorrência dos fenômenos”.
O presente trabalho foi elaborado baseado em autores definindo conceitos e
tipologias.

Resultados e Discussão

Foi realizada pesquisa bibliográfica, onde foi levantada a conceituação,


relação e a discordância entre os autores, que pode ser observado na Tabela 1.

TABELA 1: Conceituação
ASSUNTO AUTOR CONCEITO
Nerici (1985) Definem a lógica como uma ciência que estuda
as leis gerais do pensamento, métodos e
LÓGICA
princípios os quais permitem distinguir
Castrucci (1973) argumentos como válidos ou inválidos.
Afirmam que Aristóteles foi o pioneiro a escrever
Nerici (1985) sobre a lógica formal, o qual escreveu as leis
gerais podendo se aplicar a qualquer operação
HISTÓRICO do intelecto. Com o início da lógica moderna
percebe-se que a lógica formal era vulnerável,
Castrucci (1973) sendo necessário criar a lógica simbólica livre de
ambiguidade.
Afirma que a lógica dá ao homem caminho
Nerici (1985)
seguro para alcançar a verdade sem erros.
Afirma que o campo de estudos da lógica, aplica-
se a um conhecimento preliminar ainda que
Castrucci (1973)
IMPORTÂNCIA intuitivo, necessário em quase todos os ramos de
conhecimento.
Afirma que a lógica surgiu com dois propósitos: o
de formalizar as leis do pensamento e o de
Fajardo (20--)
estabelecer uma linguagem mais apropriada para
a matemática e a filosofia.
Nerici (1985) Os autores em relação ao conceito de proposição
não se contradizem, portanto afirmam assim, que
PROPOSIÇÃO proposição é formada por sujeito, predicado e
verbo, a qual pode ser classificada como falso ou
Castrucci (1973) verdadeiro.

Anais da IV SIEPE – Semana de Integração Ensino, Pesquisa e Extensão


26 a 30 de setembro de 2015, UNICENTRO, ISSN – 2236-7098
Os autores não se contradizem a respeito da
Mundim (2002)
conceituação de argumento. Pode-se dizer que
ARGUMENTO argumento é formado por sentenças de
Hegenberg justificativas e uma conclusão, que podem ser
(2012) consideradas como válidas ou inválidas.
Cada proposição terá um valor que pode ser
Castrucci (1973) verdadeiro ou falso e associa esse valor de
TABELA DE acordo com cada operador lógico. Uma tabela de
VERDADE verdade apresenta todos os valores lógicos
Castro (2011)) possíveis para uma proposição simples ou
composta, onde são representadas por P e Q.
Castrucci (1973) O autor cita os seguintes operadores lógicos:
Negação, conjunção, disjunção, condicional e
OPERADORES bicondicional.
LÓGICOS O autor define os operadores lógicos da mesma
Lima (20--) forma que Castrucci (1973), porém também
define a disjunção exclusiva.
Os autores não se contradizem a respeito da
Lima (20--)
conceituação de Tautologia. Com isso pode-se
entender que quando o valor lógico de uma
TAUTOLOGIA
Hegenberg proposição composta for verdadeiro, ela será
(2012) uma tautologia, independente dos valores lógicos
de P e de Q.
Hegenberg
(2012) Contradição é toda proposição composta que
CONTRADIÇÃO
assume o valor lógico falso.
Filho (2002)

Os autores afirmam que contingência é a


Mortari (2001) proposição composta cuja última coluna da
CONTINGÊNCIA tabela de verdade tem valor verdadeiro em pelo
Filho (2002) menos uma linha, e falso em ao menos uma
linha.

Conforme tabela 1, identificou-se a relação das teorias dos autores entre si, e
ainda houve divergências nas teorias em relação à importância da lógica e
operadores lógicos.

Conclusões

De acordo com o estudo dos autores, observa-se que em relação aos


conceitos não há consideráveis divergências entre os seus pensamentos, já que de
acordo com o histórico estes seguem a lógica simbólica, formada por uma
linguagem escrita e universal, constituída por símbolos específicos.

Anais da IV SIEPE – Semana de Integração Ensino, Pesquisa e Extensão


26 a 30 de setembro de 2015, UNICENTRO, ISSN – 2236-7098
Referências

CASTRO, Gilles Gonçalves. Tabelas-verdade (com aplicações para operações em


conjunto). Disponível em: http://www.mtm.ufsc.br/~gilles/ensino/2013-
01/mtm5801/TabelasVerdade.pdf. Acesso em 01 de agosto de 2015 ás 15h.

CASTRUCCI, Benedito. Introdução à Lógica Matemática. Editora Livraria Nobel S.A,


1º edição, 1973, São Paulo.

FAJARDO, Rogério Augusto dos Santos. Lógica Matemática. Disponível em:


http://www.ime.usp.br/~fajardo/Logica.pdf. Acesso em 07 de agosto de 2015 às 15h.

FILHO, Edgard de Alencar. Iniciação à Lógica Matemática. São Paulo, Ed. Nobel,
2002.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: 6° Ed. Atlas,
2010.

HEGENBERG, Leônidas. Lógica. 3º edição, editora Forense Universitária, Rio de


Janeiro, 2012.

LIMA, Cleone Silva. Apostila de Lógica. Disponível em:


https://docente.ifrn.edu.br/cleonelima/disciplinas/fundamentos-de-programacao-
2.8401.1m/fundamentos-de-logica-e-algoritmos-1.8401.1v/apostila-proposicoes-
tabelas-verdade-conectivos-logicos. Acesso em 07 de agosto de 2015 às 15h.

MORTARI, Cezar A. Introdução à Lógica. Ed. UNESP, São Paulo, 2001.

MUNDIM, Roberto Patrus. A Lógica Formal – princípios elementares. Econom. &


gestão, Belo Horizonte, 2002. Disponível em:
http://moodle.unicentro.br/moodle/pluginfile.php/58631/mod_resource/content/1/A
%20L%C3%B3gica%20Formal%20%E2%80%93%20princ%C3%ADpios
%250Aelementares.pdf. Acesso em 02 de agosto de 2015 às 14h.

NERICI, Imídeo Giuseppe. Introdução à Lógica. 9º edição, editora Nobel, São Paulo,
1985.

Anais da IV SIEPE – Semana de Integração Ensino, Pesquisa e Extensão


26 a 30 de setembro de 2015, UNICENTRO, ISSN – 2236-7098

View publication stats