Você está na página 1de 100

MINISTÉRIO DA DEFESA

EXÉRCITO BRASILEIRO
COMANDO MILITAR DO PLANALTO
11ª REGIÃO MILITAR
(Cmdo Mil de Bsb/1960)
REGIÃO TENENTE-CORONEL LUIZ CRULS
SEÇÃO DE SERVIÇO MILITAR

Plano Regional de
Convocação/2011
(PRC/2011)

SERVIÇO MILITAR
VEJA O BRASIL POR UM NOVO ÂNGULO
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

MINISTÉRIO DA DEFESA
EXÉRCITO BRASILEIRO
COMANDO MILITAR DO PLANALTO
11ª REGIÃO MILITAR
(Cmdo Mil de Bsb/1960)
REGIÃO TENENTE-CORONEL LUIZ CRULS

PLANO REGIONAL DE CONVOCAÇÃO


PARA O ANO DE 2011 (PRC/2011)

- APROVAÇÃO -

Aprovo, para cumprimento e execução pelas Organizações Militares,


Órgãos do Serviço Militar e Órgãos de Formação da Reserva, sediados na área da 11ª
Região Militar, o Plano Regional de Convocação para o ano de 2011 e seus anexos,
elaborado pela Seção de Serviço Militar Regional, com base nas prescrições baixadas
pelo Plano Geral de Convocação para o Serviço Militar Inicial nas Forças Armadas em
2011 (PGC/2011) do Ministério da Defesa e pelas Instruções Complementares de
Convocação para o Serviço Militar Inicial no Exército em 2011 (ICC/2011) do
Departamento-Geral do Pessoal, autorizando a Seção de Serviço Militar da 11ª Região
Militar a realizar as ligações que se fizerem necessárias para o fiel cumprimento do
mesmo.

Brasília, DF, 24 de maio de 2010.

ASSINADO ELETRONICAMENTE E ARQUIVADO NA RM


Gen Bda JOÃO CARLOS DE JESUS CORRÊA
Cmt 11ª RM

2
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ÍNDICE
Aprovação 2
Índice 3
Abreviaturas 6
Preâmbulo 10
Introdução 11
Capítulo I – Finalidade, vigência e referências legais
1. Finalidade 12
2. Vigência 12
3. Referências Legais 12
Capítulo II – Alistamento
1. Imagem das Forças Armadas 15
2. Alistamento Unificado nas Forças Armadas 15
3. Prazos e Vinculação à Seleção Geral 15
4. Fluxo CAM/FAM/FAM para JSM não informatizada 16
5. Casos Particulares de Alistamento 16
6. Procedimentos a serem adotados com os cidadãos em débito com o SM da MB e da FAB, na
17
situação de refratários, alistados antes da unificação (final de 2002)
7. Procedimentos a Serem adotados com os cidadãos em débito com o SM da MB e da FAB,
18
alistados antes da Unificação, Dispensados de Incorporação e que fizeram jus ao CDI
8. Duplicidade de Alistamento 18
9. Maiores de 30 anos 18
10. Refratário, Insubmisso, Desertor ou desistente da situação de Eximido 19
11. Brasileiros Residentes no Exterior (BRE) 19
12. Prazos de validade do Certificado de Alistamento Militar 19
13. Recomendações 20
Capítulo III - Seleção Geral
1. Universo Convocado à Seleção Geral 21
2. Condição Indispensável para a Seleção 21
3. Conscritos que não concorrerão à Seleção 21
4. Aspectos da Seleção 22
5. Condições Gerais de Funcionamento das Comissões de Seleção 23
6. Certificados 25
7. Controle da Seleção 27
8. Comando Coordenador 28
9. Situações Diversas na Seleção 29
10. Vida Militar 30
11. Seleção para o Serviço Alternativo 30
Capítulo IV -Seleção Especial
1. Seleção Especial para NPOR 31
2. Seleção Especial para o 1º BAC 31
3. Seleção para TG 32
4. Seleção Especial para os MFDV 33
5. Seleção Especial para o Serviço Técnico Temporário (STT) 37
6. Processo de Seleção dos Voluntários para o EAS, EST e EBST 37
Capítulo V – Necessidades da OM, Distribuição e Designação
1. Necessidades das OM 39
2. Distribuição 39
3. Designação 41
Capítulo VI – Adiamento de Incorporação e Processo de Arrimo
1. Divulgação 44
2. Adiamento de Incorporação 44
3. Arrimos de Família 45

3
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

Capítulo VII - Seleção Complementar


1. Finalidade 47
2. Responsabilidade 47
3. Condições de Execução 47
4. Situações Especiais 49
Capítulo VIII - Incorporação, Matrícula e Insubmissão
1. Incorporação de Conscritos 51
2. Incorporação de MFDV / OTT / EBST 51
3. Incorporação de Conscritos incluídos no Grande Excesso 52
4. Matrícula nos TG 52
5. Matrícula nos NPOR 52
6. Incorporado ou Matriculado possuidor do Título de Eleitor 52
7. Elaboração e Remessa de documentos 52
8. Insubmissão 53
Capítulo IX – Prescrições diversas
1. Publicidade 54
2. Transporte de Convocados e Licenciados 54
3. Concurso Vestibular - Matrícula Assegurada 55
4. Exigência de Atestado 55
5. Inscrição em Concurso para Cargo Civil ou para outra Força 55
6. Preferenciado 56
7. Tributação 56
8. Dispensa Forçada (SISTEMA SERMILMOB) 56
9. Transferência de Reservista entre as Forças Armadas 57
10. Transferência de Residência de Conscrito Julgado Apto 57
11. Liberação dos Conscritos 57
12. Auditoria no Sistema 57
13. Exercício de Apresentação da Reserva (EXAR) 57
ANEXOS
Anexo “A” – INFORMAÇÕES AO 7º CTA 58
Anexo “B” – CALENDÁRIO DE EVENTOS PARA 2010/2011 59
Anexo “C” – RELAÇÃO DE CONSCRITOS ALISTADOS EM ZR DE MTS/TG 61
Anexo “D” – TRIBUTAÇÃO DE MUNICÍPIOS 62
Anexo “E” – RELAÇÃO DE INSTITUTOS DE ENSINO, OFICIAIS OU RECONHECIDOS,
64
DESTINADOS À FORMAÇÃO DE MFDV, DISPENSADOS DE TRIBUTAÇÃO EM 2010
Anexo “F” – MAPA DE NECESSIDADES PARA CONVOCAÇÃO DE MFDV PARA A
65
PRESTAÇÃO DO EAS E NIVELAMENTO DO QUADRO DE SAÚDE EM 2010 E APÊNDICE.
Anexo “G” – MAPA DE SELEÇÃO ESPECIAL DE MÉDICOS 66
Anexo “H” – MAPA CONTROLE DE SELEÇÃO 67
Anexo “I” – MAPA CONTROLE DE SELEÇÃO (NPOR) 68
Anexo “J” – CERTIDÃO DE SITUAÇÃO MILITAR 69
Anexo “K” - QUADRO RESUMO DA ENTREGA DE CERTIFICADOS MILITARES 72
Anexo “L” – MAPA DE SELEÇÃO DE MFDV. 73
Anexo “M” – MAPA CONTROLE DO MATERIAL DO SERMIL DISTRIBUÍDO À 11ª RM, 7º CTA
74
E 7ª CSM.
Anexo “N” – TABELA DE VINCULAÇÃO DAS CS, DAS JSM E DAS OM E PREVISÃO DE
77
SELEÇÃO EM 2010
Anexo “O” – TABELA DE DISTRIBUIÇÃO POR CS 78
Anexo “P” – MAPA DE INCORPORAÇÃO DE MFDV 79
Anexo “Q” – CALENDÁRIO DE ATUALIZAÇÃO DO SERMILMOB 80
Anexo “R” – CONSTITUIÇÃO DAS COMISSÕES DE SELEÇÃO 81
Anexo “S” – QUADRO DEMONSTRATIVO DAS NECESSIDADES 86
Anexo “T” – RELAÇÃO DOS CÓDIGOS DE PROFISSÕES 87

4
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

Anexo “U” – RELATÓRIO DA COMISSÃO DE SELEÇÃO/DESIGNAÇÃO (MODELO) 88


Anexo “V” – IMPOSSIBILIDADE DE COMPARECIMENTO À SELEÇÃO GERAL 89
Anexo “W” – MODELO DE ADITAMENTO AO BOLETIM INTERNO DE INCORPORAÇÃO
90
/MATRÍCULA
Anexo “X” – TRANSPORTE DE CONVOCADOS E LICENCIADOS 93
Anexo “Y” – CRONOGRAMA DAS COMISSÕES DE SELEÇÃO PARA 2010 94
Anexo “Z” – MAPA CONTROLE DE EXIMIDOS 95
Anexo “AA” – REQUERIMENTO DE ANULAÇÃO DE EXIMIÇÃO 96
Anexo”AB” – REQUERIMENTO PARA PRESTAÇÃO DO SERVIÇO ALTERNATIVO 97
Anexo “AC” - REQUERIMENTO PARA REAQUISIÇÃO DOS DIREITOS POLÍTICOS 98
Anexo “AD” – TERMO DE REAQUISIÇÃO DOS DIREITOS POLÍTICOS 99
Anexo “AE” – TERMO DE CONHECIMENTO DA INCORPORAÇÃO 100

IMPORTANTE
As modificações que se fizerem necessárias, devido às alterações da legislação ou à necessidade do
serviço, serão feitas por meio da substituição de páginas a serem remetidas pela SSMR/11.

5
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ABREVIATURAS

Art Artigo
At Atirador
BAC Esp Boletim de Alteração do Cadastro Especial
BAC-C Boletim de Alteração do Cadastro - Comum
BCC Bateria de Classificação de Conscrito
BE Boletim do Exército
BI Boletim Interno
BIR Boletim Interno Reservado
Bol Boletim
Bol Incrp Boletim de Incorporação
Bol Mtcl Boletim de Matrícula
Bol Nec Boletim de Necessidades
Bol Reg Boletim Regional
CAM Certificado de Alistamento Militar
Cap Capítulo
CDI Certificado de Dispensa de Incorporação
CEP Centro de Estudos de Pessoal
CFR Curso de Formação de Reservista
Ch Chefe
CI Certificado de Isenção
CMB Colégio Militar de Brasília
Cmdo Comando
Cmt Comandante
COMAR Comando Aéreo Regional
COSEMI Comissão de Serviço Militar
CPEX Centro de Pagamento do Exército
CPM Código Penal Militar
CPPM Código de Processo Penal Militar
CRM Conselho Regional de Medicina
CS Comissão de Seleção
CSC Comissão de Seleção Complementar
CSE Comissão de Seleção Especial
CSF Comissão de Seleção Fixa
CSM Circunscrição de Serviço Militar
CSV Comissão de Seleção Volante
CTA Centro de Telemática de Área
Dec Decreto
Del SM Delegacia de Serviço Militar
DEP Departamento de Ensino e Pesquisa
DGS Departamento Geral de Serviço
Dir Diretor
DN Distrito Naval
DOU Diário Oficial da União
DSM Diretoria de Serviço Militar
EAS Estágio de Adaptação e Serviço
EBST Estágio Básico de Sargento Temporário
EE Estabelecimento de Ensino
EME Estado-Maior do Exército
EsIM Escola de Instrução Militar

6
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

EST Estágio de Serviço Técnico


F Aux Ficha Auxiliar
F Mob Ficha de Mobilização
FAB Força Aérea Brasileira
FAM Ficha de Alistamento Militar
FAMCO Ficha de Alistamento Militar para Computador
FAMSEL Ficha de Alistamento Militar e Seleção
FC Ficha de Cadastro
FISEMI Ficha de Serviço Militar
FS Ficha de Seleção
Fzo Naval Fuzileiro Naval
Gpt Grupamento
GR Guia de Remessa
Gu Guarnição
HFA Hospital das Forças Armadas
HGeB Hospital Geral de Brasília
IAP Inventário de Atividades Preferenciais
ICC Instruções Complementares de Convocação
IE Instituto de Ensino
IEMFDV Instituto Ensino Formação de Médicos e Farmacêuticos, Dentistas e Veterinários
IG Instruções Gerais
IGCFA Instruções Gerais para Coordenação da Conscrição nas Forças Armadas
IGISC/FA Instruções Gerais para Inspeção de Saúde de Conscritos nas Forças Armadas
IIB Instrução Individual Básica
IP Instruções Particulares
IR Instruções Reguladoras
JD Junta de Designação
JIS Junta de Inspeção de Saúde
JIS-CS Junta de Inspeção de Saúde da Comissão de Seleção
JISG Junta de Inspeção de Saúde da Guarnição
JSM Junta de Serviço Militar
LMFDV Lei dos Médicos, Farmacêuticos, Dentistas e Veterinários.
LPSA Lei de Prestação do Serviço Alternativo
LRM Lei de Remuneração dos Militares
LSM Lei de Serviço Militar
MB Marinha do Brasil
MD Ministério da Defesa
MDO Mensagem Direta Oficial
MFDV Médico, Farmacêutico, Dentista e Veterinário.
MNT Município Não Tributário
MT Município Tributário
MTS/OFR Município Tributário somente de Órgão de Formação da Reserva
MTS/TG Município Tributário somente de Tiro-de-Guerra
NGPA Normas Gerais de Padronização do Alistamento
nº, Nr Número
NPCS Normas de Procedimento das Comissões de Seleção
NPOR Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva
NQ/2C Não Qualificado de Segunda Categoria
Of Ofício
OFR Órgão de Formação da Reserva
OM Organização Militar

7
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

OMA Organização Militar da Ativa


OPD Órgão de Processamento de Dados
PA Posto de Apresentação
PAD Processamento Automático de Dados
Pág Página
PAT Posto de Aplicação de Testes
PCD Posto de Controle de Dispensado
PCS Posto de Controle de Seleção
PEF Posto de Exame Físico
PGI Plano Geral de Instrução
PIS Posto de Inspeção de Saúde
Port Portaria
Port Min Portaria Ministerial
PPE Programa Padrão de Ensino
PRC Plano Regional de Convocação
Pres Presidente
PS Problema Social
RA Registro de Alistamento
RCORE Regulamento do Corpo de Oficiais da Reserva
Rd Rádio
RLMFDV Regulamento da Lei dos Médicos, Farmacêuticos, Dentista Veterinários
RLPSA Regulamento da Lei de Prestação do Serviço Alternativo
RLSM Regulamento da Lei do Serviço Militar
RM Região Militar
Sect Secretário (a)
SERMIL Sistema Eletrônico de Recrutamento Militar
SERMOB Serviço Regional de Recrutamento e Mobilização
SlEx Serviço de Identificação do Exército
SMO Serviço Militar Obrigatório
SMV Serviço Militar Voluntário
SO Suboficial
SSMR Seção do Serviço Militar Regional
SSSR Seção do Serviço de Saúde Regional
SSTG Subseção de Tiro de Guerra
STM Superior Tribunal Militar
STT Serviço Técnico Temporário
Sv Altn Serviço Alternativo
TAF Teste de Aptidão Física
TG Tiro-de-Guerra
TSE Tribunal Superior Eleitoral
TSI Teste de Seleção Inicial
TSI-I Teste de Seleção Inicial-Inteligência
TSI-P Teste de Seleção Inicial-Personalidade
UFG Universidade Federal de Goiânia
UFU Universidade Federal de Uberlândia
UnB Universidade de Brasília
ZR Zona Rural
ZR/MTS/OFR Zona Rural de Município Tributário somente de Órgão de Formação da Reserva
ZR/MTS/TG Zona Rural de Município Tributário somente de Tiro-de-Guerra

8
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

PRINCIPAIS TELEFONES DA SSMR/11


As dúvidas e sugestões poderão ser encaminhadas à SSMR/11, utilizando-se os seguintes telefones:
- Chefia da SSMR/11 - 3317-3531 e 3317-3166
- Subseção de Recrutamento - 3317-3177 (Ch) e 3317-3179 (Aux)
- Subseção de Oficiais Temporários - 3317-3166 (Ch) e 3317-3178 (Aux)
- Subseção de Planejamento e Orçamento - 3317-3424 (Ch)
- Subseção de Tiros-de-Guerra - 3317-3439 (Ch)
- Comando do 7º Distrito Naval/Subseção de Mobilização: 3429-1189
- VI COMAR (SERMOB/6): 3364-8216 ou 3364-8218

9
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

PREÂMBULO

A manutenção do serviço militar obrigatório foi definida como pilar na identificação das Forças
Armadas com a Nação, uma das cinco metas da Estratégia Nacional de Defesa.

Da análise das características e peculiaridades do Sistema de Serviço Militar Brasileiro


podem-se inferir as seguintes vantagens:

 é altamente democrático, pois é dever e direito de todo cidadão brasileiro, sem qualquer
distinção;
 referenda o caráter nacional do Exército, incorporando brasileiros originários de todo o País
e pertencentes a quase todas as camadas e segmentos da população e trazendo para a Força a imagem
do “POVO EM ARMAS”;
 o afluxo anual de um contingente de 70 a 100 mil jovens exige permanente preparação e
atualização dos quadros das Forças encarregadas de sua formação e qualificação, tanto militar, quanto
profissional, permitindo prover a Nação brasileira com igual efetivo de cidadãos de sólidas convicções
éticas e conscientes de seu papel na sociedade;
 a renovação dos contingentes contribui, decisivamente, para aumentar a identificação da
Força Terrestre com a Nação e previne a segregação do estamento militar;
 a amplitude do universo que acorre ao Sistema propicia uma seleção acurada e, em
decorrência, excelência nos recursos humanos, tanto no efetivo variável, quanto na reserva
mobilizável;
 a racionalidade na seleção dos municípios tributários, privilegiando os localizados no
entorno das OM e preservando os mais afastados e situados em área de vocação agropecuária,
contribui para evitar o êxodo rural;
 o Serviço Militar representa, para muitos jovens oriundos das camadas mais pobres da
população, uma oportunidade para capacitarem-se profissionalmente ou melhorarem seu nível
educacional, dando-lhes melhores condições de inserção no mercado de trabalho;
 as melhorias introduzidas no Sistema conduzirão ao expressivo percentual de voluntários
incorporados, amenizando o caráter impositivo do Serviço Militar;
 o tempo de caserna complementa a formação do jovem, consolidando e incrementando
valores morais, respeito às leis e noções de civismo e cidadania;
 os recrutas e seus familiares atuam como agentes de Comunicação Social, difundindo a
verdadeira imagem do Exército e contribuindo para a elevada credibilidade que desfruta a Instituição;
 contribui para o aumento da compreensão da sociedade brasileira quanto às suas
responsabilidades na Defesa Nacional; e
 é a alternativa de menor custo econômico, uma vez que o recruta percebe menores
vencimentos, não é movimentado, não pode possuir dependente e não gera encargos previdenciários.

10
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

INTRODUÇÃO

No ano de 2001, na Baixada Santista, constituiu-se a primeira Comissão de Seleção das


Forças Armadas do Brasil, tendo sido a 2ª Região Militar escolhida, pelo Ministério da Defesa, para a
realização desse Projeto Piloto. O êxito obtido por esta experiência pioneira permitiu a adoção da
Unificação do Alistamento e da Seleção da Marinha, do Exército e da Força Aérea, no Estado de São
Paulo, em 2002, e em todo o Brasil, a partir de 2003.
Às Forças Armadas, como Instituição Nacional permanente e regular, cabem participar na
garantia da Soberania Nacional. Para tanto, é indispensável que sejam selecionados e incorporados os
melhores jovens de cada classe, pois eles constituirão a reserva mobilizável de nossas Forças.
É importante salientar que o Sistema de Recrutamento para o Serviço Militar visa a atender,
da melhor forma, às necessidades apresentadas pelas Organizações Militares.
Com base na análise dos dados colhidos durante a Seleção Geral das últimas incorporações e
objetivando o aprimoramento das seleções e incorporações futuras, enfatizo aos Comandantes a
necessidade de especial atenção para os seguintes aspectos:

- escolha criteriosa dos militares que irão constituir as Comissões de Seleção, considerando
que a melhor Incorporação dos jovens recrutas será conseqüência do trabalho desenvolvido por essas
Comissões. Os atributos de inteligência, seriedade, organização, equilíbrio, experiência, tato e bom
senso são essenciais para o desempenho da missão;
- conhecimento e observância das instruções reguladoras sobre o funcionamento das
Comissões de Seleção e da legislação básica sobre o Serviço Militar (LSM, RLSM, ICC, PRC, NP/CS
e outros) pelos integrantes da Comissão de Seleção;
- eliminação da interferência de pessoas estranhas aos trabalhos da CS;
- cumprimento dos prazos constantes do PRC/11ª RM, principalmente quanto à indicação de
militares para a CS e quanto à remessa de documentos;
- correta elaboração dos Boletins de Necessidade;
- aproveitamento dos conscritos designados, observando-se os padrões funcionais dos
indivíduos; e
- compreensão de que a majoração recebida pela OM pode não ter a mesma qualidade dos
designados como necessidade, devendo-se evitar ao máximo sua utilização.

Cumpre, ainda, ressaltar que é responsabilidade dos Cmt/Ch/Dir, em todos os níveis, fiscalizar
a execução de cada uma das fases do Sistema e atuar com energia e oportunidade para a adoção das
medidas corretivas que se fizerem necessárias.
A principal finalidade do presente Plano é orientar os Órgãos integrantes do Sistema de Serviço
Militar, subordinados ou vinculados à 11ª Região Militar, na convocação da Classe de 1992, visando
ao ingresso nas Organizações Militares daqueles conscritos que melhor se ajustem às necessidades da
Instituição.
Os assuntos apresentados complementam a legislação básica com as particularidades regionais
e consolidam a experiência de tantos quantos estão ou estiveram ligados às atividades relacionadas
com o Serviço Militar, constituindo-se em fonte de consulta indispensável para planejamento,
execução e fiscalização do recrutamento nas suas diversas fases.
A consecução dos objetivos propostos neste documento, entretanto, somente atingirá as metas
desejadas com a participação de recursos humanos experientes, de cuja dedicação ao estudo, atenção
aos detalhes, disposição para lidar com pessoal e serenidade para resolver situações inusitadas,
depende a eficiência do Sistema.
No ensejo de dar continuidade ao aperfeiçoamento desta publicação, o Comando da 11ª Região
Militar solicita a valiosa e imprescindível colaboração, sob a forma de sugestões, dos profissionais que
vierem a participar dos diversos eventos relacionados com o processo de recrutamento da classe
convocada no corrente ano.

11
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

CAPÍTULO I
FINALIDADE, VIGÊNCIA E REFERÊNCIAS LEGAIS

1. FINALIDADE
Regular as condições de recrutamento dos brasileiros da classe de 1992, para o Serviço Militar
Inicial nas Forças Armadas no ano de 2011, no território sob a jurisdição da 11ª Região Militar.

2. VIGÊNCIA
Este Plano Regional de Convocação entra em vigor, na data de sua publicação, cessando a sua
vigência tão logo surta o efeito a que se propõe.

3. REFERÊNCIAS LEGAIS
a. Constituição da República Federativa do Brasil, de 5 de outubro de 1988.

b. Leis
1) Lei nº 4.375, de 17 AGO 1964 - Lei do Serviço Militar - LSM, com as modificações da Lei
nº 4.754, de 18 AGO 1965, e dos Decretos-Lei nº 549, de 24 ABR 1969, nº 715, de 30 JUL 1969, nº
899, de 29 SET 1969, e nº 1.786, de 20 MAIO 1980.
2) Lei nº 3.282, de 10 OUT 1957 - Concede amparo do Estado aos conscritos - recrutas -
acidentados, ou invalidados no interior dos estabelecimentos militares ou durante o deslocamento a
que estejam sujeitos por força de convocação para a prestação do serviço militar (BE nº 41/57).
3) Lei nº 5.292, de 8 JUN 1967 - Lei de Prestação do Serviço Militar pelos estudantes de
Medicina, Farmácia, Odontologia e Veterinária e pelos Médicos, Farmacêuticos, Dentistas e
Veterinários - LMFDV, com as modificações das Leis nº 5.399, de 20 MAR 1968, e nº 7.264, de 04
DEZ 1984, e do Decreto-Lei nº 2.059, de 1º SET 1983.
4) Lei nº 8.239, de 4 OUT 1991 - Lei de Prestação do Serviço Alternativo - LPSA.
5) Lei nº 9.504, de 30 SET 1997 - Estabelece normas para as eleições (DOU nº 189, de 1º OUT
1997 - Seção I - Pág 21.801).
6) Lei nº 11.631, de 27 DEZ 07 - Lei de Mobilização Nacional.

c. Decretos-Lei e Decretos
1) Dec nº 57.654, de 20 JAN 1966 - Regulamento da Lei do Serviço Militar - RLSM,
modificado pelos Dec nº 58.759, de 28 JUN 1966, nº 76.324, de 22 SET 1975, nº 93.670, de 09 SET
1986, nº 627, de 07 AGO 1992 (Multa-UFIR), e nº 1.294, de 26 OUT 1994.
2) Dec nº 60.822, de 7 JUN 1967 - Instruções Gerais para Inspeção de Saúde dos Conscritos
nas Forças Armadas - IGISC/FA, modificado pelos Dec nº 63.078, de 05 AGO 1968, e nº 703, de 22
DEZ 1992.
3) Dec nº 63.704, de 29 NOV 1968 - Regulamento da Lei de Prestação do Serviço Militar
pelos estudantes de Medicina, Farmácia, Odontologia e Veterinária e pelos Médicos,
Farmacêuticos, Dentistas e Veterinários - RLMFDV, modificado pelos Dec nº 91.206, de 29 ABR
1985, nº 1.295, de 26 OUT 1994, e nº 2.057, de 04 NOV 1996.
4) Dec nº 66.949, de 23 JUL 1970 - Aprova as Instruções Gerais para a Coordenação da
Conscrição nas Forças Armadas - IGCCFA (BE nº 36/70).
5) Dec nº 74.475, de 29 AGO 1974 - Extingue o Quadro de Veterinária (DOU nº 167, de 30
AGO 1974 - Seção I - Pág nº 9.949).
6) Dec nº 1.294 e nº 1.295, de 26 OUT 1994 - Serviço Militar para mulheres.
7) Dec nº 6.223, de 4 OUT 07 - Estrutura Regimental do Ministério da Defesa.

d. Normativos do Ministério da Defesa


1) Port nº 01628/COSEMI, de 7 JUN 1983 - Baixa as Instruções Gerais para o Serviço
Militar de Brasileiros no Exterior – IGSME.
2) Port nº 02712-EMFA - 43, de 21 AGO 87 - Aprova a Diretriz para a Doação de Sangue
nas Forças Armadas (DOU nº 163 - Seção I, Pag nº 13.758, de 27 AGO 87).

12
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

3) Port nº 422-SC-5-EMFA, de 21 FEV 1990 - Amparo do Estado aos Conscritos (DOU nº


38, de 22 FEV 1990).
4) Port nº 2.681-COSEMI, de 28 JUL 1992 - Aprova o Regulamento da Lei de Prestação do
Serviço Alternativo - RLPSA, com as modificações da Port nº 03.656/COSEMI, de 21 OUT 1994
(BE nº 33/ 92).
5) Portaria Normativa nº 147/MD, de 16 FEV 04 - Regulamenta o estabelecimento de
Convênios para a prestação do Serviço Alternativo ao Serviço Militar, concede dispensa do Serviço
Alternativo ao Serviço Militar aos atuais eximidos e dá outras providências.
6) Resolução CNRM nº 01, de 11 JAN 05 - Adiamento de Residência Médica.
7) Portaria Normativa nº 1600/MD, de 10 DEZ 08 - Aprova o Plano Geral de Convocação
2010; e

e. Atos Normativos no âmbito do Exército


1) Comando do Exército
a) Port Min nº 944, de 08 MAIO 1978 - Procedimentos a serem adotados por ocasião da
apresentação a Junta do Serviço Militar, do refratário, cidadão brasileiro, cujo Certificado de
Alistamento Militar tenha terminado o prazo de validade.
b) Port Min nº 1.875, de 23 AGO 1978 - Instruções Gerais para o Funcionamento dos
Comandos de Região Militar em Tempo de Paz - IG 10-18.
c) Port Min nº 322, de 02 JUN 1995 - Adota, para o EB, o Serviço Militar Feminino,
voluntário, por Médicas, Farmacêuticas, Dentistas e Veterinárias, e dá outras providências, BE nº
23/95.
d) Port Min nº 570, de 05 AGO 1997 - Aprova as Instruções Complementares para
Funcionamento das Escolas de Instrução Militar – EsIM.
e) Port Min nº 1.094, de 30 DEZ 1997 - Aprova a Redução do Serviço Inicial para os
Médicos.
f) Port Min nº 153, de 25 MAR 1998 - Regula para o Exército, o Serviço Militar
Temporário em Tempo de Paz.
g) Port Min nº 388, de 10 JUL 1998 - Aprova a Diretriz Complementar para o Serviço
Militar Temporário em Tempo de Paz, alterada pela Port nº 448-Cmt Ex, de 28 AGO 02.
h) Port nº 260 – Cmt Ex, de 26 MAIO 2000 - Dispõe Atribuições e Procedimentos relativos
ao Sistema de Incorporação e Licenciamento, e dá outras providências.
i) Port nº 619 – Cmt Ex, de 28 NOV 01 - Aprova o Regulamento do Centro de
Preparação de Oficiais da Reserva – R 166.
j) Port nº 001 – Cmt Ex, de 02 JAN 02 - Aprova o Regulamento para os Tiro-Guerra e
Escolas de Instrução Militar - R/138.
k) Port nº 462 - Cmt Ex, de 21 AGO 03 - Aprova as Instruções Gerais para a
Convocação, os Estágios, as Prorrogações de Tempo de Serviço, as Promoções e o Licenciamento
dos Integrantes da Reserva de 2ª Classe – IG 10-68.
l) Port nº 727 – Cmt Ex, de 08 OUT 07 - Delega competência para expedição de atos e
dá outras providências.
m) Port nº 001-DGP, de 4 JAN 10 - Aprova as Instruções Complementares de
Convocação para o Serviço Militar Inicial no Exército em 2011 (ICC 2011).

2) Estado-Maior do Exército
a) Port nº 66 - EME-Res, 08 SET 1977 - Aprova as Instruções para Seleção dos
Integrantes da Seção de Atletas da Escola de Educação Física do Exército.
b) Port nº 70 - EME, de 24 OUT 1977 - Aprova as Instruções para o Recrutamento de
Conscritos Destinados à Tropa Pára-quedista.

13
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

3) Órgãos Setoriais do Exército


a) Port nº 18 - DGP, de 24 MAR 1986 - Aprova as Instruções Reguladoras do
Funcionamento dos Órgãos de Execução do Serviço Militar em Tempo de Paz – IR 30-12,
alterada pela Port nº 066 - DGP, de 30 SET 1996 e Port nº 049 - DGP, de 10 DEZ 1998.
b) Port nº 024 - DGP, de 09 JUL 1996 - Aprova as Normas para a Regulamentação do
Serviço Militar Feminino, voluntário, a ser prestado por Médicas, Farmacêuticas, Dentistas e
Veterinárias.
d) Port nº 055 - DGP, de 23 AGO 2000 - Aprova a Sistemática para Mudança de
Grupamento de Incorporação de OM.
e) Port nº 251 - DGP, de 11 NOV 09 - Aprova as Normas Técnicas para a Inscrição,
Seleção, Convocação, Incorporação, Cadastramento, Controle, Distribuição e Prestação do
Serviço Militar Temporário para Oficiais e Sargentos – NT 13-DSM.
f) Port nº 295 – DGP, de 14 DEZ 09 - Aprova as Normas para funcionamento dos
Órgãos de Serviço Militar em Tempo de Paz – NT 14-OSM.
g) Port nº 296 – DGP, de 14 DEZ 09 - Aprova as Normas para funcionamento das
Juntas de Serviço Militar em Tempo de Paz – NT 11-JSM.
h) Port nº 082 - DEP, de 28 AGO 07 - Aprova as Instruções Reguladoras da Seleção
Complementar para os Centros e Núcleos de Preparação de Oficiais da Reserva – IRSC-
CPOR/NPOR (IR 60-19).
i) Port nº 18 – DGP, de 2 FEV 09 - Aprova as Instruções Complementares do Sistema
Eletrônico de Recrutamento Militar e Mobilização (SERMILMOB).

14
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

CAPÍTULO II
ALISTAMENTO

1. IMAGEM DAS FORÇAS ARMADAS


Para milhares de jovens, o contato com as Forças Armadas restringe-se à oportunidade
proporcionada no alistamento e na seleção. No intuito de transmitir a esses convocados a verdadeira
noção do que representam as Forças Singulares, o Cmdo 7º DN, o Cmdo 11ª RM e o VI COMAR
enfatizam a importância do tratamento cordial, correto e profissional, a ser-lhes dispensado por todos
os integrantes do Sistema de Serviço Militar, para que os mesmos guardem consigo uma boa imagem
das Instituições.

2. ALISTAMENTO UNIFICADO NAS FORÇAS ARMADAS


As Juntas de Serviço Militar (JSM) dos municípios realizarão o alistamento de todos os cidadãos,
independentemente da Força em que cada um deseje servir.

3. PRAZOS E VINCULAÇÃO À SELEÇÃO GERAL


a. Classe convocada e anteriores

Quadro cronológico do alistamento em 2010 e situação militar dos cidadãos


em débito com o Serviço Militar
Prazo para a classe de 1992
Período Situação Destino
Encaminhar à seleção de
04 jan a 30 abr 10
Dentro do prazo 2010
03 maio a 30 jun 10
Encaminhar à seleção de
Fora do prazo: Multa prevista nº 1), do Art 176, 2011
1º jul a 31 dez 10
do RLSM
Prazo para as classes anteriores (NÃO ALISTADOS)
Período Situação Destino
Encaminhar à seleção de
04 jan a 30 abr 10
Fora do prazo: Multa prevista nº 1), do Art 176,2010
do RLSM Encaminhar à seleção de
03 maio a 31 dez 10
2011
Situação Militar dos cidadãos de classes anteriores, alistados e em débito com o Serviço Militar
Período Situação Destino
REFRATÁRIO: Vincular à Classe de 92 e
04 jan a 30 abr 10 1)Multa prevista no nº 2), do Art 176, do RLSM. encaminhar à Seleção de
(Faltar à Seleção pela 1ª vez); 2010.
2)Multa prevista no nº 2), do Art 178, do RLSM.
(Faltar à Seleção pela 2ª vez); Vincular à Classe de 93 e
03 maio a 30 jun 10 3) Multa prevista no nº 2), do Art 178, do RLSM. encaminhar à Seleção de
(Cada uma das demais faltas à Seleção) 2011.
Obs.: As multas são cumulativas.

b. Classe posterior
Em virtude de contradições existentes entre a legislação do Serviço Militar e o Estatuto da
Criança e do Adolescente, as JSM somente deverão encaminhar os voluntários à Seleção Geral com a
classe a qual pertencem, a fim de evitar uma possível incorporação desses cidadãos menor de idade.

15
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

4. FLUXO CAM/FAM/FAM PARA JSM NÃO INFORMATIZADA


- O fluxo de CAM/FAM/FAM para JSM não informatizada, para o processamento de dados, deve
ter tramitação urgente, a fim de não atrasar o carregamento de dados no sistema e cumprir o calendário
de eventos da DSM.

5. CASOS PARTICULARES DE ALISTAMENTO


a. Conscrito residente em município não-tributário (MNT)
1) O residente em MNT há mais de um ano, pertencente à classe de 1992 ou de outras classes,
independentemente de manifestar, ou não, o desejo de prestar o Serviço Militar Inicial, será dispensado
da incorporação. Aquele que não comprovar sua residência há mais de um ano no município deverá ser
encaminhado para Junta de Serviço Militar tributária mais próxima.
2) O conscrito enquadrado no nº 1), do Art 105, do RLSM que, depois de alistado, mudar sua
residência para MT e desejar servir, poderá ser alistado novamente no município tributário com o
conjunto CAM/FAM/FAM para JSM não informatizada, devendo a 7ª CSM ser informada a respeito,
para que possa providenciar a anulação da Ficha de Alistamento Militar (FAM) anterior.
3) O conscrito alistado em MT que transferir residência para município não tributário MNT, em
prazo inferior a um ano, referido ao início da Seleção Geral, e o convocado desligado pela segunda vez
de Tiro-de-Guerra (TG) deverão ser encaminhados à Seleção na CS de OMA mais próxima de seu
município de residência, devendo, nesse caso, ser atualizado pela 7ª CSM, no SERMILMOB, os dados
do cidadão.

b. Oriundo de comunidade indígena


O índio somente poderá alistar-se quando estiver de posse de seu Registro de Emancipação e/ou
a Certidão de Nascimento, expedidos por Cartório de Registro Civil de Pessoas Naturais. O
Alistamento deverá realizar-se dentro do prazo de 30 (trinta) dias, a contar da data do recebimento do
Registro de Emancipação. Se o Alistamento ocorrer entre 1º JAN e 30 ABR, concorrerão à seleção no
mesmo ano.

c. Alistamento de conscritos residentes em ZR de MT de TG


1) Será alistado com o conjunto CAM/FAM tradicional, devendo as Juntas de Serviço Militar
(JSM) averiguar a veracidade da declaração do conscrito.
2) Deverão comparecer à Seleção (Art 48, do RLSM) para comprovação de sua residência.
3) As JSM deverão elaborar uma relação desses Conscritos, alistados conforme o nº 1), do
presente item, e entregarem à Comissão de Seleção (CS), por ocasião do início dos trabalhos.

d. Situação de refratário
1) Será considerado “REFRATÁRIO” o conscrito julgado apto e distribuído para
OMA/OFOR/TG que não comparecer à Comissão de Designação para tomar conhecimento da
distribuição, ou que, tendo-o feito, não compareça ou não tenha concluído a Seleção Complementar.
Nesse caso, deverá ser cumprido o previsto na Port. Min nº 944, de 08 maio 1978, publicada no BE nº
23, de 09 jun 1978.
2) O brasileiro será considerado refratário por tantas vezes quantas forem as suas faltas anuais e
sucessivas seleções se residir em município tributário e a partir do recebimento do CAM (§ único, do
Art 178 e nº 1), do § 1º, do Art 112, do RLSM).
3) O refratário, depois de alistado e vinculado a uma outra classe pela primeira vez, será
considerado “EM DIA COM O SERVIÇO MILITAR” até a seleção da classe em que estiver vinculado.
4) O refratário, depois de alistado e vinculado a uma outra classe, que faltar à seleção da classe a
que estiver vinculado, não poderá fazer prova de que está “EM DIA COM O SERVIÇO MILITAR” até
que tenha definido sua situação militar, mesmo que tenha efetuado o pagamento da multa prevista no
RLSM, correspondente àquela situação (Port Min nº 944, de 08 maio 1978 - BE nº 23, de 09 Jun 1978
e Art 49, das IR 30-12).

16
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

5) Será considerado “REFRATÁRIO”, o conscrito oriundo de comunidade indígena possuidor


do registro de emancipação que não comparecer à Seleção da sua classe ou daquela a que for
vinculado ou que, tendo-o feito, ausentar-se sem a ter completado.

e. Serviço Alternativo
Quando o convocado se recusar a prestar o Serviço Militar Inicial, optando pelo Serviço
Alternativo, o Secretário da JSM deverá alistar o cidadão normalmente. Nessa ocasião, o conscrito
que, em tempo de paz, alegar imperativo de consciência decorrente de crença religiosa ou de
convicção filosófica ou política, para se eximir de atividades essencialmente de caráter militar, deverá:
1) em Município Tributário (MT)
a) Caso exista convênio firmado entre Ministérios, encaminhar o cidadão à Seleção Geral
da Classe, já que, somente após ter sido considerado apto naquela seleção, poderá ser designado para o
Serviço Alternativo, conforme previsto na legislação em vigor.
b) Fornecer o Certificado de Dispensa do Serviço Alternativo ao Serviço Militar
Obrigatório para os que não forem considerados aptos nessa seleção, classificados nos Grupos “B1” e
“B2” e para os não aproveitados no Serviço Alternativo.
c) Fornecer o Certificado de Isenção para os classificados no Grupo “C” e “H”.
d) Caso não existam convênios firmados entre Ministérios, expedir o Certificado de
Dispensa do Serviço Militar Alternativo ao cidadão que optar por essa modalidade de prestação de
Serviço Militar.

2) Em Município Não-Tributário (MNT)


a) Fornecer o Certificado de Dispensa do Serviço Alternativo ao Serviço Militar
Obrigatório aos alistados, por serem eles dispensados da prestação do Serviço Militar Inicial e do
Serviço Alternativo ao Serviço Militar Obrigatório, desde que comprovem lá residir a mais de um ano.
b) Para o que não efetue esta comprovação e opte pelo Serviço Alternativo, dar o mesmo
tratamento previsto para os residentes em MT.

f. Eximidos do serviço militar


1) Conforme orientação publicada no Of nº 442-DGP/DSM-CIRCULAR, de 20 de agosto de
2008, aquele ODS não mais encaminhará ao Ministério da Justiça solicitações para a publicação da
reaquisição de direitos políticos de cidadãos que solicitarem a anulação de eximição. Aquele que
desejar a reaquisição dos direitos políticos deverá observar o disposto no Art 72, da NT 11-JSM.

2) Prescrições diversas
- O Cmt RM poderá determinar a instauração de sindicância ou solicitar documentos
comprobatórios, conforme prevê o § 7º, do Art 15, do Regulamento da Lei de Prestação do Serviço
Alternativo ao Serviço Militar Obrigatório (RLPSA).
- Para o cidadão que se eximir do Serviço Militar e recusar-se à prestação do Serviço
Alternativo, a JSM deverá cumprir o prescrito no Art 73, da NT 11-JSM.

6. PROCEDIMENTOS A SEREM ADOTADOS COM OS CIDADÃOS EM DÉBITO COM O


SERVIÇO MILITAR DA MB E DA FAB, NA SITUAÇÃO DE REFRATÁRIOS, ALISTADOS
ANTES DA UNIFICAÇÃO (FINAL DE 2002)

a. Pelas Delegacias de Serviço Militar (Del SM) e Juntas de Serviço Militar (JSM)
1) Conferir a situação militar do cidadão no CAM.
2) Orientar o cidadão quanto ao pagamento das multas.
3) Realizar novo alistamento com a data de expedição do CAM original.
4) Remeter o CAM original para a 7ª CSM.

b. Pela 7ª CSM:
- Remeter o CAM original à Seção de Serviço Militar Regional/11 (SSMR/11).

17
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

c. Pela SSMR/11
1) Encaminhar o CAM original à Força correspondente, solicitando a anulação do documento.
2) Vincular o cidadão à classe convocada.

7. PROCEDIMENTOS A SEREM ADOTADOS COM OS CIDADÃOS EM DÉBITO COM O


SERVIÇO MILITAR DA MB E DA FAB, ALISTADOS ANTES DA UNIFICAÇÃO,
DISPENSADOS DE INCORPORAÇÃO E QUE FIZERAM JUS AO (CDI)

a. Pelas Delegacias de Serviço Militar (Del SM) e Juntas de Serviço Militar (JSM)
1) Solicitar a 7ª CSM que confirme essa situação militar junto a SSMR/11.
2) Expedir o CDI ao interessado, após o recebimento da cópia da FAM.

b. Pela 7ª CSM
1)Encaminhar a solicitação da confirmação da situação militar à SSMR/11.
2) Receber da SSMR/11 a cópia da FAM do cidadão e remetê-la à Del SM/JSM correspondente.

c. pela SSMR/11
1)Confirmar a situação militar do cidadão.
2) Solicitar cópia da FAM à Força Armada de origem e remetê-la à 7ª CSM.

8. DUPLICIDADE DE ALISTAMENTO
- Caberá, ao realizar o alistamento:
a. às Delegacias Serviço Militar e Juntas de Serviço Militar
1) Exigir comprovante de residência, caso o cidadão seja natural de outro município.
2) Consultar o SERMILMOB ou qualquer outro banco de dados ou arquivos, para verificar se o
alistando é de classe anterior.
3) Enviar a 3ª via da FAM ou sua cópia para CSM de origem, nos casos de transferência de
residência e alistamento de cidadão nascido em outro município.

b à CSM
1) Orientar os Secretários das JSM da necessidade de consultar o SERMILMOB ou qualquer
outro banco de dados ou arquivos, antes de realizar o alistamento de classes anteriores, evitando-se
alistar insubmissos e refratários.
2) Orientar os Delegados e Secretários de JSM informatizadas para que cumpram os
procedimentos prescritos nas IP-01, edição 2003, referentes ao arquivo eletrônico dos dados de seus
alistados.
3) Obedecer ao que prescrevem os parágrafos 3º, 4º e 5º, do Art 29, do RLSM para melhor
Seleção de Secretários de JSM.
4) Cumprir e fazer cumprir, pelas Del SM e JSM, o prescrito no anexo I, das IP-01 (JSM), edição
2003, referente ao carimbo do RA no verso da Certidão de Nascimento do Cidadão.
5) Manter o primeiro RA do cidadão, cancelando os demais porventura existentes.
6) Informar à CSM responsável pelo 1º Alistamento o ocorrido, após a anulação dos demais.
7) Solicitar à DSM a exclusão, no SERMIL, dos alistamentos posteriores.

9. MAIORES DE 30 (TRINTA) ANOS


a. O cidadão maior de 30 (trinta) anos que declarar nunca ter se alistado pagará a multa e a taxa
previstas no nº 1), do Art 176 e Art 224, do RLSM.
b. Para o cidadão maior de 30 (trinta) anos que solicitar segunda via de Certificado de Dispensa de
Incorporação, deverão ser tomadas as seguintes providências:
1) fornecer o documento de acordo com a situação militar da data da expedição da 1ª via de seu
certificado, caso este comprove o motivo da sua dispensa;
2) solicitar os dados disponíveis ao Órgão de Serviço Militar de vinculação, caso haja dúvidas ou
informações insuficientes que comprove a sua situação militar, à época de seu alistamento;

18
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

3) fornecer o CDI com a expressão “por ter mais de 30 (trinta) anos de idade”, mediante a
apresentação de documento de identidade, para aqueles que não tiverem a situação militar
comprovada; e
4) caso não possuam documento de identidade, orientá-lo sobre a maneira de obtê-lo e, só após
isto, fornecer-lhe o documento militar.
c. Para os casos de emissão de 2ª via de CDI, independentemente de residir em MT ou MNT, o
cidadão efetuará o pagamento da multa prevista no nº 1), do Art 177, do RLSM como indenização pelo
Certificado extraviado e o pagamento da taxa que trata o Art 224, do RLSM.
d. Com a finalidade de cumprir decisão judicial, as Fichas de Alistamento Militar dos cidadãos
maiores de 30 (trinta) anos NÃO PODERÃO SER INCINERADAS, conforme prevê a Port nº 049-
DGP, de 10 DEZ 98, as quais deverão permanecer no arquivo da JSM.
e. Para fins de regularização de situação militar, o cidadão é dispensado da prestação do serviço
militar a partir do dia 1º de maio do ano em que completar 28 (vinte e oito) anos, visto que, nesta
condição, o mesmo completará o processo de recrutamento com idade aproximada de 30 anos.

10. REFRATÁRIO, INSUBMISSO, DESERTOR OU DESISTENTE DA SITUAÇÃO DE


EXIMIDO
- Se incorporado, deverá servir doze meses, mesmo que a classe com a qual incorporou venha a
servir por tempo inferior, conforme a letra c), do nº 4.10.1, das Instruções Gerais para a Coordenação
da Conscrição nas Forças Armadas (Dec nº 66.949, de 23 JUL 1970).

11. BRASILEIROS RESIDENTES NO EXTERIOR (BRE)


a. O brasileiro residente no exterior, com mais de 30 anos de idade, poderá requerer o CDI ou CI na
Repartição Consular a que estiver vinculado, conforme o subitem 4.2.2., do nº 4., das Instruções Gerais
para a Coordenação da Conscrição nas Forças Armadas (Dec nº 66.949, de 23 JUL 1970);
b. As JSM adotarão o seguinte procedimento para os BRE que retornarem ao Brasil, em qualquer
época e por qualquer motivo:
1) realizar novo alistamento, para aquele que não possua RA, mantendo-se a data do alistamento
no exterior para os alistados com CAM/FAM TRADICIONAL, para fins de cadastramento no
SERMILMOB;
2) fornecer os Certificados a que fizerem jus, ou Atestado de Desobrigação, conforme o caso,
após o pagamento da taxa e multas correspondentes; e
3) remeter uma via da FAM à CSM de vinculação do Município do cidadão.
c. Para concessão de documentação por procuração, deve ser adotado o seguinte procedimento:
1) o BRE procura o consulado e solicita uma procuração;
2) encaminha a procuração ao procurador eleito;
3) o bastante procurador solicita ao OSM mais próximo de sua residência o documento do BRE;
e
4) o OSM encaminha o Certificado Militar, via canal administrativo (DSM-Ministério das
Relações Exteriores), para fins de aposição do Selo Nacional, fotografia, assinatura e impressão digital
do BRE.
d. Para o fornecimento da 2ª via de documento de situação militar para BRE, deverá ser observado
o canal Consulado – MRE – DSM – OSM – DSM – MRE – Consulado.

12. PRAZOS DE VALIDADE DO CERTIFICADO DE ALISTAMENTO MILITAR

ALISTAMENTO VALIDADE DO CAM


02 de janeiro a 30 de abril 2010 31 DEZ 10
02 de maio a 31 de dezembro 2010 31 DEZ 11
REFRATÁRIO MANDADO À SELEÇÃO DE 2010. REVALIDAR ATÉ 31 DEZ 10
REFRATÁRIO MANDADO À SELEÇÃO DE 2011. REVALIDAR ATÉ 31 DEZ 10

19
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

13. RECOMENDAÇÕES
a. A 7ª CSM, como Órgão de Execução do Serviço Militar, deverá:
1) providenciar para que os CAM dos alistados citados no nº 5. acima recebam a anotação
correspondente à recusa e sejam revalidados por 2 (dois) anos;
2) envidar esforços no sentido de evitar que os indivíduos notoriamente incapazes (Art 59, do
RLSM), os maiores de 30 (trinta) anos (nº “3)”, do § 2º, do Art 93, do RLSM) e os arrimos de família
(§ 8º, do Art 105, do RLSM) compareçam à Seleção;
3) determinar às JSM, que os notoriamente incapazes e os maiores de 30 (trinta) anos, sejam
alistados com o conjunto CAM/FAM tradicional;
4) definir a situação militar dos cidadãos citados na letra “b.” acima;
5) providenciar junto aos Secretários de JSM para que os convocados se apresentem na CS,
portando comprovante de escolaridade;
6) providenciar junto aos Secretários de JSM a inclusão, no Livro Registro, por eles aberto e
rubricado em todas as folhas, dos notoriamente incapazes e os maiores de 30(trinta) anos, para fins de
controle administrativo e validação do Certificado de Isenção (CI) ou do CDI;
7) orientar os Secretários de JSM para encaminharem os alistados para a Seleção Geral de forma
escalonada, a fim de não exceder às reais possibilidades de atendimento diário das CS;
8) integrar os Delegados de Serviço Militar (Del SM) às CS que forem ser realizadas nas áreas
de jurisdição de suas delegacias, de acordo com o nº 30, do Art 32, das IR 30-12;
9) as Juntas de Serviço Militar (JSM) informatizadas de municípios tributários devem dar
atenção especial ao preenchimento do campo “DESEJA SERVIR”, no Certificado de Alistamento
Militar (CAM), pois o cidadão que manifestar, no ato do alistamento, ser voluntário à prestação do
serviço militar inicial será excluído do processo de pré-dispensa da Seleção Geral do banco de dados
do Sistema Eletrônico de Recrutamento Militar e Mobilização (SERMILMOB); e
10) as JSM deverão remeter às Comissões de Seleção (CS) uma relação de conscritos de Tiro-de-
Guerra residentes em Zona Rural (ZR) de Município Tributário, de acordo com o Anexo “C” deste
PRC.

20
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

CAPÍTULO III
SELEÇÃO GERAL

1. UNIVERSO CONVOCADO
a. Residentes em MT, menores de 30 (trinta) anos, alistados até 30 ABR do ano da Seleção:
1) pertencentes à classe convocada ou anteriores, ainda em débito com o Serviço Militar;
2) naturalizados ou por opção;
3) oriundos de comunidade indígena, alistados nas condições da letra b., do item 5., do Cap II,
deste PRC;
4) eximidos que readquirirem os direitos políticos e apresentarem-se à CS até 08 OUT 10; e
5) pertencentes à classe convocada, que sejam funcionários de empresa declarada, anualmente,
pelo MD como diretamente relacionada com a Segurança Nacional.
b. Alistados no exterior até 30 de abril de 2010, menores de 30 (trinta) anos, que transferirem sua
residência para MT no Brasil até 08 de outubro de 2010.
c. Alistados que alegarem imperativo de consciência para se eximir de atividades de caráter
essencialmente militar, optando pelo Serviço Alternativo.
d. Alistados até 31 de dezembro de 2009 que desistirem do adiamento.
e. Residentes há mais de 01 (um) ano, referido à data do início da Seleção Geral, em MNT ou em
ZR, ou ainda MTS/TG, que manifestarem o desejo de prestar o Serviço Militar Inicial.
f. Refratários que se apresentarem para a Seleção, que não tenham comparecido em anos anteriores.

2. CONDIÇÃO INDISPENSÁVEL
a. A apresentação do Certificado de Alistamento Militar (CAM) atualizado, contendo RA e
respectivos carimbos, constitui-se em condição indispensável para que o conscrito seja submetido aos
exames da Seleção Geral, não devendo ser aceita, em hipótese alguma, fotocópia do documento.
b. O conscrito que se apresentar à CS em débito com o serviço militar e cujo CAM esteja sem as
devidas anotações deverá ser encaminhado a JSM, a fim de regularizar sua situação e atualizar seu
CAM.
c. Os conscritos de classes anteriores, alistados pelo processo tradicional, que se apresentarem à CS
sem o respectivo RA, deverão ser encaminhados à JSM de vinculação para obtê-lo e retornarem à CS.

3. CONSCRITOS QUE NÃO CONCORRERÃO À SELEÇÃO


- Não serão submetidos à Seleção Geral os conscritos:
1) residentes em MT, maiores de 28 (vinte e oito) anos, a partir do mês de maio do ano em que
completarem esta idade. Para fins de regularização da situação militar, é considerado maior de 30
(trinta) anos;
2) alistados em município não tributário que comprovarem residência há mais de 1 (um) ano,
referido à data de início da Seleção Geral da classe convocada;
3) preferenciados para a Marinha ou Aeronáutica, de acordo com o Art 69, do RLSM;
4) Candidatos à matrícula em IEMFD, bem como os matriculados em qualquer uma dessas IE,
desde que comprovem tal situação;
5) residentes em ZR de MTS/TG há mais de 01 (um) ano, referido à data de início da Seleção
Geral da classe convocada, devendo, contudo, comparecer à Seleção para comprovação de residência;
6) alistados de 02 JAN a 30 ABR 10 que, porventura, compareçam à Seleção e tenham obtido
adiamento de incorporação ou matrícula;
7) alistados que recusarem a prestação do Serviço Militar Obrigatório e, também, o Serviço
Alternativo; e
8) insubmissos que deverão se apresentar na OM que lavrou o respectivo termo de insubmissão.

21
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

4. ASPECTOS DA SELEÇÃO
a. Físico
1) A verificação da aptidão física do conscrito será feita por meio de inspeção de saúde, levada a
efeito de acordo com as IGISC/FA, Dec nº 60.822, de 07 JUL 1967, com as modificações dos Dec nº
63.078, de 05 AGO 1968 e Dec nº 703, de 22 DEZ 1992.
2) Deverão ser adotados cuidados especiais para evitar que, por falha na Inspeção de Saúde,
venham a surgir problemas na Seleção Complementar, ou mesmo depois da incorporação.
3) A aferição da força muscular será verificada após exame médico e somente para aptos;
4) A tabela de alturas adotada será a constante das IGISC/FA.
5) O conscrito candidato à matrícula no NPOR deverá ter a altura mínima de 1,60m.
6) Os convocados julgados “INCAPAZES B1” ou “B2”, na Seleção Geral, serão incluídos no
excesso do contingente, com exceção dos voluntários de classe posterior que serão orientados a
comparecer a JSM de vinculação para serem encaminhados à seleção de sua classe.
7) O conscrito que não concordar com o parecer da JIS/CS poderá requerer inspeção de saúde
em grau de recurso ao Cmdo 11ª RM, dentro do prazo de 15 (quinze) dias, a contar da data em que
tomar conhecimento do resultado.
8) É importante que o médico se conscientize de que a ele cabe apenas o julgamento sob os
aspectos físico e mental. O problema social e o arrimo são, exclusivamente, da alçada do Pres CS.
9) A SSMR/11 deverá realizar um rigoroso acompanhamento da Inspeção de Saúde, a fim de
evitar distorções no aproveitamento dos conscritos.
b. Psicológico
1) A avaliação psicológica dos conscritos será observada por meio do TSI, IAP e BCC, aplicados
de acordo com os Cap 4 e 5, das NPCS e de uma entrevista.
2) Nas CS tributárias de OMA, concorrem à aplicação do TSI e do IAP todos os conscritos aptos
“A” na Inspeção de Saúde, independentemente do grau de escolaridade.
3) Em princípio não deverá haver mais de 3% (três por cento) de inaptidão decorrente da
avaliação do TSI. Quando isso ocorrer, a CS deverá remeter os testes dos inaptos a SSMR/11, a fim de
serem encaminhados ao Centro de Estudos de Pessoal (CEP). Para isso, os testes dos inaptos deverão
ser guardados desde o 1º dia de seleção e, ao final dos trabalhos da CS, comparados com o percentual
apurado no último Mapa para Controle da Seleção.
4) Quando o conscrito é reprovado no TSI e a escolaridade constante de seu CAM for
incompatível com o resultado do teste, o aplicador deverá averiguar o ocorrido e, comprovada a sua
reprovação, o mesmo não será submetido à entrevista.
5) A BCC somente será aplicada aos conscritos que estiverem cursando, no mínimo, a 8ª série do
ensino fundamental.
6) A entrevista tem papel primordial no processo seletivo. Em muitos casos ela se constitui no
mais eficiente instrumento de avaliação, motivo pelo qual o entrevistador (no mínimo 1º Sgt) deverá
ter equilíbrio e paciência, a fim de obter o máximo de informações a respeito do entrevistado.
c. Moral
1) A seleção moral visa a impedir a incorporação de elementos incompatíveis com o Serviço
Militar.
2) Os Pres CS poderão solicitar a cooperação dos Órgãos de Segurança no sentido de fornecerem
uma relação dos cidadãos, em idade de prestação do Serviço Militar, que tenham passagem pela
polícia.
3) A pesquisa e a observação do comportamento moral do conscrito deverão ser feitas por todos
aqueles que, funcionalmente, tenham contato com o mesmo.
d. Observações
1) Aspecto de capital importância a observar será o de evitar a inclusão de indivíduos
incompatíveis com a vida militar, aí considerando, inclusive, aqueles identificados com o uso indevido
de drogas. Convém, por isso, que, além de uma averiguação a respeito, em todas as fases de
recrutamento, a inspeção de saúde seja tão completa quanto possível.
2) Os conscritos que se encontrarem clinicamente impossibilitados de comparecer à seleção terão
sua participação regulada na forma do Art 60, do RLSM.

22
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

5. CONDIÇÕES GERAIS DE FUNCIONAMENTO DAS COMISSÕES DE SELEÇÃO


a. Constituição das CSFA
- Conforme Anexo “R”.

b. Atribuições dos integrantes das CSFA


- Conforme as Normas de Procedimentos das Comissões de Seleção da Diretoria de Serviço
Militar.

c. Constituição das CS
1) De acordo com o previsto no Anexo “R”.
2) O atual sistema de seleção só apresentará bons resultados se os integrantes da CS forem
selecionados entre os mais aptos para o trabalho requerido, inclusive com experiência anterior. É
conveniente lembrar que “A SELEÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS É O PRIMEIRO PASSO
PARA A OBTENÇÃO DO GRAU DE OPERACIONALIDADE QUE DESEJAMOS PARA O
NOSSO EXÉRCITO”.
3) Para o PAT deverá ser indicado, se possível, 1 (um) Oficial com Curso de Psicotécnica Militar
(C Esp 129) ou equivalente, e 1 (um) ST/Sgt com Curso de Auxiliar de Psicotécnica Militar (C Esp
605).
4) Em todas as Gu, os componentes das respectivas Comissões de Seleção passarão à disposição
do Cmdo Coordenador, para fins de organização e treinamento, a partir da data a ser estipulada
anualmente pelo Cmdo da 11ª RM, por ocasião da publicação em Bol Reg da constituição das CS. As
CSF serão desfeitas conforme detalhado no Anexo “R”, visando permitir o encerramento dos
trabalhos da Seleção, confecção de Relatórios, Mapas e devolvidos todos os materiais existentes nas
mesmas.
5) Para Pres CSFA/01 será indicado Oficial Superior ou Intermediário aperfeiçoado do
Exército; a SSMR/11 deverá indicar ao Comando da 11ª RM, se aprovado, o oficial proposto para
Presidente da CSFA, sendo realizado o rodízio entre o BGP, 32º GAC, BPEB e 1º RCGd.
6) Se for o caso, o Ch SSSR/11 indicará os médicos que comporão as CSFA/01 e CSV/TG.
7) O Del SM que jurisdiciona o MT onde se realiza a seleção, de acordo com o nº 30, do Art 32,
das IR 30-12, integrará e deverá assessorar o Pres CS, com a finalidade específica de montar os
processos de arrimo e problema social apresentados durante a Seleção Geral e fornecer o documento
militar aos dispensados. A autorização para deslocamento será publicada em Bol Reg, oportunamente; e
8) O Sec JSM que jurisdiciona o MT, onde se realiza a seleção, integrará a CS (nº 8, Art 39, das
IR 30-12).

d. Município e período de funcionamento


- Conforme quadro constante do Anexo “Y”.

e. Impedimento de ingresso na área da CS


- Com amparo no Art 248, do RLSM, o Pres CS deverá impedir o ingresso, na área ocupada por
suas instalações, de qualquer pessoa, militar ou civil, que não pertença ao efetivo da CS. Esta medida
visa a resguardar o trabalho do pessoal encarregado da Seleção de qualquer influência que possa
perturbar o bom andamento do serviço. Entretanto, o Pres CS poderá receber, em ambiente
especialmente preparado, familiares e amigos de conscrito que necessite desse contato, indispensável e
útil para esclarecer casos isolados. O Pres CS não deve permitir o assédio aos conscritos por parte de
militares, não integrantes da seleção, bem como deve desconsiderar qualquer declaração não
comprovada por parte de qualquer cidadão ou autoridade sem competência atinente aos trabalhos da
CS.

23
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

f. Impossibilidade de comparecimento de cidadão à CS


- O conscrito que se encontrar clinicamente impossibilitado de comparecer à seleção terá sua
situação regulada de acordo com o prescrito no Art 60, do RLSM e, se for o caso, o Pres CS designará
o médico da CS para visitá-lo e diagnosticá-lo.

g. Horário de funcionamento
1) O horário de funcionamento das CS será constituído de 02 (dois) expedientes, sendo que a
parte da tarde deverá ser aproveitada para as tarefas, tais como: limpeza de dependências, revisão dos
trabalhos concluídos e realização de testes com os convocados que não os tenham realizado no 1º
expediente. As CSF/OMA e as CSV deverão funcionar de 2ª a 6ª feira, exceto nos feriados, a
partir de 07:30 horas, e até que concluam todo o trabalho do dia ou até as 17:00 h, de 2ª a 5ª e as
12:00 h na 6ª feira. Para tanto, o Pres CS deverá escalar, no mínimo, 1 (um) militar que tenha
condições de prestar esclarecimentos ou informações a respeito do trabalho realizado e do
andamento da CS a fim de que seja cumprido esse horário. Os Sec JSM deverão encaminhar os
conscritos às CS das 07:00 às 07:30 horas, devendo ser atendidos os que chegarem atrasados ou os que
tenham se adiantado ou atrasado no dia previsto. O horário limite para atendimento será o término dos
trabalhos do PIS. Após o encerramento da recepção dos conscritos, as CS deverão prosseguir com os
trabalhos internos da seleção até a liberação do último conscrito. No caso das CSV, o conscrito
retardatário deverá ser encaminhado à JSM, para fins de vinculação à classe do ano seguinte.
2) O tratamento dispensado ao conscrito deve ser o mais cortês e correto possível por parte de
cada membro de uma CS. Cabe ao Pres CS zelar para que a sua permanência na seleção seja a mais
curta possível e que a atenção a ele dispensada permita a projeção de uma boa imagem das Forças
Armadas. Anualmente, milhares de conscritos em todo o Território Nacional, que não são distribuídos,
têm na seleção seu único contato com a Força Terrestre. Os membros das CS não devem ser
envolvidos com os problemas a eles declarados, sob pena de não cumprirem suas missões com êxito.
Devem trabalhar com fatos devidamente comprovados e não com suposições.
3) Para o conscrito recolhido a presídio ou instituto de recuperação de menores que esteja
impedido de se apresentar na Seleção Geral, deverá o Pres CS designar um integrante da mesma para
que compareça ao local onde se encontre, com a finalidade de verificar a situação jurídica legal e
selecioná-lo, se for o caso, desde que esteja em dia com a Situação Militar.

h. Observações
1) As CSFA, CSF e CSV deverão ter como Presidente 01 (um) Oficial Superior ou Capitão,
conforme as NPCS/2003.
2) O Sec JSM e outros funcionários da JSM compõem o efetivo do PA.
3) No PIS, o número mínimo de médicos, para Gu com mais de uma OM, são de 02 (dois),
podendo um deles ser do EAS; e em Gu de apenas uma OM pode ser apenas 01 Médico.
4) O Cmt 11ª RM realizará pessoalmente ou por intermédio do Ch EM 11ª RM, Ch Esc Pes/11,
Ch SSMR/11, Ch SS Rcr/11, Ch 7ª CSM ou ainda, de oficiais designados pelos mesmos, Visitas de
Orientação e Apoio às CS. Nessas ocasiões serão verificados, além da organização, instalações e
funcionamento das CS, os trabalhos de cada Posto e de seus componentes. Serão verificados, ainda, o
arquivo de documentos relativos a PS, os índices obtidos no TSI por comparação dos formulários
preenchidos pelos conscritos (mediante análise do resultado, com o valor lançado na FS), o controle
das incapacitações (principalmente quanto aos conscritos de maior grau de escolaridade), a condução
de algumas entrevistas, de alguns exames médicos, eventual existência de pontos de estrangulamento,
etc.
5) Este Comando poderá intervir na CS sempre que tomar conhecimento de ocorrências,
irregularidades ou falhas graves, não coibidas pelo seu Presidente, que possam vir a prejudicar a
seleção ou comprometer a imagem do Exército, tais como:
a) índice anormal de incapacidade, principalmente de conscritos de alto grau de escolaridade;
b) manipulação dos resultados do TSI, ainda que feita com a melhor das intenções;

24
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

c) negligência continuada no preenchimento da documentação e no cumprimento dos prazos


previstos no PRC;
d) repetição de erros graves, já apontados anteriormente;
e) não cumprimento do horário de funcionamento da CS;
f) alterações disciplinares graves ou reincidentes; e
g) denúncia de maus tratos aos conscritos, perpetrados por qualquer membro da CS.
6) A 1ª Fase do Funcionamento das CS é a fase inicial dos trabalhos, onde os Presidentes
exercem um papel preponderante na estrutura das Comissões, cabendo-lhes a responsabilidade de
promover a integração dos seus postos, que têm atividades bem diferenciadas entre si, embora
dependentes umas das outras, conforme orientações detalhadas das atividades de cada posto contidas
nos Capítulos de nº I ao VII das Normas de Procedimentos das Comissões de Seleção, edição 2003.

6. CERTIFICADOS
a. Certificado de Dispensa de Incorporação
1) A entrega imediata do CDI tem elevado alcance social e não deverá ser postergada. A
cerimônia de entrega deverá ser solene, de acordo com o § 6º, do Art 107 e Art 217 do RLSM,
podendo ser realizada em Praça Pública, a critério do Del SM tendo a participação da JSM do
município (nº 27, do Art 37, das IR 30-12).
2) As CS farão a entrega de CDI no mesmo dia de Seleção Geral para os seguintes casos:
a) aos arrimos de família nº 6), do Art 105, do RLSM;
b) aos julgados inaptos para o Serviço Militar, de acordo com os resultados do TSI (Inapto "K");
c) aos considerados possuidores de PS;
d) aos julgados Incapaz “B1” (caso não houver manifestação de concorrer à nova seleção)
e “B2" em inspeção de saúde; e
e) aos operários, funcionários ou empregados de estabelecimentos ou empresas industriais de
interesse militar, de transporte e de comunicações, que forem, anualmente, declarados diretamente
relacionados com a Segurança Nacional pelo Ministério da Defesa (nº 5, do Art 105, do RLSM).
3) As JSM farão a entrega de CDI:
a) No Formulário Contínuo
(1) Para os conscritos designados para incorporação/matrícula, incluídos no excesso de
contingente, até 30 (trinta) dias após a ocorrência do evento. Esses conscritos deverão ser relacionados
e liberados pelos OFR e OMA para os quais haviam sido designados e encaminhados às respectivas
JSM, acompanhados das relações correspondentes para recebimento do CDI.
(2) Para os conscritos residentes em MNT, nº 1), do Art 105, do RLSM, no mais curto prazo
possível, a partir do alistamento.
(3) Para os conscritos residentes em ZR de MTS/TG, que comparecerem à Seleção para
comprovar sua residência há mais de 1 (um) ano nessa ZR, referido ao início da seleção em 2010, no
dia da seleção, em função das informações constantes das relações preenchidas pelas CS. Caso o
Delegado do Serviço Militar não faça parte da CS, o Certificado poderá ser assinado pelo Presidente
da CS, por delegação do Chefe da 7ª CSM.
b) Emitido pelo CTA e JSM Informatizada
(1) Para os conscritos incluídos no excesso de contingente nas relações emitidas pelo PAD,
após a distribuição. Esses conscritos serão liberados pelas CS na época do conhecimento da
designação e encaminhados, escalonadamente, às JSM para o recebimento do CDI emitido pelo CTA
(CDI Computador) nas não informatizadas e pela JSM Informatizada (CDI Formulário Contínuo)
expedido pela própria Junta, até 30 (trinta) dias após a ocorrência do evento.
(2) Para os conscritos residentes em MT, dispensados da Seleção Geral para o Serviço
Militar Inicial pelo Comando Regional, nº 2), do Art 105, do RLSM ou pré-dispensados, no mais curto
prazo, a partir de 31 JUL 10.
4) Anotações no CDI
- Nos CDI serão feitas, entre aspas, à máquina, as anotações:
a) “por ter sido incluído no excesso de contingente”, para os casos previstos nos nº 1), 2)
ou 3), do § 2º, do Art 93 e nº 1), 2) ou 6), do Art 105, do RLSM, bem como, nos casos de insuficiência

25
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

nos testes psicológicos, considerados como problema social e se tornado inconveniente para a
prestação do Serviço Militar Inicial;
b) "por ser operário (funcionário, empregado) de empresa (estabelecimento) industrial (de
transporte, de comunicações) relacionado (a) com a Segurança Nacional", para os casos previstos no
nº 5, do Art 105, do RLSM;
c) "por ser sacerdote ou ministro da religião", para os casos previstos na letra a), do nº 2),
do Art 98, do RLSM; e
d) "por estar compreendido no RLSM, Art 140, nº 4 ", para os que forem condenados
por sentença irrecorrível, resultante de prática de crime comum de caráter culposo.
5) Os Ch Del Esp e da 17ª Del Sv Mil entregarão os CDI, na CSFA/01, para os:
a) arrimos de família;
b) inaptos “K”;
c) PS;
d) incapazes “B1” (caso não houver manifestação de concorrer à nova seleção) e “B2”; e
e) operários, funcionários ou empregados de estabelecimentos ou empresas industriais de
interesse militar, de transporte e de comunicações, que forem, anualmente, declarados diretamente
relacionados com a Segurança Nacional pelo Ministério da Defesa (nº 5., do Art 105, do RLSM).
7) Os CDI serão entregues conforme a seguinte previsão:
a) CDI-Computador ou Plano
(1) Para os conscritos constantes do nº 7), anterior, no mais curto prazo, durante o período
de Seleção e até 30 (trinta) dias após a sua conclusão.
(2) Para os conscritos designados para incorporação/matrícula, incluídos no excesso de
contingente, proveniente da majoração, até 30 (trinta) dias após a ocorrência do evento. Esses
conscritos deverão ser relacionados e liberados pelos OFR e OMA para os quais haviam sido
designados e encaminhados às respectivas JSM, acompanhados das relações correspondentes, para
recebimento do CDI.
(3) para os conscritos residentes em MNT deverão ser entregues no mais curto prazo
possível, a partir do Alistamento.
(4) Conscritos residentes em ZR de MTS/TG, que comparecerem à seleção para comprovar
sua residência há mais de 1 (um) ano nessa zona rural, referido ao início da seleção em 2010, no mais
curto prazo possível durante a Seleção e até 30 (trinta) dias após a sua conclusão.
(5) Conscritos maiores de 30 (trinta) anos, no mais curto prazo possível, após o alistamento.
b) CDI-Computador ou informatizado
(1) Os conscritos incluídos no excesso de contingente da distribuição serão liberados pelas
CS na época do conhecimento da designação e encaminhados, escalonadamente, as JSM para o
recebimento do CDI-Computador, até 30 (dias) após a ocorrência do evento.
(2) Os conscritos residentes em municípios tributários dispensados total ou parcialmente da
Seleção Geral pelo Cmdo 11ª RM, no mais curto prazo possível a partir de 31 JUL. Farão jus todos os
conscritos alistados até 30 ABR e residentes nesses municípios há mais de 1 (um) ano, referido ao
início da Seleção, inclusive os de classes anteriores que regularizarem suas situações.

b. Certificado de Isenção
1) Entrega do CI
- Os CI serão entregues pelas JSM para os casos de cidadão notoriamente incapaz e pelas CS
nos seguintes casos:
a) incapacidade física ou mental definitiva (Incapaz “C” - nº 1., do Art 109, do RLSM); e
b) incapacidade moral (Incapaz “H” - nº 2, do Art 109, do RLSM).
2) Anotações no CI
- Nos CI serão feitas, entre aspas, à máquina, as anotações:
a) "por estar compreendido no Regulamento da LSM, nº 1 (ou 2), § 2º, Art 165, do
RLSM”, quando julgado “INCAPAZ” definitivamente, física ou mentalmente, inclusive o caso do
notoriamente incapaz; e

26
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

b) "por estar compreendido no Regulamento da LSM, nº 1 (ou 2), § 3º, Art 165, do
RLSM”, quando houver incompatibilidade moral para integrar as FA, comprovada quando da seleção.

c. 2ª Via de Certificados Militares


- A expedição de 2ª via de Certificados Militares está regulada no RLSM.
1) As seguintes providências para o fornecimento da 2ª via de CDI, ao maior de 30 (trinta)
anos, devem ser tomadas:
a) fornecer o documento, mediante apresentação da carteira de identidade, de acordo com a
situação militar da data da expedição da 1ª via do Certificado, comprovado o motivo da sua dispensa;
b) solicitar os dados disponíveis ao Órgão de Serviço Militar de vinculação, caso haja
dúvidas ou informações insuficientes que comprove a sua situação militar da época do alistamento; e
c) caso não possua nenhum documento de identidade, orientá-lo sobre a maneira de obtê-lo
e, somente após isto, fornecer-lhe o documento militar.
2) Para os casos de emissão de 2ª via de CDI, o cidadão efetuará o pagamento de multa e taxa
prevista no RLSM, como indenização pelo Certificado extraviado.
3) O cidadão maior de 30 anos, nunca alistado, pagará a multa e a taxa previstas no RLSM.
4) Mediante solicitação, deverá ser fornecido ao cidadão maior de 45 anos a segunda via de
seu Certificado Militar, após comprovação de sua situação militar e pagamento de multa prevista no
RLSM.
5) Ao cidadão, maior de 45 (quarenta e cinco) anos, que não puder comprovar a sua situação
militar deverá ser fornecido o “Atestado de Desobrigado”.

7. CONTROLE DA SELEÇÃO
a. Considerações iniciais
1) As atividades a serem desenvolvidas na CS terão importância fundamental para que se
consiga o contingente-tipo adequado, particularmente no Sistema Eletrônico de Serviço Militar e
Mobilização (SERMILMOB).
2) A SSMR/11 e os Pres CS deverão examinar as estatísticas da seleção, analisar as porcentagens
julgadas elevadas nas diversas incapacitações, apurar as causas das distorções encontradas e adotar as
medidas cabíveis para corrigí-las. Deverão, também, estar em condições de informar ao Cmdo 11ª RM
e à DSM, quando solicitado, sobre as causas das distorções encontradas.
3) O crescimento da incapacitação, na razão direta do aumento do nível de escolaridade, é fato
que precisa ter as suas causas devidamente averiguadas.
4) A quantidade de aptos à distribuição deverá corresponder ao triplo do efetivo a ser
incorporado, desde que haja disponibilidade.
5) A SSMR/11 exercerá o controle da seleção por meio do SERMILMOB, de inspeções às CS e
do exame dos Mapas da Seleção e dos Relatórios da CS.

b. Confecção e remessa de documentos


- As CS deverão remeter à SSMR/11 os seguintes documentos:
1) mapas para Controle da Seleção Geral
- Confeccionados de acordo com o modelo constante do Anexo “H”, na seleção de OMA,
TG ou Sv Altrn e de acordo com o Anexo “I”, na seleção de NPOR.
2) BCC e IAP
3) relatório da CS
4) documentação do PIS
5) última remessa da CS
a) A última remessa da CS deverá conter a seguinte observação na GR: ÚLTIMA
REMESSA DESTA CS até 5 dias após o encerramento da CS e conterá, em GR separadas da
seguinte maneira:
- mapa para Controle da Seleção;
- relatório das Atividades da CS (Pres CS);
- relatório do PIS;

27
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

- BCC e IAP utilizados, se for o caso; e


- BCC e IAP não utilizados.
b) Juntamente com a última remessa deverá ser enviado todo o material permanente a ser
restituído e o Mapa para Controle do Material Distribuído correspondente.

c. Carregamento de arquivos do módulo CS/CSE


1) É responsabilidade do Pres CS/CSE o carregamento do arquivo gerado pelo Mod CS/CSE dos
cidadãos remetidos, ou seja, aqueles que passaram em todos os postos da CS/CSE.
2) O Pres CS/CSE deverá carregar semanalmente o arquivo gerado pelo Mod CS/CSE no
SERMILWEB, a fim de que seja feito um acompanhamento, pelo SERMILMOB, do andamento das
CS.

8. COMANDO COORDENADOR
a. Das CS
1) Cmdo 11 ª RM, por meio da SSMR/11, na Gu de Porangatu/GO;
2) Cmdo Bda Op Esp, nas Gu de Goiânia/GO e Iporá/GO;
3) Cmt 41º BI Mtz, nas Gu de Jataí/GO e Rio Verde/GO;
4) Cmt 11º BE Cnst, nas Gu de Araguari/MG, Itumbiara/MG e Ituiutaba/MG
5) Cmt 36º BI Mtz, nas Gu de Uberlândia/MG, Frutal/MG e Uberaba/MG;
6) Cmdo 3ª Bda Inf Mtz, nas Gu de Cristalina e Luziânia/GO;
7) Cmt 23ª Cia E Cmb, nas Gu de Ipameri/GO, Catalão/GO e Pires do Rio/GO.
8) Cmt 6º GLMF/CIF, nas Gu de Formosa/GO e Planaltina/GO;
9) Cmt 22º BI, nas Gu Araguaína/TO, Pedro Afonso/TO, Miracema do Tocantins/TO e
Tocantínia/TO, e ainda Porto Nacional/TO.

b. Das CSFA
- Cmdo 11ª RM com a participação de militares do Cmdo 7º DN e do VI COMAR, na Gu de
Brasília/DF;
- Cmt 22º BI com participação de militares do CFAT, na Gu de Palmas/TO; e
- Cmt BAAn com participação de militares do TG 11-001, na Gu de Anápolis/GO.

c. Atribuições
1) Coordenar as atividades relacionadas com a instalação da CS, mantendo os contatos que se
fizerem necessários com o Sec JSM, a quem cabe tal responsabilidade, de acordo com o nº 10, do Art
38, das IR 30-12, aprovadas pela Port nº 18/DGP, de 24 MAR 1986.
2) Compor as CSFA e CS com pessoal e material da (s) OM envolvida (s).
3) Auxiliar o Cmdo 11ª RM na fiscalização dos trabalhos da CS, de forma que a Comissão
cumpra as normas estabelecidas neste Plano e demais documentos pertinentes ao assunto.
4) Informar à SSMR/11, até 29 MAIO 10, o Pres CS, (nome completo, CPF e BI Pub)a fim
de que seja solicitada senha para acesso ao SERMILMOB WEB à DSM.
5) Publicar em seu Boletim a relação dos componentes das CS Fixa, Volante e/ou Especial,
remetendo à SSMR/11, até 7 JUN 10, essa composição, constando o nome completo do militar
(sublinhar o nome de guerra), posto/graduação, identidade, OM, função na CS, se participou de CS
anterior, CRM do médico e CRO do dentista, com base nos efetivos constantes do Anexo “R”. Fazer
constar também nesse documento, o nº e a data do BI que designou as CS, bem como o ofício
solicitando o saque das diárias para os integrantes das CSV. Qualquer alteração na composição das CS
após a remessa da documentação somente se dará por motivo de força maior. Após a publicação em
Bol Reg não serão feitas substituições de componentes das CSFA e das CS, salvo em casos
excepcionais e a critério do Cmdo 11ª RM. O Cmdo Coordenador deve ter especial atenção na escolha
dos integrantes das CS, particularmente de seus Presidentes e Entrevistadores, procurando designar,
pelo menos, 50% do efetivo total das CS com pessoal possuidor de experiência anterior.
6) É vedada a concessão de férias ou dispensa aos integrantes das CS durante o período de
funcionamento, bem como indicar militares previstos para serem transferidos, licenciados, ou realizar

28
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

cursos até o final da seleção, inclusive na Fase de Designação, visando a não prejudicar os trabalhos
das CS. Ocorrendo movimentação do integrante da CS na mesma Guarnição, o mesmo deverá ser
desligado da OM de origem, ser apresentado na OM de destino e permanecer trabalhando na mesma
CS. Se a movimentação for para outra Guarnição, deverá ser indicado outro militar para substituí-lo
antes do seu desligamento, informando ao Cmdo 11ª RM.
7) Os Cmt OMA deverão coordenar para que os integrantes da CS realizem, após o término
destas, aqueles testes previstos pela Instituição (TAF, TAT, etc).
8) Os Cmt OMA devem passar à disposição do Cmdo 11ª RM os militares que compõem a CS,
designados pelo Cmdo Coord, com antecedência de 07 (sete) dias da data de início de funcionamento.
9) Após o término dos trabalhos das CS, seus integrantes deverão se apresentar nas respectivas
OM no 2º dia útil, com exceção dos abaixo citados:
- permanecerão à disposição do Cmdo 11ª RM, até o 5º dia útil, inclusive, o Pres CS, um
entrevistador e dois auxiliares, os quais terão a incumbência de revisar toda a documentação a ser
remetida para a SSMR/11, bem como dar destino ao material distribuído às CS. A apresentação desses
militares nas suas OM será no 1º dia útil após essas atividades.
10) Os componentes das CSFA, CSF, CSV e CSE ficarão dispensados do serviço, instrução ou
quaisquer outras funções nas OM, enquanto permanecerem à disposição do Cmdo 11ª RM.
11) O Cmdo Coord determinará às OM interessadas (cujos efetivos a incorporar deverão ser
selecionados pelas CS respectivas nos MT a ela distribuídos) as cotas que cabem a cada uma com
referência ao material permanente, de consumo e pessoal.

9. SITUAÇÕES DIVERSAS NA SELEÇÃO


a. Estabelecimentos diretamente relacionados com a Segurança Nacional
1) Para obtenção da dispensa de incorporação prevista no nº 5), do Art 105, do RLSM, o
brasileiro, além de pertencer à classe convocada e ser operário, funcionário ou empregado de
estabelecimento ou de empresa industrial relacionada pelo MD, de acordo com o nº 4), do Art 27, do
mesmo Regulamento, deverá estar no exercício de trabalho imprescindível ao funcionamento do
estabelecimento ou da empresa, no mínimo, há 1 (um) ano.
2) Caso seja considerado apto nos exames da seleção, deverá ter a sua FS ou FAMSEL
atualizada no módulo CS no campo “Diagnóstico” do PIS e ser orientado para requerer o CDI, na JSM
de residência, anexando ao requerimento o comprovante de pagamento da Taxa Militar, de que trata o
Art 224, do RLSM e uma declaração passada pela empresa de que permaneceu no emprego ou função
durante todo o ano da incorporação de sua classe. Se deixar o emprego ou função antes do término do
ano, será submetido à Seleção com a classe seguinte.
3) Caso seja julgado incapaz, nos exames da seleção, receberá o respectivo CDI ou CI, conforme
o caso, sendo assinalada a incapacidade na sua FS ou FAMSEL no módulo CS no campo
“Diagnóstico” do PIS. A SSMR/11 informará, em tempo hábil, à CS respectiva, qual (is) o (s)
conscrito (s) que se encontra (m) nessa situação.

b. Problema Social
1) Será considerado PS o conscrito que:
a) não se caracterizando como arrimo, ajudar, de forma substancial, o sustento da família;
b) pertencer à família numerosa e de poucos recursos materiais; e
c) não se caracterizando como possuidor de incapacidade moral comprovada, apresentar
indícios que revelem incompatibilidade para ingresso nas Forças Armadas.
2) O cidadão considerado PS, pelo Pres CS, será incluído no Excesso de Contingente e fará jus
ao CDI.
3) A condição de estudante universitário não caracteriza a situação de PS.

c. Impossibilidade de comparecimento à Seleção


- Ao conscrito que se encontrar clinicamente impossibilitado de comparecer à Seleção Geral será
aplicado o disposto no Art 60, do RLSM. O requerimento de que trata o referido artigo, constante do

29
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

Anexo “V” a este Plano, deverá ser encaminhado ao Cmdo 11ª RM, até 30 SET, do ano da seleção da
classe a que estiver vinculado, a fim de permitir, em tempo hábil, a definição de sua situação militar.

d. Transferência de residência antes da Seleção


- O conscrito que tenha transferido sua residência antes da seleção no município de origem e que
se apresentar diretamente à CS sem ter no CAM o carimbo correspondente à efetivação da
transferência, deverá ser encaminhado a JSM da nova residência para regularizar a situação e retornar
à CS.

e. Opção pela prestação do Serviço Alternativo ao Serviço Militar


- Somente após ter sido considerado apto na Seleção Geral, o conscrito receberá designação para
prestação de Serviço Alternativo.

f. Voluntário
Em virtude de contradições existentes entre a legislação do Serviço Militar e o Estatuto da
Criança e do Adolescente, os voluntários deverão ser encaminhados à Seleção Geral com a classe a
qual pertencem, a fim de evitar uma possível incorporação desses cidadãos menor de idade.

10. VIDA MILITAR


a. A situação militar dos conscritos deverá ser atualizada no SERMILMOB.
b. Para que o SERMILMOB possa manter seu cadastro atualizado, os usuários deverão atentar para
as datas constantes do Calendário de Eventos do SERMILMOB (ANEXO "Q").
e. A OM que não tiver o acesso liberado ao Portal SERMILMOB, deverá solicitar o
cadastramento/recadastramento à 11ª RM, conforme previsto na Port nº 18-DGP, de 2 FEV 09.

11. SELEÇÃO PARA O SERVIÇO ALTERNATIVO


- A Seleção para o Sv Alt está regulada de acordo com o Capítulo VIII, Título IV, do Regulamento
da Lei de Prestação do Serviço Alternativo (RLPSA), (Port nº 2.681 – COSEMI, atual DISEMI, de 28
JUL 1992). O serviço foi criado para atender ao cidadão que alegar imperativo de consciência,
decorrente de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, recusando-se à prestação do
Serviço Militar Obrigatório. Os conscritos optantes pelo Sv Altn na seleção não farão TSI, IAP e BCC,
realizando somente o exame físico-médico.

30
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

CAPÍTULO IV
SELEÇÃO ESPECIAL

1. SELEÇÃO ESPECIAL PARA O NPOR


a. Universo concorrente
- Concorrerá a esta seleção o conscrito que:
1) seja brasileiro nato, na forma estabelecida pela Constituição Federal;
2) seja “Apto A” na Seleção Geral (apto sem restrição);
3) seja aluno de curso superior (CSFA/01) ou, no mínimo, cursando a última série do Ensino
Médio (CS 04 e 05);
4) tenha, no mínimo, 1,60m de altura; e
5) seja alistado/vinculado a uma JSM tributária de NPOR.

b. Local de realização
- Sede do NPOR a que estiver vinculada a CSF que examinou o conscrito na Seleção Geral.

c. Aspectos da Seleção
1) O Exame de Aptidão Física deverá obedecer às prescrições da Port nº 82/DEP, de 28 AGO 07
(Instruções Reguladoras da Seleção Especial para os CPOR/NPOR).
2) Os candidatos ao NPOR somente serão encaminhados à Seleção Especial depois de julgados
aptos na Seleção Geral. O encaminhamento da CS para a CSE será feito mediante carimbo no verso do
CAM. O Diretor do NPOR deverá acertar os detalhes no encaminhamento (data, local, hora, etc) com a
SSMR/11 para que essa repasse ao Pres CS.
3) A CSE não poderá mudar o diagnóstico do parecer médico do convocado que tenha sido
julgado “Apto A” na Seleção Geral. Quando houver divergência nesse sentido, o convocado deverá ser
contra-indicado para matrícula.
4) O conscrito desligado de NPOR, SEM DIREITO A REMATRÍCULA, SERÁ
ENCAMINHADO À SELEÇÃO COMPLEMENTAR PARA O PRIMEIRO GRUPAMENTO A SER
INCORPORADO EM OMA (GRUPAMENTO “A” OU “B”), QUALQUER QUE TENHA SIDO O
SEU TEMPO DE INSTRUÇÃO.
5) O conscrito que tiver direito à rematrícula no NPOR deverá ser submetido à nova inspeção de
saúde, nos termos do Art 4º, do R/l66. Para isso, o Diretor do NPOR interessado solicitará ordem de
inspeção de saúde pela JISG, para fins de rematrícula, ao Cmdo 11ª RM.

2. SELEÇÃO ESPECIAL PARA O 1º BAC


a. Universo concorrente
- Concorrerá a esta seleção o conscrito que:
1) seja “Apto A” na Seleção Geral (apto sem restrição);
2) tenha, no mínimo, 1,60m de altura; e
3) seja voluntário.

b. Local de realização
- A cargo do Cmdo Coor.

c. Aspectos da Seleção
1) Deverão ser apresentados os aspectos particulares aos quais o conscrito será submetido
durante o SMO.
2) Os candidatos ao 1° BAC somente serão encaminhados à Seleção Especial depois de julgados
aptos na Seleção Geral. O encaminhamento da CS para a CSE será feito mediante carimbo no verso do
CAM. O Presidente da CSE deverá acertar os detalhes no encaminhamento (data, local, hora, etc) com
a SSMR/11 para que essa repasse ao Pres CS.

31
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

3) A CSE não poderá mudar o diagnóstico do parecer médico do convocado que tenha sido
julgado “Apto A” na Seleção Geral. Quando houver divergência nesse sentido, o convocado deverá ser
contra-indicado para incorporação.

3. SELEÇÃO PARA TG
a. Seleção dos conscritos:
1) os da classe convocada, alistados até 30 de abril de 2010, e os de classes anteriores, ainda em
débito com o Serviço Militar, residentes em área urbana ou suburbana de MTS/TG, obedecidas às
prescrições legais para o alistamento; e
2) o alistado como voluntário na forma prescrita neste Plano.

b. Aspectos da Seleção
1) Será concedido o direito a rematrícula ao cidadão anteriormente matriculado em Tiro-de-
Guerra e desligado por incidir nos incisos II e III, do Art 24, do R-138.
2) A renovação de matrícula é condicionada somente a uma nova Inspeção de Saúde.
3) Essa renovação de matrícula deve ser concedida para a Turma de Instrução imediatamente
seguinte àquela em que ocorreu o desligamento.
4) A Inspeção de Saúde, para fins de rematrícula, será realizada por médico local (normalmente
do Posto de Saúde local) ou Militar (de JISG ou OMA mais próximos).
5) Deverá ser informado à RM, pelo Chefe da Instrução, o local da Inspeção de Saúde.
6) O Chefe da Instrução deverá abrir um livro para registro da Ata de Inspeção de Saúde dos
cidadãos a rematricular, no qual deverão constar a assinatura e o nº do registro no Conselho Regional
de Medicina, do Médico que realizou a Inspeção.
7) A Inspeção de Saúde para rematrícula deverá ser procedida na semana que antecede a
matrícula.
8) O resultado da Inspeção de Saúde deverá constar do Suplemento de Matrícula do TG.
9) O Atirador desligado do TG, com direito a rematrícula, deverá assinar um Termo de
Conhecimento de Designação e obter seu CAM carimbado com os seguintes dizeres: “DESLIGADO
EM dd/mm/aaaa, de acordo com o inciso nº ___, do Art 24, do R-138 (com direito a renovação de
matrícula). Retorne a este TG em dd/mm/aaaa”.
10) Em caso de suspensão do TG, o cidadão com direito a rematrícula deverá ter renovação de
matrícula no TG mais próximo de sua residência ou apresentar-se à seleção para incorporação em
OMA, designada no PRC, com a primeira classe a ser incorporada. Se o TG e a OMA for muito
distante de sua residência terá direito a CDI.
11) A delimitação das zonas urbana e suburbana de que trata o Art 88, do RLSM, será a
considerada pela municipalidade. Não havendo essa delimitação, considerar-se-á, como tal, uma área
com raio de l0 (dez) km do centro da cidade.
12) Os aspectos a serem considerados nesta seleção serão os mesmos previstos para a Seleção
Geral, não havendo, contudo, a aplicação do IAP e da BCC.
13) Os designados para os TG deverão ser submetidos à inspeção de saúde na Seleção
Complementar e no Licenciamento, conforme preconiza o Art 24, do R-138 (Regulamento para os
Tiros-de-Guerra e Escolas de Instrução Militar).

c. Residentes em ZR de MTS/TG
1) Todos os conscritos residentes em ZR ou MTS/TG deverão comparecer à Seleção (Art 48, do
RLSM), para comprovação de residência;
2) As CS, quando da apresentação dos residentes em ZR, deverão anotar na coluna “(6)”, do
Anexo “C”, a data da apresentação do convocado, preencher com um “X” abaixo das palavras “SIM”
ou “NÃO” na coluna “(4)”, conforme o alistado confirme ou não sua residência em ZR há mais de 1
(um) ano e na coluna “(7)” marcar “SIM” para os faltosos e “NÃO” para os que se apresentarem;
3) Os alistados, até 30 de junho de 2010, poderão comparecer à CS para, após a comprovação da
residência em ZR há mais de 1 (um) ano, referido ao início da Seleção Geral, receberem o CDI ainda
em 2010 (nº l, do Art 105, do RLSM). Os alistados de 1º de maio até 30 de junho de 2010 que

32
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

comparecerem à CS, e não comprovarem residir em ZR há mais de 1 (um) ano, referido ao início da
Seleção Geral, deverão ser encaminhados à Seleção Geral de 2011.
4) Os que não comprovarem a residência em zona rural serão encaminhados à JSM, que anulará
o CAM tradicional e os alistará com formulário específico de MT, mantendo, no segundo documento,
a mesma data de Alistamento contida no CAM anterior.
5) Após o recebimento do RA os conscritos serão encaminhados novamente à CS para o
processo seletivo por meio de FAMSEL.
6) Os conscritos que não comparecerem à CS para comprovação de suas residências serão
considerados refratários.
7) Após o término da Seleção, a relação constante do Anexo “C” deverá ser remetida à JSM,
preenchida.

4. SELEÇÃO ESPECIAL PARA OS MFDV


a. Composições e Atribuições da CSE
1) Posto de Recepção
a) Composição
- A critério do Pres CS.
b) Atribuições
(1) Recepcionar o candidato e encaminhar ao posto de apresentação;
(2) Tratar com cortesia os candidatos (talvez o primeiro contato com as Forças Armadas).
2) Posto de Apresentação
a) Composição
(1) Seleção em Brasília:
(a) 04 (quatro) SO/Sgt (verificação de Doc) – MB;
(b) 04 (quatro) Sgt (verificação de Doc) – EB;
(c) 03 (três) SO/Sgt (verificação de Doc) – FAB;
(d) 04 (quatro) Sd (inscrição) – EB;
(e) 04 (quatro) Cb/Sd (inscrição) – FAB; e
(f) 04 (quatro) Cb/Marinheiro (inscrição) – MB.
(2) Seleção nas demais cidades:
(a) 02 (dois) SO/Sgt (verificação de Doc) – MB;
(b) 02 (dois) Sgt (verificação de Doc) – EB;
(c) 02 (dois) SO/Sgt (verificação de Doc) – FAB;
(d) 01 (um) Sd (inscrição) – EB;
(e) 01 (um) Marinheiro (inscrição) – MB;
(f) 01 (um) CB/Sd (inscrição) – FAB; e
(g) 09 (nove) CB/Sd (Serviços Gerais) – EB.
b) Atribuições
(1) Processar o cadastramento da inscrição dos candidatos (sistema informatizado).
(2) Realizar a triagem dos candidatos, conferindo:
(a) se o candidato está em dia com o serviço militar (carimbo do CDI ou do CAM); e
(b) receber os documentos necessários, de acordo com a OS a ser editada pelo Esc
Pes/11 do ano em curso.
(3) Verificar o limite de idade para convocação: menos de 38 anos de idade até 31 DEZ 10.
(4) Providenciar a abertura da ficha de inspeção de saúde e entrevista para cada convocado.
(5) Encaminhar o candidato em condições de ser selecionado para o posto de inspeção de
saúde.
(6) Encaminhar para o posto de saída os candidatos que não atenderam às condições de
convocação.
3) Posto de Inspeção de Saúde
a) Composição
(1) Seleção em Brasília:
(a) 01 (um) Oficial Superior Médico do EB – Presidente;

33
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

(b) 01 (um) Oficial da Marinha – Membro;


(c) 01 (um) Oficial da Aeronáutica – Membro;
(d) 01 (um) SO/Sgt da Marinha – livro de IS;
(e) 01 (um) Sgt do EB – livro de IS; e
(f) 02 (dois) Marinheiros.
(2) Seleção em outras cidades (JISE - médico de carreira);
(a) 02 (dois) Oficiais médicos do 36º BI Mtz (IS em Uberaba e Uberlândia);
(b) 01 (um) Oficial médico do Bda Op Esp (IS em Goiânia);
(c) 01 (um) Oficial da Marinha – membro;
(d) 01 (um) Oficial da Aeronáutica – membro;
(e) 01 (um) Enfermeiro do 36º BI Mtz;
(f) 01 (um) Enfermeiro do Bda Op Esp; e
(g) 03 (três) Cb/Sd/Atiradores do EB.
b) Atribuição
- Realizar o exame físico/médico, mediante inspeção de saúde que comprove aptidão para
o oficialato.
4) Posto de Entrevista
a) Composição
(1) Seleção em Brasília
- Entrevistadores:
(a) 03 (três) Sgt da MB;
(b) 02 (dois) Sgt do EB; e
(c) 02 (dois) Sgt da FAB.
(2) Seleção em outras cidades
- Entrevistadores:
(a) 01 (um) Sgt da MB;
(b) 02 (dois) Sgt do EB (11ª RM/8ª Del SM/36º BI Mtz/Bda Op Esp); e
(c) 01 (um) Sgt da FAB.
b) Atribuições
(1) Verificar os dados da FISEMI
(2) Registrar dados individuais do candidato.
(3) Levantar possíveis aspectos morais e de conduta que contra-indiquem a convocação
como oficial.
(4) Analisar a situação dos candidatos que não desejam servir, verificando as implicações
sociais decorrentes.
(5) Registrar os dados obtidos na ficha de seleção.
(6) Conferir os documentos apresentados (comprovante dos cursos) com o declarado pelo
candidato.
(7) Encaminhar o candidato para o Posto de Saída, juntamente com a sua documentação.
c) Preenchimento da Ficha para Inspeção de Saúde e Entrevista ou FISEMI
(1) O entrevistador deverá emitir o conceito do candidato na ficha de entrevista ou FISEMI
(campo destinado ao parecer do entrevistador), segundo os seguintes parâmetros:
(a) NR – Não Recomendável (i);
(b) R – Recomendável (b); e
(c) RE – Recomendado com Empenho (e).
(2) Força que deseja servir – padronizar as seguintes abreviaturas:
(a) MB - Marinha;
(b) EB – Exército;
(c) FAB – Aeronáutica; e
(d) EB – Amazônia.
5) Posto de Saída
a) Composição
(1) Seleção em Brasília:

34
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

(a) 01 (um) Oficial Superior – EB;


(b) 02 (dois) Sgt – EB;
(c) 01 (um) Servidor Civil – EB; e
(d) 04 (quarto) Cb/Sd – EB.
(2) Seleção em outras cidades:
(a) 01 (um) Oficial Superior – EB;
(b) 02 (dois) Sgt – EB;
(c) 01 (um) Servidor Civil – EB; e
(d) 04 (quatro) Cb/Sd – EB.
b) Atribuições
(1) Receber do Posto de Inspeção de Saúde os candidatos julgados incapazes.
(2) Receber do Posto de Entrevista os candidatos.
(3) Receber do Posto de Apresentação os candidatos que não atenderam às condições de
convocação, para fins de liberação e orientações julgadas pertinentes.
(4) Orientar os candidatos aptos sobre a época em que deverão retornar à CSE para
conhecimento da designação, de acordo com o anexo “B” (calendário de eventos) da OS nº 08 – Esc
Pes/11, de 12 AGO 02, OS nº 001 – SSMR/11, de 03 MAIO 10, bem como sobre os prazos de
adiamento para a residência médica.
(5) Carimbar o documento militar de acordo com a situação.
6) Prescrições Diversas
a) É importante que o entrevistador tenha em mãos a relação das OM de cada força, com as
abreviaturas correspondentes.
b) O entrevistador deve evitar demorar-se na entrevista.
c) Ao final da entrevista o candidato deve assinar a Ficha para Inspeção de Saúde e entrevista
ou FISEMI.
d) Deverá ser confeccionada pela SS2-SSMR/11 uma relação das perguntas mais comuns
levantadas nas palestras, a fim de subsidiar o entrevistador nas respostas aos candidatos.
e) Colocar na ficha para entrevista e inspeção de saúde ou na FISEMI, no campo destinado ao
parecer do entrevistador, a área ou especialidade que o candidato gostaria de atuar ou, se já for
especializado, registrar este fato de forma bem específica (a medida visa não deixar dúvidas se o
candidato é especializado ou é interessado em trabalhar naquela especialidade).
f) Após o término da seleção, todas as pastas de documentos deverão ser separadas por área
(medicina, odontologia, farmácia e veterinária) e, dentro de cada área, deverão estar separadas por
especialidade. A medida visa a facilitar a pesquisa, a análise de currículos e a distribuição das
necessidades pelas forças.
g) Situações que podem reprovar candidatos na entrevista:
(1) incapacidade Moral;
(2) aparência desleixada ou atitudes, palavras ou gestos que caracterizam falta de aptidão
ao exercício da atividade militar; e
(3) Possíveis problemas sociais:
(a) esposa que realiza tratamento de saúde fora da Gu em que o Asp vai servir;
(b) esposa que trabalha em cidade afastada da Gu em que o Asp vai servir;
(c) candidatos que possuam filhos (a ser avaliado); e
(d) outros problemas sociais que poderão causar transtornos aos Cmt OM (coisas
ilícitas, etc);
- Em todos os casos, os candidatos deverão comprovar a situação mediante a
apresentação de documentos ou exames com laudos (neste último caso, submeter à avaliação da JISE).

b. Universo de Seleção
1) Concorrerão à Seleção
a) Em caráter obrigatório
(1) Estudantes formados nos 1º e 2º semestres de 2010, dos cursos de Institutos de Ensino
tributários, oficiais ou reconhecidos, destinados à formação de Médicos, Farmacêuticos, Dentistas e

35
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

Veterinários (IEMFDV), portadores de Certificado de Alistamento Militar e Certificado de Dispensa


de Incorporação.
(2) Médicos, Farmacêuticos, Dentistas e Veterinários (MFDV) formados no ano de 2010
em IEMFDV tributários oficiais ou reconhecidos, portadores de Certificados de Alistamento Militar
(CAM) e Certificado de Dispensa de Incorporação (CDI).
b) Como voluntários
(1) Os MFDV reservistas de 1ª e 2ª Categoria, voluntários para a prestação do Estágio de
Adaptação e Serviço (EAS) aceitos pela RM.
(2) as mulheres que forem voluntárias, observada a legislação em vigor.
2) A SSMR/11 deverá restringir-se às suas disponibilidades de MFDV convocados. Entretanto,
caso não disponha de elementos aptos na seleção em número suficiente para atender às necessidades
referentes ao EAS/2009 deverá informar à DSM, no texto do ofício que remeter o Mapa Controle de
Seleção - MFDV, as suas necessidades. Caberá a DSM o remanejamento dos convocados para suprir
as RM deficitárias (Anexo “F” e Port nº 599 – Cmt Ex, de 07 NOV 2000).
3) A 11ª RM deverá, desde que a quantidade de selecionados atenda as suas necessidades,
conceder o adiamento para os médicos que comprovarem aprovação em concurso para Residência ou
Curso de Especialização. Tal medida visa a permitir um crescente aumento de profissionais
qualificados no processo seletivo, com reflexos na melhoria da qualidade do Serviço de Saúde.
4) A seleção e a distribuição de MFDV não serão realizadas pelo PAD.
5) Para a seleção dos MFDV, além das prescrições supracitadas, deverão ser objetos de
consideração especial as determinações contidas no Art 105, da Port nº 006, de 07 JAN 1999 (IG 10-
68) - BE 30/99 e Port Cmt Ex nº 599, de 07 NOV 2000.
6) O fato do médico estar prestando o Serviço Militar não garante àqueles que foram aprovados
no concurso para Residência Médica terem suas vagas asseguradas até o término do Serviço Militar
(EAS). Por outro lado, o fato do médico alegar estar com vaga assegurada para Residência Médica não
implica na concessão de adiamento de incorporação, o que até poderá ocorrer, a critério do Cmdo 11ª
RM, caso a quantidade de selecionados atenda a todas as necessidades desta RM ou mesmo de outras
RM.
7) No ato da Seleção Especial para MFDV, os candidatos deverão apresentar os exames
médicos, determinados pela RM.

c. Deveres dos IEMFDV


- Os IEMFDV deverão:
1) cooperar com a 11ª RM, fazendo a divulgação das presentes instruções aos seus alunos;
2) remeter, até 30 de junho do ano da seleção, ao Cmdo 11ª RM, uma relação nominal, em
ordem alfabética, da totalidade dos estudantes matriculados no último semestre do respectivo curso,
com convocação obrigatória e dos voluntários, incluindo-se, nesse caso, as do sexo feminino (FISEMI
deverá ser entregue no dia da apresentação);
3) remeter ao Cmdo 11ª RM, ao término de cada semestre letivo, a relação dos concludentes,
para fins de conhecimento; e
4) remeter, tão logo seja possível, a relação dos alunos que, entre os previstos para concluírem
o curso, não o fizeram, mesmo após os exames de 2ª época.

d. Prescrições diversas
1) Aos biólogos e biomédicos não se aplica a LMFDV (Bol nº 70, de 20 JUN 1980, do DGP).
2) O MFDV matriculado em IEMFDV localizado na área de outra RM, à exceção da 12ª RM, e
que esteja realizando estágio autorizado de final de curso em hospital situado na área da 11ª RM,
poderá apresentar-se a CSE/11ª RM, mas só será convocado ou incluído no excesso de contingente,
mediante autorização da RM de origem, à qual será solicitada a FISEMI correspondente. A data-limite
para solicitar essa autorização é 30 de junho do ano da Seleção.
3) O MFDV formado em IEMFDV tributário no 1º semestre do ano da Seleção que tenha de
mudar sua residência para município situado em área de outra RM, deverá ser orientado para procurar

36
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

a SSMR de destino e regularizar sua situação militar. Caberá à RM de destino comunicar à SSMR/11 a
nova situação do MFDV e solicitar a respectiva FISEMI.
4) Caso não haja disponibilidade de MFDV apto na Seleção, em número suficiente para atender
às necessidades de distribuição para o EAS, a SSMR/11 deverá informar a DSM, no texto do Ofício
que remeter o Mapa para Controle da Seleção de MFDV (Anexo “J”), as suas necessidades, para que
aquele Órgão de Apoio possa efetuar o remanejamento necessário.
5) Ao término da seleção os convocados julgados aptos serão notificados, mediante carimbo no
respectivo certificado ou por intermédio de declaração escrita (no caso de possuidores de Carta Patente
ou Certificado de Conclusão de Curso de Formação de Oficial da Reserva), quanto ao local e data da
apresentação para conhecimento da Designação.

e. Tributação de IEMFDV
- Na área da 11ª RM, os IEMFDV tributários para convocação são os seguintes:

UF IEMFDV
MEDICINA
GOIÁS
- Faculdade de Medicina da UFG
MEDICINA
- Faculdade de Medicina do Planalto Central;
DISTRITO FEDERAL - Faculdade de Ciências de Saúde da UnB;
- Escola Superior de Ciência da Saúde; e
- Universidade Católica de Brasília.
MEDICINA
-Escola de Medicina e Cirurgia da UFU;
MINAS GERAIS
-Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro; e
-Faculdade de Medicina da UNIUB.
MEDICINA
TOCANTINS - Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos; e
- Faculdade UNIRG.

5. SELEÇÃO ESPECIAL PARA O SERVIÇO TÉCNICO TEMPORÁRIO (STT)


a. Prestação do Serviço Técnico Temporário
- Terá início com a realização do Estágio de Serviço Técnico (EST) e do Estágio Básico de
Sargento Temporário (EBST) (Port nº 251-DGP, de 11 NOV 09 - Aprova as Normas Técnicas para
a Inscrição, Seleção, Convocação, Incorporação e Prestação do Serviço Militar Temporário - NT
13-DSM).

b. Calendário Geral
- Anexo “B”.

6. PROCESSO DE SELEÇÃO DOS VOLUNTÁRIOS PARA OS ESTÁGIOS DE ADAPTAÇÃO


E SERVIÇO (EAS) E PARA OS ESTÁGIOS DE SERVIÇO TÉCNICO (EST) E ESTÁGIO
BÁSICO DE SARGENTO TEMPORÁRIO (EBST)
a. MFDV
1) A classificação dos candidatos voluntários para o preenchimento das vagas disponíveis é feita
com base na Portaria nº 599, de 7 de novembro de 2000 (Normas para a Convocação, Seleção e
Incorporação de Médicos, Farmacêuticos, Dentistas e Veterinários destinados ao Estágio de Adaptação
e Serviço) e as Instruções Regionais aos candidatos.
2) Os estudos dos currículos apresentados pelos voluntários serão feitos por comissões
especialmente constituídas para essa finalidade.
3) Para estudo de currículo de médicos, farmacêuticos, dentistas e veterinários, serão formadas
comissões mistas de especialistas do HFA, HMAB e dos hospitais da Marinha e da Aeronáutica.

37
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

b. OTT e STT
1) A classificação dos candidatos voluntários para o preenchimento de vagas disponíveis é feita
com base na Port nº 251-DGP, de 11 NOV 09 - Aprova as Normas Técnicas para a Inscrição, Seleção,
Convocação, Incorporação e Prestação do Serviço Militar Temporário - NT 13-DSM).
2) Os estudos dos currículos apresentados pelos voluntários serão feitos por comissões
especialmente constituídas para essa finalidade.
3) Para estudo de currículo das diversas especialidades de oficiais técnicos temporários serão
formadas comissões mistas compostas por oficiais especialmente designados para esse fim, as quais,
sempre que possível, devem ser especialistas nas áreas cujos currículos forem analisados.

38
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

CAPÍTULO V
NECESSIDADES DAS OM, DISTRIBUIÇÃO E DESIGNAÇÃO

1. NECESSIDADES DAS OM
a. Claros a computar
1) Para o cálculo dos claros a computar a OM deverá observar o prescrito na Port nº 260, de 26
MAIO 2000, do Cmt Ex-EME, de 20 MAIO 2000.
2) As OM que possuírem Cb e Sd engajados ou reengajados, a serem licenciados até 30 dias
após a data da incorporação da classe convocada, deverão computar esses claros na confecção do Bol
Nec.

b. Confecção e remessa do Boletim de Necessidades


1) O Bol Nec é o documento básico para o atendimento das necessidades de incorporação
/matrícula das OM pelo PAD, sendo imprescindível, para o preenchimento dos mesmos, a utilização
das Instruções Particulares para as OMA (IP-04/OMA), edição de 2002.
2) O Bol Nec deverá ser confeccionado pela OM em 3 (três) vias, sem majoração, sendo 2 (duas)
vias remetidas a SSMR/11, até 10 de setembro de 2010, permanecendo a 3ª via na OM. As OM
subordinadas à Bda Op Esp e à 3ª Bda Inf Mtz, deverão remeter os Bol Nec por intermédio daquelas
Grandes Unidades (GU), que conferirão os dados neles contidos.
3) Para as OM que incorporam conscritos nos Gpt “A” e “B” deverá ser confeccionado 1 (um)
Bol Nec por grupamento.
4) Os Bol Nec dos TG serão confeccionados pela SSMR/11 (SSTG).
5) As OM somente poderão solicitar em seus Bol Nec os padrões previstos na Relação de Cargos
e Padrões constantes da IP-04/OMA, edição de 2002.
6) A SSMR/11-SS1 deverá remeter os Bol Nec das três Forças para o 7º CTA até 30 SET 10.
7) Caso a informação da necessidade da OM sofra alteração, esta deverá retificá-la, de
imediato, com um novo Bol Nec, a fim de que seja feita, se possível, nova distribuição ou
remanejamento de pessoal e material.

c. Necessidades de MFDV para o EAS


1) As OM da área de jurisdição da 11ª RM deverão informar a este Cmdo, até 1º JUN 10, as suas
necessidades de MFDV para a prestação do EAS, baseadas nos claros existentes em QCP, conforme o
previsto no Anexo “F”.
2) Após a incorporação dos MFDV, a SSMR/11-SS2 providenciará a remessa à DSM do Mapa
constante do ANEXO ¨G¨.
3) Os benefícios devidos ao Aspirante-a-Oficial da Reserva de 2ª classe (Asp Of R/2) convocado
para a prestação do EAS são os previstos na legislação em vigor (Port nº 251-DGP, de 11 NOV 09 -
Aprova as Normas Técnicas para a Inscrição, Seleção, Convocação, Incorporação e Prestação do
Serviço Militar Temporário - NT 13-DSM).

2. DISTRIBUIÇÃO
a. Processamento da Distribuição
1) A Distribuição será processada, em princípio, pela SSMR/11-SS1, sob a supervisão do 7º
CTA e da DSM, entre 25 NOV 10 e 3 DEZ 10. A RM deverá informar a DSM, até 29 OUT 10 a época
da distribuição.
2) O perfil físico, acrescido dos resultados do TSI e da BCC e ainda da entrevista, servirão de
base para a Distribuição.
3) Numa Gu com várias OM, a distribuição será efetuada de forma a completá-las,
proporcionalmente, dentro das prioridades estabelecidas no Anexo “A” deste Plano.
4) O conscrito contra-indicado para a matrícula no NPOR, pelas CSE respectivas, concorrerá à
distribuição para OMA.
5) A Distribuição para OMA, dos candidatos aptos para matrícula no NPOR e não aproveitados,
será em igualdade de condições com os demais convocados.

39
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

6) A distribuição de convocados para as OM de todas as RM será realizada segundo os


parâmetros do Manual da Sistemática de Avaliação e Distribuição de Conscritos-Edição 2002, do
CEP.
7) Para a inclusão das propostas de parâmetros para a distribuição, devem ser adotados os
seguintes procedimentos:
a) a RM deverá solicitar aos 7º DN e VI COMAR, até 4 OUT 10, parâmetros de distribuição,
com base na Sistemática de Avaliação e Distribuição de Conscritos, a fim de inseri-los no Sistema;
b) a RM deverá inserir no SERMIL, até 8 OUT 10, a proposta dos parâmetros para a
distribuição mencionada no seu respectivo Plano Regional de Convocação; e
c) a DSM confirmará a proposta da RM até 15 OUT 10, quando não mais poderá ser alterada.

b. Percentuais de majoração
- A fim de atender a eventuais faltas ou contra-indicações registradas na SC, a majoração
autorizada dos conscritos distribuídos será feita automaticamente pelo SERMILMOB, na proporção de
até 100% (cem por cento) para as Organizações Militares da Ativa (OMA), Tiros-de-Guerra (TG) e
NPOR.

c. Representante da RM na Distribuição
- O Ch SSMR/11-SS1 deverá acompanhar a distribuição dos convocados no local designado,
ficando em condições de tomar decisões quanto aos problemas surgidos durante o processamento, bem
como de prestar esclarecimentos sobre os Bol Nec das OM localizadas na área da 11ª RM.

d. Sistemática de Avaliação e Distribuição de convocados


- A Distribuição de convocados para as OM será realizada segundo os parâmetros da Sistemática
de Avaliação, obedecendo a ordem de prioridade OFOR, Força de menor efetivo para a de maior
efetivo e as fases descritas abaixo:
1ª fase - Grupo 1 - convocados com pré-qualificação imediata;
2ª fase - Grupo 2- convocados com perfil geral completo;
3ª fase - Grupo 3 - convocados com perfil geral incompleto;
4ª fase - Grupo 4 - convocados com perfil parcial;
5ª fase - Grupo 5 - convocados com perfil nulo;
6ª fase - Majoração; e
7ª fase - Excesso de Contingente.

e. Situação de Refratário na Designação


- Será considerado “REFRATÁRIO” o conscrito julgado apto e designado para incorporação ou
matrícula que não comparecer à CS/CD para tomar conhecimento da designação e não se apresentar
para a Seleção Complementar na OM para a qual se acha distribuído. Nesse caso, deverá receber o
tratamento prescrito na Portaria Ministerial nº 944, de 08 MAIO 1978, publicada no BE nº 23, de 09
JUN 1978.

f. Candidatos à matrícula em Estabelecimentos de Ensino Militares


- Os convocados que por qualquer motivo não tiverem obtido adiamento de incorporação e
durante a época da Seleção Geral, comprovarem estar inscritos em exame de admissão à Escola Naval,
à Escola Preparatória de Cadetes do Exército, à Academia da Força Aérea Brasileira, ao Colégio
Naval, à Escola Preparatória de Cadetes da Aeronáutica, ao Instituto Militar de Engenharia, ao
Instituto Tecnológico de Aeronáutica, à Escola de Sargentos das Armas, à Escola de Especialistas da
Aeronáutica, à Escola de Formação de Oficiais das Polícias Militares e dos Corpos de Bombeiros, às
Escolas de Formação de Oficiais da Reserva da Marinha, às Escolas de Aprendizes-Marinheiros, ao
Curso de Formação de Soldados do Corpo de Fuzileiros Navais e ao Curso de Especialização de
Soldados da Aeronáutica, poderão ser distribuídos dentro das possibilidades de cada Força, para a
incorporação em OM integrantes do Grupamento “B”, caso não tenham sido aprovados nos referidos
exames.

40
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

g. Distribuição de MFDV para o EAS


1) A Distribuição de MFDV não será realizada pelo SERMILMOB; e
2) ao término da Distribuição, a SSMR/11-SS2 deverá atualizar no SERMILMOB os dados
referentes a todos os MFDV que apresentarem documentos de situação militar com RA.

3. DESIGNAÇÃO
a. Conhecimento da Distribuição
1) Os Presidentes das CS Geral e Especial deverão anotar no CAM dos conscritos considerados
aptos à distribuição, o local e a época da apresentação para tomar conhecimento da distribuição, de
acordo com o Anexo “B” do presente Plano.
2) Os Presidentes CS, durante a fase de designação, antes da liberação dos conscritos
distribuídos, deverão orientar aos mesmos que, por ocasião da apresentação para a Seleção
Complementar, terão de conduzir consigo a Carteira de Identidade Civil.

b. Condições de execução
1) Somente poderão ser incorporados ou matriculados os conscritos designados pelo
SERMILMOB para OMA e OFOR, constantes da Relação de Designação e Distribuição (buscando-se
obedecer ao padrão indicado).
2) Os Presidentes CD e os Sec JSM vinculados às CSV, na fase de designação, receberão as
seguintes relações:
a) Presidentes de CD
- Relação de Designação e Distribuição, por CS;
- Relação do Excesso de Contingente, por CS;
- Relação dos Conscritos Dispensados e Isentos, por CS;
- Relação dos Conscritos com Situação Militar Incompleta, por CS; e
b) Secretários de JSM vinculadas às CSV (JSM/CSV)
- Relação de Designação e Distribuição, por JSM;
- Relação do Excesso de Contingente, por JSM;
- Relação dos Conscritos Dispensados e Isentos, por JSM;
- Relação dos Conscritos com Situação Militar Incompleta, por JSM; e
3) A fim de comprovar que o convocado tomou conhecimento da distribuição os Presidentes CD
e os Sec JSM/CSV, de posse da Relação de Designação e Distribuição deverão:
a) colher a assinatura do convocado no local próprio da relação, não podendo ser por
procuração; e
b) carimbar no CAM a distribuição da OM do convocado e a data em que deverá apresentar-
se para a Seleção Complementar.
4) É vedado aos Presidentes CD e Sec JSM/CSV fazer qualquer modificação ou troca de
conscrito nas listagens do SERMILMOB. Da mesma forma é expressamente proibido incluir no
excesso de contingente convocado constante da Relação de Designação e Distribuição, bem como
lançar mão de conscrito para incorporar, cujo nome conste da Relação do Excesso de Contingente
(Grande Excesso).
5) Os designados para a MB e a FAB, após o conhecimento da distribuição, ficam sob controle
das respectivas Forças.

c. Remessa de documentos
1) Os Presidentes CD e Sec JSM/CSV deverão remeter à SSMR/11, até 5 (cinco) dias após o
término do período de designação, os seguintes documentos:

41
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

Responsável Documento Via a ser remetida


Relação de Designação e Distribuição, por CS
Relação de Excesso de Contingente, por CS
Pres CD Única via recebida
Relação dos Conscritos Dispensados e Isentos, por CS.
Relação dos Conscritos com Situação Incompleta, por CS
Relação de Designação e Distribuição, por JSM
Sec JSM/CSV 1ª via
Relação de Excesso de Contingente, por JSM

2) Os Sec JSM/CSV deverão remeter às OM a qual estiverem vinculadas, as relações dos


convocados que deixarem de assinar a Relação de Designação e Distribuição.

d. Excesso de contingente
- Os conscritos constantes da Relação do Excesso de Contingente, que não se apresentarem
durante a fase de designação para tomar conhecimento de sua situação, não serão considerados
refratários (Of Nr 098-DSM/S3-Circular, de 14 JUL 1997).

e. Voluntário
- Não devem ser aceitos voluntários, em virtude do já exposto neste PRC.

f. Conscrito fora de listagem


1) Classe posterior
O conscrito pertencente à classe posterior a convocada e que não constar em nenhuma
listagem que esteja de posse do Pres CD ou Sec JSM/CSV, deverá ser mandado comparecer a JSM de
sua residência para ser encaminhado à Seleção de sua classe; e
2) Classe convocada e anteriores
a) O conscrito pertencente à classe convocada ou anteriores, que não constar em qualquer
listagem que esteja de posse do Pres CSF ou Sec JSM/CSV, e não puder ter sua situação militar
confirmada no SERMILMOB, desde que tenham sido selecionados pela CS local e depois de
esgotados todos os recursos na tentativa de localizá-lo nas listagens, procurando-se, inclusive, nomes
parecidos, uma vez que poderá ocorrer a troca de letras na digitação, deverá receber o seguinte
tratamento:
(1) Pres CD, na Guarnição de Brasília/DF, deverá encaminhá-lo(s) a SSMR/11 logo após
tomar conhecimento de que seu (s) nome (s) não consta (m) em nenhuma relação com o propósito de
regularizar (em) sua (s) situação (ões);
(2) Pres CD ou Sec JSM/CSV, fora da guarnição de Brasília, deverá remeter à SSMR/11,
por intermédio de ofício, junto com a (s) respectiva (s) cópia (s) xerográfica (s) do CAM (frente e
verso), para que seja (m) regularizada (s) sua (s) situação (ões); e
(3) ter o CAM revalidado até 31 DEZ 10;

g. Constituição das Comissões de Designação - CD


1) Brasília/DF
a) Constituição
(1) Presidente
- Em princípio será o mesmo da fase de Seleção Geral.
(2) Auxiliares
- As seguintes OM deverão indicar 1 (um) Oficial, 1 (um) ST/Sgt e 1 (um) Cb/Sd para
compor a CD: BGP, BPEB, 1º RCGd, 32º GAC, 16º B Log, CMB, Cia C/11ª RM, 11º GAAAe, CIGE,
B Adm CComGEx, CIGEx , 3º Esqd C Mec e 11º D Sup. As demais OM deverão indicar 01 (um) Of
ou St/Sgt para compor a CD exceto as Diretorias.
b) Os Cmt das OM acima deverão remeter à 11ª RM, até 3 DEZ 10, a relação dos militares
indicados para compor a Comissão de Designação, para publicação em Bol Reg.

42
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

c) O Cmdo 7º DN e IV COMAR indicarão à SSMR/11, até 3 DEZ 10, a relação dos militares
indicados para compor a CD.
d) Em princípio a indicação deverá recair nos mesmos elementos que trabalharam durante a
fase de Seleção Geral.
2) Goiânia/GO
- A cargo do Cmdo Bda Op Esp.
3) Palmas/TO
- A cargo do Cmdo 22º BI, com a participação de integrantes do CFAT.
4) Anápolis/GO
- A cargo do Cmdo da 11ª RM, com a participação de integrantes da BAAn.
5) Cristalina/GO
- A Cargo do Cmdo 3ª Bda Inf Mtz.
6) Demais Guarnições
- A cargo dos respectivos Cmt OM.

h. Designação de MFDV
- De acordo com o previsto na Port Min nº 773, de 04 DEZ 1998.

43
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

CAPÍTULO VI
ADIAMENTO DE INCORPORAÇÃO E PROCESSO DE ARRIMO

1. DIVULGAÇÃO
- No ato do alistamento, o conscrito deverá ser orientado e estar em condições de exercer o direito,
se for o caso, de requerer o adiamento de incorporação (Art 98, do RLSM), ou a dispensa do Serviço
Militar como arrimo de família nº 6., do Art 105, do RLSM. Para isso, a 7ª CSM deverá providenciar
ampla divulgação da matéria, de modo a evitar o surgimento desses casos durante a Seleção Geral.

2. ADIAMENTO DE INCORPORAÇÃO
a. Aos estudantes candidatos à matricula nos IEMFDV que, na época da seleção das respectivas
classes, pelo menos estejam aprovados no 2º ano do Ensino Médio, poderá ser concedido adiamento de
incorporação, por um ou dois anos, nas seguintes condições:
1) os que tiverem obtido adiamento de incorporação por dois anos deverão apresentar-se, depois
de decorrido um ano, ao órgão do Serviço Militar competente;
2) findo o prazo do adiamento concedido, caso não obtenham matrícula em nenhum IEMFDV,
concorrerão com a primeira classe a ser convocada, com prioridade, em igualdade de condições de
seleção, à matrícula em OFR ou à incorporação em Organização Militar da Ativa, conforme o caso; e
3) por ocasião da apresentação, na Comissão de Seleção (CS), do alistado que possua o nível de
escolaridade correspondente aos 2º ou 3º anos do ensino médio, a CS deverá investigar se o referido
cidadão tem a pretensão de realizar futuramente vestibular para qualquer IEMFDV, aconselhando ao
mesmo que solicite o adiamento de incorporação, com o conseqüente registro no CAM e
encaminhamento do alistado para a JSM, a fim de solicitar o respectivo adiamento, mediante
requerimento, conforme previsto no Art 7º, da Lei nº 5.292, de 8 JUN 1967 ( Lei do MFDV).

b. Os estudantes regularmente matriculados nos IEMFDV poderão ter a incorporação adiada por
tempo igual ao da duração do curso, fixada na legislação específica, ou até a sua interrupção.
1) Findo o tempo de duração normal de cada curso, quando também estarão terminados os
correspondentes prazos dos adiamentos de incorporação concedidos, os que necessitarem de novo
adiamento para a conclusão do curso deverão requerê-lo, anualmente.
2) Os que tiverem a incorporação adiada, de acordo com o presente artigo, deverão apresentar-se,
anualmente, ao Órgão do Serviço Militar competente, com a situação de estudante perfeitamente
comprovada, através de uma "Ficha de Apresentação Anual”, de modelo a ser fixado no regulamento
desta Lei, a fim de terem confirmado a concessão do adiamento.
3) Os que interromperem o curso prestarão o Serviço Militar, com a primeira classe a ser
convocada, com prioridade, em igualdade de condições de seleção, à matrícula em Órgão de Formação
de Reserva ou à incorporação em Organização Militar da Ativa, conforme o caso.
a) O cidadão da classe convocada para o Serviço Militar Inicial que comprovar, até 15
(quinze) dias antes da data de incorporação, que foi aprovado, matriculado ou que está cursando
Escola Técnica ou similar, reconhecida pelo Conselho Federal de Educação, poderá, a critério dos
Comandantes de RM, obter adiamento de incorporação, por prazo correspondente ao do curso citado.
Ao término do adiamento concedido, terá prioridade para incorporação.
b) Documentos exigidos:
(1) para os casos previstos nas letras a) e b), do nº 1, do Art 98, do RLSM:
(a) atestado do Instituto de Ensino, oficial ou reconhecido, comprovando grau de
escolaridade mínima que, adicionado ao tempo de adiamento requerido, satisfaça as condições de
matrícula; e
(b) declaração de que é candidato à matrícula em Escola de Formação de Oficiais da
Ativa ou Escola, Centro ou Curso de Formação de Oficiais da Reserva.
(2) Para os casos previstos na letra c), do nº 1), do Art 98, do RLSM:
(a) certidão do IE que comprove ter sido aprovado na 2ª série do Ensino Médio; e
(b) declaração de que é candidato a matrícula em IEMFDV.

44
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

(3) Para os casos previstos nas letras a) e c), do nº 2), do Art 98, do RLSM deverá ser
apresentada certidão expedida pelo IE que comprove estar matriculado.
c) Os “Refratários” não poderão obter adiamento de incorporação para se candidatarem à
matrícula nas Escolas, Centros, Cursos e Institutos previstos nos números 1), 2) e 3), do Art 98 e Art
99, do RLSM.
d) Os conscritos que tenham obtido adiamento de incorporação ou matrícula, alistados até 31
DEZ 09, que desistirem do adiamento e forem mandados comparecer à Seleção Geral em 2010,
concorrerão à distribuição no mesmo ano da seleção.
e) Aos alistados de 02 JAN 10 a 30 ABR 10, que tenham obtido adiamento de
incorporação/matrícula e que, porventura, compareçam à Seleção, não poderão participar dessa fase do
recrutamento.

c. Delegação de competência
1) Por delegação de competência do Cmdo 11ª RM, caberá ao Ch 7ª CSM a solução dos
processos de que trata o Art 98, do RLSM que derem entrada na JSM até 15 OUT 10.
2) A presente delegação não abrange os casos previstos na letra “a.” anterior.
3) A 7ª CSM providenciará para que o CAM do requerente receba o devido carimbo no verso,
por meio da respectiva JSM e atualizará os dados no SERMILMOB, à medida que os processos forem
solucionados.

d. Prazos para concessão de adiamento de incorporação

PERÍODO LOCAL OBSERVAÇÃO


02 JAN a 30 ABR 10 JSM/CSM Entrada do requerimento na JSM
07 JUL a 08 OUT 10 CS/JSM Encaminhar o interessado à JSM
Até 30 JAN 11 SSMR/11 Data limite de requerimento para MFDV (1)
Observação:
(1) Data limite para requerimento de adiamento de incorporação para o MFDV que apresentar
declaração de que foi aprovado no concurso ou está cursando residência médica ou comprovar que está
freqüentando curso de Pós-Graduação ou similar, reconhecido pelo Conselho Federal de Educação. O
modelo de requerimento está disponível na página da 11ª RM na internet (www.11rm.eb.mil.br).

3. ARRIMOS DE FAMÍLIA
a. Serão considerados “ARRIMOS DE FAMÍLIA”
1) O filho único de mulher viúva ou solteira, da abandonada pelo marido ou da desquitada, à
qual sirva de único arrimo ou o que ela escolher quando tiver mais de um, sem direito a outra opção.
2) O filho que sirva de único arrimo ao pai fisicamente incapaz para prover o seu sustento.
3) O viúvo/desquitado que tiver filho menor (legítimo ou legitimado) de que seja único arrimo.
4) O casado que seja único arrimo à esposa ou à esposa e filho menor (legítimo ou legitimado).
5) O solteiro que tiver filho menor (legalmente reconhecido) de que seja único arrimo.
6) O órfão de pai e mãe que sustente irmão menor, ou maior inválido ou interdito, ou ainda irmã
solteira ou viúva que viva em sua companhia.
7) O órfão de pai e mãe que sirva de único arrimo a uma de suas avós ou avô decrépito ou
valetudinário, incapaz de prover os meios de subsistência.

b. O conscrito que alegar ser arrimo deverá requerer, em tempo útil, a sua dispensa de incorporação
aos Comandantes de RM, entregando seus requerimentos durante:
1) o alistamento:
- Nas JSM, Del SM ou CSM;
2) a Seleção Geral:

45
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

- Nas JSM, Del SM ou CSM ou nas próprias CS; e


3) a Seleção Complementar:
- Na própria OM para a qual o conscrito tenha sido designado;

c. Os documentos utilizados para comprovação da situação de arrimo são:


1) carteira de trabalho devidamente escriturada;
2) atestado de óbito, quando for o caso;
3) atestado médico, quando for o caso;
4) atestado do empregador, declarando a atividade exercida, tempo de serviço no emprego e
salário recebido, desde que não possua carteira profissional assinada;
5) declaração de arrimo assinada por duas testemunhas idôneas, que não sejam parentes do
requerente, com o endereço, local de trabalho e confirmação da situação alegada; e
6) outros documentos julgados necessários:
a) o Presidente da CS deverá registrar, no Módulo CS, a situação dos conscritos considerados
arrimos; e
b) por ocasião da Seleção Complementar, o Cmt, Ch ou Dir deverá mandar publicar em
Boletim Interno da OM a situação do conscrito considerado arrimo independentemente da atualização
dos dados no SERMILMOB.

d. Delegação de competência
1) Por delegação de competência do Cmdo 11ª RM, a solução dos processos caberá ao:
a) Ch 7ª CSM, no caso de requerimentos que derem entrada na JSM até 30 de abril do ano da
Seleção da Classe convocada;
- A 7ª CSM providenciará que o CAM do requerente receba o carimbo no verso, por meio
da respectiva JSM e atualizará diretamente no SERMILMOB, até o término da 2ª semana de maio, na
medida em que os processos forem solucionados.
b) Pres CS, no caso de requerimentos que derem entrada na JSM a partir de 1º de maio do ano
da Seleção da Classe convocada;
- O requerimento poderá ser feito na própria CS, que contará, para isso, com os impressos
necessários. O Pres CS dará o seu despacho no mesmo, de acordo com a legislação pertinente (RLSM)
e dos documentos apresentados, assinalando a situação no Módulo CS. Os processos despachados
serão recolhidos e estarão sujeitos a exame da SSMR/11-SS1 durante o funcionamento da CS.

46
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

CAPÍTULO VII
SELEÇÃO COMPLEMENTAR

1. FINALIDADE
a. A Seleção Complementar a que são submetidos os distribuídos visa a:
1) corrigir eventuais falhas ocorridas na Sel Geral, no tocante à higidez e a capacidade moral; e
2) identificar os conscritos que, após a Seleção Geral, tenham:
a) contraído doenças que os incapacitem para a prestação do Serviço Militar;
b) adquirido a situação de “arrimo de família”;
c) se tornado “Problema Social”; e
d) se tornado inconveniente para a prestação do Serviço Militar.

b. Serão considerados inconvenientes para a prestação do Serviço Militar, a critério dos Cmt OM e
autorizados pelo Cmdo 11ª RM, devendo ser incluídos no excesso de contingente, os conscritos que
possuam histórico de envolvimento em ocorrências policiais, registradas nas repartições competentes e
que, embora não tenham resultado apurado por meio de inquérito ou processo criminal, contra-
indiquem, por sua natureza, a sua incorporação.

c. Os que forem contra-indicados fisicamente como incapaz “C” (incapaz definitivamente para o
Serviço Militar) deverão ser encaminhados à inspeção nas Juntas de Inspeção de Saúde de Guarnição
(JIS-Gu) para homologação ou alteração do diagnóstico atribuído pela Juntas de Inspeção de Saúde da
CS (JIS-CS).

d. Os conscritos que forem considerados como possuidores de problema social, os que excederem
às necessidades de incorporação das OM e a majoração que lhes foi atribuída deverão ser relacionados
e encaminhados à JSM de vinculação, para recebimento do CDI.

2. RESPONSABILIDADE
É de inteira responsabilidade do Cmt OM a condução da Sel Complementar. Em relação às OM da
MB e da FAB, será realizada conforme determinações específicas do Cmdo 7º DN e do CmdoVI
COMAR.

3. CONDIÇÕES DE EXECUÇÃO
a. Locais e prazos para realização
1) Conforme o previsto no Anexo “B”.
2) Caso ocorra complementação de uma CS por outra, a Sel será realizada pela OM a ser suprida.

b. Composição das CSC


1) As OMA de Brasília que recebem contingentes formados pelo BGP, 32º GAC, 11º D Sup,
BPEB e Cia Cmdo 11ª RM indicarão 1 (um) Oficial ou ST/Sgt para cooperar na Seleção
Complementar (Gpt “A” e “B”) do seu pessoal, junto à OM formadora da IIB.
2) As OMA que estiverem com falta de médico para proceder à revisão médica poderão solicitar
à SSR/11, em tempo hábil, a indicação de um profissional da área e de acordo com a disponibilidade
regional poderá ser atendida.

c. Revisão Médica
1) Na Seleção Complementar, os convocados serão submetidos a revisão médica que, em
princípio, não deverá contra-indicar um número muito elevado de convocados.
2) A Comissão de Seleção Complementar (CSC) deverá relacionar os casos de contra-indicação
por incapacidade física com os seguintes dados:
- nº da CSC;
- nome, RA, filiação, data e local de nascimento do conscrito;
- diagnóstico e parecer do médico da CSC; e

47
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

- data e local da realização da Seleção Complementar;


3) Essa relação deverá conter a assinatura e o CRM do médico da CSC e ser remetida à SSSR/11
ao final dos trabalhos, para que seja providenciada a inspeção de saúde do convocado na JIS-Gu.
4) O convocado que se encontrar nessa situação somente poderá receber o Certificado a que fizer
jus, a partir da publicação do resultado da inspeção de saúde na JIS-Gu.
5) Caso seja necessário, durante a revisão médica, a abreugrafia será realizada de acordo com o
Plano de Abreugrafia, a ser elaborado pela SSSR/11.

d. Escolha dos Padrões


1) Denominam-se PADRÕES SIMILARES aqueles cujas letras designativas dos padrões
comparados sejam iguais.
2) Denominam-se OUTROS PADRÕES aqueles cujas letras designativas dos padrões
comparados são diferentes.
3) Entre os que estiverem em condições de incorporar, a escolha dos padrões será feita da
seguinte forma:
a) nos padrões em que a disponibilidade seja maior que a necessidade, a escolha será baseada
na classificação do convocado dentro do padrão, tendo prioridade o de menor número de ordem de
distribuição no SERMILMOB;
b) nos padrões cuja disponibilidade seja menor que a necessidade, deverão ser escolhidos,
preferencialmente, os convocados cujos padrões sejam similares àqueles que apresentarem falta. Nesse
caso, a não observância aos padrões propostos pelo sistema não poderá ultrapassar os seguintes limites,
comparados aos padrões a serem preenchidos, com base no QO da OM:
(1) 25% (vinte e cinco por cento) para os padrões similares; e
(2) 10% (dez por cento) para outros padrões.

e. Incorporação de convocado que manifesta “DESEJO PRESTAR O SERVIÇO MILITAR


INICIAL”
A resposta positiva à pergunta “DESEJA SERVIR”, que no SERMILMOB está no campo
“SELEÇÃO”, não significa que o convocado é melhor que outro. Em caso de igualdade de condições
no enquadramento de um mesmo padrão, esse aspecto deverá ser levado em consideração, recaindo a
preferência sobre o convocado que manifestar “Desejo de prestar o Serviço Militar Inicial”. Logo, o
voluntariado não deve constituir, por si só, fator decisório.

f. Majoração
1) Sempre que uma OM deixar de incorporar um conscrito designado na listagem como
necessidade, ela estará piorando a qualidade da sua incorporação, pois terá que substituí-lo por um da
majoração, considerado inferior ao da necessidade.
2) A majoração visa a atender às eventuais faltas ou contra-indicações registradas na Seleção
Complementar, sendo fixada com o mesmo valor para todos os padrões. Dessa forma, a inclusão no
excesso de contingente deverá, em tese, obedecer ao mesmo princípio, de modo a evitar a falta de um
determinado padrão na incorporação.
3) Caso a Relação de Distribuição de um determinado contingente não cubra suas necessidades,
a OM formadora deverá lançar mão de sua própria majoração para completar os claros existentes, com
a anuência do representante da OM interessada, independente de autorização prévia do Cmdo 11ª RM.

g. Destino dos conscritos


- Após a escolha dos convocados para a incorporação, o destino a ser dado a todos os que se
apresentarem na OM será o seguinte:
1) quanto aos excedentes, serão tomadas as seguintes medidas:
a) após autorização para liberação, seus CAM deverão ser carimbados, indicando a
situação de excesso de contingente; e
b) por ocasião da liberação, deverão ser encaminhados à JSM de vinculação, a fim de
receberem o CDI-Plano: e

48
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

c) as OM isoladas estão autorizadas a liberar os seus excessos;


d) as OM sediadas em Brasília deverão solicitar “UU”, via Rd, MDO ou MDE, autorização
para liberação do excesso, conforme modelo abaixo:
“SOL VEX AUTZ LIBERAÇÃO EXC CONTG REF SEGUINTES CONV APTOS SEM
RESTRIÇÃO PTPT TRES B2l VG HUM C2l ET CINCO MlO FAIXA 5ª/8ª SERIES 1º GRAU
PTVG DOIS B2l UNIVERSITARIOS ET DOIS MlO 2ª SERIE 2º GRAU PT”;
e) na Gu de Goiânia a liberação do excesso caberá ao Cmdo Bda Op Esp; e
f) na Gu de Cristalina a liberação do excesso caberá ao Cmdo 3ª Bda Inf Mtz.
2) Contra-indicado para incorporação
- Nesse grupo estão incluídos os convocados enquadrados nas situações abaixo:
a) incapaz “C” e Incapaz “H” (moral) - serão considerados isentos do Serviço Militar,
fazendo jus ao CI; e
b) incapaz “Bl” e “B2”, Arrimo e Problema Social - serão considerados excesso de
contingente, fazendo jus ao CDI, desde que não queiram concorrer a nova seleção, no caso dos Incp
“B1”.

h. Certificado de Alistamento Militar


Tendo em vista o § 1º, do Art 140, do RLSM, os CAM dos convocados INCORPORADOS
deverão ser recolhidos à Secretaria da OM, por um período de 3 (três) meses, após o que poderão ser
incinerados.

i. Encostamento
Durante a realização da Seleção Complementar fica autorizado o encostamento de todos os
convocados designados para a OM.

4. SITUAÇÕES ESPECIAIS
a. Problema Social
Os conscritos que forem considerados PS, bem como os que excederem às necessidades de
incorporação das OM, considerando-se aí a majoração que lhes foi atribuída, deverão ser relacionados
e encaminhados à JSM de vinculação, para recebimento do CDI.

b. Conscritos em débito com o Serviço Militar


1) Com exceção dos casos de incorporação obrigatória de insubmisso e desistente de “eximido”
(Art 80 e § único, do Art 244, do RLSM), não é lícito incluir conscritos no “contingente-tipo” de uma
OM, para fim exclusivo de castigo por ser refratário ou sem a conveniente interpretação do disposto
nos Art 82, 83 e nº 3), do § 3º, do Art 98, do RLSM, os quais não impõem obrigatoriedade de
incorporação, mas sim, uma seleção por comparação (Art 83, do RLSM).
2) A OM não deverá incorporar conscrito que apresente qualidades negativas e prejudiciais à
Instituição, como as psicológicas e morais, mesmo que o convocado esteja em débito com o Serviço
Militar na situação de refratário ou naquelas citadas nos Art 82, 83 e nº 3), do § 3º, do Art 98, do
RLSM.
3) O refratário, o insubmisso e o desistente de eximido, cujos direitos políticos tenham sido
suspensos, se incorporados, ou o desertor, se reincluído, terão de servir 12 (doze) meses, mesmo que
a classe com a qual incorporou venha a servir menos tempo, por decisão Ministerial.

c. Troca de Convocados
Somente poderão ser incorporados os convocados constantes da Relação de Distribuição da
própria OM. Com exceção dos casos de recompletamento do efetivo a incorporar, o que somente
ocorrerá com autorização do Cmdo 11 ª RM. Fica proibida a troca de convocados, exceto quando as
OM envolvidas concordarem e tiverem autorização do Comando da 11ª RM. Para tanto, a OM
interessada no conscrito deverá solicitar, à OM para a qual ele foi designado, o remanejamento e após
isto solicitar o concorde ao Cmdo da 11ª RM.

49
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

d. Candidatos à Matrícula em Estabelecimento de Ensino Militares


As OM que, por ocasião da Seleção Complementar, tomarem conhecimento de que algum
convocado constante da sua Relação de Distribuição se encontra enquadrado na situação descrita na
letra f., do item 2., do Cap V, estando, inclusive, com matrícula prevista para ocorrer em algum dos
estabelecimentos ali citados, deverão comunicar, imediatamente, à SSMR/11, a fim de serem tomadas
as providências necessárias.

e. MFDV / OTT / STT


1) A Seleção Complementar para o EAS / EST / EBST será realizada pelas OM responsáveis
pela 1ª Fase desse Estágio, com a finalidade de verificar a ocorrência de eventuais alterações ocorridas
com os convocados, nos aspectos médico, físico e social. Nessa oportunidade, deverão ser adotadas,
também, as medidas administrativas relativas à incorporação.
2) As candidatas do segmento feminino que apresentarem o teste de gravidez positivo não serão
incorporadas, devendo, no entanto, serem orientadas que poderão retornar no ano seguinte, e que tal
medida não tem caráter discriminatório, visando, tão somente, a preservação da integridade física da
mãe e do feto, em face das atividades militares desenvolvidas na 1ª Fase do EAS/EST/EBST (Port Min
nº 773, de 04 DEZ 1998).
3) Os candidatos deverão ser orientados para comparecer à JISE/CSE portando os exames
médicos previstos no Anexo “B”, da Portaria nº 004/DEP, de 21 MAR 1997.

50
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

CAPÍTULO VIII
INCORPORAÇÃO, MATRÍCULA E INSUBMISSÃO

1. INCORPORAÇÃO DE CONSCRITOS
a. Efetivo a incorporar
1) Ver letra a., do item 1., do Cap V, deste Plano.
2) As OM sediadas em Brasília que recebem contingente deverão ligar-se com essas Unidades,
em data anterior ao início da Seleção Complementar, a fim de confirmarem o efetivo a ser
incorporado.

b. OM formadoras de Contingentes
- Deverão adotar o seguinte procedimento, com relação aos mesmos:
1) incorporar e fazer correr, pela OM, as alterações, vencimentos e vantagens do convocado,
até o término da IIB;
2) apresentar o incorporado às respectivas OM, após a conclusão da IIB, com os dados no
SERMILMOB atualizados e com as folhas de alterações; e
3) prestar à SSMR/11 todas as informações referentes aos contingentes, até que os
incorporados sejam apresentados às suas OM.

c. Qualificação provisória
1) O incorporado deverá ser qualificado provisoriamente, de conformidade com a proposta de
qualificação feita pelo OPD, à exceção dos pertencentes aos contingentes, os quais serão NQ/2C.
2) as OM de tropa deverão observar, ainda, as IP-04/OMA, edição 2002, no que se refere ao
questionário a ser confeccionado quando a OM ultrapassar os percentuais permitidos em cada padrão.

2. INCORPORAÇÃO DE MFDV/OTT/EBST
a. Será realizada pelas OM encarregadas da 1ª Fase do EAS/EST/EBST, de acordo com o Art 27,
do RLMFDV e Port nº 251-DGP, de 11 NOV 09 - Aprova as Normas Técnicas para a Inscrição,
Seleção, Convocação, Incorporação e Prestação do Serviço Militar Temporário - NT 09-DSM),
respectivamente.

b. O MFDV ao ser incorporado será declarado Asp Of R/2, cabendo-lhe os deveres, direitos e
prerrogativas previstas no Cap VI, do RCORE.

c. No 1º dia útil após a incorporação, as OM encarregadas da 1ª Fase do EAS, EST, EBST,


informarão “UU”, via Rd ou MDO, ao Cmdo 11ª RM, a apresentação dos MFDV, EST e EBST, em
face do contido no Art 29, do RLMFDV e letra a), do nº 4., da Port. nº 043/DGP, de 26 OUT 1998.

d. O convocado selecionado e designado para incorporação que não se apresentar à OM que lhe for
destinada dentro do prazo marcado, ou que, tendo-o feito, ausentar-se antes do ato oficial da
incorporação, será declarado insubmisso. Neste caso, as OM encarregadas da 1ª Fase do EAS deverão
tomar as providências previstas na letra a., do item 8., deste capítulo.

e. As medidas administrativas referentes à implantação dos MFDV, OTT e STT no CPEx, bem
como o pagamento dos benefícios devidos, ficarão a cargo das OM encarregadas da 1ª Fase do EAS.

f. Os benefícios devidos ao Asp Of R/2 convocado para a prestação do EAS são os previstos na
orientação publicada no Bol DGP nº 105, de 09 SET 1994 (Pag 1.870).

g. Após a Incorporação dos MFDV, OTT e STT, a SSMR/1l-SS2 deverá remeter à DSM o mapa
constante do Anexo “L”.

51
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

3. INCORPORAÇÃO DE CONSCRITOS INCLUÍDOS NO GRANDE EXCESSO


a. Está autorizado, em caráter excepcional, a incorporação de conscritos incluídos no Excesso de
Contingente, desde que aptos na seleção geral. Para tal, a OM solicita autorização ao Cmdo 11ª RM
para o aproveitamento e envia à SSMR/11 a relação dos conscritos para conferência. Em hipótese
nenhuma a OM poderá incorporar conscrito do excesso de contingente acima do limite máximo de
10% (dez por cento) do efetivo a ser incorporado.

4. MATRÍCULA NOS TG
a. A matrícula nos TG deverá ser feita com base na Relação de Distribuição, observando-se o
contido nos Art 87 e seu § único, Art 89, 90 e nº 3), do § 3º, do Art 98, tudo do RLSM.
b. Conforme o previsto no nº 2), do Art 40, do R/138, o designado para matrícula em TG, que vier a
transferir sua residência para outra localidade na área da 11ª RM onde exista TG, poderá ser
matriculado neste último, mediante autorização do Cmdo 11ª RM, sem ônus para a Fazenda Nacional.

5. MATRÍCULA NOS NPOR


A matrícula nos NPOR deverá realizar-se de acordo com o Art 16, do Regulamento de Preceitos
Comuns aos Estabelecimentos de Ensino (R-126), Art 31 do Regulamento dos CPOR/NPOR (R-166) e
Art 85 e 86, do RLSM.

6. INCORPORADO OU MATRICULADO POSSUIDOR DO TÍTULO DE ELEITOR.


a. Os Títulos de Eleitor dos conscritos incorporados ou matriculados não poderão ser recolhidos,
tendo em vista o prescrito no § único, do Art 91, da Lei nº 9.504, de 30 SET 1997 (Estabelecimento de
Normas para as Eleições).
b. Anualmente os órgãos detentores dos títulos aqui referidos deverão, num prazo máximo de 30
(trinta) dias, após a Incorporação/Matrícula e Licenciamento/Engajamento, encaminhar às respectivas
Zonas Eleitorais, organizadas por Seção Eleitoral, as relações dos militares contendo as seguintes
informações:

Conscritos Incorporados/Matriculados Conscritos Licenciados/Engajados


- Nr Título de Eleitor; - Nr Título de Eleitor;
- Nome completo, sem abreviaturas - Nome completo, sem abreviaturas
- Nome completo da mãe e do pai, sem - Nome completo da mãe e do pai, sem
abreviaturas; abreviaturas;
- Data de nascimento; e - Data de nascimento; e
- Data de Incorporação/Matrícula - Data de Desligamento/Engajamento

7. ELABORAÇÃO E REMESSA DE DOCUMENTOS


- As OMA e os OFR deverão confeccionar e remeter ao Cmdo 11ª RM, dentro dos prazos e de
acordo com os modelos constantes deste Plano, os seguintes documentos:
a. Aditamento/Boletim de Incorporação ou Matrícula
1) Será confeccionado pela OM, de acordo com o Anexo “W”, definindo a situação militar de
todos os convocados constantes da Relação de Distribuição da OM e dos recebidos para
recompletamento.
2) Todas as OM deverão remeter 01 (uma) cópia do Adt/Bol supracitado à SSMR/11-SS1,
para conferência da incorporação.

b. Informação do Efetivo Incorporado


- As OM deverão informar à SSMR/11-SS1, em até 48 horas, o efetivo incorporado.

52
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

8. INSUBMISSÃO
a. Aspectos gerais
1) Será considerado “INSUBMISSO” o conscrito que, após a Seleção Complementar, tomar
conhecimento da designação, assinar o TERMO DE CONHECIMENTO DA INCORPORAÇÃO
(Anexo AE) e faltar à incorporação ou matrícula, isto é, não se apresentar até as “24:00 h” do dia para
isso determinado (§ 3º, do Art 75, do RLSM).
2) O Comandante, Chefe ou Diretor, que receber conscrito declarado como insubmisso deverá,
concomitantemente com a ordem de inspeção de saúde, determinar rigorosa investigação nos papéis
que documentaram a vida do conscrito, tendo em vista a ocorrência de erros de interpretação dos
registros carimbados nos Certificados de Alistamento Militar (CAM).
3) Para efeito de aplicação da legislação especial a que se refere o Art 81, do RLSM e para
aplicação específica nos processos de insubmissão, o infrator que se apresentar ou for capturado
deverá ficar detido a partir da data de apresentação ou captura, tendo direito ao Quartel por menagem.
Ele será mandado à inspeção de saúde, para fins de justiça, ficando numa das seguintes situações:
a) se julgado apto, deverá ser incorporado a contar da data de apresentação ou captura; e
b) se apresentar condições de incapacidade previstas para os conscritos em geral será
dispensado da incorporação, ficando também, em conseqüência, isento do processo de insubmissão e
da inclusão (Acórdão do STM, de 08 ABR 1983, dado na Apelação nº 43.624-5).
4) A apresentação do insubmisso deverá ser feita na OM que o declarou nessa situação. No caso
dos Contingentes, deverá ser feita na OM.
5) O Termo de Insubmissão, o Termo de Conhecimento da Incorporação e a folha do Adt/Bol
Incrp (que transcrever o Termo de Insubmissão), constituirão as peças fundamentais para que a
Secretaria da OM confeccione a JUNTADA e remeta à Auditoria competente para o julgamento do
processo.
6) O insubmisso que se apresentar ou for capturado será submetido ao procedimento preconizado
na legislação processual penal militar (Lei nº 8.236, de 20 SET 1991).

b. Anulação de insubmissão
1) O procedimento do Cmt OM que lavrou o Termo de lnsubmissão, ou daquelas OM previstas
no nº 5), da letra a. anterior, nos casos em que tomar conhecimento de fato legal, alheio à vontade do
convocado e que, aparentemente, o isente de culpa, será o seguinte:
a) instaurar sindicância sumária e rápida para apurar e documentar o fato; e
b) sem incorporar ou prender o convocado, solicitar, diretamente ao Exmo Sr Min Pres STM,
“habeas-corpus” em favor do indiciado, instruindo o pedido deste instrumento legal com o parecer
exarado na sindicância. O pedido de “habeas-corpus”, via radiograma ou ofício deverá conter:
- nome, filiação, classe, município da seleção e RA do convocado;
- razões para o pedido, fundamentadas;
- OM que declarou a insubmissão; e
- autoridade que pede a concessão de “habeas-corpus”.
2) Compete ao STM, conforme jurisprudência já firmada, conceder “habeas-corpus” e
determinar a anulação do Termo de Insubmissão.
3) A OM, ao receber a informação do STM de que foi concedido o “habeas-corpus”,
determinando a anulação do Termo, dará conhecimento ao Cmdo 11ª RM dessa decisão, para que
sejam tomadas as providências decorrentes, consoante aos interesses do Serviço Militar, ficando o
conscrito isento de qualquer sanção.

53
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

CAPÍTULO IX
PRESCRIÇÕES DIVERSAS

1. PUBLICIDADE
a. Lema
O lema de publicidade do Serviço Militar é o seguinte: “SERVIÇO MILITAR – VEJA O
BRASIL, POR UM NOVO ÂNGULO”.

b. Campanhas de publicidade
As diversas atividades relativas ao Serviço Militar serão precedidas de uma eficaz campanha de
divulgação, planejada pela 7ª CSM, a qual deverá intensificar aquela nos períodos que antecederem a
cada evento.

2. TRANSPORTE DE CONVOCADOS E LICENCIADOS


a. Condições de execução
1) Incorporação
a) O transporte dos conscritos designados restringir-se-á àqueles que realmente serão
incorporados, visando a evitar transtornos aos mesmos e aplicação desnecessária de recursos.
b) o local de embarque dos conscritos será, em princípio, o mesmo da Seleção Complementar.
2) Licenciamento
O transporte dos conscritos licenciados restringir-se-á àqueles que, após a prestação do
Serviço Militar Obrigatório ou Inicial, optarem por retornar, dentro do Território Nacional, às
localidades onde realizaram a CS, ou para outra localidade cujo valor do transporte seja menor ou
equivalente.
3) Modalidade de despesa
As OM que optarem por locação de veículos deverá observar a Diretriz para Locação de
Veículos da DSM ou se optar pela modalidade de despesa para o pagamento do transporte na ND
3490.33 – Requisição de Passagens. Dependendo da disponibilidade de crédito, numerário e das
características regionais de cada itinerário, poderá ser empregada a modalidade de Indenização de
Transporte (ND 3190.17).

b. Atribuições
1) Cabe às OM:
a) manter contato com órgãos de origem dos conscritos (RM, OM, Del SM e JSM), a fim de
ajustar procedimentos para a Seleção Complementar e o transporte dos que serão incorporados;
b) realizar contatos com empresas do ramo de transporte rodoviário, com o objetivo de
levantar os custos e ajustar os procedimentos para o transporte do efetivo a ser incorporado ou
licenciado;
c) informar à SSMR/11, mesmo negativamente, com a antecedência de 30 (trinta) dias a
contar da data prevista para cada evento, suas reais necessidades de recursos financeiros para o
transporte de conscritos incorporados ou de reservistas licenciados, confeccionando os documentos
constantes do Anexo “X”;
d) informar a SSMR/11, com a antecedência de 30 (trinta) dias a contar da data prevista para
início da Seleção Complementar, os dados pessoais e bancários do Presidente (Oficial) e dos
Auxiliares (ST/Sgt) da Comissão de Seleção Complementar (CSC);
e) prestar contas ao Cmdo 11ª RM dos recursos financeiros aplicados até 10 (dez) dias após a
realização do transporte;
f) informar, de imediato, ao Cmdo 11ª RM, qualquer alteração havida nos planos realizados.
g) as OM encarregadas de realizarem as CS/CSV deverão solicitar ao Ch SSMR/11 o
combustível necessário à realização dos trabalhos ou para o deslocamento das CSV de sua
subordinação até 31 MAIO 10; e
h) Todas as OM deverão remeter a solicitação de combustível necessária para a realização da
Seleção Complementar (visitas sociais, etc) até 15 DEZ 10.

54
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

2) Cabe ao Pres CSC, além de suas atribuições regulamentares:


a) providenciar o embarque dos conscritos que serão incorporados;
b) providenciar a relação dos conscritos transportados, a fim de cumprir exigência do órgão
de fiscalização rodoviária; e
c) acompanhar o transporte dos convocados, cabendo-lhe zelar pela disciplina e segurança dos
mesmos.
3) Cabe ao Escalão Administrativo/11ª RM:
a) realizar o pagamento das diárias e do transporte dos componentes das Comissões de
Seleção Complementar (CSC) e do transporte dos conscritos incorporados ou dos reservistas
licenciados; e
b) acompanhar a prestação de contas a ser realizada pelas OM.
4) Cabe ao Escalão Logístico/11ª RM:
- repassar, após análise, o combustível solicitado pelas OM para a realização das diversas
atividades ligadas à Seleção Geral e Complementar.
5) Cabe ao Escalão de Pessoal/11ª RM:
a) coordenar, acompanhar e fiscalizar os procedimentos para o cumprimento dos eventos
relativos à Seleção Complementar, ao transporte e à incorporação dos conscritos;
b) orientar as OM participantes;
c) providenciar a autorização para o deslocamento dos componentes das CSC; e
d) tramitar a documentação necessária ao pagamento do transporte dos conscritos
incorporados ou dos reservistas licenciados.

3. CONCURSO VESTIBULAR - MATRÍCULA ASSEGURADA


a. Para efeito de matrícula em Estabelecimento de Ensino Superior (EES), após classificação em
concurso vestibular, será considerado em “dia com as obrigações militares” o candidato nas seguintes
condições:
1) convocado e designado para incorporação;
2) designado para incorporação, nas condições dos nº 1) e 2), do § 2º, do Art 89, do RLSM;
3) que estiver servindo em OMA; e
4) designado e/ou matriculado em OFR.
b. Em caso de incompatibilidade de horário ou de impedimento para prosseguir nos estudos
universitários, o estudante nas condições previstas anteriormente poderá trancar matrícula,
assegurando-lhe o direito de renová-la para o mesmo EE, independentemente de vaga, uma vez
cessado o impedimento. (Port nº 199/MEC, de 11 ABR 1977, publicada no DOU, de 18 ABR 1977, no
NE 4817, de 06 MAIO 1977 e no BE nº 21/77).

4. EXIGÊNCIA DE ATESTADO
De conformidade com a Lei nº 7.115, de 29 AGO 1983 (dispõe sobre prova documental, nos casos
que indica e dá outras providências), a declaração destinada a fazer prova de boa conduta, de bons
antecedentes, de residência e de pobreza, quando firmada pelo próprio interessado ou por procurador
bastante e, sob as penas da Lei, presume-se verdadeira. A comprovação de residência aqui prevista
será complementada com a apresentação de prova documental (conta de luz, telefone, mensalidade
escolar, declaração do empregador ou EE, etc.). Essa comprovação será necessária no caso de
alistamento em MNT.

5. INSCRIÇÃO EM CONCURSO PARA CARGO CIVIL OU PARA OUTRA FORÇA


Em face do contido no item 7.2, do BI nº 038, de 27 FEV 1986, do Cmdo CMP/11ª RM, as OM
subordinadas não deverão encaminhar requerimento de praça prestando o Serviço Militar Inicial,
solicitando autorização para a inscrição em concurso para provimento de cargo civil ou inclusão em
outra Força Armada, a menos que essa inclusão seja após a conclusão do Serviço Militar Inicial. O
mesmo se aplica às Forças Auxiliares.

55
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

6. PREFERENCIADO
a. O alistado com habilitação julgada de interesse particular da Marinha, do Exército ou da
Aeronáutica deve ser considerado em “situação preferencial” para a respectiva Força, de acordo com o
Art 69, do RLSM.
b. A situação de preferenciado deve ser definida por ocasião do alistamento na JSM. Essa situação
não deve ser considerada após o início da seleção geral.
c. O comprovante de matrícula escolar ou o atestado de trabalho devem ser exigidos de acordo com
o Art 69, do RLSM e deverá especificar, detalhadamente, a situação do conscrito preferenciado, não
bastando uma simples declaração de matrícula ou do empregador. São necessários o registro de
freqüência, o número de horas na atividade, a aprovação nas diversas etapas dos cursos, o
aproveitamento obtido e outros documentos comprobatórios.
d. Não deverá ser aceita declaração de comprovante de matrícula após o conscrito ter sido
selecionado, o que pode caracterizar uma tentativa de burlar ao Serviço Militar.
e. Procedimentos a serem adotados para com os preferenciados:
1) a JSM:
a) alistará o cidadão normalmente;
b) instruirá ao interessado, que reúna as condições previstas para o preferenciamento da
Marinha do Brasil, Exército ou Força Aérea, que deverá requerer ao Cmdo 7º DN, Cmt 11ª RM, VI
COMAR o seu preferenciamento para uma daquelas Forças;
c) confeccionará o processo de preferenciamento, atentando que os requerimentos deverão ser
instruídos com os respectivos comprovantes, bem como, com a cópia frente e verso do CAM;
d) remeterá o processo para a Delegacia do Serviço Militar que, após conferência,
encaminhará à 7ª CSM e esta à SSMR/11;
e) a SSMR/11 encaminhará o processo dos preferenciados para a força correspondente;
f) o Cmdo 7º DN, a 11ª RM ou o VI COMAR publicará no Boletim Interno correspondente o
deferimento e o conscrito passará a constar do efetivo mobilizável da Marinha, do Exército ou da
Força Aérea;
g) A SSMR/11 informará à 7ª CSM, que encaminhará a solução à Del SM e à JSM; e
h) O conscrito preferenciado deverá ser encaminhado para a seleção na CS/OMA da MB, do
EB ou da FAB mais próxima, por meios próprios, ou poderá ser dispensado de seleção, de acordo com
o interesse e a decisão do Cmdo 7º DN, Cmdo 11ª RM ou VI COMAR.

7. TRIBUTAÇÃO
a. A SSMR/11 deverá inserir no SERMILMOB, até 8 MAIO 10, os percentuais de pré-dispensa dos
MT da Seleção Geral, evitando assim, a emissão desnecessária de Fichas de Seleção.
b. Não haverá pré-dispensa nos Municípios Tributários sedes de IEMFDV para os cidadãos
realizando o Ensino Médio.
c. A SSMR/11 deverá elaborar e encaminhar a DSM, até 14 MAIO 10, as propostas de tributação,
que constarão do Plano Geral de Convocação 2012 (PGC/2012) e das Instruções Complementares de
Convocação para o ano de 2012 (ICC/2012), enviando uma cópia para a 7ª CSM.
d. Além do prescrito nos Art 35, 36 e 37, do RLSM, deverá considerar:
1) a seleção dos MT deverá atender as necessidades regionais de conscritos e a economizar
recursos; e
2) a tributação de municípios que tenham pequena quantidade de conscritos efetivamente
aproveitados não é conveniente, particularmente se a seleção tiver que ser realizada por comissões
volantes.
e. Os cidadãos alistados em JSM informatizadas que manifestarem o “Desejo de Servir” serão
excluídos do Processo de pré-dispensa do banco de dados do SERMILMOB.

8. DISPENSA FORÇADA (SISTEMA SERMILMOB)


1) Pelo Cmt RM
- Quando o Cmdo 11ª RM julgar desaconselhável a incorporação ou matrícula de determinado
conscrito determinará, ao final da Seleção, que a SSMR/11-SS1 atualize no Sistema do Serviço

56
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

Militar, ficando na situação de dispensado pelo Comando da Região. Esse procedimento só é válido
para os conscritos, que tendo comparecido à Seleção Geral, tenham sido considerados “aptos sem
restrição”. A relação supracitada dos dispensados deverá ser assinada pelo Chefe da SSMR/11-SS1 e
arquivada na SSMR/11-SS1. O Comando do 7º DN e o VI COMAR poderão enviar a 11ª RM relação
da solicitação de Dispensa Forçada ao final do período de Seleção Geral (29 OUT 10).
2) Pelo Diretor de Serviço Militar (Dir SM)
- Quando a incorporação ou matrícula de conscritos for julgada desaconselhável, o Diretor de
Serviço Militar determinará ao Chefe da Seção de Serviço Militar Inicial (DSM) a inclusão dos
mesmos no excesso de contingente das RM onde residirem. Este procedimento será executado ao final
do período destinado à realização da Seleção Geral.

9. TRANSFERÊNCIA DE RESERVISTA ENTRE AS FORÇAS ARMADAS


No caso de transferência de uma Força Armada para outra, os portadores de CDI receberão o
mesmo tratamento previsto no Art 246, do RLSM.

10. TRANSFERÊNCIA DE RESIDÊNCIA DE CONSCRITO JULGADO APTO


a. Para o conscrito julgado apto à distribuição que transferir sua residência para MT jurisdicionado
pela mesma RM onde fora selecionado ou aquele oriundo de área de outra RM, fica estabelecido o
prescrito no Art 85, da NT 11 – JSM. Para o encaminhamento à CD deverá ser feito contato prévio
com a SSMR/11-SS1, a fim de que esta faça a distribuição no SERMILMOB.
b. Especificamente o conscrito distribuído para TG que transferir sua residência para MT que não
tribute para TG, deverá ser incluído no EXCESSO DE CONTINGENTE, por não ter sido submetido
aos mesmos testes das CS realizadas em OMA ou caso expresse a vontade de servir, deverá ser
vinculado à próxima classe para envio à Seleção Geral.

11. LIBERAÇÃO DOS CONSCRITOS


a. É muito importante para o Sistema do Serviço Militar que o convocado liberado da prestação do
Serviço Militar Inicial, pelos diversos motivos possíveis, receba o Certificado a que fizer jus, no mais
curto prazo possível, inclusive a 2ª via, quando solicitada.
b. Quando o documento definitivo de situação militar não puder ser entregue ao conscrito de
imediato ou por motivo imperioso, deverá constar no verso do CAM a expressão: “LIBERADO DA
PRESTAÇÃO DO SERVIÇO MILITAR INICIAL, AGUARDANDO O CERTIFICADO
DEFINITIVO”.

12. AUDITORIA NO SISTEMA


Por meio de inspeções inopinadas em todos os órgãos do Sistema e do exame da documentação
recebida, o Cmdo 11ª RM, por intermédio de seus representantes, verificará, durante o desenrolar do
alistamento e da seleção, a correção de procedimentos, em especial nos casos de alistamento em
município não tributário (MNT), inclusão no excesso de contingente, inaptidão física e caracterização
de problema social.

13. EXERCÍCIO DE APRESENTAÇÃO DA RESERVA (EXAR)


a. Considerando que o propósito maior do EXAR é a atualização dos dados cadastrais da reserva na
“disponibilidade”, visando a agilizar uma possível mobilização por parte da força, torna-se necessária
a implantação de soluções que maximizem os índices de apresentação nesses exercícios. Para tal, em
concordância ao previsto no nº 10), do Art 27 e nos Art 201 e 202, do RLSM, recomenda-se uma
ampla divulgação no âmbito da RM sobre a obrigatoriedade de todos os Órgãos do Serviço Militar e
de todas as OM receberem os Oficiais e Praças integrantes da reserva na “disponibilidade” que, por
qualquer motivo, estejam impedidos de se apresentarem durante o EXAR na OM a que estiverem
vinculados.
b. Para serem alcançados índices expressivos na apresentação, a DSM elabora anualmente Portaria
referente ao EXAR, condicionando os reservistas ao comparecimento nos locais de apresentação, por
meio de intensa campanha publicitária de âmbito nacional.

57
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “A”

INFORMAÇÕES AO 7º CTA

1. EMISSÃO DE FS
As FS deverão ser processadas, por JSM, pelo SERMILMOB e migrado o banco de dados, na época
oportuna, para o Módulo CS/CSE.

2. PARÂMETROS
Os parâmetros serão carregados conforme cronograma do SERMILMOB, Anexo “Q”.

3. TELEFONES ÚTEIS
- Encarregado do SERMILMOB – 3415-7772
- Adjunto do SERMILMOB – 3415-7772
- Entrada de Dados Módulo E1 e SISMOB – 3415-7772
- Fax – 3415-7741

4. ORIENTAÇÕES AS JSM INFORMATIZADAS


a. Faixa de RA Emergencial
1) É aquela que é diretamente impressa pelo CTA e que se destina a atender uma situação de
emergência, como por exemplo: falta de energia elétrica ou pane em computador. Deve ser guardada
em local seguro e de conhecimento prévio pelos funcionários responsáveis pelo alistamento, a fim de
que o processo de alistamento não seja prejudicado, em virtude de incidentes.
2) Após o alistamento em faixa emergencial, assim que for possível, o alistamento deverá ser
cadastrado no SASM para que as informações atualizem o SERMILMOB.

b. Cuidados com os disquetes de Faixa de RA


- Faz-se necessário um cuidado especial com tais disquetes que contenham faixas de RA, no
sentido de que não seja feito um procedimento de cópia destes (backup), pois poderá causar um duplo
alistamento.

5. RECICLAGEM DO SISTEMA DE ALISTAMENTO MILITAR


Anualmente, está prevista uma reciclagem para os usuários dos SASM das JSM da região de
Brasília, a ser realizada nas instalações do 7º CTA, com data a ser definida.
Para as JSM fora da Guarnição de Brasília será definido o treinamento anual pelo 7º CTA em
acordo com a SSRM/11. A junta poderá solicitar um treinamento, caso ache necessário, seguindo para
tal a cadeia de comando.

6. FASE DE IMPLANTAÇÃO
Deve ser seguido o cronograma de atualização do SERMILMOB, Anexo “Q”.

7. FASE DE SELEÇÃO
a. Para os componentes das CS haverá um treinamento do Módulo Comissão de Seleção (Mod CS),
que será realizado até duas semanas antes do início da CS, para a CSFA/01 e uma semana antes, para
as demais CS, de acordo com cronograma específico a ser divulgado posteriormente.
b. As CS deverão fazer backup diário dos dados do Mod CS.

8. FASE DE DISTRIBUIÇÃO
a. A fim de minimizar os erros nesta fase, as OM deverão remeter os Bol Nec no prazo e sem erros.
b. Os erros e faltas de preenchimento do Bol Nec poderão acarretar a não distribuição de cidadãos
para incorporação.
c. As listagens correspondentes à distribuição deverão ser impressas até 3 DEZ 10.

58
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “B”

CALENDÁRIO DE EVENTOS PARA 2010/2011

DA SUBSEÇÃO DE RECRUTAMENTO

Nr Eventos Encargo Época Origem Destino Observação


2 JAN a 29 ABR 10 JSM/CSM
01 Adiamento de Incorporação Conscrito 5 JUL a 8 OUT 10 CS/JSM 7ª CSM Letra d., nº 2., Cap VI.
Até 30 JAN 11 SSMR/11
02 Crg alistamentos até 30 ABR 7ª CSM Até 31 MAIO 10 JSM/MT Del SM/CSM Nr 4. do Capítulo II
Info Pres CS Até 29 MAIO 10 Item 4), letra c), Nr 8., CapIII
03 Cmdo Coord OMA SSMR/11
Info componentes CS Até 7 JUN 10 Ver Anexo “R”.
04 Remessa dos Bol Nec OM Até 10 SET 10 OM e SSTG SSMR/11 Cap V.
05 Estágio Pres e Médico CS/CSE SSMR/11 23 a 25 JUN 10 SSMR/11-SS1 SSMR/11- -
06 Seleção Geral Pres CS/CSE 5 JUL a 8 OUT 10 - - Ver Anexo “R”
07 Seleção Especial NPOR e TG OM Rspnl 11 a 29 OUT 10 CS vinculada - Rev Med, Ex Fis e Entrevista
08 Inspeção de Saúde Grau de Recurso Conscrito Até 15 dias Todas as CS Cmdo 11ª RM PIS anexa cópia Ata Insp Sau
Entrega de CDI aos dispensados CS Até 20 dias
09 Ch Del SM Todas as CS - Ver item 6. do Capítulo III.
Entrega de CI Imediato
10 Relatório e material das CS Pres CS 5 dias após Todas CS SSMR/11 -
11 Mapa controle material CS Pres CS 5 dias após Todas CS SSMR/11 Anexo “M”
Conhecimento da Distribuição NPOR,
12 CD 3 a 14 JAN 11 Todas CD - Item 3. Cap V
OMA e TG
NPOR 18 JAN a 5 FEV 11 CS 01, 04 e 05 NPOR
TG 18 JAN a 26 FEV 11 CS vinculada TG
13 Seleção Complementar Item 1 Cap VII
Gpto “A” 17 JAN a 25 FEV 11 CS vinculada OMA
Gpto “B” 13 JUN a 29 JUL 11 CS vinculada OMA
Gpto “A” 1º MAR 11 CS vinculada OMA -
Gpto “B” 1º AGO 11 CS vinculada OMA -
EAS 1º FEV 11 OMA OMA -
Incorporação
Início -
14 EIPOT NPOR
Término -
EIC NPOR/CPOR OM Dsg RM -
NPOR 7 FEV 11 CS vinculada NPOR -
Matrícula
TG 1º MAR 11 CS vinculada TG -
15 Boletim Incorporação/Matrícula OM 10 dias após evento Todos Gpto SSMR/11 Anexo “W”
Atualização de dados no
16 OM 10 dias após evento OM SERMILMOB -
SERMILMOB

Obs: mediante prévio entendimento do Cmdo 7º DN e do VI COMAR, com a 11ª RM, sem alterar o
período da distribuição (3 a 14 JAN 11), os conscritos distribuídos para a Marinha poderão antecipar
as apresentações em suas OM a partir 10 JAN 11, e os distribuídos para a Aeronáutica, do Gpt “A”, a
partir de 5 JAN 11, e os do Gpt “B”, a partir de 7 JUN 11, apesar do início da seleção efetivamente ser
em 17JAN 11 (Gpt “A”) e 13 JUN 11 (Gpt “B”).

59
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

DA SUBSEÇÃO DE Of/Sgt Tmpr


Nr Eventos Encargo Época Origem Destino Observação
2 JAN a 29 ABR 10 JSM/CSM
01 Adiamento de Incorporação Conscrito 5 JUL a 8 OUT 10 CS/JSM 7ª CSM Letra d., nº 2., Cap VI.
Até 30 JAN 11 SSMR/11
02 Componentes da CSE/MFDV SSMR/11 Até 24 ABR MB/EB/FAB SSMR/11 Letra a., n.º 4., Cap IV.
03 Nec MFDV, OTT, OCT/OIT e EBST OM Até 31 AGO Cmt, Ch, Dir SSMR/11 -
Contato com os IEMFDV MAR/ABR SSMR/11-SS2 IEMFDV SS2 faz palestra nos IEMFDV.
Reunião da CSE/MFDV 9 SET 10 11ª RM Cmdo 11ª RM 14h, Ch SSMR/11, MB e FAB
1° JUN 10 Gurupi UNIRG 09:00 h
2 JUN 10 Porto Nacional ITPAC 09:00 h
SSMR/11
3 JUN 10 Araguaína ITPAC 09:00 h
Palestra CSE/MFDV (3 Forças)
15 JUN 10 Uberaba UFTM/UNIUBE 09:00 h
16 JUN 10 Uberlândia UFU 09:00 h
17 JUN 10 Araguari FMA 09:00 h
Palestra IEMFDV 10 JUN 10 Brasília ESCS-GDF 09:00 h
8 JUN 10 Gama FACIPLAC 09:00 h
9 JUN 10 Taguatinga UCB 09:00 h
11 JUN 10 Brasília UNB 09:00 h
CSE/MFDV
Palestra e pré-insc Med Voltr. 18 JUN 10 Goiânia UFG 14:30 h
- 09:00h CMB, MB e FAB; e
19 JUL 10 Cmdo 11ª RM - - http://www.11rm.eb.mil.br
- A confirmar.
Palestra e pré-insc FDV Voltr CSE/FDV
16 SET 10 Araguaína TG 11-011 08:00 h
15 SET 10 Porto Nacional TG 11-005 08:00 h
14 SET 10 Gurupi UNIRG 08:00 h
27 e 28 SET 10 Uberada TG 11-003 08:00 h
04 Seleção CSE /MFDV 29 SET 10 Uberlândia 36º BIMtz 08:00 h
30 SET 10 Araguari 11° BEC 08:00 h
M
1° OUT 10 Goiânia Bda Op Esp 08:00 h
F
Prédio Anexo ao
D 11 a 15 OUT 10 Brasilia MDFV voluntários.
Cmdo MB
V
Reu Comissões Análise de Proc 27 OUT 10 11ª RM Cmdo 11ª RM 14:00 h auditório 11ª RM
Análise dos processos dos MFDV 1º a 30 NOV 10 C. A. P. SSMR/11 Coms: MB/HMAB/FAB/HFA
Entrega das Atas Até 3 DEZ 10 Pres. C.A.P SSMR/11 1 impressa e 1 digital
Distribuição entre as Forças 7 DEZ 10 SSMR/11 FA e HFA MB, EB, FAB e HFA.
Designação SMO – Médicos Araguaína TG 11-011
Gurupi TG 11-005
Uberada TG 11-003
07 a 18/12 Uberlândia 36º BI Mtz
Araguari 11° BEC
SSMR/11 Cmdo 11ª RM.
Goiânia Bda Op Esp
Lista dos Pré-selecionados para
Brasíia SSMR/11
o Exército será divulgada no
Designação SMV – FDV Araguaína TG 11-011
portal da 11ª RM.
Porto Nacional TG 11-005 (www.11rm.eb.mil.br)
Uberada TG 11-003
15/1/10 Uberlândia 36º BIMtz
Araguari 11° BEC
Goiânia Bda Op Esp
Brasíia SSMR/11
Seleção Complementar 18 a 29 JAN 11 Prvd Adm para Incrp
OM formadora
Incorporação 1º FEV 11 OM formadora
Apenas em Brasília/DF
Palestra Cmt 11ª RM SSMR/11 A definir
Confecção do Edital ABR 10
Divulgação na Internet Até JUL 10 Informações no site:
Pré Inscrição 28 JUN a 09 JUL 10 http://www.11rm.eb.mil.br
SSMR/11
Inscrição 02AGO a 03 SET 10
05 Auditório 11ª RM
Reunião com as CAC SSMR/11 21 a 24 SET 10
O Cmdo 11ª RM
T Análise de currículos 27 SET a 29 OUT 10 CAC
T SSMR/11
Ao Ch SSMR/11-SS2
Entrega das atas
1º NOV 10 Pres CAC
e
Divulgação pré-selecionados Divulgação pré-selecionados,
Até 17 DEZ 10 SSMR/11
S horários provas e selecionados
Provas didáticas e/ou práticas A definir 27 SET a 29 NOV 10 A definir http://www.11rm.eb.mil.br
T
T Divulgação selecionados SSMR/11 Até 29 DEZ 10 SSMR/11
Inspeção Saúde 17 a 28 JAN 11 OS Cmdo 11ª RM
OM formadora
EAF OM formadora 31 JAN a 11 FEV 11
Incorporação 25 FEV 11 -
OM formadora
Palestra Cmt 11ª RM SSMR/11 A definir Apenas em Brasília

60
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “C”

RELAÇÃO DE CONSCRITOS ALISTADOS EM ZR DE MTS/TG

CSM_______ JSM _______ CS_______

Residente a Refratário
mais de um Data Data
Data do
Ordem Nome do Conscrito ano em ZR de de
Alistamento Sim Não
MTS/TG Nascimento Apresentação
Sim Não

(Local e data)

________________
Presidente da CS

61
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “D”

TRIBUTAÇÃO DE MUNICÍPIOS

1. MUNICÍPIOS TRIBUTÁRIOS
ESTADO DE GOIÁS DISTRITO FEDERAL
JSM MUNICÍPIO OMA NPOR TG JSM MUNICÍPIO OMA NPOR TG
012 Anápolis X --- X Todas Brasília X X ---
059 Catalão X --- --- ESTADO DO TOCANTINS
073 Cristalina X --- --- JSM MUNICÍPIO OMA NPOR TG
091 Formosa X --- --- 022 Araguaína --- --- X
101/258 Goiânia Centro/Campinas X --- --- 152 Miracema do Tocantins --- --- X
117 Ipameri X --- --- 332 Palmas X --- ---
119 Iporá --- --- X 188 Pedro Afonso --- --- X
133 Itumbiara X --- --- 209 Porto Nacional --- --- X
139 Jataí X --- --- 243 Tocantínia --- --- X
145 Luziânia X --- --- ESTADO DE MINAS GERAIS
198 Pires do Rio X --- --- JSM MUNICÍPIO OMA NPOR TG
200 Planaltina X --- --- 023 Araguari X X ---
207 Porangatu --- --- X 095 Frutal --- --- X
216 Rio Verde X --- X 134 Ituiutaba --- --- X
347 Novo Gama X X --- 249 Uberaba --- --- X
250 Uberlândia X X ---

2. MUNICÍPIOS NÃO TRIBUTÁRIOS


ESTADO DE GOIÁS
MUNICÍPIO-JSM MUNICÍPIO-JSM MUNICÍPIO-JSM MUNICÍPIO-JSM MUNICÍPIO-JSM
Abadiânia-001 Cabeceiras-043 Edealina-291 Jandaia-137 Nova Roma-171
Acreúna-260 Cachoeira Alta-044 Edéia-085 Jaraguá-138 Nova Veneza-172
Adelândia-327 Cachoeira de Goiás-046 Estrela do Norte-086 Jaupaci-140 Novo Brasil-174
Água Fria de Goiás-286 Cachoeira Dourada-275 Faina-311 Jesúpolis-336 Novo Planalto-309
Água Limpa-003 Caç-047u Fazenda Nova-087 Joviânia-141 Orizona-176
Alexânia-004 Caiapônia-048 Firminópolis-089 Jussara-142 Ouro Verde de Goiás-177
Aloândia-006 Caldas Novas-049 Flores de Goiás-090 Leopoldo de Bulhões-143 Ouvidor-178
Alto Paraíso de Goiás-007 Campestre de Goiás-050 Formoso-092 Mairipotaba-146 Padre Bernardo-179
Alvorada do Norte-009 Campinaçu-276 Goianápolis-098 Mambaí-147 Palestina de Goiás-328
Amaralina-340 Campinorte-052 Goiandira-099 Mara Rosa-148 Palmeiras de Goiás-180
Americano do Brasil-271 Campo Alegre de Goiás-053 Goianésia-100 Marzagão-149 Palmelo-181
Amorinópolis-010 Campos Belos-054 Goianira-102 Matrinchã-312 Palminópolis-182
Anhangüera-013 Campos Verdes-307 Goiás-103 Maurilândia-150 Panamá-183
Anicuns-014 Carmo do Rio Verde-057 Guapo-106 Mimoso de Goiás-308 Paranaiguara-184
Aparecida de Goiânia-015 Caturaí-060 Guarani de Goiás-107 Minaçu-261 Paraúna-187
Aporé-016 Cavalcante-061 Gouvelândia-292 Moiporá-154 Petrolina de Goiás-191
Araçu-017 Ceres-063 Heitoraí-111 Monte Alegre de Goiás-155 Pilar de Goiás-192
Aragoiânia-019 Cesarina-287 Hidrolândia-112 Montes Claros de Goiás-158 Piracanjuba-194
Araguapaz-272 Cocalzinho de Goiás-337 Hidrolina-113 Montividiu-293 Piranhas-196
Arenópolis-273 Colinas do Sul-314 Iaciara-114 Morro Agudo de Goiás-297 Pirenópolis-197
Aruanã-027 Córrego do Ouro-068 Indiara-266 Mossâmedes-160 Pontalina-204
Aurilândia-027 Corumbá de Goiás-069 Inhumas-116 Mozarlândia-161 Portelândia-208
Avelinópolis-030 Corumbaíba-070 Israelândia-120 Mundo Novo-267 Posse-210
Baliza-033 Cristianópolis-074 Itaberaí-121 Mutunópolis-162 Rialma-214
Barro Alto-034 Crixás-075 Itaguari-296 Nazário-165 Rianápolis-215
Bela Vista de Goiás-035 Cromínia-076 Itaguaru-123 Nerópolis-166 Rio Quente-329
Bom Jesus de Goiás-036 Cumari-077 Itajá-125 Niquelândia-167 Rubiataba-217
Bom Jardim de Goiás-037 Damianópolis-078 Itapaci-126 Nova América-168 Sanclerlândia-218
Bonfinópolis-289 Damolândia-079 Itapirapuã-128 Nova Aurora-169 Sta Bárbara de Goiás-219
Brazabrantes-039 Davinópolis-080 Itapuranga-130 Nova Crixás-268 Sta Cruz de Goiás-220
Britânia-041 Diorama-082 Itarumã-131 Nova Glória-279 Sta Fé de Goiás-313
Buriti Alegr-042e Divinópolis de Goiás-096 Itauçu-132 Nova Iguaçu de Goiás-298 Sta Helena de Goiás-221
Buriti de Goiás-333 Doverlândia-277 Ivolândia-136 Senador Canedo-288 Silvânia-236
Sta Izabel-282 Sto Antônio do Descoberto-283 São Luís de Montes Belos-231 Trindade-246 Simolândia-317
Sta Rita do Araguaia-222 São Domingos-227 São Luís do Norte-299 Trombas-310 Sítio d’Abadia-237
Sta Rosa de Goiás-223 São Francisco de Goiás-228 São Miguel do Araguaia-232 Turvânia-248 Taquaral de Goiás-242
Sta Tereza de Goiás-224 São João d’Aliança-230 São Miguel do Passa Quatro-290 Tuverlândia-295 Teresina de Goiás-318
Vicentinópolis-285 Vianópolis-256 Varjão-254 Urutaí-253 Uruana-252
Sta Terezinha de Goiás-225 São João da Paraúna-294 São Simão-234 Uruaçu-251 Três Ranchos-245
Buritinópolis-334 Goiatuba-105 Mineiros-151 Morrinhos-159 Quirinópolis-213
Serranópolis-235

62
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ESTADO DE MINAS GERAIS


MUNICÍPIO-JSM MUNICÍPIO-JSM MUNICÍPIO-JSM MUNICÍPIO-JSM MUNICÍPIO-JSM
Água Comprida-002 Capinópolis-058 Conceição das Alagoas-066 Itapagipe-127 Pirajuba-195
Cachoeira Dourada-045 Carneirinho-338 Fronteira-094 Iturama-135 Planura-203
Campina Verde-051 Centralina-062 Gurinhatã-109 Limeira do Oeste-339 Prata-211
Campo Florido-055 Veríssimo-255 Indianópolis-115 Monte Alegre de Minas-156 Santa Vitória-226
Canápolis-056 Comendador Gomes-065 Ipiaçu-118 Nova Ponte-170 São Francisco de Sales-229
Tupaciguara-247

ESTADO DO TOCANTINS
MUNICÍPIO-JSM MUNICÍPIO-JSM MUNICÍPIO-JSM MUNICÍPIO-JSM
Aliança do Tocantins-300 Bernardo Sayão-321 Divinópolis do Tocantins-323 Gurupi-110
Almas-005 Brejinho de Nazaré-040 Dois Irmãos do Tocantins-083 Itacajá-122
Alvorada-008 Caseara-322 Duerê-084 Itaporá do Tocantins-129
Aparecida do Rio Negro-319 Colinas do Tocantins-064 Fátima-278 Lizarda-144
Araguacema-020 Colméia-190 Figueirópolis-265 Marianópolis do Tocantins-325
Araguaçu-021 Combinado-315 Filadélfia-088 Miranorte-153
Arapoema-025 Conceição do Tocantins-067 Formoso do Araguaia-093 Monte do Carmo-157
Arraias-026 Couto de Magalhães-071 Goianorte-324 Natividade-163
Aurora do Tocantins-029 Cristalândia-072 Goiatins-104 Nova Olinda-280
Novo Acordo-173 Ponte Alta do Tocantins-206 Peixe-189 Santa Tereza do Tocantins-304
Novo Alegre-316 Porto Alegre do Tocantins-302 Pequizeiro-326 Silvanópolis-284
Palmeirópolis-281 Presidente Kennedy-212 Pindorama do Tocantins-193 São Valério da Natividade-305
Paraíso do Tocantins-185 Rio Sono-269 Pium-199 Taguarussu do Porto-306
Paraná-186 Santa Rosa do Tocantins-303 Barrolândia-320 Dianópolis-081
Guaraí-108 Nova Rosalândia-301 Ponte Alta do Bom Jesus-205 Taguatinga-241

63
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “E”

RELAÇÃO DOS INSTITUTOS DE ENSINO, OFICIAIS OU RECONHECIDOS, DESTINADOS À


FORMAÇÃO DE MFDV, DISPENSADOS DE TRIBUTAÇÃO EM 2010

INSTITUTOS DE ENSINO Município/Estado


FARMÁCIA
1. Universidade do Estado de Goiás (UEG) Anápolis – GO
2. Faculdade de Farmácia e Bioquímica de Araguaína Araguaína – TO
3. Faculdade de Farmácia da Universidade Paulista (UNIP)
4. Faculdade de Farmácia do Planalto Central (FARMPLAC) Brasília – DF
5. Universidade de Brasília (UnB)
6. Universidade Federal de Goiás (UFG)
Goiânia – GO
7. Universidade Paulista (UNIP)
8. Centro Universitário Luterano de Palmas (CEULP) Palmas – TO
9. Universidade de Uberaba (UNIUBE) Uberaba – MG
ODONTOLOGIA
1. Faculdade de Odontologia de Araguaína Araguaína – TO
2. Universidade Católica de Brasília (UCB)
3. Universidade Paulista (UNIP)
Brasília – DF
4. Universidade de Brasília (UnB)
5. Faculdade de Odontologia do Planalto Central (FOPLAC)
6. Universidade Federal de Goiás (UFG)
Goiânia – GO
7. Universidade Paulista (UNIP)
8. Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas de Gurupi (FAFICH) Gurupi – TO
9. Universidade de Uberaba (UNIUBE) Uberaba – MG
10. Universidade Federal de Uberlândia Uberlândia – MG
VETERINÁRIA
1. Faculdade Latino Americana (FLA) Anápolis – GO
2. Fundação Universidade Federal do Tocantins Araguaína – TO
3. Faculdades de Ciências Agrárias do Planalto Central (AGROPLAC)
4. Faculdades Integradas da União Pioneira Integração Social (UPIS) Brasília – DF
5. Universidade de Brasília (UNB)
6. Universidade Federal de Goiás (UFG) Goiânia – GO
7. Universidade Federal de Goiás (UFG) Jataí – GO
8. Faculdades Integradas do Planalto Central (FIPLAC) Luziânia – GO
9. Universidade de Uberaba (UNIUBE) Uberaba – MG
10. Universidade Federal de Uberlândia Uberlândia – MG
FARMÁCIA, ODONTOLOGIA E VETERINÁRIA
1. Centro de Ensino Unificado de Brasília (CESUBRA) Brasília – DF
2. Instituto Unificado de Ensino Superior Objetivo (IUESO) Goiânia – GO
3. Faculdades Integradas de Ensino Superior de Porto Nacional Porto Nacional – TO
4. Escola Superior de Ciências da Saúde e Rio Verde (ESCISA) Rio Verde – GO
FARMÁCIA E ODONTOLOGIA
1. Centro Universitário de Anápolis (UniEVANGÉLICA) Anápolis – GO
2. Centro Universitário do Triângulo (UNIT) Uberlândia – MG

64
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “F”

MAPA DE NECESSIDADES DA RM PARA A CONVOCAÇÃO DE MFDV PARA A PRESTAÇÃO DO


ESTÁGIO DE ADAPTAÇÃO E SERVIÇO E NIVELAMENTO DO QUADRO DE SAÚDE EM 2010

11ª RM

Previsto Existente Necessidades para a Convocação


Especificação
(1) (2) (3)
MÉDICOS 7 1 6
FARMACÊUTICOS
DENTISTAS
VETERINÁRIOS
TOTAL
Observação:
1) A coluna (3) é a diferença obtida entre as colunas de Previsto (1) e Existente (2).
2) Data de entrada na DSM: até 10 dias após o término da Seleção Especial.

(Local e data)

____________
Ch SSMR/11

APÊNDICE AO ANEXO “F”

QUADRO RESUMO DA SELEÇÃO DE MÉDICOS

QUADRO RESUMO DA SELEÇÃO DE MÉDICOS


Aptos Aptos Masc Necessidade de Médicos Aptos para 11ª RM
Especialidade que Sol convocação Masc Voltr
Masc Fem Total Fem
Adiamento EB MB FAB Sim Não
Clínico Geral
Cardiologia
Pediatria
Ginecologia

TOTAL

(Local e data)

____________
Ch SSMR/11

65
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “G”

MAPA DE SELEÇÃO ESPECIAL DE MÉDICOS

Aptos Adiamento Médicos Aptos para 11ª RM


Nec Convc
para fim de Masc Voltr
Especialidade
Masc Fem Total residência Fem
EB MB FAB Total Sim Não
Médica (1)
Clínico Geral 15 15 30 05 4 4 4 12 08 2 15
Cardiologia
Pediatria
Ginecologia

TOTAL

Obs:
(1) lançar uma estimativa referente à concessão, para os médicos do sexo masculino, de adiamento
para o fim de Residência Médica.

(Local e data)

______________
Ch SSMR/11

66
ANEXO “H”

67
Serviço Militar – Veja o Brasil, por um novo ângulo” ..............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

MAPA CONTROLE DE SELEÇÃO

MAPA CONTROLE DE SELEÇÃO DO PERÍODO DE ____/____/____ à ____/___/____

OMA TG Sv Altn

Cmpr Incapazes Incp Adia Disp Total de Total


Escola Aptos Inapto TSI Disp Prbl Outros Voltr
à Moral de Arrimos Med ou Incapazes Aptos à
ridade “A” B1 B2 C (K) Incrp Social Casos Servir
Sel (H) Incrp Isento B1, B2 e C Distr
Nível Quant Quant % Quant Quant Quant Quant % Quant Quant Quant Quant Quant Quant Quant % Quant % Quant Quant %

1. INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A SELEÇÃO

Demonstrativo das incapacidades


Comissão de Seleção nº
Acuidade visual Acuidade Auditiva Odontológica
Total

Necessidades Total da FAMSEL abertas Conscritos mandados à


Informação BCC aplicadas IAP aplicadas TSI aplicados
RM (sem majoração) nas CS CSE de NPOR
Quantidade

2. INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO MAPA DE SELEÇÃO

a. Os Mapas para Controle de Seleção de OMA, TG e Sv Altn são gerados automaticamente no Mod CS.
b. Deverá ser enviado à SSMR/11 logo após o carregamento do arquivo dos cidadãos remetidos no SERMILWEB.
Serviço Militar – Veja o Brasil, por um novo ângulo.” ..............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “I”

MAPA CONTROLE DA SELEÇÃO (NPOR)

MAPA DE CONTROLE DE SELEÇÃO (NPOR)

______ RM MAPA Nr _______ ATÉ: ____/____/_____

CONTRA INDICADOS
QUANTIDADE DE EXAME EXAME OUTROS SOMA DOS
ESCOLA CONCORRRERÃO
APRESENTADOS MÉDICO FÍSICO MOTIVOS CONTRA
RIDADE À DISTRIBUIÇÃO %
NA SELEÇÃO (3) (4) (5) INDICADOS
(1) (7)
(2) (6)
QTD % QTD % QTD %
30
39
38
37
36
35
34
33
32
31
20
24
23
TOTAL

- Necessidade total do NPOR, sem majoração ______

Obs:
1. Os percentuais deverão ser calculados em relação ao total da coluna (2), dentro da escolaridade.
2. A coluna (7) é resultado da diferença entre as colunas (2) e (6), dentro da escolaridade.
3. Os percentuais inferiores a 1% serão desprezados.
4. Data limite para carregamento dos dados da CSE no SERMILMOB: 8 NOV 10.
5. O total dos que compareceram à Seleção deve ser coerente com o total de aptos constantes do
Mapa de Controle de Seleção de OMA

(Local e data)

_________________
Pres CSE/NPOR

68
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “J”

CERTIDÃO DE SITUAÇÃO MILITAR

1. O presente anexo padroniza o modelo de Certidão de Situação Militar de que trata o Art 209, do
Regulamento da Lei do Serviço Militar.

PARA MILITARES QUE PERDERAM OS SEUS POSTOS OU GRADUAÇÕES

ANVERSO

MINISTÉRIO DA DEFESA
EXÉRCITO BRASILEIRO
11 ª RM
OM

CERTIDÃO DE SITUAÇÃO MILITAR

Nº 000001 SÉRIE ____

Certifico que ________________________________________, Idt nº___________, CPF nº ________________,


nascido a ______________ - ___________________ - ______________________________________________,
(Data) (Município) (Estado)
filho de ____________________________________________________________________________________
e de _______________________________________________________________________________________,
foi excluído do Serviço Militar a bem da disciplina em_____/_____/______, acarretando na perda de seu grau
hierárquico, de acordo com o Art 127 da Lei Nº 6.880, de 9 de dezembro 1980 (Estatuto dos Militares – E1).

VERSO

(Somente é válido com as Armas Nacionais “em marca d’água)

OUTROS DADOS: “VÁLIDO COMO CERTIDÃO DE TEMPO DE SERVIÇO MILITAR”

Incorporado/Matriculado em ________________ licenciado em ______________________.

Tempo de Serviço: _______________________________________________.


(anos, meses e dias por extenso)

______________________
(Local e Data)
______________________________
(Assinatura do Cmt, Ch ou Dir)

69
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

PARA COMPROVAR A SITUAÇÃO DOS ASPIRANTES-A-OFICIAL, OFICIAIS TEMPORÁRIOS


LICENCIADOS E OFICIAIS DEMITIDOS.
ANVERSO

MINISTÉRIO DA DEFESA
EXÉRCITO BRASILEIRO
__ ª RM
OM

CERTIDÃO DE SITUAÇÃO MILITAR

Nº 000001 SÉRIE ___

Certifico que _______________________________________, Idt nº__________________, CPF nº _____________,


nascido a _______________ - _____________________ - _____________________________________________,
(Data) (Município) (Estado)
filho de _______________________________________________________________________________________
e de __________________________________________________________________________________________,
é _______________________ do Exército, de(o) ________________________ na Reserva de 2ª Classe.
(Posto) (Arma, Quadro ou Serviço)

VERSO

(Somente é válido com as Armas Nacionais “em marca d’água)

OUTROS DADOS: “VÁLIDO COMO CERTIDÃO DE TEMPO DE SERVIÇO MILITAR”

Incorporado/matriculado em ______________,demitido/licenciado em________________.

Tempo de Serviço: __________________________________________________.


(anos, meses e dias por extenso)

___________
(Local e Data)
______________________________
(Assinatura do Cmt, Ch ou Dir)

Em dia com as obrigações militares, de acordo com as anotações nos carimbos

2. São autoridades competentes para assinar a presente Certidão: o Chefe da Seção de Serviço
Militar Regional, o Comandante da Organização Militar formadora ou da Organização Militar na qual
o militar prestou seus serviços.
3. Caberá à Seção de Serviço Militar Regional/11, a confecção, a distribuição e o controle dos
formulários entregues e dos estoques dos formulários em branco existentes na área regional.

70
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

4. Para fins comprovação de regularização de situação militar, os Oficiais demitidos, os Oficiais da


Reserva de 2ª Classe e os Asp Of não convocados também receberão este documento.
5. Para preenchimento do campo “Tempo de Serviço” do aluno de OFR, observar o que prescreve o
Art 63 e seu parágrafo único, da Lei do Serviço Militar.
6. Para o preenchimento do campo “Tempo de Serviço” do EI/EIPOT, preencher com o número de
dias, meses e anos, contados de acordo com a legislação vigente. Exemplo: 00a00m00d.
7. De acordo com Port nº 295- DGP, de 14 DEZ 09, NT 14, a numeração da referida Certidão
deverá conter 7 (sete) dígitos, devendo, os dois primeiros, serem relativos à RM e os cinco seguintes
seqüenciais, seguindo-se da série, que deverá ser de “A” a “Z”. Exemplo: 11-00001-Série A.

71
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “K”

QUADRO RESUMO DA ENTREGA DE CERTIFICADOS MILITARES

Tipo de Órgão
Conscritos que recebem o Certificado Prazo
Certificado Responsável
Notoriamente Incapaz. CSM/JSM Mais curto prazo após alistamento.
CI Incapaz definitivamente (Incapaz “C”)
CS Entregue de imediato.
(Incapaz “H”).
Residente em MNT. CSM/JSM Até 30 dias após o evento.
Inapto “K”;
Problema Social;
Incapaz “B1” e “B2”;
CS Seleção e até 30 dias após conclusão.
CDI Empregado de Empresa de Interesse Militar
PLANO Relacionada;
Residente em ZR de MT, somente de TG..
Exc Contg (OM). CSM/JSM Até 30 dias após Incrp/Mtcl.
Arrimos de família. CS Mais curto prazo após comprovação.
Maiores de 30 anos. CSM/JSM Mais curto prazo após alistamento.
Excesso de Contingente constante das 7º CTA
CDI relações de distribuição do PAD 7ª CSM Até 30 dias após o evento.
Computador MT dispensado de Seleção pelo Cmt RM. JSM Infor
e MT pré-dispensado de Seleção. CS No dia da seleção
Informatizado CSM/JSM
Residente em MNT Até 30 dias após o evento
Infor

OBSERVAÇÃO: as JSM deverão participar do processamento e entrega de todos os Certificados.

72
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “L”

MAPA DE SELEÇÃO DE MÉDICOS, FARMACÊUTICOS, DENTISTAS E VETERINÁRIOS

MAPA CONTROLE DE SELEÇÃO


(MFDV)

11ª RM Masculino Feminino ANO:______


Dispensados ou Isentos
Formados do ano

Disponíveis para
Adiados de anos

Necessidade da
Apresentados

Aptos para a
Distribuição
Voluntários

outras RM
anteriores

Soma dos
Corrente

Adiados
Aptos

RM
Motivos
Inc “H”
Incapaz

Incapaz

Incapaz
Especialidade

Outros
Moral
“B1”

“B2”

“C”
(1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) (10) (11) (12) (13) (14)
Médico
Farmacêutico
Dentista
Veterinário
Total

OBS: - O mapa acima deverá ser inserido no Portal SERMILMOB, ao término da Seleção Especial.
- Em caso de problemas técnicos no SERMILMOB, a RM deverá consolidar os mapas de suas
CS e remetê-lo à DSM até 12 NOV 10.
- (4) deverá ser igual a soma das colunas (1), (2) e (3).
- (10) deverá ser o resultado da operação: {Coluna (4)} – {Soma das Colunas (5), (6), (7), (8) e
(9)}.
- (12) deverá ser o resultado da subtração das colunas (10) e (11).
- (13) corresponde às necessidades constantes do Anexo “F”.
- A SSMR/11 deverá confeccionar: 01 (um) mapa para o segmento masculino, 01 (um) mapa
para o segmento feminino e 01 (um) mapa geral consolidando os dois segmentos.
- Para MFDV do sexo feminino, preencher apenas as colunas (3), (11), (13) e (14).
- Na coluna (9) deverá ser especificado o motivo da dispensa ou isenção, pela inserção do título
adequado.

(Local e data)

___________________
Ch SSMR/11

73
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “M”

MAPA CONTROLE DO MATERIAL DO SERMIL DISTRIBUÍDO À 11ª RM, 7º CTA E 7ª CSM

CONTROLE DE MATERIAL DO SERMIL PARA A 11ª RM

Remessa nº_____/2010 Do Chefe


Ao Sr Diretor de Serviço Militar

Documento (01) Prv Anual Ní Estq Cons A-1 Saldo Ní Crítico Ní Seg
TSI
Fl Resposta-IAP
Fl Resposta-BCC
FAMSEL

Conferido: ______________________ ____________________________


Fiscal Administrativo Almoxarife

CONTROLE DE MATERIAL DO SERMIL PARA O 7º CTA

Remessa nº_____/2010 Do Chefe


Ao Sr Diretor de Serviço Militar

Nome do documento Prv Anual Ní Estq Cons A-1 Saldo Ní Crítico Ní Seg
(01) (02) (03) (04) (05) (06) (07)
CAM/FAM/FAM
CAM/FAM
(emergencial)
CDI computador

Ficha de seleção
Ficha Cadastro
(OMA)
Ficha Cadastro (TG)

Cartão de Idt p/ TG

Conferido: ______________________ ____________________________


Fiscal Administrativo Almoxarife

OBS: (01) - identifica o documento a ser fornecido pela DSM.


(02) - previsão de gasto do material em A+1, com base no consumo dos últimos 3 anos.
(03) - coluna (02) + 30 %, correspondente à quantidade calculada levando-se em consideração o
nº de selecionados no ano A + 5%.
(04) - consumo real (sem majoração) do documento de A-1.
(05) - quantidade de documento em estoque no OSM e Órgãos e OM subordinadas.

74
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

(06) - 10 % Nec anual. Quando o OSM atingir o nível, solicitar recompletamento ao Órgão que
lhe fornece o documento.
(07) - 20 % da necessidade anual. Nível que será recompletado toda vez que o OSM atingir o
nível crítico.

MAPA CONTROLE DE CERTIFICADOS MILITARES EM BRANCO


MD/EB/11ª RM Estado/Cidade _, __/__/2010.
Do Chefe da 7ª CSM
Ao Sr Diretor de Serviço Militar Remessa Nº _/2010 __° BIM VISTO:____________
Ch da 7ª CSM
Desrelacionados
Rcb Quadrimestre Total Exis NC NS
(1) (2) (3) Bimestre
(10) (11) (12) (13)
(4) (5) (6) (7) (8) (9)
CAM/FAM JSM
a
Info
FAM para JSM
b
Informatizada
CDI formulário
c
contínuo
CI formulário
d
contínuo
e CR 1ª Cat
f CR 2ª Cat
g CDSA
h CRSA
i TAXA - CEF
j MULTA - CEF
l TAXA - EBCT
m MULTA – EBCT
CDI Form Cont.
n
2ª VIA

Conferido: ______________________ ____________________________


Fiscal Administrativo Almoxarife

Normas para preenchimento do mapa


- Prv anual, Ni Estq e Ni Seg só podem ser alterados com justificativa, em solicitação enviada a
DSM.
- (1) - PREVISÃO ANUAL: conforme o mapa do bimestre anterior ou com alteração autorizada
pela DSM.
- (2) - NÍVEL DE ESTOQUE: previsão anual acrescida de 30%.
- (3) - PASSAGEM DO BIMESTRE ANTERIOR: corresponde ao mesmo valor da coluna (11) do
mapa do bimestre anterior.
- (4) - Quantidade recebida bimestre: nº de Doc recebidos no bimestre considerado, tanto da DSM
ou outro OSM por remanejamento.
- (5) - Quantidade recebida bimestre (inaproveitáveis): nº de Doc recebidos no bimestre
considerado, que por motivos diversos não puderam ser utilizados.
- (6) - Quantidade recebida bimestre (relacionados): nº de Doc em condições de serem distribuídos,
subtração dos inaproveitáveis da quantidade recebida. (6)=(4)-(5)

75
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

- (7) - Desrelacionados bimestre - Fornecidos pela CSM ao público externo: Doc fornecidos para os
diversos órgãos jurisdicionados, seções orgânicas e pelas OM da área de responsabilidade da CSM, aos
requerentes.
- (8) - Desrelacionados bimestre - Inutilizados: Doc que por algum motivo justificável não puderam
ser utilizados.
- (9) - Desrelacionados bimestre - Inaproveitáveis: Documento que tenha chegado com defeito ao
órgão suprido pela CSM, por ocasião do transporte ou no ato do preenchimento pelo órgão
responsável.
- (10) - Total Desrelacionados: soma das colunas (7)+(8)+(9).
- (11) - Existência: nº de Certificados existentes na CSM no último dia do bimestre considerado.
Esse nº deverá retratar a existência no almoxarifado da CSM e nos órgãos a quem esta distribui
documentos para fornecimento (3) + (6) – (10).
- (12) - Nível Crítico (NC): corresponde a 10% da previsão anual.
- (13) - Nível de Segurança (NS): corresponde a 20% da previsão anual.

76
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “N”

TABELA DE VINCULAÇÃO DAS CS, DAS JSM E DAS OM E PREVISÃO DA SELEÇÃO EM 2010
OM a ser atendida Nr Provl
CSM/ OM
CS Município Provl Incrp Período de Seleção
JSM Sigla CODOM Encarregada
Apres Mtcl

Todas Todo o DF NPOR - 700 60 11 a 29 OUT 10 (a)


07/097 Gama/DF BGP 00480-4 2.468 5 a 12 JUL 10
BPEB 01250-0
07/175 Núcleo Bandeirante/DF 748 12 e 13 JUL 10
1º RCGd 07000-3
07/201 Planaltina/DF 32º GAC 05760-4 2.032 14 a 20 JUL 10
16º B Log 01160-1
07/202 Plano Piloto/DF 3º Esqd C Mec 04997-3 2.898 20 a 28 JUL 10
07/239 Sobradinho/DF 1ª Bia AAAe 01300-3 1.746 29 JUL a 3 AGO 10
Cia Cmdo 11ª RM 02791-2
07/259 Guará/DF 11º D Sup 04072-5 1.453 4 a 6 AGO 10
07/330 Paranoá/DF CMB 02025-5 1.076 9 a 11 AGO 10
11º GAAAe 05557-4
FA/01 07/335 Santa Maria/DF CIGE 01596-6 1.839 11 a 17 AGO 10
4.229 Cmdo 11ª RM
07/341 São Sebastião/DF 1ª Cia GE 03228-4 1.208 17 a 19 AGO 10
B Adm CComGEx 01548-7
07/343 Riacho Fundo/DF Cia C2 02831-6 767 19 e 20 AGO 10
CIGEx 01554-5
07/038 Brazlândia/DF 687 23 e 24 AGO 10
CRO/11 02705-2
07/240 Taguatinga/DF Del Esp Sv Mil 08599-3 3.488 26 AGO a 8 SET 10
EGGCF 05211-8
07/262 Ceilândia/DF 7º CTA 01538-8 4.392 9 a 22 SET 10
07/331 Samambaia/DF 11ª ICFEx 06212-5 2.059 23 a 29 SET 10
HMAB 05956-8
07/342 Recanto das Emas/DF 7º DN 4700001 1.466 30 SET A 05 OUT 10
07/347 Novo Gama/GO VI COMAR 5600050 514 6 e 7 OUT 10
V/65 07/207 Porangatu/GO TG 11-007 08232-1 146 40 14 e 15 OUT 10
22º B I 00579-3
FA/15 07/332 Palmas/TO 2.320 244 13 SET a 1º OUT 10
CFAT 4700003
V/64 07/209 Porto Nacional/TO TG 11-005 08230-5 216 50 7 e 8 OUT 10
07/152 Miracema do Tocantins/TO 200 22º B I
V/66 TG 11-008 08233-9 40 14 e 15 OUT
07/243 Tocantínia/TO 17
V/63 07/188 Pedro Afonso/TO TG 11-004 08229-7 111 40 18 e 19 OUT 10
V/71 07/022 Araguaína/TO TG 11-011 08248-7 1.125 50 21 a 29 OUT 10
TG 11-001 08226-3
FA/61 07/012 Anápolis/GO 1.995 845 12 a 23 JUL 10 BAAN
BAAn 5600005
Todas Goiânia 1º BAC 110 27 SET a 29 OUT 10
F/02 07/101 Goiânia (Centro) OM Bda Op Esp Todas 7.000 Cmdo
221 2 AGO a 24 SET 10
07/258 Goiânia (Campinas) 7ª CSM 01780-6 Bda Op Esp
V/72 07/119 Iporá/GO TG 11-012 08256-0 152 40 28 e 29 SET 10
F/03 07/139 Jataí/GO 41º BI Mtz 00891-2 1.130 315 5 a 16 JUL 10
41º BI Mtz 00891-2 41º BI Mtz
V/70 07/216 Rio Verde/GO 1.480 130 26 JUL a 6 AGO 10
TG 11-006 08231-3
NPOR/11º BE Cnst 120 20 29 SET a 5 OUT 10
F/04 07/023 Araguari/MG
00412-7 909 8 a 28 SET 10
11º BE Cnst 301 11º BE Cnst
V/75 07/133 Itumbiara/GO 887 30 SET a 8 OUT 10
V/62 07/134 Ituiutaba/MG TG 11-002 08227-1 590 140 11 a 18 OUT 10
NPOR/36ºBI Mtz 120 30 30 AGO a 3 SET 10
F/05 07/250 Uberlândia/MG 00860-7
36º BI Mtz 5.249 255 19 JUL a 27 AGO 10
36º BI Mtz
V/68 07/095 Frutal/MG TG 11-009 08234-7 221 40 31 AGO e 1º SET 10
V/67 07/249 Uberaba/MG TG 11-003 08228-9 1.815 200 18 a 29 OUT 10
V/06 07/145 Luziânia/GO Cia Cmdo 3ªBda 00910-0 1.059 19 a 30 JUL 10 Cmdo
6ª Cia Com 03152-6 193
F/06 07/073 Cristalina/GO 416 9 a 13 AGO 10 3ª Bda Inf Mtz
23º Pel PE 06557-3
F/07 07/117 Ipameri/GO 228 5 a 7 JUL 10
07/198 Pires do Rio/GO 23ª Cia E Cmb 03463-7 181 120 8 JUL 10 23ª Cia E Cmb
V/07
07/059 Catalão/GO 730 12 a 16 JUL10
F/09 07/091 Formosa/GO 6º GLMF/CIF 05851-1 867 160 16 a 27 AGO 10 6º GLMF/CIF
V/09 07/200 Planaltina/GO 616 30 e 31 AGO 10

77
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “O”

TABELA DE DISTRIBUIÇÃO POR CS

Data
Organizações Militares
CS Incorporação OM Formadora
Sigla CODOM Tipo Gpt Incorp/Mtcl /Matrícula
NPOR/BGP 00480-4 NPOR C
7 FEV 11
NPOR/32º GAC 05760-4 NPOR C
BGP 00480-4 Gd A
32º GAC 05760-4 Outros A
16º B Log 01160-1 Outros A
11º GAAAe 05557-4 Outros A
1ª Bia AAAe 01300-3 Outros A
3º Esqd C Mec 04997-3 Outros A
11º D Sup 04072-5 Outros A
Cia Cmdo 11ª RM 02791-2 Outros A A Própria
CMB 02025-5 Outros A
1º MAR 11
CIGE 01596-6 Outros A
1ª Cia GE 03228-4 Outros A
01
Cia C2 02831-6 Outros A
B Adm CCom GEx 01554-5 Outros A
CIGEx 01548-7 Outros A
BPEB 01250-0 PE A
1º RCGd 07000-3 Gd A
CRO/11 02705-2 Outros A
Del Esp S M 08599-3 Outros A Cia Cmdo 11ª RM
EGGCF 05211-8 Outros A/B BGP
7º CTA 01538-8 Outros A/B BPEB
11ª ICFEx 06212-5 Outros A/B
1º MAR 11 (A) 11º D Sup
HMAB 05956-8 Outros A/B
1º AGO 11 (B)
Cmdo 7º DN 4700001 Outros A/B A Própria
VI COMAR 5600050 Outros A/B A Própria
B Adm Bda Op Esp 00123-0 Outros A/B A Própria
7ª CSM 01780-6 Outros A B Adm Bda Op Esp
02 1º BAC 00125-5 Outros A A Própria
1º MAR 11
1º Pel DQBN 06604-3 Outros A A Própria
6º Pel PE 06577-1 PE A A Própria
03 41º BI Mtz 00891-2 Outros A 1º MAR 11 A Própria
NPOR/11º BE Cnst NPOR C 7 FEV 11
04 00412-7 A Própria
11º BE Cnst Outros A 1º MAR 11
NPOR/36ºBIMtz 00860-7 NPOR C 7 FEV 11
05 A Própria
36º BI Mtz 00860-7 Outros A 1º MAR 11
Cia Cmdo 3ª Bda Inf Mtz 02903-3 Outros A
06 6ª Cia Com 03154-2 Outros A 1º MAR 11 A Própria
23º Pel PE 06578-9 PE A
07 23ª Cia E Cmb 03467-8 Outros A 1º MAR 11 A Própria
09 6º GLMF/CIF 05851-1 Outros A 1º MAR 11 A Própria
22º BI 00579-3 Outros A 1º MAR 11 A Própria
15
CFAT 4700003 Outros A/B 1º MAR 11 A Própria
BAAn 5600005 Outros A/B 1º AGO 11 A Própria
61
TG 11-001 08226-3 TG D
62 TG 11-002 08227-1 TG D
63 TG 11-004 08229-7 TG D
64 TG 11-005 08230-5 TG D
65 TG 11-007 08232-1 TG D
66 TG 11-008 08233-9 TG D 1º MAR 11 A Própria
67 TG 11-003 08228-9 TG D
68 TG 11-009 08234-7 TG D
70 TG 11-006 08231-3 TG D
71 TG 11-011 08248-7 TG D
72 TG 11-012 08256-0 TG D

78
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “P”

MAPA DE INCORPORAÇÃO DE MFDV

11ª RM ANO: 2010


Masculino
Feminino
Total Aptos
Incorporados

Insubmisso
Refratários
a Incorporar Adiamento

Excesso
Rcb Outros de

OMA
Cursos OMS Total Total
(7) Incorporação
RM

EE
Outras
EB
RM MB FAB Geral
(1) (2) (3) (4) (5) (6) (8) (9) (10) (11) (12)
Médicos
Farmacêuticos
Dentistas
Veterinários
Total

(Local e data)

___________
Ch SSMR/11

OBS: - O mapa acima deverá ser inserido no SERMILMOB.


- Em caso de problemas técnicos no SERMILMOB que impossibilitem a inserção de dados, a
RM deverá consolidar o mapa e remete-los à DSM, até 31 MAR 11.
- (1) Quantidade MFDV (Masc/Fem) selecionados na RM e dos recebidos por transferência de
residência.
- (2) Quantidade MFDV (Masc/Fem) recebida de outras RM para completar a necessidade
regional.
- (3), (4) e (5) correspondem às quantidades de MFDV incorporados no âmbito do Exército.
- (5) corresponde, exclusivamente, à incorporação em Estabelecimento de Ensino (EE).
- (7), especificar as quantidades por força (Marinha e Força Aérea).
- (8) deverá ser igual a soma das colunas (6) e (7).
- Confeccionar, separadamente, para os MFDV (Masc e Fem) e 01 (um) geral consolidado.

79
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “Q”

CALENDÁRIO DE ATUALIZAÇÃO DO SERMILMOB

TIPO DE EVENTO ATUALIZAÇÃO Rspl


Incorporação, Insubmissão, Refratário,
Até 26 MAR 10 OM
Exc Contg (OM) Gpt “A”
Inserção das JSM pré-dispensadas Até 8 MAIO 10 RM
Implantação das FAM para JSM não informatizada
Até 31 MAIO 10 CSM/Del SM
e Cg Arq Elt dos Alist de 1º JAN a 31 ABR 10
Atualização da Tabela de Municípios Até 6 AGO 10 RM
Qualificação 8 dias após o término da qualificação OM
Inserção de Parâmetros para distribuição Até 8 OUT 10 RM
Incorporação, Insubmissão, Refratário,
Até 23 AGO 10 OM
Exc Contg (OM) Gpt “B”
Auditoria dos dados da Seleção Geral Até 12 NOV 10 RM
Engajamento
Licenciamento
8 dias após a ocorrência do evento OM
Comum (deserção, exclusão, desligamento, etc)
Transferência
Até 25 dias após o evento
Remessa de Arq Cg Mod TG TG
(Mtcl/Desl/Trancamento Mtcl)
Cg Arq Mod TG Imediatamente após o Rcb RM

80
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “R”

CONSTITUIÇÃO DAS COMISSÕES DE SELEÇÃO

1. QUADRO DE EFETIVO DAS CS

Comissão de Oficiais ST/Sgt Cb/Sd


Modalidade Total
Seleção
Arma Med Dent Arma Saúde Arma Saúde

FA/01 Fixa 11 6 6 24 06 36 02 91

FA/15 Fixa 3 2 2 5 1 6 0 19

FA/61 Fixa 2 1 1 4 1 6 - 15

02 Fixa 2 1 1 5 1 6 1 17

03 Fixa/Volante 2/1 1/1 1/0 5/2 1/1 6/1 1/1 17/7

04 Fixa/Volante 2/1 1/1 1/0 5/2 1/1 6/1 1/1 17/7

05 Fixa 2 1 1 5 1 6 1 17

06 Fixa/Volante 2/1 1/1 1/0 5/2 1/1 6/1 1/1 17/7

07 Fixa/Volante 2/1 1/1 1/0 5/2 1/1 6/1 1/1 17/7

09 Fixa/Volante 2/1 1/1 1/0 5/2 1/1 6/1 1/1 17/7


62/63/64/65/66/67
Volante 1 1 - 2 1 1 1 7
68/70/71/72/75
Esp 01/02/04/05 Fixa 2 1 - 4 1 6 1 15

2. COMPOSIÇÃO DAS CS

a. Comissão de Seleção das Forças Armadas/01 (CSFA/01)


1) Composição
a) Oficiais
- Presidente: 1 (um) Of Sup ou Itr do Exército;
- Membros: 10 (dez) Cap/Ten, sendo2 (dois) da MB, 6 (seis) do EB e 2 (dois) da FAB;
- Médicos: 6 (seis), sendo 2 (dois) de cada Força e que, pelo menos, 1 (um) de cada Força
deverá ser de carreira;
- Dentistas: 6 (seis), sendo 2 (dois) de cada Força;
b) ST/Sgt
- Arma: 24 (vinte e quatro), sendo 5 (cinco) da MB, 14 (quatorze) do EB e 5 (cinco) da
FAB;
- Saúde: 6 (seis), sendo 2 (dois) de cada Força;
c) Cb/Sd/MN
- Arma: 36 (trinta e seis), sendo 08 (oito) da MB, 20 (vinte) do EB e 08 (oito) da
Aeronáutica;
- Saúde: 2 (dois) do EB.

81
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

2) Quadro Resumo

Oficiais ST/Sgt Cb/Sd


Força OM Total
Arma Med Dent Arma Saúde Arma Saúde
A cargo do
MB 2 2 2 5 2 8 - 21
Cmdo 7º DN
BGP 1 - - 2 - 3 - 6
BPEB 1 - - 2 - 3 - 6
HMAB - 2 2 - 2 - 2 8
1º RCGd 1 - - 2 - 3 - 6
11º GAAAe - - - 1 - 2 - 3
11º D Sup - - - - - 2 - 2
EB
16º B Log 1 - - 2 - 2 - 5
1
32º GAC - - 1 - 2 - 4
Presd CS
A Cargo do
1 - - 2 - 3 - 6
CComGEx
CIGEx 1 - - 2 - - - 3
A cargo do
FAB 2 2 2 5 2 8 - 21
VI COMAR
TOTAL 11 6 6 24 6 36 2 91

b. Comissão de Seleção das Forças Armadas/15 (CSFA/15)


1) Composição
a) Oficiais
- Presidente: 1 (um) Of Sup ou Itr do Exército;
- Membros: 2 (dois) Cap/Ten, sendo 1 (um) da MB e 1 (um) do EB;
- Médicos: 2 (dois), sendo 1 (um) de cada Força;
- Dentistas: 2 (dois), sendo 1 (um) de cada Força;
b) ST/Sgt
- Arma: 5 (cinco), sendo 2 (dois) da MB e 3 (três) do EB;
- Saúde: 1 (um) do EB;
c) Cb/Sd/MN
- Arma: 6 (seis), sendo 02 (dois) da MB e 4 (quatro) do EB.

2) Quadro Resumo

Oficiais ST/Sgt Cb/Sd


Força OM Total
Arma Med Dent Arma Saúde Arma Saúde
MB CFAT 1 1 1 2 - 2 - 7
EB 22º BI 2 1 1 3 1 4 - 12
TOTAL 3 2 2 5 1 6 - 19

c. Comissão de Seleção das Forças Armadas/61 (CSFA/61)


1) Composição
a) Oficiais
- Presidente: 1 (um) Of Sup ou Itr da Aeronáutica;
- Membros: 1 (um) Cap/Ten;

82
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

- Médicos: 1 (um) da FAB;


- Dentistas: 1 (um) da FAB;
b) ST/Sgt
- Arma: 4 (quatro), sendo 1 (um) do EB e 3 (três) da FAB;
- Saúde: 1 (um) da FAB;
c) Cb/Sd/At
- Arma: 6 (seis), sendo 2 (dois) do EB e 4 (quatro) da FAB.

2) Quadro Resumo

Oficiais ST/Sgt Cb/Sd/At


Força OM Total
Arma Med Dent Arma Saúde Arma Saúde
EB TG 11-001 - - - 1 - 2 - 3
FAB BAAn 2 1 1 3 1 4 - 12
TOTAL 2 1 1 4 1 6 - 15

d. Comissão de Seleção/02/03/04/05/06/07/09 (Fixa)


1) Composição
a) Oficiais
- Presidente: 1 (um) Of Sup ou Itr;
- Membros: 1 (um) Cap/Ten;
- Médicos: 1 (um);
- Dentistas: 1 (um);
b) ST/Sgt
- Arma: 5 (cinco);
- Saúde: 1 (um);
c) Cb/Sd
- Arma: 6 (seis);
- Saúde: 1 (um).

2) Quadro Resumo

Oficiais ST/Sgt Cb/Sd


CSF OM Total
Arma Med Dent Arma Saúde Arma Saúde
02 Cmdo Bda Op Esp 2 1 1 5 1 6 1 17
03 41º BI Mtz 2 1 1 5 1 6 1 17
04 11º BE Cnst 2 1 1 5 1 6 1 17
05 36º BI Mtz 2 1 1 5 1 6 1 17
06 Cmdo 3ª Bda Inf Mtz 2 1 1 5 1 6 1 17
07 23ª Cia E Cmb 2 1 1 5 1 6 1 17
09 6º GLMF/CIF 2 1 1 5 1 6 1 17

e. Comissão de Seleção/06/07/09/62/63/64/65/66/67/68/70/71/72/75 (Volante)


1) Composição
a) Oficiais
- Presidente: 1 (um) Of Sup ou Itr;

83
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

- Médicos: 1 (um);
b) ST/Sgt
- Arma: 2 (dois); volante de TG 3(três);
- Saúde: 1 (um);
c) Cb/Sd
- Arma: 1 (um); volante de TG 3(três);
- Saúde: 1 (um).

2) Quadro Resumo

Oficiais ST/Sgt Cb/Sd/At


CSV OM Total
Arma Med Dent Arma Saúde Arma Saúde
06 Cmdo 3ª Bda Inf Mtz 1 1 - 2 1 1 1 7
07 23ª Cia E Cmb 1 1 - 2 1 1 1 7
09 6º GLMF/CIF 1 1 - 2 1 1 1 7
11º BE Cnst 1 1 - 2 1 1 1 7
62
TG 11-002 - - - 1 - 2 - 3
22º BI 1 1 - 2 1 1 1 7
63
TG 11-004 - - - 1 - 2 - 3
22º BI 1 1 - 2 1 1 1 7
64
TG 11-005 - - - 1 - 2 - 3
Cmdo 11ª RM 1 1 - 2 1 1 1 7
65
TG 11-007 - - - 1 - 2 - 3
22º BI 1 1 - 2 1 1 1 7
66
TG 11-008 - - - 1 - 2 - 3
36º BI Mtz 1 1 - 2 1 1 1 7
67
TG 11-003 - - - 1 - 2 - 3
36º BI Mtz 1 1 - 2 1 1 1 7
68
TG 11-009 - - - 1 - 2 - 3
41º BI Mtz 1 1 - 2 1 1 1 7
70
TG 11-006 - - - 1 - 2 - 3
22º BI 1 1 - 2 1 1 1 7
71
TG 11-011 - - - 1 - 2 - 3
Cmdo Bda Op Esp 1 1 - 2 1 1 1 7
72
TG 11-012 - - - 1 - 2 - 3
75 11º BE Cnst 1 1 - 2 1 1 1 7

84
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

f. Comissão de Seleção Especial/01/02/04/05


1) Composição
a) Oficiais
- Presidente: 1 (um) Of Sup ou Itr;
- Membros: 1 (um) Cap/Ten;
- Médicos: 1 (um);
b) ST/Sgt
- Arma: no mínimo 2 (dois) e no máximo 4 (quatro);
- Saúde: 1 (um);
c) Cb/Sd
- Arma: mínimo 2 (dois) e no máximo 6 (seis);
- Saúde: 1 (um).

2) Quadro Resumo

Oficiais ST/Sgt Cb/Sd


CSE OM Total
Arma Med Dent Arma Saúde Arma Saúde
BGP (Presd CS) 1 1 - 2 1 3 1
01 15
32º GAC 1 - - 2 - 3 -
02 1º BAC 2 1 - 4 1 6 1 15
04 11º BE Cnst 2 1 - 2 1 2 1 9
05 36º BI Mtz 2 1 - 2 1 2 1 9

3. PRESCRIÇÕES DIVERSAS
a. O Instrutor do TG compõem a CS do TG de origem.
b. As OM encarregadas de realizarem as CS/CSV deverão solicitar, ao Ch SSMR/11, o combustível
necessário à realização dos trabalhos ou para o deslocamento das CSV de sua subordinação até 31
MAIO 10; e
c. Todas as OM deverão remeter a solicitação de combustível necessária para a realização da
Seleção Complementar (visitas sociais, etc) até 15 DEZ 10.
d. As OM que planejarem utilizar veículo locado para a realização das CS, deverá informar, até o
dia 7 JUN 10, de acordo com o exemplo abaixo:

1. DADOS PARA LOCAÇÃO DO VEÍCULO


DADOS DO MILITAR VEÍCULO
CIDADE DE VALOR
ENTREGA DEVOLUÇÃO
P/G NOME OM CNH/Venc ORIGEM PRETENDIDO (R$)
End GDH End GDH
12345678901 Av do Av do
Júlio Marques de Passeio a 073014 073015
Cap BGP 09/12/2018 Brasília-DF Exército, Exército, 250,00
Araújo gasolina AGO 10 AGO 10
Cat “B” nº 21 nº 21

2. PLANO DE ITINERÁRIO
a. 14 AGO 10
1) Brasília-Anápolis – Inspeção no TG 11-001;
2) Anápolis-Goiânia – Deslocamento e pernoite.

b. 15 AGO 10
1) Goiânia – Inspeção na 7ª CSM;
2) Goiânia-Brasília – Deslocamento de retorno.

85
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “S”

QUADRO DEMONSTRATIVO DAS NECESSIDADES

1. OMA
Organizações Militares Previsão Incrp JSM Origem
OM sediadas em Brasília-DF 4.303 Todas 17ª Del SM e Del Esp (CSFA/01)
6º GLMF/CIF 229 JSM 091 e 200
B Adm C Com GEx 117
Cia C2 17
CIGE 18 JSM 201, 239 e 330 (CSFA/01)
1ª Cia GE 19
CIGEx 62
Contingentes de Brasília – DF 146 JSM 202 (CSFA/01)
23ª Cia E Cmb 126 JSM 159/105/059/117/198 (CS/07)
Sediadas em Goiânia-GO 586 JSM 101 e 258 (CSFA/02)
OM sediadas em Cristalina-GO 193 JSM 073 e 145 (CSF e CSV 06)
OM isoladas 1.250 Respectivas JSM, citadas no (Anexo “N”)
Total (previsão) 6.940

2. OFR

Tipo Organizações Militares Efetivo a Mtcl Origem


11-001 – Anápolis – GO 90 JSM 012 (CS/61)
11-002 – Ituiutaba – MG 140 JSM 134 (CS/62)
11-003 – Uberaba – MG 200 JSM 249 (CS/67)
11-004 – Pedro Afonso – TO 40 JSM 188 (CS/63)
11-005 – Porto Nacional – TO 50 JSM 209 (CS/64)
TG 11-006 – Rio Verde – GO 90 JSM 216 (CS/70)
11-007 – Porangatu – GO 40 JSM 207 (CS/65)
11-008 – Miracema do Tocantins – TO 40 JSM 152 e 243 (CS/66)
11-009 – Frutal – MG 40 JSM 095 (CS/68)
11-011 – Araguaína – TO 50 JSM 022 (CS/71)
11-012 – Iporá – GO 40 JSM 119 (CS/72)
11º BE Cnst 20 JSM 023 (CS/04)
32º GAC (Art) 20
NPOR 32º GAC (Int) 10 TODAS (CSFA/01)
BGP 30
36º BIMtz 30 JSM 250 (CS/05)
TOTAL 930

TOTAL DAS NECESSIDADES DA RM 7.870

86
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “T”

RELAÇÃO DOS CÓDIGOS DE PROFISSÕES

CÓDIGOS PROFISSIONAIS
ÁREA DE
PROFISSÃO
ATIVIDADE
DECLARADA NA INCORPORAÇÃO ADQUIRIDA NO EB
31110/32320/33121/33130/33980/39133/ 32320/39141/39150/39300/39301/
Administrativa
39141/39150/39170/39300/39301/39321 39321
03120/60010/60021/60040/60041/60122/
Agropecuária -
61120/61210/61211/ 61260/ 61270/61271
33980/41030/42150/45120/45150/45170/
Comércio -
45211/45221/54230/45241/49030/49040
03410/03490/38000/38020/38021/38030/ 03490/38000/38020/38021/38040/
Comunicações
38040/38060/38080/85651/96942 96942
55221/58110/81962/87100/87101/93990/
Construção Civil 81961/ 87100/93990/95120/95411
95120/95411/95790/99920
03380/03551/03891/16310/17144/57020/
Interesse Militar 16310/17144/79630/80313/92110
71105/79630/80110/80313/92110/84981
03400/03401/75250/84400/85540/85721/
Eletricidade 03400/85400/85540/85721
85950
Serviço Público 21240/21430/21440 -
72170/72240/76198/77620/81620/81230/
Indústria -
83110/83140/83220/83323/83331/83910
03440/08320/08420/88421/34220/34240/
Informática 34220/34240/92790/92792
92790/92792
53140/53141/53190/53240/53260/53280/ 53140/53141/53190/53240/53260/
Intendência
53292 53280
81230/83323/84220/84310/84321/84340/ 81230/83323/84310/84321/87220/
Mecânica/Funilaria
84521/84550/84580/84591/84592/84970 87222
07242/98150/98170/98180/98190/98191/ 97424/98191/98530/98550/98561/
Operador de Máquinas
98210/98320/98340/98530/98531/98550 98571/98572/98590
03651/07110/07190/07210/07220/07292/
Saúde 07110/07210/07220/07640/84250
07640/07720/39420/39430/59970/84250
Outras Ver Relação de Títulos Ocupacionais Ver Relação de Títulos Ocupacionais

87
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “U”

RELATÓRIO DA COMISSÃO DE SELEÇÃO/DESIGNAÇÃO (MODELO)

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CS Nº______/2010

1. FINALIDADE
Apresentar um retrospecto das atividades da CS, fornecer dados estatísticos, apontar as principais
dificuldades encontradas e sugerir procedimentos que possam aprimorar os trabalhos das CS na área da
11ª RM.

2. COMPONENTES

a. Presidência:__________________________
b. PA: ________________________________
c. PIS/PEF:____________________________
d. PAT/1:_____________________________
e. PAT/2:_____________________________
f. PCD:_______________________________
g. PCS:_______________________________

3. ASPECTOS DA SELEÇÃO
a. Gerais
- Descrição sumária dos principais aspectos, incluindo, caso seja julgado importante, dados
estatísticos relativos aos trabalhos realizados.
b. Documentação distribuída
- Fazer referência quanto à quantidade, abrangência e clareza da documentação, informando
sobre o surgimento de casos específicos que não constem da legislação em vigor.
c. Estágio preparatório para as CS
- À luz da experiência adquirida durante a realização da CS, fazer observações quanto à utilidade
dos assuntos ministrados no estágio, sugerindo, inclusive, modificações para os anos subsequentes.
d. Apoio proporcionado pelos Órgãos de Serviço Militar
- Relatar os principais aspectos relativos ao apoio proporcionado pela SSMR/11, Del SM e JSM
aos trabalhos da CS, destacando: facilidade de ligação, providências administrativas e orientação
técnica.

4. ASPECTOS POSITIVOS
- Citar os principais aspectos observados.

5. DIFICULDADES ENCONTRADAS
- Descrever as dificuldades relativas ao pessoal, material, instalações, prazos, roteiros, pagamento
de diárias e indenizações ou requisição de transporte, quando for o caso, etc.

6. SUGESTÕES
- Apresentar sugestões julgadas necessárias.

(Local e data)

_______________
Presidente da CS

Obs.: Relatório deverá ser entregue na SSMR/11, no máximo, após 5 (cinco) dias dos términos da CS.

88
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “V”

IMPOSSIBILIDADE DE COMPARECIMENTO À SELEÇÃO GERAL

Exmo Sr General Comandante da 11ª Região Militar,

__________ filho de__________ e de __________, nascido em ___de _____ de ____, natural de


__________, Estado de _________, residente à __________, portador do CAM de RA Nº _____,
expedido pela JSM Nº ____, estando impossibilitado de comparecer à Seleção Geral de sua classe
por estar __________vem mui respeitosamente solicitar a V Exa a regularização de sua situação
militar, de acordo com o Art 60, do Decreto 57.654, de 20 JAN 1966 (RLSM).

Nestes termos, pede deferimento.

Brasília, DF, ____de ______________de 2010.

________________________________________
Assinatura do requerente

Anexar: - Fotocópia do CAM (frente e verso);


- Declaração do Hospital (se internado);
- Declaração do Órgão de Saúde que prestar o 1º atendimento, especificando o código do
CID (se na residência); e
- Declaração do pai ou responsável (se impossibilitado, em casa), especificando a natureza
da doença, acidente, etc.

- 1ª testemunha: - 2ª testemunha:
___________________________ ___________________________
Nome Completo: Nome Completo:
Identidade: Identidade:
Endereço: Endereço:

OBSERVAÇÃO: Assinatura “a rogo”, se o convocado estiver incapacitado para assinar.

89
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “W”

MODELO DE ADITAMENTO AO BOLETIM INTERNO DE INCORPORAÇÃO/MATRÍCULA

MINISTÉRIO DA DEFESA BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL


EXÉRCITO BRASILEIRO EM 1º DE MARÇO DE 2011
COMANDO MILITAR DO PLANALTO Segunda-feira
11ª RM (Cmdo Mil de BSB/1960) – REGIÃO TENENTE-CORONEL LUIZ CRULS
(OM) (OFR)
ADITAMENTO AO BOLETIM INTERNO Nº______
PARA CONHECIMENTO DO REGIMENTO (Btl) E DEVIDA EXECUÇÃO, PUBLICO O
SEGUINTE:

lª PARTE: - SERVIÇOS DIÁRIOS


Sem Alteração

2ª PARTE: - INSTRUÇÃO
Sem Alteração

3ª PARTE - ASSUNTOS GERAIS E ADMINISTRATIVOS


1. ALTERAÇÕES DE PRAÇAS
a. Incorporação de Conscritos
1) No Grupo (Regimento, Btl, ...)
De acordo com o Art 75 do RLSM, INCORPORO às fileiras do Exército e incluo no estado
efetivo desta OM e subunidades que se seguem, a contar de DD MMM AA, os conscritos abaixo
discriminados, os quais, conforme Aviso Nr 201, de 18 ABR 1932, tomam a numeração que lhes
antecede o nome e possuem os seguintes dados (Nome-Filiação-RA-Data-Local de Nascimento-
Município de Convocação e Endereço Residencial) descritos:
a) 2ª BATERIA DE OBUSES
- 2100 - LUIGI RAVAGNANI – Gino Ravagnani e Rita de Cássia Ravagnani –
07.xxx.xxxxxx-x - 22 ABR 1983 - Maceió-AL - Brasília-DF - SQS 315 BL ¨X¨Aptº 111 – Brasília -
DF.
2) Nos Contingentes
De acordo com o Art 75, do RLSM, INCORPORO às fileiras do Exército e incluo no número
de adidos a esta OM, a contar de DD MMM AA, os conscritos abaixo relacionados, os quais,
conforme Aviso Nr 201, de 18 ABR 1932, tomam a numeração que lhes antecede o nome e possuem
os dados (Nome-Filiação-RA-Data e Local de Nascimento- Município de Convocação e Endereço
Residencial) descritos e pertencentes ao efetivo dos contingentes que se seguem:
a) DEPARTAMENTO LOGÍSTICO
- 001 – JOÃO LUIZ GOMES – Lindomar Gomes e Ana Maria Ferreira Gomes –
07.xxx.xxxxxx-x - 10 NOV 1983 – Goiânia-GO – Brasília-DF – Rua Dalva Nº 300, Cruzeiro-DF.

b. Inclusão no Excesso do Contingente


- De acordo com o Art 93, § 1º e nº l, do § 2º, do RLSM, incluo no excesso do contingente
incorporado (matriculado) no corrente ano, os conscritos abaixo discriminados, os quais possuem os
dados (Nome-Filiação-RA-Classe) descritos:
1) No Grupo (Regimento, Btl, ...)
2) Nos Contingentes
a) 7º CENTRO DE TELEMÁTICA DE ÁREA

c. Situação de refratário
De acordo com o Art 112, do RLSM, são considerados refratários os conscritos abaixo
discriminados, os quais possuem os dados (NOME - RA - CLASSE) descritos:

90
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

1) No Grupo (Regimento, Btl, ...)


2) Nos Contingentes
a) DIRETORIA DE SERVIÇO MILITAR

d. Isento do Serviço Militar


De acordo com o Art 109 do RLSM, são considerados isentos do Serviço Militar, na situação
citada, os conscritos abaixo relacionados, os quais possuem os dados (NOME - RA - CLASSE)
descritos:
1) No Grupo (Regimento, Btl, ...)
a) Incapaz "C"
2) Nos Contingentes
a) SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
(1) Incapaz "C"

e. Quadro demonstrativo de recompletamento (recebidos e cedidos)


Caso haja recompletamento, a OM confeccionará o quadro abaixo incluindo todos os conscritos
recebidos e/ou cedidos.
OM OM Doc Sol
Nr Nome RA Padrão
Origem Destino e/ou Autz

f. Quadro demonstrativo da Incorporação (OMA)

Recebido Incorporados
Cedido Total
Isentos Outros
Outra outra Deseja servir Exc Refr Insub Rel
Rel OM (C e H) Casos (Flct)
OM/RM OM/RM OM
Sim Não
(1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) (10) (11)

g. Quadro demonstrativo de Matrícula NPOR e TG

Recebido Incorporados
Cedido
Isentos Outros
Outra outra Deseja servir Exc Refr Insub Total
Rel OM (C e H) Casos (Flct)
OM/RM OM/RM
Sim Não
(1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) (10) (11)

Obs: A OM deverá usar os cálculos abaixo para preenchimento dos quadros constantes das letras “f.”
e “g.”, acima:

1) (1) + (2) = (11)


2) (3) + (4) + (5) + (6) + (7) + (8) + (9) + (10) = (11)

4ª PARTE - JUSTIÇA E DISCIPLINA


1 - INSUBMISSÃO
a. Declarações de Insubmissão
De acordo com o § 3º, Art 75 do RLSM, combinado com o Art 183, do CPM, declaro
insubmisso(s) o(s) conscrito(s) abaixo relacionado(s), o(s) qual (is) possui (em) os dados (Nome-
Filiação-RA-Data e Local de Nascimento) descritos:
.....................................................................................................................................................

91
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

b. Termo de insubmissão: - Transcrição


“Aos ___ dias do mês de ___ do ano de dois mil e nove, nesta cidade de ___, no quartel do ___ o
Comandante do ___ verificou que o conscrito ___, RA ___, filho de ___ e de ___, natural da cidade de
___ pertencente à classe de ___ tendo sido selecionado para prestar o serviço militar no ___(OM)___,
não se apresentou para ser incorporado/matriculado, até o dia ___ limite de prazo para este fim
determinado pelo órgão competente das Forças Armadas, estando, assim, incurso na sanção penal do
Art 183, do Código Penal Militar”.
E, para que conste no processo a que responderá, perante a Justiça Militar, mandou aquela
autoridade que se lavrasse o presente Termo de Insubmissão, que vai por ela assinado, juntamente com
duas testemunhas, e comigo, Capitão Ajudante da Unidade, que o escrevi. Fulano de tal - Coronel Cmt
do ___(OM)___, Fulano de tal - 1º Tenente de Infantaria - Testemunha, Fulano de tal - 2º Tenente de
Intendência - Testemunha; Fulano de tal - Capitão de Infantaria Secretário;
________________
Comandante OM

Confere com o Original: ____________


SCmt OM

OBSERVAÇÃO: os Dir NPOR e Ch Instr TG, ao confeccionar o Adt Bol lnt referente à matrícula de
seus OFR, deverão seguir o modelo apresentado para OMA, com as devidas adaptações, alterando-se,
entretanto, a letra “a.”, do Nr 1., que ficará com a seguinte redação: "De acordo com os Art 85; 86 e 87
do RLSM, MATRICULO neste OFR e incluo no estado efetivo do TG 11/ ___ (NPOR/___), a contar
de ___, os conscritos abaixo discriminados, os quais, conforme Aviso Nr 20l, de 18 ABR 1932, tomam
a numeração que lhes antecede o nome e possuem os dados (Nome-Filiação – RA - Data e Local de
Nascimento) descritos."

92
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “X”

TRANSPORTE DE CONVOCADOS E LICENCIADOS

1. MAPA DAS NECESSIDADES DE RECURSOS FINANCEIROS

MINISTÉRIO DA DEFESA
EXÉRCITO BRASILEIRO
COMANDO MILITAR DO PLANALTO
(OM)

MAPA DAS NECESSIDADES DE RECURSOS FINANCEIROS


PARA ( ) INCORPORAÇÃO ( ) LICENCIAMENTO EM 2010/2011
( ) 1ª TURMA
( ) 2ª TURMA
( ) 3ª TURMA

( ) 3190.17 - Indenização de Transportes


1. Natureza da Despesa (ND): ( ) 3490.33 - Requisição de Transporte
( ) 3490.39 - Contratação de Ônibus
2. Oficial indicado para os trâmites administrativos:
a. Nome: b. Posto: c. Idt:
d. CPF:
g. Função: h. Telefone para contato:
3. Valor total solicitado: R$....................(.....................................................................................)

DEMONSTRATIVO DO EFETIVO A ( ) INCORPORAR ( ) LICENCIAR

Localidade Quantidade de Valor da Passagem


Nº de Ordem
Origem (Incrp) Destino (Lic) Homens Unitário Total

__________________________
Cmt OM

2. RELAÇÃO DE PRAÇAS A LICENCIAR

MINISTÉRIO DA DEFESA
EXÉRCITO BRASILEIRO
COMANDO MILITAR DO PLANALTO
(OM)

RELAÇÃO DE PRAÇAS A LICENCIAR

Data Localidade
NOME
Incrp Lic Origem (Incrp) Destino (Lic)

__________________________
Cmt OM

93
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “Y”

CRONOGRAMA DAS COMISSÕES DE SELEÇÃO PARA 2010

CRONOGRAMA DAS COMISSÕES DE SELEÇÃO PARA O ANO DE 2010 - AO PRC 2011

JULHO AGOSTO SETEMBRO OUTUBRO


sab/dom

sab/dom

sab/dom

sab/dom

sab/dom

sab/dom

sab/dom

sab/dom

sab/dom

sab/dom

sab/dom

sab/dom

sab/dom

sab/dom

sab/dom

sab/dom
CS
qua

qua

qua

qua

qua

qua

qua

qua

qua

qua

qua

qua

qua

qua

qua

qua

qua
qui

qui

qui

qui

qui

qui

qui

qui

qui

qui

qui

qui

qui

qui

qui

qui

qui
seg

sex

seg

sex

seg

sex

seg

sex

seg

sex

seg

sex

seg

sex

seg

sex

seg

sex

seg

sex

seg

sex

seg

sex

seg

sex

seg

sex

seg

sex

seg

sex

seg

sex
ter

ter

ter

ter

ter

ter

ter

ter

ter

ter

ter

ter

ter

ter

ter

ter

ter
5
6
7
8
9
10/11
12
13
14
15
16
17/18
19
20
21
22
23
24/25
26
27
28
29
30
31/1
2
3
4
5
6
7/8
9
10
11
12
13
14/15
16
17
18
19
20
21/22
23
24
25
26
27
28/29
30
31
1
2
3
4/5
6
7
8
9
10
11/12
13
14
15
16
17
18/19
20
21
22
23
24
25/26
27
28
29
30
1
2/3
4
5
6
7
8
9/10
11
12
13
14
15
16/17
18
19
20
21
22
23/24
25
26
27
28
29
FA/01
V/65
FA/15
V/64/66/63/71
FA/61
F/02
V/72
F/03
V/70
F/04
V/75/62
F/05
V/68/67
F/V/06
V/F/07
F/V/09

FA/01 Brasília, de 5 JUL a 8 OUT V/72 Iporá, 28 e 29 SET V/06 Luziânia-GO, de 19 a 30 JUL
V/65 Porangatu, 14 e 15 OUT F/03 Jataí, de 5 a 16 JUL F/06 Cristalina, de 9 a 13 AGO
FA/15 Palmas, de 13 SET a 1º OUT V/70 Rio Verde, de 26 JUL a 6 AGO F/07 Ipameri, de 5 a 7 JUL
V/64 Porto Nacional, 7 e 8 OUT F/04 Araguari, de 8 a 28 SET V/07 Pires do Rio, 8 JUL
V/66 Miracema do Tocantins/Tocantínia, 14 e 15 OUT V 75 Itumbiara, de 30 SET a 8 OUT V/07 Catalão, de 12 a 16 JUL
V/63 Pedro Afonso, 18 e 19 OUT V/62 Ituiutaba, de 11 a 19 OUT F/09 Formosa, de 16 a 27 AGO
V/71 Araguaína, de 21 a 29 OUT F/05 Uberlândia, de 19 JUL a 27 AGO V/09 Planaltina, 30 e 31 AGO
FA/61 Anápolis, de 12 a 23 JUL V/68 Frutal, de 31 AGO e 1º SET CSE NPOR/Pqdt
F/02 Goiânia, de 2 AGO a 24 SET V/67 Uberaba, de 18 a 29 OUT

94
94
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “Z”

MAPA CONTROLE DE EXIMIDOS

MAPA TRIMESTRAL CONTROLE DE EXIMIDOS

Mês: (DEZ-MAR-JUN-SET) de 200x.

Visto: _________________
Chefe da 7ª CSM

1. QUADRO DE CONTROLE DE EXIMIDOS


Total por Escalão
SITUAÇÃO PROCEDIMENTOS
JSM Del CSM
1. Não receberam carta de chamada.
a. Situação antes da 2. Receberam carta de chamada, mas não a atenderam.
Port Norm 147/MD 3. Compareceram a JSM para orientações.
(Eximidos com os 4. Compareceram a JSM, mas negou-se a anular a eximição.
Direitos Políticos 5. Obtiveram o Termo de Reaqs de Direitos Políticos na Sect Justiça do Estado
Suspensos) 6. Cumprido item 5, solicitaram Anul Exim do Sv Mil Obrigatório e do Sv Alt
7. Receberam CDSA, após homologação do requerimento do item 6 pela RM
b. Situação antes da 8. Não receberam carta de chamada
Port Norm 147/MD 9. Receberam carta de chamada, mas não a atenderam.
(Eximidos com 10. Compareceram a JSM para orientações
Processos de 11. Compareceram a JSM, mas negou-se a anular o processo de Eximição.
Eximição 12. Solicitaram Anulação Eximição do Sv Mil Obrigatório e do Sv Alternativo
Aguardando Dois 13. Receberam CDSA, após homologação do Requerimento do item 6 pela RM
anos Prescritos) 14. Receberam CRPSA
15. Solicitaram Eximição e prestação do Serviço Alternativo
c.Cidadãos MNT 16. Solicitaram Eximição, mas não querem Serviço alternativo.
alistados 17.Receberam CDSA, após homologação do Requerimento pela RM
após 18. Receberam CRPSA, após homologação do Requerimento pela RM
aplicação da 19. Solicitaram Eximição e prestação do Serviço Alternativo
Port Norm 20. Solicitaram Eximição mas não querem Serviço Alternativo
147/MD MT
21. Receberam CDSA, após homologação do Requerimento item 17 pela RM
22. Receberam CRPSA, após homologação do requerimento item 17 pela RM
d. CDSA Forn 23. Soma dos itens 7, 13, 17 e 21
e. CRPSA Fon 24. Soma dos itens 14, 18 e 22
f. Cid Atendidodos 25. Soma dos itens 3 e 10

2. MEDIDAS ADOTADAS

3. DÚVIDAS SURGIDAS

4. DIFICULDADES ENCONTRADAS

5. NECESSIDADES

____________________________________
Ch 7ª CSM

95
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “AA”

REQUERIMENTO DE ANULAÇÃO DE EXIMIÇÃO

Brasília, DF., em ____ de ___________ de 20___.

Ao Sr. Comandante da 11ª Região Militar

Objeto: Anulação de Eximição

1. _________________________________________________________________,
identidade nº _______________, filho de ________________________________________________
e de _______________________________________________________, nascido aos ___ dias do mês
de ______________ de ________, no município de ______________________________ Estado de
(o) _____________________, portador do certificado de recusa de prestação do serviço alternativo (ou
atestado de eximido) fornecido pela _____ CSM, em ________________________, REQUER a V.Exª
mandar tornar sem efeito o ato de eximição, segundo o qual foi o requerente eximido da prestação do
serviço alternativo (ou de serviço militar obrigatório), com a consequente perda de seus direitos
políticos.

2. Tal solicitação encontra amparo no parágrafo único do Art 244 do Regulamento da


Lei do Serviço Militar.

3. Anexa a este requerimento o (s) seguinte (s) documento (s): __________________


__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________

4. É a ____ vez que requer.

_____________________________________
(Assinatura e nome completo do isento)

96
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “AB”

REQUERIMENTO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO ALTERNATIVO

Brasília, DF, em ____ de ___________ de 20___.

Ao Sr. Presidente da Comissão de Apreciação de Requerimentos

Objeto: Prestação do Serviço Alternativo ao Serviço Militar Obrigatório

1. _______________________________________________________________,
identidade nº _______________, filho de ____________________________________________ e de
_______________________________________________________, nascido aos ___ dias do mês de
______________ de ________, no município de _________________________________ Estado de
(o) _____________________, portador do CAM de RA nº _______________________, REQUER a
V.Sª que lhe seja concedida vaga para a prestação do Serviço Alternativo ao Serviço Militar
Obrigatório, optando, prioritariamente, por sua prestação nas seguintes profissões definidas ou áreas de
interesse: _____________________________________________________________,
ou ___________________________.

2. Tal solicitação encontra amparo no parágrafo primeiro do Art 15 do Regulamento


da Lei de Prestação do Serviço Alternativo.

3. Anexa a este requerimento o(s) seguinte(s) documento(s): ___________________


__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________.

4. É a ____ vez que requer.

_____________________________________
(Assinatura e nome completo do isento)

97
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “AC”

REQUERIMENTO PARA REAQUISIÇÃO DOS DIREITOS POLÍTICOS

Exmo Sr. Ministro da Justiça

Nome completo: ____________________________________________________________________,


natural de ____________________________, de nacionalidade ______________________________,
filho de ____________________________________________________________________________
e de ________________________________________________, (profissão) ____________________,
residente em (endereço completo, inclusive CEP)___________________________________________
__________________________________________________, vem mui respeitosamente requerer a
reaquisição de seus direitos políticos de acordo com o Art 40, da Lei nº 818, de 18 SET 49.

Nestes termos,
Pede deferimento.
Local, data.

_____________________________________
(Assinatura do requerente)

98
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “AD”

TERMO DE REAQUISIÇÃO DOS DIREITOS POLÍTICOS

Exmo Sr. Ministro da Justiça

1. Nome completo: ____________________________________________________,


nascido aos ____/____/_______, natural de ________________________________, de nacionalidade
_________________________, filho (a) de _______________________________________________
e de ____________________________________________, residente em (endereço completo,
inclusive CEP) ______________________________________________________________________
__________________________________________________, vem declarar, nos termos da
Constituição Federal que perdeu os direitos políticos por decreto datado de ____/______/_______
requer a reaquisição dos mesmos direitos, de acordo com o Art 40, da Lei nº 818, de 18 SET 49 e
declara achar-se pronto a suportar os ônus impostos por Lei aos brasileiros e dos quais se havia
libertado.

2. Nestes Termos, pede deferimento.

Em ______/ ________/ _________.

__________________________________________________
(Assinatura do requerente, com firma reconhecida)

99
Serviço Militar – “Veja o Brasil, por um novo ângulo.”.............................................................................PRC/2011 (11ª RM)

ANEXO “AE”

TERMO DE CONHECIMENTO DA INCORPORAÇÃO (MODELO)

CABEÇALHO
(de acordo com a IG 10-42)

TERMO DE CONHECIMENTO DA INCORPORAÇÃO

Eu, ................................................................................................, declaro que tenho


Conhecimento da minha Incorporação no dia ......................(DATA)..........................., no(a)
................(OM)......................, estando ciente das consequências caso não compareça para
Incorporação até às 24:00 horas da data acima citada.

__________________
(Local e data)

__________________(Assinatura)__________________
(Nome por extenso, em letra de forma)
RA: _______________________________________
Identidade: _________________________________
Endereço/Tel:_______________________________

Testemunhas:

_______________________________________
Nome: ____________________ Doc Idt: _____
Endereço: __________________ Fone: _______
_______________________________________
Nome: ____________________ Doc Idt: _____
Endereço: __________________ Fone: _______

100

Você também pode gostar