Você está na página 1de 11

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MOÇAMBIQUE

Faculdade Ciências e Politicas


Administração e Gestão Empresarial

LOGÍSTICA INTERNA E EXTERNA

Discente:

Celcio Bone Remisse

Quelimane, Abril de 2020


LOGÍSTICA INTERNA E EXTERNA

Trabalho Científico de Carácter Avaliativo a


ser entregue Dr.

Quelimane, Abril de 2020


2
Índice
Introdução...................................................................................................................................4

1.1.Objectivos.............................................................................................................................4

1.2.Objectivo geral:.....................................................................................................................4

1.3.Objectivo Específicos...........................................................................................................4

1.4.Metodologia..........................................................................................................................4

2.LOGÍSTICA INTERNA E EXTERNA...................................................................................5

2.1.Breve Historial de Surgimento da logística..........................................................................5

2.2.Definições da Logística.........................................................................................................5

2.3.Objectivo principal da logística............................................................................................6

2.4.Principais Características......................................................................................................6

2.5.LOGÍSTICA INTERNA.......................................................................................................7

2.5.1.Conceito da Logística Interna............................................................................................7

2.5.2.Surgimento da Logística Interna........................................................................................7

2.5.3.A relevância da logística interna........................................................................................8

2.5.4.A logística Interna como Estratégia...................................................................................8

2.6.LOGÍSTICA EXTERNA......................................................................................................9

2.6.1.Conceito de Logística Externa...........................................................................................9

Conclusão..................................................................................................................................10

Bibliografia...............................................................................................................................11

3
Introdução

A logística sobe em importância no planeamento estratégico das empresas a cada dia. Se antes
era vista somente como distribuição e transporte, hoje já é essencial para o sucesso das
organizações. E para que este sucesso se torne uma realidade, é necessário que todos os
processos estejam alinhados. E é justamente esse o papel da logística interna. No entanto, a
busca pela qualidade pode, às vezes, soar estranho para quem tem como um dos objectivos a
redução de custos. E esse é outro importante ponto de estudo, ou seja, reduzir para aumentar a
qualidade. Por se tratar de um processo que envolve redução de custo e, às vezes, até de
investimento, a logística tornou-se ponto estratégico dentro das empresas, até porque todas
aplicam conceitos de logística. Porém alguns destes conceitos têm um tom de importância
maior entre as empresas.

1.1.Objectivos

1.2.Objectivo geral:

 Conhecer a logística interna e externa.

1.3.Objectivo Específicos

 Definir logística interna e externa;


 Explicar o seu surgimento e objectivo e característica da logística;
 Abordar a sobre as diferentes concepções da logística interna e externa.

1.4.Metodologia

Para concretização do presente trabalho recorreu-se a consulta de livros, artigos que


continham a informação do tema, pesquisa na internet, técnica de resumo e digitação, assim
como as pesquisas e bibliotecas com o intuito de trazer o essencial e melhorar o
desenvolvimento científico do trabalho.

4
2.LOGÍSTICA INTERNA E EXTERNA

Antes de desenvolver daquilo que é logística interno e externo daremos uma visão panorâmica
do seu surgimento no contexto histórico, suas características e objectivo e definição do que e
mesmo logística com intuito de nos enterre no assunto em desenvolvimento.

2.1.Breve Historial de Surgimento da logística

Na verdade o surgimento da logística não tem data definida. Sabe-se que algumas técnicas
foram usadas em campanhas de guerras. Por exemplo, as tropas de Alexandre, o Grande (310
a.C.), eram estrategicamente organizadas. Nada faltava aos soldados. Mantimentos, munições,
água, tudo era perfeitamente distribuído a todos os pontos da tropa.

A construção das pirâmides do antigo Egipto foi um evento que exigiu planeamento muito
bem organizado. Conceitos de logísticas, como prazos de construção, materiais escolhidos,
movimentação dos materiais, aquisição de mão-de-obra, e outros, estavam envolvidos. A
logística tem suas bases em civilizações antigas. Líderes, como Alexandre, o Grande, faziam
valer conhecimentos de técnicas de guerra para que a logística aplicada fosse eficiente. As
tropas de Napoleão e as de Hitler sucumbiram à falta de planeamento logístico ao tentar
invadir a Rússia. A Segunda Guerra Mundial é considerada berço da logística moderna.
Importante observar que os povos antigos já utilizavam os conceitos de logística de forma
bastante subjectiva. (Monteiro, 2012)

2.2.Definições da Logística

Alguns autores colocam a logística acima de sua conceituação clássica, segundo o dicionário
Aurélio (1999 cit in Monteiro, 2012): “Logística é a parte da arte da guerra que trata do
planeamento e da realização de:
a) Projecto e desenvolvimento, obtenção, armazenamento, transporte, distribuição,
reparação, manutenção e evacuação de material (para fins operativos ou
administrativos);
b) Recrutamento, incorporação, instrução e adestramento, designação, transporte, bem-
estar, evacuação, hospitalização e desligamento de pessoal;

5
c) “Aquisição ou construção, reparação, manutenção e operação de instalações e
acessórios destinados a ajudar o desempenho de qualquer função militar.”
Vários autores apresentam definições com enfoques diferenciados. Para Ching (1999),
logística é o canal de distribuição e é entendida como sendo a cadeia de suprimentos.
Ballou, (1999 cit in Monteiro, 2012). Para ele, “Logística é o processo de planeamento do
fluxo de materiais, objectivando a entrega das necessidades na qualidade desejada no tempo
certo, optimizando recursos e aumentando a qualidade nos serviços.”
No entanto, a busca pela qualidade pode, às vezes, soar estranho para quem tem como um dos
objectivos a redução de custos. E esse é outro importante ponto de estudo, ou seja, reduzir
para aumentar a qualidade. Por se tratar de um processo que envolve redução de custo e, às
vezes, até de investimento, a logística tornou-se ponto estratégico dentro das empresas, até
porque todas aplicam conceitos de logística. Porém alguns destes conceitos têm um tom de
importância maior entre as empresas.

2.3.Objectivo principal da logística

O objectivo principal da logística é reduzir os custos e maximizar os lucros da organização.


Este objectivo é alcançado através da agilidade de informação e flexibilização no atendimento
de entrega dos produtos aos consumidores. Para Ching (1999), a logística representa um
factor económico em virtude da distância existente tanto dos recursos (fornecedores), como de
seus consumidores, e esse é um problema que a logística tenta superar. Se ela conseguir
diminuir o intervalo entre a sua produção e a demanda, fazendo com que os consumidores
tenham bens e serviços quando e onde quiserem e na condição física que desejar, é
comprovado que ambas ganharam.

2.4.Principais Características

As principais características da logística são apresentadas pelo (IMAM 2000, p.12):


A logística representa uma oportunidade ideal para adicionar valor a fim de realizar o sucesso
do cliente, isto pode ser por meio:
 Melhoria da qualidade: reduzir inventário; reduzir tempo em trânsito;
 Flexibilidade da embalagem: os clientes recebendo os produtos como desejam;
 Velocidade de resposta: fluxos rápidos de informações e redução de tempo;
 Distribuição coordenada: planeamento dos locais de distribuição;

6
2.5.LOGÍSTICA INTERNA

2.5.1.Conceito da Logística Interna

A Logística Interna é a área que abrange as movimentações de materiais e as operações de


apoio que ocorrem dentro de uma empresa. Compreende diversos processos, como
armazenagem, controle de estoque, sistemas de automação e stock, manuseio de materiais,
equipamentos e tecnologia da informa. Ou seja, auxilia na regulação dos fluxos de materiais
dentro da instituição, garantindo que os itens certos estejam no lugar certo, na quantidade e na
hora certa.

A logística interna refere-se a todo o processo de recebimento, guarda, controle e distribuição


dos materiais utilizados dentro de uma organização. Nas indústrias a logística interna é um
factor primordial para a obtenção da eficiência e do aumento nas quantidades produzidas.
Nosso objectivo é demonstrar que nas empresas prestadoras de serviço a logística possui tanta
importância como tem na indústria.

Mintzberg (2000, cit in Monteiro, 2012) destaca a importância das actividades de suporte para
a elaboração das estratégias em uma organização quando analisou em seu livro as escolas do
processo de elaboração das estratégias.

Uma empresa pode ser desagregada em actividades primárias e de suporte. As actividades


primárias estão directamente envolvidas no fluxo de produtos até o cliente, e incluem logística
de entrada (recebimento, armazenagem etc), operações (ou transformações), logísticas de
saída (processamento de pedidos, distribuição física, etc,), marketing, vendas e serviços
(instalações, reparos, etc). As actividades de suporte existem para apoiar as actividades
primárias. Elas incluem suprimento, desenvolvimento tecnológico, gerenciamento de recursos
humanos e provisão da infra-estrutura da empresa (inclusive finanças, contabilidade,
administração geral, etc.)”.

2.5.2.Surgimento da Logística Interna

7
A logística interna é apresentada na abordagem de Martins e Campos (2000 cit in Monteiro,
2012). Segundo eles, a logística surgiu em 1970 por meio de um de seus aspectos; a
distribuição física, tanto a interna como a externa, e a justificam pelas organizações industriais
e comerciais terem abandonado o empirismo para abastecer mercados emergentes em um país
de dimensões continentais e de uma malha de transportes incipientes. Nessa cadeia de valor
nenhuma das operações sustenta-se sozinha se elas não estiverem integradas entre si e, se as
empresas acabarem desprezando uma dessas actividades, estarão comprometendo o
desenvolvimento de suas estratégias e automaticamente eliminando possíveis potencialidades
de crescimento de sua organização.
Desse modo, o estudo e o desenvolvimento da logística interna vão fazer com que a
organização obtenha vantagem competitiva perante seus concorrentes. Em nosso
entendimento a melhor forma de demonstrar a diferença entre a logística interna e a logística
externa é avaliarmos e conhecermos um canal de distribuição.

2.5.3.A relevância da logística interna

A ausência dos processos de logística interna pode gerar problemas na movimentação dos
materiais que alimentam a linha de produção. Assim sendo, o processo produtivo é
inviabilizado e a distribuição física também. Enfim, a comercialização não é concretizada e
não há lucro. Além disso, o consumidor actual exige entregas corretas em bons prazos. Isso só
é possível com um fluxo de materiais bem sincronizados, que por sua vez só existe com uma
boa gestão de logística interna. (Martins, 2000)

Resumindo, sem a aplicação correta da logística interna, compromete-se o desenvolvimento


das estratégias da empresa e também seu crescimento no mercado.

2.5.4.A logística Interna como Estratégia

Quando bem aplicada, a logística interna permite o desenvolvimento de estratégias que


reduzem os custos e aumentam o nível do serviço oferecido ao cliente. Alguns dos benefícios
da logística interna:

 Movimentação adequada de materiais;


 Redução de estoques;
 Redução de custos de locação e manutenção;
 Maior aproveitamento da mão-de-obra;
8
 Optimização da cadeia de suprimentos;
 Melhor utilização do espaço da empresa;
 Agilidade nos processos internos;
 Atendimento ao cliente mais eficaz e satisfatório. (Viana, 2000)

Para que se alcance os objectivos, são necessárias atitudes corretas desde o começo. Assim,
para que a experiência do cliente com uma empresa seja boa, deve haver uma boa gestão
desde seus processos internos. A importância da logística interna para o sucesso das empresas
tem conquistado cada vez mais atenção. Uma aplicação correta rende grandes benefícios e um
desejável salto no mercado competitivo.

2.6.LOGÍSTICA EXTERNA

2.6.1.Conceito de Logística Externa

A logística externa refere-se a toda a movimentação de mercadoria de uma empresa para outra
empresa. Um canal de distribuição ou um canal de Marketing é definido por Kotler (2000, p.
510) como “conjuntos de organizações interdependentes envolvidos no processo de
disponibilizar um produto ou serviço para uso ou consumo”.

Para Fleury (2000, cit in Dias, 1993) a logística externa é responsável por todas as funções da
administração dos recursos materiais: compra, armazenamento, distribuição, transporte e
informações entre uma ou outra empresa pertencente à complexa estrutura do canal de
distribuição.

Nas organizações, essencialmente nas prestadoras de serviço, a logística externa é quase nula.
Como a logística refere-se à movimentação de materiais e o fluxo de informação, e nas
empresas prestadoras de serviço não existem operações de compra e venda de produtos
palpáveis, a logística externa passa a não existir. Com raras excepções, determinadas
empresas prestadoras de serviço oferecem produtos junto aos serviços oferecidos, mas nesse
caso todos esses recursos materiais já foram gerenciados e trabalhados pela logística interna.
O Sistema de informações logísticas (SIL) possui maior alcance que o sistema de
processamento de pedido, pois ele tem como ênfase a colecta de dados, armazenamento e
geração de informação.

9
Conclusão

Chegando ao término do trabalho foi possível perceber que é comum abordar a importância
da logística somente no que diz respeito à situação empresarial, porém logística vai muito,
além disso. A organização de cidades deve obedecer a conceitos simples de fluxo de
transporte e infra-estrutura, para que haja maior qualidade de vida e eficiência com a
operacionalidade das vias públicas, ou seja, a importância está além de questões empresariais
e vai ao encontro da população. Por exemplo, a manutenção de vias públicas pode tornar a
qualidade de vida melhor em determinada região e ao mesmo tempo reduzir custos
operacionais de uma empresa, isto é, quando os conceitos são utilizados de forma eficiente
pela administração pública, há ganhos na economia e no dia-a-dia da população.

A logística possui um trio de actividades consideradas a base da logística. São conhecidas


como actividades primárias: Transporte, Manutenção de Estoques e Processamento de
Pedidos. A integração entre essas três actividades é factor crítico para que uma cadeia
logística tenha um serviço adequado.

10
Bibliografia

Ching, H. Y. (1999) Gestão de estoques na cadeia de logística integrada. São Paulo: Atlas,

Dias, M. A. P. (1993) Administração de materiais: uma abordagem logística. São Paulo:


Atlas.

IMAM. (2000) Gerenciamento da logística e cadeia de abastecimento. São Paulo, 2000.

Kotler, P. (2000) Administração de marketing: a edição do novo milénio. São Paulo: Printice
Hall,.
Martins, P. G.; Campos, P. R. (2000) Administração de materiais e recursos patrimoniais.
São Paulo: Saraiva,

Monteiro, Patrícia de Melo (2012) Aplicação da Logística na Prestação de Serviço Contábil.


UCM. Rio de Janeiro.
Viana, J. J. (2000) Administração de materiais: um enfoque prático. São Paulo: Atlas.

11