Você está na página 1de 6

Betão resistente a sulfatos

Docente: Maria da Luz

Nuno Soares 1151398


Júlio Barbosa 1160780

Índice
Introdução:..................................................................................................................................3
Ataque por sulfatos:....................................................................................................................4
 Como atuam?...................................................................................................................4
 Como penetram?..............................................................................................................4
Prevenção para a penetração de sulfatos?.................................................................................5
 Betão como meio de proteção:........................................................................................5
 Cimentos resistentes a sulfatos:.......................................................................................5

Introdução:
Nos dias de hoje, a contaminação química é um fator que se deve considerar na
construção das estruturas.
Por isso, a agressividade do meio em que a estrutura de betão está inserida, é
um fator determinante para a sua durabilidade.
Os ambientes urbanos, marinhos, industriais, esgotos, entre outros, estão cada
vez mais contaminados pelo ião sulfato.

Imagem 2. Expansão por ataque de sulfatos

Imagem 1. Degradação de uma amostra


de betão por ataque de sulfatos

Ataque por sulfatos:


Os sulfatos de Potássio, Sódio, Magnésio e Cálcio existem em solos argilosos,
em quantidades consideráveis.

 Como atuam?
Ambiente exterior

Hidróxido de Cálcio Gesso no caso de


Hidróxido de Cálcio e
Sulfatos Ou Etringita (sulfoaluminato
de cálcio) no caso de
Aluminato tricálcico
Aluminato tricálcico

Betão

Com estas reações são causadas expansões, fissurações, descamação do betão,


amolecimento e desintegração, ou seja, o sulfato vai ter uma atuação direta com o
betão, porém baixa o pH do mesmo.
Logo, se houver expansão e amolecimento do betão vai haver mais facilidade
na entrada de cloretos e todos os produtos químicos que houver no ambiente.

Imagem 3. Expansão, fissuração do betão

 Como penetram?
O ataque do ião sulfato é feito por difusão quando o betão está saturado e por
absorção quando seco.
Prevenção para evitar a penetração de
sulfatos?

A norma NP EN 206-1 considera o cimento pozolânico como resistente a


sulfatos. Este cimento é constituído por clínquer e cinzas volantes. A adição deste
material num betão modifica a microestrutura do mesmo, diminuindo a
permeabilidade, a formação de iões e a porosidade capilar, aumentando a estabilidade
e tempo de vida do betão. Visto isto, é possível concluir que, num ambiente em que o
betão esteja em contacto com sulfatos, o uso deste cimento é de enorme importância
para manter o bom estado do betão, reduzindo a possibilidade de falhas estruturais, e
aumentar o seu tempo de vida.

 Betão como meio de proteção:

 Ter um traço bem proporcionado


 Ter um fator água/cimento conveniente e, dentro da
plasticidade desejada, o menor possível
 Sofrer um processo de cura adequado

 Cimentos resistentes a sulfatos:


Requisitos a que devem obedecer: