Você está na página 1de 16

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIA E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E GESTÃO


CURSO DE LICENCIATURA EM CONTABILIDADE E AUDITORIA

1º Ano

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NOS


NEGÓCIOS

Discente:

Ester Alfredo Manhique

Docente:

Dr. Celestino Pembe

Beira, Abril de 2020.


Índice
Resumo ...................................................................................................................................... 3

1. Introdução .............................................................................................................................. 4

1.1. Objectivos........................................................................................................................ 5

1.1.1. Objectivo Geral......................................................................................................... 5

1.2.1. Objectivos Específicos ............................................................................................. 5

2. Desenvolvimento ................................................................................................................... 6

2.1. Conceitos ......................................................................................................................... 6

2.2. Breve Historial das tecnologias de informação e comunicação ...................................... 6

2.2.1. Tecnologia da Informação ........................................................................................ 6

2.2.2. Tecnologia da Informação e Comunicação .............................................................. 7

2.3. Ferramentas de TI usadas como apoio a decisão ............................................................ 8

2.4. A importância das TICs nas pequenas e médias empresas ........................................... 10

2.5. As TICs nas grandes empresas ...................................................................................... 11

2.5. IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NOS


NEGÓCIOS .......................................................................................................................... 12

3. Metodologia ......................................................................................................................... 14

4. Conclusão............................................................................................................................. 15

Referências Bibliográficas ....................................................................................................... 16

2
Resumo

O modelo de gestão de negócios das empresas vem sofrendo alterações devido ao avanço das
TICs, visando a melhoria, impactando positivamente na comercialização e distribuição de
seus produtos e/ou serviços e consequentemente alterando as relações na cadeia de valor.
Tem se observado o desenvolvimento de novas estratégias para a gestão de negócios. O
trabalho visa apresentar o impacto das tecnologias de informação e comunicação nos
negócios. No âmbito do negócio, a TI fornece possibilidades de permanente actualização e
integração do negócio, visto que potencializa os processos de tratamento, disseminação e
transferência de informações.

Palavras-chave: Impacto, Tecnologia, Informação, Comunicação, Negocio.

3
1. Introdução
Actualmente, os avanços tecnológicos no ramo empresarial/negócios vêm sendo marcados
pelo ritmo acelerado e pela variedade de inovações tecnológicas que estão sendo introduzidas
no mercado. Esses factores, aliados à difusão da tecnologia da informação e comunicação por
todas as actividades das empresas, vêm impondo a necessidade de reflectir, cada vez mais
sobre os impactos gerados por estes avanços tecnológicos, gestão de negócios/comércio
empresarial. Neste trabalho, pretende-se analisar o impacto da tecnologia da informação e
comunicação nos negócios de forma a perceber as desvantagens e as vantagens.
Nos últimos tem severificado um enorme crescimento da utilização de ferramentas de
Tecnologia da Informação (TI) nas empresas, o uso cada vez mais intenso.
A Tecnologia da Informação (TI) pode ser definida como o conjunto de tecnologias baseadas
em computação que possibilitam a comunicação, processamento, distribuição de informações
em Sistemas de Informação. A TI envolve, portanto, os sistemas de transmissão e distribuição
de informações (as redes de telecomunicações e redes computacionais tais como a Internet e
as Intranets) e os sistemas de armazenamento, processamento, transformação, colecta,
recuperação, acesso e apresentação de informações sejam estes implementados em software
ou hardware.
À medida que as Organizações desenvolveram habilidades em implementar sistemas de
Tecnologia da Informação o foco da análise de sua implementação mudou da TI voltada para
otimização da produção para a compreensão dos efeitos desta nos indivíduos, Organizações e
sistemas econômicos (BAKOS E KEMERER, 1991).

4
1.1. Objectivos

1.1.1. Objectivo Geral


 Analisar um Impacto das Tecnologia de Informação e Comunicação nos Negócios.

1.2.1. Objectivos Específicos


 Indicar a importância das TIC´s nas Organizações;
 Identificar as áreas que devem ser informatizadas nas organizações;
 Descrever o Impacto das Tecnologia de Informação e Comunicação nos Negócios.

5
2. Desenvolvimento

2.1. Conceitos
Negócio – é toda actividade que consiste na aquisição de renda em função da entrega de bens
e serviços como contrapartida. Geralmente é chamada de negócio a identidade privada que
foi criada com a finalidade lucrativa.

Comunicação – é um processo que envolve a troca de informação entre dois ou mais inter-
locutores por meio de signos e regras semióticas mutuamente perceptíveis.

2.2. Breve Historial das tecnologias de informação e comunicação

O século XX foi o século de destaque em TICs, onde foi destacado a Era da Informação.
Nos anos 70, começaram a abrir novas opções para a transformação de dados em
informações, melhorando os sistemas de acordo com as necessidades da empresa. Passados
dez anos, começou a ocorrer mudanças tecnológicas, pois o termo “Tecnologia da
Informação” passou a ser mais usado. Foi nessa altura que os gerentes de banco de dados
dominaram o mercado reduzindo os custos dos PCs e softwares, na busca de novas
estratégias com base nas Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC). Em 1990, na
perspectiva de optimizar o funcionamento das empresas, a integração tecnológica facilitou a
troca e o acesso às informações.

2.2.1. Tecnologia da Informação


A Tecnologia da Informação (TI) pode ser definida como um conjunto de tecnologias
baseadas em computação que possibilitam a comunicação, processamento, distribuição de
informações em Sistemas de Informação. A TI envolve os sistemas de transmissão e
distribuição de informações (as redes de telecomunicações e redes computacionais tais como
a Internet e as Intranets) e os sistemas de armazenamento, processamento, transformação,
colecta, recuperação, acesso e apresentação de informações sejam estes implementados em
software ou hardware.

6
2.2.2. Tecnologia da Informação e Comunicação

A Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) pode ser definida como um conjunto de


recursos tecnológicos, que ao serem integrados solucionam questões de comunicação em
diferentes áreas e sectores dos negócios. Na maioria das organizações, as decisões sobre os
investimentos em TIC são tratadas nas reuniões de planejamento estratégico pelo conselho
administrativo da empresa, pois tornou-se um factor crítico de sucesso.

Antes da proliferação dos computadores, os sistemas de informação nas Organizações eram


praticamente baseados em técnicas de arquivo e recuperação de informações de grandes
arquivos. Geralmente existia um responsável (arquivista) em organizar, registar, catalogar e
recuperar os dados quando era necessário. Apesar de esse método ser simples, exigia um
enorme esforço para manter os dados actualizados assim como recuperá-los. Também, as
informações em papéis não possibilitavam a facilidade de cruzamento e análise dos dados.
Por exemplo, nessa época, o inventário de stock de uma empresa não era uma tarefa comum,
isto é, a actualização dos dados não era uma tarefa prática e quase sempre envolvia muitas
pessoas, aumentando a probabilidade de ocorrerem vários erros.

Dada a importância dos factos históricos que marcaram no passado, na evolução das novas
tecnologias de informação e comunicação, apresenta-se no quadro abaixo as seguintes etapas
dos sistemas informáticos e de comunicação.

Quadro 1 - Tecnologias da informação e comunicação em geral

7
Fonte: BARBIERI, 2001.

2.3. Ferramentas de TI usadas como apoio a decisão

As Principais ferramentas de Tecnologia da Informação utilizadas actualmente como sistemas


de apoio à decisão são o ERP (Enterprise Resource Management- Gerenciamentode recursos
empresariais) e Sistemas de BI (Business Intelligence- Inteligencia de Negocios). Estes são
implementados sobre DW(Data Warehouses- Banco de Dados) onde são aplicadas técnicas
de DM (Data Mining).
As DWs são grandes depósitos de dados em uma corporação (TURBAN ET AI, 2000). O
Data Mining (DM), por sua vez, consiste em um conjunto de técnicas e softwares para busca
e estabelecimento de correlações entre os dados. Por exemplo, um DW pode conter dados a
respeito das vendas de um determinado produto nos últimos 30 meses, um DM analisa estes
dados buscando identificar comportamentos sazonais, correlação com vendas de outros
produtos, correlações com técnicas utilizadas no processo de vendas, etc (BARBIERI, 2001).
DW refere-se a uma estrutura física, e o DM é um processo, ambos formam a base de um
sistema de apoio à decisão.

8
Os primeiros sistemas para o controle de recursos produtivos foram os MRP (Material
Requirements Planning), sistemas desenvolvidos especificamente para se reduzir os níveis de
stock. Estes sistemas ofereciam uma visão integrada dos bens, baseando-se no inventário
disponível e nos períodos de reabastecimento. Na década de 80, o MRP evoluiu para MRPII
(Manufacturing Resource Planning), que tomava como base, além dos bens, outros recursos
essenciais à produção, tais como mão-de-obra, máquinas, etc. Aperfeiçoando ainda mais a
solução foi criado o ERP (Enterprise Resource Planning). Além de permitir a gestão da
manufatura, o ERP permitiu controlar toda a empresa, da produção às finanças, integrando e
sincronizando todos os departamentos (BARBIERI, 2001). O ERP possibilita documentar e
contabilizar todos os processos da empresa, gerando uma base de dados única, sem as
redundâncias encontradas nos sistemas anteriores, onde aplicações MRP e financeiras não
eram integradas entre si.
De um modo geral as empresas estão insatisfeitas com a qualidade e assiduidade da geração
de informações para gerenciamento do negócio e tomada de decisões. Isso significa que
ferramentas como Business Intelligence, data warehouse departamental/corporativo, e
consultas ad-hoc a dados de vendas e de clientes são necessárias para garantir que os líderes
do negócio estejam preparados, para aproveitar a eventual expansão dos mercados.
(LOZINSKY, 2003).

Os sistemas de Business Intelligence visam directamente o apoio às decisões. Conforme


vimos em BARBIERI (2001): Os sistemas de Business Intelligence representam a
possibilidade de se estruturar, acessar, analisar e explorar informações, normalmente
guardadas em DW/DM com o objectivo de desenvolver percepções, entendimentos,
conhecimentos, os quais podem produzir melhor tomada de decisões (BARBIERI, 2001).
Na elaboração de contratos, a Tecnologia da Informação actua através de ferramentas de Data
Mining aplicadas a Recursos Humanos no levantamento de incidências históricas e na análise
de conflitos anteriores. Tal processo gera um aprendizado corporativo e, através deste,
aprimoramento da elaboração de novos contratos.
Actualmente, além de utilizar a tecnologia de informação e comunicação para esse fim, novos
e maiores desafios foram incorporados, principalmente com a visão da informação global, na
procura de uma gestão mais eficiente e eficaz. Esta incorporação transforma-se numa mais-
valia para as organizações, possibilitando-lhes poder de responder à procura na sua área de
actuação, assegurando não só a sua sobrevivência, como a possibilidade de prestar serviços
com qualidade, o que lhes garante a manutenção da sua competitividade.
9
Em relaҫão aos ambientes turbulentos estes conduzem as organizações:
 A usarem TIC para traduzir as informações preferenciais do ambiente, em metas;
 A usarem TIC para analisar as suas estruturas em função do meio;
 A fazer maior uso de TIC para incrementar as suas características orgânicas
(delegação de autoridade e controlo);
 A reduzirem suas dimensões;
 A procurarem relações inter-organizacionais.

2.4. A importância das TICs nas pequenas e médias empresas

A maioria das PME investem pouco nas suas funções administrativas, dando mais
importância aos aspectos comerciais do que as organizacionais. No entanto têm uma grande
importância o reinvestimento nas TICs, uma vez que este tipo de empresas terá ganho,
qualquer que seja a perspectiva de análise. Também dadas as constantes evoluções
ambientais, a especificidade dos mercados em que operam e o pouco peso negocial
individual, as empresas deste tipo que perderem o fluxo das novas Tecnologias de
Informação e Comunicação estarão certamente num futuro muito próximo, a enfrentar sérios
problemas de competitividade. Os escassos recursos disponíveis levam, muitas vezes, a que
as empresas retardem a adopção dessas tecnologias ou que procuram soluções limitadas e
particularizadas que pouco tempo mais tarde se revelam inadequadas e difíceis de integrar.
Um maior conhecimento das TICs por parte das PME e uma rápida e reflectida estratégia de
investimento nestas tecnologias é ainda mais importante para este tipo de empresas do que
para as de maior dimensão.
As maiores dificuldades para a adopção e implementação das TICs podem ocorrer em função
de alguns factores, tais como:
 Dificuldades de reestruturação das áreas necessitadas de informatização, com a
formação dos trabalhadores e equipamentos necessários;
 Dificuldades financeiras, uma vez que para algumas empresas o custo com a
informatização pode ser significativo;
 Receio de ficar dependente de pessoal qualificado para alimentar as informações e
dificuldades de reestruturação das áreas necessitadas de informatização, com a
formação dos trabalhadores e equipamentos necessários;
 Receio de ficar dependente de pessoal qualificado para alimentar as informações e
operar os diversos sistemas informatizados.

10
A importância atribuída às PMEs tem tido um aumento significativo nos últimos tempos, e o
sector tem cada vez mais peso na economia de um país. Para fazer face às constantes
mudanças contextuais, as grandes empresas tentam manter-se flexíveis e eficientes,
subcontratando cada vez mais, quer parte da produção, quer os serviços de apoio. Pode-se
dizer que, as TICs suportam por um lado o aumento das práticas de subcontratação, por outro,
o desacoplamento vertical e a reestruturação em redes contribuindo para um maior número de
PME, na maior parte dos casos fortemente especializados. Com a adopção das TICs, as PME
podem-se tornar em empresas globais. Entretanto essa adopção vai depender, da existência de
uma perspectiva estratégica que orienta os investimentos, da ligação estreita entre os
objectivos e a estratégia do negócio e da disponibilidade de recursos financeiros e humanos.

2.5. As TICs nas grandes empresas


As grandes empresas necessitam de uma estrutura de informática mais completa, inclusive
com a utilização de redes em todas as áreas que possam gerar informações.
A automação das grandes empresas atinge praticamente todos os sectores e em alguns casos
exige a interacção deles, de maneira que a informação possa fluir com rapidez para as áreas
que se interessam por ela. Diante das exigências dos governos municipais, estaduais e na área
tributária, com reflexos directos na contabilidade, fica cada vez mais evidente a necessidade
de adequada estrutura informatizada nas grandes empresas. (BARBIERI, 2001).

Áreas das grandes empresas que devem ser informatizadas:

 Stock,
 Património (controle do imobilizado) ,
 Produção/ Vendas/ Facturação,
 Cobrança,
 Contas a Pagar e a Receber,
 Tesouraria/ Caixa/ Bancos,
 Contabilidade/ Carteira Fiscal,
 Pessoal/ Serviços Gerais,
 Segurança/ Transportes,
 Serviços Médicos,

11
2.5. IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NOS
NEGÓCIOS
Em virtude deste cenário, o Gerenciamento de Serviços de TIC é fundamental para a
sobrevivência e a continuidade da organização. Ter uma equipe de TIC alinhada aos objetivos
da empresa e que faça diferença para o negócio exige dedicação, infraestrutura adequada,
profissionais capacitados e gera custos elevados. Em contrapartida, a terceirização dos
serviços de TIC reduz os custos operacionais, garante o recebimento de um serviço de melhor
qualidade e principalmente permite que a organização mantenha o foco no negócio.

O Gerenciamento de Serviços de TIC envolve entender as necessidades e as expectativas do


cliente e buscar o meio mais apropriado de atendê-las. Esse serviço está longe de ser apenas
atendimento aos usuários finais – Service Desk – para que a organização possa ser
comunicada das falhas, dúvidas e/ou dificuldades que impactam a produtividade desses
usuários, mas também envolve aspectos técnicos, operacionais e de gestão de pessoas.

Fazer o gerenciamento de serviços de TIC significa estruturar um conjunto especializado de


habilidades organizacionais para fornecer valor para o cliente em forma de serviços. As
práticas procuram fornecer o suporte necessário para que os serviços estejam em sintonia
com as necessidades do negócio, aumentando a eficiência operacional e a melhoria contínua
nos processos.

Para crescer e tornar-se uma das referências de mercado é preciso compreender a importância
de estar sempre em busca da melhora da performance, um factor que está que directamente
relacionado à tecnologia nos negócios.

1. Aumento da produtividade

 É importante referir que tanto aos processos produtivos quanto aos administrativos
destacam-se as tecnologias, visando organizar a força de trabalho e optimizar o uso do
tempo, sendo as automatizações um dos seus pilares de sustentação.
 Em outras palavras, com a ajuda de ferramentas específicas é possível alocar melhor
os recursos e quantificar mais precisamente as horas trabalhadas por projecto.

12
2. Redução de custos

 Directamente relacionado ao aumento da produtividade está a redução de custos. As


automatizações desempenham um papel crucial, já que permitem fazer mais e melhor
em um menor período de tempo.
 Como consequência, naturalmente ocorrerá a contracção dos gastos. Tendo como
exemplo a gestão do negócio, as tecnologias se baseiam em softwares de controle,
específicos para cada sector.
 No entanto, a grande vantagem é a possibilidade de integração das diversas áreas da
empresa, o que lhe permitirá ter uma visão de negócio ampla e completa de todas as
operações, tudo em um único lugar.

3. Melhoria na comunicação

 Com a utilização de softwares e aplicativos, o sistema de informação a nível interno é


acentuado, uma vez visto que em alguns casos pode reduzir a grande ginástica de
comunicação que se tem verificado na ausência destas tecnologias, assim como para
com o ambiente externo das empresas, e também os desencontros de informações no
que se refere ao quotidiano de uma empresa podem ser totalmente eliminados, com
isso, os erros motivados pelo “eu não sabia ” e o “ninguém me disse nada” são
problemas que raramente acontecerão.

4. Melhora nas tomadas de decisão

 Nesse caso, a tecnologia nos negócios possibilita uma série de facilidades no que diz
respeito à análise de dados, o que impacta positivamente na tomadas de decisão.
Actualmente, as informações relativas aos processos podem ser obtidas de forma
rápida e precisa.

5. Maior competitividade de mercado

 É fundamental que as empresas coloquem a tecnologia como um elemento-chave para


o crescimento do negócio.

13
3. Metodologia
Segundo SELLTIZ, WRIGHTSMANN E COOK (1974), a metodologia a ser adoptada em
um trabalho de pesquisa depende na natureza básica do estudo, e pode ser classificada em três
tipos: os Exploratórios, os Descritivos.

Segundo estes autores, os estudos Exploratórios são indicados quando não há preocupação
com generalizações, mas com a aplicação da compreensão do fenómeno; o essencial é
descobrir ideias e intuições".

Segundo GIL (1995) complementa esta visão ao afirmar que as pesquisas exploratórias
permitem desenvolver e esclarecer conceitos e ideias.

SELLTIZ, WRIGHTSMANN E COOK (1974) afirmam que os descritivos têm por finalidade
caracterizar uma situação, grupo ou indivíduo identificando a frequência com que certo
fenómeno ocorre ou com que está relacionado a algum outro.

14
4. Conclusão

O uso das tecnologias de informação e comunicação tem impactado grandimente no ramo de


negócios, visto que facilita as empresas a produzir, divulgar e comercializar productos e serviços,
em sido por isso que vem sofrendo continuas e rápidas transformações, necessitando por parte
dos gestores constantes definições de estratégias para obtenção e/ou manutenção de uma
vantagem competitiva. Além disso, o perfil do consumidor também vem se alterando
principalmente quanto às expectativas das informações sobre um determinado destino turístico
bem como os prestadores de serviços (fornecedores). A questão tempo quanto à resposta, à venda
e à entrega é um dos factores de decisão por parte dos consumidores. Importante salientar que em
alguns casos afecta negativamente alguns colaboradores, isto quando a empresa sente necessidade
de reducao da mão de obra uma vez aplicada a tecnologia de ponta que acaba resumindo as
tarefas dispensando desta forma a necessidade de ter muitos colaboradores.

É importante que as empresas continuem investindo em altas tecnologias de modo a garantir


o Aumento da produtividade, Redução de custos, Melhoria na comunicação, Melhora nas
tomadas de decisão, assim como a Maior competitividade de mercado.

15
Referências Bibliográficas
 BARBIERI, Carlo. 2001. BI - Business Intelligence - Modelagem e Tecnologia, Axcel
Books do Brasil Editora Ltda, Rio de Janeiro, RJ.
 GIL, Antonio Carlos.1995. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. Editora Atlas, São
Paulo.
 LOZINSKY, Sergio, 2003. A Agenda Tecnológica, Iearo, RMC Editores, São Paulo.
 SELLTIZ, Claire; WRIGUTSMANN, Lawrence; COOK, Stuart. (1974). Métodos de
Pesquisa nas Relações Sociais. São Paulo, Herder.
 TURBAN, Efrain; LEE, Jae; KING, David; CHUNG, H. Michael.2000. Electronic
Commerce - A managerial perspective. Prentice-Hall, EUA.
 https://take.net/blog/inovacao/impacto-da-tecnologia-nas-empresas
 https://www.netsource.tech/5-impactos-causados-pela-tecnologia-nos-negocios/

16