Você está na página 1de 40

CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

Estudos para

Manual
Órgão Eletrônico
Aplicados ao Hinário

RAS
O

INSTRUT
Volumes
1 ao 4
CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL
Rua Visconde de Parnaíba, nº 1616 - CEP 03164-300
Caixa Postal 67.511 - CEP 03162-971
São Paulo - SP - Brasil

1ª Edição 2020

Capa MEO.indd Todas as páginas 04/02/20 14:49


CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

Manual Estudos para


Órgão Eletrônico
Aplicados ao Hinário

TORAS
U
INSTR

Vol
1 ao 4

1ª Edição 2020

MIN_04FEv20_18h00.indd 1 04/02/2020 21:07


Nome:

Cel:

Endereço:

Comum:

Nome:

Cel:

Endereço:

Comum:

Nome:

Cel:

Endereço:

Comum:
Distribuidora
CONGREGAÇÃO
Nome: CRISTÃ NO BRASIL
Rua Visconde de Parnaíba, nº 1616 – CEP 03164-300
Cel: Caixa Postal 67.511 – CEP 03162-971
São Paulo – SP – Brasil
Registro de Direitos Autorais
Endereço:
no Ministério da Cultura
Comum:
Nº 808.545 - Livro1.572 - Folha 80
É terminantemente vedada a distribuição ou
comercialização fora dos recintos da
Congregação Cristã no Brasil
© Copyright by
Congregação Cristã no Brasil
Todos os direitos reservados

1ª Edição – 10.000 Exemplares – 2020

MIN

MIN_04FEv20_18h00.indd 2 04/02/2020 21:07


Apresentação

Este Manual é um material de apoio às instrutoras, direcionado exclusivamente aos processos de
ensino e de aprendizagem dos quatro volumes dos Estudos para Órgão Eletrônico Aplicados ao
Hinário:

• Volume 1 - contém as bases da iniciação musical da organista;

• Volume 2 - elaborado para o aprendizado dos primeiros hinos mais fáceis e dos hinos de Reunião
de Jovens e Menores;

• Volume 3 - direcionado ao aprendizado dos hinos de Cultos Oficiais;

• Volume 4 - refere-se ao aprimoramento da organista para o Exame de Oficialização.

Os volumes são referências para a padronização do programa mínimo de organistas e englobam


conhecimentos e saberes musicais necessários e suficientes à execução dos Hinos de Louvores e
Súplicas a Deus.

O Manual para Instrutoras foi elaborado com a finalidade de orientar e auxiliar o ensino,
desenvolvendo habilidades e competências didáticas, apresentando informações e sugestões de
práticas de ensino para a formação de organistas.

Divide-se em duas partes:

• A primeira, com orientações gerais sobre os principais assuntos referentes aos quatro volumes;
• A segunda, com sugestões didáticas respectivas a cada volume.

Aconselha-se que a instrutora utilize metodologias ativas e práticas pedagógico-musicais inovadoras,
buscando motivar a aprendizagem de suas alunas.

Todos os volumes vêm acompanhados de vídeos explicativos e áudios disponibilizados para estudo
e também, para demonstração, orientação e complemento das explicações. Para obter a playlist,
deve-se acessar os respectivos QR Codes, conforme orientações que constam neste Manual.

Que Deus abençoe seu ensino!

MIN_04FEv20_18h00.indd 3 04/02/2020 21:07


Sumário

Orientações Gerais...........................................................................................5

01. Sobre ensinar e aprender........................................................................6

02. Fundamentos e princípios norteadores do ensino...............................6

03. Nomenclatura dos quatro volumes........................................................7

04. Ícones dos volumes.................................................................................7

05. Abordagem Metodológica ......................................................................8

06. Ensino da teoria musical........................................................................10

07. Ensino da postura correta ....................................................................10

08. Ensino do uso do Metrônomo ...............................................................11

09. Ensino da técnica preparatória .............................................................12

10. Ensino das escalas ................................................................................13

11. Ensino dos arpejos .................................................................................14


12. Ensino dos acordes ...............................................................................14

13. Ensino dos recursos de dedilhado .......................................................15

14. Ensino da pedaleira ................................................................................16

15. Ensino do pedal de expressão...............................................................16

16. Ensino dos Estudos................................................................................17


17. Ensino da Registração............................................................................17

18. Ensino do Hinário....................................................................................19

19. Plano de estudos.....................................................................................21


20. Preparação para os testes ou exames de oficialização.......................22

Orientações Didáticas......................................................................................23

Orientações didáticas do Volume 1.............................................................24

Orientações didáticas do Volume 2.............................................................28

Orientações didáticas do Volume 3.............................................................32

Orientações didáticas do Volume 4.............................................................34

Referências bibliográficas............................................................................36

MIN_04FEv20_18h00.indd 4 04/02/2020 21:07


ARTE 1
P

Ões
TAÇ
ORI
R
E
AIS
N

GE

MIN_04FEv20_18h00.indd 5 04/02/2020 21:07


Manual

1. Sobre ensinar e aprender


O ensino musical tradicional tem o professor como centro e transmissor dos conhecimentos e o
aluno como mero receptor, que aprende por meio de imitação, repetição e memorização.

De acordo com as atuais teorias educacionais, ensinar não significa somente transmitir saberes,
mas criar possibilidades para a produção e construção de novos conhecimentos. Por sua vez,
aprender não significa apenas receber informações e memorizá-las de forma mecanizada, mas
sim, construir competências e habilidades para mobilizar novos conhecimentos e saber aplicá-los
à realidade.

Por isso, pode-se afirmar que ensinar e aprender são vias colaborativas e construtivas de mão
dupla entre aprendizes e professores, que exigem saberes e conhecimentos compartilhados entre
todos os participantes do processo educativo.

Na atualidade, a aprendizagem musical sustenta-se em processos cognitivos e psicomotores


fundamentados na Psicologia e Neurociência, as quais recomendam a utilização de vários canais
sensoriais, traduzidos em vivências auditiva, visual, tátil e expressiva, aliadas à técnica instrumental.

Para ensinar, são necessárias competências e habilidades específicas, tais como: possuir
conhecimentos musicais mais aprofundados do que os exigidos no programa mínimo de organistas;
ter clareza e segurança ao fornecer explicações; saber observar e manter atenção para identificar
as dificuldades da aluna; propor soluções facilitadoras e, por último, saber orientar e mediar o
aprendizado de forma criativa, motivadora e eficiente.

Desse modo, o Manual vem contribuir para que a instrutora possa adquirir essas competências e
habilidades específicas para o ensino de organistas.
2. Fundamentos e princípios norteadores do ensino
As concepções e os princípios que nortearam e fundamentaram a abordagem metodológica ado-
tada em todos os volumes estão apoiados em três eixos que se entrecruzam e se complementam:
ouvir, compreender e executar.

6
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 6 04/02/2020 21:07


Manual

Nesta perspectiva, priorizou-se o desenvolvimento da percepção auditiva desde o início dos


estudos, buscando-se ensinar os saberes musicais por meio da compreensão dos conceitos
musicais aplicados ao Hinário e, por fim, promovendo uma aprendizagem eficiente e significativa
de competências e habilidades necessárias à execução dos hinos.

A sequência didática dos conteúdos proposta nos quatro volumes está baseada em uma
aprendizagem em espiral, ou seja, os conceitos são apresentados do mais simples ao mais
complexo e retomados a cada volume, de forma mais aprofundada, integrando-se teoria à prática
instrumental.

Por isso, é aconselhável que a aluna estude os quatro volumes, para que os objetivos do aprendizado
musical necessários à execução dos hinos sejam alcançados, de acordo com a sequência didática
organizada e elaborada para essa finalidade.

3. Nomenclatura dos quatro volumes


Atividade: Exercícios de teoria aplicados à prática
Exercício: Técnica preparatória aplicada
Estudo: Peças de compositores de domínio público adaptadas para órgão eletrônico
Você Sabia? : Informações contextualizadas e curiosidades musicais, que visam enriquecer o
conhecimento; não serão exigidas nos testes e exames.

4. Ícones dos volumes


Os assuntos deste manual e do método que exigem demonstrações em vídeo ou em áudio estarão
indicados pelos seguintes ícones:

Como acessar os áudios:

1. Acesse o link https://fliphtml5.com/bookcase/cughp


2. Clique em um dos volumes;
3. Abra a página do Estudo ou do Exercício;
4. Clique no botão do play.

Como acessar os códigos QR:

1. Abra a câmera do seu celular ou um aplicativo de leitor de QR;


2. Aproxime o aparelho e aponte a câmera para o código QR;
3. O leitor direcionará para a página da web imediatamente;
4. Toque para abrir o link que aparece.

7
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 7 04/02/2020 21:07


Manual

5. Abordagem Metodológica

Prioridade no desenvolvimento
da percepção auditiva desde os
primeiros estudos e exercícios.

Ênfase no desenvolvimento do
senso rítmico com o uso do me-
trônomo desde os primeiros es-
tudos.

Aprendizagem simultânea da leitura


de notas em claves de Sol e de Fá.

Aplicação imediata dos conceitos


básicos da teoria musical à prática
instrumental.

Sequência didática organizada por to-


nalidade dos hinos de RJM, visando ao
desenvolvimento simultâneo das per-
cepções tátil, auditiva, visual e motora.

Exercícios técnicos seleciona-


dos na mesma tonalidade dos
hinos de RJM.

Aprendizagem dos Estudos se-


Exercícios prévios de recursos lecionados na mesma tonalidade
de dedilhado, preparatórios dos hinos de RJM.
para a aprendizagem dos hinos,
na mesma tonalidade.

8
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 8 04/02/2020 21:07


Manual

Aprendizagem por etapas, divi-


didas em 5 fases, conforme grau
crescente de dificuldade dos hinos.

Sequência didática organizada de


acordo com conteúdos musicais
que aparecem nos hinos de cada
fase.

Exercícios técnicos selecionados


no mesmo grau de dificuldade
dos hinos de cada fase.

Exercícios prévios de recursos de de-


dilhado, preparatórios para a aprendi-
zagem dos hinos de cada fase.

Revisão e aperfeiçoa-
mento do Hinário.

Exercícios preparatórios para


a aprendizagem da execução
dos hinos a 4 partes, tendo
os coros como exemplos.

Estudos selecionados visando


ao aprimoramento e domínio
técnico da organista. Sequência didática organizada
em duas partes: obrigatória e
opcional.

9
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 9 04/02/2020 21:07


Manual

6. Ensino da teoria musical

O Método de Teoria e Solfejo – MTS é o método oficial indicado no programa mínimo de organistas
para o ensino da teoria e do solfejo, incluindo-se a leitura rítmica e o solfejo dos hinos, nos grupos
de estudos musicais (GEM), onde houver.
Os conceitos teóricos não devem ser decorados, mas sim, compreendidos, sempre aplicados aos
estudos e ao Hinário por meio de exercícios práticos;

Sugestões para o ensino da teoria musical

• Procure utilizar atividades de teoria musical que estimulem o desenvolvimento da percep-


ção auditiva e rítmica da aluna;
• Solicite que a aluna realize as atividades no método, no MTS e corrija-as com devolutivas,
justificando os acertos e explicando os erros;
• Estimule o estudo e trabalhos em grupo, utilizando atividades lúdicas e criativas;
• Para o ensino do solfejo e leitura rítmica dos estudos de cada volume, a instrutora poderá
utilizar tanto a silabação da linguagem rítmica sugerida no MTS, como também, ensinar a
contagem de tempos por números;
• Antes de prosseguir para outro assunto, verifique sempre se a aluna compreendeu bem os
conceitos trabalhados, por meios de instrumentos de avaliação, tais como: questionários,
questões dissertativas ou de múltipla escolha, atividades auditivas, análise de trechos mu-
sicais dos estudos, dos métodos ou dos hinos, atividades lúdicas, entre outros.

7. Ensino da postura correta

Assista ao vídeo explicativo sobre postura correta e articulação ligada, p.9 e 12


do volume 1

Mesmo que a aluna ainda não conheça a leitura musical, pode-se iniciar, nas primeiras aulas, ativi-
dades práticas explorando as partes do órgão, as propriedades do som e a postura corporal geral.

10
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 10 04/02/2020 21:07


Manual

Sugestões para o ensino da postura correta

• É preciso que a instrutora oriente a aluna desde o início dos estudos, para que ela possa
adquirir gradativamente uma postura correta ao sentar-se e ao tocar;
• É necessário observar alguns fatores que influenciam diretamente a postura da aluna e, con-
sequentemente, seu rendimento musical, tais como: ansiedade, tensão, timidez, coordena-
ção motora geral e fina, problemas de coluna, mãos pequenas ou muito grandes, problemas
de visão, de audição, entre outros;
• Como o órgão não possui um banco dentro dos padrões ergonômicos, sugere-se em relação
às crianças e algumas alunas:
a) Colocar um apoio para os pés, para que a criança não fique balançando as pernas, tais
como: pilha de livros, caixa de sapato, banquinho baixo, etc.
b) Ajustar a altura do banco do órgão inserindo uma almofada ou travesseiro, de modo que
os braços da aluna fiquem no ângulo correto do teclado e a coluna ereta.

8. Ensino do uso do Metrônomo

Assista ao vídeo explicativo sobre o uso do Metrônomo, p.19 do volume 1

A metodologia adotada nos quatro volumes exige o uso do Metrônomo desde o início dos estudos,
pois os hinos possuem indicação metronômica. Por isso, o Módulo 1 do MTS deverá ser muito bem
trabalhado, paralelamente às primeiras aulas de órgão, sendo importante habituar a aluna a tocar
com metrônomo nos estudos realizados em casa e em aula.

Benefícios que o uso do metrônomo proporciona

• Desenvolve a percepção rítmica e interiorização da pulsação;


• Auxilia a compreender a métrica e a proporção entre as figuras;
• Desenvolve a atenção e a concentração;
• Contribui para a segurança e firmeza na execução, ao manter igualdade no andamento.

11
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 11 04/02/2020 21:07


Manual

A instrutora deverá adquirir seu próprio metrônomo e saber manuseá-lo durante as aulas. Existem
diversos aplicativos gratuitos para uso do metrônomo, que poderão ser baixados no celular.

Para utilizar o metrônomo, não é necessário ter como referência apenas a figura da unidade de
tempo do compasso como pulsação. Recomenda-se que o estudo inicial seja em velocidade lenta,
considerando como referência de pulsação, a figura de menor valor que aparece na partitura,
independentemente da unidade de tempo do compasso.

Exemplo prático de estudo com metrônomo

Volume 3 - Estudo 13: a figura de menor valor é a semicolcheia.

1ª semana - estudar nas velocidades de 100 a 132, considerando a semicolcheia valendo uma batida.
2ª semana - estudar nas velocidades de 60 a 100, considerando a colcheia valendo uma batida.
3ª semana - estudar nas velocidades de 50 a 60, considerando a semínima valendo uma batida.
Ao estudar dessa forma, a leitura rítmica será bem exata, tornando-se de fácil compreensão para
a aluna.

9. Ensino da técnica preparatória


O domínio sobre o conjunto de fatores que determinam a execução correta do instrumento chama-se
TÉCNICA. Por isso, foram inseridos nos quatro volumes, diversos modelos de exercícios técnicos,
visando principalmente: o fortalecimento da musculatura dos dedos e mãos; a articulação correta e
ligada; agilidade e velocidade; execução adequada da pedaleira e o domínio do pedal de expressão.

Sugestões para o ensino da técnica preparatória:

• Oriente a aluna a realizar alguns exercícios de relaxamento de braços, ombros e mãos,


próprios para estudantes de instrumentos de teclado, antes dos exercícios técnicos;
• Explique para a aluna a necessidade de estudar a técnica diariamente, como aquecimento e
fortalecimento da musculatura dos dedos;
• Mesmo antes de a aluna aprender as notas musicais, pode-se ensinar alguns exercícios
que não dependem da leitura de partitura. Por exemplo: executar cinco notas ascendentes e
descendentes, mãos separadas e depois, mãos juntas, iniciando em cada tecla branca: Dó a
Sol; Ré a Lá; Mi a Si, etc., explorando todas as regiões do teclado;
• O mesmo tipo de exercício poderá ser aplicado somente na pedaleira, observando-se a
técnica correta de execução do pé esquerdo. Em seguida, juntar mão direita com a pedaleira;
mão esquerda com a pedaleira e as três partes juntas;
• Ao iniciar os exercícios técnicos contidos nos quatro volumes, comece na velocidade mínima
sugerida. Ensine a aluna a repetir o exercício diversas vezes, graduando semanalmente
a velocidade metronômica até atingir a velocidade máxima e adquirir o domínio da técnica
proposta.
• Estimule a concentração da aluna, pois é um dos fatores mais importantes para uma boa

12
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 12 04/02/2020 21:07


Manual

técnica, corrigindo posturas e posições incorretas de dedos, mãos, braços, cotovelos, ombros
e costas;
• Em alguns volumes, foram sugeridas variações rítmicas dos exercícios de velocidade e agilidade
dos dedos. Exemplo: vol 03, exercício 8.
• O toque da organista deverá ser sempre ligado (com exceção das variações sugeridas com
stacattos) e a execução deve ser clara e precisa.

10. Ensino das escalas

Assista ao vídeo explicativo sobre o Estudo das Escalas, p.65 do volume 1

Aprender escalas é um dos principais aspectos da técnica, visando desenvolver a percepção


auditiva e, também, a tátil correspondente a cada tonalidade, por meio do estudo das passagens
de dedos e explorando a extensão do teclado. Devem ser estudadas pela aluna, desde o início do
aprendizado musical, de forma progressiva, conforme constam nos volumes, com o objetivo de
automatizar as passagens de dedos e memorizar a execução das escalas sem a partitura.

Para facilitar a leitura e visualização, optou-se por escrever as escalas no final dos volumes 2, 3
e 4, apenas em clave de Sol, com os respectivos dedilhados para mão direita (assinalados acima
das notas) e mão esquerda (assinalados abaixo das notas). Subentende-se, porém, que a mão
esquerda deverá executar a escala em uma oitava abaixo da posição da mão direita.
Estudo progressivo das Escalas

• No volume 1, as alunas iniciantes estudam as escalas de Dó M, Sol M e Fá M em uma oitava,


correspondendo às tonalidades dos primeiros hinos que constam para estudo no final desse
volume;
• No volume 2, a sequência de escalas em uma oitava a serem estudadas segue a tonalidade
dos hinos de Reunião de Jovens e Menores, dos mais fáceis aos difíceis, como também, os
respectivos arpejos;
• No volume 3, são apresentadas as escalas menores harmônicas em uma oitava;
• No volume 4, estão todas as escalas maiores e menores harmônicas em duas oitavas.

Sugestões para o ensino das escalas

• Inicie o ensino das escalas apenas com estudos do movimento de passagem do polegar sob o 3º
dedo, observando como a aluna movimenta o cotovelo e o punho durante a passagem de dedo;
• Em seguida, oriente a aluna para praticar escalas de oito notas ascendentes e descendentes,
somente nas teclas brancas, mãos separadas, explorando várias regiões do teclado: Dó a Dó;
Ré a Ré; Mi a Mi e, assim por diante, usando o dedilhado padrão das escalas;
• Muitas alunas sentem dificuldades ao executar as passagens com o polegar no estudo das
escalas. Neste ponto, aconselha-se cuidar do relaxamento da mão e do braço.

13
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 13 04/02/2020 21:07


Manual

11. Ensino dos arpejos


Assista ao vídeo explicativo sobre estudo dos arpejos, p.10 do volume 2.

Sugestões para o ensino dos arpejos:


• Os arpejos são formados pelos I, III e V graus das escalas. No programa mínimo, exige-se apenas
a execução em uma oitava em todos os testes. Devem ser estudados de forma progressiva, ou
seja, inicia-se o estudo no volume 2, fazendo correspondência com a respectiva escala que está
sendo estudada pela aluna.
• Dedilhados dos arpejos em uma oitava: foi adotado o 3º dedo na mão esquerda em todas as
tonalidades para facilitar. Da mesma forma que as escalas, optou-se em escrever os arpejos em
clave de Sol, com dedilhados indicativos para as mãos direita e esquerda, acima e abaixo das
notas, respectivamente. Porém, subentende-se que a mão esquerda executará em uma oitava
abaixo.
• O estudo do arpejo inicia-se sempre com o modelo de exercícios preparatórios localizados na
p.11 do volume 2, nas tonalidades correspondentes.

12. Ensino dos acordes


Assista ao vídeo explicativo sobre o Estudo dos Acordes, p.68 do volume 1.

O estudo técnico dos acordes tem por objetivo aprimorar o reflexo e a igualdade do peso dos
dedos na execução. É importante ensinar a aluna a estudar os acordes separadamente, para
fortalecimento dos dedos e da musculatura da mão, seguindo as sugestões abaixo:

Sugestões para o ensino dos acordes:


• Orientar a aluna a realizar a leitura vertical (ler as notas de baixo para cima);
• Executar, inicialmente, um estudo somente dos acordes, da seguinte forma: tocar simultaneamente
2 em 2 notas do acorde, repetindo várias vezes; em seguida, de 3 em 3 e, por último, todas as
notas do acorde, observando a igualdade do peso dos dedos para não tocar arpejado;
• O dedo que não estiver tocando o acorde, deverá permanecer em repouso sobre a tecla;
• Observe se a aluna está tocando com o dedilhado correto indicado, pois tocar acordes com
dedos errados é um hábito que deve ser corrigido desde o início dos estudos;
• Após a fixação das notas e dedilhado dos acordes, oriente a candidata a realizar a mudança dos
acordes por meio da preparação, posicionando os dedos no próximo acorde, mas sem executá-lo.
• Em seguida, oriente para a aluna treinar diversas vezes a mudança de um acorde para outro,
executando-os.

14
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 14 04/02/2020 21:07


Manual

13. Ensino dos recursos de dedilhado

Assista aos vídeos explicativos sobre recursos de dedilhado, p. 47, 48, 49


e 59 do volume 1

Assista aos vídeos explicativos sobre recursos de dedilhado, p. 34, 37


e 74 do volume 2.

O dedilhado é um sistema de numeração dos dedos das mãos direita e esquerda, que possibilita
a ampliação das possibilidades técnicas da execução. Os volumes abordam os recursos que são
utilizados no sistema de dedilhado do Hinário.

É importante que a instrutora tenha muita atenção sobre as seguintes dificuldades de dedilhado
que poderão surgir durante a execução:

Recurso de Dedilhado Hábitos inadequados mais comuns


Alargamento (A) Elevação exagerada dos dedos que não estão tocando.

Contração (C) Erro de notas ou dedos demasiadamente curvados, causando tensão


desnecessária.
Deslocamento (Dt) Falta de reflexo. A visualização do teclado e o posicionamento da
mão na execução do deslocamento devem ser bem treinados.

Deslizamento (D) Interromper o som ao realizar o deslizamento de dedo.

Mudança (M) Elevação do punho na troca dos dedos

Passagem (P) Distorção dos cotovelos e elevação do punho demasiadamente para


cima ou para baixo.

Substituição (S) Executado sobre a nota presa, deve-se manter a mão na posição
natural.

Se as mãos da aluna forem muito pequenas (tanto crianças, como adultas), a instrutora deve
ter especial atenção ao desenvolvimento da técnica, principalmente para adequar o dedilhado,
conforme orientações dos recursos de dedilhado que se encontram nos volume 1 e 2. Quando do
crescimento/desenvolvimento das crianças, ao preparar a aluna para o teste de culto oficial, deve-
se voltar aos exercícios de dedilhado, fazendo as devidas adaptações ao tamanho natural da mão.

15
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 15 04/02/2020 21:07


Manual

14. Ensino da pedaleira

Assista ao vídeo explicativo sobre estudo da pedaleira, p.79 do volume 1.

Existem diversas técnicas para a execução da pedaleira. Nos estudos de todos os volumes e na
execução do Hinário 5 será usada apenas a técnica de execução da pedaleira com a ponta do pé
esquerdo.

Sugestões para o ensino de pedaleira:

• Oriente a aluna a seguir corretamente as instruções que constam no volume 1, p.79;


• Fique atenta para a posição das crianças ao tocarem a pedaleira, para que a postura não
fique comprometida;
• A execução da pedaleira deve ser a mais discreta e mais ligada possível;
• O volume da pedaleira não deve ultrapassar o dos teclados.

15. Ensino do pedal de expressão

Assista ao vídeo explicativo sobre expressão ou dinâmica,


p. 51 do volume 2 e p.20 do volume 3.

As variações de dinâmica e seus efeitos na interpretação musical resultam dos movimentos


realizados com o pedal de expressão.

Sugestões para o ensino do pedal de expressão


• O estudo do pedal de expressão vai além do domínio da coordenação motora, pois exige da
aluna o desenvolvimento da sua percepção auditiva. Somente assim, ela poderá perceber os
efeitos que ocorrem na sonoridade e saber controlar auditivamente o movimento do pedal;
• Para isso, é necessário desenvolver na aluna, o controle motor e também a percepção auditiva,
por meio de exercícios específicos para o movimento do pedal de expressão, realizados de
forma lúdica e criativa. Por exemplo: fazer a aluna sortear fichas com alguns trechos de melo-
dias fáceis a serem executados à primeira vista, contendo sinais de dinâmica, para que a aluna
toque movimentando o pedal, conforme as indicações;
• Ao preparar uma candidata para o teste de Reunião de Jovens e Menores e também a meia-
-hora, é importante orientar a candidata a executar os hinos com dinâmica, diminuindo o volume
especialmente nos finais de frases, porém, sem exagerar e sempre variando o volume de forma
gradativa e suave.

16
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 16 04/02/2020 21:07


Manual

16. Ensino dos Estudos


Foram utilizados diversos estudos de compositores de domínio público, adaptados para a técnica
organística, em ordem progressiva de dificuldade. Neles estão agregados os conceitos teóricos,
técnicos e interpretativos aplicados ao Hinário, que deverão ser observados e executados com
muita atenção.

Sugestões para o ensino dos Estudos:

• Leia para sua aluna as instruções contidas no método, antes de iniciar cada estudo;
• Realize com a aluna a leitura rítmica e o solfejo, objetivando uma divisão precisa. Pode-se
usar a contagem de tempos por números;
• Ensine a estudar mãos separadas, observando bem o dedilhado, notas e divisão e exigindo
em aula a execução dos estudos mãos separadas;
• Ensine a estudar mãos juntas, de forma gradativa, separando os trechos mais difíceis ou por
partes e seções;
• Assim que a aluna tiver obtido domínio sobre os trechos mais difíceis, deverá realizar estudos
de repetição a cada 2 e 4 compassos, uma parte, uma seção, até conseguir a peça inteira
com fluência na execução;
• Repasse os estudos semanalmente e retome aqueles em que a aluna tocou notas erradas,
apresentou dedilhado incorreto ou teve dificuldade na divisão;
• Ao repassar, exija a execução dos estudos nas velocidades indicadas ou mais próximas
possíveis, graduando o metrônomo.

17. Ensino da Registração

A instrutora deverá mostrar para a candidata o painel de registração, acionando todos os registros
e efeitos que o órgão oferece.

Assista ao vídeo explicativo sobre conhecimentos básicos de registração,


p.22 do volume 1.

Devido aos diversos modelos de órgãos, não foram sugeridas registrações específicas nos
estudos dos quatro volumes, ficando a cargo da instrutora ensinar sua aluna a registrar o órgão de
maneira adequada. Existem diversos links e vídeos explicativos disponibilizados na internet sobre
registrações dos órgãos, específicas para cada marca.

17
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 17 04/02/2020 21:07


Manual

Sugestões para o ensino da registração:

• No órgão, mostre para a candidata a localização dos registros deslizantes (se houver) e dos
registros prontos;
• Explique qual é a função de cada um, deslizando um a um, para que a aluna escute o seu
efeito sonoro;
• Explique o significado dos números inteiros e fracionários de cada registro deslizante, fazendo
a correspondência aos tubos dos órgãos antigos e às notas fundamentais e harmônicas;
• Deslize todas as barras para trás, explique e demonstre que desta forma os tubos estarão
fechados;
• Puxe-os para frente novamente explicando que a mudança do som corresponde aos tubos
que estão se abrindo;
• Demonstre para a aluna as diferenças sonoras existentes entre os registros;
• Modifique o som para um instrumento solo qualquer (piano, trompete) e peça para a aluna
ouvir e identificar o instrumento ao qual o som corresponde.

Representação dos controles deslizantes mais comuns nos órgãos (drawbars)

10 10 10 10 10 10 10 10 10
9 9 9 9 9 9 9 9 9
8 8 8 8 8 8 8 8 8
7 7 7 7 7 7 7 7 7
6 6 6 6 6 6 6 6 6
5 5 5 5 5 5 5 5 5
4 4 4 4 4 4 4 4 4
3 3 3 3 3 3 3 3 3
2 2 2 2 2 2 2 2 2
1 1 1 1 1 1 1 1 1

16’ 5 13 ’ 8’ 4’ 2 23 ’ 2’ 1 35 ’ 1 13 ’ 1’

18
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 18 04/02/2020 21:08


Manual

Significado das cores

Branca - Sons fundamentais

Marrom - SUB (oitava abaixo) Preta - Sons harmônicos

Atenção: Algumas alunas costumam usar o sustain do órgão para estudar o que prejudica sua
percepção auditiva e o seu desenvolvimento técnico. Oriente para que ela estude sem usar este
efeito, tocando com clareza e sonoridade.

18. Ensino do Hinário

O estudo dos hinos foi desenvolvido de acordo com os seguintes critérios:

• No volume 1 constam três hinos reproduzidos fielmente, apenas com as vozes do soprano e
baixo, como forma de incentivar a aluna;
• No volume 2, o principal critério estabelecido foi o ensino por tonalidade, ou seja, a aluna
estudará escala, arpejo, exercícios de técnica, exercícios de pedaleira, estudos e hinos sempre
agrupados na mesma tonalidade, contribuindo para facilitar sua memorização auditiva, visual
e tátil;
• No volume 3, adotou-se o critério dos hinos por grau de dificuldade;
• No volume 4, sugere-se a revisão do Hinário com estudo de notas duplas e dos Coros executados
a 4 partes;
• Os 480 hinos podem ser categorizados, conforme alguns critérios definidos, como consta no
quadro a seguir.

19
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 19 04/02/2020 21:08


Manual

Alargamento
Contração
Recursos de dedilhado
Mudança
Substituição
Passagem
Deslizamento
Deslocamento

Indicações fraseológicas Inícios e terminações de frases


Respirações longas e curtas
Respirações sobre notas de passagem
Resposta ao soprano

Valores da figuração diferente entre as vozes


Métrica e proporção Sustentação do valor correto das notas do tenor e baixo
Divisão correta das notas de passagem
Valores exatos das células rítmicas

Notas uníssonas e notas uníssonas presas


Passagens com uníssonas no baixo
Tessitura
Acidentes
Altura da pedaleira com notas uníssonas
Notas diferentes da mão esquerda e pedaleira

Fórmulas de compasso
Compassos Mudança de compasso simples para o composto
Alternância de fórmulas de compasso
Acentuação métrica

20
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 20 04/02/2020 21:08


Manual

Sugestões para o ensino dos hinos:

• Oriente sua aluna a seguir as orientações gerais de estudo dos hinos, como constam no volume
2, pg. 33 e do volume 3, pg. 7;
• Foram transcritos alguns trechos de hinos nos volumes 2, 3 e 4, para a aluna estudar
separadamente e previamente ao Hinário (hinos inteiros), observando notas, dedilhados,
passagens, divisão, entre outros aspectos que foram destacados. Não deixe de realizar este
estudo prévio com a aluna, pois facilitará bastante o ensino e a aprendizagem dos hinos.

19. Plano de estudos

Planejar e organizar o tempo na rotina diária, visando o aprimoramento musical, é muito importante.
Para isso, sugere-se que a instrutora elabore, em conjunto com sua aluna, um roteiro e cronograma
de estudos diários, conforme os exemplos que seguem:

Exemplo 1 Tempo (minutos) Conteúdo Semanal


15m MTS – lição indicada para a semana
15m 01 Exercício de técnica preparatória
15m 01 Escala e arpejo indicados
15m 01 Exercício de pedaleira
30m 01 Estudo indicado para a semana
30m Hinos indicados para a semana

Exemplo 2 Dia da semana Horário Conteúdo


De 2ª a sábado 30 minutos MTS
30 minutos Exercícios técnicos
30 minutos Escalas
30 minutos Estudos
30 minutos Hinos

21
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 21 04/02/2020 21:08


Manual

OBSERVAÇÕES IMPORTANTES

• Oriente a aluna a estudar diariamente, para desenvolvimento técnico e fixação da aprendizagem;


• Utilize uma caderneta para anotações e orientações das tarefas a serem realizadas pela aluna,
em casa, durante a semana;
• Ensine a realizar o estudo por partes e repetindo várias vezes cada trecho, até que a execução
esteja fluente, firme e segura;
• Utilize o metrônomo constantemente, graduando a velocidade;
• Circule os trechos mais difíceis no método ou Hinário da aluna para chamar sua atenção durante
o estudo em casa e fique atenta para a execução correta desses trechos, na próxima aula;
• No caso de crianças, peça auxílio dos pais ou familiares para acompanharem o seu
desenvolvimento, verificando o caderno de anotações;
• Esteja sempre atenta para estimular e motivar os estudos da aluna, de forma criativa e prazerosa.

20. Preparação para os testes ou exames de oficialização


Ao final de cada volume, avalie sua aluna, observando o seu desenvolvimento nos seguintes
aspectos:

• Domínio da técnica do instrumento;


• Domínio do dedilhado e toque ligado;
• Execução correta, sem erros de dedilhado e de notas nos exercícios e nos estudos;
• Percepção auditiva adequada, identificando seus próprios erros;
• Igualdade no andamento e velocidade adequada;
• Coordenação motora precisa e bem trabalhada;
• Compreensão e identificação dos conceitos teóricos estudados;
• Clareza e agilidade técnica;
• Execução com interpretação e dinâmicas.

É muito importante repassar sempre cada volume e, somente prosseguir para uma nova
etapa, ao verificar que todas as dificuldades foram superadas pela aluna.

22
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 22 04/02/2020 21:08


ARTE 2
P

es
E
IC
N
A
TS
AÇÕ

T
ORI

DIDÁ

MIN_04FEv20_18h00.indd 23 04/02/2020 21:08


Manual

VOLUME 1 VOLUMEVOLUME
2
ORIENTAÇÕES
3
ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS
DIDÁTICAS
ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS

O volume 1 contém conhecimentos musicais básicos para iniciar a formação da organista,


promovendo o aprendizado da leitura musical.

Ao mesmo tempo, foi dada ênfase ao desenvolvimento do senso rítmico da aluna, apoiado no
uso constante do metrônomo, tornando um hábito natural de estudo e, ainda, no raciocínio lógico
referente à relação proporcional entre a figura da pulsação e as figuras de ritmo, em todos os
estudos e exercícios.

Sabe-se que as alunas comparecem às primeiras aulas de música com a expectativa de manusear e
tocar o instrumento de imediato. Assim, a primeira atividade do volume 1 consiste na apresentação
dos componentes do órgão, deixando a aluna explorar seus efeitos e sonoridades resultantes.
Em seguida, ao estarem familiarizadas com alguns dos componentes, propõe-se a realização
de atividades de percepção auditiva no próprio instrumento, aproveitando os conceitos sobre as
propriedades do som.

Quanto à postura e posição correta ao tocar, foram elaborados vídeos explicativos (p.9) que devem
ser assistidos pela aluna. A instrutora deverá complementar as explicações com atividades práticas
sugeridas no volume e outras que venha a elaborar. Por exemplo: utilizar uma bolinha de isopor
para mostrar a posição da mão e dos dedos arredondados.

Além dessas atividades, é importante ensinar a tocar 5 teclas quaisquer sucessivas, ascendentes
e descendentes, mãos separadas, observando a articulação ligada, conforme o vídeo explicativo
(p.12), explorando várias regiões do teclado.

O exercício 1, para identificação do dedilhado das mãos direita e esquerda, pode ser feito inicialmente
fora do teclado e, depois, no teclado.

Com essas atividades, a aluna poderá vivenciar a experiência de explorar e manusear o instrumento
já nas primeiras aulas, motivando sua aprendizagem, independente de ter aprendido a leitura
musical.

Outro aspecto a ressaltar, refere-se ao aprendizado da leitura de notas em duas claves simultâneas
(Sol e Fá) e respectivas localizações no teclado. Os Estudos do volume 1 possuem ilustrações para
auxiliar tanto a leitura de notas como a localização, de forma gradativa e natural.

Esses aspectos deverão ser muito bem trabalhados e observados durante o aprendizado dos
conteúdos deste volume, o que possibilitará a formação de uma base musical firme, sólida e
consistente para a aluna prosseguir os estudos musicais.

24
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 24 04/02/2020 21:08


Manual

ESTUDOS OBJETIVOS ORIENTAÇÕES


01 a 10 Leitura das notas de Dó a Sol na Mostre a localização das notas no teclado e explique
mão direita (ascendente) e das sobre o preenchimento correto das figuras na linha de
notas de dó a fá (descendente), pulsação dos estudos.
uso do quarto e do quinto dedo
nas duas mãos. Postura: mantenha a atenção para a posição natural
das mãos sem levantar os dedos e sem movimentos
Pulsação de semínima e relação exagerados de punho e braço, deixando cada dedo
proporcional com a mínima e a apoiado em uma tecla, especialmente o 4º e 5º dedos.
semibreve.
Articulação dos dedos: ensine a aluna a executar as
notas iguais (repetidas) sem movimentos exagerados
do punho e do braço. Para notas diferentes, manter
a articulação ligada, ou seja, soltar a 1ª nota apenas
quando a segunda for pressionada (vide vídeo da p.12.)

Fique atenta para a posição das mãos, para que a aluna


não as levante exageradamente na alternância. A mão
que não estiver tocando deverá ficar posicionada sobre
o teclado.

Observe se as falanges estão arredondadas e não com


as “pontas quebradas”.
Verifique a posição das mãos, punhos e braços e
confira se os ombros são mantidos relaxados.

Utilize o metrônomo desde o início dos estudos.

11 a 13 Mudança de localização das Idem ao anterior. Oriente para a aluna realizar a leitura
notas da mão esquerda, inserção rítmica, o solfejo na clave de sol e na clave de fá e
da fórmula de compasso com depois tocar usando o metrônomo.
figuração e leitura de notas Dó 2,
Ré 2, Mi 2. Praticar a execução da No Estudo 13, observe a articulação diferente nas
pausa da mínima. duas mãos; uma das mãos tem a articulação de notas
repetidas e a outra tem articulação ligada para notas
diferentes.

14 Estimular a leitura simultânea de Oriente a aluna a estudar mãos separadas até obter
notas diferentes nas duas mãos, segurança nos compassos mais difíceis. Juntar as
orientando o sentido do olhar mãos em partes, repetindo cada trecho diversas vezes,
sempre de baixo para cima. até adquirir facilidade na execução.

15 Praticar a independência entre as Oriente a aluna a solfejar a clave de sol e a de fá e


mãos, com movimento contrário. praticar repetições nos trechos mais difíceis.

25
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 25 04/02/2020 21:08


Manual

16 Compreender a função da liga- Explique a função da ligadura de valor e a importância de manter


dura de valor. a atenção para não desligar ou não repetir a nota ligada.

17 Praticar a independência entre Solicite à aluna que assista ao vídeo explicativo.


as mãos, com movimento con-
trário. Compreender a função Oriente a solfejar a clave de sol e a de fá e praticar repetições em
da ligadura de valor. trechos separados por partes.

Observe a articulação diferente nas duas mãos; uma das mãos


tem articulação de notas repetidas e a outra tem articulação
ligada para notas diferentes.
18, Compreender o valor correto Sugira para a aluna realizar a leitura rítmica e o solfejo de cada
19 e das figuras e do ponto de au- estudo, mostrando as diferenças dos valores rítmicos.
20 mento. Pausa da semínima.
21 Execução de notas duplas na Solicite à aluna que assista ao vídeo explicativo.
mão esquerda com ligadura e Ensine a aluna a seguir o “passo a passo” para estudar:
ponto de aumento. Pausa da
semibreve no preenchimento de ● Só a mão esquerda, repetindo diversas vezes cada conjunto
um compasso completo. de notas duplas, observando o toque ligado e simultâneo das
duas notas;
● Toque a parte da mão direita separadamente;
● Junte as duas mãos, repetindo de 2 em 2 compassos e assim
por diante.
22 Leitura de novas notas e nova Oriente a aluna a tocar cada uma das mãos separadamente;
localização das mãos nos tecla- depois, juntá-las aos poucos, em andamento lento. Somente
dos. acelerar quando tiver firmeza na execução.

Executar corretamente mão es-


Observe os valores das notas ligadas e se a aluna sustenta o
querda em duas vozes com liga-
duras, mantendo notas presas. som dessas notas.

23, Aprender a figura da colcheia Solicite à aluna que assista ao vídeo explicativo sobre respiração;
24 e e o valor proporcional entre as oriente para a aluna realizar a leitura rítmica mantendo igualdade
figuras.
25 na pulsação com a entrada das colcheias.
Conhecer os sinais de
respiração padronizados. No Estudo 23, oriente a aluna a estudar só a mão esquerda,
Executar corretamente notas
duplas e recursos de dedilhado repetindo diversas vezes cada compasso. Junte as duas mãos,
(R.D.). repetindo várias vezes os trechos mais difíceis. Acelerar o
andamento pouco a pouco com auxílio do metrônomo para
Mudança de posição da mão
direita para Dó4. graduar a velocidade.

No Estudo 24, atenção para as respirações.


26 e Compreender o uso do sinal Atenção para a posição da mão esquerda. Oriente a aluna a ob-
27 de repetição e das casas de servar o dedilhado correto e a repetição nas casas de ritornello.
ritornello. Praticar os Recursos
do dedilhado. (R.D.) No Estudo 27, atenção para manter a igualdade de andamento
Manter a proporção correta dos entre a primeira e a segunda parte.
valores da figuração rítmica.

26
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 26 04/02/2020 21:08


Manual

28 Praticar notas presas e ligadas Observe se a aluna sustenta o valor da nota com o 5º dedo
na mão esquerda e recursos de da mão esquerda, sem levantar os dedos. Manter a posição
dedilhado, especialmente alar- natural.
gamento.
29 Conhecer os sinais de alteração Cuide para que a aluna não erre a nota Ré# e Sib.
(acidentes ocorrentes). Praticar
os recursos de dedilhado.

30 Estudo com escalas em Dó Solicite à aluna que assista ao vídeo explicativo sobre
Maior e tríades. execução de acordes.

Observe a postura da mão direita e dos braços quando a


candidata realizar as passagens na mão direita.
Os acordes devem ser tocados com a mão firme e sem arpejar.

31 e 32 Aprender a escala de Sol M. Solicite à aluna que assista ao vídeo explicativo sobre Stacatto.
Mudança de posição das mãos
no teclado. No Estudo 31, mostre para a aluna a diferença de toque e
de som na execução de uma nota com staccato e outra sem
Saber executar corretamente o staccato e peça para ela repetir. Oriente uma execução leve
staccato simples e realizar des- sem colocar força na mão e no braço.
locamento da mão e demais re-
cursos de dedilhado. Explique para a aluna sobre o movimento de deslocamento
nas duas mãos e mudança de dedos.

33 Compreender o significado das Solicite à aluna que assista ao vídeo explicativo sobre U.M e
chaves U.M. e L.M. e a mudan- L.M.
ça de clave na pauta da mão
esquerda. Explique a execução da indicação das chaves de U.M e L.M
mostrando que a melodia está na mão esquerda. Observe os
ritornellos.

34, 35 e Aprender a escala de Fá M e a Aprimore a execução desses estudos.


36 execução da fermata. Observar Correlacione as notas das escalas com as notas dos hinos,
o sinal de repetição, ligaduras, ao final.
acidentes ocorrentes e Da Estimule a candidata a observar sempre a armadura de clave
Capo. antes de iniciar um estudo.

37, 38, Estudos com inserção da pau- Solicite à aluna que assista ao vídeo explicativo sobre
39 e 40 ta para pedaleira e mudança de pedaleira. Oriente a aluna a estudar o “passo a passo” com
posição das mãos. mãos separadas; mão esquerda e pedaleira; mão direita e
pedaleira e, por fim, as 3 partes juntas.
Ensine-a a registrar o órgão e inserir o metrônomo.

Auxilie sua aluna a adquirir segurança e postura correta.

27
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 27 04/02/2020 21:08


Manual

VOLUME 2 VOLUMEVOLUME
2
ORIENTAÇÕES
3
ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS
DIDÁTICAS
ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS

ESTUDOS OBJETIVOS ORIENTAÇÕES


01 Compreender o ritmo ini- Oriente para a aluna contar os tempos ou a leitura rítmica,
cial anacrúsico. respeitando os valores das pausas. Mostre a imitação melódica
que ocorre entre a pedaleira e as mãos.

02 Saber executar correta- Solicite para a aluna que assista ao vídeo explicativo da p.13.
mente a célula rítmica es- Em seguida, peça para fazer a leitura rítmica do estudo. Pode-
tudada na p.13. se usar o metrônomo em velocidade lenta com pulsação de
colcheia, subdividindo bem os tempos.

Ensine a aluna a estudar mãos juntas, bem lentamente


e por partes, aumentando gradativamente a velocidade
metronômica. Depois que a leitura estiver bem firme, coloque
no andamento, com a pulsação para a semínima.
Mostre que a movimentação da mão esquerda inicia
ascendente mudando para descendente.

03 Saber executar notas Chame a atenção da aluna para observar as notas diferentes
diferentes entre a mão entre mão esquerda e pedaleira.
esquerda e a pedaleira.
Atenção também às notas presas da mão esquerda, como
preparação para a execução dos hinos.

04 Praticar a articulação de Sugira para que a aluna estude a técnica de notas duplas
dedos e de terças na mão alternadas que aparecem na mão esquerda. Caso tenha
esquerda. dificuldade, pode-se estudar a mão esquerda com pontuados
Saber executar as e grupos de 4, 5 e 6 notas repetidas até desenvolver agilidade.
ligaduras de portamento. Mostre as notas diferentes entre mão esquerda e pedaleira, a
execução correta das ligaduras de portamento na mão direita
e a mudança de velocidade no final com o poco rall, que deve
ser gradativa. Mostre que o poco rall. compreende até a pausa
do último compasso, devendo retomar o andamento original
no início da peça. Chame a atenção da aluna para o retorno
ao início, conforme a indicação Da Capo ao Fine.

28
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 28 04/02/2020 21:08


Manual

05 Compreender o ritmo inicial acé- Observe bem a execução correta da mão direita respeitando
falo que ocorre na mão direita. o valor das pausas de semicolcheias. Pode-se orientar a
Desenvolver agilidade de dedos. aluna a estudar como nos estudos anteriores, aumentando
gradativamente a velocidade metronômica. Observe se as
notas duplas são executadas soando simultaneamente e com
firmeza de dedos, sem quebrar as falanges.

06 Aplicar no estudo, o conceito de Oriente para a aluna fazer a leitura rítmica, observando a
compasso composto estudado subdivisão ternária. Estudar com o metrônomo, graduando a
anteriormente. velocidade até atingir a indicada. As notas da mão esquerda
devem ser executadas bem ligadas.

07 Aplicar no estudo, o conceito de Oriente a aluna para fazer a leitura rítmica e estudar com o
compasso composto estudado metrônomo graduando a velocidade até atingir a indicada. As
anteriormente, com células rítmi- notas da mão esquerda devem ser executadas bem ligadas.
cas pontuadas. Explique a mudança da linha melódica para a mão esquerda e
a troca de teclados L.M. / U.M.

08 Perceber que a linha melódica Na primeira parte, chame a atenção da aluna para manter a
se divide entre mão direita e mão continuidade da linha melódica, com as duas mãos no teclado
esquerda (como um diálogo de U.M. Na segunda parte, a melodia está somente na mão direita
perguntas e respostas) e depois, em terças: cuide para que a aluna execute as terças bem
permanece somente na mão di- ligadas. Observe todas as respirações curtas com a execução
reita. correta.

09 Praticar alguns recursos de de- Oriente a aluna a estudar bem o dedilhado da mão direita e
dilhado na mão esquerda seme- mão esquerda, tocando com igualdade e bem ligado. Chame
lhantes ao Hinário. atenção para realizar as mudanças de dedos da mão direita com
movimentos discretos e laterais da mão, tanto em notas simples
como em notas duplas. E ainda, para as notas diferentes entre
a mão esquerda e a pedaleira.

10 Saber executar a acentuação Explique para a aluna sobre a diferença de acentuação métrica,
métrica correta, para não confun- preparando o estudo do hino 357. Ensine a leitura rítmica e a
dir o compasso 3 por 4 e 6 por 8. contagem correta dos tempos, mantendo igualdade rítmica das
Compreender o significado de colcheias na mão direita e mão esquerda. Explique o sinal D.S.
D.S. al Fine. al Fine.

11 Aplicar no estudo, o conceito de Observe que a indicação metronômica se refere à figura da


compasso composto estudado subdivisão, justamente para auxiliar a execução correta das
anteriormente, com células rít- células rítmicas. Execute a leitura rítmica junto com a aluna
micas em semicolcheias e col- e o solfejo. Chame a atenção para a diminuição gradativa de
cheias. velocidade no final com o poco rall. e a fermata.

29
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 29 04/02/2020 21:08


Manual

12 Aprender a execução Solicite à aluna que assista ao vídeo explicativo sobre notas
correta de notas pon- pontuadas da p. 48. Mostre para a aluna que a colcheia pontuada
tuadas (após o exer- corresponde a 3 semicolcheias em um grupo de 4, conforme
cício 10). consta no vídeo. Faça a execução errada (como tercinas) e a
correta, para que a aluna perceba auditivamente a diferença.
Estude com a aluna a leitura rítmica. Solicite que ela estude a
pedaleira junto com a mão direita e mão esquerda separadamente.
Só permita que junte as três partes, após firmeza na execução
das notas pontuadas. Atenção na igualdade de andamento entre
as notas pontuadas e os compassos de semicolcheias, para não
atrasar.

13, 14 e 15 Praticar a execução Solicite à aluna que assita ao vídeo explicativo da p. 51. Faça
dos sinais de dinâmi- alguns exercícios avulsos com a aluna, tocando 5 notas e
ca, com a técnica do movimentando o pedal de expressão, conforme os sinais de
pedal de expressão dinâmica sorteados, por exemplo, em cartelas. Peça que a aluna
estudada anterior- execute a mão direita separadamente dos Estudos 13, 14 e 15,
mente. mas com as dinâmicas, movimentando o pedal de expressão.
Analise o fraseado mostrando para a aluna o início e o término
das frases musicais, das ligaduras de portamento e a execução
do stacatto simples.
No Estudo 13, chame a atenção para a execução das diferentes
células rítmicas (semicolcheias com colcheias e síncopas).
No Estudo 14, oriente a aluna para não diminuir a velocidade
exageradamente no poco rall, mas sim, proporcionalmente à
velocidade original.
No Estudo 15, oriente a aluna para realizar a dinâmica, mesmo
quando não houver sinais indicativos, obedecendo ao desenho
melódico do fraseado.

16 Praticar a alternância Na primeira parte, a linha melódica está só na mão direita. Na


das mãos nos tecla- segunda parte, atenção sobre a mão esquerda no teclado U.M.
dos. executando parte da linha melódica. Observar o D.C. ao Fine.
Explique sobre a execução correta das colcheias no início de
frases (bastante recorrente no hinário).

17 Aplicar no estudo, o Oriente para a aluna fazer a leitura rítmica e estudar com o
conceito de compas- metrônomo graduando a velocidade até atingir a indicada. Notas
so composto estuda- da mão esquerda devem ser executadas bem ligadas, como o
do anteriormente. dedilhado dos hinos.
Observe a execução correta do recurso de dedilhado
Deslizamento (D) – de acordo com as explicações do vídeo da
p.34.

30
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 30 04/02/2020 21:08


Manual

18 Praticar a execução de Verifique se a aluna usa o dedilhado assinalado corretamente,


notas duplas em terças resultando em uma execução bem ligada das terças. Estudar
com dedilhado correto, a mão direita separadamente e juntar com as demais partes,
promovendo execução somente após o domínio da técnica.
ligada.

19 Praticar a execução de Observe a igualdade do andamento entre a primeira e a segunda


dinâmicas com a técnica parte. Estudar com metrônomo, graduando semanalmente a
do pedal de expressão velocidade, a partir da velocidade mínima até atingir a máxima.
estudada anteriormente. Atenção aos sinais de dinâmica.

20 Praticar a execução de Verifique se a aluna usa o dedilhado correto assinalado, resultando


notas duplas em terças em uma execução fácil. Estudar a mão direita separadamente e
e sextas, com dedilhado juntar, somente após o domínio da técnica de terças e sextas. Na
correto. segunda parte, diferenciar início de frase com colcheia e logo
após a pausa, semicolcheia. Atenção para a aluna sustentar as
notas uníssonas de maior valor na mão esquerda.

21 Promover a agilidade dos Para alcançar agilidade de dedos, pode-se orientar a aluna a
dedos. estudar fazendo variações rítmicas como no Hanon. E ainda,
fazer estudos de repetição de 1 em 1 compasso, 2 em 2, 4 em
4, etc. Estudar com metrônomo, graduando semanalmente a
velocidade, a partir da velocidade mínima até atingir a máxima.

22 Praticar os recursos de Oriente a aluna a estudar bem o dedilhado da mão direita e mão
dedilhado nas duas mãos esquerda tocando com igualdade e bem ligado. Observar as
semelhantes ao Hinário. respirações e o fraseado.

23 ao 30 Reunir diversos objetivos Oriente a aluna para aperfeiçoar os recursos de dedilhado já


desenvolvidos nos estu- estudados, desenvolvendo a agilidade dos dedos, a interpretação
dos anteriores. e mantendo a igualdade de andamento.
Compreender as mudan-
ças de pulsações.

31
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 31 04/02/2020 21:08


Manual

VOLUME 3 VOLUMEVOLUME
2
ORIENTAÇÕES
3
ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS
DIDÁTICAS
ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS

ESTUDO OBJETIVOS ORIENTAÇÕES

1e2 Revisar as técnicas es- Oriente a aluna para aperfeiçoar os recursos de dedilhado já estu-
tudadas no volume 2. dados, desenvolvendo a agilidade dos dedos, a interpretação e o
andamento.
No Estudo 1, explique as diferenças na dinâmica das semifrases
repetidas. Observe as perguntas e respostas.
3 Compreender a exe- Solicite à aluna que assista ao vídeo explicativo sobre duplo ponto
cução correta das no- de aumento. Peça à aluna para estudar a escala de Sol menor
tas com um ponto de harmônica que consta no Apêndice do volume 3, antes do Estudo
aumento e com duplo 3, para adquirir a memória visual, tátil e auditiva da tonalidade
ponto de aumento. menor. Faça a leitura rítmica dos compassos com duplo ponto de
Perceber auditivamen- aumento. Toque para a aluna o correto e o incorreto, para que ela
te a diferença. perceba e identifique a diferença (pode ser feito na forma de uma
atividade lúdica).
Observe se a aluna sustenta as notas ligadas.
4 Praticar a execução de Realize alguns exercícios avulsos com a aluna, tocando 5 notas,
dinâmicas com a técni- movimentando o pedal de expressão, conforme os sinais de
ca do pedal de expres- dinâmica sorteados, por exemplo, em cartelas. Peça para que a
são estudada anterior- aluna execute a mão direita separadamente, mas com as dinâmicas
mente. assinaladas, movimentando o pedal de expressão. Na segunda
Observar a mudança parte do estudo, observe a postura da mão correta nos acordes
de armadura de clave. sem quebrar as falanges. Observe bem o fraseado, as notas
sustentadas de maior valor da mão esquerda e a interpretação.
Chame a atenção da aluna para a mudança de armadura de clave
entre as partes.
Ao final explique a execução das fermatas.

5, 13, 16 e Saber executar corre- Solicite a leitura rítmica da clave de sol. Toque para a aluna a
21 tamente colcheias pon- melodia da mão direita de forma correta e incorreta, trocando as
tuadas e colcheias não colcheias pontuadas e não pontuadas, para que ela ouça e aponte
pontuadas. os erros. Oriente a aluna a executar a colcheia pontuada com a
duração de três semicolcheias.
No Estudo 21, mostre que a linha melódica ora está na mão direita,
mão esquerda ou na pedaleira.

6, 7 e 8 Praticar alguns recur- Oriente a aluna para estudar bem o dedilhado das duas mãos,
sos de dedilhado se- tocando as terças com igualdade, bem ligadas e posteriormente,
melhantes ao do Hiná- com interpretação. Antes do Estudo 7, peça para a aluna estudar a
rio. escala de mi menor harmônica que consta no Apêndice do volume
3, para adquirir a memória visual, tátil e auditiva.

32
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 32 04/02/2020 21:08


Manual

9, 10, Desenvolver a agilidade de de- Para alcançar agilidade de dedos, pode-se orientar a aluna a
11, 15, dos e velocidade. estudar fazendo variações rítmicas como no Hanon. E ainda,
22, 23 fazer estudos de repetição de 1 em 1 compasso, 2 em 2, 4 em
4, etc. Estudar com metrônomo, graduando semanalmente a
velocidade, a partir da velocidade mínima até atingir a máxima.

12, 17 Saber identificar as tonalidades Oriente a aluna a estudar as escalas menores corresponden-
menores auditivamente. tes que constam no Apêndice do volume 3, antes de cada Es-
tudo, para adquirir a memória visual, tátil e auditiva

14 Compreender a rítmica e a Oriente a aluna para realizar a leitura rítmica antes de estudar.
métrica do compasso 3 por 2 Estudar com metrônomo, graduando semanalmente a veloci-
como estudo preparatório do dade, a partir da mínima até atingir a máxima.
hino 408.

18, 20 Compreender a rítmica e a Oriente a aluna para realizar a leitura rítmica antes de estudar.
métrica do compasso 6 por 4 Estudar com metrônomo, graduando semanalmente a
como estudo preparatório dos velocidade, a partir da mínima até atingir a máxima. Observe
hinos com a mesma fórmula de que a indicação metronômica refere-se à figura da subdivisão.
compasso. Compare a rítmica do Estudo 20 com a do hino 197.
Mostre a alternância da linha melódica entre mão direita e mão
esquerda no estudo 20.

19 Compreender a execução cor- Oriente para a aluna realizar a leitura rítmica antes de estudar.
reta das colcheias em inícios Faça a execução errada com semicolcheia e a correta, para
de frases e semifrases, prepa- que a aluna perceba auditivamente a diferença. Estudar com
rando para o estudo do hino metrônomo, graduando semanalmente a velocidade, a partir
273. da velocidade mínima até atingir a máxima.

24 Compreender a rítmica e a mé- Oriente para a aluna realizar a leitura rítmica antes de estudar.
trica do compasso 2 por 2. Estudar com metrônomo, graduando semanalmente a
velocidade, a partir da mínima até atingir a máxima.

25 Praticar a execução de notas Observe se a aluna usa o dedilhado correto assinalado,


duplas em terças e sextas, com resultando em uma execução fácil. Estudar a mão direita
dedilhado correto. separadamente e juntar somente após o domínio da técnica
de terças e sextas.

33
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 33 04/02/2020 21:08


Manual

VOLUME 4 VOLUMEVOLUME
2
ORIENTAÇÕES
3
ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS
DIDÁTICAS
ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS

ESTUDO OBJETIVOS ORIENTAÇÕES


1e2 Revisar as técnicas estuda- Oriente a aluna para assistir aos vídeos explicativos e estudar
das no volume 3 Compre- a técnica de notas duplas que constam na p. 21 em diante,
ender a execução ligada de paralelamente aos estudos, aperfeiçoando a técnica de
notas duplas, utilizando de- execução ligada, conforme segue:.
dilhado correto. • No Estudo 1, aplicar a técnica C da p. 22.
• No Estudo 2, aplicar as técnicas E e F da p. 23.
Observe se a aluna aperfeiçoou os recursos de dedilhado
já estudados, além de desenvolver a agilidade dos dedos, a
interpretação e o andamento.

3 Compreender a execução Oriente a aluna para assistir aos vídeos explicativos e estudar
correta de notas duplas que a técnica de notas duplas que constam na p.21 em diante,
possuem notas repetidas paralelamente aos estudos, aperfeiçoando a técnica de
no soprano e notas diferen- execução ligada, desenvolvendo a agilidade dos dedos, a
tes no contralto. interpretação e o andamento. Observe se a aluna articula todas
as notas repetidas do soprano, enquanto a voz do contralto
permanece com execução de notas diferentes ligadas.
• Aplicar as técnicas E, F, H e K das p. 23, 25 e 27

4 Compreender a execução Oriente a aluna para assistir aos vídeos explicativos e estudar
ligada de notas duplas, ter- a técnica de notas duplas que constam na p. 21 em diante,
ças e sextas, utilizando re- paralelamente aos estudos, aperfeiçoando a técnica de
cursos de dedilhado corre- execução ligada, desenvolvendo a agilidade dos dedos, a
tamente. interpretação e o andamento. Observe as substituições de
dedos, especialmente nas notas duplas em sextas, mantendo
a execução ligada.
• Aplicar a técnica I, da p. 26

5 Saber executar mudanças Oriente a aluna para assistir aos vídeos explicativos e estudar
de dedos e aproveitamento a técnica de notas duplas que constam na p. 21 em diante,
de notas para um dedilha- paralelamente aos estudos, aperfeiçoando a técnica de
do correto e, consequente- execução ligada, desenvolvendo a agilidade dos dedos, a
mente, uma execução liga- interpretação e o andamento. Observe mudanças de dedos
da. aproveitando-se notas iguais em terças, mantendo a execução
ligada. Atenção para a execução das notas de maior valor na
mão esquerda, que devem ser sustentadas.
• Aplicar a técnica J, da p. 27

34
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 34 04/02/2020 21:08


Manual

6 Praticar alguns recursos de Oriente a aluna para assistir aos vídeos explicativos e estudar
passagens incomuns de a técnica de notas duplas que constam na p.21 em diante.
dedos semelhantes ao do Estudar bem o dedilhado, tocando com igualdade, bem
Hinário, notas presas e de- ligado e, posteriormente, com interpretação. Atenção para
senvolver a agilidade. a execução das notas de maior valor, nas mãos direita e
esquerda, que devem ser sustentadas.
• Aplicar a técnica G, da p. 23

7 a 12 Aperfeiçoar o domínio da Para maior desenvolvimento da técnica organística, recomende


técnica organística, a agili- os Estudos 7 a 12, que são opcionais, ou seja, de livre escolha.
dade de dedos, andamen- É necessário fazer estudos de repetição de 1 em 1 compasso,
tos e a interpretação. 2 em 2, 4 em 4, etc. para adquirir fluência na execução. Estudar
com metrônomo, graduando semanalmente a velocidade, a
partir da velocidade mínima até atingir a máxima. Peça para
a aluna tocar com interpretação e no andamento indicado,
mantendo clareza na sonoridade e domínio técnico.

35
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 35 04/02/2020 21:08


Manual

Sugestões de alguns livros de teoria e solfejo de fácil acesso para consulta:

ALVES, Luciano. Teoria Musical: lições essenciais. São Paulo: Vitale, 2005.

BENNETT, Roy. Elementos básicos da música. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998. Cadernos
de Música da Universidade de Cambridge.

LACERDA, Osvaldo. Compêndio de Teoria Elementar da Música. Brasil: Ricordi, 2007.


LACERDA, Osvaldo. Exercícios de Teoria Elementar da Música. Brasil: Ricordi, 2007.



LIMA, Marisa R.Ramires.; FIGUEIREDO, Sérgio. Exercícios de Teoria Musical: uma aborda-
gem prática. São Paulo: Embraform, 2006.

MED, Bohumil. Teoria da Música. 4.ed. rev.e ampl. Brasília: Musimed, 1996

____. Caderno de Exercícios. Brasília: Musimed, 2014

____. Ritmo. Brasília: Musimed, 2000.

____. Solfejo. Brasília: Musimed, 2000.

STEWARD, Margarete. Meu Livro de teoria. 2v. Brasil: Ricordi, 2000.

POZZOLI. Guia teórico e prático para o ensino do ditado musical. Partes I, II, III e IV. São
Paulo: Ricordi, 1999.

PRIOLLI, Maria Luiza Mattos. Princípios Básicos da Música para a Juventude. 2v. São Paulo:
Casa Oliveira, 1999.

36
Manual para Instrutoras

MIN_04FEv20_18h00.indd 36 04/02/2020 21:08


CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

Estudos para

Manual
Órgão Eletrônico
Aplicados ao Hinário

RAS
O

INSTRUT
Volumes
1 ao 4
CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL
Rua Visconde de Parnaíba, nº 1616 - CEP 03164-300
Caixa Postal 67.511 - CEP 03162-971
São Paulo - SP - Brasil

1ª Edição 2020

Capa MEO.indd Todas as páginas 04/02/20 14:49