Você está na página 1de 11

Recibido / Recebido: 10.07.2019 - Aceptado / Aceite: 25.10.2019 https://doi.org/10.21865/RIDEP55.2.

03

Escala de Identificação das Altas Habilidades/Superdotação: Evidências de


Validade de Critério

Giftedness Identification Scale: Evidence of Criterion Validity

Priscila Zaia1 e Tatiana de Cássia Nakano2

Resumo
O objetivo desse estudo foi investigar evidências de validade baseadas nas relações com outras variáveis –
validade de critério concorrente para a Escala de Identificação de Características associadas às Altas
Habilidades/Superdotação (EICAH/S). A amostra foi composta por dois grupos, sendo que 405 estudantes de
uma cidade do interior do Estado de São Paulo compuseram o grupo controle e 80 crianças provenientes dos
Estados de Santa Catarina e Distrito Federal que frequentavam o NAAH/S e as salas de recursos de
atendimento às altas habilidades/superdotação (AH/S) constituíram o grupo critério. Os participantes
responderam à EICAH/S, cujos resultados apontaram para médias significativamente superiores a favor do
grupo critério nos dois fatores (cognitivo e socioemocional) e na pontuação total da escala, demostrando a
eficácia da escala em discriminar os indivíduos com e sem indicadores de AH/S.

Palavras-chave: superdotados, escalas, avaliação psicológica, validade do teste

Abstract
The aim the current research was to investigate the evidence of validity based on relationship with other
variables – concurrent criterion validity of the Scale to Identify Giftedness Characteristics (SIGC). The
sample was composed by two groups. 405 students from a city of São Paulo State composed the control
group and 80 children from Santa Catarina and Distrito Federal States, which attended the NAAH/S and a
resource classroom to gifted children constituted the criterion group. The participants answered the SIGC
and the results indicated higher averages obtained by the criterion group. The results showed that the scale
discriminates the groups with or without giftedness indicators.

Keywords: gifted students, scales (testing), psychological assessment, test validity

1
Pós-doutoranda em Psicologia na Universidade São Francisco (USF). Ex-aluna do curso de pós-graduação stricto sensu em Psicologia da
Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Brasil. Av. John Boyd Dunlop, s/n. – Jardim Ipaussurama. CEP 13060-904, Campinas, SP,
Brasil. Tel.: +55 19 98189-4046. E-mail: priscilazaia@gmail.com
2
Docente do curso de pós-graduação stricto sensu em Psicologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Brasil.
Revista Iberoamericana de Diagnóstico y Evaluación – e Avaliação Psicológica. RIDEP · Nº55 · Vol.2 · 31-41 · 2020
ISSN: 1135-3848 print /2183-6051online
Escala de Identificação das Altas Habilidades/Superdotação 32

Introdução aspectos emocionais, afetivos e sociais, podendo


ser relacionadas tanto às habilidades
O interesse em compreender as habilidades socioemocionais quanto às provenientes da
superiores apresentadas pelos indivíduos com inteligência emocional, tais como percepção,
altas habilidades/superdotação (AH/S) tem expressão, compreensão, regulação de estados
crescido ao longo dos anos. Ideias equivocadas emocionais e sentimentos sobre si mesmo e sobre
acerca dos construtos envolvidos na conceituação, os outros, não sendo um tipo excludente do outro
as quais consideravam apenas uma pequena (Gagné, 2018; Jones, Greenberg, & Crowley,
parcela de potencialidades (notadamente 2016; Rodrigo-Ruiz, Cejudo, & Pérez-González,
associadas aos altos níveis de inteligência) têm 2019).
perdido foco (Sternberg, 2018; Stoeger, Balestrini, Nesse sentido, reconhecer a diversidade de
& Ziegler, 2018) para dar espaço às concepções características que podem se apresentar acima da
multidimensionais, mais abrangentes e atuais média em um indivíduo é, sem dúvida, um dos
(Renzulli & Reis, 2018). Consequentemente, o primeiros passos a ser dado na percepção da
reconhecimento de diferentes áreas de presença de altas habilidades/superdotação
desenvolvimento humano em que as habilidades (Wellisch & Brown, 2012). À vista das
superiores podem se apresentar tem predominado ampliações e atualizações conceituais, faz-se
na atualidade (Subotnik, Olszewski-Kubilius, & importante que os processos de identificação de
Worrell, 2018). indivíduos com potencial elevado acompanhem as
Segundo as leis nacionais, os estudantes com evoluções dos modelos teóricos. Para isso, a
potencial elevado em uma ou mais áreas do literatura científica tem argumentado sobre a
conhecimento humano, sejam elas de criatividade, necessidade da utilização de diferentes métodos
liderança, psicomotora, artística, intelectual, capazes de mensurar a diversidade de perfis
acadêmica e que apresentem grande envolvimento existentes dentre essa população (Renzulli & Reis,
com tarefas de seu interesse, são considerados 2018), incluindo instrumentos que avaliem tanto
superdotados e incluídos como público-alvo da as aptidões gerais e cognitivas quanto habilidades
Educação Especial (Brasil, 2012; Chacon, Pedro, específicas e traços não cognitivos.
Koga, & Soares, 2017). Dada a diversidade de Cada método contribui com uma parcela do
áreas em que a alta habilidade/superdotação pode processo, sendo que, quando utilizados em
se manifestar, bem como a possibilidade de que conjunto, podem permitir a identificação de
ela ocorra em somente uma área ou mais de uma, diferentes tipos de potencialidades. No entanto, na
uma grande diversidade de traços apresentados prática, a identificação dos indivíduos que
por esses indivíduos tem sido apontada. apresentam potencialidades elevadas tem
Notadamente, a literatura científica tem destacado enfrentado uma série de dificuldades dada a
a importância de se considerar a interação entre variedade de comportamentos apresentados, aos
fatores cognitivos e aspectos socioemocionais, diversos níveis de superdotação, aos diferentes
assim como, as condições ambientais e culturais, modelos teóricos que abarcam a conceituação do
as quais podem favorecer ou impedir o tema, à influência dos fatores socioeconômicos e
desenvolvimento dos potenciais elevados (Neihart culturais, aos questionamentos acerca da forma
& Yeo, 2018; Stoeger et al., 2018). como a identificação deve ocorrer, aos métodos
Sendo assim, pesquisadores têm ressaltado que vêm sendo utilizados e às dúvidas sobre quais
que as características envolvidas no fenômeno comportamentos podem ser selecionados (Mun,
podem ser tanto do tipo cognitivas quanto não 2016; Virgolim, 2013; Wellisch & Brown, 2012).
cognitivas. As do primeiro tipo podem envolver Quando uma ou mais dessas variáveis se faz
habilidades relacionadas à resolução de presente, os desafios se iniciam, visto que, para
problemas, raciocínio abstrato, habilidades ser reconhecido como indivíduo superdotado e ser
acadêmicas, além de associar-se aos aspectos incluído nos dados do censo escolar, cujos dados
cognitivos da inteligência, sendo facilmente são tomados como base para a formulação de
mensuradas por testes de desempenho. Por outro políticas públicas no Brasil, o processo de
lado, as do tipo não cognitivo, podem incluir identificação precisa ocorrer de maneira correta e

Revista Iberoamericana de Diagnóstico y Evaluación – e Avaliação Psicológica. RIDEP · Nº55 · Vol.2 · 31-41 · 2020
Escala de Identificação das Altas Habilidades/Superdotação 33

íntegra, a fim de evitar a invisibilidade desses brasileira ainda se mostra marcada, até o
indivíduos na sociedade (Ourofino & Fleith, 2011; momento, pela inexistência de instrumentos
Pérez & Freitas, 2014). aprovados pelo Conselho Federal de Psicologia,
Com o objetivo de minimizar essa no Brasil, para uso específico na população de
problemática, os especialistas na área têm indivíduos com características superiores à média.
indicado que o processo de identificação dessa Consequentemente, os processos de identificação
população deve ser feito com base no uso de e à instrumentalização dos profissionais se mostra
diferentes tipos de instrumentos. Isto é, tanto marcado por uma importante lacuna.
aqueles capazes de avaliar as aptidões gerais Diante desse quadro, o processo de construção
quanto as específicas do fenômeno, tal como da Escala de Identificação de Características
testes de habilidades e desempenho, associadas às Altas Habilidades/Superdotação
recomendações externas, checklist de indicadores, (EICAH/S) foi iniciado. Essa escala foi construída
dentre outros métodos e procedimentos, cada um para ser utilizada como instrumento de rastreio de
com sua própria carga de importância (Kim & comportamentos superdotados em crianças, com
Berebitsky, 2016; Ziegler, Stoeger, & Vialle, idades entre 09 a 12 anos. Seu diferencial se
2012). Assim, ressalta-se que todo esse baseia no formato de autorrelato, o qual oferece a
procedimento deve englobar tanto as diversas possibilidade de o indivíduo apontar e avaliar as
áreas de conhecimento quanto aquelas ligadas às suas próprias características.
emoções e atitudes, visto que de forma isolada, os Junte-se a esse ponto o fato de que
testes de inteligência não compreendem esferas do instrumentos de triagem de comportamentos
comportamento, expressões artísticas, musicais, superdotados têm sido construídos e utilizados
entre outras. Por sua vez, as listas de indicadores, para complementar as avaliações realizadas pelos
atualmente utilizadas através do preenchimento testes de desempenho no contexto internacional
dos pais, professores, colegas ou pela própria (Pfeiffer & Petscher, 2008; Pfeiffer, Petscher, &
criança também não são suficientes (Renzulli & Jarosewich, 2007; Pfeiffer, Petscher, & Kumtepe,
Reis, 2018; Vieira, 2014). Tal situação evidencia a 2008). Seu uso se dá como um primeiro passo no
necessidade de instrumentos desenvolvidos procedimento de identificação, caracterizando-se
especificamente para uso nessa população, dentro por itens com afirmações auto descritivas, que
de uma bateria mais ampla que empregue possibilitam avaliar a intensidade de determinado
diferentes metodologias e ferramentas. Somente comportamento através das opções de respostas
assim a identificação poderá contemplar a do tipo Likert, podendo-se destacar, dentre suas
heterogeneidade de perfis dos indivíduos vantagens, a fácil administração (Kazem,
superdotados, bem como, seus diferentes níveis de Alzubaidi, Hemdan, & Renzulli, 2014) e a
habilidades (Hertzog et al., 2018). oportunidade dos indivíduos demonstrarem sua
Nesse sentido, Kieffer, Reese e Vacha-Haase percepção acerca de suas próprias características
(2010) argumentam que a preocupação no campo (Nunes et al., 2008).
das altas habilidades/superdotação deve se voltar No que diz respeito aos estudos psicométricos
ao desenvolvimento de medidas específicas aos já realizados com a EICAH/S, destacam-se as
indivíduos superdotados, as quais sejam capazes evidências de validade de conteúdo, evidências de
de capturar as diferenças individuais apresentadas validade por meio da estrutura interna, bem como
por eles. Tal preocupação se mostra relevante se a investigação da precisão pelo coeficiente Alfa de
considerarmos que, quando esses indivíduos são Cronbach. O primeiro investigou o conteúdo dos
avaliados com instrumentos desenvolvidos para a itens através da participação de cinco juízes
população geral, facilmente podem atingir o efeito especialistas em avaliação psicológica e
teto (nível máximo que o teste consegue medir). construção de instrumentos, estudantes de pós-
No entanto, dentre aqueles indivíduos que se graduação, os quais avaliaram se os itens se
encontram no topo das habilidades, ainda existem adequavam às características correspondentes
diferentes níveis, que apenas os instrumentos (Bassinello, 2014). Os resultados mostraram-se
específicos para essa população poderão ser favoráveis às evidências de validade de conteúdo
capazes de inferir. Entretanto, a realidade para a referida escala, com a maioria dos itens

Revista Iberoamericana de Diagnóstico y Evaluación – e Avaliação Psicológica. RIDEP · Nº55 · Vol.2 · 31-41 · 2020
Escala de Identificação das Altas Habilidades/Superdotação 34

acima de 80% de concordância e coeficientes confirmando o quadro de altas


Kappa acima de .75 para todos os juízes. habilidades/superdotação. Tal grupo frequentava
O segundo estudo utilizou a análise fatorial os Núcleos de Atividades de Altas
exploratória para verificar como os itens se Habilidades/Superdotação do Estado de Santa
agrupariam. A solução fatorial indicou a Catarina e as salas de recurso para atendimento de
existência de dois fatores, que explicariam 40.4% AH/S no Distrito Federal.
da variância total. Dessa forma, a estrutura da Por sua vez, o grupo controle foi composto
escala foi dividida em Fator 1 – Características por 405 crianças, sendo 208 do sexo feminino
Socioemocionais e Fator 2 – Características (51.5%), estudantes do 3º, 4º e 5º ano do ensino
Cognitivas. Por sua vez, o estudo de investigação fundamental I (53.5%) e do 6º e 7º ano do ensino
da fidedignidade indicou coeficientes Alfa de fundamental II (46.5%), com idades entre 09 e 12
Cronbach de .93 para o Fator 1 e .91 para o Fator anos (M=10.91; DP=.88). As crianças estavam
2, sendo ambos considerados excelentes (Zaia, matriculadas em sala de aula regular e não
Nakano, & Peixoto, 2018). apresentavam diagnóstico de AH/S.
Nesse sentido, o estudo aqui apresentado teve,
como objetivo, apresentar evidências Instrumento
complementares de validade, notadamente, de O instrumento utilizado nesse estudo foi a
critério. Esta fonte de evidências de validade Escala de Identificação de Características
usualmente é realizada a fim de investigar a associadas às Altas Habilidades/Superdotação
eficácia com que o instrumento consegue predizer (EICAH/S), desenvolvida por Zaia e Nakano
o desempenho de um indivíduo (Souza, (2014). A escala se caracteriza pelo formato de
Alexandre, & Guirardello, 2017), em relação a autorrelato, sendo composta por 38 afirmações a
diagnóstico ou diferenciação de grupos serem respondidas em uma escala tipo Likert de 4
específicos (Pasquali, 2009). pontos, agrupados em dois fatores: Fator 1 –
Sendo assim, seguindo as recomendações da Características Socioemocionais e Fator 2 –
literatura científica, o presente estudo investigou Características Cognitivas.
as evidências de validade de critério concorrente As opções de respostas são “Não tem nada a
da EICAH/S, a partir da sua aplicação em dois ver comigo”, “Não tem muito a ver comigo”, “Tem
grupos de estudantes, sendo o grupo critério pouco a ver comigo” e “Tem muito a ver comigo”.
constituído por crianças com diagnóstico de altas Os estudantes devem ler cada uma das frases e
habilidades/superdotação e o grupo controle por escolher uma das alternativas, indicando o quanto
crianças que não possuíam nenhum tipo de concordam com o conteúdo presente na afirmação.
condição diferenciada. O conjunto de itens da escala, constitui-se em
comportamentos representativos de 22
características comumente apresentadas por
Método
indivíduos identificados como superdotados,
selecionadas após revisão de literatura científica
Participantes nacional e internacional (ver Bassinello, 2014). As
Colaboraram com este estudo 485 crianças, características englobados na escala são:
selecionadas por conveniência, as quais foram pensamento moral, capacidade de questionar, bom
divididas em grupo critério e grupo controle. A autoconceito/autoconfiança, perfeccionismo,
amostra do grupo critério se constituiu por 80 interesses amplos, liderança, persistência, senso
participantes, sendo 58 do sexo masculino de humor, observação aguçada, curiosidade,
(72,5%), estudantes do 3º, 4º e 5º ano do ensino capacidade de oferecer ajuda,
fundamental I (43,9%) e do 6º, 7º, 8º e 9º ano do criatividade/imaginação, capacidade de envolver-
ensino fundamental II (56,1%). A faixa etária da se com a tarefa/motivação, fluência verbal,
amostra foi de 09 a 12 anos (M=10.66; DP=1.12). capacidade para leitura, intensidade
Para compor esse grupo foram selecionadas emocional/sensibilidade com o outro, pensamento
apenas crianças que, em algum momento, haviam abstrato/complexo/lógico/perspicaz, capacidade
passado por avaliação psicológica prévia, para aprendizagem precoce e rápida, raciocínio

Revista Iberoamericana de Diagnóstico y Evaluación – e Avaliação Psicológica. RIDEP · Nº55 · Vol.2 · 31-41 · 2020
Escala de Identificação das Altas Habilidades/Superdotação 35

superior/resolução de problemas, sucesso em critério, responderam a escala com tempo


atividades extracurriculares, capacidade de aproximado de 20 minutos.
extrapolar conhecimentos para situações novas/ ir
além do que é ensinado, boa memória. Análise de dados
Os escores obtidos pelos participantes dos
Procedimentos dois grupos (controle e critério), nos dois fatores e
Três escolas públicas de uma cidade do na pontuação total da escala foram estimados.
interior do Estado de São Paulo foram contatadas Com o auxílio do programa Statistical Package
e autorizaram a pesquisa em seus for the Social Sciences (SPSS), versão 22, os
estabelecimentos. Com isso, seus alunos primeiros testes realizados referiram-se à
compuseram o grupo controle. É importante normalidade e homogeneidade da amostra, a fim
ressaltar que por motivo de ausência de de decidir se a comparação das médias dos grupos
identificação, poderiam ser encontradas crianças, seria realizada por testes paramétricos ou não-
nesses locais, que apresentassem indicadores da paramétricos (Field, 2009; Miot, 2017). Os
presença de AH/S, porém, o requisito para esse resultados do teste de Kolmogorov-Smirnov
grupo era não ter avaliação psicológica apontaram dados significativos para o grupo
previamente realizada com essa finalidade. Por critério e não significativos para o grupo controle.
sua vez, para localização das crianças do grupo Por sua vez, o teste de Shapiro-Wilk mostrou
critério, a pesquisadora realizou reuniões com os dados não significativos para ambos os grupos.
responsáveis por núcleos de atendimento Portanto, o teste de Mann-Whitney, uma análise
específico para crianças identificadas com AH/S, não-paramétrica de comparação de médias, foi
assim como com professores que trabalham em adotado, considerando que a amostra deste estudo
salas de recursos específicos para essa população - não atendeu os princípios da normalidade.
as quais funcionam dentro de escolas municipais À vista disso, a estatística descritiva e tamanho
de diferentes cidades do país, para suplementação do efeito através do d de Cohen foram realizadas,
de conteúdo, no contra turno escolar. para consolidar a hipótese de que a escala em
Nesse sentido, o grupo critério foi composto construção é capaz de diferenciar crianças
por estudantes que recebiam atendimento identificadas das não identificadas com altas
especializado em dois diferentes estados do país habilidades/superdotação. Para interpretação do
(Santa Catarina e Distrito Federal). Uma parte da tamanho do efeito, as recomendações de Espírito-
amostra frequentava o núcleo e a outra era Santo e Daniel (2015) foram seguidas: valores
atendida em salas de recursos específicas para menores que .19 são insignificantes, valores entre
indivíduos com AH/S. É importante destacar que .20 e .49 são pequenos; os médios oscilam entre .50
todos os indivíduos superdotados foram avaliados e .79 e, por sua vez, os valores entre .80 e 1.29 são
por psicólogos, com aplicação de testes de grandes e os acima de 1.30, muito grandes.
inteligência e criatividade, bem como, por
professores, tendo sido realizado um processo Aspectos éticos
multidisciplinar para o fechamento do Para a condução desse estudo, os trâmites
diagnóstico de altas habilidades/superdotação. É burocráticos relacionados ao Comitê de Ética
importante ressaltar o rigor metodológico de foram cumpridos, sendo as reuniões com as
seleção e inclusão dos estudantes nesses instituições de ensino agendadas posteriormente à
programas de atendimento. aprovação do projeto (CAAE
As aplicações da EICAH/S ocorreram 67963717.4.0000.5481). Os responsáveis pelas
coletivamente em ambos os grupos, com duração escolas, núcleo de atendimento e salas de recurso
aproximada de 40 minutos para os alunos do assinaram a Carta de Autorização para pesquisa em
ensino fundamental I, do grupo controle, pelo fato seus estabelecimentos. Por sua vez, os pais ou
da pesquisadora precisar ler alguns itens para que responsáveis pelas crianças participantes do estudo
todos compreendessem as informações. Por outro assinaram o Termo de Consentimento Livre e
lado, tanto as crianças do ensino fundamental II, Esclarecido e as crianças com idades acima de 10
do grupo controle, quanto as crianças do grupo anos assinaram o Termo de Assentimento.

Revista Iberoamericana de Diagnóstico y Evaluación – e Avaliação Psicológica. RIDEP · Nº55 · Vol.2 · 31-41 · 2020
Escala de Identificação das Altas Habilidades/Superdotação 36

Quadro 1. Médias e Desvios-Padrão para o Grupo Critério e Controle


Medidas da EICAH/S
Grupos Características Características Total de itens
Socioemocionais (Fator 1) Cognitivas (Fator 2) EICAH/S
Grupo Critério M 78.00 44.29 122.29
(n=80) DP 9.72 6.75 15.19
Grupo Controle M 73.72 38.38 112.09
(n=405) DP 10.51 7.70 16.14
Total M 74.42 39.36 113.77
(n=485) DP 10.49 7.86 16.41

Quadro 2. Comparação de Médias Pelo Teste de Mann-Whitney Para os Fatores da EICAH/S e Tamanho de
Efeito (d de Cohen)
Características Socioemocionais Características Cognitivas Total de itens
(Fator 1) (Fator 2) EICAH/S
U 12233.000 8966.000 9897.500
Z -3.492 -6.321 -5.503
p .0001** .0001** .0001**
d d=.42; p≤.001 d=.82; p≤.001 .65; p≤.001
Legenda: U=Mann-Whitney; ** p≤.001; Z=desvio padrão; d=d de Cohen.

Resultados superdotação da EICAH/S foi atingido. Isso pode


ser afirmado, a partir dos resultados descritos, os
A fim de compreender as diferenças entre os
quais apontaram para desempenho superior e
escores obtidos pelo grupo critério e grupo
significativo do grupo estabelecido como critério
controle, a estatística descritiva para cada um dos
nas duas medidas analisadas (características
fatores, bem como na soma total da EICAH/S foi
socioemocionais e características cognitivas), bem
realizada. Os resultados são apresentados na
como no total de itens, corroborando a eficácia da
Quadro 1. Os resultados descritos no Quadro 1
escala em diferenciar indivíduos identificados e
apontaram para melhor desempenho dos
não identificados. Os resultados desse tipo de
participantes do grupo critério nas duas medidas
estudo permitem compreender os limites e
da escala, bem como em seu total, em comparação
alcances do instrumento, informando, ao
ao desempenho obtido pelos participantes do
profissional, quais decisões ele pode ou não tomar
grupo controle. Com o objetivo de verificar se a
com base nos resultados (Ambiel & Carvalho,
diferença de médias encontrada entre os grupos
2017). Nesse caso aqui específico, identificar a
foi significativa, o teste de Mann-Whitney foi
presença de indicadores de altas
empregado. Os resultados apontaram para valores
habilidades/superdotação.
significativos para as todas medidas da escala,
A relevância do estudo aqui apresentado se
conforme pode ser visualizado na Quadro 2.
justifica perante o fato de que esse tipo de
Desse modo foi possível verificar que o grupo
evidência de validade tem sido considerada um
critério apresentou médias significativamente
dos requisitos mais importantes na construção de
mais altas tanto nas características
medidas psicológicas (American Psychological
socioemocionais (Fator 1), cujo tamanho do efeito
Association, American Educational Research
pode ser classificado como pequeno (d=.42;
Association, & National Council on Measurement
p≤.001), nas características cognitivas (Fator 2)
in Education, 2014; Pacico & Hutz, 2015;
com tamanho de efeito considerado grande
Pasquali, 2009), de maneira que seus resultados,
(d=.82; p≤.001) e na pontuação total da escala
somados aos anteriormente obtidos, apontam para
(tamanho médio de efeito, d=.65; p≤.001).
evidências positivas de validade para a escala em
construção. Essa fonte de evidências de validade
Discussão busca conhecer a relação entre os componentes do
O objetivo do presente estudo, no qual era próprio teste e outros indicadores externos. No
esperada a capacidade de discriminação de estudo aqui apresentado, buscou-se verificar a
características associadas às altas habilidades/ relação entre a pontuação do participante nas

Revista Iberoamericana de Diagnóstico y Evaluación – e Avaliação Psicológica. RIDEP · Nº55 · Vol.2 · 31-41 · 2020
Escala de Identificação das Altas Habilidades/Superdotação 37

medidas cognitivas e socioemocionais, bem como O formato escolhido (escala de autorrelato)


da escala total com o desempenho do sujeito na vida mostrou-se adequado ao propósito para o qual foi
real (diagnóstico de AH/S). Os resultados mostraram construída, bem como a ideia de constituir-se em
que a EICAH/S enquanto medida de indicadores uma ferramenta de triagem, dentro de uma bateria
socioemocionais e cognitivos se mostrou eficaz em mais ampla de avaliação das AH/S (Carman,
diferenciar os grupos, identificando, corretamente, 2013; Morisano & Shore, 2010; Prieto, Sainz, &
um melhor desempenho obtido pelos participantes Fernández, 2012; Veiga, 2014), complementar as
do grupo critério. avaliações realizadas, principalmente, por meio
A importância desses resultados se justifica dos resultados obtidos em testes psicométricos
perante a constatação de que um dos desafios (Pfeiffer & Petscher, 2008; Pfeiffer et al., 2007;
existentes no processo de desenvolvimento dos Pfeiffer et al., 2008).
talentos, é a dificuldade de implementar métodos Outra constatação importante que adiciona
de identificação que considerem a valor ao instrumental se ampara no fato de que, no
heterogeneidade de indivíduos superdotados, bem Brasil, até o momento, nenhum teste voltado à
como, seus diferentes níveis de habilidades identificação das AH/S se encontra disponível
(Hertzog, Mun, DuRuz, & Holiday, 2018). para uso profissional. Ainda que o processo de
Também Kieffer et al. (2010) chamam a atenção construção de uma bateria composta por testes de
para o fato de que, no campo das altas desempenho em medidas de inteligência e
habilidades/superdotação, uma preocupação deve criatividade, com esse objetivo específico possa
se voltar ao desenvolvimento de medidas capazes ser localizado na literatura científica (Nakano et
de capturar as diferenças individuais apresentadas al., 2015; Nakano, Primi, Ribeiro, & Almeida,
por aqueles indivíduos que se encontram no topo 2016; Ribeiro, Nakano, & Primi, 2014), bem
dos níveis de habilidades visto que, conforme como a construção de uma escala de avaliação
anteriormente salientado, é bastante comum o fato externa para ser respondida por professores
de que tais indivíduos atinjam o valor máximo das (Nakano, Campos, & Santos, 2016; Nakano,
tabelas normativas dos instrumentos que foram Gozzoli, Alves, Zaia, & Campos, 2016), nenhum
desenvolvidos para a população geral. desses instrumentais aborda a questão sob a
Consequentemente, podem não discriminar perspectiva do próprio sujeito. Esse é o diferencial
corretamente os diferentes níveis de habilidades de da escala de autorrelato aqui analisada.
indivíduos superdotados. Essa informação confirma Nesse sentido, torna-se relevante ponderar
a importância do desenvolvimento de medidas também os aspectos positivos associados às
específicas para avaliar as habilidades superiores. autoavaliações que os indivíduos podem fazer de
Considerando-se que os resultados do estudo si mesmos. Esse tipo de instrumento é
aqui relatado, mais especificamente as diferenças caracterizado por sua praticidade de aplicação e
significativas entre os grupos avaliados com a mensuração de resultados, além da motivação
EICAH/S, pode-se afirmar que a escala consegue envolvida nos processos de resposta, já que os
diferenciar, de forma adequada, tanto aqueles respondentes podem achar interessante falar sobre
indivíduos que apresentam habilidade cognitiva si mesmos (Paulhus & Vazire, 2009). Portanto, o
acima da média quanto os que apresentam objetivo desse tipo de metodologia na
habilidades socioemocionais elevadas. Essa identificação dos comportamentos e habilidades
proposta vai ao encontro de uma série de relacionadas ao construto, relaciona-se não só à
recomendações encontradas na literatura científica sua fácil administração, mas também à
na área, de que a avaliação dessa população deve possibilidade de ser o primeiro passo das
envolver não só habilidades cognitivas (Almeida, investigações, ou seja, tornar-se um auxílio à
Araújo, Sainz-Gómez, & Prieto, 2016; Matthews triagem inicial (Kazem et al., 2014).
& Peters, 2018), como também, forças e traços
associados às habilidades sociais e emocionais de Considerações finais
cada indivíduo (Gagné, 2018; Hertzog et al., O tema das altas habilidades/superdotação
2018; Renzulli & Reis, 2018). tem sido amplamente estudado e aprofundado, em
termos teóricos, culminando em concepções que

Revista Iberoamericana de Diagnóstico y Evaluación – e Avaliação Psicológica. RIDEP · Nº55 · Vol.2 · 31-41 · 2020
Escala de Identificação das Altas Habilidades/Superdotação 38

reconhecem tanto a existência de domínios gerais superdotados, dentro de procedimentos rigorosos


quanto específicos de habilidades, associados à de identificação. Essa condição dificultou o
diferentes áreas do conhecimento humano. acesso a esse grupo, visto que a ausência de
Entretanto, lacunas na prática cotidiana de procedimentos de identificação dessa população
indivíduos pertencentes a essa população, no nas escolas de ensino regular se faz presente na
Brasil, ainda se fazem presentes, notadamente maior parte das instituições educacionais, somada
aquelas relacionadas à identificação dessa ao desconhecimento do fenômeno e de suas
população. A falta de instrumentos disponíveis características por parte de professores e diretores,
para uso profissional que contribuam para um bem como a presença de concepções errôneas
processo de identificação abrangente é um dos sobre o indivíduo com essa condição.
pontos principais a ser explorado. Consequentemente, houve a necessidade de
Partindo dessa percepção, o estudo aqui buscá-las em locais de atendimento específico,
apresentado visou acrescentar evidências de tais como Núcleos de Atividades de Altas
validade a outras já obtidas anteriormente para um Habilidades e Superdotação (NAAH/S) e salas de
instrumento em processo de desenvolvimento: a recursos, os quais ainda não são oferecidos em
escala de indicadores de características associadas todas as cidades do Brasil. Tal quadro, aliado ao
às altas habilidades/superdotação. Durante o pequeno número de crianças e adolescentes
processo de construção de um instrumento, deve- identificados e em processo de atendimento fez
se ter em mente a ideia de que a busca por com que o processo de coleta de dados durasse,
evidências de validade é um processo, que deve aproximadamente, um ano para ser completado.
ser marcado pelo acúmulo de evidências No que diz respeito à escala, os desafios
provenientes de diferentes fontes de validade. associados à estrutura de autorrelato adotada para
Os resultados encontrados permitiram afirmar a EICAH/S, também devem ser mencionados. À
evidências de validade baseadas nas relações com vista disso, pode-se observar certas tendências,
outras variáveis, mais especificamente, a validade apontada pela literatura científica, as quais
de critério, de modo a confirmar a eficácia desse caracterizam-se como um dos maiores vieses
instrumento em discriminar indivíduos com enfrentados na utilização desse formato de
indicadores de AH/S daqueles que não possuem instrumento. Os mais comuns são conhecidos
tais características, em relação a aspectos como: (1) desejabilidade social, a qual envolve
socioemocionais e cognitivos, bem como algumas situações que podem forçar o indivíduo a
possibilidade de auxiliar na diminuição da lacuna descrever-se de forma exageradamente positiva, a
acima referida. Dessa forma, os resultados aqui fim de se sentir aceito; (2) aquiescência, que faz
apresentados podem ser somados aos estudos com que os indivíduos concordem com o item
previamente realizados com a EICAH/S, sem se importar com seu conteúdo; e (3) respostas
aproximando-se da possibilidade de extremas, a qual consiste na escolha de respostas
disponibilização profissional do instrumental e extremas na escala de avaliação, seja a menor
seu uso como ferramenta auxiliar nos processos opção ou a maior. Essas situações apontam para a
de triagem de comportamentos associados ao necessidade de que outros estudos sejam
tema, dentro de uma perspectiva de uma bateria conduzidos visando identificar a influência desses
ampla de avaliação. fatores no resultado dos participantes.
Faz-se importante, entretanto, ressaltar as Por fim, ressalta-se a importância de realizar
limitações e desafios encontrados para que o estudos voltados à investigação da precisão e de
presente estudo fosse conduzido. Especificamente normatização, bem como a investigação da
no que diz respeito aos participantes, influência de variáveis como sexo, idade e
considerando que o instrumento em estudo possui escolaridade no desempenho dos sujeitos. Tais
o objetivo de discriminar crianças identificadas estudos permitirão que todos os requisitos
com altas habilidades/superdotação daquelas que mínimos exigidos pelo Conselho Federal de
não apresentam essas características, foi Psicologia sejam atendidos e, consequentemente,
necessário compor o grupo critério com o instrumento possa ser disponibilizado,
indivíduos previamente avaliados como futuramente, para uso profissional. Almeja-se que

Revista Iberoamericana de Diagnóstico y Evaluación – e Avaliação Psicológica. RIDEP · Nº55 · Vol.2 · 31-41 · 2020
Escala de Identificação das Altas Habilidades/Superdotação 39

os resultados aqui apresentados possam contribuir Espírito-Santo, H., & Daniel, F. (2015). Calcular
para auxiliar no conhecimento dos indivíduos com e apresentar tamanhos do efeito em trabalhos
AH/S de maneira multidimensional, considerando científicos (1): As limitações do p<.05 na
sua diversidade de características e possibilidades análise de diferenças de médias de dois
de atendimento educacional especializado. grupos. Revista Portuguesa de Investigação
Comportamental e Social 2015, 1(1), 3-16.
doi:10.31211/rpics.2018.4.2.97.
Referências
Field, A. (2009). Descobrindo a estatística
usando o SPSS. Porto Alegre, RS: Artmed.
Almeida, L. S., Araújo, A. M., Sainz-Goméz, M.,
Gagné, F. (2018). Academic talent development:
& Prieto, M. D. (2016). Challenges in the
Theory and best practices. In S. I. Pfeiffer
identification of giftedness: Issues related to
(Ed.), APA Handbook of Giftedness and
psychological assessment. Anales de
Talent (pp. 163-183). Washington, DC:
Psicología, 32(3), 621-627.
American Psychological Association.
doi:10.6018/analesps.32.3.259311.
doi:10.1037/0000038-011.
Ambiel, R. A. M., & Carvalho, L. F. (2017).
Hertzog, N. B., Mun, R. U., DuRuz, B., &
Validade e precisão de instrumentos de
Holiday, A. A. (2018). Identification of
avaliação psicológica. In M. R. C. Lins & J.
strengths and talents in young children. In. S.
C. Borsa (Orgs.), Avaliação psicológica:
I. Pfeiffer (Ed.), APA Handbook of Giftedness
Aspectos teóricos e práticos (pp. 115-125).
and Talent (pp. 301-316). Washington, DC:
Petrópolis, RJ: Vozes.
American Psychological Association.
American Psychological Association, American
doi:10.1037/0000038-011.
Educational Research Association & National
Jones, D. E., Greenberg, M., & Crowley, M.
Council on Measurement in Education (2014).
(2016). How children’s social behaviors relate
Standards for educational and psychological
to success in adulthood. The WERA
testing. Washington: American Psychological
Educational Journal, 8 (2), 27-33. Retirado
Association.
de: https://www.wera-
Bassinello, P. Z. (2014). Construção de Escala de
web.org/assets/docs/WEJ-May-2016-final.pdf
Autorrelato para Identificação de
Kazem, A. M., Alzubaidi, A. S., Hemdan, A. H., &
características associadas à Superdotação.
Renzulli, J. (2014). The factor structure of the
Dissertação de Mestrado, Pontifícia
Scales for Rating the Behavioural
Universidade Católica de Campinas,
Characteristics of Superior Students
Campinas, SP, Brasil.
(SRBCSS): Results on an omani sample.
Brasil (2012) Secretaria de Educação Especial -
International Journal for Talent Development
MEC. Políticas Públicas para Alta Habilidade/
and Creativity, 2 (1), 127-136. Retirado de:
Superdotação. Recuperado de:
https://www.researchgate.net/profile/Laura_So
http://www.senado.gov.br/web/comissoes/CE/
kal/publication/297196498_Desjardin_N_Ellio
AP/AP20080626_superdotados_Cl%C3%A1u
tt_M_Sokal_S_Christle_S_Kornelsen_A_Nikk
diaGriboski.pdf.
el_K_Lone_K_Sokal_L_2014_Transformative
Carman, C. A. (2013). Comparing apples and
_learning_through_international_service_work
oranges: Fifteen years of definitions of
_International_Journal_of_Talent_Developmen
giftedness in research. Journal of Advanced
t_and_Creativity_/links/58f90c970f7e9ba3ba4
Academics, 24(1), 52-70.
c610b/Desjardin-N-Elliott-M-Sokal-S-Christle-
doi:10.1177/1932202X12472602.
S-Kornelsen-A-Nikkel-K-Lone-K-Sokal-L-
Chacon, M. C. M., Pedro, K. M., Koga, F. O., &
2014-Transformative-learning-through-
Soares, A. A. S. (2017). Variáveis pessoais de
international-service-work-International-
professores e a inclusão de alunos com altas
Journal-of-Talent-Development.pdf#page=127
habilidades/superdotação. Revista Educação
Kieffer, MK. M., Reese, R. J., & Vacha-Haase, T.
Especial, 30(59), 775-786.
(2010). Reliability generalization methods in
doi:10.5902/1984686X28433.
the context of giftedness research. In B.

Revista Iberoamericana de Diagnóstico y Evaluación – e Avaliação Psicológica. RIDEP · Nº55 · Vol.2 · 31-41 · 2020
Escala de Identificação das Altas Habilidades/Superdotação 40

Thompson & R. F. Subotnik (Orgs.), Estudos de Psicologia (Campinas), 32, 729-


Methodologies for Conducting Research on 741. doi:10.1590/0103-166x2015000400016.
Giftedness (pp. 89-111). Washington, DC: Nakano, T. C., Primi, R., Ribeiro, W. J., &
American Psychological Association. Almeida, L. S. (2016). Evaluación
doi:10.1037/12079-005. multidimensional de la superdotación:
Kim, S., & Berebitsky, D. (2016). An application Criterios de validez de la Batería de
of multivariate generalizability in selection of Inteligencia y Creatividad para predecirlos
mathematically gifted students. Eurasia talentos artísticos y académicos. Anales de
Journal of Mathematics, Science & Psicología, 32, 628-637.
Technology Education, 12(9), 2323-2334. doi:10.6018/analesps.32.3.259391.
doi:10.12973/eurásia.2016.1269a. Neihart, M., & Yeo, L. S. (2018). Psychological
Matthews, M. S., & Peters, S. J. (2018). Methods issues unique to the gifted student. In S. I.
to increase the identification rate of students Pfeiffer (Ed.), APA Handbook of Giftedness
from traditionally underrepresented and Talent (pp. 497-510). Washington, DC:
populations for gifted services. In S. I. Pfeiffer American Psychological Association.
(Ed.), APA Handbook of Giftedness and doi:10.1037/0000038-032
Talent (pp. 318-331. Washington, DC: Nunes, C. H. S. S., Primi, R., Nunes, M. F. O.,
American Psychological Association. Muniz, M., Cunha, T. F., & Couto, G. (2008).
doi:10.1037/0000038-021. Teoria de Resposta ao Item para otimização
Miot, H. A. (2017). Avaliação da normalidade dos de escalas tipo likert – um exemplo de
dados em estudos clínicos e experimentais. aplicação. Revista Ibero-americana de
Jornal Vascular Brasileiro, 16(2), 88-91. Diagnóstico y Evaluación – e Avaliação
doi:10.1590/1677-5449.041117. Psicológica, 1(25), 51-79. Retirado de:
Morisano, D., & Shore, B. M. (2010). Can http://aidep.org/sites/default/files/2017-
Personal Goal Setting Tap the Potential of the 07/R253.pdf.
Gifted Underachiever? Roeper Review, 32, Ourofino, V. T. A. T., & Fleith, D. S. (2011). A
249-258. doi:10.1080/02783193.2010.508156. condição underachieverment em superdotação:
Mun, R. U. (2016). Identifying and assessing Definição e características. Psicologia: Teoria
highly capable students. The WERA e Prática, 13(3), 206-222. Retirado de:
Educational Journal, 8(2), 14-17. Retirado de: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/ptp/v13n3/v13n3a
https://www.wera-web.org/assets/docs/WEJ- 16.pdf.
May-2016-final.pdf Pacico, J. C., & Hutz, C. S. (2015). Validade. In
Nakano, T. C., Campos, C. R., & Santos, M. V. C. S. Hutz, D. R. Bandeira, & C. M. Trentini
(2016). Escala de avaliação de altas (Orgs.), Psicometria (pp. 71-84). Porto
habilidades/superdotação – versão professor: Alegre, RS: Artmed.
Validade de conteúdo. Estudos Pasquali, L. (2009). Psicometria. Revista da
Interdisciplinares em Psicologia, 7(1), 103- Escola de Enfermagem da USP, 43 (esp), 992-
123. doi:10.5433/2236-6407.2016v7n1p103. 999. doi:10.1590/S0080-62342009000500002.
Nakano, T. C., Gozzolli, M. Z., Alves, R. J. R., Paulhus, D. L., & Vazire, S. (2009). The Self-
Zaia, P., & Campos, C. R. (2016). Report Method. In R. W. Robins, R. C.
Investigación de la eficacia de una Escala de Fraley, & R. F. Krueger (Eds.), Handbook of
Evaluación de Altas Habilidades – versión research methods in personality psychology
profesor. Revista de Estudios y Experiencias (pp.224-239). New York: Guilford.
en Educación, 15(29), 83-94. Pérez, S. G. P. B., & Freitas, S. N. (2014).
doi:10.21703/rexe.20162983945. Políticas públicas para as Altas Habilidades /
Nakano, T. C., Primi, R., Abreu, I. C. C., Gozzoli, Superdotação: Incluir ainda é preciso. Revista
M. Z., Caporossi, D. C., Miliani, A. F. M., & Educação Especial, 27(50), 627-640.
Martins, A. A. (2015). Bateria para avaliação doi:10.5902/1984686X14274.
das altas habilidades/superdotação: Análise Pfeiffer, S. I., & Petscher, Y. (2008). Identifying
dos itens via Teoria de Resposta ao Item. young gifted children using the Gifted Rating

Revista Iberoamericana de Diagnóstico y Evaluación – e Avaliação Psicológica. RIDEP · Nº55 · Vol.2 · 31-41 · 2020
Escala de Identificação das Altas Habilidades/Superdotação 41

Scales-Preschool/Kindergarten Form. Gifted doi:10.1037/0000038-010.


Child Quarterly, 52(1), 19-29. Stoeger, H., Balestrini, D. P., & Ziegler, A.
doi:10.1177/0016986207311055. (2018). International perspectives and trends
Pfeiffer, S. I., Petscher, Y., & Jarosewich, T. in research on giftedness and talent
(2007). The Gifted Rating Scales- development. In S. I. Pfeiffer (Ed.), APA
Preschool/Kindergarten Form: An analysis of Handbook of Giftedness and Talent (pp. 25-
the standardization sample based on age, 37). Washington, DC: American
gender and race. Roeper Review, 29(3), 206- Psychological Association.
211. doi:10.1080/02783190801955418. doi:10.1037/0000038-002.
Pfeiffer, S. I., Petscher, Y., & Kumtepe, A. Subotnik, R. F., Olszewski-Kubilius, P., &
(2008). The Gifted Rating Scales-School Worrell, F. C. (2018). High performance: The
Form: A validation study based on age, central psychological mechanism for talent
gender and race. Roeper Review, 30, 140-146. development. In S. I. Pfeiffer (Ed.), APA
doi:10.1080/02783190801955418. Handbook of Giftedness and Talent (pp. 07-
Prieto L., Sainz, M., & Fernández, M. C. (2012). 20). Washington, DC: American
Estudio de la superdotación em España. Psychological Association.
Revista Amazônica, X (3), 48-78. Retirado de: doi:10.1037/0000120-002.
https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codig Veiga, E.C. (2014). Altas
o=4047332 habilidades/superdotação e a psicopedagogia
Renzulli, J. S., & Reis, S. M. (2018). The Three- modular: Avaliando potencialidades. Revista
ring conception of giftedness: A Educação Especial, 27(50), 641-648.
developmental approach for promoting doi:10.5902/1984686X14283.
creative productivity in young people. In S. I. Vieira, N. J. W. (2014). Identificação pela
Pfeiffer (Ed.), APA Handbook of Giftedness provisão. Revista Educação Especial, 27(50),
and Talent (pp. 185-199). Washington, DC: 699-712. doi:10.5902/1984686X14324.
American Psychological Association. Virgolim, A. M. R. (2013). A identificação de
doi:10.1037/0000038-012. alunos para programas especializados na área
Ribeiro, W. J., Nakano, T. C., & Primi, R. (2014). das altas habilidades/superdotação: Problemas
Validade da estrutura fatorial de uma Bateria de e desafios. Revista Brasileira de Altas
Avaliação e Altas Habilidades. Psico, 45(1), Habilidades/Superdotação, 1(1). Retirado de:
100-109. doi:10.15448/1980-8623.2014.1.13636 http://www.revistaconbrasd.org/wp/?p=94.
Rodrigo-Ruiz, D., Cejudo, J., & Pérez-González, Zaia, P. & Nakano, T. C. (2014). Escala de
J. C. (2019). Compendio y análisis de medidas Identificação de Características associadas às
de evaluación de la inteligencia emocional Altas Habilidades/Superdotação (EICAH/S).
capacidad. Revista Iberoamericana de Campinas, SP.
Diagnóstico y Evaluación – e Avaliação Zaia, P. Nakano, T. C., & Peixoto, E. M. (2018).
Psicológica, 2(51), 99-115. Scale for Identification of Characteristics of
doi:10.21865/RIDEP51.2.08. Giftedness: Internal structure analysis.
Souza, A. C., Alexandre, N. M. C., & Guirardello, Estudos de Psicologia (Campinas), 35(1), 39-
E. B. (2017). Propriedades psicométricas na 51. doi:10.1590/1982-02752018000100005.
avaliação de instrumentos: Avaliação da Ziegler, A., Stoeger, H., & Vialle, W. (2012).
confiabilidade e da validade. Epidemiologia e Giftedness and gifted education: The need for
serviços de saúde, 26(3), 649-659. a paradigm change. Gifted Child Quarterly,
doi:10.5123/S1679-49742017000300022. 56(4), 194-197. doi:10.1177/0016986212456070.
Sternberg, R. J. (2018). Theories of intelligence. Wellisch, M.. & Brown, J. (2012). An integrated
In S. I. Pfeiffer (Ed.), APA Handbook of identification and intervention model for
Giftedness and Talent (pp. 145-161). intellectually gifted children. Journal of
Washington, DC: American Psychological Advanced Academics, 23(2), 145-167.
Association. Washington, DC: American doi:10.1177/1932202X12438877.
Psychological Association.

Revista Iberoamericana de Diagnóstico y Evaluación – e Avaliação Psicológica. RIDEP · Nº55 · Vol.2 · 31-41 · 2020