Você está na página 1de 4

Generalidades

● Tipos de ciclos biologicos


- Monoxênico -​ Um tipo de hospedeiro
- Heteroxênico -​ Mais de um hospedeiro. Hospedeiro definitivo(reprodução
sexuada) e hospedeiro intermediário(reprodução assexuada)
-
● Períodos parasitológico
- Pré-patente: desde a infecção até o momento onde consegue ver a
manifestação do parasita. Não consegue ver a estrutura do parasita
- Patente: quando consegue ver a estrutura parasitária
- Subpatente: o parasita não consegue manter o ciclo constante, o modo de
reprodução é irregular.

● Ação do parasita sobre o hospedeiro


- Mecânica
- Espoliativa (“rouba nutrientes”)
- Traumática (toda vez que houver lesão/ferida)
- Tóxica
- Imunogênica (como o corpo reage ao antígeno do parasita)
- Irritativa
- Inflamatória
- Enzimática (o parasita libera enzimas para o tecido
- Anoxia (ausência de oxigênio)

Giardíase
Quando se fala de giardia temos é um protozoário unicelular que possui 4 pares de
flagelos ele tem a fase infectante no indivíduo que é o cisto onde é contaminado a
água e alimento que pode contaminar o indivíduo é a fase cística e a fase
patogênica é o trofozoíto.
OBS.: A Giardia que causa a doença no homem é a Giardia lamblia.

Cistos de ​Giardia lamblia


Trofozoítos de​ Giardia lamblia
Ciclo de vida: A infecção ocorre pela ingestão de cistos em água ou alimentos
contaminados. No intestino delgado, os trofozoítos sofrem divisão binária e chegam
à luz do intestino, onde ficam livres ou aderidos à mucosa intestinal, por mecanismo
de sucção. A formação do cisto ocorre quando o parasita transita o cólon, e neste
estágio os cistos são encontrados nas fezes (forma infectante). No ambiente podem
sobreviver meses na água fria, através de sua espessa camada.

O indivíduo ingere água ou alimento contaminado com o cisto. O cisto é uma


estrutura é resistente e tem uma parede muito micrômetro que faz com que essa
fase evolutiva consiga no ambiente. O indivíduo infectado por giardiase elimina os
cistos na fezes podendo ir para uma cisterna ou poço contaminado essa água e
essa água pode ser usada tanto para beber quanto para irrigar as plantações
contaminando os vegetais.
O cisto chega no trato gastrointestinal, no epitélio ácido da mucosa gástrica esse
cisto começa a ser deteriorado e o cisto vai se diferenciar em trofozoíto no intestino
delgado. A fase infectiva quando o indivíduo tem contato com o protozoário (fase
cística) e a fase patogênica que causa a doença é o trofozoíto.
O trofozoíto tem um par de flagelo caudal, um par de flagelo anterior e um par de
flagelo ventral e um par de flagelo dorsal e o movimento flagelar empurra o
trofozoíto contra a mucosa do trato intestinal. Esse trofozoíto ele tem um disco
adesivo ou subtorrial ao seu redor. promove uma pressão hidrodinâmica para fixar
cada vez mais esse trofozoíto na mucosa intestinal desse hospedeiro e quando
fixado começa a liberar umas enzimas que vão lisar o enterócito/a célula e vai retirar
alguns radicais aminas dos aminoácidos importantes para que a giárdia se nutra
desses radicais amina retirado da nossa célula.
Na medida que vão se nutrindo o trofozoíto vai se dividindo binariamente por
cissiparidade, uma divisão mitótica até que em poucos dias duas semanas de
infecção boa parte da mucosa intestinal do duodeno está revestida/coberta por
milhares de trofozoítos giardia processo conhecido como atapetamento da mucosa
intestinal. O enterócito vai sendo lesado porque o trofozoíto precisa dos elementos
do citoplasma e acaba ocorrendo duas coisas: diarreia má absortiva o indivíduo se
alimenta, é ativado os sais biliares vai se emulsificar a gordura, mas essa gordura
não é absorvida, pois uma boa parte do duodeno está coberta pelo trofozoíto.
No disco subtorreal que possui uma franja para facilitar a ligação ao enterócitos
existe uma ligação interespecífica. A giardia possui no disco adesivo existe
proteínas chamadas giardina alfa que reconhece cadeia de glicosaminoglicanos na
superfície do enterócitos, ou seja, reconhecendo muito interespecífico, ao ter esse
reconhecimento, o trofozoíto começa a se nutrir e secretar enzimas causando
apoptose das nossas células por isso tem diarreia lintica.

Transmissão
Ingesta de alimentos e água contaminados e/ou relação sexual(raro)

Desenvolvimento da resposta imune


-Natureza autolimitante da infecção
-Anticorpos específicos anti-Giardia
-Monócitos citotóxicos na modulação da resposta imune
-Maior suscetibilidade em indivíduos imunocomprometidos e menor suscetibilidade
dos indivíduos de áreas endêmicas

Diagnóstico
Durante o exame físico, o médico pode pedir para o paciente se deitar e pressionar
suavemente várias partes do abdômen. Ele ou ela também pode verificar a boca e
pele para detectar sinais de desidratação. Por fim, pode ser pedida uma amostra de
fezes para que sejam feitos testes.

Tratamento
o tratamento deve ser feito com metronidazol ou tinidazol. Apesar da doença
infectar todas as pessoas, crianças e mulheres grávidas podem ser mais
susceptíveis à desidratação causada pela diarréia, portanto, deve-se administrar
fluidoterapia se necessário. Furazolidona é também utilizada no tratamento de
amebíases.

Tricomoníase

Família: Trichomonadidae
Sub Família: Trichomonadidae
Ordem: Trichomonadida
Classe: Zoomastigaphorea
Filo: Sarcomastigophorea

Infecção da vagina ou do trato genital masculino causada por Trichomonas


vaginalis. Pode ser assintomática ou produzir uretrite, vaginite ou, ocasionalmente,
cistite, epididimite ou prostatite.

Sinais e sintomas
Os sintomas mais comuns são dor durante a relação sexual, ardência e dificuldade
para urinar, coceira nos órgãos sexuais, porém a maioria das pessoas infectadas
não sente alterações no organismo..

Diagnóstico
Exame microscópico das secreções vaginais, testes de tira reagente ou testes de
amplificação de ácido nucleico (NAATs) e cultura da urina ou swabs uretrais de
homens. Em mulheres, o diagnóstico é baseado em critérios clínicos e testes em
pontos de atendimento, exame microscópico direto das secreções vaginais e testes
rápidos de fluxo Imunocromatográfico.

Tratamento
Metronidazol ou tinidazol oral e tratamento dos parceiros sexuais. O tratamento em
geral é feito com metronidazol ou tinidazol, 500 mg, 2 vezes/dia, durante 5 a 7 dias.

Você também pode gostar