Você está na página 1de 8

A Arte de Contar Histórias

A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS

A. PREPARANDO UMA HISTÓRIA 


a) Orar sempre 
b) Determinar o objetivo 
c) Ler, estudar, aprender a história 
d) Analisar a história, ver se está de acordo com a
Bíblia. 
e) Estudar material suplementar 
f) Praticar a narração em alta voz 
g) Não decorar a história 

B. CARACTERÍSTICAS ESSENCIAIS DE UMA


BOA HISTÓRIA. 
a) Mensagem clara, deve falar por si mesma. A moral
acrescentada enfraquece a história. 
b) Unidade 
c) Ação – Interatividade 
d) Não ter muitas personagens. 

C. CONTANDO A HISTÓRIA 
a) falar  claramente 
b) Contar sem olhar roteiros (papeis) 
c) Falar com entusiasmo, imaginação e confiança 
d) Olhar diretamente para os alunos – todos 
e) SENTIR a história – esqueça-se de você! 
f) Use gestos, tom de voz expressão facial, olhares de
maneira natural. 
g) Use diálogo – deixe os personagens falarem 
h) Se for uma história imaginária diga logo no início. 
i) Não faça sermão durante a história, nem a
interrompa com perguntas. 
____________________________________
_______________ 

D. QUATRO DIVISÕES DE UMA HISTÓRIA 

1. Introdução: Começo 
• Despertar interesse 
• Apresentar os personagens 
• Criar ambiente 
• Deve ser breve, com poucos detalhes. 
• Não precipitar os acontecimentos de coisas ligadas
a história. “Na arte de contar história . . . um mau
começo é em geral um entrave que não pode ser
superado; é prenúncio de fracasso.” Otília Chaves 

2. Ação - Sucessão de eventos. Os eventos seguem


naturalmente, cada um tem significação mais intensa
até chegar ao clímax. 

3. Clímax – ponto culminante da história. Sem o


clímax a história não tem efeito sobre os ouvintes.
Determina a lição moral da história. Depois do
clímax a história desce rapidamente para a
conclusão. 

4. Conclusão -  é o fecho da história. Algumas


histórias terminam com o clímax, mas as vezes é bom
acrescentar uma ou duas sentenças. Toda conclusão
deve ser curta e satisfatória. 

Exemplos de algumas Histórias:


Criação, Noé, Abraão, Isaque, Jacó, José, Moisés,
Balaão, Josué, Gideão, Sansão, Rute, Samuel, Davi,
Elias, Eliseu, Naamã, Joás, Esdras, Ester, Jonas,
Daniel, Nascimento de Jesus, Várias Parábolas:
Ovelha Perdida, Filho Pródigo, O Semeador, O Bom
Samaritano. Jesus acalma a tempestade,
Multiplicação dos pães e peixes, Zaqueu, Maria e
Marta, Lázaro, As Bodas de Cana, A  cura da filha de
Jairo, Os 10 leprozos, A cura de Bartimeu . . . 
  COMO PREPARAR A LIÇÃO

Para preparar bem a lição o professor precisa: 

j) Ter uma idéia do conjunto-trimestre. É importante


conhecer o assunto do trimestre, ler todas as lições
do trimestre para não avançar o assunto das
próximas lições. 
k) Começar a preparar a lição já no Domingo a tarde,
enquanto tem na memória tudo o que aconteceu na
classe Domingo pela manhã. 
l) Se preparar durante toda a semana. Estudar pelo
menos 15 minutos por dia. 
m) Colecionar variedades de materiais (histórias,
curiosidades, estampas, mapas, jornais, revistas e
livros) e relaciona-los com o assunto da lição. 
n) Confeccionar materiais: cartazes, figuras,
versículos, etc. 

PROGRAMA DE CLASSE DE 1 A 6 ANOS


1. Recepção : 5 min. 
2. Cumprimentos: 5min. 
3. Chamada: 2 min. 
4. Oração: 5 min. 
5. Louvor: 10 min. 6. História Bíblica: de 5 a 8 m 
7. Memorização: 5 min. 
8. Trabalho Manual: 10 min. 
9. Lanche: 5 min. 
10.Encerramento: 2 min. 
Total: 57 minutos 
  COMO ENSINAR OS VERSÍCULOS

Decorar versículos bíblicos fortalece a vida espiritual


da criança convertida guardando-a do pecado
(Sl119:11; Ef 6:17). 
O versículo deve ser ensinado sempre com a
referência. Deve ser lido diretamente da Bíblia,
mesmo que tenha o visual. A professora deve saber o
versículo decorado antes de ensina-lo. Explicar as
palavras difíceis e o que o versículo quer dizer. 
Repetir com as crianças várias vezes durante a aula,
até que elas gravem. Levar para casa o lembrete do
versículo para a mãe repeti-lo durante a semana. 
Métodos visuais para os versículos: 
1) Cartazes: Escreva o versículo com letra legível e
coloque um desenho ou figura que ilustre o que você
está ensinando. Atenção: sempre coloque a referência
completa do versículo. (de preferência sem
abreviações) 
2) Gestos: Use gestos que expressem o sentido do
versículo. Ex: “Alegrei-me quando me disseram:
Vamos à casa do Senhor” Salmo 122:1. 
3) Versículo musicado: Há muitas musicas para
versículos e você também pode criar a sua. 
4) Varal: Escrever os versículos em três partes ou
mais, e pendurar no varal, depois mude a ordem para
ver se as crianças já sabem. 
5) Quadro negro: Escrever o versículo no quadro
antes do início da aula. Depois ensina-lo, conforme
as crianças forem aprendendo, apague algumas
palavras, depois tudo e só deixe a referência por
último. 

Ex. de versículos: “Crê no Senhor e serás salvo”. Atos


13:31 
“Sê forte e corajoso” Josué 1.9 
“Filhos obedecei a vossos pais.” Efésios 6.1 

A IMPORTÂNCIA DOS CÂNTICOS


A Música tem muito valor no trabalho com crianças,
pois através dela as crianças aprendem as verdades
bíblicas e também adoram a Deus. 
A música acalma as crianças, alegra o ambiente e eles
gostam de cantar. 
Os corinhos devem ser visualizados, bem bonitos e
bem feitos, para atrair a atenção das crianças e para
que eles guardem a letra e a música com mais
facilidade. 
A letra deve ser apropriada para cada idade. Se tiver
palavras difíceis, explica-las. Deve explicar também o
que o corinho significa. 
Use sempre bastante gestos, principalmente com os
menores. Os gestos ajudam a gravar a musica. 
Os corinhos devem sempre trazer verdades bíblicas. 
Os cânticos devem ser de preferência de acordo com
o assunto da lição. 
Para escrever o cântico – você tem dificuldade?
Compre normógrafos à venda em papelarias, ou
escreva com sua letra mesmo. 
Ilustre o cântico com figuras que sejam relacionadas
à mensagem do cântico, podem ser com gravuras,
recortadas ou desenhadas por você. 
Não sabe desenhar? . . . COPIE> E comece a
colecionar riscos, pois com certeza você precisará
muito!!! 

  O TRABALHO MANUAL

Ao ensinar o professor visa passar para a criança, não


somente teoria, mas algo prático. Toda criança gosta
de atividades, e o trabalho manual é uma boa
maneira de conseguir a participação dela. 
“O trabalho manual permite a expressão da
criatividade, ensina habilidades manuais, desenvolve
o gosto da criança, fornece uma lembrancinha da
lição que ela pode levar para casa... deve ser uma
ferramenta para ajudar a criança a penar na lição, a
descobrir como aplica-la à sua vida e guardar no
coração o ensino.” (Geórgia Dodd-APEC) 
1. O trabalho manual deve ser ligado com a lição. Não
é um passatempo! 
2. Escolha com antecedência o trabalho manual para
poder conseguir o material necessário. 
3. Escolher e adaptar o trabalho conforme a idade da
criança. 
4. Não faça o trabalho para a criança, pode ajudá-la. 
5. Sempre prepare uma amostra do trabalho. 
6. Não exija perfeição; valorize o que cada um pode
fazer. 
7. O trabalho manual não deve ocupar tempo
excessivo. 
8. Ao invés das  crianças fazerem sempre trabalhos
para si, é melhor leva-las a fazerem alguma coisa
para os outros. Ex: Cartão para as  mães, cartinhas
para missionários, presentes para um amigo ou
professor. 
. O trabalho feito por um grupo de crianças pode
termais valor do que cada uma trabalhando sozinha. 
10. Antes de iniciar a aula verifique se tem todo
material necessário. 

A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS

Por que contar histórias?

         É um meio muito eficiente de transmitir uma idéia, de levar novos conhecimentos e de
guardar suas tradições e ensinamentos. É um meio de resgatar a memória. Todo bom
contador de histórias deve ser também um bom ouvinte de si mesmo, do mundo e de outras
pessoas. O contador deve ser sensível para ouvir e falar. Contar simplesmente porque gosta
de contar.O narrador deve estar ciente de que o importante é a história.

Para quem?
         As crianças gostam de ouvir seus avôs, pais, etc., contando histórias bíblicas, de
fadas, da vida deles mesmos e de quando eram crianças. Os jovens e adultos também
gostam de ouvir, pois em todos ainda resta um pouco de emoção, fantasia e de felicidade ao
ouvir histórias. É preciso fazer uma seleção do que contar, levando-se em conta o interesse
do ouvinte, a sua faixa etária e suas condições sócio-econômicas. Este é o passo mais
demorado na arte da contação de histórias.
 

Que tipo de história contar?

  • Até 3 anos – idade pré-mágica: Histórias que tenham bichinhos, objetos, crianças,
enredos que façam parte da vida da criança, textos curtíssimos

 • 3 a 4 anos – idade do fascínio: Os textos devem ser curtos e atraentes, pode-se usar
gravuras de preferência grandes. Histórias que tenham bichos, brinquedos e objetos e usem
expressões repetitivas.

 • 5 a 6 anos – idade realista: Histórias da vida real, falando do lar, etc. Os textos devem
ser curtos e ter muita ação o enredo deve ser simples. Até os 6 anos a criança gosta de ouvir
a mesma história várias vezes.

Ao contar uma História o professor / evangelista deve seguir a seguinte ordem:

Começo – Bem empolgante;

Meio  - Passar o objetivo da história;

Fim – Trazer a moral da história, falando sempre às crianças salvas e não salvas.

Leia mais: http://ministeriotiamary.webnode.com.br/a-arte-de-contar-historias/

Você também pode gostar