Você está na página 1de 10

Ministério da Agricultura,

ISSN 0102-3713
Pecuária e Abastecimento

Emprego da Compostagem para Destinação


Final de Suínos Mortos e Restos de Parição

A destinação Final de Carcaças de Suínos

26 Os métodos tradicionais de disposição de carcaças de suínos incluem fossas anaeróbias,


incineração e enterramento. Cada um desses métodos revela vantagens e desvantagens
que comprometem o desempenho dos serviços, quando se pretende sejam realizados de
maneira eficaz e com bons resultados sanitários para a granja.

As fossas anaeróbias são construções em alvenaria dimensionadas para receber


carcaças em períodos relativamente curtos, em média 2 anos, sendo que geralmente se
esgotam antes do tempo projetado. O resultado da decomposição anaeróbia das
carcaças é um líquido, que não consegue penetrar no solo adjacente às fossas, pois a
ação bacteriana rapidamente colmata as áreas de infiltração. Assim, os líquidos se
acumulam sem se infiltrar, comprometendo a capacidade das fossas anaeróbias em
receber mais carcaças e nova fossa deve ser construída. Outro aspecto relevante diz
respeito ao cheiro. Meios anaeróbios, como os da fossa, geram, além do metano, gás
combustível e outros gases que provocam maus odores. Com o rápido enchimento das
fossas, esses problemas aumentam.

Quanto à incineração, sabe-se que a umidade das carcaças, em torno de 65-70%,


dificulta a queima à baixa temperatura, determinando a necessidade de se utilizar
combustível para obter altas temperaturas e injeção de ar para aumentar a eficiência de
Concórdia, SC queima, o que eleva os custos, tanto em termos da estrutura dos queimadores, quando
Agosto, 2001 em termos operacionais. Os odores da queima também são fatores complicadores,
principalmente quando a granja está próxima a vizinhos.

O enterramento de carcaças, o mais comum dos métodos de disposição, é feito em


Autores valas, nem sempre livres de inundações, que dificultam o seu uso em épocas de chuvas,
nem sempre imunes ao ataque de animais escavadores e roedores que descobrem as

      carcaças expondo-as ao ambiente, onde podem ficar acessíveis a outros necrófagos,
&(' )*,+.-/0* 12,3* 4.*
5 687 9: ;:=<?>@ ABCD-FEHG- C como os urubus. Geralmente as valas não possuem fundo revestido, o que aumenta a
I: J K:L2,BCM/N: OPRQ possibilidade de contaminação das águas subterrâneas com líquidos orgânicos que se
I.52TSVU1WXXYXXX
IZBA[ \9])J :1<?I desprendem das carcaças.
)B9]: O J [,-^[ A;C_:* - 6`7 9: ;:* 7 9a*

  !#"$%  Em algumas regiões produtoras do mundo, inclusive no Brasil, vem se consolidando a
5Ab *Ecb9d*]1 prática de coleta especial por indústrias com interesse comercial nas carcaças para
5[BO /d-[eYRfV-[A *ED6#7*ED;O J [*
ED9:>[g9J :1H2hZ* transformá-las em farinhas, em alguns casos até com resfriamento ou congelamento,
-[BO /i-[^6j;C* [B6*79 para melhor conservação desse subproduto. Mesmo essa prática, aparentemente
terminal, apresenta desvantagens e, até, falta de continuidade, pois além de demandar
altos recursos de investimentos em câmaras frias, compromete a biosseguridade de vez
que um mesmo caminhão de coleta visita diversas granjas no mesmo dia, em um
itinerário racional de coleta, quando não se cancela essa coleta por diversas razões,
entre as quais a própria insustentabilidade econômica.

Nos Estados Unidos, resultados de pesquisa demonstraram perdas entre 40 e 50


quilos/matriz/ano, sendo essas constituídas de placentas, leitões mumificados e animais
mortos em cada uma das fases do ciclo completo. A mortalidade varia segundo a
categoria animal e forma quantidades expressivas de animais e tecidos mortos, cuja
destinação demanda orientações seguras sob o ponto de vista de biosseguridade e
ambiental, assim como de saúde pública.

A tendência mundial de concentração da produção de suínos com aumento das escalas


de produção leva o produtor a ter que considerar a mortalidade como um problema de
proporções relativamente grandes e que deve ser bem resolvido.
2 Emprego da Compostagem para Destinação Final de Suínos Mortos e Restos de Parição

Pode-se atingir a cifra de 25 toneladas/ano de animais È.ÉdÊÉË(̔ÍΠπÍÎÐÎÌzÌÑҕπÓÌ?ÔVÕ ÖMÎV×ÖMÓÌrØVΆÙÒÏÖMÎ Õ Ú ØVÎØVÓxØVÒÌ


mortos em uma granja, com 500 matrizes em ciclo Î V× Ú ÙÎVÚ Ì‰Ó|ÓÌÌ΃ÙÒÏÖMÎ Õ Ú Ø ÎØVӕÛÒVØVӉÒVÍÒÏiπÓVÏFÍÒ×Ö_Ú × ÔÎVÙÓ ×ÖMÓRÉ
completo, hoje considerada de porte médio.
È.ɀȑɝܝÒ×Ì?Ú ØVÓVπÎ݀ÌӏÍÎ ÏNÍÎÐÎÌ|ÖMÎV×ÖMÒrÖMÓÍ Ú ØVÒ̃ÙÒÏÖMÒ?̉ÍÒÙÒ
Outro indicador da magnitude dos problemas com Û Õ ÎÍÓ ×ÖMÎÌ?ÞTÕ Ó Ú ÖMßVÓ̃ٔÔVÙ”Ú àŽÚ ÍÎØVÒ?Ì?ÞL×ÎÖÚ ÙÒÏÖMÒÌ ÞFÍVÔáÒ?ÌrÛÓÌÒ?Ì
resíduos em granjas é que, em cada parto, gera-se em ÌÑÒ•Ú ×Ì?Ú âZ×VÚ àŽÚ ÍÎ ×ÖMÓÌ ÞLÙÎÌ|ãÔӔÌÑÒrâVÓ ÏNÎØVÎ̆ÍÒ×ÖÚ ×VÔÎVÙÓ ×ÖMӏÓ
média 5 kg de tecidos mortos. Ó ÙäâZÏNÎ ×ØVÓÌzåVÒZÕ ÔVÙ±ÓÌ?ÞFÎÖMæzÎ ×VÚ ÙÎVÚ Ì‰ÎØÔ Õ Ö0Ò?̉ãÔÓrÛÒVØVÓ Ù
Í çÓâVÎVÏDΆÛÓÌÎ ÏDÓVÙªÖMÒÏi×҃ØVÓrÈZèèêéâHÉ
Os grandes projetos de suinocultura e as áreas de grande
concentração da produção de suínos, por sua vez, È.ɀë‘ÉË(̔ÍΠπÍÎÐÎ̆ÎV×VÚ ÙÎ Ú ÌƒÚ ×VÚ ÍVÚ Î ÙìÎ|ØVÓÍÒZٔÛÒ?Ì?Ú ÐÑÒÞ
seguramente terão grandes problemas ambientais caso Î Õ âÔVÙÎÌxçÒπÎÌzØVÓVÛÒÚ ÌzØVÎzÒ ÍÒÏiπí ×ÍVÚ ÎƒØVÎrÙÒZÏÖMӆÓ|ÍÒÙÓÐÎ Ù
não consigam equacionar a destinação final dos resíduos Î|ÎÖπÎVÚ ÏDÎ ×VÚ ÙÎVÚ Ì?ÞDÍÒZÙÒxÍÑÓÌ ÞÎåRÓÌzØ ÓrπÎVÛVÚ ×ΠޗÙÒ?ÌÍÎ̉Ó
resultantes das perdas por mortalidade e dos restos de Ù”Ú Í ÏNÒ ÒπâVÎV× Ú Ì?ÙÒ?̏ØVÓÍÒÙÛÒ?Ì?Ú Ö0ÒπÓÌ?ÞTãÔÓzÓîÛß ÓVÙïÎÌ
parição. ÍÎVπÍÎÐÎ̆â ÓVπÎV×ØVÒ£ÙÎVÔÌzÒVØVÒπÓ̉ÍΠπÎÍÖMÓ ÏNð ÌÖÚ ÍÒÌRÉ

ËTÌÌ Ú Ù”ÞcãÔÎ Õ ãÔÓ Ï—ãÔӔÌÓá]ΉÒxÙæÖMÒVØVÒÛÎVπΉÎ|Ø ÓÌÖÚ ×ÎÐÑÒØVÓ


ÍÎVπÍÎÐÎÌ?ÞcÌÓ Ù”ÛVπӏçÎåVÓ Ï€ñ×ÓÍÓÌÌ?Ú ØVÎØVÓxØ Ó”ÌÓrÛVÏ€Ó ÛÎVπΠϗÒ
Algumas considerações prévias Õ ÒVÍÎVÕ Þ.ÖπÎV×Ì ÛÒÏÖMÎVÏ=Î̔ÍÎ ÏNÍÎÐÎÌxÛÎVπΉÒxÕ ÒVÍÎVÕVÓÌÍÒÕ çVÚ ØVҕÓ
kmlnoplrq0st uVv twxnw yNwzw|{V}~qv uwopl{ }ztw y€twow~z~}Vy€ƒ‚w v ~ ÎâπÓâ ÎVÏFÎҏÛVπÒVÍÓÌÌҏÎVÕ âÔ ×ÌƒÚ ×Ì?ÔVÙÒ?Ì?ÞDÍÒÙ±ÒxÓV×ÓVπâÚ ÎVÞcñâÔÎ
w{V}„Z…w{ w†~}zw ‡ ˆZ…V‚w~‰tlu~ v {V} y€woŠV}~x‹Œly€}V‚‹d}Vv qMw~zwVuq0}~z{V} Ó|Ó ÙäÎ Õ âÔV×ÌzÍÎÌÒ̉ÍÒVÎØá€ÔåVÎV×Ö0Ó̃ÍÒZÙÒÙÎVπÎåVÎVÕ çΠޗÍÎÌÍÎ
{V}‹Žv uVv yF„Z…wV‡ lxnVy€lVt}~~lw|w{ l?qMw yd‘~}Vu{Vlx}V‡ w~V’ Ø ÓzÍÓ Ï€ÓÎ Ú Ì ÞcÒÔzÒÔÖ_ÏNÒÌRÉ

1- Caso a Caso
“ …wV‡ „…} yDqM}tVulZ‡ l ˆv wƒ„Z…}”~}†nVy€}q0}Vu{ w•v uq_yNl {…–v y—} ‚˜…V‚w Formulação de uma nova alternativa
ˆy€w u™]wVcw|w{VlVopl{ }z„…w ‡ „…} y(nVy€lVt}~~lF}„…Vv nw ‚}VuqMl=l… ò Ú Î ×ÖMӆØVÒÌ|ÎÌ?ÛÓÍÖMÒÌxÕ Ò âVð ÌÖ_Ú ÍÒ?Ì?ÞFÎ|àŒÒÏiٔÔVÕ ÎÐÑÒØVÓ
‚sqMlV{Vlx{V}”qy€w šw ‡ ›l{ }œV}|~}Vy}~q…{ w{Vltw~lƒw|tw~lHžcŸw{Vw Î Õ ÖMÓVÏi×ÎÖÚ åVÎ̉ÖMæÍV×VÚ ÍÎÌxÛÎVπΉÎ|Ø ÓÌÖÚ ×ÎÐÑÒØVÓ|ÍÎ ÏNÍÎÐÎÌ
ˆy€w u™]w†wVn y€}~}VuqMwVy€xtw yNwtq0}Vy€  ~qv tw~xtl‚l•nlyqM} —›w šVv ‡ v {Vw{V}~ ÍÒ×ØÔó”ôÌÌÓâÔVÚ ×ÖMÓÌxÕ Ú ×VçÎÌzØVӔÌÒÕ ÔÐßVÓÌVõ
{V}†‚wVu}™]lDtwVnwt v {Vw{V}ƒ{V}zw š~ly€opl•{VwqM}tVulZ‡ lVˆZv w
nVy€lnl?~qMwVœv w šVv ‡ v { w{V}†qMstVu v tlV¡N}tlu¢‚”v tw£{Vw†nVy€¤nVyiv w öjÔÎV×Ö0ҏÎҏÏNÓâÚ ÙӆØVÓzÍÒ×Ö_Ú × ÔVÚ ØVÎØ ÓVÞL÷ÎÌ?Ú ÍÎ ÙÓV×Ö0ӃÖ0íVÙÝÌÓ
qM}tVul‡ lVˆv wƒ}|l…qy€w~Vž.¥.lV{Vw~‰{V}qM} yi‚”v uwV‚¦‚wVv lyDl…r‚} uly Ø Ò Ú Ì|âÏiÔVÛÒ?̉ØVӆÛVπÒVÍÓÌÌÒÌRõ
ˆy€w …‰{V}r‚lyq0wV‡ v {Vw{ }uwzˆy€w u™]w•§ ¥‘wVšRžT¨V©a‘l†{V}~}V‚”n} uV›l{Vw
ˆy€w u™]w†}V‚ªqM} yi‚l?~‰{V}†n}Vy€{Vw~ƒnlZy—‚lyqMw ‡ v {Vw{V} =w|tw{ wƒ…V‚w æ|ÎãÔÓ Õ Ó†ãZÔӃÛÓVÏiÙ”Ú ÖMӆÒ
{Vw~|‹Œw~}~z{V}ztVy€}~tVv ‚}VuqMl{Vl~zw uVv ‚wVv ~Vž - Processos em fluxo contínuo:
Õ Ú åÏNÓzàŽÕ ÔîVÒxÓ ×ÖπӉÎ|ÒVÍÒÏiπíV×ÍVÚ ÎƒÓ|ÒÛ ÏNÒ ÍÓÌÌҏØVӔÖ_ÏNÎÖMÎ ÙÓV×Ö0ÒHÉ
ø ÒrÍÎÌÒÞFÛÓ ÏiÙ”Ú Ö0ÓrãÔÓ|ÖMÒ ØVÎÌzÎÌ|ÍÎVπÍÎÐÎ̆Ó|ÒÌÖ0ÓÍ Ú Ø Ò?Ì
ÙÒZÏÖ0Ò?Ì?Þ=Ú ×ØVÓ ÛÓV×ØVÓV×ÖMӏØVҏÙÒZÙÓV×Ö0ҕãÔÓzÒVÍÒÏiπÓVÏ€Ó Ù”Þ
¡—«~q_v ‚wqv œVwƒ{V}z u{v t}~‰{V}†n} yN{ wxnlZy—‚lyqMw ‡ v {Vw{V} ÛÒ?ÌÌÎ ÙäÌÓVÏ—Õ ÓåRÎØVÒ?̉ΆÔVÙïÛRπÒVÍÓÌÌҏØVÓ|ØVÓÌÖÚ ×ÎÐÑÒÓ
Tabela 1 Ó ×ÍÒ×ÖÏ€Ó ÙùÓÌÌӃÛVπÒVÍÓÌÌÒ•Ó ÙäÍÒ×ØZÚ ÐßVÓ̏ÛVÕ ÓV×ÎÌzØVÓrπÓÍÓ ÷íÝ
uw†nVy€lV{…opl{V}”~?… ul?~ Õ Ò?ÌVÉ
Fase
dos Animais Excelente
Desempenho
Bom Precário ÛÓVÏiÙ”Ú ÖMӆ҉Ö_ÏNÎÖMÎ ÙÓV×ÖMÒØVӆÔVÙ
- Processos em batelada:
Maternidade Abaixo de 10% 10-12% Acima de 12% × úVÙÓVπҏÓÌ?ÛÓÍð àŽÚ ÍҕØVÓrÔ ×VÚ ØVÎØ ÓÌ?ÞcÌÓáÎr×ÒrÍÎÌ҃ØVÎÌ
Creche
Crescimento
Abaixo de
Abaixo de
2%
2%
2-4%
2-4%
Acima de
Acima de
4%
4%
ÍÎVπÍÎÐÎÌ?ÞûÚ ×ØÚ åVð ØÔÒ̏ÙÒÏÖMÒÌ ÞcÒÔzãÔVÚ Õ Ò?Ì?ޗÛÒÏFÔV×VÚ ØVÎØ ÓrØVÓ
Ö0ÓVٔÛÒÉFܝÒÙÒÔ ÙäàŒÒZÏd×ÒxÍ ÏNÓ ÙÎÖMüÏiÚ ÒÞ(ÛÒZÏcÓîVÓ Ù”ÛVÕ ÒÞ
³i´ŽµŒ¶ ·_¸M¹DºŒ» ¼a·0½,¾T¿½ ºaÀRÁ ´Ž½ ÂHÃ]ČÅ_ÅÆÇ
Terminação Abaixo de 2% 2-5 % Acima de 5%
ÛÓVÏiÙ”Ú ÖÚ ÏNñrÍÎVÏiπÓâVÎVÏT×Ó Õ ÓrÔVÙ˜× úVÙÓVÏ€ÒØ ÓzÍΠπÍÎÐÎÌ†Ó†Õ ÓåVÎ ÏNñ
Ô ÙýÖMÓ Ù”ÛÒxØVÓÖMÓVÏiÙ”Ú ×ÎØVÒêÛÎVÏ€ÎƒÚ ×Í Ú ×ÓVπñÝŒÕ ÎÌVÉDþ`ÔÖ_ÏN҃ÓîVÓ Ù”ÛVÕ ÒÞ
Ô ÙΉàŒÒ?ÌÌΉÎV÷Ó ÏÖMÎx×҉ÌÒÕ ÒÞFπÓÍÓ ÷ÓVπñÔVÙï×VúVÙÓ Ï€ÒØVÓ
ÍÎVπÍÎÐÎ̆ØZÔVπÎV×Ö0ӏÔVÙªÖMÓ Ù”ÛÒxÓ|ÓVÙªÌÓâÔVÚ ØVÎxçÎåRÓ Ï€ñ
2 - Logística ×ÓÍÓÌÌ?Ú Ø ÎØVÓxØVÓ|àŒÓÍVçÎ ÏFÓÌÌÎzàŒÒ?ÌÌΆÓ|Î ÷VÏiÚ ÏDÒÔÖπÎVÞFÛÒÚ ÌzÎÌ?ÔÎ
¬ … q_yNw‰tlZu~?v { }Vy€wopl£w|‹Œw–}VycwVuq0}~z{V}qMl‚w yF{ }t v ~ŠV}~†s|w ÍÎVÛÎÍ Ú Ø ÎØVӃØVÓrπÓÍÓ ÷ÓVÏT×Ò?åVÎÌzÍΠπÍÎÐÎ̆ÓÌÖMΠπñ
{V}|tl‚”n y€}} u{V} ydLuw”~?…wrnV‡ }Vuw‰}­?qM}Vu~plFtl‚lxl ÍÒٔÛVπÒÙÓÖÚ ØVÎRÉ
nVy€lš ‡ } ‚wrlVtlyiy€}Rž “ …wVv ~”~plrw~”‹ŒluqM}~zˆV} yNw{Vly€w~?—w
‹Žy€}„®¯ ut v wƒ{V}|ˆV}Vy€wopl}†nVyiv utVv nw ‡ ‚}Vuq0}•„…wVv ~”~plrl?~ ËTÌÌ Ú Ù”Þ—ÛÒVØ ÓÝÌӆØVÓØZÔóÚ ÏFãÔÓVÞ.ÌÓ ×ØVÒxΆÙÒÏÖMÎ Õ Ú Ø ÎØVӕÔVÙÎ
nVy€lVt}{Zv ‚} uqMl~£…~w{Vl?~ƒnwVy€wƒy€}~lZ‡ œV} y—lxnVy€lš ‡ } ‚wVqMwVv ~ Ò ÍÒÏiπí ×ÍVÚ ÎƒÍÒ×ÖMð×VÔÎVÞDÒ?̉ÛVπÒVÍÓÌÌÒ?̆ØVÓzØVÓÌÖÚ ×ÎÐÑҕãÔÓ
tl‚lxl†}~‹ŒlZy€ol£› …V‚wVul•}|{ }z}„…Vv nwV‚} uqMl~x„…}”~} Û ÏNÒZÛßVÓ ÙÖπÎÖMÎVÙÓ ×ÖMҕÓVÙÿàŽÕ ÔîVÒxÍÒ×Ö0ð]×VÔÒxÌÑ҆ÌÓâZÔVπÎVÙÓ ×ÖMÓ
} ‚”nVy€}ˆ w•nwVy€wƒ‚lœR} yi‘qy€wVu~?nlZyqMwVy=}|{V}~qv uw y—w~|twVy€twow~? ÙÎ Ú ÌzÎØ ÓãÔÎØVÒÌrØVÒrãÔÓzÒ?̉ÛVπÒVÍÓÌÌÒ?ÌrãÔӃÛVπÒZÛßVÓ Ù
„…wVv ~zl?~”tw ‚”v u ›l?~xn} yNtlyiyiv {Vl?~r}Vuqy€}†w|l tlyiy€¯ utVv wƒ{Vl Ö_ÏNÎÖMÎ ÙÓV×ÖMÒÓ Ù˜÷ÎÖMÓ Õ ÎØVÎRÉ
nVy€lš ‡ } ‚wr}|w~ …w|~l‡ …oplHž.k°v ~~lr{V¡~}†lxul‚±}†{V}
‡ lVˆV  ~qv twRž öjÔÎV×Ö0Ò£ÙÎ Ú ÒZÏFÒxÛÒZÏÖ0 ÎzâπΠ×á]ÎxÙÎVÚ Ì”ÌÓ|ÓåÚ ØVÓ ×ÍVÚ ÎƒÎ
åVÎ ×ÖMÎâVÓV٘ØVÒ̆ÛVπÒVÍÓÌÌÒÌrÓ ÙäàŽÕ ÔîV҃ÍÒ×ÖMð×VÔÒHÉ.ËjÒrÍÒ×Öπñ ÏiÚ ÒÞ
²?wVy€w‰tl‚”nVy€}}Vu{V}VyTw†‡ lVˆV  ~qv twr{ wz{V}~q_v uwopl•{Vw~|twVy€twow~ âZÏNÎ ×á]Î̃ÛÓãÔÓ ×Î̏ÛÒVØVÓ ÙäÌÓrÔÖ_Ú Õ Ú óÎ ÏT÷Ó ÙäØVÓrÛVÏ€Ò ÍÓÌÌÒ?̆ÓVÙ
s†u}t}~~ yiv l} uqM} u{V} y—„…}z}Vuqy€}‰l…qy€w~‰tlv ~w~V’ ÷ÎÖMÓ Õ ÎØVÎ ÞTÙÓÌ?ÙÒ£ÛΠπΉØVÎ ÏcÍÒZ×ÖMΉØVÎzâ ÓVπÎÐÑҏÍÒ×Ö0ð]× ÔÎrØVÎÌ
ÍÎVπÍÎÐÎÌVÉ
3 Emprego da Compostagem para Destinação Final de Suínos Mortos e Restos de Parição

qOrstusv.w xyzt|{}s<~xw st!€w/ rx‚l{}s2ƒxv.w x


- Quanto ao volume das carcaças
 
  
  

 

   v tu„ zvt!z{w z-xt!s{w sx…Crx…'rx†xvz…'zv‡ ˆsv
! "#$&%
 '( 
() '*+
 ,-) - x„ zxw s…  xt!z{w z‚:ztgt!z s<xtavƒvwQ…'xw s-‰x„ ‰z… ‚&ux…'x
./ 
0213 
4  '
5
.

67
 sAƒw Š‹P„ xAŒ2b…'xw x‹Žvz ˆz t^u…'srzv.vsBƒ s„ yA rs‚,‰Az8~
)
 '
89/ '
) " $:!
7 $,
 ';
8
 ;
< xPzw xˆs5us…YDxw sA…'zv`‰z<usˆzt` {3„ z{r x…&xvx
) '.>= xw/ ‘ ˆxˆz-t r…'sƒ sA„ y rxLŒl’v.vzv9Pxw s…'zv8ˆz‘ztfvz…
rs{wQ…sA„ xˆsv zw s… {x‹'vz-{zrzv.v€…  s]ˆx…Yzt!x{w z…,xv
rs{ˆ †“zvˆs-t!z s2ux…'x8‰z9zv.vx8xw/ ‘ ˆxˆz srs… …'xrsAt
- Quanto à velocidade de decomposição das carcaças
?@  
5
 ') 
A) 0B

 '

$, z3 r Š{r xLŒ
) '.29./ 
02!

 ' ) ' 
) ')
 '
0$C67 )
! (  D '
)4 
;E 7!=
F G67
4 6A7 ,) '.HA  '027. 
) '
 
 2 '4
/ I!0JJK '
L= 1. Quanto ao grau de tecnologia
JNMO1P
 4 
<9) '02K '8-) '-
Q 
0B)4 2).
4L
9;A 
.*+
R137
!#
4N)
 '
Pode-se empregar na compostagem de carcaças,

.;A7 '
 C8 '74 
= diferentes formas de entrada de ar que aumentam a
JNMO1P
 4 
< 
7 2

7#
<-) '. eficiência do processo. Tem-se:
67
 (
-7 9 ;A
K7. S  2 '7TU
 4 ! -7. 8) '
 
 = a) Compostagem com entradas naturais de ar.
JCVW.
4
-) D
 02!
 

.*+
  67 Feita através das frestas das paredes de tábuas
.
4
-) ' XA D
L= usadas neste modelo. Ideal para compostagem em
JNMO1P
 4 
<9AK 02 7!(
 '; 0$Y pequenas escalas
K
 Z<7. A$YR.
4>)
 '

K 4 TU
 ,-) -
Q 
0>= b) Compostagem com aeração forçada.
Para grandes escalas de mortalidade e tecidos mortos
Com a questão das carcaças identificadas em números, (restos de parição), com sistema de aeração instalado
em função das categorias dos animais do plantel, com a no piso das células.
identificação de processos em fluxo contínuo, como os
mais adequados para dar destinação à constante geração 2. Quanto à estrutura física
e considerando as características mais adequadas dos
processos disponíveis, pode-se começar a projetar um Para proporcionar condições para que a atividade
processo para a destinação final das carcaças. microbiológica realize a compostagem é necessário
construir uma pequena estrutura (ver planta, Anexo II),
uma obra simples de engenharia, chamada de célula de
Compostagem: uma solução para compostagem, com a qual se garante:
destinação de carcaças
- que a pilha feita com as carcaças e a maravalha
[ ) '5)
 '
8
./ 
0]! "
4 
<

\ possa ser formada com facilidade;


7 74 /7 '
(67 !
  ^ K -
 
02^)
S  - que a pilha fique protegida da chuva;
; '
() '7 A  R 
9).
;9=
- que a umidade seja mantida só com a água colocada
no manejo;
M_A).
;` a !./ '
B7^) '26A7
)   
 ') 
;A7 '
 ) 02

 '

L=, - que a pilha fique protegida da ação de animais
7T 2 '
! (
7
(! &)4 7 0-
 @ carnívoros, roedores, escavadores e insetos;
0<
7
<)4 7 0-
;7
$C)   (!
.*+5)
 '
8 
 - que o ar possa circular com alguma facilidade pelo

1PA D
02 '$b./ 'X L
; <)
 ;c $ meio da pilha;
1PA D !]) 7 -1 
4 ). 2A ';d 26A7 - que seja possível: retirar da pilha as partes que
) C7/ 4 TU
584 >=Ye "
 $& ' 4
(7/    contêm carcaças já compostadas; deixar aquelas em

) '
<7. 9)/ / <f67
4 67 CA7/ ' compostagem e poder abrir espaços, continuamente,
 #!
9./ 
029
 '

$b67 K767( '74 
 para recarregá-la, estabelecendo, assim, um fluxo
13  c
A= contínuo entre a ocorrência da mortalidade e o seu
destino final. Isto não ocorreria em processos de
?@)#
;ER7g) '.B)4 <67
4  'A ';
 ! tratamento em bateladas que demandariam mais


Q7 'Th
;A 

`

 R
 ';d 
L= espaços para que cada batelada, ou lote a ser
submetido à compostação, chegasse à decomposição
i 7^) '.-
 'XK -/ '4
$,4  j) C7!
desejada.
4 k
- .
89A ';
 !$l)  )
4 ! BK
 R
$
!
#
KRH) ' Th D $C137;8
/   L= Esta estrutura deve ser provida de piso
[m fA7
1P
9 Q 
n@
) ! '
$b67

impermeabilizado para evitar infiltração e telhado para

 ^
8 '
<K 67SW 
<Z 
05!
 
impedir que a água da chuva interfira no processo de
 
o) ' 
 ! 2  !1PSW4 
<
;A7
$,A7
1P
8! ,

/7 
0$,67
- '() '.2 fermentação. A adição de água da chuva pode elevar
%7 1 
0p= excessivamente a umidade e resultar em uma
condição anaeróbia, criando problema de maus odores.
4 Emprego da Compostagem para Destinação Final de Suínos Mortos e Restos de Parição

3. Quanto às reações que ocorrem na compostagem agregam novas carcaças. A pilha fica sem movimento
por 120 dias até que os ossos menores e mais
A compostagem de carcaças é feita em um meio onde flexíveis sejam decompostos e a temperatura comece
ocorrem sucessivamente atividades aeróbias (com ar) a cair.
e anaeróbias (sem ar).
As carcaças novas são colocadas na parte superior da
As carcaças de animais contêm grande quantidade de pilha e o seu peso comprimirá as camadas inferiores,
água e de nitrogênio. A relação Carbono/Nitrogênio onde se encontrarão as carcaças em compostagem e
(C/N), que também regula o processo de as já compostadas.
compostagem, no caso das carcaças de suínos é de
5:1, considerada muito baixa. As camadas já compostadas ficarão no fundo das
pilhas e serão retiradas de tempos em tempos, que
Isto indica a necessidade de se agregar ao redor das corresponderão aos 120 dias projetados para a
carcaças um meio rico em carbono para obter um compostagem se realizar.
melhor balanço da relação C/N.
Nestas condições, termina o primeiro estágio da
Esse meio pode ser qualquer resíduo agrícola moído, compostagem, que é o estágio termofílico, ou também
como palha e sabugo de milho, casca de arroz, chamado de oxidação.
palhadas, cama de aviário, etc, sendo o melhor deles a
maravalha, por sua relação C/N de 140:1, por sua Em seguida vem o segundo estágio da compostagem,
porosidade e pela possibilidade de acomodar-se bem o estágio da maturação onde ao invés de bactérias
ao redor das carcaças. O uso de cama de aviário traz a predominam fungos e actinomicetos e que acontece
vantagem da ação de ácaros, cascudinhos e outros em temperatura ambiente, ou mesofílica.
organismos que aceleram a decomposição das
carcaças. Camas de até 3 lotes de aves são melhores Esse estágio terá duração de 90 dias e deve ser
por manterem a relação C/N adequada. realizado fora das células de compostagem,
diretamente no campo onde vai ser aplicado como
Na compostagem, as carcaças e tecidos mortos vão condicionador de solos e adubo orgânico, pois não há
sendo depositados em um compartimento que contém necessidade de mantê-los nas instalações da célula de
inicialmente uma camada de 30 centímetros de compostagem ocupando seus espaços, o que
maravalha. Cobre-se também com maravalha cada demandaria um número de células desnecessário.
carcaça ou tecidos (placentas) que vão sendo
dispostos. Assim, vai se formando uma espécie de Neste estágio toda a massa muscular já terá
"sambaqui", com a maravalha disposta em camadas e desaparecido, restando os ossos. A maior parte da
as carcaças dispostas sobre as camadas de maravalha maravalha usada como meio também não será
e cobertas por elas. identificável. Não será possível distinguir mais as
carcaças e os materiais.
As reações anaeróbias ocorrerão dentro das carcaças e
as aeróbias fora delas, próximas ao meio carbonáceo. A temperatura desta massa será igual à temperatura
ambiente indicando que os sólidos voláteis
Enquanto as carcaças se decompõem na zona biodegradáveis da massa já foram parcialmente
anaeróbia, fluídos e gases vão sendo liberados e esses, digeridos pelas bactérias, não ocorrendo mais cheiro.
ao passarem para a zona aeróbia, são decompostos Isto, no entanto, não quer dizer que a compostagem
pela ação dos microorganismos em gás carbônico e tenha acabado. Haverá sempre a necessidade de se
água (CO ” e H ” O). retirar a massa das células de compostagem e levá-las
• para locais determinados para iniciar a fase de
As temperaturas se elevam a 55-60 C e é produzido maturação.
calor, com o qual as carcaças são literalmente cozidas
enquanto se decompõem. As bactérias, tanto aeróbias Na fase de maturação as pilhas permanecem também
quanto anaeróbias, nesta fase, são resistentes ao calor sem movimento, sendo que o processo ocorre mais
(termofílicas). O calor também age matando a maioria facilmente que na primeira fase, de oxidação, pois as
das bactérias patogênicas que se encontram nas exigências dos microrganismos que trabalham nesta
carcaças, efeito esse complementado com o tempo de fase são menores.
manutenção dessas temperaturas elevadas.

Na compostagem de carcaças não se pode movimentar


a pilha que está sendo processada, pois isto exporia as Requisitos para a compostagem de
carcaças parcialmente compostadas, gerando carcaças
desequilíbrio ambiental, maus odores e atração de
animais. A única modificação feita é quando se Para funcionar a compostagem de carcaças necessita
de:
5 Emprego da Compostagem para Destinação Final de Suínos Mortos e Restos de Parição

1) relação Carbono/Nitrogênio apropriada; Tabela 3 - Umidade dos componentes da


2) garantia da passagem de ar nas zonas aeróbias compostagem de resíduos de suínos
(maravalha); – (média ou intervalos)
3) manutenção das temperaturas em torno de 60 C; e Substância Umidade (% )
4) umidade média do meio sem zonas secas e sem Carcaças de suínos 65
enxarcamentos.
Maravalha 20 a 50
Composto final 40 a 50
1) Relação C/N: A relação C/N por quilo ideal é em
torno de 30:1. Se a relação for muito alta a Umidade aceitável 45 a 60
compostagem ocorrerá muito devagar. Se for muito Umidade ideal 55
baixa, o início da compostagem será retardado, faltará Fonte: Walker & Crawford (1997)
C como fonte de energia para ocorrer a compostagem.
Além disso poderá ocorrer anaerobiose e liberação de A umidade ideal para a compostagem fica em torno de
odores. 55%. Se a umidade for baixa resultará em uma
compostagem incompleta, com a temperatura da pilha
Na adoção da técnica de compostagem como destino tendo dificuldades para se elevar. Umidade muito alta
final de resíduos de qualquer criação ou cultura é útil levará o meio a tender para a anaerobiose por
se conhecer a relação C/N para orientar a formação dificuldades de movimentação do ar.
das leiras ou na montagem das células (Tab. 2).
4) Ar: Como a compostagem é uma atividade aeróbia,
Tabela 2 - Relação C/N dos componentes da depende do movimento livre do ar pelos poros da
compostagem de resíduos da suinocultura. fonte carbonácea. A granulometria, ou seja, o
Substância Relação C/N tamanho das partículas do meio, tem impacto
determinante sobre a compostagem. Em meios
Carcaças de suínos 5:1
carbonáceos com partículas pequenas demais, as
Maravalha 140:1
trocas de ar entre o ambiente e a massa tendem a
Composto final 30 a 50:1 encontrar dificuldades. Sendo as partículas grandes
Fonte: Walker & Crawford (1997) demais, haverá escape de gases o que faz a
temperatura da pilha decrescer.
A cobertura das carcaças de suínos com maravalha,
no interior das células de compostagem, garantirá a A maravalha tem se mostrado um meio ideal para
relação C/N apropriada e adequada entrada de ar para permitir a passagem livre do ar e a livre troca de gases
que ocorra compostagem. O — , CO — e vapor de água, entre o meio e o exterior da
pilha.
2) Temperatura: O calor é produto dos processos de
decomposição e sua presença é o melhor indicador da Se o ar não atingir as zonas aeróbias por qualquer
ocorrência de uma boa compostagem. A temperatura– impedimento, ou deficiência, haverá esfriamento da
ideal da compostagem ocorre em torno de 60 C. Se a pilha e começarão a se manifestar os odores
temperatura exceder esse limite as bactérias característicos da anaerobiose.
termofílicas não resistirão ao calor, começarão a se
destruir e a diminuir sua atividade e a pilha tende a Assim, se a construção da célula de compostagem
esfriar. Neste caso a compostagem deverá começar de estiver correta é possível a compostagem ocorrer de
novo com a adição de material carbonáceo. maneira natural, sem necessidade de se adicionar ar,
porém, caso haja necessidade de acelerar o processo é
Para eliminar os agentes patogênicos
– comuns a pilha possível fazer a compostagem com aeração forçada,
precisa permanecer em 60 C, por pelo menos três dias que consiste em injetar ar na base da pilha para
consecutivos. Nesta temperatura insetos e sementes atender com maior freqüência a necessidade de ar.
são também destruídos, sendo que aqueles que
ficarem nas margens externas da pilha podem
sobreviver. Dimensionamento da célula de
3) Umidade: Os componentes de uma compostagem compostagem
apresentam teores de umidade distintos, relacionados
com a origem, constituição química e, no caso das O dimensionamento de células de compostagem é
carcaças está relacionado com a idade do animal, por feito em função das informações específicas da granja
isso utiliza-se valores de média de umidade ou quanto aos seus índices de mortalidades e geração de
intervalo de valores (Tab. 3). tecidos mortos (placentas). Com esses índices e com a
média dos pesos dos animais em cada uma das fases
da produção se tem o volume de carcaças a destinar
(Ver exemplo Anexo I).
6 Emprego da Compostagem para Destinação Final de Suínos Mortos e Restos de Parição

Memória de cálculo para 2.3. Cálculo da quantidade de maravalha necessária

dimensionamento das células de Demanda anual de maravalha em kg =


X 1,5 = kg/ ano
compostagem Perdas por kg
morte/ano maravalha /
(kg) kg carcaça
1. Produção de carcaças
Demanda anual de maravalha em m3 =
1.1. Cálculo do número de animais nascidos por ano: kg / 200 = m3/ano
densidade
Nº de x Nº de partos/ x Nº total de leitões = Nº total leitões
Matrizes porca/ano nascidos/parto nascidos/ano
média da
maravalha
x x = 200 kg/m³

1.2. Cálculo de perdas por morte por ano (em quilos)

Número de % de perdas Peso médio Peso total


animais das perdas das perdas
Nº total de leitões nascidos por ano

Natimortos 1 Parâmetros iniciais


Nº total de leitões nascidos vivos por
ano
1.a - Tempo de compostagem:
Perdas de leitões por morte na
maternidade O tempo de compostagem para suínos mortos
Nº total de desmamados por ano considerado é de 120 dias para a fase de oxidação.
Perdas por morte na creche
Esse tempo varia com a relação C:N, umidade, clima,
tipo de operação, manejo e depende do tipo de
Nº leitões saídos da creche
material a ser compostado e do material aerador.
Perdas por morte na fase de
crescimento e terminação
Nº total de terminados por ano
Observação importante: A fase de oxidação é a
primeira das fases da compostagem e será realizada
Perda de animais adultos: Porcas,
Cachaços, e Suínos de Reposição dentro das células de compostagem. A segunda fase,
Nº total partos por ano X 4 Kg de de maturação, poderá ser realizada a campo, em
placenta por parto
lugares determinados, como na distribuição de calcário
Peso total das perdas por ano (em
quilos) nas lavouras. Pode-se optar pela utilização de uma
Total de perdas por ano/365 = Perdas célula específica para a maturação tendo esta a
médias /dia
metade do tamanho da célula de compostagem da
2. Dimensionamento das células de compostagem (C ) primeira fase. Por essa razão, neste dimensionamento,
é considerada somente a construção das células de
2.1. Cálculo das células compostagem para a primeira fase.
2.1.1. Volume da célula
1.b - Carga da célula de compostagem:
VC = Quilos X = A célula de compostagem receberá uma carga
perdidos/dia 1,25 m3 composta de carcaças e outros tecidos mortos, mais a
(densidade das carga correspondente de maravalha.
carcaças kg/m3)
(média 1,25kg/m3) Para realizar a compostagem das carcaças deverá ser
2.1.2. Área da composteira construído um número mínimo de duas células. A
construção de duas células de compostagem e mais
SC = / 1,5 m = m2
VC (altura uma para a estocagem de maravalha e depósito de
escolhida) ferramentas simplifica o trabalho.
2.2. Cálculo do número de células (mínimo 2)

Dimensões escolhidas: Largura comprimento Área escolhida Passos para a compostagem de


(As dimensões das células 2, 3 ou 4 2, 3 ou 4
são escolhidas pelo (m) (m) carcaças
produtor) m2

1. Colocar uma camada de 30 cm de maravalha nova.


2.2.1. Número de células
2. Sobre ela colocar os resíduos, mantendo uma
N células = + 1 distância de 30 cm das paredes e da porta da câmara
(S C/ Área C sec + Estocagem de
escolhida) Maravalha
e, no mínimo, 10 cm uma da outra, para manter a
adequada circulação de ar.
2.2.2. Área requerida para as células

S req = m2 Células + corredor p/manejo de 2m


7 Emprego da Compostagem para Destinação Final de Suínos Mortos e Restos de Parição

Para as carcaças de leitões é necessário abrir a


barrigada e perfurar as vísceras (Fig 1); os animais
com mais de 30 quilos devem ser esquartejados e as
massas musculares maiores devem ser cortadas em
fatias grossas. As placentas e natimortos devem ser
colocados lado a lado, sem amontoar.

3. Cobrir com maravalha ou cama de aviário, ou


qualquer outro resíduo agrícola, em camada suficiente
para ainda se visualizar as carcaças (Fig. 2).

4. Acrescentar água em quantidade correspondente à


metade do peso de resíduos (animal de 30 quilos
colocar 15 litros de água) (Fig. 3).

5. Cobrir com mais uma camada de 15 a 30 cm de


maravalha ou cama de aviário seca (evita mau cheiro e ˜.™ š›pœ›L.žŽŸU ¡hž'Ÿ£¢£¤¦¥§ ¨¢!©ª¢ž"« ¢! ¡hž'¡­¬h¢® ¢¬h¡hž¯¨¡°¬U±h® ¥® ¡­²Ÿ
¬U¢©° ¢¤/« ¡h³ŸU©­´>¡µhž'¶ ¨²¢!¡·¦µh¡UžŽž'¶ ³¡U²¡·ªŸ° ŸUž+¸D¥ž'¡h¨²¢¹¡U¤:º§ ¤»¬hŸhž'¡U¤
moscas e mantém a temperatura) (Fig. 4). ¼W¤¦Ÿ½©°¡h¶ ¢ž¯²Ÿ½¾¿À¦³´ŸU¤¦Á¥¡hž"« Ÿ/ ¡U¨²¢΢Ä Å

6. Continuar colocando os resíduos, na mesma


seqüência até atingir 1,5 m de altura.

7. Cobrir com uma camada final de 15 a 30 cm de


maravalha nova.

8. Deixar fermentar por 120 dias (após o fechamento


final).

9. Monitorar semanalmente a temperatura usando


termômetro com escala até 100ºC, introduzido na
pilha a 30cm de profundidade (em orifício aberto com
barra de ferro). Pode-se, também, usar só a barra de
ferro, de 30 a 50 cm, mantida inserida
constantemente na pilha. O toque da palma da mão na
barra de ferro, imediatamente após a retirada, pode dar
noção da temperatura da massa. Quando acima de
50ºC torna-se desconfortável ao toque.

10. Depois de 120 dias, retirar o material para parte


lateral da câmara, cobrir com lona plástica e reutilizar
na montagem da nova câmara ou transportar o local
de utilização, onde ficará amontoada por mais 90 dias
e posteriormente será utilizada como adubo. Se
sobrarem ossos, estes devem ser colocados
novamente na câmara para continuar a decomposição.
O composto não deve ser utilizado em cultivo de
produtos consumidos in natura, como as hortas, pode
ser usado em lavoura de grãos ou, de preferência, em
reflorestamento.
Cada câmara da unidade de compostagem de 2 x 2 x
2m pode receber cerca de 500 kg de resíduos para Æ.Ç ÈÉLÊÉËpÌÍhÎ'Ï­ÐhÑÒÓÑÒªÏÕÔ ÖhÎ'× ÏhØÏhÖhÎ'ÏUÙÑÎYÚWÐhÏhÒ°Ï­ÙֽϻÛ× ÜUÎŽ× ÑÝLÖ»ÔDÐÞ ß
fermentar. ÖUÒÓÐhÏUÒªÏUÙÏ£à¦Ì.á × Ðh× Öhâ.Ô Ö£ãÏhÎ'ϽÏU× âÙÏ°Û× à¦ÌÏhØ × ä/ÏhÎNÏ°ÐUÏhÎ'ÐhÏhåUÏÞ

As carcaças de animais que foram medicados com


antibióticos, há menos de 30 dias ante-morte, ao
serem colocadas no processo de compostagem,
podem apresentar a permanência de resíduos do
produto na musculatura, o que faz com que, mesmo
após os 120 dias recomendados, apresentem parte
dessa musculatura em estado pastoso.
8 Emprego da Compostagem para Destinação Final de Suínos Mortos e Restos de Parição

P Nesse caso, esses resíduos devem ser trabalhados


como uma carcaça nova, sendo recolocados na nova
câmara montada para novo processo de fermentação,
com agregação de água. No manuseio desse material
percebe-se uma alta concentração de gases de
amônia, por isso devem ser rapidamente colocados
sob camada de cama de aviário, molhados e cobertos
com nova camada de maravalha ou cama seca.

Testes realizados mostraram a destruição de


Salmonella spp., além da bactéria Erysipela
rhusiopathiae e do vírus da doença de Aujeszky. Dai
Prá et al. (1999) observaram que o material resultante
da compostagem de suínos mortos não apresentava
contaminação por Staphylococcus aureus e
Escherichia coli, além de espécies de Salmonella.

æ.ç èéêpéëYìhí'îhï»ìhîUðUñ îòhóôõ­îhöÓ÷ôõhð.ñ ø ùõhùîìhúí'í'îhï»ûúðùîhðUñDî!ü


ö°î»ñ õUùî­ùú£ûîhï»úùúï»ôý ðú!ö°úí"ñ úþ
Como resolver os problemas mais
comuns

A compostagem é um processo biológico, portanto


podem ocorrer problemas na sua condução. Os mais
comuns são identificados a seguir:

Guia para identificação de problemas na


compostagem de carcaças.
1. Problemas com temperatura
Sintomas Causa Provável Sugestões
- Dificuldade de - Pilha muito seca - Abra a pilha e adicione mais água na
atingir a camada das carcaças
temperatura
ideal - Pilha muito úmida - Abra a pilha, remova as zonas
empapadas de líquidos substituindo por
maravalha seca

- Relação C/N - Avalie se a quantidade de maravalha


imprópria está correta e adicione mais onde faltar.

- Abra a pilha e misture maravalha mais


- Maravalha usada é fina
muito grossa
- Dificuldade de - Secagem prematura - Abra a pilha e adicione água
manter a das camadas
temperatura
ideal - Condições ambientais
adversas - Evite dispor carcaças congeladas,
assegure cobertura adequada com
maravalha.
- Muita umidade
- Adicione e misture maravalha seca para
absorver a umidade.
- Dificuldade de - Relação C/N - Uso de maravalha já compostada, ou
Compostar imprópria pouca quantidade de maravalha em
relação aos tamanhos das carcaças.
Misture nova maravalha nas proporções
recomendadas.

- Carcaças dispostas - Fazer uma linha única de carcaças, não


muito próximas, ou amontoar placentas
amontoadas

ÿ  
 
 !"#$ - Carcaças próximas
às paredes
- Manter as carcaças afastadas pelo
menos 0,30m das paredes e comportas.
&%'  () * +-, Recolocar as que não estiverem nesta
distância.
9 Emprego da Compostagem para Destinação Final de Suínos Mortos e Restos de Parição

2. Problemas com odores


Sintomas Causa Provável Sugestões Referências bibliográficas
- Maus odores - Pilha muito úmida - Abra a pilha, remova as
Indicam que falta ar na zonas empapadas de líquidos
compostagem (está substituindo por maravalha DONALD, J.; BLAKE, J. P.; HARKINS, D.; TUCKER, K.
ocorrendo anaeróbiose) seca
Questions and answer about using mini-
- Dificuldades no fluxo de ar - Afofar as camadas da composters. Alabama: Alabama Cooperative
pilha, afastar as carcaças
das paredes e fazer uma só Extension Service, [ 19--]. 2p. (Circular ANR-850).
linha de carcaças, não
empilhar.
DAI PRÁ, M. A.; MIOLA, V. ZAGO, V., MISTURA, C.
-Excessiva compactação - Abrir a pilha e
descompactar as zonas Compostagem de placentas e carcaças de suínos.
endurecidas. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE VETERINÁRIOS
Cheiro de podre - Cobertura inadequada das - Cubra as carcaças com
ESPECIALISTAS EM SUÍNOS, 9, 1999, Belo
-
carcaças 30cm de maravalha sempre
que as carcaças sejam
dispostas na pilha.
Horizonte, MG. Anais. Concórdia: Embrapa Suínos
e Aves, 1999. p. 287-288.
- Longos períodos de baixa Não deixe a cobertura para
temperatura. depois.
MACSAFLEY, L. M.; DuPOLDT, C.; GETER, F.
Cheiro de amônia - Relação C/N imprópria e - Adicione Nitrogênio ao
Agricultural waste management system component
-
muito baixa sistema. Adicione 0,5 kg de
Nitrato de Amônia, ou Uréia, design. In: KRIDER, J. N.; RICKMAN, J. D.
para cada 50 kg de carcaças
dispostas. Agricultural waste management field handbook.
Distribua o Nitrogênio na
[s.l. ] U. S. Department of Agriculture, Soil
camada de maravalha a ser Conservation Service., 1992, Cap. 10, p. 1-85.
utilizada para cobertura..

3. Problemas com moscas RYNK, R., ed. On-farm composting handbook. Ithaca:
Sintomas Causa Provável Sugestões
3.1. Surtos de moscas - Cobertura inadequada das - Mantenha camada de
Northeast. Regional Agricultural Engineering
sobre a pilha ou nas carcaças maravalha de 30cm para Service, 1992. 186 p. (Cooperative Extension.
áreas próximas cobertura.
NRAES, 54).
- Baixas condições de higiene do - Mantenha a área limpa,
local livre de dejetos, pedaços de
carcaças e entulhos diversos. WALKER R., CRAWFORD B. Composting swine
Limpe sempre o local mortality . In: MINNESOTA PORK CONFERENCE,
- Siga os passos 1997, Minnesota. Proceedings. Minnesota.:
- Dificuldade de atingir a mencionados no tópico
temperatura. Problemas com
University of Minnesota, 1997.
Temperatura.

- Abra a pilha e adicione


- Muita geração de chorume maravalha seca, misturando-
a com a umedecida. Anexo I
Exemplo de cálculo de uma composteira
4. Problemas com animais escavadores 1.1. Cálculo do número de animais nascidos por ano:
Sintomas Causa Provável Sugestões
4.1. Exposição das - Cobertura inadequada das - Mantenha camada de Nº de x Nº de partos/ x Nº total de leitões = Nº total leitões
carcaças em processo de carcaças maravalha de 30cm para Matrizes porca/ano nascidos/parto nascidos/ano
compostagem e pilhas cobertura.
revolvidas. 120 x 2,41 x 9,78 = 2828
- Na colocação das carcaças
não deixe criar fendas nas
1.2. Calculo de perdas por morte por ano (em quilos)
camadas de maravalha.

- Não coloque carcaças a Número de % de perdas Peso médio Peso total


menos de 30cm das paredes animais das perdas das perdas
e comportas. Nº total de leitões nascidos por ano 2828
- Verifique sempre se as Natimortos
- Aberturas inadequadas nas comportas de tábuas de 136 4,80 1,50 204
comportas de carga e descarga madeira estão vedando Nº total de leitões nascidos vivos por
corretamente sem 2692
ano
comprometer o fluxo de ar.
Perdas de leitões por morte na
./0
177 6,56 2 854
maternidade

Nº total de desmamados por ano 2515


Perdas por morte na creche 58 2,31 9 522
Qualquer problema que não tenha sido possível
Nº leitões saídos da creche 2457
resolver seguindo as sugestões propostas acima, ou
que não tenham sido identificadas, ligue para : Perdas por morte na fase de 38 1,56 40 1520
crescimento e terminação

Nº total de terminados por ano 2419


Embrapa Suínos e Aves
Perda de animais adultos: Porcas, 16 200 3200
ECOLTEC - Tecnologias Ambientais Aplicadas Cachaços, e Suínos de Reposição
Nº total partos por ano X 4 Kg de 1157
placenta por parto
Peso total das perdas por ano (em 6957
quilos)
Total de perdas por ano/365 = Perdas 19,06
médias /dia
10 Emprego da Compostagem para Destinação Final de Suínos Mortos e Restos de Parição

P2. Dimensionamento das células de compostagem Anexo II


2.1. Cálculo das células (c)
Projeto de composteira
2.1.1. Volume da célula (V c)

Vc = 19,06 Quilogramas X 1,25 = 23,82m3


perdidos/dia
(densidade das
carcaças kg/m³)
(média 1,25kg/m3)
2.1.2. Área da composteira (SC)

SC = 23,82 / 1,5 m = 35,7m2


Vc (altura
escolhida)

2.2. Cálculo do número de células (mínimo 2)

Dimensões escolhidas: Largura X Comprimento =Área escolhida


(As dimensões das células 2, 3 ou 4 2, 3 ou 4
são escolhidas pelo (m) (m)
produtor) 2 2 4 m2

2.2.1. Número de células

N células = 23,82/4 + 1
(SC / Área C sec + Estocagem de
escolhida) Maravalha

2.2.2. Área requerida para células (S req)

S req = 5,95 m2 Células + corredor p/manejo de 2m


Vista em perspectiva da composteira

2.3. Cálculo da quantidade de maravalha necessária

Maravalha (kg) =
6957 X 1,5 = 10435 kg/ ano
Perdas por kg
morte/ano maravalha /
(kg) kg carcaça

Demanda anual de maravalha (m3) =


10435 kg / 200 = 54,35 m3/ano
densidade
média da
maravalha
200 kg/m³

žHŸ6 4¡W¢4£ ¤>¥  4¦œ§+ 4¦<¨*¤p >§© ª6«H¬—¢6¬+§+ 4¡­¦ 4¥)¤H§®4¯+© ¥B© §+¬¦ˆ°+¤+± f&g h4iHj k4h+lHmhn t&u>v6w xbyx6z{H|~} x€x4v6`uW‚+uT&ƒ w „…{Hƒ |†u
Circular Comitê de
Î+ÏpÐ+Ñ Ò4Ó6ÒSÔÕ6Ö ×>ØÙÚWÛ-Ü4Ú4Ù o h+qpr+g si6n t&u>v6w xˆ‡Š‰} ‹6‰+ƒ xbyuHz{H‰+Œ>HŽ+w u‚+{W‘&|*v6’“”uH|Zw x6Œ
p
Técnica, 26 Publicações
Î+×>Ý+Ú4Ñ Ú>Þ>Øß ²&¥´³+µ+¶·¸¡¹³³Hº·¼»½© £ ¤ˆ¾¼¤>¡p¤6°>§¯+¿ •4vH–H‰+ƒ x—x}Bx˜+ƒ ‚+uHw “™uH‰+ƒ 6{Wy{Hƒ Œ—”ƒ u>6Hƒ&šuH‰{Hw w u“ ™{6uH‰
   
      À)¤>© Ÿ+¤WÁ+¬&¦<¨¤>£&Â-³`·ÃļŠÆ&ººÇBººº·)À¬°+ÈHÉ¥ §© ¤6· ÊÀ ”u`|Bw x>ŒSt&x>|~} x›˜+ƒ w uHŒW‘‹4u`ŒSx+v6Hu“œ”w u6v4‚6ƒ xb‘{Hw w u„<{H|*

     
à`Ø×6Úß ËėË˼Âõµµ
à`Ò6áß Ë¼Ä?ËËÂõµ&Ä Revisores #! "%$& ')(+*,-"/.10'324 5 67*4 "-08:9;& 4<8/4 *"=?>1@ 5%8/*
')AB$& 4 "/.1'
Î+â ϜÒ4ã ä ß ¦H¤>È>ÌÈ>°+¢4¦H¤+Å  +¡pÍ+¥B¤>¢+¤+Å Í4¥ Técnicos : C '.D6 4 5%8/& & 4 =+E *8/.18GFD"/.1" 6"-!#"%5/H18%5%'I>DJ/,-"/*
"%K

å4æ)ç6è&é ê>ë6ì Expediente 12436547 8+9 :<;>=?5>@9 A*=7B9 C4D E M>NHO+P QSRTQHUBP QWVP QX<Q+YZY P [\H] QHOYB^
í>î-ï ðpñ+ò ó4ô…ôHõHö÷ øùù½í>ú†ûü*ï òBý`þ+ó4ðTûÿùù F>@9 A=&7 C>G>;>=?5+D 5HAI7 J&K+9 L>CE _Q`O&a6U*QT_Q`] \4YB\b_cHd+P UZeSQHO+O^

Você também pode gostar