Você está na página 1de 12

Eletricidade Aplicada.

Conceitos básicos de corrente


elétrica, tensão elétrica, resistência
elétrica, potência e energia elétrica.

Aluno: José Dos Santos Oliveira


Matrícula: 201509619356
Turma - 3001
Atividade 1

Entrega para 2 de abril de 2020

Atividade de estudo 1 – Conceitos básicos de corrente elétrica, tensão elétrica, resistência elétrica,
potência e energia elétrica.

 o que é a corrente elétrica


proposição básica de um circuito elétrico é a de mover ou transferir cargas elétricas
através de um determinado percurso fechado. Considere a figura a abaixo:

Figura - Cargas em movimento através de um condutor metálico.

A corrente elétrica é definida como a quantidade de cargas que atravessam


a SRI em um dado intervalo de tempo.

Em sentido amplo, corrente elétrica é qualquer deslocamento de cargas elétricas.


Em virtude da existência de duas espécies de cargas elétricas, foi necessário
convencionar um sentido para a corrente elétrica. A convenção, estabelecida
antes de se ter conhecimento da estrutura atômica da matéria, é a seguinte:
“O sentido convencional de uma corrente elétrica é o do deslocamento das cargas
positivas”. Esta convenção foi estabelecida por Benjamin Franklin (1706-
1790), o qual imaginou que a corrente elétrica fluía do positivo para o negativo
(compare com a convenção estabelecida para o sentido das linhas de fluxo
um campo elétrico, que leva em conta o deslocamento de uma carga
positiva). Você deve estar achando que se deveria mudar o sentido convencional
da corrente elétrica para que coincidisse com o deslocamento das cargas
negativas. Afinal, através dos condutores metálicos, só os elétrons se deslocam
quando se desprendem das órbitas dos átomos do metal. Você não deve esquecer,
porém, que, no caso dos gases e das soluções eletrolíticas, há um deslocamento
simultâneo de íons positivos (cátions) e íons negativos (ânions), em
sentidos opostos, estabelecendo-se, para efeito de análise, um único sentido
de deslocamento, que some as contribuições das cargas positivas e negativas.
Como se vê, não haveria grande vantagem em mudar o sentido convencional
da corrente elétrica, pois estaríamos atendendo especificamente ao caso do
deslocamento dos elétrons, esquecendo-nos do que ocorre nas soluções líquidas
e gasosas.
Deve ficar bem claro que, a menos que seja especificado de outro modo, ao
falarmos em sentido de uma corrente elétrica, estaremos nos referindo ao sentido
convencional.
É importante observar que, quando o intervalo de tempo durante o qual se
processa o deslocamento de cargas elétricas é muito curto (da ordem de uma
fração de segundo), prefere-se usar a expressão descarga elétrica em lugar de
corrente elétrica.

 o que é a tensão elétrica.

são também conhecidas como diferença de potencial (ddp), pois é através de uma
diferença de potencial entre dois pontos que é gerado energia elétrica.

Uma ddp é basicamente a força necessária para o movimento das cargas para gerar
uma corrente elétrica.

A tensão pode representar uma força eletromotriz ou uma perda de energia, que seria
a queda de tensão.

Uma tensão pode ser contínua, a qual não muda de polaridade em relação ao tempo, e
alternada, que muda de polaridade em relação ao tempo.

Um exemplo de tensão é a bateria pequena, a qual ela tem sempre a mesma


polaridade e transmite uma tensão de 9V.

Já para tensão alternada, no caso de tomadas, a tensão irá variar em 60 Hz, ou seja, a
polaridade desta tensão alterna 60 vezes por segundo.

 explicar o que é o campo elétrico e a diferença de potencial elétric
o

o que é um campo elétrico?

Uma carga elétrica puntiforme cria, em torno de si, um campo elétrico. As forças
entre duas cargas elétricas não são exercidas pelas cargas em si, mas pelos
campos que elas criam. Um campo elétrico pode ser criado tanto por uma única
carga quanto por um conjunto de cargas. De modo geral, “diz haver um campo
elétrico em um ponto do espaço sempre que uma carga elétrica, colocada
neste ponto, fique solicitada por uma força de origem elétrica”. Por convenção,
“considera-se a linha de força de um campo elétrico como a trajetória que seria
seguida por uma carga elétrica puntiforme positiva, caso fosse abandonada à
ação do campo”. Ao se fazer esta consideração, atribui-se um sentido às linhas
de força: “sentido que vai de um corpo com carga positiva para outro com carga
negativa”.

Diferença de potencial elétrico

Considere dois condutores eletrizados, ambos isolados. Suponha que se ligue


um ao outro por meio de um fio condutor. Há duas hipóteses a se considerar:

1a hipótese:

Pode haver uma transferência de cargas elétricas de um condutor para o


outro. Isto ocorrendo, dizemos que entre dois condutores existe uma diferença
de potencial (abreviando-se: d.d.p.). Podemos, também, dizer que os dois
condutores têm potenciais diferentes. Por convenção, “tem potencial maior o
condutor que, pela ligação, diminui suas cargas positivas (ou, aumenta suas
cargas negativas)”. Ao ligarmos um condutor positivamente carregado à Terra,
ele diminui suas cargas positivas, pois se descarrega. Na realidade, ele ganha
cargas negativas que neutralizam as suas cargas positivas. Logo, o potencial de
um condutor com carga positiva é maior que o da Terra, assim como o potencial
de um condutor com carga negativa é menor que o da Terra. Por convenção,
“o potencial da Terra é nulo”.

2ahipótese:

Pode não haver transferência de cargas elétricas entre os dois condutores,


apesar da ligação. Neste caso, dizemos que os dois condutores têm o mesmo
potencial, ou que a d.d.p. entre eles é nula.

Deduzir experimentalmente a Lei de Ohm de dois 
modos diferentes:
(a) Considerar os dados da Tabela e representa-los em gráfico para 
obter a equação
matemática da Lei de Ohm.

Indicação do voltímetro (IV) Indicação do amperímetro II em


em volt mil ampère (mA)
0 0
2 20
4 40
6 60
8 80
10 100

12

10

6
ΔV
4

2 α
0
0 20 40 60 80 100 120

Δi

Com a tabela preenchida de forma experimental e o consequente o levantamento da curva


característica mostrada na figura acima, conclui-se que o bipolo o estudo resisto apresenta uma
característica linear, ou seja, uma reta. Logo temos a seguinte formula.:
ΔV
tgα=
ΔI

Onde ΔV representa qualquer intervalo de valores de tensão que variam de 0V a 10V, e ΔI


representa qualquer intervalo de valores de corrente que variam de 0mA a 100mA.

em que ΔV representa qualquer intervalo de valores de tensão que variem de


0 V a 10 V, e ΔI representa qualquer intervalo de valores de corrente que variem
de 0 mA a 100 mA. Da figura 4.2, substituindo-se o valor de ΔV = 10 – 6 = 4V e o
valor de ΔI = (100 – 60) x 10-3 = 40 x 10-3A = 40 mA, na equação (2.6), tem-se que
tg α = 100 V/A. O valor de tg α é constante e igual a 100 V/A ao longo dos intervalos
de ΔV = [0V , 10V] e ΔI = [0 mA , 100 mA]; ele mede, ao longo desta variação
de V & I, o valor quantitativo da resistência feita pelo resistor à passagem da corrente
elétrica. Logo, é conveniente que se escreva tg α = R, em que R é o símbolo
da resistência do resistor, cuja unidade no SI, em homenagem a George Simon
Ohm, é o ohm, simbolizada pela letra grega maiúscula ômega – Ω.

(b) Repetir o estudo com os dados extraídos do vídeo disponível no 
Moodle (Título: Circuito R Série 98,3 Ohm) para:

N° I (mA) I (A) DDP (V)


0 0 0 0
1 0,22 0,00022 2,3
2 0,43 0,00043 4,5
3 0,61 0,00061 5,6
4 0,82 0,00082 7,9
5 1,02 0,00102 9,7
6 1,25 0,00125 12
7 1,44 0,00144 13,9
8 1,67 0,00167 15,9
9 1,85 0,00185 17,8
10 2,07 0,00207 20,3
12 2,25 0,00225 21,8
12 2,46 0,00246 23,9
13 2,64 0,00264 26,1
14 2,84 0,00284 28,1
14 3 0,003 29,4
16 3,26 0,00326 31,8
17 3,45 0,00345 34,1
18 3,66 0,00366 35,7
19 3,7 0,0037 36,3
20 3,71 0,00371 36,5
Lei de OHM
40
35
f(x) = 9843.41 x − 0.16
30
25
20
DDP(V)
15
10
5
0
0 0 0 0 0 0 0 0 0

Corrente (A)

 obter a equação matemática da Lei de Ohm.

V=Rxi

 relacionar a Lei de Ohm com a potência elétrica.

Primeira lei de Ohm


A primeira das leis de Ohm relaciona três das principais grandezas quando o tema é
eletricidade: voltagem (V), resistência elétrica (R) e corrente elétrica (i).

Tá, mas o que essas grandezas representam?

A voltagem se refere à diferença de potencial elétrico entre dois pontos. Essa diferença
impulsiona os elétrons a se mover de forma ordenada ao longo de um condutor. Esse
movimento ordenado dos elétrons é o que chamamos de corrente elétrica. Por fim, a
resistência elétrica está relacionada à capacidade de um condutor de se opor à passagem de
uma corrente elétrica.
Quanto às unidades, a voltagem é dada em volts (V), a resistência em ohms (Ω) e a corrente
elétrica em amperes (A).

de forma geral, quanto maior a voltagem aplicada, mais impulsionados serão os elétrons a
se mover no condutor e, portanto, maior será a intensidade da corrente elétrica.

No entanto, quanto maior a resistência, maior a oposição do material à passagem dos


elétrons, logo, menor a intensidade da corrente elétrica.

Em resumo, a relação entre essas grandezas, chamada de primeira lei de Ohm, é dada por:

V=Rxi

Fórmula da primeira lei de Ohm. A voltagem equivale ao produto entre resistência e


corrente elétrica.

Segunda lei de Ohm

Agora, graças à primeira lei de Ohm, você já entende a relação entre a resistência de um
condutor e as demais grandezas da eletrodinâmica. No entanto, como podemos calcular a
resistência desse condutor diretamente a partir de suas características físicas? Para
responder essas perguntas nos voltamos para a segunda lei de Ohm.

Em suma, a segunda lei de Ohm pode ser resumida pela seguinte fórmula:

ρx L
R
A

Potência Elétrica
Por fim, após um estudo completo das leis de Ohm, chegamos à potência elétrica.

A potência elétrica (P) é definida como a quantidade de energia elétrica (E) transformada em
outra forma de energia por unidade de tempo (Δt):

E
P=
Δt

A unidade de potência elétrica é o watt (W), 1 watt de potência equivale a 1 joule de energia
por segundo.

Por exemplo, um chuveiro de 5000 W de potência transforma 5000 J de energia elétrica em


calor por segundo.

Um segundo exemplo é uma lâmpada incandescente de 100 W. Ela gera luz por efeito Joule,
gastando 100 J de energia elétrica por segundo. Nesse contexto, vale lembrar que muitas
questões de vestibulares envolvem o brilho desse tipo de lâmpada. Não se esqueça: o brilho de
uma lâmpada é diretamente proporcional à potência dela.
No entanto, na maioria dos problemas de física, você não possui o valor da energia elétrica
consumida. Em geral, você precisa saber calcular a potência elétrica através de grandezas como
resistência (R), corrente elétrica (i) e voltagem (V).

Fórmulas de Potência Elétrica

A fórmula mais comum para calcular a potência elétrica é:

P =V x i
Porém, lembre-se, para usar essa fórmula você deve conhecer os valores da voltagem e da
corrente elétrica do sistema em questão. Nos demais casos, você deve utilizar a primeira lei
de Ohm para encontrar, a partir dela, outras fórmulas para a potência elétrica.

Quando você não possui o valor da voltagem (V), substitua-o pela sua expressão na primeira
lei de Ohm:

P=V x i
V=Rxi
P = R x i2

Agora você tem uma fórmula que não usa o valor da voltagem, apenas da resistência e da
corrente elétrica.

Tá, mas e se eu não tiver o valor da corrente elétrica? Basta substituí-la por sua expressão na
primeira lei de Ohm:

V
i=
R

V2
P=
R

Sedimentar os conceitos estudados reproduzindo os exercícios resolvidos do livro proprietário


das folhas 62 a 65 referentes aos números 1 – 3 – 5 – 7 – 9 – 11 e 13.
Resolver as atividades abaixo extraídas da folha 66 do livro de apoio,
a saber:

 achar a carga em coulombs de (a) 6,28 x 1021 elétrons e (b) 8,76 x 1020prótons.

(a)

1 elétron 1,602 x 10−19 C


=
6,28 x 1021 elétrons 1C

6,28 x 1021 elétrons x 1,602 x 10−19 C


C=
1 elérons

C=¿ 1,006.0 C

(b)

1 Próton 1,602 x 10−19 C


=
8,76 x 1020 prótons Carga emC

8,76 x 102 0 Prótons x 1,602 x 10−19 C


C=
1 Próton

C=¿ 140.33 kC

 achar o fluxo da corrente que passa por um interruptor com um movimento constante de 
o 90 C em 6 segundos, 
Q 90 C
I= I= I =15 A
t 6t

o 900 C em 20 minutos e 

20 minutos = 1200 segundos

Q 900 C
I= I= I =0,75 A
t 1200 s

o 4 x 1023 elétrons em 5 horas.
1 elétron 1,602 x 10−19 C
=
4 x 1023 elétrons 1C

4 x 1023 elétrons x 1,602 x 10−19 C


C=
1 elétron

C ≅ 64,1C

1 hora = 60 minutos
5 horas = 300 minutos
300 minutos = 18,000 segundos

64,1 C
I= I ≅ 0,0036 A
18009 s

 se um voltímetro tem 500 KΩ de resistência interna então ache o fluxo de corrente que passa
quando ele indica 86 V.

R = 500 KΩ = 500.000Ω
V = 86

V 86
i= i= i=0,000172 A=0,172mA
R 500,000

 qual é a corrente máxima que um resistor de 56 KΩ e 1 W pode conduzir com segurança?

R = 56 KΩ = 56000Ω
P = 1W

1
P=i 2 x R 1=i 1 x 56000 i=
√ 56000
i=0,0043 A=4,3

Você também pode gostar