Você está na página 1de 14

Conceitos de economia – escassez e necessidades humanas, bens e

recursos, agentes econômicos, curva de possibilidades de produção e custo


de oportunidade – apostila 1

Economia – é o estudo de como as pessoas administram (utilizam) seus recursos


escassos (wessels, economia, pg. 1).

O problema econômico da economia por excelência é a escassez e a sua


administração. Surge porque as necessidades humanas são virtualmente
ilimitadas, e os recursos econômicos limitados, incluindo também os bens. Esse
não é um problema tecnológico, e sim da disparidade entre os desejos humanos e
os meios disponíveis para satisfazê-los. A escassez é um conceito relativo, pois
existe o desejo de adquirir uma quantidade de bens e serviços maior que a
disponibilidade (troster & mochón, introdução a economia, pg. 6).

A maioria das pessoas deseja muito mais do que seus recursos lhe permitem
obter, isso é escassez: as pessoas querem mais do que podem obter com os
recursos disponíveis (wessels, economia, pg. 1).

A escassez obriga as pessoas a fazerem escolhas...como consequência, passa a


haver uma tendência para a troca – satisfazer mais uma necessidade significa
satisfazer menos de outras necessidades ou ficar privado de algumas
necessidades (wessels, economia, pg. 2).

A escassez é enfrentada tanto pelos ricos como pelos pobres... O fundamental é


notar que é o excesso de desejo das pessoas por um bem em relação à sua oferta
que cria a escassez (wessels, microeconomia, pg. 9).

O fenômeno da escassez está presente em qualquer sociedade, seja ela rica ou


pobre. No entanto é verdade que para países como os eua e a suécia ela não é
um problema tão grave como para somália e a etiópia, onde nem que sequer as

1
necessidades básicas da população são satisfeitas. Mesmo assim, a escassez
continua sendo um problema uma vez que as aspirações das pessoas por bens e
serviços superam a quantidade de bens e serviços produzidos pela sociedade,
colocando sempre a necessidade de escolhas por parte dos indíviduos e das
sociedades (passos & nogami, princípios de economia, pg. 4).

Na economia tudo se resume a uma restrição quase física – a lei da escassez, isto
é produzir o máximo de bens e serviços com os recursos escassos disponíveis a
cada sociedade, isto implica a necessidade de escolhas por parte dos diversos
agentes que compoem uma economia (pinho & vasconcellos, manual de
economia, pg. 11).

O conceito de necessidade humana é concreto, neutro e subjetivo, porém, para


não se omitir da questão, definir-se-à “necessidade humana” como qualquer
manifestação de desejo que envolva a escolha de um bem econômico capaz de
contribuir para a sobrevivência ou para a realização social do indíviduo (pinho &
vasconcellos, manual de economia, pg. 11).

Os seres humanos, essas criaturas insaciáveis, são atormentados por


necessidades: desejamos, entre outras coisas, o amor, o reconhecimento social,
as necessidades materiais e os confortos da vida. Nossos esforços para realizar
nossos desejos materiais, isto é, melhorar nosso bem estar ou a realização na
vida, é a preocupação da economia.
Biologicamente, necessitamos de ar, água, comida, roupas e abrigo. Entretanto,
na sociedade contemporãnea, também buscamos muitos bens e serviços
associados com um padrão de vida confortável ou rico ( brue, microeconomia, pg.
3).

As pessoas necessitam alimentar-se, vestir-se, receber uma educação, etc; para


isso, existem os recursos escassos, a renda é insuficiente na hora de conseguir

2
todos os bens e serviços desejados para satisfazer as necessidades (restrição
orçamentaria) (troster & mochón. Introdução à economia, pg. 3).

A atividade econômica é motivada pelas necessidades dos seres humanos, que


necessita de bens e serviços para satisfazê-las. E essas necessidades –
fisiológicas, sociais, de segurança, de estima e consideração – são ilimitadas:
quando uma delas é satisfeita, outras já estão surgindo. Ao mesmo tempo, os
recursos existentes para satisfazer as necessidades humanas são limitados e
esse é o problema que a ciência econômica procura resolver, como administrar
essa contradição entre recursos escassos e necessidades ilimitadas.( oliveira,
introdução à economia, pg. 10).

A maioria das questões importantes de nosso tempo como: inflação, desemprego,


cuidados com a saúde, seguridade social, déficits orçamentários,..., reforma
tributária, pobreza e desigualdade social, poluição, regulação governamental e
desregulação de negócios - estão relacionadas no desafio de se utilizarem
recursos escassos de forma eficiente, essa é uma questão que a nível público é
resolvida pelo sistema político, onde as pessoas habitualmente são chamadas as
escolher seus representantes que participarão do processo de escolha das
prioridades a serem trabalhadas com os recursos escassos da sociedade(bruer,
microeconomia, pg. 3)

Economia é uma ciência social que estuda como os indivíduos e as sociedades


decidem (escolhem) empregar recursos produtivos escassos na produção de bens
e serviços de modo a distribuí-los entre as várias pessoas e grupos da sociedade,
a fim de satisfazer as necessidades humanas.
Essa definição contém vários conceitos importantes, que constituem a base e o
objeto de estudo da ciência econômica:
*escolha
*escassez
*necessidades

3
*recursos
*produção
*distribuição (vasconcellos & garcia, fundamentos de economia, pg. 2).

Bem é tudo aquilo capaz de atender as necessidades humanas. Os bens podem


ser materiais – quando tem características físicas de peso, forma e dimensão. Por
exemplo, automóvel, moedas, borracha, café, relógio; e bens imateriais – quando
tem caráter abstrato, tais como a aula ministrada, a hospedagem prestada, a
vigilância do guarda noturno no geral todos os serviços prestados são bens
imateriais, ou seja, se acabam quase simultaneamente à sua produção. (pinho &
vasconcellos, manual de economia, pg. 10).

Se os bens não estiverem disponíveis livremente na natureza será necessário


produzi-los. Para produção desses bens serão necessários recursos limitados,
como a mão de obra, terra e capital.

Por exemplo: certa comunidade deseja consumir mais trigo só que este consumo
é limitado pela quantidade de terras disponíveis para a agricultura, pelo número de
pessoas que podem cultivar e pela quantidade de arados.
Como os fatores de produção – mão de obra, terra e máquinas – são limitados, a
produção de trigo também é limitada. (silva & ornelas neto, introdução a economia,
pg. 10).

Os bens livres – constituem o oposto de bens econômicos. Bens livres são


aqueles que pela abundância do seu suprimento frente às necessidades a serem
por eles atendidas não entra no circuito econômico. (nusdeo, curso de economia,
pg. 34).

Não é preciso ressaltar que bens livres em determinadas localidades poderão ser
altamente escassos em outras localidades. O caso da água é emblemático: na
maior parte do planeta ela é vista como um bem livre, mas nos desertos, dada a

4
sua extrema escassez, torna-se um bem econômico e até de muito valor. (nusdeo.
Curso de economia, pg. 34).

Os bens econômicos, são classificados segundo vários critérios: a)bens


materiais(tangíveis) e serviços(intangíveis); b)bens de consumo(bens de consumo
não durável, semiduráveis e duráveis) e bens de produção(bens de capital e bens
intermediários); c)bens sucedâneos(substitutos) e bens complementares.
Considera-se muito importante a diferenciação entre os bens exclusivos e os bens
coletivos, os primeiros atendendo necessidades individuais e os últimos as
necessidades de um grupo mais ou menos extenso de pessoas. (nusdeo, curso de
economia, pg. 42).

Os bens econômicos são caracterizados pela utilidade, pela escassez e por serem
transferíveis (trocados). Os bens livres – como o ar – são aqueles cuja quantidade
é suficiente para satisfazer a todo mundo e não envolvem a necessidade de
produção econômica. (mochón & troster, introdução a economia, pg. 7).

Os recursos ou fatores de produção, tradicionalmente se classificam, em quatro


grandes categorias: terra, trabalho, capital e tecnologia.

A) Na economia, o termo terra é usado em sentido amplo, indicando não só a


terra cultivável e urbana, mas também os recursos naturais que contém,
como, por exemplo, os minerais.
B) O fator trabalho refere-se às faculdades físicas e intelectuais dos seres
humanos que intervem no processo produtivo... .
C) O capital compreende as edificações, as fabricas, a maquinaria e os
equipamentos, a existência de meios elaborados e demais meios utilizados
no processo produtivo. Recebem essa denominação porque, nas
economias capitalistas, o capital é de propriedade privada e especialmente
de “capitalistas”. (mochón & troster, introdução a economia, pg. 10).

5
D) A tecnologia compreende a aplicação da ciência ao processo produtivo,
com a descoberta de novos processos produtivos, novos produtos,
inovações, etc.

A organização dos fatores produtivos (terra, trabalho, capital e tecnologia)


acontece dentro das empresas, assim como a direção de suas atividades, recai
sobre pessoas ou grupos de caráter privado ou público. Na economia, os diversos
papéis que desempenham os agentes econômicos, isto é, as famílias ou unidades
familiares, as empresas e o setor público podem ser agrupados em três grandes
setores:

O setor primário abrange as atividades que se realizam próximas às bases dos


recursos naturais, isto é, as atividades agrícolas, pesqueiras, pecuárias e
extrativas;
O setor secundário inclui as atividades industriais, mediante as quais são
transformados os bens;
O setor terciário ou de serviços reúne as atividades direcionadas a satisfazer
necessidades de serviços produtivos que não se transformam em algo material
(serviços, comércio, transporte, bancos, etc) (troster & mochón, introdução à
economia, pg. 19/20).

A empresa é a organização que se propõe a produzir utilidades, bens e serviços


destinados à troca. Combina, ordena, executa os quatro fatores produtivos,
representando o fator organização (gastaldi, elementos de economia política, pg.
153).

Tipos de empresas segundo sua natureza jurídica

1. Individual – trata-se de empresas que pertencem a um só indíviduo e são


dirigidas por ele. Uma banca de jornal ou um borracheiro. Constitui forma mais
simples de se estabelecer um negócio;

6
2. Social – a propriedade não corresponde a um só indíviduo:

2.1.)Limitadas – o capital social deve estar totalmente desembolsado no momento


de constituir a sociedade. O capital está dividido em partes iguais, chamadas
cotas. Nestas empresas os sócios não respondem pessoalmente a dados sociais,
somente com o capital aplicado;
2.2.)Sociedade anônima – forma de organização empresarial mais comum,
somente pode ser sócio investindo dinheiro. Em uma sociedade anônima, o capital
está dividido em pequenas partes iguais, chamadas ações, que servem para
facilitar a união de grandes capitais. A responsabilidade dos sócios se limita ao
capital aplicado. Ele não se responsabiliza pelas dívidas sociais da empresa. Ao
limitar as responsabilidades da sociedade proporciona menor proteção legal aos
credores, a quem deve dinheiro.
Nas sociedades anônimas, especialmente nas grandes empresas, existe uma
clara separação entre a propriedade – que é dos acionistas – e a direção – que é
exercida pelo conselho administrativo. E este que geralmente contrata técnicos
especializados para as diversas áreas da empresa. As ações são eventualmente
negociadas em bolsa (troster & mochón, introdução à economia, pg. 21/22).
2.3.)Cooperativas – representam uma modalidade de organização comercial e,
simultaneamente um misto de sociedade de limitada e de sociedade anônima..
As cooperativas modernas obedecem a princípios básicos, quais sejam: adesão
livre de qualquer pessoa, gestão democrática a ser exercida pelos próprios
associados, juros módicos do capital social, distribuição dos lucros entre os
cooperados, neutralidade social, política e religiosa, colaboração entre as
cooperativas e formação de fundo de educação...
O ideário cooperativista, considerado como o instrumento mais eficaz de defesa
do pequeno produtor à frente da pressão dos grupos econômicos mais fortes do
sistema capitalista (gastaldi, elementos de economia política, pg. 157/58).

7
Financiamento da empresa – as sociedades podem conseguir fundos para seu
crescimento do mesmo modo que os proprietários individuais, isto é, obtendo
empréstimos ou créditos de instituições financeiras ou reinvestindo os lucros, isto
é, autofinanciando-se. O financiamento pode ser diferenciado entre crédito e
empréstimo. No caso de empréstimo, a empresa recebe de imediato o total do
financiamento concedido, apesar de em alguns casos haver desconto de juros. Ao
contrário, a empresa que recebe um crédito retira dentro do limite máximo
combinado, o capital necessário, podendo realizar várias retiradas e pagamentos,
de maneira que somente pague os juros relativos ao capital utilizado. A forma
típica de instrumentar os créditos é por meio de títulos.

As sociedades anônimas podem também emitir ações e obrigações. Quando uma


sociedade “vende” participações na forma de ações, potencialmente aceita um
novo sócio, já que cada ação representa uma fração da propriedade e da
sociedade...
Alternativamente, a empresa pode obter fundos mediante a venda de bônus e
obrigações, com os quais não se aumentará o número de novos acionistas. Uma
obrigação representa uma dívida para a empresa, pois de fato é uma parte
proporcional de um empréstimo concedido à empresa emissora e supõe para esta
uma obrigação legal expressa de pagar juros periódicos e de devolver o valor de
emissão principal ao portador, quando acontecer o vencimento.
Uma obrigação muito comum emitida pelas empresas brasileiras são as
debentures. Outra forma de obrigação é o commercial paper, que está crescendo
de importância no brasil (troster & mochón, introduçao à economia, pg. 22/23).

As funções das famílias consistem em por um lado, consumir bens e serviços; por
outro, oferecer seus recursos, isto é, trabalho e capital às empresas. Entretanto as
famílias que pretendem maximizar a satisfação obtida no consumo são limitadas
pelo orçamento de que dispõem (troster & mochón, introduçao à economia, pg.
23/24).

8
Entende-se por setor público, os diversos estratos do estado nação, também tem
esse status as organizações políticas contemporãneas.
Os orgãos e administrações públicas que compõem o setor público têm ao menos
três níveis de governo:
As administrações locais: as prefeituras;
As administrações estaduais;
A administração central, isto é, a união, ministérios, autarquias, etc...

Qualquer sociedade contemporãnea, seja qual for sua configuração política, o


setor público realiza funções econômicas de fundamental importância...
O setor público estabelece um marco jurídico-institucional no qual se desenvolve a
atividade econômica. É rsponsável também pelo estabelecimento da política
econômica (troster & mochón, ontrodução à economia, pg. 25/6).

A fronteira ou curva de possibilidades de produção(cpp), também chamada de


curva de transformação, é a fronteira máxima que a economia pode produzir,
dados os recursos produtivos limitados. Mostra as alternativas de produção da
sociedade, supondo os recursos plenamente empregados.
Trata-se de um conceito eminentemente teórico, que permite ilustrar como a
limitação de recursos leva à necessidade de a sociedade fazer escolhas entre
alternativas de produção(vasconcellos, economia micro e macro, pg. 28).

A curva de transformação representa um importante fato: “uma economia no pleno


emprego precisa sempre, ao produzir um bem, desistir de produzir um tanto de
outro bem(pinho & vasconcellos, manual de economia, pg. 13).

A curva de possibilidades de produção ilustra a noção de escassez, num dado


momento uma sociedade tem uma quantidade fixa de fatores de produção, tal que
a produçao de um produto se dá em detrimento de outro(o’ sullivan & sheffrin,
princípios de economia, pg. 12).

9
A curva(ou fronteira ) de possibilidades de produção(cpp) é um conceito teórico
com o qual se ilustra como a questão da escassez impõe um limite à capacidade
produtiva de uma sociedade, que terá que fazer escolha entre alternativas de
produçao.
Devido à escassez de recursos, a produçaõ total de um país tem um limite
máximo, uma produção potencial ou produto de pleno emprego, onde todos os
recursos disponíveis estão empregados... Qualquer ponto ao longo da curva
significa que a economia estará operando no pleno emprego, ou seja, a plena
capacidade, utilizando todos os fatores de produção disponíveis(vasconcellos&
garcia, fundamentos de economia, pg. 4).

A fronteira de possibilidades de produção é uma maneira interessante de resumir


o problema central enfrentado pela ciência econômica: decidir o que produzir(silva
& ornelas neto, introdução a economia, pg. 24).

A fronteria de possibilidades de produção reflete as opções que se oferecem à


sociedade e a necessidade de se escolher entre elas( mochón & troster,
introdução a economia, pg. 15).

Custos de oportunidade:

Quando um bem é escasso, a opção de usá-lo de um modo significa desistir de


usá-lo de outro. O valor de uso do qual as pessoas desistem é o custo de
oportunidade dessa escolha também definido como o valor da melhor opção
abandonada(wessels, economia, pg. 2).

A transferência dos fatores de produção de um bem a para produzir um bem b,


implica custo de oportunidade que é igual ao sacrifício de se deixar de produzir
parte do bem a para se produzir mais do bem b. O custo de oportunidade também
chamado de custo alternativo por representar o custo de produção da alternativa

10
sacrificada ou custo implicito( vasconcellos & garcia, fundamentos de economia,
pg. 5).

As unidades familiares podem ter aspirações ilimitadas, mas defrontam com a


amarga realidade dos recursos escassos definidos por orçamentos restritos: a
aquisição de uma casa de praia envolve custos de oportunidade, representado,
por exemplo, pela não aquisição de uma casa de campo(rossetti, introdução a
economia, pg. 213).

O princípio do custo de oportunidade incorpora a noção de que não importa o que


façamos, há sempre um trade-off(desfazer de algo em troca). Devemos comparar
uma coisa com outra porque os recursos são limitados e podem ser usados de
forma diferente: ao adquirirem alguma coisa, utilizamos recursos que poderiam ser
usados para adquirirmos algo diferente(o’ sullivan & sheffrin, princípios de
economia, pg. 16).

Custo de oportunidade é o grau de sacrifício que se faz ao optar pela produção de


um bem, nos termos de produção alternativa sacrificada... O custo de
oportunidade também é chamado de custo alternativo ou, ainda, custo
implícito(pois não implica dispêndio monetário)... Procura-se mostrar que, dada a
escassez de recursos, tudo tem um custo em economia, mesmo não envolvendo
custo financeiro(vasconcellos, economia micro e macro, pg. 29).

Quando decidem gastar ou produzir, governo, empresas ou famílias estão


renunciando a outras possibilidades. A opção que se deve abandonar para poder
produzir ou obter outra coisa se asssocia, em economia, ao conceito de custo de
oportunidade.
O custo de oportunidade de um bem ou serviço é a quantidade de outros bens e
serviços a que se deve renunciar para obtê-lo (mochón & troster, introdução a
economia, pg. 12).

11
Exercícios de fixação dos tópicos

1) Qual a diferença entre escassez e pobreza?


2) Porque a escassez afeta tanto os pobres quanto os ricos?
3) Utilize a perspectiva econômica para explicar por que alguém que seja
contido num restaurante padrão que cobra por prato pedido pode se tornar
um tanto guloso num restaurante estilo bufê, que fixa um preço único para
tudo que você possa comer?
4) Que relação existe entre necessidades e produção econômica?
5) Por que a escassez é um termo relativo?
6) Que tipo de necessidade temos de satisfazer primeiro?
7) A partir do conceito de escassez apresentado nesse tópico, estabeleça
suas prioridades diante dos recursos escassos(restrição orçamentária),
construa uma hierarquia de necessidades de acordo com a sua
importância?
8) Como a escassez afeta o trabalho de um administrador numa empresa?
9) Que relação existe entre a falta de leitos em uti nos hospitais, estradas
esburacadas, falta de creches, etc. Com o fenômeno da escassez?
10) como a democracia e o sistema eleitoral resolvem a contradição entre
recursos escassos e necessidades ilimitadas?
11)quais agentes econômicos realizam a produção de bens e serviços?
12)quais as tarefas mais importantes do setor público?
13) pesquise nos classificados dos jornais o grau de escolaridade exigido e
os salários para o trabalho qualificado e o não qualificado?
14)por que o investimento é importante para a economia?
15)em qual setor produtivo, se englobam as seguintes atividades
econômicas: agricultura, pesca, construção civil, atividades financeiras e de
seguros, agência de viagens, fazenda de criação de gado, metalúrgica,
siderúrgica, petroquímica?

12
16) os bens de capital satisfazem diretamente as necessidades humanas?
17) qual a importância do fator de produção tecnologia na produção de bens?
18) qual a diferença entre bens propriamente ditos e serviços?
19) qual a importância dos fatores de produção na realização do processo
produtivo?
20) diferencie os bens de capital dos bens de consumo e dos bens
intermediários?
21) o que é capital humano?
22) qual a diferença entre os bens livres e os bens econômicos?
23) como seria a sociedade se todos os bens fossem livres?
24) por que a abundância exagerada de bens econômicos pode se tornar
um problema econômico grave?
25) quais os problemas existentes na produção e comercialização de bens
de capital?
26) o conceito de custo de oportunidade implica a necessidade de
escolha?
27) defina eficiência, tendo em vista a fronteira de possibilidades de
produção?
28) por que não pode haver custo de oportunidade sem escassez?
29) o que significa a expressão custos de oportunidade? Dê exemplos
de custo de oportunidade, resultantes dos processos de escolha dos agentes
econômicos – unidades familiares, empresas e governo?
30) qual das declarações seguintes é consistente com a lógica
econômica?
A) Devemos resolver ganhar esta guerra para que aqueles que já
morreram não tenham morrido em vão.
B) Nossa firma está desperdiçando seu capital investindo-o a 8%
quando ela poderia obter 16% em outro lugar.
C) Nossa cidade deveria construir um museu de arte porque, sem arte,
a sociedade seria pior(suponha que isso seja verdade)

13
31) utilize o princípio do custo de oportunidade para explicar por que as
firmas poderiam gastar mais tempo treinando seus trabalhadores
quando há uma recessão em suas indústrias(assumindo que as firmas
esperam reter seus trabalhadores e que a recessão em algum momento
acabe)
32) o que está errado(do ponto de vista econômico) com o seguinte
argumento: o marketing é de vital importância. Afinal de contas, sem
marketing, não venderíamos nada e nossa firma iria a falência. Portanto,
nossa firma deveria gastar mais em marketing.
33) uma economia produz dois bens, a e b. Há um progresso
tecnológico mas só para o bem a. Será que a economia poderá
consumir mais dos dois bens?

14

Você também pode gostar