Você está na página 1de 33

Reflexões Guerreiras

por Fernando Belatto


Vol. 1
Introdução
Saudações queridos amigos, queridas amigas.

É com grande alegria que compartilho esse pequeno livro com vocês.

Agora, vocês têm em suas mãos, uma compilação de 10 textos que escrevi e que
representam bastante o Caminho do Guerreiro da forma como eu o vejo e sinto.

Esses textos (que são minhas reflexões) trazem muitas de minhas inspirações
ao longo desses mais de 20 anos mergulhados no caminho da arte marcial, o qual
eu chamo respeitosamente de “O Sagrado Caminho Do Guerreiro”.

Comecei na arte marcial desde muito cedo, assistindo os filmes de Bruce Lee.

Aos 14 anos de idade já estava no Jiu-Jitsu, arte que me dediquei muito para as
competições. Aos 25 conheci meu Mestre Espiritual, Sri Prem Baba, e em
2008 ,com 26 anos, fui pela primeira vez (de 6x até agora) para a Índia. Tudo isso
unido às diversas leituras e estudos, me ajudou a criar O-DGI, O Despertar do
Guerreiro Interno, minha filosofia de vida, a qual une diversas disciplinas
oriundas do Sagrado Caminho do Guerreiro.

Minha intenção com esses textos é a de te ajudar a compreender um pouco mais


desse caminho e perceber como ele pode te ajudar na busca da autorrealização,
e ainda compreender que esse caminho não é rígido e sim equilibrado entre
nossas forças masculina e feminina. É sem dúvida um caminho justo e gentil.

Desejo aqui, bons estudos para vocês. Que possam ler e reler cada linha destas
reflexões abaixo.

Os ensinos são vivos e em cada momento de suas vidas podem aparecer com
uma roupagem diferente. Mas assim é!

Bons estudos.

Em reverência e respeito,

Fernando Belatto
Primeiro Texto

O Espírito Guerreiro

Ouça o áudio desse texto no Youtube, clicando aqui


O espírito guerreiro bem sabe que é necessário conexão com o divino
para realizar sua nobre missão. Agir no mundo desconectado da fonte é
como trilhar um deserto sem água e sem comida, tudo é mais sofrido. A
conquista pode até acontecer, mas o sentimento de preenchimento
essencial não, a sede continua, a fome continua.
 
O espírito guerreiro age mas dedica todas as suas conquistas ao divino,
ao grande Mestre que lhe habita. O guerreiro sabe que é só um servo, que
está aqui para ajudar na nobre missão de levar paz e consciência para a
vida daqueles que estão abertos para isso, e necessitados da mesma
fonte.
 
O espírito guerreiro se alegra de ver o outro feliz, pois ele está aqui para
isso, para se doar.

O guerreiro aprende a dura lição de não querer nada para si, de servir o
outro e ajudá-lo a se tornar uma pessoa melhor e mais feliz.

O guerreiro não faz isso se desmerecendo. Na verdade, durante a jornada


aprendeu que querer tudo para si é um caminho solitário, vazio, e que
quando serve ao outro, sente-se conectado a uma linda missão de união.

Querer ver o outro feliz é a grande batalha, mas ao mesmo tempo, é a


grande alegria de realizar a vitória da humildade sobre o orgulho, do
altruísmo sobre o egoísmo, da união sobre a separação.

Em reverência ao espírito guerreiro de cada um de vocês,

Fernando Belatto
Segundo Texto

O Caminho Justo da Espada


Cada um de nós porta uma espada interna.⠀
Essa espada nos ajuda a vencer os obstáculos da vida.⠀
Alguns já são maduros e sabem utilizar muito bem esta espada, fazem
um bom uso dela. Outros já não têm essa consciência e acabam
“cortando a cabeça” de todos que passam na sua frente.⠀

A espada interna é a espada da vida.⠀
Ela é utilizada na intenção de conquistar a vitória final, A SAGRADA
PAZ.⠀
Quando estamos com ela alinhada com o coração, todo o corte é
construtivo e está a serviço de romper com os apegos e aos maus
hábitos que nos prendem na cela da inconsciência. Quando não estamos
alinhados em nosso centro de presença a espada é dominada pelas
dores internas, e quando isso acontece, para se proteger, cortamos de
qualquer jeito, de maneira impensada. Isso é perigoso pois podemos
machucar as pessoas que estão por perto, e que muitas vezes são
grandes amigos e aliados.⠀

O caminho da espada é justo e nos ensina o caminho do AMOR E DA
CONSCIÊNCIA.⠀Ele é justo pois vai nos espremendo conforme vamos
amadurecendo.⠀Nos espreme até que não sobre mais nada a não ser a
nossa essência, e conforme vamos utilizando essa espada para gerar
vida e amor, mais vamos nos sentindo leve e pleno e sem a necessidade
de guerrear. Quando utilizamos esta espada para ferir, mais vamos
aumentando a guerra interna e ficando cada vez mais enrolado nas teias
do insconsciente.⠀

O caminho da espada é JUSTO pois não existe culpa e não existem
culpados.⠀Somos autorresponsáveis pelos nossos cortes.⠀
É um estudo interno e profundo sobre nossos atos, e a serviço de quem
que eles estão, do amor maior ou da energia inferior da inconsciência
dominada pelas dores não curadas que carregamos no sistema.⠀

Se em um determinado momento da jornada os nossos cortes estão


desalinhados do amor, fiquem atentos e tenham a
autorresponsabilidade para entender que estamos onde nos colocamos,
e que colhemos aquilo que plantamos.⠀

O que queres para a vossa vida, Amor? Então traga cortes de
consciência…⠀

O caminho da espada é solitário, é sagrado entre você e você mesmo. Por
mais que no externo estejamos rodeados de bons guerreiros, esse
honrado fato não nutre o buraco interno da solidão. Então, devemos
pegar a espada na mão e mergulhar fundo nesta caverna escura com a
intensão de iluminá-la. Só assim vamos vencendo esse fantasma e
conseguindo sustentar a solitude.⠀

O Caminho da espada é sagrado pois o que ele nos ensina é fazer a boa
batalha.⠀
Combater o mau com amor e consciência.⠀
Nos ensina que os nossos atos devem ser plenos de sabedoria, e que
cada corte deve ser usado para gerar vida e vitalidade para todos os
seres!

Que a nossa espada esteja no fino alinhamento da vida.⠀

Em reverência e respeito,

Fernando Belatto
Mídia de Jiu-Jitsu quando eu ainda competia.
Terceiro Texto

Dúvida x Confiança
Sinto que a grande batalha do Guerreiro Interno é travada entre a dúvida
e aquela certeza vinda de nossos corações, a confiança.

A dúvida é como uma porta, que quando deixamos aberta, o inimigo entra
e domina a confiança. A dúvida e a confiança brincam de esconde
esconde dentro da gente. Quando estamos tomados pela dúvida,
sentimos confusão e perda de energia. Quando estamos tomados pela
confiança, então sentimos vitalidade e clareza.

É claro que acredito que existe um tipo saudável de dúvida, que é aquela
em nível mais mental que nos ajuda a encontrar respostas para as
diversas questões de nosso dia a dia. Mas existe um tipo de dúvida que
abre a porta para perdermos a confiança. Essa dúvida se dá em nível
pessoal. Dúvida do caminho, do nosso poder pessoal, das nossas
escolhas. E quando estamos tomados por ela caímos em uma espécie de
entorpecimento... claro que está tudo certo, que isso faz parte do
treinamento. ⠀

Sinto que o caminho do Guerreiro, no mais profundo, faz com que
estudemos essa batalha entre a dúvida e a confiança. A fé é uma
tremenda aliada nesse processo, neste caminhar... é importante
entender que essa fé não é cega, ela obviamente permite reflexões, mas
é uma fé não mental, é sentida. Sendo assim, algumas das maiores
forças do Guerreiro interior são a Fé no que sente e a coragem para
sustentar essa confiança. É a real coragem de seguir o coração.

Quando fechar os olhos e sentir amor no seu coração, então, mesmo que
em algum lugar existam pessoas dizendo que você é maluco ou maluca,
firme-se em seu coração. Isso é verdade, esse sentir é mais real que mil
explicações vindas da mente.

E compreenda...
Ninguém pode definir o seu caminho de vida. Você é livre para seguir o
seu coração. ⠀

Firmeza na boa batalha Guerreiro amigo,

Em reverência e respeito,

Fernando Belatto
Quarto Texto

Pratique a Permanência
O exercício da permanência é um dos maiores treinos marciais para o
desenvolvimento do seu Guerreiro Interno. Isso porque uma das maiores
causas de entrarmos em conflitos internos é a distração, a qual se
manifesta pela inabilidade de lidarmos com algumas situações que desafiam
o nosso centro. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Permanecermos centrados, sem julgamentos, presentes e conectados é o
nosso desafio. Você pode perceber que a energia de guerra interna se faz
presente quando perdemos o nosso centro, ou seja, a nossa presença. E
nesse estado, começamos a (re)agir às situações da vida com
impulsividade, gerando assim maus karmas com nossas ações. Portanto,
treinar a permanência é fundamental para o desenvolvimento de nosso
centro interior. A simples prática de ficar com os olhos fechados e
permanecer imóvel, desafia demais a nossa presença. Nesse treino é natural
percebermos pensamentos agitados, vontade de se coçar e se mexer. O
nosso desafio é exatamente o de permanecer como um observador, sem
sermos levados pelas trilhas infindáveis dos diversos pensamentos que
surgem. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Se você quer se tornar uma pessoa melhor e plantar no solo da vida
sementes de amor, precisa então cultivar o silêncio interior e aprender a
ficar na sua própria companhia, sem reagir a nada. É um treino no qual tudo o
que é transitório deve ser observado sem julgamento. A nossa capacidade
de testemunhar constantemente deve ser expandida para que possamos
levar isso para a vida. Só assim poderemos parar de nutrir ações, ou melhor,
reações equivocadas que nos desviam do caminho do coração.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Você já fez pelo menos um pouco de silêncio hoje?
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Em reverência e respeito, ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Fernando Belatto
1) NO ACRE ENTREGANDO A FAIXA AO MESTRE
2) EM UM BOM MOMENTO NA ESCOLA O-DGI EM SP
Quinto Texto

Você Vive Uma Guerra Interior?


Ultimamente quando compartilho em minhas palestras a pergunta "vocês
sentem uma guerra interior?", quase que com unanimidade a resposta é sim,
ou seja, muitos de nós sentimos esse estado de batalha sendo travada no
mundo interno. Isso envolve emoções, sensações, pensamentos e,
consequentemente, atitudes.

Eu gostaria de compartilhar com vocês algumas reflexões sobre esse local
no qual nos encontramos com o intuito de, quem sabe, trazer mais conforto
e clareza ao processo do despertar do guerreiro interno dentro de cada um
de nós.

Primeiramente, gostaria de trazer uma reflexão: o que significa de fato essa


guerra interna e por que ela existe?

Uma guerra só acontece devido à existência de duas forças (no mínimo)


atuando uma contra a outra. O resultado desse conflito energético é o que
chamamos de guerra e dessa forma, a frase: “quando um não quer, dois não
brigam” faz sentido. Para existir guerra se faz necessária a existência de
energias contrárias.

Quando brincamos de "cabo de guerra", essa sensação de conflito (a qual
traz o nome do jogo) só existe porque há duas energias travando uma
batalha, uma contra a outra. Sendo assim, quero dizer que dentro de nós
mesmos existem, no mínimo, duas energias lutando uma com a outra. E
quem são essas energias?

Uma delas é a energia inerente a todo se humano: o amor. Todos nós
queremos amar e ser amados, viver em harmonia, paz e amizade, não é
mesmo? Por mais que muitas vezes isso não seja tão claro, essa é a nossa
essência e é para onde estamos sendo levados.
A outra energia que carregamos, enquanto não a curamos, é a de dor, e
quando ela é tocada, fica quase incontrolável a vontade de acusar o outro e
fazer briga. Não há como negar, em algum momento essa energia passa por
nós e assim nos sentimentos inferiores, nos julgamos vítimas da vida, do
externo, do outro. Achamos que o outro é responsável pela nossa dor e por
isso carregamos planos de fazer justiça com as nossas próprias mãos.

Mas se nossa essência é luminosa, quando reagimos a esses sentimentos


de briga, naturalmente nos sentimos em guerra, pois estamos indo no
contra-fluxo da vida e isso é algo angustiante e desesperador. Quanto mais
caminhamos na contra mão da vida, mais tendemos a sentir essa corda
puxar, o que gera naturalmente sofrimento.

Então acredito muito que para irmos vencendo essa guerra interna,
precisamos começar a curar a dor de separação. A dor que acredita que
somos excluídos e sozinhos. Para isso a arte marcial é uma ferramenta
poderosíssima, pois ela nos fortalece para que possamos suportar ficar com
a nossa dor e curá-la. Se não conseguirmos ficar com a nossa dor, nem que
seja um pouco, não vamos conseguir curá-la. É como um machucado que se
não olhamos, não conseguimos curar, não tem como.

Uma coisa que sinto é que essa energia de guerra é natural enquanto temos
um ego adoecido e não devemos nos achar menos por causa disso. O que
podemos fazer é caminhar em direção à cura das nossas dores. E essa é uma
boa batalha para todos nós.

Não devemos nos sentir menos por sentirmos dores. Sugiro, ao invés disso,
tentarmos compreender o jogo da vida que fez com que passássemos
situações difíceis, doloridas, e irmos além da reclamação e da acusação. É
hora de olharmos para dentro e pararmos de brigar com a vida. É hora de
aceitarmos a nossa batalha com amor no coração.

Juntos nesse bom combate,

Fernando Belatto
Sexto Texto

A Energia do Inimigo a Favor


A arte marcial me ensina algo muito importante, que é usar a energia do inimigo
contra ele mesmo, e quando trazemos esse conceito para a nossa vida prática,
faz muito sentido utilizarmos a energia dos momentos de sofrimentos que
passamos, para nos estudarmos e compreendermos um pouco mais sobre nós
mesmos, com a intenção de nos curarmos. ⠀

Eu acredito que o sofrimento é uma porta de entrada para a nossa cura. Repare
que ele só existe porque tem algum motivo por trás dele, certo? Mas se eu não
sei qual é esse motivo e já caio em reclamação (porque estou sofrendo), jamais
esse sofrimento vai passar, pois eu estou completamente identificado com ele, e
portanto não estou sendo um observador para estudá-lo. Um verdadeiro
guerreiro precisa de maturidade para lidar com desafios, e além disso, um
verdadeiro artista marcial deve estudar para sentir o oponente na profundidade,
não só no corpo, mas no ser dele, entendê-lo, senti-lo, e é isso que sinto que
podemos fazer com a nossa própria guerra interna. ⠀
Se eu tenho o Guerreiro Interno desenvolvido, que é a nossa própria expansão de
consciência que permite estarmos presentes como observadores, sem
julgamento, nós nos tornamos invencíveis ao sofrimento, isso porque o
sofrimento só nos pega por que nos identificamos com a causa, por trás dele,
que faz com que ele exista. Mas no fundo, essa causa é uma crença, que por sua
vez perpetua o sofrer. Que crença está por trás de um sofrimento? ⠀

Minha tática então é usar o sofrimento como porta de entrada para chegarmos
na crença e vermos que é somente uma imagem, uma ilusão que nos prende no
passado, em uma história que acreditamos. Portanto, é tarefa do guerreiro
encarar o sofrimento de frente, e sem dar muito ouvido para as suas falas entrar
no campo dele, sem ser tomado, e chegar no núcleo, compreendendo o que o
sustenta, e a partir dai desfazer esse campo magnético de dor e emanar luz de
amor para curá-lo. ⠀

Para isso precisamos treinar, para desenvolvermos centro, pois vamos ser
sacudidos, mas devemos aprender a ficar firmes em nosso observador e usar a
força do inimigo a nosso favor. ⠀

Reverência ao Guerreiro Interno de cada um de vocês, ⠀

Fernando Belatto
DIA DE CONFRATERNIZAÇÃO NA ESCOLA O-DGI
Sétimo Texto

A Virtude da Disciplina
Para mim a disciplina é uma virtude que deve trazer junto dela a alegria e
o prazer. Não devemos fazer de nossos deveres algo pesado, mas para
isso acontecer é necessário encontrar o sentido das coisas, ou seja, não
devo realizar uma ação sem uma clareza do porque estou fazendo.
Quando tenho clareza do que quero, trazer disciplina para realizar é
muito mais fácil, ou seja, ter disposição para realizar algo que gosto é
muito mais fácil e faz muito mais sentido do que simplesmente me
esforçar para algo que nem sei por que.

Sendo assim, se você sente que falta disciplina em sua vida, sugiro
primeiro você perguntar se você já tem propósito claro no que está
realizando. Se pergunte: porque estou querendo realizar isso? Eu sei
essa resposta? isso faz sentido?

A disciplina é uma virtude amiga, ela nos ajuda a disciplinarmos nossa


vontade, traz organização, constância, limpeza, foco, etc… Disciplina
não é rigidez. O que torna a disciplina rígida é forçar a barra para ter força
de vontade em uma coisa que não faz sentido para você. Então, relaxe,
desapegue, tente fazer aquilo que te faz sentido, que você sabe por que.
As vezes você vai precisar ter disciplina em algo que você nem gosta
tanto assim, mas procure então o porque precisa realizar aquilo, e se
fizer sentido de algum jeito, vá atras para realizar ⠀
Vamos lá guerreiros. Disciplina para despertar o amor. ⠀

Grande abraço, ⠀

Fernando Belatto
Oitavo Texto

Sobre as Polaridades
Eu gosto de aprender com a vida, me considero um constante estudioso
dela e sempre a considerei como “A GRANDE MESTRA DA HUMANIDADE”.
Ela está constantemente nos ajudando em nossa evolução, nos
colocando em diversas provas, em diversos testes que nos tiram da zona
de conforto e elevam a nossa criatividade. Isso é bom! Não brigue com a
vida, aceite o teste e ache a saída dentro dele. ⠀⠀
⠀⠀
Ultimamente venho estudando a polaridade em que estamos inseridos.
Muitos grupos que pensam diferente se atacando em diversos temas,
como: política, sexualidade, espiritualidade, etc... Me parece que não
existe respeito, e sim muito julgamento. Percebo muitos donos da
verdade e poucas pessoas abertas para ouvirem opiniões sem
julgamento, como ouvintes. ⠀

Eu posso ter um caminho a seguir em determinado assunto e respeitar o
caminho do outro, mesmo que seja diferente do meu. Porque é
necessário atacar alguém que pensa diferente de mim? ⠀

Quem sou eu para dizer que minha verdade é mais verdadeira que a do
outro?⠀

Sinto que se existe essa “grande verdade”, ela é o amor universal. Todos
buscamos formas de Amar, mas a maneira que eu escolho ou busco esse
amor pode ser diferente da do outro. E posso sim amar de verdade
escolhendo “verde” e o outro amar de verdade escolhendo “azul”. Somos
diferentes, porque não haver respeito? ⠀

Estamos vivendo uma polaridade desrespeitosa, onde se você postar
seu candidato, vai ser atacado. Se você postar o que gosta de comer, vai
vir alguém e escrever que isso é ruim, como você pode comer isso?
Parece que as emoções estão a flor da pele. Cadê o respeito pelas
escolhas? Cadê os valores humanos? Porque eu preciso colocar a minha
escolha atacando a escolha do outro?⠀
Eu torço por um mundo onde cada um possa seguir o seu coração e não
ser atacado por isso. Onde cada pessoa possa tomar conta de seu
quadrado e respeitar o quadrado do outro. Só assim poderá haver união.
Devemos ter cuidado para não querer mudar a vida do outro, pois ele(a) é
livre por natureza. É a Grande Mestra “Vida” que vai dando conta de tudo.
E se quiser dar um toque no seu amigo ou amiga, fale então com
respeito, converse e não tente mudar nada... Pois se você quer mudar o
outro significa que dentro tem uma necessidade de se provar... Se você
está tranquilo em seu interior, então não quer provar nada para
ninguém... Pelo menos é assim que penso... ⠀

Essas são apenas minhas últimas reflexões...

Fernando Belatto
EVENTO EXTERNO
Nono Texto

Guerreiro Interno x Vítima Interna


Que dura batalha não? 
 
Me parece que eu tenho a opção de ser guerreiro ou vítima, que eu tenho o
direito de escolher quando sou um ou outro. Em algum nível eu escolho… 
 
Quando sou guerreiro, percebo autorresponsabilidade, procuro não culpar
ninguém e sempre aprender com os desafios que se apresentam. Quando
sou vítima, eu só culpo os outros, reclamo e julgo. A vítima é vítima então
não assume essa autorresponsabilidade, acredita que o problema está fora,
no outro.
 
Então porque não consigo ser sempre responsável e guerreiro? Porque as
vezes a vítima me pega? 
 
Não sei dar a resposta final, mas o que faz sentido na minha investigação é
que quando consigo manter a presença, posso perceber até mesmo a vítima
gritando dentro de mim, mas tenho força e centro para não ser levado por
ela. Nesta presença tenho consciência para saber que o caminho da vítima
não é a melhor escolha pois sempre vem com uma dor, com uma raiva, e no
fundo já sei que não vai adiantar reclamar. Eu quero autorresponsabilidade e
procurar entender porque tal situação está acontecendo comigo. Mas as
vezes a vítima me toma e saio reclamando, mesmo já sabendo que não leva a
nada. Como assim?
 
Continuo o estudo de minha guerra interior e percebo que quando a vítima
toma conta do barco é porque eu me identifiquei com o meu passado. Na
verdade, em algum momento lá atrás eu já me senti vitimizado, devido a
algum choque de exclusão, humilhação, inferiorização, e é essa dor que abre
as portas para a vítima entrar, então eu acabo vivendo o passado no
presente, quando alguma situação me remete a ele. Ele me suga e não
sustento a presença. A vítima vem para me proteger de não sentir a dor. Mas
o mecanismo de defesa da vítima é muito primitivo e se defende acusando o
outro, o que gera separação e mais dor. 
 
Sendo assim, percebo que a chave mestra para vencer a vítima interna é a
presença e a autorresponsabilidade. Preciso compreender essa dor e curá-la
para que o passado já não me sugue mais e eu possa viver na presença,
agindo cada vez mais com o meu ser e com amor.
 
Sigo em meditação, pedindo para que o Grande Mestre me mostre o que eu
preciso ver para curar o meu passado e sustentar a presença. 
 
Fernando Belatto
Décimo Texto

Coragem:
A Arte de Seguir, Mesmo com Medo
Quando eu era mais novo, inspirado por super heróis corajosos, procurava
aniquilar o medo dentro de mim, pois o considerava coisa de fracote, mas devido
a isso, muitas vezes me sentia mal, pois ele ainda estava presente dentro de
mim. Não conseguia simplesmente não ter medo. ⠀

Hoje em dia vejo essa situação de uma forma bem diferente, procuro reconhecer
o medo em mim e chegar perto dele. Sinto que ele é um mensageiro que tem algo
para me ensinar. O medo muitas vezes é um autocuidado e é ele que vai zelar por
sua vida, esse tipo de medo é consciência. Mas existe um outro tipo de medo, no
nível do Ego, que bloqueia a nossa capacidade de realização, é um medo de
falhar, de passar vergonha, de não dar certo. Esse medo precisa ser vencido! E
como o vencemos?⠀

Sinto que a virtude da coragem é uma grande chave para nos ajudar nessa
transmutação da energia do medo. Coragem não significa “não ter medo”,
significa “mesmo com medo você continuar o seu caminho”. Quando
continuamos o nosso caminho, criamos a possiblidade de transmutar a energia
do medo, e nesta travessia muitas vezes vamos cair, passar vergonha, errar, mas
a coragem de levantar e tentar outra vez é o que faz um vencedor. ⠀

Escrevendo essas palavras me lembro de Raul Seixas dizendo “Veja, não diga que
a canção esta perdida, se é de batalhas que se vive a vida, TENTE OUTRA VEZ”. ⠀

Meus amigos, essa vida é uma grande escola e um dia todos nós vamos
abandonar esse corpo. Portanto, escrevo esse texto para os encorajar a
seguirem seus sonhos. É preferível errar tentando do que não errar por medo de
tentar. ⠀

Que você tenha coragem de movimentar a sua energia e se revelar. ⠀

Um grande abraço amigo guerreiro, amiga guerreira. ⠀
Essa vida é uma grande Escola. ⠀

Vamos estudar! ⠀

Fernando Belatto⠀
Em reverência, te desejo paz.
Meus contatos para eventos ou conversas.
email: fernando@odgi.com.br
Instagram: @fernandobelatto.odgi / @o_dgi