Você está na página 1de 78

1© Copyright MuitoBomDeCama.com.

br – Todos os direitos reservados


nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443
 

©  Copyright  MuitoBomdeCama.com.br  

Este   livro   está   protegido   pelas   leis   nacionais   e   internacionais   de  


direitos  autorais.  É  ilegal  copiar  ou  distribuir  em  qualquer  formato,  
eletrônico   ou   físico,   qualquer   parte   deste   material.   É   também  
crime  criar  qualquer  material  a  partir  do  conteúdo  deste  livro.  

 Constantemente   buscamos   na   internet   por   violações   a   este  


direito   exclusivo   de   propriedade.   Usamos   todos   os   recursos  
tecnológicos   disponíveis   para   que   infratores   sejam   rapidamente  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


descobertos   e   levados   a   justiça.   Trabalhamos   em   conjunto   com   as  
autoridades   locais   e   internacionais   para   garantir   o   respeito   à  
propriedade  intelectual.  

Se  você  tem  interesse  em  vender  este  material,  entre  em  contato  
com   contato@muitobomdecama.com.br   para   maiores  
informações  sobre  como  lucrar  legalmente.  

   

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 2


 

0.  Introdução    
1.  Porque  eu  amo  o  Sexo  Anal  e  Por  que  eu  escrevi  este  essas  confissões?  
2.  Mitos  Demais  
3.  A  Verdade  Sobre  “Meninas  e  Meninos”  
4.  A  Falta  da  Literatura  Erótica  Anal  
5.  Representações  na  mídia  
6.  Onde  obter  informações,  para  mulheres,  sobre  Sexo  Anal?  
7.  O  que  é  o  sexo  anal  e  o  que  ele  não  é  
8.  Uma  pequena  pesquisa  
9.  Mitos  Sobre  Sexo  Anal  
10.  Conhecendo  o  Ânus  Adequadamente  
11.  Os  Preparativos  Básicos  
12.  Além  dos  Nossos  Corpos  
13.  As  “Ferramentas”  Necessárias  
14.  Depilação  e  Enemas  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


15.  Aspectos  Emocionais  e  Psicológicos  do  Erotismo  Anal  
16.  A  Língua  no  Sexo  Anal  
Rimming  Seguro  
17.  Penetração  Anal  O  Parceiro  Ativo  na  Penetração  Anal  (ele)  
Vá  devagar,  seja  gentil  
Ouvir  e  falar  com  seu  parceiro  
Você  é  quem  deve  conduzir  
18.  O  Parceiro  Passivo  no  Sexo  Anal  (você)                
Diga  o  que  você  quer  
19.  Posições  para  a  penetração  anal  
Posição  “papai  e  mamãe”  
A  mulher  por  cima  
Estilo  Cachorrinho  
Sexo  Anal  Lateral  
20.  Fisting  Anal  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 3


Mitos  sobre  o  Fisting  Anal  
Mito  1:  Fisting  é  apenas  enfiar  a  mão  dentro  de  alguém  
Mito  2:  Só  os  homens  gays  praticam  o  Fisting  Anal  
Mito  3:  o  fisting  anal  é  perigoso  
Fisting  anal  e  sexo  seguro  
Fisting  Anal:  Como  Fazer  
Preparação  
Técnicas  de  punho  e  Dicas  
21.  Sadomasoquismo  e  a  Troca  de  Papéis    
22.  Saúde  Anal  Tomando  conta  do  seu  ânus  
Sexo  anal  e  DST  
Práticas  Anais  e  o  Sexo  Seguro  
As  Verrugas  Anais  
Hepatite    
Protegendo-­‐se    
Herpes  genital  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


A  gonorréia  retal  
Clamídia    
Sífilis    
HIV  e  AIDS            
Sobre  a  Transmissão  
23.  Seis  Regras  que  Você  Nunca  Deve  Ignorar  
Não  faça  isso  enquanto  estiver  grávida  
Converse  com  seu  homem  para  que  ele  não  faça  nada  “de  surpresa”    
Nunca  pule  as  preliminares  
Não  enfie  cedo  demais  
Não  vá  muito  rígido.    
Não  se  esqueça  de  respirar  
24.  A  Última  Fronteira    

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 4


1. Porque eu Amo o Sexo Anal e Por Que eu Escrevi Essas
Confissões?
Apesar  de  ser  mulher,  e  de  muitas  vezes  escrever  diretamente  “para  elas”  (durante  esse  
livro)  preciso  explicar  que  esse  livro  foi  feito,  essencialmente,  para  os  homens.  

Isso   acontece   porque   ainda   existe   uma   resistência,   muito   forte,   das   mulheres,   para  
buscar  informações  sobre  o  sexo  anal.  

Isso  acontece  por  vários  motivos  como  os  “mitos  sobre  o  sexo  anal”  e  a  “tese  popular”  
(que  durou  por  séculos)  de  que  o  sexo  anal  é  algo  depravado.  

No  entanto,  não  estamos  mais  em  um  mundo  onde  esses  preconceitos  tem  tanto  peso.  
Então  porque  as  mulheres  ainda  não  foram  atrás  disso?  

É   bem   simples.   A   maioria   delas   sequer   sabe   que   é   possível   ter   “prazer   anal”!   E   é  
exatamente  por  isso  que  esse  livro  é,  essencialmente,  para  homens.  

A   melhor   maneira   de   levar   esse   vasto   e   prazeroso   conhecimento   anal,   para   a   mulher,  
está   em   seu   parceiro,   aquele   que   ela   confia   e   admira.   Esse   será   o   seu   papel.   E,   como  
recompensa,   você   também   terá   muito   prazer   com   tudo   isso,   quando   a   sua   parceira   se  
der  conta  de  que  não  consegue  mais  viver  sem  o  Sexo  Anal.  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


Você  pode  trazê-­‐la  para  estudar  esse  livro  com  você,  ou,  pode  aprender  tudo  que  está  
aqui  para  levar  até  sua  vida  sexual,  sem  que  ela  sequer  saiba  que  você  teve  acesso  a  esse  
material.  

Apenas   não   se   esqueça   que   o   mais   importante   é   o   prazer   final   que   tudo   isso  
proporcionará.  

Para   estar   lhes   dizendo   isso,   com   tanta   convicção,   vocês   já   devem   estar   imaginando   o  
quanto  eu  gosto  e  aprecio  o  sexo  anal.  

Sim,  eu  admito,  eu  adoro  sexo  anal.  A  primeira  vez  que  alguém  pôs  um  dedo  na  minha  
bunda   eu   quase   fui  a   loucura   de   prazer.  As   sensações   que   eu  experimentei   foram   tão  
intensas,   incríveis   e  alucinantes.  Logo   de   cara   percebi   que   eu   não   podia   esperar   para  
fazê-­‐lo  novamente.    

A   primeira   vez   que   eu   coloquei   meu   dedo   na   bunda   de   outra   pessoa,   os   resultados  
também   foram   fabulosos,   senti   a   mais   profunda   vulnerabilidade   do   meu   parceiro,  no  
temor   do   prazer   que   eu   poderia   dar.  Então  vieram   mais   dedos,   línguas,   vibradores,  
pequenos  pênis   de   plásticos   (alguns   feitos   especialmente   para   a   penetração   anal),  
vibradores  maiores  e,  dependendo,  até  uma  mão  inteira.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 5


Cada  vez  que  eu  podia  “levar”  mais  um  pouco  e  oferecer  mais  um  pouco,  eu  me  sentia  
sexualmente  mais  viva  e  poderosa.  Quando  eu  incorporei  o  erotismo  anal  na  minha  vida  
sexual,  ela  tornou-­‐se  cada  vez  melhor.  

O   sexo   ficou   mais   quente,   minhas   aventuras   mais   intensas,   meus   orgasmos   ficaram  
mais  ferozes   e   explosivos.  As   sensações   físicas   foram,   inegavelmente,  algumas   das  
melhores  que  eu  já  senti  na  minha  vida.  

Eu  confesso   também   que,  além   da   gratificação   física,   todo  esse   universo   realmente   me  
excitava.  Passei   a   perceber   também,   nas   rodas   íntimas   de   amigos,   que   eles   não   faziam  
(ou,   se   faziam,   não   falavam)   sobre   o   sexo   anal   -­‐   e   eu   sabia   os   detalhes   íntimos   do   que  
eles  faziam  na  cama).  

Sempre  se  criou  a  ideia  de  que  o  sexo  anal  era  coisa  de  Gays  e,  os  Héteros  que  fizessem  
isso  estavam  no  auge  da  depravação.    Mas  nem  eu  nem  o  meu  parceiro  éramos  gays  (e  
muito  menos  depravados)  então  o  que  as  pessoas  pensariam  que  estávamos  fazendo?  

2. Mitos Demais
Crescendo   nesta   cultura,   é   quase   impossível   escapar   ao  tabu   da   sexualidade   anal   e   de  
todos   os   mitos   que   o   rodeiam.  Desde   novos,   somos   ensinados   que   nossos   ânus   são  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


privados,   sujos,  e   não   devem   ser   tocado   de   uma   forma   sexual.  Você   pode   ter   muitas   e  
muitas   aulas   de   educação   sexual,   mas   o   ânus   é   raramente   mencionado   (a   não   ser   que  
seja  pra  dizer  que  é  o  que  fica  atrás  de  nossos  órgãos  genitais).  

Quando  sexo   anal   é   reconhecido   como   uma   preferência   erótica   nas   pesquisas  
sexuais,  em  colunas  de  conselhos  populares,  é  retratado  como  uma  fantasia  de  homens  
heterossexuais   cujas   mulheres   suportam   a   dor,   fazendo   um   favor   aos   seus   parceiros,   por  
gostar  muito  deles.  Raramente  há  representações  de  mulheres  que  gostam  do  sexo  anal,  
tanto   quanto   os   homens.  Mais   recentemente,   o   sexo   anal   tem  sido   associada   ao   vírus   da  
AIDS  e  é  representado  como  um  perigo  fatal.  

Tornei-­‐me  sexualmente  ativa  nos  anos  oitenta,  no  início  da  crise  da  AIDS;  no  momento  
em   que   me   tornei   mais  alfabetizada   e   experiente,   sexualmente,   e   descobri   os  
prazeres  do  sexo  anal,  a  AIDS  tornou-­‐se  epidemia.    

Os  homens  gays  foram  infectados  em  números  alarmantes,  tornaram-­‐se  o  grupo  de  alto  
risco.  De  acordo  com  a  maioria  das  orientações  sexuais  mais  seguras  foi  o  sexo  anal  que  
começou  com  a  AIDS.  E  eu  estava  fazendo  sexo  anal.    

É   assustador   quando   grandes  instituições   médicas   lhe   dizem   que   uma   das   melhores  
coisas   que   você   gosta   de   fazer,   no   mundo,   não   é   mais   apenas   perversão,   mas,   na  
verdade,  é  um  risco  de  vida.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 6


Os  progressos  realizados  na  liberação  sexual  das  décadas  de  70  e  80,  que  contribuiu  para  
uma   maior   aceitação   de  muitas   práticas   sexuais   -­‐   antes   consideradas   ‘tabu’  
(incluindo  sexo  anal)  -­‐  foi  reprimido  pela  fobia  da  AIDS,  na  década  de  90.  

Por  exemplo,  na  primeira  edição  do  muito  popular  “Alegria  do  Sexo”,  publicado  em  1972,  
o  Dr.  Alex  Comfort  escreve:  

Este   [o   sexo   anal]   é   algo   que   quase   todos   os  casais   tentam,   pelo   menos   uma   vez.  Elas  
porque,  além  de  querer  agradar  seu  parceiro,  pensam  que  o  sexo  anal  pode  tornar  tudo  
mais  intenso,  e  eles  porque,  naturalmente,  tem  um  prazer  maior,  já  que  o  ânus  tem  um  
espaço  bem  mais  limitado  que  a  vagina,  causando  assim,  mais  prazer.  

No  entanto,  no  “Guia  para  Fazer  Amor”,  dos  anos  noventa,  Comfort  descreve  o  reto  e  o  
ânus  como  "um  canal  primariamente  projetado  para  outros  fins".  Ele  rejeita  a  prática  do  
sexo   anal   por   causa   dos   riscos  associados   como   a   infecção   do   HIV:   "À   luz   do  
presente  conhecimento,  é  melhor  evita-­‐lo  completamente”  –  afirma  Comfort.  

Quando  o  medo  da  AIDS  se  tornou  generalizado,  grande  parte  das  diretrizes  do  chamado  
“sexo  seguro”  ficaram  repletas  de  desinformações.    

As   mesmas   instituições   passaram   a   fazer   propagandas   sobre   sexo   seguro   alegando   que  
os   heterossexuais   e   as   lésbicas   não   estavam   em   risco   (como   se   fosse   algo   exclusivo   de  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


homens  gays).  Então  heterossexuais  e  lésbicas  começaram  a  ficar  doentes.  Membros  da  
comunidade  gay  e  os  ativistas  da  AIDS  perceberam  que  a  chave  para  salvar  vidas  era  ter  
informações  corretas  e  torná-­‐las  amplamente  disponíveis.  

O   problema   é   que   os   mitos   e  as   desinformações   sobre   sexo   anal   são   muito   fortes   na  
nossa   sociedade,   enquanto  estatísticas   precisas,   fatos   pessoais,   relatos   de   experiências  
e  representações  positivas  são  quase  impossíveis  de  se  encontrar.  

Logo,   os   ativistas   perceberam   que   tinham   de   começar   a   produzir   as   suas   próprias  


informações.    

3. A Verdade Sobre “Meninas e Meninos”


Do   pouco   que   tem   sido   escrito   sobre   o   erotismo   anal,   é   escrito   nos   materiais   gays,   de  
homens  que  fazem  sexo  anal  com  outros  homens.  De  fato,  apesar  do  tabu  cultural  -­‐  em  
grande   parte   por   causa   da   AIDS   -­‐  muitos   membros   da   comunidade   gay   não   deixaram  
de  reconhecer,  abertamente,  que  os  gays  faziam  sexo  anal.  

Em   geral,   os   homens   gays  parecem   abraçar   a   sexualidade   anal   e   discuti-­‐la   de   forma   mais  
honesta  que   os   outros.  No   rastro   da   epidemia   da   AIDS,   e   de   seus  efeitos   devastadores  
sobre  os  homens  da  comunidade  gay,  a  discussão  aberta  sobre  a  prática  e  os  riscos  do  
sexo  anal  tornaram-­‐se  uma  maneira  de  salvar  vidas.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 7


No  entanto,  as  discussões,  workshops  informativos  e  a  literatura  destinada  a  isso  tendem  
a  ficar  restritas  aos  membros  dessas  comunidades  gays.  Pessoas  de  fora  da  comunidade  
nem  sempre  têm  acesso  a  eles.    

Este  livro  foi  escrito,  principalmente,  para  mulheres  que  querem  saber  mais  sobre  o  sexo  
anal   -­‐   com   relação   ao   prazer   e   a   saúde.  Meu   trabalho   centra-­‐se,   particularmente,   no  
psicológico,  no   emocional   e   no   físico   -­‐   relacionados   com   a   saúde   e   as   questões   que   as  
mulheres  enfrentam.    

Embora   o   livro   se   concentre   em   experiências   de   mulheres,  muitas   das   diretrizes   e  


generalizações  sobre  o  sexo  anal  se  aplicam  a  todos,  independentemente  do  sexo.    

4. A Falta da Literatura Erótica Anal


Sempre   achei   surpreendente   que   só   existisse   apenas   um   livro   dedicado,   exclusivamente,  
ao   erotismo   anal:   “Prazer   e   Saúde   Anal”   de   Jack  Morin.   Enquanto   ele   é   incrivelmente  
inovador,  informativo  e  perspicaz,  parece  estranho  que  seja  o  único  nesse  universo.  

Recentemente,  decidi   investigar   apenas   os   livros   de   sexo   que   estão   sendo   vendidos  
nas  Livrarias   dos   Estados   Unidos.  Como   o   meu   local   de   teste,   eu   escolhi   uma   cadeia  
nacional  de  livrarias  em  um  bairro  bastante  conservador  de  Manhattan.  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


Eu   vasculhei   as   prateleiras   da   seção   “Sexualidade”   e   encontrei  uma   extensa   seleção.  A  
maioria  dos  livros  eram  dedicados  a  melhorar  a  consciência  e  a  vida  sexual  dos  leitores.  
Eles  discutiram  como  fazer  um  sexo  melhor,  mais  quente,  em  ter  um  orgasmo  melhor  –  e  
um  sexo  muito  mais  seguro.    

Havia   livros   de  terapeutas   sexuais,   sexólogos,   pesquisadores   do   sexo,   profissionais   do  


sexo,   consultores   de   sexo   e   especialistas   em   sexualidade   alheia.  Havia   até   mesmo  
uma  meia  dúzia  de  títulos  dedicados  a  práticas  sexuais  bastante  alternativas,  tais  como  o  
sadomasoquismo.  

Obviamente,  há  um  mercado  significativo  para  livros  de  sexo.  Isto  é  devido,  em  parte,  à  
obsessão   da   sociedade   com   o   sexo   e   a   sexualidade,   mas   também   reflete    
a   importância   do   sexo   em   nossas   vidas.  As   pessoas   estão   com   fome   de   informações,  
ideias  e  conselhos  sobre  todos  os  aspectos  da  sexualidade.  

Entre   os   milhares   de   livros   sobre   sexo,   atualmente   em   impressão,  muitos   são   bem  
focados   e   especializados,   abordando   temas   como  masturbação,   sexo   oral,   sexo   com  
vibrador,   sexo   após   os   cinquenta,   fantasias   sexuais,   sexo   entre   lésbicas,   sexo   por  
telefone,  “interpretando  papéis”  no  sexo,  sexo  gay,  sexo  tântrico,  sexo  transexual,  sexo  
virtual,  sexo  bizarro.    

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 8


Há  também  títulos  dedicados  à  massagens  eróticas,  preliminares,  ao  romance,  à  sexo  em  
relações  abertas.  E,  mesmo  entre  esse  mar  de  volumes  sexuais,  havia  apenas  um  sobre  
sexo  anal.  

Em   geral,   manuais   de   auto-­‐ajuda   sexuais,   e   outros   livros   que   pretendem  cobrir   todo   o  
espectro   das   práticas   sexuais,   dedicam   pouquíssimas   páginas   sobre   o   sexo   anal   -­‐   isso,  
quando  não  é  deixado  de  fora.  

Em   títulos   populares   como   “Dr.   Ruth   Westheimer   de  Sexo   para   Todos”  e   “Sexo   na  
América:   Um   Estudo   definitivo”,   há   apenas   uma   breve   informação   sobre   saúde   e  
erotismo  anal.    

A  cobertura  da  sexualidade  anal  é  muito  fraca  em  comparação  com  as  outras  seções  de  
sexo   e   sexualidade   –   sem   falar   nas   vezes   em   que,   esse   pouco   conteúdo,   está  
desatualizado   e   desinformado.  Assim,   quando   esses   volumes   se   auto-­‐intitulam   como  
"completos",  "definitivos"  e  "globais",  aqueles  de  nós  que  buscam  informações  sobre  o  
prazer  anal,  ficam  com  um  enorme  sentimento  de  vazio  ao  ler  essas  obras.  

5. Representações na Mídia
Se   o   sexo   anal   já   fica   nas   margens   da   literatura   sexual,   ele   está   totalmente   fora   de   todos  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


os  outros  meios  de  comunicação.  

Quando  foi  a  última  vez  que  você  viu  uma  cena  de  erotismo  anal  em  um  filme?  Quando  
foi   a   última  vez   que   alguém   mencionou   o   sexo   anal   na   televisão?  Quando   você   viu   isso  
em   uma   revista?  Quando   perguntei   a   um   grupo   de   mulheres,   onde  elas   tinham   visto  
conteúdo  de  sexo  anal,  as  respostas  incluíam  apenas  filmes  pornográficos,  palestras  (que  
apenas   ouviram   falar)   em   comunidades   Gays   e,   o   livro   “Prazer   e   Saúde   Anal”   do  
Jack  Morin.  

Uma   entrevistada   disse:   "Da   minha   perspectiva,   acho   que   há   uma   grande   escassez   desse  
tipo   de   informação.   Principalmente   quando   o   assunto   em   questão   é   o   sexo   anal   para  
mulheres  heterossexuais”.  

Porque   a   mídia   americana   é   consumida   com   o   sexo   e   sexualidade,   muitas   das   imagens  
que   vemos   em   novelas   diárias,   comerciais   de   cerveja,   clipes   musicais   e  anúncios,   são  
repletos   de   conteúdo   sexual.  No   entanto,   há   um   grande   vazio   quando   se   trata   de   sexo  
anal.  

6. Onde obter informações, para mulheres, sobre Sexo Anal?

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 9


As  mulheres  têm  muitas  fontes  de  informação  sobre  saúde  e  práticas  sexuais:  os  médicos  
de   família,   ginecologistas,   outros   profissionais   de   saúde,   terapeutas,   pais,   amigos   e  
etc.  No   entanto,   essas   fontes   geralmente   não   fornecem   informações  sobre   a   saúde   e   a  
sexualidade  anal.  Quando  foi  a  última  vez  que  você  conversou  com  uma  dessas  pessoas  
sobre  sexo  anal?  

Embora   possamos  conversar   com   qualquer   um   sobre   questões   sexuais,   doenças  


sexualmente  transmissíveis,  sexo  seguro  e  afins,  a  maioria  das  mulheres  não  se  sentem  
confortáveis  para   discutir   um   assunto   tão   delicado   como   esse   e,   a   maioria   dos  
especialistas,  não  tratam  do  tema.  Mesmo  quando  eu  era  questionada  sobre  as  minhas  
práticas  sexuais,  durante  um  exame  ginecológico,  o  tema  do  sexo  anal    nunca  surgia.  

Como  você  já  deve  ter  notado,  não  há  referencias  de  graduação  que  aparecem  antes  do  
meu  nome  como:  Bacharel,  Mestra,  Doutora  ou  etc.    

Eu  não  sou  uma  médica  psiquiatra,  psicoterapeuta  e  nem  terapeuta  sexual  -­‐  apesar  de  eu  
ter  estudado  os  trabalhos  e  pesquisas  de  pessoas  que  são.  

Não   sou   especializada,   academicamente,   no   assunto.   No   entanto,   eu   tenho   estudado  


sobre  vários  livros  de  auto-­‐ajuda  sexuais,  tenho  lido  muitos  estudos  e  pesquisas  sobre  o  
tema,   incluindo   livros   e   manuais   de   saúde   sobre   sexo   saudável,   orientações   sexuais   mais  
seguras  e  vários  materiais  eróticos  para  conseguir  obter  informações  precisas  e  seguras  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


sobre  a  sexualidade  anal.    

Eu   tentei   aprender   o  tanto   quanto   eu   pude   sobre   a   anatomia   e   a   sexualidade   anal   e,  


também,  tenho   contado   com   outras   pessoas   mais   qualificadas   de   áreas   fora  do   meu  
conhecimento  e  experiência.  Tentei  escrever  sobre  o  assunto  de  uma  forma  simples  e  em  
uma  linguagem  que  todos  pudessem  compreender.  

7. O Que É O Sexo Anal E O Que Ele Não É


Embora  tenha  havido  uma  grande  dose  de  silêncio  e  pouca  pesquisa  sobre  sexo  anal,  a  
mitologia,  as  práticas  e  as  representações  de  sexo  anal  tem  uma  história  complexa.  Pode-­‐
se   escrever   livros   inteiros   apenas   analisando   o   tabu   sobre   sexo   anal   na   sociedade  
americana.   E,   os   mitos  sobre   o   erotismo   anal,   poderiam   ser   o   tema   central   de   outro  
livro.    

Não   se   esqueça   desses   tópicos:   a   etimologia   do  sexo   anal,   discursos   teóricos   e   críticos  
sobre  o  sexo  anal  na  sociedade  e,  a  psicologia  e  a  história  psicanalítica  do  sexo  anal.  Um  
trabalho   impressionante   tem   sido   realizado   nessas   áreas   e,  muito   mais   trabalho   ainda   se  
faz  necessário.  Eu  dou  uma  visão  geral  dos  mitos  e  tabus  do  sexo  anal  -­‐  relacionado  no  
capítulo  1  -­‐  e  em  todo  o  livro  que  se  referir  a  quaisquer  questões  históricas  e  teóricas  que  
digam  respeito  ao  sexo  anal.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 10


Eles  me  deram  ótimas  informações  e  me  ensinaram  a  pensar  sobre  a  verdadeira  questão  
da  sexualidade  anal.  No  entanto,  este  livro  destina-­‐se  a  não  ser  um  trabalho  teórico,  mas  
um  livro  útil  e  prático  para  pessoas  interessadas  em  explorar  a  sexualidade  anal.  

8. Uma Pequena Pesquisa


A   fim   de   incorporar   as   experiências,   atitudes,   sentimentos   e  perspectivas   de   outras  
mulheres,   eu   conduzi   um   pequeno   inquérito,   confidencial,   escrito   de   mulheres   que  
fizeram  sexo  anal  com  homens,  outras  mulheres  e/ou  pessoas  transexuais.    

Enviei   uma   pesquisa   contendo  36   perguntas   à   colegas   e   contatos   e   os   incentivei   a  


passarem   de   um   para   o   outro.  Eu   utilizei   uma   abordagem   qualitativa   já   que   eu   estava  
mais   interessada   nos   detalhes   e   sentimentos   da   pessoas   (incluindo   suas   experiências)   do  
que  em  recolher  estatísticas.    

Eu  fiz  perguntas  sobre  uma  variedade  de  assuntos:  sobre  o  primeiro  contato  com  o  sexo  
anal;   sobre   as   atividades   e   experiências;   sobre   dar   e   receber   o   prazer   anal;   o   que   mais  
gostavam   e   menos   gostavam;   posições   sexuais   anais;   brinquedos   usados   para  
estimulação   e   penetração   anal;   desejos,   fantasias   e   medos  associados;   joguinhos   de  
interpretação;   sobre   o   medo   de   DSTs   com   essa   prática;   fontes   para   se   conseguir  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


informações   sobre   o   assunto,   e;   sobre   o   que   achavam   da   ausência   desse   assunto   na  
mídia.  

Consegui  informações  fantásticas  e,  na  medida  do  possível,  as  incorporei  nesse  livro,  de  
acordo  com  algumas  perspectivas.  

9. Mitos Sobre Sexo Anal


Mito  1:  O  Sexo  Anal  Não  É  Natural,  É  Imoral  

VERDADE:   Os   estudantes   de   sociologia   estão  cientes   do   axioma   que   ”o   incomum   e  


errado,  dos  dias  de  hoje,  pode  muito  bem  ser  considerado  o  comum  e  o  normal,  dos  dias  
de  amanhã”.  

A   aprovação   generalizada   da   prática   da   masturbação   e   do   sexo   oral   é   um   exemplo  de  


algo   “anormal”   e   incomum,   do   passado,   e   que   se   transformou   em   um  norma.  As  
definições   sobre   o   que   é,   e   sobre   o   que   não   é,   um   comportamento   padrão,   são  
estabelecidos   por   instituições   –   sendo   o   governo   e   as   instituições   religiosas   as   mais  
poderosas  nesse  sentido.  

O  sexo  anal  ainda  permanece  como  tabu  nas  instituições  religiosas,  jurídicas,  médicas  e  
científicas.  O   tabu   é   claramente   manifestado   em   informações   sobre   saúde  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 11


e  sexualidade.  Os  mitos  que  se  seguem  serão  familiares  para  a  maioria  das  pessoas,  e  são  
eles  que  acabam  reforçando  o  tabu  do  sexo  anal.    

Os  tabus  normalmente  desafiam  a  lógica,  a  ciência  e  a  experiência.  Eles  geralmente  têm  


mais  a  ver  com  a  desinformação,  o  medo  e  um  desejo  de  manter  o  “status  quo”.  No  caso  
do  sexo  anal,  o  tabu  vem  de  alguns  elementos  fundamentais  da  nossa  sociedade.    

Por   exemplo,   o   sexo   anal   é   considerado   sujo   por   estar   relacionado   com   a  obsessão  
cultural  com  a  higiene  e  a  limpeza;  ele  também  reflete  a  percepção  que  muitas  pessoas  
fazem   entre   o   sexo   anal   e   os   gays.   Ambos   os   pontos   citados   impedem   muitas   pessoas  
de  experimentar  o  prazer  anal.    

Em   “Prazer   e   Saúde   Anal”,   Jack   Morin   traça   as  raízes   religiosas   do   tabu   do   sexo   anal:    
 
Na   tradição   judaico-­‐cristã,   o   tabu   contra   o   sexo   anal  e   a   relação   sexual   é   visto   como  
proveniente  de  Deus.  Na  história  do  Antigo  Testamento,  Deus  destrói  completamente  a  
cidade   de  Sodoma,   presumivelmente   como   punição   pela   sodomia   desenfreada   entre   seu  
povo.    

Muitos  estudiosos  acreditam  agora  que  a  punição  foi  por  violação  das  regras  de  Sodoma,  
e  tinha  pouco,  ou  nada  a  ver,  com  práticas  sexuais.    

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


A   interpretação   da   sodomia,   no   entanto,   ainda   é   geralmente   aceita.  Mas   entre   os  
cristãos,  a  condenação  do  sexo  anal  se  baseia  apenas  no  desejo  de  evitar  a  ira  de  Deus.  
Então,   como   ficaria   se   isso   não   fosse   mais   visto   dessa   forma   como   é   hoje?  
 
Hoje,  as  pessoas  e  as  instituições  que  continuam  insistindo  e  mantendo  a  ideia  de  que  o  
sexo  anal  não  é  natural  e  é  imoral,  são,  muitas  das  vezes,  as  mesmas  pessoas  que  apoiam  
a  legislação  “Antigay”,  proibindo  a  educação  sexual  nas  escolas,  e  leis  contra  a  sodomia,  
o  que  torna  ilegal  fazer  qualquer  tipo  de  sexo  que  não  seja  procriativo  e  heterossexual.  É  
algo  realmente  retrógrado  (e,  alguns  diriam,  um  absurdo).  

Mito  2:  Somente  Putas  E  Pervertidos  Fazem  Sexo  Anal  

VERDADE:   O   sexo   anal   é   praticado   e   apreciado   por   mulheres,   homens,  transexuais   e  


quaisquer  outro  tipo.  Vai  da  mocinha  alegre  à  mulher  depravada,  que  não  vale  nada.  Não  
fazendo  qualquer  distinção.  

Na  verdade,  nas  atuais  pesquisas  sobre  sexo  e  livros  de  auto-­‐ajuda,  as  seções  que  tratam  
do  sexo  mais  “ousado”  e  incomum  –  como  sexo  grupal,  sadomasoquista  e  até,  o  sexo  que  
envolve  urina  e  fezes  –  tem  incluído  o  sexo  anal.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 12


A   noção   de   que   sexo   anal   é   anormal,   ou   pervertido,   é   baseado   no   pressuposto   de   que  
apenas   alguns   tipos   específicos   de   sexo   são   naturais   e   convencionais,   que   são   aqueles  
que  servem  para  procriar.  Ou  seja,  deve  sempre  envolver  a  relação  direta  entre  pênis  e  
vagina  para  estar  dentro  desse  critério.  

Mito  3:  O  Ânus  Não  Foi  Feito  Para  Ser  “Erotizado”  

VERDADE:   O   ânus   é   cheio   de   pontos   sensíveis   e   terminações   nervosas   e,   o   estímulo  


dessas  terminações  nervosas  e  a  penetração  no  reto  podem  ser  intensamente  prazerosos  
e  levar  as  mulheres  (e  até  os  homens)  ao  orgasmo.    

As  mulheres  podem  ser  estimuladas  durante  o  sexo  anal,  e  homens  podem  experimentar  
a   estimulação   do   pênis   e  da   próstata   através   da   penetração   de   um   dedo   ou   acessórios  
(isso,   é   claro,   se   tratando   de   homens   héteros,   já   que,   homossexuais   tem   formas   mais  
evidentes  de  fazer  essa  estimulação).  

O   ânus   é   rico   em  terminações   nervosas   e   trabalha   bem   com   nossos   órgãos   genitais,   com  
tensão  muscular  e  contrações  de  excitação  sexuais  que  levam  ao  orgasmo.  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


Mito  4:  O  Sexo  Anal  Não  É  Higiênico  

VERDADE:   Desde   que   existem   práticas   de   higiene,   o   sexo   anal  foi   mais   confuso   que  
qualquer   outro   tipo   de   sexo.  Fezes   são   armazenadas   no   intestino   e   passam   através   do  
reto  e  do  canal  anal  durante  uma  “evacuação”.  Normalmente,  há  apenas  uma  pequena  
quantidade  de  matéria  fecal  no  canal  anal  e  no  reto.  Algumas  pessoas  tomam  uma  ducha  
lá,   ou   vão   a   banheira   antes   do   sexo   para   limpar   a   área   anal,   mas  outras   medidas  
extraordinárias  podem  ser  necessárias  para  o  sexo  anal.  

Algumas  pessoas  costumam  fazer  um  enema  antes  do  sexo  anal,  mas,  nem  sempre  isso  é  
necessário.  

Mito  5:  Somente  Homossexuais  Fazem  Sexo  Anal  

VERDADE:  Pessoas  de  todas  as  orientações  sexuais  fazem  sexo  anal.  Embora  seja  verdade  
que   a   maioria   dos   homens   gays   fazem  sexo   anal,   nem   todos   fazem.   As   estatísticas  
revelam   um   número  percentual   menor   do   que   se   acredita,   que   gira   em   torno   de   50   a   60  
por   cento   -­‐   e   menos   de   30%   o   fazem   regularmente.   Sexo   oral   é   a  prática   mais   comum  
entre  homens  gay.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 13


Mito  6:  Homens  Heterossexuais  Que  Gostam  De  Estimulação  Anal  São  Gays  

VERDADE:  É  um  mito  muito  comum  que,  os  homens  que  curtem  estimulação  anal  (seja  
com   o   dedo   de   sua   parceira   ou   com   algum   acessório)   durante   o   sexo,   tem   tendências  
homossexuais.  Porém,  é  um  imenso  absurdo  isso.  

É   bem   comum   que   os   homens   tenham   prazer   com   esse   tipo   de   estimulação   (porém,   a  
maioria   sequer   já   cogitou   tentar   algo   assim   e,   por   isso,   não   sabem   que   gostariam).  
Quando   o   casal   já   tem   certa   intimidade,   o   homem   que   gosta   não   vê   problema   em  
compartilhar  isso  com  sua  parceira,  mas,  fora  isso,  é  bem  difícil  de  acontecer.  

Inclusive,   as   pesquisas   já   demonstraram   que,   a   maioria   dos   casais   gays   praticam   bem  
mais  o  sexo  oral  do  que  o  sexo  anal.  Sendo  que,  muitos  desses  casais,  nem  fazem  do  sexo  
anal  uma  prática  regular.  

Mito  7:  O  Sexo  Anal  É  Sempre  Doloroso  Para  A  Mulher  

VERDADE:   Com   desejo,   relaxamento,   comunicação,   confiança   e  uma   boa   lubrificação,   o  


sexo   anal   pode,   não   só,   ser   isento   de   dor,   como   levar   ao   orgasmo.  Sexo   anal   não   tem   de  
ser   doloroso,   nem   mesmo   um   pouco.  Se   for,   o   seu   corpo   está   dizendo   que   você  deve  
parar.  Se   você   ignorar   os   avisos   do   seu   corpo   e   continuar,  então   você   pode   se  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


machucar.  A  experiência  pode  deixar  o  seu  ânus  mais  “tenso”  da  próxima  vez  que  você  
tentar  a  penetração  anal.  

Seu  corpo  se  lembra  de  tudo,  então  não  tente  enganá-­‐lo.  

Mito   8:   Mulheres   Não   Gostam   De   Sexo   Anal;   Elas   Fazem   Isso  Só   Para   Agradar   Seus  
Parceiros  

VERDADE:   Isto   é   um   mito   particularmente   estúpido.  Muitas   vezes,   ouvimos   que   as  


mulheres  fazem  sexo  anal,  mais  ou  menos  assim:  “o  namorado  implorou  e  suplicou,  por  
um   bom   tempo   e,   finalmente,   a   namorada   dele   cedeu”,   ou,  “o   namorado   dela   estava  
satisfeito,  mas  ela  não  se  divertiu  muito”.  

Nunca  ouvimos  histórias  sobre  mulheres  que  gostem  e  desfrutem  do  sexo  anal,  mulheres  
que  iniciam  o  sexo  anal,  ou  mulheres  que  são  muito  felizes  por  fazer  dessa  prática  algo  
regular.  

A   colunista   de   sexo   Susan   Crain   Bakos,   diz:  "Sexo   anal   é   uma   das   maiores   fantasias  
masculinas.   E,   por   causa   dessa   cultura,   eles   não   entendem   o   quanto   as   mulheres   podem  
gostar  de  fazer  isso”.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 14


Mito  9:  O  Sexo  Anal  É  A  Maneira  Mais  Fácil  De  Se  Contrair  A  Aids  

VERDADE:  Como  o  tecido  anal  é  delicado,  acabam  surgindo  micro-­‐lesões  (invisíveis  a  olho  
nu),  onde  os  vírus  podem  ser  facilmente  transmitidos  para  a  corrente  sanguínea,  por  isso,  
a   relação   sexual   anal   desprotegida,   torna-­‐se   uma   atividade   de   alto   risco   muito   mais   para  
ambos  os  parceiros  do  que  se  fosse  o  sexo  vaginal.  

Qualquer   tipo   de   sexo,   sem   proteção   (incluindo   a   masturbação),   colocam  ambos   os  


parceiros  em  risco  por  causa  do  tecido  frágil  que  podem  ter  pequenos  cortes  ou  feridas  
que  estejam  nas  mãos  ou  na  boca.  

No   entanto,   o   sexo   anal   não   leva,   automaticamente,  a   AIDS.  Sexo   anal   praticado   com  
bom   senso,   preservativo,  luvas   de   látex,   “dental   dam”   e   lubrificantes   (ou   com  
um  parceiro   monogâmico   que   você   saiba   não   ter   nenhuma   DST)   pode   ser   tão   seguro  
como  qualquer  outra  prática  sexual.  

Mito  10:  O  Sexo  Anal  é  para  “meninas  más"  

VERDADE:  Bem,  este  mito  realmente  é  verdade.  É  claro,  sexo  anal  não  é  realmente  ruim  
para   você   e   não   vai   te   tornar   uma   má  pessoa.  No   entanto,   para   aqueles   de   vocês   que  
estão  ligados  a  ideia  de  que  sexo  anal  é  um  tabu,  não  me  deixe  arruinar  sua  festa.  Muitas  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


pessoas   realmente   incorporam   os   mitos.  Eu   tenho   discutido,   especialmente,   o   "fator  
maldade",  no  erotismo  anal.  

Eu  amo  o  fato  do  sexo  anal  ser  um  tabu  e  que  as  pessoas  não  queiram  admitir  que  fazem  
(quando  fazem,  é  claro).  

O  tabu  do  sexo  anal  me  dá  uma  certa  excitação,  bem  como  saber  o  quão  intenso  é  para  o  
meu  parceiro.  Adoro  ver  o  desejo  que  ele  tem  pela  minha  bunda.  

Eu  amo  a  ideia  de  que  o  meu  parceiro  fique  tão  excitado  com  a  prática  anal.  É  um  tabu,  é  
sexy,  é  muita  coisa.  

Exercício:  Mitos  Pessoais  

O   que   você   aprendeu   sobre   o   sexo   anal   durante   a   sua   infância,   sua  adolescência   e   sua  
vida  adulta?  Anote  tudo  o  que  você  sabe  sobre  sexo  anal,  mesmo  coisas  que  você  sabe  
que   são   falsas,   basta   deixar   tudo  vir   à   sua   mente   e   colocar   no   papel.    
Quando  tiver  terminado,  compare  a  sua  lista  com  os  mitos  e  verdades  analisados  neste  
capítulo.  Descubra  se  o  que  entrou  na  sua  lista  é  fato  ou  ficção.    

Mantenha   a   lista   acessível.  Você   pode   querer   repetir   este   exercício   com   um  parceiro  
como  parte  de  uma  discussão  sobre  sexo  anal.    

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 15


Por  reconhecer  e  discutir  os  mitos  que  afetam  os  nossos  desejos  e  medos  no  ambiente  
da   prática   anal,   podemos   começar   a   ver   as   verdades  por   trás   dos   mitos.  Uma   verdade  
muito   importante,   e   que   deve   ser   lembrado   sempre,   é   que  sexo   anal   pode   ser   seguro,  
divertido  e  prazeroso.  

10. Conhecendo o Ânus Adequadamente


Embora  a  anatomia  seja  parte  da  ciência  e  da  medicina,  o  estudo  da  anatomia  é  menos  
objetivo   do   que   se   pode   pensar.  Há   uma  variedade   de   diferentes   interpretações   e  
opiniões   sobre   a  estrutura   interna   do   nosso   corpo,   especialmente   as   nuances  
e  complexidades  de  nossa  anatomia  sexual.    

Isto   é   certamente   verdadeiro   para  a   anatomia   retal.  A   discussão   da   anatomia   e  


das  ilustrações   anatômicas,   neste   livro,   são   baseadas   nas   minhas  interpretações   de  
diversas   fontes,   incluindo   livros   de   medicina,  manuais   sobre   sexo   e   conversas   com  
educadores  sexuais.  

O  Ânus,  o  Esfíncter  Anal,  e  os  Músculos  PC  

O  ânus  é  a  abertura  externa  do  canal  anal.  É  composto  de  dobras  de  tecido  macio  que  lhe  
dão   um   amassado   ou  aparência   enrugada.  A   área   em   torno   da   abertura   é   cheia  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


de  folículos   pilosos,   o   cabelo   pode   ser   fino   e   leve,   grosseiro   e   escuro,  ou   algo   no   meio  
disso.  Todo  mundo  tem  cabelo  em  torno  do  ânus.  

Rica   em   vasos   sangüíneos   e   terminações   nervosas,   o   tecido   do   ânus  é   extremamente  


sensível  e  responde  ao  toque  e  a  estimulação.  

Na   verdade,   ele   pode   ser   uma   das   nossas   zonas   erógenas   mais   sensuais,   mas  é   muitas  
vezes  temido,  esquecido  e  acaba  ficando  inexplorado.  Com  banhos  regulares  e  de  higiene  
pessoal,  o  ânus  geralmente  está  limpo,  mas  mantém  ainda  vestígios  de  coliformes  fecais,  
que  carregam  as  bactérias  das  entranhas.  

Músculos   Esfíncter   -­‐   cercam   a   abertura   anal.   O   esfíncter   externo   é   o   mais   próximo  
do  abertura.  

Com   paciência   e   prática,   você   pode,   voluntariamente,  controlar   o   esfíncter   externo,  


tornando-­‐o   tenso   ou   relaxado.  A   parte  interna   do   esfíncter   é   controlado   pelo   sistema  
nervoso   autônomo   de   nosso   sistema,   que   controla   as   funções   involuntárias   do   corpo,  
como  a  sua  taxa  de  respiração.  Este  músculo  normalmente  reage  de  forma  reflexa,  por  
exemplo,   quando   você   está   pronto   para   ter   um   movimento   intestinal,   a   parte  interna   do  
esfíncter  relaxa,  permitindo  que  as  fezes  se  movam  a  partir  do  reto  para  o  canal  anal.  O  
esfíncteres   externo   e   interno   não   se   sobrepõem,   eles   trabalham   juntos.    
     

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 16


Outros   músculos   que   rodeiam   também   contribuem   para   as   sensações   da   área   anal.  Os  
músculos   perineais   dão   suporte   a   área   entre  o   ânus   e   os   órgãos   genitais.  Neste   grupo  
estão  o  músculo  pubococcygeus  (conhecido  como  músculos  PC),  que  são  uma  parte  do  
pavimento  pélvico.    

Para   homens   e   mulheres,   esses   músculos  se   contraem   durante   a   excitação   sexual   e   o  
orgasmo.  

Eu  amo  o  controle  que  eu  tenho  sobre  os  músculos  da  minha  bunda  e,  em  como  ele  se  
sente  poderosos  quando  envolvem  o  pênis  do  meu  amante.    

Quanto   mais   atenção   você   der   aos   seus   músculos   do   esfíncter,   mais   fácil   será   para  
começar   a   relaxá-­‐los.  Como   eu   já   disse,   os   dois  músculos   trabalham   em   conjunto,   você  
pode   incentivar   o   esfíncter   interno   para   relaxar   através   do   relaxamento   do   esfíncter  
externo.    

Muitas  mulheres  descobriram  que,  através  do  exercício  para  reforçar  o  seu  músculo  PC  e  
dos  músculos  pélvicos,  podem  ter  mais  controle  dos  seus  músculos  do  esfíncter  e  podem  
atingir  os  orgasmos  mais  intensos.  

Exercícios  Pélvicos  E  Dos  Músculos  PC  

Os  exercícios  podem  ajudá-­‐la  a  se  tornar  mais  consciente  de  seus  músculos  do  esfíncter  e  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


músculos   PC   e   aprender   a   controlar   e   a  fortalecê-­‐los.  Eles   irão   ajudá-­‐lo   a   entrar   em  
sintonia   com   os   sentimentos   e   a   sua   região   pélvica,   aumentando   a   sua   sensibilidade  
e  receptividade.    

Os   exercícios   tonificam   os   músculos   pélvicos,  tornando-­‐os   mais   flexíveis   e   mais  


receptivos   a   prazerosas  sensações.   Além   disso,   quando   você   exercita   os   músculos   PC,  
outros  músculos  na  área  também  são  exercitados  e  fortalecidos.  

Você  pode  fazer  os  exercícios  deitada,  sentada  ou  de  pé.  

 Como   acontece   com   qualquer   programa   de   exercícios,   você   deve   fazê-­‐los   diariamente  
para  ter   melhores   resultados.  Se   os   seus   músculos   parecerem   cansados,   no   primeiro  
momento,  não  se  preocupe  -­‐  isso  é  normal.    

Use   seu   bom   senso   e   não  exagere   muito,   no   começo.  Quanto   mais   difícil   for   os  
exercícios,  mais  tonificados  seus  músculos  PC  ficarão,  no  entanto,  se  você  sentir  qualquer  
dor  ao  fazê-­‐los,  consulte  um  médico.    

Exercitar  os  músculos  PC  durante  a  masturbação  ou,  nas  preliminares,  aumenta  o  fluxo  
sanguíneo  na  área,  aumentando  a  excitação.  

Mulheres  que  exercem  regularmente  os  seus  PC  e  os  músculos  pélvicos,  relatam  muitos  
benefícios   como:   aumento   das   sensações   pélvicas  e   maior   sensibilidade   anal;   o   prazer,  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 17


que  aumentou  durante  a  estimulação  do  clitóris  e  durante  a  penetração  vaginal  e  anal;  
mais  controle  dos  orgasmos  e,  mais  intensos.  

Alguns  dos  exercícios  seguintes  são  chamados  exercícios  de  Kegel,  nomeado  pelo  médico  
que   primeiro   estudou   os   músculos   PC   e   os   popularizou.  A   teoria   e   os   exercícios   são  
recomendados  por  outros  profissionais  da  saúde.  

Encontrando  os  Músculos  do  PC  

Primeiro  você  precisa  saber  que  esse  músculo  fica  naquela  área  entre  a  vagina  e  o  ânus.  
Para   localizar   esses   músculos   é   bem   simples,   comece   a   fazer   xixi   e,   enquanto   estiver  
fazendo-­‐o,  você  deve  parar  o  fluxo  da  urina.  

Os   músculos   que   você   contraiu   para   isso   é   que   são  os   músculos   do   PC.  Se   você   colocar   o  
dedo   sobre   o   períneo,   a  área   entre   a   vagina   e   o   ânus,   você   vai   sentir   as   contrações,  
enquanto  estiver  fazendo  os  exercícios.  

Contrações  e  Relaxamento  

Faça   uma   respiração   profunda   e,   enquanto   você   inala   o   ar,   contraia   esses   músculos  e  
mantenha   a   contração   por   alguns   segundos.  Então   expire   e  relaxe   os   músculos.  Esta  
combinação   de   inalar   e  exalar   faz   com   que   seu   corpo   relaxe,   naturalmente.  Para  
melhores  resultados,  você  deve  fazer  cerca  de  100  repetições  por  dia.  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


Contrações  Rápidas  

Respire   fundo   e,   desta   vez,   enquanto   você   inala,   aperte   e  solte   os   músculos  
repetidamente  (cerca  de  dez  vezes),  depois  expire  e  relaxe.  Tente  fazer  essas  contrações  
tão  rapidamente  quanto  você  puder.  

Sucção  

Para   este   exercício,   inspire   e   finja   que   está   sugando   água  para   dentro   de   sua   vagina   e   do  
ânus.  Então   expire,   empurrando   para   fora   essa   água   imaginária.  Você   vai   exercitar   os  
seus  músculos  pélvicos  e  os  músculos  do  estômago.  Para  melhores  resultados,  faça  de  10  
a  30  a  cada  dia.  

Os   efeitos   positivos   deste   movimento   serão   limitados   se   você   segurar   a   sua   pélvis   rígida,  
enquanto   faz   os   exercícios.  Aprender   a   fazer   tudo   isso   sem   deixar   a   pélvis   tão   rígida  
é  uma  das  principais  razões  por  que  tantas  pessoas  precisam  dos  exercícios  de  Kegel.    

Segurar  a  pélvis  exige  tensão  muscular,  e  limita  o  movimento.  

Esse  seria  um  momento  muito  propício  para  se  estudar  as  técnicas  para  se  manter  mais  
ereto,  no  livro  dedicado  a  evitar  a  Ejaculação  Precoce.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 18


Igualmente,   para   que   seu   sexo   se   torne   algo   incrível   e   que   possa   lhe   proporcionar   um  
tempo  absurdo  de  prazer,  você  pode  conhecer,  no  programa   Sexonaoconvencional.com.br,  o  
Livro  “Poder  Tântrico  -­‐  Como  Prolongar  Muito  o  Prazer  No  Sexo”.  

O   renomado   especialista   em   saúde   anal,   Jack   Morin,   recomenda   que   “desloquem”    


seu  corpo  enquanto  você  faz  os  exercícios  pélvicos.  

Tente  combinar  os  exercícios  com  caminhada,  corrida,  dança  ou  outro  exercício  similar.  

O  Canal  Anal  e  o  Reto    

O  canal  anal  tem  cerca  de  1  ou  2  polegadas  de  comprimento.  O  mesmo  tecido  macio  que  
vai  até   o   ânus   compreende   o   canal   anal,   por   isso   é   muito   sensível   ao  toque   e   a  
estimulação.  As   paredes   do   canal   anal   são  composta   de   tecido   que,   como   os   do   clitóris   e  
do  pênis,  aumentam  com  o  fluxo  sanguíneo,  durante  a  excitação.    

Quando  os  músculos  do  esfíncter  estão  relaxados,  estas  dobras  de  tecido  do  canal  anal  
tem  uma  enorme  capacidade  para  se  expandir.  Se  o  músculos  do  esfíncter  não  estiverem  
relaxados,  a  penetração  só  é  possível  com  força,  causando  rompimento  do  tecidos  e  dor.  

Há  tantas  mais  terminações  nervosas  no  ânus.  Faz  loucuras  com  a  minha  cabeça  e  com  
meu   corpo  de  uma   maneira   que   nenhum   outro   tipo   de   atividade   sexual   pode  
fazer.  Ao  mesmo  tempo  que,  não  é  algo  que  eu  faria  todos  os  dias.    

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


Às   vezes,   meses   ou   anos   podem   se   passar   até   que   a   mulher   esteja   realmente  "pronta"  
para  este  tipo  de  estimulação  profunda.    

Além  do  canal  anal  e  o  reto,  que  tem  cerca  de  cinco  centímetros  de  comprimento,  o  reto  
é   composto   por   dobras   soltas   de  tecido   liso.  Ele   também   tem   uma   grande   capacidade   de  
expansão;  mais   ele   é   mais   largo   que   o   canal   anal.  O   reto   é   tubular  e   as   curvas   com  
cuidado.  A  parte  inferior  das  curvas  do  reto  vão  direção  ao  seu  umbigo.    

Depois,   há   poucos   centímetros   das   curvas   do   reto   de   volta   para   sua   coluna.  Depois   de  
mais   um   centímetro,   o   reto   se   torna   o   cólon,   que   são   as   curvas   em   direção   ao   seu  
umbigo.  Essas  curvas  são  parte  da  razão  e  do  motivo  do  porque  a  lentidão  e  a  paciência  
são  fundamentais  para  uma  penetração  anal  agradável.    

O   reto   de   cada   pessoa   tem  curvas   que   são   únicas,   e   é   melhor   descobrir   esse   caminho  
devagar,  seguindo  as  suas  curvas,  em  vez  de  sair  “colocando  pra  dentro”,  diretamente.  
     
A   anatomia   anal   dos   homens   e   das   mulheres   são   muito   semelhantes,   mas   há  algumas  
diferenças  importantes.  

O  ponto  G  (ou  esponja  uretral)  é  uma  área  elevada  de  tecido  acondicionado  em  torno  da  
uretra.  A   esponja   uretral   pode   ser   encontrada   na   parede   frontal   da   vagina,   e   muitas    
mulheres   chegam   ao   orgasmo   ao   serem   estimuladas   nesse   ponto.  É   mais   facilmente  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 19


encontrado   e  estimulado   durante   o   sexo   na   posição   “de   quatro”.   Além   da   penetração  
vaginal;   algumas   mulheres  conseguem   a   estimulação   do   ponto   G   durante   a   penetração  
anal  também.    

Os   homens   podem   experimentar   a   estimulação   da   próstata,   quando    


são   penetrados   analmente.  A   próstata,   que   rodeia  a   uretra,   está   abaixo   da   bexiga   e  
acima  da  base  do  pênis.  O  homem  pode  encontrá-­‐la  alguns  centímetros  para  dentro  do  
canal   anal   e  em   direção   ao   umbigo.  Esta   é   a   glândula   que   produz   esperma   e    
pode   ser   uma   grande   fonte   de   prazer   para   os   homens   quando   eles   recebem   uma  
penetração  anal.    

É  um  ponto  muito  sensível  à  massagem  e,  a  maioria  dos  homens  (adeptos  da  estimulação  
anal)  preferem   esfregá-­‐la   gentilmente;   qualquer   movimento   espasmódico   pode  
ser  muito  desconfortável.  

Cada   pessoa   tem   -­‐   seja   o   ponto   G   ou   a   próstata   -­‐   uma  glândula   que   é   única.   Algumas  
pessoas   podem   desfrutar   desta   estimulação   e  outras   não.  Antes   de   experimentar   a  
estimulação   anal   ou   a   penetração,  é   importante   começar   com   a   exploração   anal.  Em  
outras  palavras,  você  precisa  ficar  mais  familiarizada  com  o  seu  ânus.    

Este   não   é   apenas  um   exercício   para   iniciantes.  A   maioria   de   nós,   mesmo   as  
mais  experientes  e  que  já  fazem  o  sexo  anal  -­‐  nunca  olharam  o  seu  anus.  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


Exercício:  Dê  uma  Boa  Olhada  

Arrume   um   espelho   de   mão   e   encontre   um   local   adequado   e   bem   iluminado.  Em  


primeiro  lugar,  respire  profundamente,  durante  alguns  minutos,  para  relaxar.  Talvez  você  
fique   na   cama,   escolha   uma   música   tranquila,   algum   incenso.,   enfim.   Estas   são   apenas  
sugestões.  Faça  o  que  você  achar  melhor  para  lhe  deixar  relaxada.    

Uma   vez   que   você   esteja   relaxada   e   pronta   para   se   explorar,   encontre   uma  posição  
confortável,  onde  você  vai  ser  capaz  de  permanecer  por  algum  tempo.    

Comece   olhando   para   o   seu   ânus.  Basta   dar   uma   olhada,   na   forma,   no   tamanho,  
na  cor.  Como  ele  se  parece?  Relaxado,  tenso,  um  meio  termo  entre  esses  dois....?    

Massageie,  suavemente,  suas  nádegas,  suas  coxas,  a  área  ao  redor  do  seu  ânus.  Continue  
a  explorar  essa  área  no  seu  próprio  ritmo.  Note  como  a  abertura  responde  à  massagem  
em   torno   dele.  Quando   você   se   sentir   confortável,   toque  seu   ânus.  Não   penetre,   basta  
fazer  alguns  toques  externos.    

Sintonize-­‐se   com   as   sensações   que   você   sente,   tanto   em   seu   ânus   como   com   o    
resto  do  seu  corpo.  Continue  a  tocar  e  comece  com  uma  penetração,  de  qualquer  tipo,  
mas,   quando   você   sentir   vontade   de   parar,  pare.  Algumas   pessoas   podem   gostar   de  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 20


escrever   alguns   pensamentos   em   um  diário   sobre   essa   experiência   para   reler   e   refletir,  
mais  tarde.  

11. Os Preparativos Básicos


A   seguir   estão   algumas   preparações   básicas   para   você   ter   segurança   e   prazer   no   sexo  
anal  (vou  discutir  mais  sobre  o  sexo  seguro  nos  capítulos  4  e  11.)    

Unhas  Curtas  e  Lisas    

O  tecido  do  ânus,  o  canal  anal  e  o  reto  são  muito  delicados  -­‐  muito  mais  delicados  do  que  
o   tecido   da   vagina.  A   fim   de  fazer   com   que   a   estimulação   e   a   penetração   sejam  
confortáveis,  tanto  para  si  mesma,  como  para  o  seu  parceiro,  certifique-­‐se  de  que  suas  
unhas  estejam  curtas  e  lisa,  sem  bordas  serrilhadas  ou  cortantes.    

Mesmo  se  você  pretende  usar  luvas  de  látex  é  uma  boa  ideia  cuidar  delas,  para  certificar-­‐
se   que   aqueles  unhas   não   fiquem   pontudas   envolta   do   látex   dentro   do   ânus   do   seu  
parceiro  (ou  do  seu  próprio!).  Unhas  curtas  e  suaves  ajudarão  a  evitar  pequenas  lágrimas  
no  tecido  anal,  que  podem  causar  irritação  e  desconforto  durante  o  sexo  anal.  

Acessórios  Limpos  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


Tudo   o   que   você   pretende   colocar   em   um   ânus   deve   estar   limpo,   de  antemão.  Suas  
mãos,   e,   se   for   o   caso,   as   mãos   do   seu   parceiro,  ou   o   pênis,   devem   estar   muito   bem  
lavados   em   água   quente   e   com   um   bom  sabão   antibacteriano.  Brinquedos   como   plugs  
anais   e   dildos   também   devem  estar   limpos   com   água   quente   e   sabão   e,   além   disso,   você  
deve  deixar   seus   brinquedos   “de   molho”   por   cerca   de   quinze   minutos   para   desinfectá-­‐
los.  

Alternativamente,   você   pode   colocar   um   preservativo   novo   em   cada   brinquedo    


(incluindo  o  pênis  de  seu  parceiro)  antes  de  usá-­‐lo,  e  que  possam  ser  descartados  após  
cada  uso.  

Isso  não  só  garante  que  tudo  esteja  seguro  e  limpo  para  o  sexo,  como  também  facilita  a  
limpeza  durante  e  depois  do  sexo.  

É  muito  importante  lembrar  que,  uma  vez  que  você  for  inserir  algo  no  seu  ânus  -­‐  como  
um   dedo,   um   brinquedo,   um   pênis,   enfim   -­‐   ele   deve  ser   muito   bem   lavado   ou   coberto  
com  um  novo  preservativo  de  látex  antes  de  entrar  em  contato  com  a  vagina.  

Colocar  algo  no  ânus  e  depois,  simplesmente,  transferi-­‐lo  diretamente  para  a  vagina  é  o  
caminho  certo  para  fortes  infecções  vaginais,  incluindo  leves  infecções  do  canal  urinário,  
e  outros  tipos  de  infecções  bacterianas.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 21


Então,  por  favor,  não  faça  isso  antes  de  limpar  tudo  que  tiver  que  limpar!  Além  disso,  os  
pesquisadores   de   sexo,   Masters   e   Johnson,   relatam   que   apenas   lavar   o  pênis   não   é  
suficiente   para   impedir   que   as   bactérias   gastrointestinais  do   reto   se   transfiram   para   a  
vagina,  porque  "podem  haver  bactérias  dentro  da  uretra  que  escapam  à  ação  de  limpeza  
do  sabão  e  da  água”.  

Conheça   também   os   muitos   acessórios   que   podem   ser   usados   na   busca   do   prazer  
(sexonaoconvencional.com.br).  

Tendo  o  Ânus  Limpo  e  Vazio  

A  melhor  maneira  de  ter  um  ânus  feliz  e  saudável  é  você  comer  bastante  fibra.  Lembre-­‐
se  que,  se  você  não  estiver  se  sentindo  bem  (como,  por  exemplo,  tendo  algum  problema  
intestinal)   é   uma   boa   ideia   adiar   a   atividade   erótica   anal  até   que   as   coisas   voltem   ao  
normal.  É  ideal  ter  ido  ao  banheiro  antes  de  executar  o  plano  de  fazer  sexo  anal,  afinal,  
os  intestinos  vazios  tendem  a  proporcionar  experiências  eróticas  mais  confortáveis  para  
todos.  As  fezes  são  armazenadas  no  cólon.  

Eles  passam  no  reto  quando  o  corpo  se  prepara  para  um  movimento  intestinal.  Se  você  
vai   ao   banheiro   logo   após  sentir   desejo   de   ir,   as   fezes   passam   pelo   reto   e   pelo   canal   anal  
e   vão   para  fora   de   seu   corpo.  Mas,   se   você   não   vai   quando   tem   vontade   (as   vezes   até  
porque  não  é  possível,  naquele  momento),  as  fezes  ficam  presas,  e  permanecem  no  reto.  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


Nesse  caso,  depois  de  ir  ao  banheiro,  ficará  uma  pequena  quantidade  de  material  fecal  
no   seu   canal   anal   e   no   reto.   Se   você   tiver   uma   dieta   ruim,   recorrentes   constipações,  
diarreias  ou  outros  distúrbios  intestinais,  pode  haver  mais  matérial  fecal  presente  do  que  
o  habitual.    

Em  todo  caso,  lembre-­‐se  que  mesmo  o  reto  saudável  contém  alguma  matéria  fecal,  que  
leva   as   bactérias   do   cólon,  bactéria   “escherichia”,   bem  como   hepatite   A,   parasitas,  
amebas,  ou  vírus  que  possam  estar  presentes.  

Algumas   pessoas   gostam   de   tomar   uma   ducha   de   banheira   antes   do   sexo   para    
limpar   a   área   anal.  Eu   sei   que   um   banho   quente   e   sabão   de   coco   me   tranquilizam   de    
que   minha   bunda   está   limpa   para   a   língua,   dedos   ou   o   pênis   do   meu   parceiro.   E,   me  
deixa  mais  tranquila  para  praticar  o  sexo  anal.    

Você   também   pode   querer   ter   um   enema,   embora   enemas   não   sejam   obrigatórios    
para  se  estar  seguro  e  limpo  para  o  sexo  anal.  (Leia  mais  sobre  enemas  no  capítulo  5.)  

Relaxamento    

É  tão  importante  para  ambos  os  parceiros  estarem  relaxados,  a  fim  de  ter  uma  relação  
saudável   e   sensual.  Lembre-­‐se   que   você   pode   relaxar  todos   os   grupos   musculares   da  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 22


região   anal,   e   quando   eles   não   estão  relaxados,   qualquer   atividade   anal     pode   ser  
desconfortável,  ou,  até  mesmo,  dolorosa.  

Medo,   estresse   e   tensão   podem   ser   sentidos   intensamente   na   sua   bunda.  Quando   o  
corpo   e   a   mente   estão   relaxados,   focados   no   prazer  e   pronto   para   experimentar   o  
erotismo   anal,   o   encontro   será  muito   mais   gratificante.  Eu   recomendo   tocar,  acariciar,  
massagear,   beijar,   enfim.   Se   livre   de   todas   as   distrações   externas   e   prepare   o  
cenário:  desligue  o  telefone,  coloque  uma  música  sexy,  acenda  algumas  velas,  arrume  a  
cama  com  lençóis  especiais,  e  coloque  algo  sensual.  O  que  for  preciso  para  colocar  você  e  
seu  parceiro  no  clima  certo.    

Em   seguida,   comece   tocando   todo   o   seu   corpo,   não   necessariamente   tocando   as   áreas  
sexuais,  porém,  tocando  de  forma  sensual.  É  uma  ótima  maneira  de  relaxar  o  corpo  e  a  
mente,  realmente  preparando  você  em  todos  os  seus  sentidos.    

Um  banho  de  espuma  quente  também  é  uma  boa  maneira  de  relaxar  o  corpo,  entrar  no  
clima  e  limpa  e  agradável  para  aquela  pessoa  especial    =]    

Segurança  em  Primeiro  Lugar  

Deixem-­‐me  definir  alguns  dos  termos  que  usaremos  ao  longo  deste  livro,  ao  discutirmos  
sexo  seguro:  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


Você  pode  ser  monogâmica  com  o  seu  parceiro.  Tendo  o  compromisso  de  ter  um  único  
parceiro  sexual.    

Você   pode   fazer   os   testes   para   HIV   e   DSTs,   se   você   não   usou   camisinha   ou   seguiu   as  
orientações  sexuais  mais  seguras.    

Ou,   você   pode   estar   em   um   relacionamento   onde   vocês   se   comprometeram   a   praticar  


sexo  seguro  com  qualquer  outro  contatos  sexual  que  não  seja  com  seu  parceiro  e  você  
fez   o   teste   de  HIV   e   DST.  Quando   tiver   relações   sexuais   uns   com   os   outros,   você  
normalmente  não  usam  preservativos,  e  você  entra  em  contato  com  fluidos  corporais  do  
parceiro.  Quando   você   tem   relações   sexuais   com  outros,   você   sempre   pratica   sexo  
seguro.    

Vocês   podem   não   ser   monogâmicos.  Você   pode   ter   múltiplos  parceiros   com   os   quais  
você  pode  (ou  não)  ter  um  relacionamentos.  Independentemente  de  saber  se  você  tem  
um   parceiro,   ou  muitos,   se   não   fizeram   testes,   recentemente,   para   todas   as   doenças  
sexualmente   transmissíveis,   não  sabem   histórias   dos   seus   parceiro   ou   de   suas   práticas  
sexuais  e  sua  histórias,  ou  não  sabe  se  o  seu  parceiro  tem  ou  não  o  HIV,  você  deve  seguir  
as  diretrizes  do  sexo  seguro,  para  evitar  a  transmissão  do  HIV  e  de  outras  doenças.  

Naturalmente,   se   você   tem   uma   DST   ou   HIV,   você   vai   querer  seguir   as   orientações  
sexuais  mais  seguras  em  todos  os  momentos.    

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 23


A   menos   que   você   seja   monogâmica,   seu   repertório   sexual   deve   sempre   envolver  
práticas   de   sexo   seguro   para   prevenir  doenças   sexualmente   transmissíveis,   e,   o   sexo  
anal,  com  preservativos,  faz  parte  disso.    

Na   verdade,   pelo   fato   do   tecido   anal   ser   tão   delicado,   fluidos   corporais   infectados   com   o  
HIV,   e   outros  vírus,   são   transmitidos   e   absorvidos   com   facilidade   e   rapidez   na   corrente  
sanguínea  através  da  mucosa  do  reto.  

Assim,  o  sexo  anal  pode  ser  mais  arriscado  para  os  dois  parceiros  do  que  a  relação  sexual  
vaginal  sem  proteção.  

Para   aqueles   que   já   são   monogâmicos   recomendo   que,   antes   de   passar   a   fazer   sexo   sem  
camisinha,  você   e   seu   parceiro   façam   o   teste   de   HIV,   alguns   meses   depois   que   vocês  
tenham  tido  contato  sexual  com  outra  parceiro.  

Se  você  e  seu  parceiro  já  são  monogâmicos,  e  ambos  deram  negativo  nos  testes  de  HIV  
(ou   outra   DST),   você   ainda   pode   utilizar   práticas   sexuais   mais   seguras   para   o   sexo  
anal.  Como  você  verá  no  capítulo  4,  camisinhas  e  lubrificantes  ajudam  a  evitar,  não  só  a  
propagação  de  DSTs  e  HIV,  mas  também  a  disseminação  de  bactérias  do  intestino.  Além  
disso,  camisinha  e  lubrificantes  tornam  o  sexo  anal  muito  mais  fácil  de  ser  realizado.    

Se  você  não  é  monogâmico,  ou  não  sabe  se  tem  HIV  ou  alguma  DST  (ou  o  seu  parceiro  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


não  sabe),  você  deve  praticar  sexo  seguro,  use  camisinha  para  o  sexo  anal  e  para  todas  as  
atividades   sexuais   em   que   você   possa   entrar   em   contato   com   os   fluidos   corporais   do   seu  
parceiro.  Previna  a  transmissão  de  doenças  sexualmente  transmissíveis  e  o  HIV.  

O   Nonoxinol-­‐9,   que   é   encontrado   em   alguns   lubrificantes,   é   uma   substância   química  


comprovada  e  que  mata  o  HIV  (o  vírus  que  causa  a  AIDS)  e  outros  vírus  de  DSTs.  

Embora  seja  amplamente  recomendado  que  o  nonoxinol-­‐9  seja  usado  durante  a  relação  
sexual  vaginal,  muitas  mulheres  acham  que  eles  são  alérgicos,  que  irritam  suas  vaginas  e  
provocam  infecções  vaginais.  Há  diferentes  opiniões  sobre  seu  uso  para  o  sexo  anal.  

Não   há   pesquisas   suficientes   com   relação   aos   efeitos   do   nonoxinol-­‐9  sobre   o   tecido   retal  
e  anal,  e  minha  pesquisa  ilustra  as  diversas  opiniões  sobre  isso.  

O  Livro  “The  American  Medical  Guide  for  the  Womens”  recomenda  que  você  sempre  use  
o   nonoxinol-­‐9   para   o   sexo   anal,   no   entanto,   o   livro   não  indica   nada   específico   para   a  
penetração  vaginal.  

O  “Kinsey   Institute”   em   seu   “relatório   sobre   “sexo”   não   defendem   o   uso   de    


nonoxynol-­‐9  em  sexo  anal  e  discutem  possíveis  riscos  ou  efeitos  colaterais!    

O   “Novo   Guia   de   Boas   Vibrações   para   Sexo”,   assim   como   um  supervisor   que   eu  
entrevistei   em   San   Francisco,   recomenda   que   você   não   use   o   nonoxinol-­‐9   para   o   sexo  
anal  devido  à  delicadeza  do  tecido  retal.  Estas  fontes  concordam  com  as  muitas  pessoas  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 24


que   acreditam   que   o   nonoxinol-­‐9   pode   ser   muito  áspero   e   irritante   para   o   tecido  
delicado   do   canal   anal   e  reto.  Porque   é   provável   que   irrite   ou   traumatize   esses  tecidos,  
que  pode  levar  a  transmissão  do  HIV  mais  rápido  e  mais  fácil  (quando  deixar  de  usar  essa  
substância)   proporcionando   ao   vírus   uma   rota   de   sangue   acessível.  
 
Se  você  estiver  usando  os  dedos  ou  um  brinquedo  sexual  para  a  penetração,  certifique-­‐se  
de   usar   uma   camisinha   nova   a   cada   vez,   sem   precisar   usar   um  lubrificante   com  
nonoxinol-­‐9.    

Se,   no   entanto,   você   quer   que   seu   parceiro   a   penetre   com   o   seu  pênis,   eu   recomendo  
usar  um  preservativo  e  lubrificante  em  abundância,  e  faça  seu  parceiro  retirar  antes  da  
ejaculação.  Dessa  forma,  se  estourar  a  camisinha  ou  vazar  algum  sêmen  e  o  lubrificante  
não  tem  nonoxynol-­‐9,  ele  deve  ejacular  fora  do  seu  corpo  ao  invés  de  dentro  de  você.  "O  
guia   completo   do   Sexo   Seguro”,   do   “Instituto   de   Estudos   Avançados   da  Sexualidade”  
oferece  outra  dica:  

“Camisinhas  lubrificadas  com  Nonoxinol-­‐9    só  foram  testadas  para  o  sexo  vaginal.  Assim,  
alguns  o  usam  para  sexo  anal,  mas  não  tem  certeza  se  esse  lubrificante  na  camisinha  será  
tão   útil   quanto   o   lubrificante   líquido   que   é   vendido   sozinho.   Você   pode   colocar   esse  
lubrificante  em  volta  da  camisinha,  para  ficar  mais  tranquila  na  prática  do  sexo  anal.”  

A  menos  que  vocês  sejam  monogâmicos,  seu  parceiro  deve  sempre  usar  uma  camisinha  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


(ou  passar  esse  lubrificante  no  pênis)  antes  da  penetração.  

[Uma   nota   sobre   o   sexo   anal]   Enquanto   estava   grávida.  Dr.  Ruth   Westheimer   apontou  
que   alguns   homens   pensam   que   ter  relações   sexuais   vaginais   durante   a   gravidez,   de  
alguma   forma,   prejudica   o  bebê,   assim   eles   sugerem   a   relação   sexual   anal.   "É   seguro  
fazer  sexo  anal  estando  grávida,  embora  algumas  mulheres  achem  que  não  poderão  ficar  
em  uma  posição  confortável  para  a  estimulação  anal”.  

Mulheres   grávidas   também   devem   ter   cuidado   extra   para   evitar   a  disseminação   de  
bactérias   do   ânus   e   do   reto   para   a   vagina,   uma   vez   que  infecções   vaginais   durante   a  
gravidez  pode  ser  mais  difíceis  e  mais  graves  de  se  tratar.  

12. Aspectos Emocionais e Psicológicos do Erotismo Anal


Além  de  cuidar  dos  nossos  corpos  na  preparação  e  durante  o  sexo  anal,  nós  também  
temos  que  cuidar  de  outros  aspectos  de  nós  mesmos.  Nosso  bem-­‐estar  emocional,  
psicológico  e  espiritual  para  desempenhar  um  papel  importante  em  nossas  experiências  
eróticas,  e,  nossa  experiências  da  sexualidade  anal,  não  é  exceção.    

Desejo    

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 25


A  coisa  mais  importante,  quando  se  fala  em  um  jogo  erótico  anal,  é  o  desejo.    Você  deve,  
deve  fazer  isso  porque  você  quer  fazer.  

Em   seu   vídeo   sobre   erotismo   e   sexo   anal,   a   atriz   pornô,   Nina   Hartley,   fala   sobre   este  
ponto  importante  desde  o  início:  você  tem  que  querer  isso.  Você  não  deve  (e  nem  tem  
porque)   fingir   que   quer   o   sexo   anal.  Seu   corpo,   sua   mente   e   psique   devem  estar   de  
acordo  que  você  quer  fazer  sexo  anal.  Não  faça  só  porque  você  acha  que  o  seu  parceiro  
quer,  porque  o  seu  parceiro  está  pressionando  você  para  fazer  isso,  ou,  porque  você  está  
com   medo  de   que   você   não   vá   ser   uma   amante   desejável   se   você   não   fizer   isso.   Tome  
suas  decisões  sobre  o  que  você  gosta  e  o  que  você  não  gosta,  sobre  o  que  você  quer  e  
sobre  o  que  não  quer  e,  depois,  comunique  ao  seu  parceiro.    

Comunicação    

Ninguém   é   capaz   de   olhar   nos  olhos   de   uma   mulher   e   descobrir  se   ela   gosta,   ou   se  
interessa,  pelo  sexo  anal.  

A   comunicação   é   um   componente   chave   antes,   durante   e  após   o   sexo   anal.  É   uma   boa  
ideia   conversar   com   seu   parceiro   sobre   sexo   anal.   Partilhar   seus   desejos   e   fantasias,  
assim  como  os  seu  medos,  antes  de  seguir  em  frente.  

Na  verdade,  eu  acho  que  é  melhor  você  discutir  isso  com  seu  parceiro  em  um  momento  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


não-­‐sexual,   ao   invés   de   escolher   fazer   isso   quando   estiverem   na   cama,   após   terem  
acabado  de  ter  realizado  o  primeiro  ato  sexual  da  noite.    

Ao   trazer   à   tona   o   assunto,   você   pode   abordar   de   uma   forma   tranquila;   ver   o   que   seu  
parceiro  pensa  sobre  o  assunto,  e,  em  seguida,  falar  sobre  o  que  você  pensa.    

Medo    

As   pessoas   têm   muitos   medos   e   sentimentos   negativos   com   relação   ao   erotismo  


anal.  Alguns  desses  sentimentos  resultam  dos  mitos  da  nossa  sociedade  e  tabus  sobre  o  
sexo  anal.  Mitos  sobre  o  sexo  anal  são  naturais,  pervertidos,  dolorosos  e  correm  o  risco  
de   se   tornaram   medos   muito   reais  na   mente   das   pessoas.  É   importante   perceber   que  
somos  criados  com  o  tabu  sobre  sexo  anal  e  mitos  que  começam  na  infância  e,  portanto,  
somos  todos  afetados  de  alguma  forma  por  eles.  

Converse  com  o  seu  parceiro:    

• Quais  são  seus  medos?  


• Meu  parceiro  vai  pensar  que  sou  estranho  por  querer  fazê-­‐lo,  sem  ele  ter  falado  
nada  sobre  isso?  
• Vou  pegar  hemorroidas?  
• Vai  ser  complicado?  Minha  bunda  pode  cheirar  mal?  
• Vou  ter  prisão  de  ventre  ou  diarreia?  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 26


• Vai  doer,  ou  algo  pode  ficar  rompido?    
• Posso  não  me  sentir  bem?  
• Posso  não  gostar?  
• Vou  pegar  uma  DST  ou  outra  doença?  

Quais  os  seus  medos  ao  colocar  acessórios  ou  seus  dedos  no  ânus  do  seu  parceiro?  

• Vou  machucar  meu  parceiro  ou  fazê-­‐lo  sangrar?    


• Vai  me  sujar  com  fezes?  
• Eu  não  vou  fazer  direito?  
• Meu  parceiro  pode  pensar  que  sou  estranha  por  querer  fazer  isso?    
• Vou  pegar  uma  DST  ou  outra  doença?  
• Meu  namorado  pode  se  preocupar  se  as  pessoas  vão  pensar  que  ele  é  gay?    

Enquanto   a   maioria   destes   medos   têm   suas   raízes   nos   mitos   e  equívocos   sobre   o   sexo  
anal,  é  importante  respeitar  e  conversar  sobre  isso.  

Insisto!   Converse   com   seu   parceiro   sobre   os   medos   que   você   tem   e   revise  o   Capítulo  
sobre  mitos,  dissipando  a  desinformação  e  substituindo-­‐as  por  informações  corretas.    

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


Tranquilizem-­‐se  sobre  o  fato  de  qualquer  um  de  vocês  poder  parar  a  atividade  a  qualquer  
momento   sem   que   alguém   precise   fazer   aquilo   pelo   outro.  Tenham   um   conjunto   de  
regras  básicas  de  limites  sobre  o  que  é  bom  e  o  que  não  é.  Sobre  como  será  a  experiência  
e   os   progressos,   sobre   o   que   precisa   (e   pode,   tranquilamente),   ser   mudado.  Cada  
pessoa  precisa  saber  que  estará  a  salvo  de  dor  ou  doenças  durante  o  sexo  anal  -­‐  e  que  há  
confiança  e  respeito,  mútuos.  

Medo  e  tensão  podem  ser  sentidos  pelo  seu  ânus,  se  ele  estiver  tenso  e  relutante.  Nina  
Hartley   nos   lembra:   "De   todas   as   partes   do   seu  corpo,   o   ânus   é   o   que   menos   pode   ser  
enganado.  Portanto,  se  sua  mente  está  dizendo:  'Sim!  Sim!  '  e  seu  coração  está  dizendo  
‘Não!  Não!’,  seu  ânus  sempre  ouve  o  seu  coração”.  

Expectativas,  necessidades  e  fantasias  

Ter   uma   discussão   aberta   e   honesta   pode   ajudar   a   esclarecer   o   que  cada   pessoa   quer  
dessa   experiência   e   porque.   Assim   ambos   ficam   menos   propensos   a   fazer   suposições  
incorretas  sobre  os  desejos  e  as  expectativas  do  outro.  

Vocês  podem  perguntar  um  ao  outro:    

• O  que  você  quer?  O  que  você  espera?  Quais  são  suas  necessidades?    
• “Ele  vai  se  sentir  bem,  mas  eu  nunca  mais  vou  querer  fazer  novamente”.    

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 27


• “Eu  quero  fazer  apenas  com  um  dedo  e  depois  parar”  
• “Vamos  tentar  apenas  estimulação  externa,  nada  além  disso.”  
• “Eu  gostaria  de  ser  lambida  e  tocada,  mas  sem  penetração.”  
• “Eu  quero  ser  capaz  de  colocar  um  plug  anal  na  minha  bunda.”  
• “Nós  já  fizemos  com  os  dedos  uma  dúzia  de  vezes,  esta  noite  eu  quero  com  seu  
pênis.”  
• “Eu  quero  fazer  tudo  que  possa  me  deixar  mais  segura”.    

Como  foram  suas  experiências  anteriores  com  sexo  anal?  Compartilhe  isso,  discuta.  Por  
que  você  quer  explorar  a  sensualidade  anal?  

• Eu  quero  explorar  algo  novo  com  o  meu  parceiro.    


• Estou  curiosa  sobre  a  sensação.    
• Já  fiz  isso  antes  e  quero  fazer  novamente.    
• Você  quer  fazer  isso  e  eu  não  quero  dizer  não  para  você.    
• Eu  quero  me  sentir  mais  intimido  do  meu  amante.    
• É  algo  especial  que  eu  quero  compartilhar  com  meu  parceiro.    
• Eu  vi  em  um  filme  pornô  que  me  incentivou,  e  eu  quero  tentar.    
• Sempre  foi  uma  fantasia  minha.    

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


 

Fantasias   podem   ser   forças   incrivelmente   poderosas   em   nossas   vidas.  Muitas   pessoas  
fantasiam   sobre   atividades   eróticas   como   o   sexo   anal,   mas   têm   medo   de   vocalizar   os  
seus  desejos.  

Os   mitos   e   as   desinformações   sobre   sexo   anal   contribuem   para   o  silêncio   e,   por   vezes,  
nos  impedem  de  satisfazer  as  nossas  curiosidades.  Compartilhar  nossas  fantasias  sexuais  
com   um   parceiro   pode  aprofundar   uma   relação   sexual   e   nos   ajudar   a   comunicar   as  
nossas  necessidades  e  desejos.    

É  igualmente  importante  distinguir  as  nossas  fantasias  da  nossa  realidade.  Se  sua  fantasia  
masturbatória  envolve  alguma  situação,  em  especial  -­‐  fazendo  sexo  anal  com  você  -­‐  não  
se   surpreenda   se   você  obter   o   mesmo   resultado   com   seu   parceiro,   caso   você   consiga  
trazer  essa  fantasia  para  a  cama.  

Existem  algumas  fantasias  que  podemos  compartilhar  e  trazer  para  a  vida  e  outras  que,  
provavelmente,   devem   permanecer  fantasias.  Tenha   expectativas   realistas   para   si  
mesmo   e   conheça   os  limites   de   seu   próprio   corpo,   especialmente   quando   se   trata   de  
sexo  anal.  

Durante  a  experiência,  falem  um  com  o  outro,  descubra  o  que  faz  vocês  se  sentirem  bem  
e  que  não  faz,  o  que  está  funcionando  e  o  que  não  está.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 28


Depois,  analise  tudo  que  ele  respondeu  e  monte  um  feedback  que  você  possa  usar  para  a  
próxima  vez.  Lembre-­‐o  sempre  das  “metas”  que  vocês  definiram.  Ele  foi  muito  rápido,  ou  
usou   lubrificante   o   suficiente?  Ele   foi   o   suficiente   para   dentro   e   para   fora,   ou   você  
quer  mais  pressão?  Existe  algo  que  posso  fazer  diferente  da  próxima  vez?  Você  quer  mais  
estimulação  genital  enquanto  ele  está  brincando  com  a  sua  bunda?    

Elogios   são   sempre   importantes.  Seja   generosa   quando   você   se   comunica  com   o   seu  
parceiro.  Se   você   quiser   contar   a   ele   sobre  algo   que   você   não   gostou,   por   que   não  
começar  essa  conversa  com  algo  que  você  gostou?  Mas  certifique-­‐se  de  falar  sobre  o  que  
não  foi  agradável,  bem  como  o  que  foi  prazeroso.    

Comunique-­‐se   em   todas   as   fases   da   experiência   com   o   sexo   anal.   Isso   fará   com   que  
ambos  os  parceiros  se  articulem  melhor  quanto  as  suas  necessidades  e  todos  ajudam  a  
alcançar  um  melhor  sexo  anal.  

Se  preciso  for,  busque  novos  artifícios  como  Fantasias  e  Jogos  sexuais  que,  além  de  tudo,  
vão  ajudar  a  melhorar  muito  a  sua  intimidade  com  sua  parceira  e  sua  vida  sexual.  

Nos  Livros  “Fantasiando  no  Sexo”  e  “Prazer  Pervertido”  (do  Programa  de  Sexo  Não-­‐
Convencional,  você  irá  encontrar  tudo  isso).  

Paciência    

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


A  paciência  é  crucial.  Todo  mundo  deve  ir  no  seu  próprio  ritmo  para  que  seja  prazeroso.  
Quando   ambos   os   parceiros   são   paciente,   é   muito  mais   fácil   para   que   ambos   relaxem,  
especialmente  para  a  mulher  (que  é  quem  “recebe”).  

O  sexo  anal  também  é  um  processo  gradual  de  exploração.  Ao  contrário  do  sexo  anal  nos  
filmes   pornôs,   que   alguns   de   nós   gostam   de   assistir,   você   realmente   não   pode,    
de   repente,   tirar   a   roupa   e   começar   com   um   sexo   anal.  Lembre-­‐se,   esses   são   atores  
profissionais  nos  vídeos.    

Tenha   em   mente   que   eles   tiveram   ampla   experiência   com   a   penetração   anal,   e   eles,  
também,   começaram   com   alguns  dedos   ou   vibradores   pequenos   antes   de   fazerem  
aqueles  absurdos,  que  as  vezes  vemos  nesses  filmes.  

Além  disso,  tanto  em  vídeos  amadores  como  em  filmes  profissionais,  a  preparação  dos  
atores  está  acontecendo  fora  da  câmera  e  somem  nas  edições  da  sala  de  corte.  

Na   vida   real,   existe   um  progresso   para   a   penetração   anal.  Sexo   anal   não   é   uma   atividade  
para   quando   você   quer   apenas   uma   rapidinha,   e   nem   deve   ser   em   qualquer   lugar.  Se  
você  estiver  nervosa,  ansiosa  ou  estressada  com  a  ideia  de  sexo  anal,  essa  não  é  a  hora  
para  tentar  fazer.  

Presença    

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 29


Falando   de   comunicação   e   paciência,   é   melhor   estar   sóbria   se  você   vai   se   envolver   em  
atividades   anais,   embora   eu   não   vou     negar   que   há   pessoas   que   combinam   álcool   e  
drogas  para  um  sexo  anal  prazeroso.  

Muitas  pessoas  acham  que  as  drogas  (especialmente  os  "Poppers")  os  ajudam  a  relaxar  
durante   a   relação   sexual   anal.  Inalar  nitritos   voláteis,   como   nitrito   de   amilo   e   isobutil,   faz  
com  que  seus  vasos  sanguíneos  se  dilatem  e  sua  pressão  arterial  vá  as  alturas,  enquanto  
seu  corpo  inteiro  parece  estar  pulsando.  

Acredito   que,   com   o   relaxamento   adequado,   comunicação,   confiança  e   desejo,   as  


pessoas  podem  experimentar  um  sexo  anal  prazeroso  sem  drogas  e,  em  última  análise,  
álcool  e  as  drogas  de  qualquer  tipo  alteram  a  consciência  de  seu  corpo.    

Você   deve   estar   com   a   sua   consciência   absoluta   para   desfrutar   do   sexo   anal   de   forma  
plena.  As  pessoas  estão  mais  propensas  a  ignorar  seus  limites,  tanto  anal  quanto  física  e  
mental,   se   o   seu  julgamento   estiver   prejudicado   pelo   álcool   e   pelas   drogas.  Sexo   anal  
exige  que   ambos   os   parceiros   tenham   paciência,   habilidade,   boa   comunicação  
e  coordenação.  Você  precisa  estar  muito  consciente,  intuitiva  e  capaz  de  ler  o  corpo  do  
seu  parceiro  e  os  sinais  não-­‐verbais.    

Você   tem   de   estar   em   contato   com   seu     corpo   para   saber   o   que   funciona   e   o   que   não  
funciona.  Eu  acredito   que   tudo   isso   é   mais   facilmente   alcançado   quando   as   duas   pessoas  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


estão  sóbrias.  

Confiança  e  Poder    

Eu  gosto  da  sensação  de  que  eu  estou  chegando  e  arrasando  tudo.    

A   interação   sexual,   como   o   sexo   anal,   na   qual   uma   pessoa   dá   o   seu   corpo   para   outra,  
pode  levantar  questões  profundas  de  “poder  e  confiança”.  A  dinâmica  de  poder  pode  ser  
especialmente   ampliada  durante   o   sexo   anal,   pois   é   um   ato   proibido   e   porque   tem   de  
haver   delicadeza   física   do   ânus   e   no   reto.  O   sexo   anal   pode  ser   muito   cobrado,   intenso   e  
emocional:  

Eu  gosto  da  sensação  de  plenitude  que  eu  recebo  por  ser  fodida  enquanto  meu  clitóris  
está  sendo  estimulado.  Às  vezes  eu  quero  uma  relação  sexual  para  me  sentir  esmagada  e  
dominada,  e,  na  relação  anal,  eu  me  sinto  assim.  Eu  associo  o  sexo  anal  com  submissão,  
mas  também  com  firmeza.  

É  importante  para  os  parceiros  serem  capazes  de  discutir  seus  sentimentos  abertamente,  
se   sentirem   seguro   e   confiarem   um   no   outro.  A   mulher   pode   sentir-­‐se   especialmente  
vulnerável,   tanto  física   quanto   emocionalmente,   e   seu   parceiro   deve   respeitar   os   seus  
desejos,  necessidades  e  limites.    

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 30


Você  pode  temer  que  ele  vá  machucá-­‐la  e  precisa  ter  certeza  de  que  ele  está    dedicado  e  
cuidando  para  que  não  lhe  machuque.  

Mais   uma   vez,   a   comunicação   e   as   regras   básicas   podem   ajudar   a   aliviar    


a   tensão   e   tranquilizar   as   duas   pessoas   que   ela   não   vai   sentir   dor   e   que   será   uma  
experiência  segura.  

Eu  amo  sentir  os  braços  e  as  pernas  à  minha  volta,  enquanto  alguém  que  eu  amo  e  confio  
está  fazendo  anal  comigo,  brincando  com  meu  clitóris  e  lambendo  minha  orelha.  Eu  me  
sinto   segura   e   amada,   mas   vulnerável   e   sensual,   tudo   ao   mesmo   tempo.  Eu   não   posso  
imaginar   fazê-­‐lo   com   alguém   que   eu   não   confie   profundamente.  Parece  mais   íntimo   do  
que  o  sexo  vaginal.  

A   intimidade,   intensidade   e   êxtase   do   prazer   anal   pode,  às   vezes,   ser   esmagador,   mas  
também  pode  ser  muito  especial  e  extremamente  gratificante.  

13. As “Ferramentas” Necessárias


Há  uma  abundância  de  brinquedos  e  outras  ferramentas  que  você  pode  usar  para  
melhorar  o  prazer  anal.  Muitos  produtos  são  concebidos  e  comercializados  
especialmente  para  o  sexo  anal,  e  outros  utilizados  para  a  estimulação  e  penetração  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


vaginal  -­‐  que  também  pode  ser  usado  analmente.  

Quando  escolher   um   brinquedo,   você   deve   decidir   sobre   qual   a   sensação   que   você  
quer  experimentar:   Você   quer   alguma   coisa   em   sua   bunda   que   lhe   preencha  
plenamente?  Você  quer  algo  semelhante  à  relação  sexual  vaginal?  Você  quer  que  o  que  
está  na  sua  bunda  se  mova  ou  se  vibre?  

Como  regra  geral,  todos  os  brinquedos  discutidos  neste  capítulo  devem  ser  usados  com  
lubrificante   e   camisinha.   Além   do   relaxamento,   paciência   e  confiança,   camisinha   e   óleo  
lubrificante   são   os   ingredientes   mais   importantes   para  fazer   sexo   anal   seguro   e  
prazeroso.    

Camisinha  

Algumas   pessoas   acham   que   é   essencial   -­‐   seja   a   língua,   um   dedo,   um   pênis,  ou,   um  
vibrador   -­‐   estar   protegido   pela   camisinha   -­‐   seja   você   ou   seu   parceiro.   A   camisinha   faz   do  
sexo  anal  mais  seguro  e  mais  agradável.  

O  Sexo  Anal  envolvendo  um  pênis  não  vai  levar  a  gravidez,  é  muito  mais  fácil  transmitir  
uma  doença  sexualmente  transmissíveis,  especialmente  o  HIV,  durante  a  relação,  porque  
as  lágrimas  no  tecido  retal  dão  ao  sêmen  (e  a  tudo  que  o  sêmen  pode  estar  carregando)  
acesso  direto  à  corrente  sanguínea.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 31


Recentemente,   um   preservativo   para   mulheres   tornou-­‐se   disponível.  
Comercializados  principalmente   para   o   sexo   vaginal,   o   preservativo   feminino   é   um  
tubo  de   poliuretano   fechado   em   uma   extremidade   e   aberto   na   outra,   como   um  versão  
ampliada   do   preservativo   masculino.  Embora   algumas   mulheres   achem   pesado,   outros  
dizem  que  lhes  dá  um  senso  de  controle  e  responsabilidade  na  prática  de  sexo  seguro.    
     
O   preservativo   feminino   pode   também   ser   usado   para   o   sexo   anal  e,   de   fato,   oferece  
mais  proteção,  pois  fica  nas  linhas  da  cavidade  anal,  cobrindo  o  pênis  e  a  área  externa  do  
ânus.    

Algumas  pessoas   também   usam   o   preservativo   feminino   para   o   contato   oral-­‐anal,    


embora   a   sua   eficácia   para   esse   fim   não   tenha   sido  cientificamente   testadas   ou  
comprovadas.  Você  não  deve  usá-­‐lo  para  fisting.  

Antes   de   começar,   lubrifique   a   parte   externa   do   preservativo,   e  certifique-­‐se   que   a  


lubrificação  está  uniformemente  distribuída.  Para  inseri-­‐lo,  aperte  a  bainha,  começando  
com   o   anel   interno,   e   coloque-­‐o   no   ânus.   Uma   vez  que   ele   estiver   dentro,   empurre   o  
resto   do   caminho   com   o   dedo   e   passei   pelos  músculos   do   esfíncter.  Cerca   de   um  
centímetro   do   preservativo   deve   ficar  fora   do   ânus   para   que   o   anel   externo   não  
escorregue  para  dentro  durante  o  sexo.  

Durante  a  penetração,  o  preservativo  pode  se  movimentar,  de  um  lado  para  o  outro.  Isso  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


é   normal.  No   entanto,   se   o   pênis   do   seu   parceiro,   ou   vibrador,   for   largo   ou   muito  
profundo,  o  preservativo  pode  ser  empurrado  para  dentro,  diminuindo  a  proteção.    

Se  isso  acontecer,  pare  e  ajuste-­‐o.    

Como  todo  o  resto,  usar  o  preservativo  feminino  requer  prática  e  paciência.  Para  tirar  o  
preservativo,  aperte   e   torça   o   anel   externo   (para   manter   o   esperma   dentro   da  
camisinha)  e  puxe-­‐o  devagar  e  com  cuidado.  

O  látex  combinado  com  um  lubrificante  torna  a  penetração  suave  e  mais  fácil  para  ambos  
os  parceiros,  especialmente  para  a  mulher,  é  claro.  As  coisas  ficam  mais  suaves  e  tornam  
essa  experiência  mais  agradável,  para  ambos.  

Colocar   uma   luva   de   látex   na   mão   e   um   preservativo   mantém   sua   mão   e   seus  
brinquedos  limpos.  Você  nunca  deve  colocar  nada  na  vagina  que  tenha  ido  no  ânus  sem  
lavar   e  desinfectar   primeiro.  A   transferência   de   bactérias   do   reto   para   a   vagina  pode  
levar   a   infecções   por   fungos,   infecções   no   trato   urinário   e   outros  doenças   que   podem  
colocar  um  fim  a  sua  vida  sexual.  Portanto,  não  faça  isso.    

Se  você  quiser  usar  a  mesma  mão  (ou  acessório)  que  passou  pelo  ânus,  na  vagina,  você  
deve  trocar  os  preservativos,  desinfectar,  ou  esterilizar  os  acessórios.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 32


Não   utilize   preservativos   que   estejam   com   nervuras   ou   texturizados   para   o   sexo   anal,  
pois  eles  podem  causar  irritação  no  tecido  retal.  

Guarde  os  preservativos  em  local  fresco  e  seco,  longe  da  luz  do  sol.  

Não  reutilize  preservativos!  

Segure  a  base  do  preservativo,  quando  necessário  e,  especialmente,  durante  a  retirada,  
para  não  escorregar.  

Tenha  a  certeza  de  que  os  preservativos  não  passaram  da  validade.  

Lubrificantes    

Antes  de  continuar,  deixe-­‐me  fazer  uma  revelação:  Eu  tenho  uma  crença  firme  de  que  o  
lubrificante  torna  qualquer  atividade  sexual  muito  mais  agradável.  Tudo  fica  mais  leve  e  
melhor.  Mas   o   lubrificante   não   é   apenas   desejável,   é   essencial   para   qualquer  penetração  
anal.  Ao  contrário  da  vagina,  o  ânus  e  o  reto  não  são  auto-­‐lubrificáveis.  

Durante  a  exploração  anal  -­‐  feita  por  você  mesma,  ou  feita  pelo  seu  parceiro  -­‐  você  pode  
sentir   que   seu   ânus   está   um   pouco   molhado.  O   que   você   está   sentindo   é   uma   mucosa  
natural,   que   é   uma   secreção   do   canal   anal   (podendo   também   ter   suor),   mas   isso   está  
LONGE  de  ser  suficiente  para  a  realização  saudável  do  sexo  anal.  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


Você  precisa  se  lubrificar!  

Além  disso,  vocês  já  estão  usando  camisinha  e  não  querem  que  ela  rasgue.    

Penetração  sem  lubrificação  provoca  atrito  e  está  propenso  a  causar  estragos  em  ambos.  
Tanto  no  seu  ânus  como  no  pênis  dele,  que  poderá  ter  alguma  dificuldade  para  entrar  no  
seu  ânus.    

Lubrificação  torna  a  entrada  mais  suave  e  mais  fácil  para  ambos  os  parceiros  reduzirem  
as  chances  de  lacrimejamento,  dor  ou  desconforto.  

Quando   a   mulher   que   está   sendo   penetrada,   está   confortável,   ela   pode   relaxar    
com   mais   facilidade   e   aproveitar   mais.   Isso   torna   provável   que   elas   repitam   a   situação  
por  mais  vezes.  

Existem   muitas   variedades   diferentes   de   lubrificantes   no  mercado,   com   a   mais   ampla  


seleção  em  sexy  shops,  catálogos  por  e-­‐mail  e  revistas  especializadas.  

A   melhor   coisa   a   se   fazer   é   estudar   algumas   amostras   de  tamanho   de   algumas   marcas  


diferentes  e  experimentar  para  ver  o  que  serve  melhor  para  você  e  seu  parceiro.    

Veja  a  seguir  a  descrição  de  alguns  dos  diferentes  tipos  de  lubrificantes.  

À  base  d’água  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 33


Estes  lubrificantes  são  lisos,  molhados,  não  irritante,  sem  cheiro,  e  insípido,  por  isso  eles  
são   muito   populares   para   o   sexo   vaginal,   porque  eles   têm   uma   consistência   muito  
semelhante  à  lubrificação  natural  da  vagina  e  são  mais  fáceis  de  lavar  e  limpá-­‐los  do  seu  
corpo  (e  também  dos  seus  brinquedos,  se  for  o  caso).    

Estes  lubrificantes  são  pouco  densos  e  bem  líquidos,  e  uma  pequena  quantidade  costuma  
ser  suficiente.  

Algumas  pessoas  se  queixam  de  que  lubrificantes  a  base  d’água  secam  rápido,  mas  você  
pode   simplesmente   adicionar   um   pouco   de   água   ou   saliva   para   reviver   suas  poderes.  A  
maioria   destes   lubrificantes   podem   ser   encontrados   em   sex   shops,   catálogos   e,   alguns,  
como  o  famoso  KY,  podem  ser  encontrados  até  em  farmácias.  

À  base  d’água  (mais  condensados)  

Estes   lubrificantes   têm   as   mesmas   propriedades   e   vantagens   que   as   suas  contrapartes  


mais   “finas”.  A   única   diferença   está   na   sua   consistência;  eles   tendem   a   se   parecer   mais  
com  gel  de  cabelo  ou  geleias.    

Muitas   pessoas   gostam   de  usar   estes   lubrificantes   mais   grossos   para   o   sexo   anal,   pois  
fornecem  lubrificação   extensa   e   tendem   a   durar   mais   do   que   aqueles   que   são   a   base  
d’água.  Um  exemplo  famoso  é  o  KY,  que  pode  ser  encontrado  em  qualquer  farmácia.  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


À  base  de  óleos  

Manteira  não  é  apenas  para  biscoitos.  A  manteiga  é  um  antigo  lubrificante,  favorito  dos  
homens   gays   e   bissexuais   (e   algumas   mulheres)  que   praticam   o   fisting.  É   barato   e  
prontamente  disponível  em  qualquer  mercadinho.  

Óleos  lubrificantes  não  evaporam  ou  secam  como  os  lubrificantes  a  base  d’agua.  A  coisa  
mais   importante   a   se   saber   sobre   lubrificantes   à   base   de   óleos   é   que   eles   podem,  
eventualmente,   rasgar   a   camisinha   ou   criar   furos   muito   pequenos   nelas,   tornando-­‐
as  ineficazes  como  preservativos.    

Nunca   use   lubrificantes   à   base   de   óleo   se   o   seu   parceiro   estiver   usando   camisinha;   se  
você  usar  um  lubrificante  à  base  de  óleo  com  uma  camisinha  em  seu  vibrador,  você  pode  
acabar  tendo  que  limpar  e  desinfectar  o  brinquedo,  antes  e  após  a  brincadeira,  porque  os  
buracos  feitos  podem  permitir  que  os  fluidos  passem  da  camisinha  para  o  brinquedo.    

Luvas   de   látex   são  normalmente   mais   espessas   do   que   as   camisinhas   e   rasgam   menos  
rapidamente  na  presença  de  lubrificantes  à  base  de  óleo.  Eu  recomendo  que,  se  você  for  
usar  lubrificantes  à  base  de  óleo,  faça-­‐o  com  luvas.    

Melhor   ainda,   reserve   a   sua   utilização  quando   for   fazer   sozinha   ou   com   um   parceiro  
monogâmico.  Lubrificantes   à   base   de   óleo   são   mais   difíceis   de   lavar  e   tirar   do   corpo   e  
eles  nunca  devem  ser  usados  dentro  ou  ao  redor  da  vagina.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 34


Eles  fornecem  o  ambiente  propício  para  bactérias  e  vírus  crescerem  e  prosperar.    

Exemplos:  Manteiga,  vaselina,  óleo  de  bebê.  

Plugs  Anais  

Feitos   de   silicone,   látex   ou   vinil,   plugs   anais   vêm   em   muitos  tamanhos   diferentes,   mas  
todos   eles   têm   uma   forma   semelhante,   com   ligeiras  variações:   são   geralmente   mais  
estreitos   no   topo,   mais   espessos   no  meio   e   estreitos   na   base,   que   é   achatado.  Alguns  
são  em  forma  de  diamante,  outros  são  ondulados,  com  segmentos  que  vão  de  pequeno  
porte  à  grande  porte.    

A  melhor  característica  dos  plugs  anais  é  que  eles  foram  feitos  para  as  atividades  anais.  A  
base   achatada   garante   que   ele   não   vá   ficar   "perdido"   ou   que   vá   longe   demais   no   interior  
do  reto.  

Plugs  anais  podem  ser  introduzidos  no  ânus  e  usados  por  um  período  de  tempo.  Devido  à  
sua  forma,  eles  são  projetados  para  permanecer  em  um  lugar,  ao  invés  de  ser  empurrado  
para  dentro  e  para  fora.  

Eles  dão  à  sua  bunda  um  sentimento  de  plenitude.  Plugs  anais  são  uma  ótima  maneira  de  
conhecer  sua  bunda  e  o  interior  dela.  Com  o  uso  dele  os  músculos  anais  tendem  a  relaxar  
e  abrir.    

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


Usar   plugs  de   tamanhos   diferentes   pode   ajudá-­‐la   a   trabalhar   para   conseguir   colocar  
outras   coisas   em   seu   ânus   depois,   como   um   vibrador   ou   um   pênis.  Algumas  pessoas  
gostam  de  ter  um  plugs  anais  dentro  de  seu  ânus,  enquanto  seu  parceiro  estimula  seus  
órgãos  genitais  ou  outras  áreas  do  corpo.  

Se  você   adora   ter   seus   mamilos   sugados   enquanto   seu   ânus   é   penetrado,   ou,   se   você  
quiser   se   concentrar   em   chupar   o   pênis   do   seu   parceiro,   mas  quer   algo   no   ânus,   plugs  
anais  são  uma  ótima  solução!  

Pode   acontecer   de   você   comprar   o   menor   disponível,   a   fim   de  ser   realista   e   depois   acha-­‐
lo   muito   pequeno   (apesar   de   que,   eu   já   ouvi   muitas  histórias   de   mulheres   que   usavam  
plugs  anais  só  para  ser  fácil  de  tirar  em  um  momento  crucial).  

Se   você   achar   muito   pequeno   mesmo,   não   necessariamente   você   tem   que   correr   de  
volta  para  a  loja  e  adquirir  um  maior.  Se  você  já  está  fazendo  os  seus  exercícios  pélvicos  
musculares,   os   músculos   do   esfíncter   devem   ser   fortes   o  suficiente   para   manter   os   plugs  
anais   (na   verdade,   fazer   com   que   seu   parceiro   o   mantenha   lá   dentro,   pode   ser   um  
exercício  muito  divertido  e  sexy).    

Muitas   de   nós   podem   contrair   os   músculos   em   torno   dos   plugs   anais  e   pegá-­‐lo.  Outras  
podem  querer  começar  com  um  tamanho  pequeno  para  aquecer  e,  em  seguida,  usar  um  
de  tamanho  maior  para  deixar  o  jogo  mais  excitante.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 35


Vibradores    

Para   quem   gosta   de   fabulosas   estimulações   nas   terminações   nervosas   da   região   anal,  
vibradores   podem   realmente   fazer   mágica.  Alguns  vibradores   são   feitos   especialmente  
para   uma   estimulação   plena   das   áreas   genitais,   trabalhando   bem   a   estimulação   do  
clitóris,  da  área  vaginal  e  da  área  anal.  Também  existem  vertentes  de  vibradores  que  tem  
estimulação  clitoriana  e  anal,  em  simultâneo.    

Você   pode   comprar  plug   anal   que   vibre,   que   adicionem   vibração   para   todos   os  
outros  recursos  discutidos  na  seção  anterior,  bem  como  vários  anexos  que  se  encaixam  
no  padrão  de  tamanho  para  vibradores,  transformando-­‐os  em  brinquedos  anais.  

Como  vibradores  são  grandes  para  penetração  anal,  a  vibração  pode  realmente  ajudar  a  
relaxar  o  esfíncter  anal.  

Apenas  certifique-­‐se  que  o  vibrador  tem  o  tamanho  adequado  para  a  penetração  -­‐  mais  
de  sete  polegadas  e  ter  uma  base  achatada.  Alguns  homens  gostam  de  ser  penetrados,  
analmente,  com  esse  tipo  de  vibrador,  que  são  excelentes  para  estimular  a  próstata.  

Dildos  

Dildos   vêm   em   tantas   formas   e   tamanhos   diferentes   que  há   um   para,   praticamente,  
todos  os  gostos,  necessidade  e  desejos  individuais.  Há  dildos  que  se  parecem  com  pênis  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


(com   bolas   e  cabeça),   dildos   que   se   parecem   com   torpedos,   e  mesmo   dildos   que   se  
parecem  com  golfinhos.    

Dildos   são   feitos   de   silicone,  látex   ou   vinil.  Brinquedos   de   silicone   tendem   a   ser   mais  
flexíveis,   lisos  e   não   porosos,   por   isso   eles   são   fáceis   de   limpar.  Látex   ou   vinil   é  
menos  resistente   do   que   silicone.  Dildos   Gelatinosos   (plugs   anais)   são   muito   porosos   e  
devem  ser  sempre  usados  com  um  preservativo.  

Dildos   que   se   curvam   para   cima,   a   partir   da   base   (em   vez  de   ser   em   linha   reta)   muitas  
vezes   são   mais   adequadas   ao   sexo   anal   porque   se   adequam   melhor   às   curvas   do  
reto.  Dildos   são  as   melhores   ferramentas   para   simular   uma   penetração   que   vá   para  
dentro  e  para  fora,  sequencialmente.  

Para  uma  mulher  que  quer  experimentar  a  penetração  anal  com  um  parceiro  masculino  
cujo  pênis  é  muito  grande  ou  muito  longo,  dildos  são  uma  ótima  alternativa.    

Outro  cenário  é  quando  uma  mulher  tem  um  parceiro  cujo  pênis  não  é  suficientemente  
grande.   Nesse  caso,   um   vibrador   pode   dar   exatamente   o   que   ela   precisa.  Da   mesma  
forma   que,   para  um   homem   que   gosta   de   ser   penetrado   por   algo   diferente,   além   dos  
dedos  da  sua  parceira,  ou  aqueles  que  desejam  experimentar  algo  mais  profundo,  podem  
usar  um  vibrador  para  satisfazer  esse  desejo.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 36


Eu   prefiro   usar   o   dedo   ou   a   língua.  Mas   eu   até   já   usei,   uma   vez,   uma   cinta   com   um   pênis  
de   plástico   e   enfiei   no   meu   namorado,   por   trás.  Ele  achou   divertido,   mas   um   pouco  
estranho,  porque  eu  sou  menor  do  que  ele  então  eu  não  podia  nem  descer  a  cabeça  para  
beijá-­‐lo.  Além   disso   eu  amei   a   resposta   do   meu   parceiro:   “Eu   adoro   quando   estou  
comendo  sua  bunda,  isso  me  deixa  mais  animado,  e  eu  gosto  da  ideia  de  você  penetrar  
no  meu  corpo  também”.  

Muitas   mulheres   que   têm   relações   sexuais   com   outras   mulheres   também   gostam   de    
usar   dildos   para   penetrar   suas   parceiras.  As   mulheres   podem   experimentar    
com   uma   variedade   de   tamanhos   até   descobrir   qual   deles   é   mais   confortável.    
Dildos   podem   dar   aquela   sensação   de   plenitude,   bem   como   satisfazer   o   desejo    
de  ser  ativo  e  passivo.  

Algumas   pessoas   gostam   de   penetrar   seu   parceiro   com   um   dildo   (ou   vibrador)    
usando   sua   mão,   o   que   tende   a   dar   ao   parceiro   mais   controle   dos   movimentos   desses  
objetos.    

Outros  optam  por  usar  o  vibrador  mas,  mantém  as  mãos  livres  para  outras  atividades.    

Mas  muitos  deles  ainda  são  feitos  realmente  em  cintas  para  se  botar  na  cintura  e  fazer  
sexo.  Apesar  de  muitas  mulheres  gostarem  de  foder  desta  maneira,  lembrem-­‐se:  Como  
tudo  na  vida,  isso  também  leva  prática.    

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


Assim,   para   todas   vocês   aí   fora,   que   estão   entusiasmadas   com   a    
ideia   de   uma   menina   com   um   pau   fazendo   sexo   com   você,   tenha   alguma   paciência  
enquanto  ela   pratica   a   sua   técnica;   lembre-­‐se   da   primeira   vez   que   você   usou    
essa   ferramenta   (caso   já   tenha   usado)   entre   vocês,   e   lhe   dê   um   tempo   enquanto   ela  
melhora  e  ganha  desenvoltura.  

E,  para  todas  as  mulheres  que  gostam  de  enfiar  dildos  nos  outros,  certifique-­‐se  primeiro  
de   falar   com   seu   parceiro   (ou   parceira),   pergunte   o   que   ela   ou   ele   gostam,   e  
experimentem  diferentes  posições  para  ver  o  que  funciona  melhor  para  ambos.    

Há   também  um   conjunto   de   cintas   no   mercado   (feitos   para   o   casal)   que   servem   para  
suspender   a   mulher,   do   chão,   e   corrigir   uma   diferença   significativa   na   altura   ou   no  
tamanho  entre   dois   parceiros.   Muitas  das   mulheres   encontram   nesse   conjunto   uma  
ótima   alternativa,   dando-­‐lhes  melhor   flexibilidade   e   controle   quando   estão   usando   um  
vibrador  entre  elas  mesmas.  

Esferas  Anais  

Geralmente   são   esferas   de   látex   ou   plástico   que   ficam   em   uma   corda   de   nylon  (ou   às  
vezes   de   algodão)   com   um   anel   na   extremidade.  As   esferas   podem   ser  do   tamanho   de  
bolas   de   gude   como   podem   ser   do   tamanho   de   bolas   de   golfe.  As   mais   populares   tem,  
geralmente,  1,5  centímetros  de  diâmetro.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 37


Independentemente   da   sua   dimensão,   certifique-­‐se   que   as   bolas   estão   limpas,   lisas  e  
bem  lubrificadas  e  que  a  cordinha  que  as  segura  seja  de,  pelo  menos,  sete  centímetros  
de   comprimento.  Você   também   pode   colocar   um   preservativo  por   cima   delas   e   dar   um  
nó  na  extremidade  aberta  do  preservativo.    

As   cordinhas   de   algodão   são   muito   mais   difíceis   de   manter   limpas   do   que   o   nylon,   do  
mesmo   modo,  as   bolinhas   feitas   de   borracha   macia   ou   borrachas   de   gel   são   muito  
porosas   e  difíceis   para   desinfetar.  Assim,   a   maioria   das   pessoas   vai   querer   certificar-­‐se  
de  que  elas  estejam  em  cordas  de  nylon  e  esferas  de  látex,  ou  definitivamente,  colocar  
um  preservativo  nelas.  

Muitas   mulheres   gostam   de   inserir   essas   bolinhas   no   reto,   enquanto  tem   seus   genitais  
estimulados.  Você   deve   inserir   uma   de   cada   vez,   dando   ao   reto   uma   chance   para   se  
ajustar  à  sensação;  

Além  disso,  pode  ser  muito  intenso  para  sentí-­‐la  em  torno  do  ânus  com  cada  esfera.  Se  
você   tem   praticado   o   seu   Kegel   e   exercícios   pélvicos,   você   estará   mais   consciente   dessas  
contrações  e  até  mesmo  será  capaz  de  controlá-­‐las,  voluntariamente.    

Algumas   pessoas   gostam   de   colocar   as   bolas   lá   dentro   e   retirá-­‐las   até   atingirem   o  


orgasmo.   Outras   gostam   de   chegar   ao   orgasmo   colocando   as   bolinhas   no   ânus   e   fazendo  
com   que   a   cordinha   passe   pelo   clitóris.  Lembre-­‐se   de   retirar   a   cordinha   de   forma   lenta  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


e  suave   -­‐   puxar   a   corda   toda   de   pérolas   em   um   movimento   muito  rápido   pode   ser  
desconfortável.  

Um   lembrete   final   sobre   o   assunto   de   bolas   anais:   você  nunca   deve   colocar   qualquer  
outro  tipo  de  bolas  em  seu  reto  -­‐  como  de  ping-­‐pong,  golfe  e  etc.  Além  de  irritar  o  seu  
tecido   retal,   elas  também   podem   se   perder   lá   dentro   e   fazer   com   que   você   tenha   que  
fazer  uma  visita  urgente  à  sala  de  emergência  do  hospital.  Use  somente  acessórios  que  
tenham  sido  projetadas  com  objetivos  sexuais.  

Dicas    

Se  você  está  pensando  em  colocar  algo  em  seu  ânus,  ou  no  de  outra  pessoa,  certifique-­‐se  
de   usar   o   bom   senso.  Para   melhorar   os  resultados,   certifique-­‐se   que   as   ferramentas   e  
brinquedos  que  você  usa  para  o  sexo  anal  são:  

Lisos:  Nunca  coloque  qualquer  objeto  cortante  ou  qualquer  coisa  com  bordas  ásperas  ou  
irregulares  no  reto.  Nunca  coloque  nenhum  vidro  quebrável.  Mesmo  objetos  feitos  para  
a  penetração  anal  devem  ser  suaves.  Caso  você  encontre  algum  dildo  ou  plug  anal,  use  
um  preservativo  para  tentar  regular  esse  situação.  

Flexível:   Certifique-­‐se   que   a   ferramenta   é   flexível   o   suficiente  para   manobrar   as   curvas  


do   reto.  Não   coloque  coisas   rígidas   (como   velas,   metais   ou   objetos   de   madeira).   Não   é  
uma  boa  ideia  de  se  inserir  em  seu  reto.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 38


Limpos:   Certifique-­‐se   de   que   todas   as   ferramentas   estão   limpas   com   sabão  
antibacteriano   e   água   quente.   Você   também   tem   a   opção   de   colocar   um   preservativo  
novo   em   cada   ferramenta  antes   de   utilizá-­‐la.  Mergulhe   os   brinquedos   por   cerca   de  
quinze  minutos  para  desinfectá-­‐los  com  peróxido  de  hidrogênio  e/ou  água  sanitária.  

Recuperáveis:   Nunca   coloque   tudo   no   reto,   pois   ele   pode  ficar   "perdido"   ou   difícil   de  
recuperar.  Certifique-­‐se   de   ter  plugs   anais   com   bases   achatadas   e   dildos   e/ou   vibradores  
longos  o  suficiente  para  que  a  pessoa  possa  usá-­‐las  com  boa  aderência.  

Realista:   Não   é   uma   boa   ideia   colocar   algo   de   comprimento,   forma   ou   tamanho  
irrealista,  seja  em  você  ou  em  outra  pessoa.  Seja  sensato.  

Exercício:  Procurando  nas  Vitrines  

Pode   ser   útil   para   você   começar   dando   uma   olhada   em   todos   os   brinquedos   sexuais   que  
tem   por   aí.   O   exato   cumprimento   deste   exercício   depende   de   onde   você   mora.   Como,  
por  exemplo,  se  você  mora  em  uma  cidade  com  um  sex  shop,  ou  algo  parecido,  onde  seja  
possível  encontrar  objetos  sexuais  de  qualidade.  Marque  um  encontro  com  você  mesma  
e  passe  um  pouco  de  tempo  lá.  

Basta  olhar  o  que  está  disponível,  os  diferentes  tipos  de  lubrificantes,  preservativos,  luvas  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


de  látex  e  assim  por  diante.  Se  você  estiver  interessada  em  explorar  a  penetração  anal,  
examine  os  plugs  anais,  vibradores,  dildos,  bolinhas  anais  e  etc.  

Se  não  tem  na  sua  cidade  ou  tem,  mas  você  mora  muito  longe  dela,  arrume  um  catálogo  
ou  entre  na  internet  para  procurar.  Algumas  lojas  de  brinquedos  sexuais  têm  elaborado  
sites  com  imagens  impecáveis  e  descrições  bem  detalhadas  dos  produtos.  

14. Depilação e Enemas


Então  você  quer  fazer  um  enema.  Primeiro,  quero  reiterar  que  você  não  tem  que  fazer  
um  enema,  a  fim  de  ter,  relativamente,  um  sexo  anal  seguro  e  limpo.  Algumas  pessoas  
acham  que  isso  ajuda  a  tranquilizá-­‐los  sobre  a  limpeza  de  seus  ânus,  esvaziando  as  suas  
entranhas.  Outros  gostam  de  fazer  ou  receber  enemas  como  parte  de  um  encontro  
erótico  ou  um  momento  de  sadomasoquismo.  

Enema  

Quando  digo  enema,  estou  referindo-­‐me  a  uma  ducha  no  canal  anal  e  no  reto  permitindo  
assim  que  não  exista  qualquer  surpresa  desagradável  na  prática  do  sexo  anal.  

Eu  não  posso  forçar  ninguém  a  fazer  um  enema,  é  uma  habilidade  que  requer  prática  e  
paciência.  No   seu   primeiro   enema   você,   certamente,   se   sentirá   estranha,   mas,   não   se  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 39


preocupe.   Essa  sensação   de   ter   seu   reto   completamente   vazio   leva   pouco   tempo   para  
se  acostumar.  

Somente  lembre-­‐se  de  ouvir  o  seu  corpo.  Um  enema  pode  ser  diferente,  mas  não  deve  
ser  desconfortável  ou  doloroso  em  tudo.  

Existem   três   diferentes   tipos   de   enemas,   e   eu   irei   falar   dos   mais   simples   aos   mais  
complexos.  

Seringa  para  Enemas  

Você  pode  comprar  uma  seringa  na  maioria  das  farmácias.  Se  você  não  quiser  usar  uma  
seringa,   você   pode   comprar   um   “kit   enema”   e   esvaziar   a   solução   química,   enchendo  
o  bico  da  garrafa  com  água  morna  lisa.  

Muitas   pessoas   acham   que   encher   uma   banheira   com   água   morna  (Em   torno   de   uns  
38ºC)  é  a  maneira  mais  fácil  de  começar  este  tipo  de  enema.  

Encha  a  seringa  com  água  e  gentilmente  insira  a  ponta  em  seu  reto.  Lubrifique  a  ponta  de  
seu  ânus  com  lubrificante  à  base  d’água  antes  da  inserção.  Aperte  o  bulbo  para  liberar  a  
água  em  seu  reto  e  depois  retire.  

Faça  algumas  vezes  até  se  sentir  "cheia"  de  água.  Aguarde  alguns  minutos,  então,  saia  da  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


banheira,  sente-­‐se  no  vaso  sanitário  e  deixe  a  natureza  seguir  seu  curso.  

Você  pode  voltar  na  banheira  e  repetir  o  enema  (cerca  de  duas,  ou  até,  três  vezes),  até  
suas  entranhas  estarem  completamente  limpas.  

Kit  Enema  

Para   fazer   um   enema   com   um   kit   enema   (com   tubos   de   plástico)   tem   de   ter   uma  
habilidade   maior   e,  talvez,   até   mesmo   alguém   para   lhe   ajudar   (leia   as   instruções   para  
entender,  em  detalhes,  o  mecanismo  do  kit  enema).  

Encha  a  bolsa  com  água  quente  (38ºC).  Encontre  uma  posição  que  seja  confortável  como:  
ajoelhar-­‐se,  de  cócoras  ou  de  pé  com  uma  perna  em  cima  da  borda  da  banheira.  

Novamente,   aplique   um   pouco   de   lubrificante   à   base   d’água  na   ponta   do   bico   e   no  


interior  do  seu  ânus.  

Suavemente,  insira   o   tubo   em   seu   reto,   em   seguida,   solte   a   válvula   da   bolsa   até   que   a  
água   comece   a   fluir   na   pressão   desejada   (quanto   mais   baixa   a   pressão,   melhor).  Você  
saberá   quando   for   suficiente.  Quando  você   sentir   que   está   completa,   vá   para   o  
banheiro.  Repita  as  vezes  necessárias  até  que  só  saia  água  durante  uma  evacuação.  

Enema  no  chuveiro  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 40


Você   pode   comprar   um   acessório   para   seu   chuveiro   chamado   “bocal   de   alumínio”,  
através   de   sex   shops   ou   por   catálogos   e   correspondências.  Depois   de   ter   ligado   seu  
chuveiro,   defina   a  temperatura   para   um   nível   confortável   de   calor   e   o   fluxo   para  
um  velocidade   desejada   e   a   pressão   (quanto   mais   lenta   melhor,   especialmente  
para  iniciantes).    

Mais  uma  vez,  encontre  uma  posição  confortável  como  ajoelhar-­‐se,  de  cócoras  ou  de  pé  
com  uma  perna  em  cima  da  borda  da  banheira.    

Coloque  tanta  água  quanto  puder,  e  segure  por  alguns  minutos.  Se  você  tiver  um  sistema  
de   drenagem   excepcional,  você   pode   querer   permanecer   no   chuveiro   e   tirar   a   água   de  
volta  para  fora.    

Lembre-­‐se   que,   fazendo   a   coisa   certa   no   chuveiro   significa   que   você   não   precisa   sair   e  
voltar,   porque   uma   vez   será   suficiente.   Porém,   isso   é   raro   de   acontecer.   No   geral,  
repita  o  enema  até  que  esteja  tudo  limpo  –  geralmente  duas  ou  três  vezes.  Não  exagere.    

Dicas  gerais  para  um  Enema  Seguro  

 Você  não  deve  sentir  nenhum  desconforto  durante  um  enema,  se  sentir  dor  ou  cólicas,  
vá  para  o  vaso  sanitário,  imediatamente.  

Se  você  está  fazendo  um  enema  na  preparação  para  o  sexo  anal,  você  deve  fazê-­‐lo  pelo  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


menos  duas  ou  três  horas  antes  de  ter  relações  sexuais,  para  dar  ao  seu  corpo  a  chance  
de  reabsorver  água  e  se  recuperar.  

Produtos   para   enemas   contêm   laxantes   e   produtos   químicos   que   podem  irritar   o   reto;  
água  filtrada  simples,  sem  aditivos  é  uma  ideia  melhor.  Nunca  use  uma  ducha  vaginal  em  
seu  reto.  

Dependendo   do   estado   do   seu   abastecimento   de   água,   você   pode  deseja   usar   água  
engarrafada  aquecida  (38ºC).  

Já  ouvi  falar  de  enemas  feitos  com  vodca,  com  café  e  outros  enemas  até  mais  exóticos,  
mas  estas  não  são  realmente  boas  para  você.  Qualquer  líquido  que  você  coloque  no  seu  
reto   é   absorvido  tão   rapidamente   que   é   como   marcar   suas   veias   com   brasa.  Vai,  em  
última  instância,  irritar  seu  reto,  e  poderia  até  deixá-­‐la  muito  doente.  

Permita-­‐se  tempo  de  sobra  e  vários  movimentos  antes  que  você  esteja  limpa.  

Não  partilhar  um  equipamento  de  enema.  

Limpe   e   desinfete   o   seu   equipamento   de   enema   com   cuidado   (alvejante   diluído   é   um  


bom  desinfetante).  

Leia  e  siga  atentamente  todas  as  instruções  que  vierem  com  ele.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 41


Não  é  uma  boa  ideia  fazer  enemas  com  muita  freqüência.  

Fazer  muitas  dessas  evacuação  pode  deixar  seu  reto  e  seu  intestino  fora  do  equilíbrio.  De  
acordo   com   a   educadora   sexual  Robert   Morgan,   o   uso   freqüente   de   enemas   pode   tirar   a  
mucosa  de  seu  reto  e  causar  várias  complicações.  

Se,   depois   de   um   enema,   você   não   sente   a   necessidade   de   ir   ao   vaso   sanitário  


ou,  expulsa   qualquer   líquido,   você   pode   estar   desidratada,   ou   até,   pode   estar   em   uma  
condição  mais  séria.  Consulte  um  médico,  imediatamente.  

Raspando  a  Região  Anal  

Embora   não   seja   amplamente   discutido,   muitas   pessoas   acham   que  raspar   a   própria  
região  anal,  ou  do  parceiro,  pode  ser  muito  erótico.  

As   diretrizes   para   raspar   a   região   anal   são   muito   semelhantes   a   raspar   os   pêlos   pubianos  
da   mulher   ou   as   bolas   de   um   homem.  Use   um   barbeador   descartável   que   e   use   bastante  
creme  de  barbear  -­‐  não  use  navalhas,  deixe-­‐as  para  os  profissionais.  

Encontre   um   lugar   limpo   e   bem   iluminado   para   trabalhar.   Vá   devagar   e  


seja  cuidadoso.  Se   você   quer   raspar   seu   próprio   ânus,   use   um   espelho   para   que   você  
possa  ver  exatamente  o  que  você  está  fazendo.    

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


É  uma  boa  ideia  não  raspar  sua  área  anal  se  você  está  planejando  fazer  sexo  (como  no  
dia  seguinte,  por  exemplo),  já  que  você  terá  uma  maior  chance  de  ficar  com  entalhes  ou  
cortes.   Seja   mais   cautelosa.   E   mais   uma   coisa:   quando   esse   cabelo   de   trás   crescer,  vai  
coçar,  então  use  uma  loção  hidratante.  

15. Faça Você Mesma (Para Sua Mulher)


Eu  lembro  de  ter  cerca  de  oito  ou  nove  anos  e,  já  me  masturbava  inserindo  o  cabo  de  um  
pincel  (o  mais  próximo  objeto  fálico  que  eu  tinha  ao  meu  alcance)  na  minha  bunda...  Eu  
tinha  acabado  de  ler  em  algum  lugar  que  isso  era  agradável  e  estava  curiosa.  

A   melhor   introdução   ao   erotismo   anal   começa   com   a   própria   exploração   do   ânus.  Nos  
anos   70,   grupos   de   conscientização,  gerado   pelo   movimento   das   mulheres,   incentivou   as  
mulheres   a  explorar   suas   vaginas   e   fazer   o   exame   ginecológico   para   obter   uma   melhor  
compreensão  de  seus  corpos.    

As  mulheres  hoje  têm  mais  conhecimento  sobre  os  próprios  corpos,  e  mais  em  contato  
podemos  estar  com  a  nossa  saúde  ginecológica  e  com  o  nosso  prazer  sexual.  Mas  muitas  
de  nós  não  estão  familiarizadas  com  nosso  próprio  ânus.  Somos  ensinadas  a  pensar  neles  
como  algo  muito  reservado,  sujo,  e  que,  absolutamente,  não  é  uma  fonte  de  prazer,  mas  
hoje  sabemos  que  nada  poderia  estar  tão  longe  da  verdade.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 42


Seu   ânus   pode   ser   uma   excelente   fonte   de   prazer   e   é   importante   que   você   aprenda   a  
explorar  todo  o  potencial  de  prazer  que  ele  pode  lhe  oferecer.  

Ter   seu   ânus   penetrado   por   seu   parceiro   e/ou   explorá-­‐lo   por   si   mesma,   irá   ajudá-­‐la   a  
descobrir   o   que   você   gosta  e   o   que   não   gosta.  Experimentando   o   prazer   anal   por   si  
mesma,  você  poderá  se  assegurar  que  será  agradável  com  seu  parceiro.    

Sua  própria  exploração  pode  também  servir  para  obter  a  estimulação  necessária  para  a  
penetração.  Se   o   primeiro   dedo   que   entrou   no   seu  ânus   é   seu,   então   não   vai   parecer   tão  
assustador  e  você  pode  até  se  sentir  melhor  do  que  você  imagina!  

Se  você  quiser  penetrar  no  ânus  de  outra  pessoa,  explorando  sua  própria  região  anal,  por  
si   mesma,   lhe   dará   uma   ótima   visão   sobre   o   que   acontece   lá,   incluindo   os   prós   e   os  
contras  do  ânus,  do  canal  anal  e  do  reto:  a  sensibilidade  do  tecido  e  as  várias  sensações  
da  estimulação  e  da  penetração  anal.    

Masturbação   anal,   com   frequência   seu   ânus   vai   lhe   dar   uma   boa   noção   do   que   seu  
parceiro   pode   sentir   quando   você   for   fazer   isso   nele.   Alguns   acreditam   que   a   melhor  
maneira  de  se  tornar  hábil  em  fazer  alguma  coisa  a  alguém  é  praticá-­‐la  em  si  mesmo,  em  
primeiro  lugar.  

Lembre-­‐se,  por  causa  das  contrações  dos  músculos  do  esfíncter  anal,  durante  a  excitação  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


e  o  orgasmo,  o  ânus  pode  realmente  "sugar"  objetos  nele.  Não  haverá  mais  ninguém  na  
sala   para  impedir   que   um   brinquedo   suma   dentro   do   seu   reto.  É   crucial   que   qualquer  
coisa  que  você  coloque  em  seu  ânus,  além  de  seu  dedo,  tenha  uma  base  alargada.    

Mas  enfim,  vamos  começar  do  começo!  A  preparação  é  algo  muito  importante.  

Preparando  sua  Auto  Exploração  

Falta  de  preparação  é,  provavelmente,  o  único  problema  real  com  relação  ao  sexo  anal.  
No  cenário  comum  é  algo  como:    

Ele  tenta  colocar  o  pênis  em  você,  sem  avisar.  Daí  você  grita,  fica  em  estado  de  choque  e  
agonia,   e   acaba   se   jogando   para   longe   dele   e   bate   a   cabeça   na   cabeceira   da   cama.  Isso   é  
o  fim  de  toda  e  qualquer  tentativa  futura  de  sexo  anal.  

Com  a  preparação  adequada  o  sexo  anal  pode  ser  tão  seguro  e  saudável  quanto  qualquer  
outro   tipo   de   sexo.   Fora   que,   optar   pelo   sexo   anal   lhe   dá   todo   um   universo   único   de  
exploração.   O   ânus   pode   ser   uma   zona   muito   erógena   e   contém   mais   terminações  
nervosas  do  que  qualquer  outra  parte  do  corpo  -­‐  exceto  pelo  clitóris.  

Há  muitas  mulheres  que  já  deixam  avisado  ao  seu  parceiro  que  não  querem  fazer  anal,  
ou,   deixam   para   falar   em   algum   momento,   quando   o   homem   insinua   algo   em   específico:  
“Você  não  está  pensando  em  tentar  nada  com  a  minha  bunda  não,  está?”  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 43


Vamos   acabar   com   esse   condicionamento   que   cria   uma   barreira   no   sexo   anal.   Sexo   anal,  
com  a  devida  preparação,  não  tem  nada  para  dar  errado.  

Tenho  amigas  que,  até  uns  3  anos  atrás  se  negavam  e  eram  contra  fazerem  algo  assim,  
mas  depois  de  longas  conversas  que  eu  acabava  tendo  com  elas,  muitas  compreenderam  
e  resolveram  tentar.  

Lhes   digo   que,   sem   exceção,   todas   as   que   seguiram   meus   conselhos   estão   hoje,   muito  
felizes  e  consideram  o  sexo  anal  como  algo  regular  e  indispensável  em  suas  vidas  sexuais  
(e  não  poderia  ser  diferente  mesmo).  

Não  há  qualquer  razão  médica  para  que  exista  esse  tabu,  portanto,  é  algo  que  só  existe  
por   mitos   e   que   não   tem   fundamento   fisiológico   ou   científico.   O   único   benefício   que   isso  
teve   (ao   ser   considerado   tabu)   é   psicológico,   já   que   muitas   mulheres   se   sentem   mais  
excitadas  por  ser  uma  situação  emocionante  –  eu  mesmo,  quando  comecei,  era  assim.  

Basta   ter   a   higiene   adequada   e   não   haverá   motivos   para   ter   a   comum   repulsa   que   se  
costuma  ter.  

Certifique-­‐se  de  ir  ao  banheiro,  antes  da  relação  anal,  para  que  o  pênis  do  seu  parceiro  
não  encontre  nada  desagradável  pelo  caminho.  

Se   você   desejar   você   pode   fazer   um   enema,   se   assim   desejar,   mas   não   é   necessário  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


(falaremos  sobre  isso  mais  à  frente).  

Com   preservativos   ou   não,   é   extremamente   necessário   que   se   use   Lubrificantes   (outro  


tema  que  virá  mais  à  frente.  

Não  é  possível  tentar  o  sexo  anal  de  outra  forma.  Não  só  pode  ser  muito  doloroso  para  a  mulher,  
como  também,    poder  machucar  o  pênis  do  homem,  caso  ele  esteja  sem  camisinha.  

“Seus  dedos  podem  ser  mágicos  e  proporcionar  um  prazer  absoluto  para  a  mulher.  Seja  
capaz   de   fazer   a   mulher   ter   orgasmos   somente   com   as   suas   mãos   será   tão   gostoso   que   a  
mulher  só  vai  pensar  nisso  por  um  bom  tempo.”    

(“Mãos  Mágicas  -­‐  Técnicas  Avançadas  Para  Proporcionar  Incrível  Prazer  Com  Suas  Mãos”)  

Auto  Exploração  

Agora   que   você   está   um   pouco   mais   confortável   com   o   fato   de   que   está   tudo   bem   em  
fazer  sexo  anal,  você  pode  começar  a  explorar  o  seu  ânus.  

Se   você   nunca   fez   isso,   por   curiosidade,   ou   nunca   fizeram   com   você,   essa   é   a   hora   de  
começar  para  que  você  fique  mais  confortável  com  a  ideia  do  sexo  anal.  

Para   desfrutar   o   sexo   anal   você   tem   que   ser   capaz   de   exercer   controle   sobre   sua  
mente.  Se  você  estiver  tensa,  seu  ânus  ficará  muito  retraído  e  nada  passará  por  ali.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 44


É   incrível   o   quanto   a   sua   mente   tem   um   papel   tão   importante   nesse   processo   todo.  
Mesmo  depois  de  já  estar  praticando  o  sexo  anal  com  regularidade,  algumas  vezes  tudo  
fluía   melhor   e   o   pênis   do   meu   parceiro   entrava   com   muito   mais   facilidade,   enquanto  
outras  parecia  haver  uma  certa  resistência  –  apesar  de  tudo  correr  numa  boa,  já  que  eu  
estava  acostumada.  

Não  demorei  muito  para  perceber  que,  às  vezes  em  que  tudo  fluía  melhor  eram  as  vezes  
em   que   eu   tomava   a   iniciativa   de   começar   o   ato.   E,   obviamente,   como   era   eu   que  
começava,  não  tinha  qualquer  tipo  de  pressão  ou  alguma  ansiedade  (mesmo  que  de  leve)  
na  minha  cabeça.  

Preparar   sua   mente   para   sempre   estar   mais   relaxada   é   essencial   nesse   processo   (se  
possível,  converse  isso  com  seu  parceiro  também,  para  que  ele  tenha  paciência  e  não  lhe  
pressione  de  nenhuma  forma,  mesmo  que  indiretamente  ou  sem  querer).  

Diga   a   ele   também   que   você   dará   uma   forcinha   para   ele,   caso   aconteça   dele   perder   a  
ereção,   ou   diminuí-­‐la,   caso   você   demore   um   pouco   mais   do   que   o   planejado   para   dar  
inicio  ao  sexo  anal  (após  ter  decidido  fazê-­‐lo).  Isso  deixará  ambos  bem  mais  calmos  com  
relação  à  pressão  e  a  ansiedade  que  a  situação  pode  gerar.  

O  melhor  lugar  para  iniciar  a  sua  exploração  anal  é  em  uma  banheira.  Prepare  um  bom  
banho  quente  para  ajudá-­‐la  a  relaxar  (claro  que,  como  alternativa,  se  você  não  tiver  uma  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


banheira,  é  fazer  no  próprio  chuveiro  –  em  um  dia  que  não  tenha  ninguém  em  casa,  para  
que   você   possa   demorar   o   tempo   que   achar   necessário   sem   que   ninguém   fique   se  
questionando  o  porque,  ou  mesmo,  na  sua  cama,  no  conforto  do  seu  quarto).  

Comece   acariciando   suas   coxas,   bem   perto   da   entrada   da   sua   vagina,   para   começar   a  
relaxá-­‐la.  Aperte,  massageie,  alise.  Comece  devagar  e  relaxada.  Depois  comece  a  passar  
os   dedos   na   entrada   de   sua   vagina   e   no   seu   clitóris,   para   começar   uma   estimulação   mais  
intensa.  

Depois,   comece   a   passar   a   mão   na   entrada   do   seu   anus,   sem   empurrar   seu   dedo   para  
dentro,   apenas   apertando   (até   com   mais   de   um   dedo).   Essa   sensação   vai   começar   a  
relaxá-­‐la  naquela  região.  

Deixe  seus  músculos  de  toda  a  região  anal  bem  relaxados,  sem  pressão.  

Caso  você  prefira,  pode  continuar  a  se  masturbar  enquanto  começa  essa  leve  penetração  
anal.  Isso  pode  lhe  deixar  mais  confortável  e  pode  deixar  a  situação  mais  intensa.  Apenas  
não  esqueça  de  seu  objetivo,  e  não  perca  o  foco.  

Comece   devagar   e   bem   lento...   Não   há   motivos   para   ter   pressa.   O   canal   do   reto   é  
semelhante   a   um   tubo   elástico   com   um   conjunto   de   anéis   musculares   no   final,   o   ânus.  
Ele  atua  como  uma  barreira,  para  não  deixar  as  coisas  saírem  ou  entrarem.  Ele  aperta  e  
afrouxa.    

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 45


O   reto   pode,   facilmente,   acomodar   um   pênis   grande.  Pense   bem,   se   o   reto   pode   lidar  
com  todos  os  seus  excrementos,  coisas  menores,  como  pênis  e  dedos,  não  são  realmente  
um  problema.    

O   reto   é   um   órgão   flexível   e   resistente   que   não   vai   ser   ferido   por   dedos,   um   pênis   ou  
objetos  similares,  a  menos  que  haja  intenção  de  machucar.    

Antes   de   introduzir   um   dedo   no   seu   ânus,   certifique-­‐se   de   que   suas   unhas   estão  
cortadas,   curtas   e   não   possuem   bordas   afiadas   que   possam,   facilmente,   arranhar   ou  
rasgar  o  tecido  interior  do  reto.  Isso  não  seria  nenhum  pouco  agradável.  

Explorando  Seu  Anus  

Depois  desse  pequeno  processo  de  preliminares,  você  já  pode  começar  a  sua  penetração.  
Uma  boa  ideia  é  ter  um  lubrificante  em  mãos  (ok,  nesse  momento,  sozinha  e  com  apenas  
um  dedo,  não  é  estritamente  necessário,  mas  muitas  mulheres  vão  preferir  assim).  

Eu,   pessoalmente,   recomendo   um   lubrificante   que   seja   solúvel   em   água.  Vaselina  


também   é   um   lubrificante   aceitável,   pois   o   reto   faz   a   “limpeza”   do   organismo,   ao  
contrário  da  vagina.  

Esteja   confortável   no   lugar   que   você   escolher.   Dobre   suas   pernas,   até   estarem   mais  
próximas  da  sua  bunda,  e  comece  a  penetração  de  forma  tranquila  e  lenta.  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


Os   melhores   dedos   para   se   fazer   isso   são   os   mesmos   para   a   masturbação:   o   dedo   médio  
ou  o  indicador.  Escolha  um  deles  e  passe  o  lubrificante  (caso  você  tenha  decidido  usá-­‐lo).  

Comece  botando  apenas  a  ponta  do  seu  dedo  para  fazer  a  abertura  do  anus,  que  já  vai  
lhe  dar  aquele  “alerta”,  que  pode  fazer  com  que  você,  no  reflexo,  se  contraia.  Esse  é  o  
momento  em  que  você  tem  para  aprender  a  relaxar  o  seu  ânus.  

Após  feito  isso,  enfie  seu  dedo  mais  um  pouco,    delicadamente,  até  a  metade  dele,  tendo  
a  certeza  de  que  está  tudo  bem.    

Quando   você   começar   a   passar   pelos   músculos   do   seu   ânus,   quando   estiver   colocando   o  
dedo   todo,   você   poderá   ter   um   leve   desconforto   no   início,   talvez   uma   leve   (bem   leve  
mesmo)  sensação  de  queimadura.  Fique  tranquila,  isso  é  normal  no  início.  

Agora  que  seu  dedo  já  está  lá,  por  completo,  volte  a  se  masturbar,  com  a  outra  mão,  na  
vagina.   Aproveite   o   prazer   que   você   terá   -­‐   sem   tirar   o   dedo   do   seu   ânus.   Se   possível,  
chegue   até   o   orgasmo   para   que   você   possa   ver   como   é   a   sensação   de   atingir   o   clímax  
tendo  um  dedo  no  seu  ânus.  

Se   foi   bom   pra   você,   já   pode   continuar   o   seu   processo   de   exploração.   Caso   você   não  
tenha   se   sentido   muito   bem,   faça   novamente.   Tome   todo   o   tempo   que   você   precisar  
para  que  você  fique  confortável  consigo  mesma.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 46


Se  você  gostou  mesmo,  até  agora,  então  pode  tentar  mexer  o  seu  dedo  lá  dentro,  para  
ver  como  se  sente.  O  interior  do  reto  é  muito  macio  e  confortável.  Eu  acho  uma  sensação  
bastante   interessante.  Tente   mover   o   dedo   em   diferentes   direções   e   veja   o   que   sente  
com  cada  um  desses  diferentes  movimentos.    

Se  você  estiver  se  masturbando  na  vagina,  com  a  outra  mão,  pode  empurrar  seus  dedos  
na  direção  um  do  outro,  pela  “parede”  que  os  separam.  

Depois   disso   pode   vir   o   momento   de   colocar   mais   de   um   dedo.   Isso   mesmo!   Com   isso  
você   já   começa   a   se   preparar   para   receber   algo   maior,   como   um   pênis.   Coloque   outro  
dedo  e  comece  uma  penetração.    

Nesse   caso,   vá   um   pouco   mais   devagar   do   que   estava   até   agora,   porque   pode   ser   algo  
incomodo,   no   começo,   porque   estará   esticando   a   pele   duas   vezes   mais   do   que   estava,  
até  agora.  

Mas  fique  tranquilo,  a  adaptação  é  rápida.  E,  não  pense  que  você  tem  que  realizar  tudo  
no   mesmo   dia.  Você   pode   deixar   para   explorar   um   pouco   de   cada   vez,   durante   vários  
dias.  Pratique  enrijecer  e  relaxar  seu  ânus  em  torno  de  seus  dedos.  

Além  dos  Dedos  

Agora   que   você   está   confortável   com   seus   dedos,   é   hora   de   avançar   para   algo   um   pouco  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


mais   realista.  Um   dildo   será   excelente   para   praticar.   Não   vou   falar   sobre   os   tipos   de  
dildo,  nesse  momento,  pois  já  há  um  espaço  dedicado  a  isso,  nesse  livro).  

Tentar   empurrá-­‐lo   para   dentro   e   para   fora   do   seu   ânus,   enquanto   você   se  
masturba.  Assim   você   vai   descobrir   que,   se   você   já   está   muito   excitada   na   vagina,   é   bem  
mais  simples  de  empurrar  seu  dildo  para  o  seu  ânus.  

É  por  esse  motivo  também  que  o  ato  sexual  não  deve  começar  assim,  logo  com  o  sexo  
anal.  É  importante  ter  tido  antes  a  relação  sexual  habitual,  entre  pênis  e  vagina.  

A   partir   desse   ponto,   você   já   pode   começar   a   envolver   um   parceiro   nesse   processo   de  
exploração.  Deixe-­‐o  ciente  de  que  é  você  quem  define  o  ritmo  (para  que  ele  não  tente  
apressar  o  processo.  

Ele   será   muito   recompensado   com   os   resultados   por   ter   paciência   e   não   apressar   o  
processo.  

Depois  da  Primeira  Experiência  

Não  pense  que,  após  essa  primeira  experiência,  será  bem  simples  quando  você  for  fazer  
novamente.  Ainda  será  um  longo  processo  até  você  ter  total  facilidade  com  o  sexo  anal  
(e,  a  maioria,  sempre  terá  de  tomar  cuidado  nessas  práticas.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 47


Se  você  achou  muito  ter  demorado  vários  dias  até  conseguir  penetrar  o  seu  ânus  e  ter  
sua   primeira   experiência   com   o   sexo   anal,   fique   tranqüila.   A   partir   daí   é   bem   mais  
simples,  porém,  você  ainda  terá  que  passar  por  um  pequeno  processo  nessas  primeiras  
vezes   (que,   obviamente,   vai   diminuindo   e   se   tornando   mais   rápido,   de   acordo   com   o  
costume.  

Quando   estiver   pronta   para   explorar   o   erotismo   anal,   durante   a  masturbação,   você   pode  
querer   começar   tomando   um  banho   quente   e   demorado   no   chuveiro.  O   banho,   ou   a  
ducha,   irá   ajudá-­‐la  a   relaxar,   bem   como   lhe   dar   uma   oportunidade   de   começar   sua  
diversão  anal,  estando  bem  limpinha.  

Também   certifique-­‐se   (é   bom   nunca   esquecer   disso)   de   que   suas   mãos   estão  limpas   e   as  
unhas  cortadas  e  aparadas.  Comece  masturbando-­‐se  como  você  costuma  fazer,  comece  
por   fazer   o   que   você   sabe,  em   primeiro   lugar,   o   que,   para   a   maioria   de   nós,   significa  
estimular  a  vagina  e  o  clitóris.    

Traga   para   fora   seu   vibrador   (ou   dildo).   Veja   aquele  vídeo   pornô   ardente,   caso   você  
precise   ser   despertada.  Não   vá   direto   explorar   seu   ânus,   ao   invés   disso,  simplesmente   se  
masturbe  e  deixe  todo  o  seu  corpo  excitado.  

Quando   você   se   sentir   excitada   e   pronta   para   prestar   atenção  na   sua   área   anal,   você  
pode   querer   usar   um   espelho   para   que   você   possa   ver,  exatamente,   o   que   está  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


acontecendo  lá  embaixo.    

Encontre   uma  posição   confortável.  Deitada   de   costas,   sentada   em   uma   cadeira  


confortável  ou  na  borda  da  cama  pode  ser  melhor  para  começar  e,  para  que  você  possa  
se   olhar   em   um  espelho.   Encontre   uma   posição   que   você   já   esteja   acostumada   e   que  
sirva  para  você.  Uma  que  permita  que  você  estimule  seu  clitóris  e  alcance  seu  ânus.  

Eu   costumo   sempre   me   masturbar   deitada,   que   é   a   posição   mais   familiar   para   mim   e  
aquela   em   que   eu   fico   excitada,   mais   facilmente.  Quando   eu   comecei   a   explorar  
o  erotismo  anal,  durante  a  masturbação,  eu  achei  mais  fácil  começar  deitada,  e  depois,  
virar  de  costas  para  poder  olhar  para  a  minha  bunda  no  espelho.  

Comece  com  algumas  técnicas  de  relaxamento,  como  respiração  profunda  ou  meditação,  
você   também   pode   querer   fazer   alguns   exercícios   de   Kegel  para   se   aquecer   e   deixar   o  
sangue  fluir  no  seu  ânus.  

Massageie,  suavemente,  suas  nádegas,  sua  parte  interna  das  coxas,  e  a  área  em  torno  do  
seu  ânus.  Note  como  a  abertura  responde  à  massagem  em  torno  dele.  Coloque  uma  luva  
de  látex  (se  você  quiser)  e  despeje  um  pouco  de  lubrificante  em  sua  mão.  Verifique  se  o  
seu  dedo  está  bom  e  escorregadio.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 48


Quando   você   se   sentir   confortável,   toque   seu   ânus.  Bata,   esfregue,   deixe   deslizar  
lubrificante   sobre   sua   pele.  Apenas   estimular   a  abertura   pode   ser   extremamente  
agradável  por  causa  das  terminações  nervosas  da  área  anal.    

Você   também   pode   querer   usar   um   vibrador   para  estimular   a   área   do   seu   ânus;  
vibrações   também   podem   relaxar   a  área   e   começar   a   bombear   o   sangue   de   lá.  Passe  
algum   tempo   experimentando   as   sensações   e   explorando   como   todo   o   seu   corpo  
responde  ao  seu  ânus  sendo  pressionado,  esfregado  e  etc.  

O  próximo   passo   é   usar   o   dedo   para   pressionar,   suavemente,   na  abertura.   Continue  


tocando  e  pressionando  até  que  você  se  sinta  pronta  para  mais.    

Continue  adicionando  mais  lubrificante  no  seu  dedo  e  inserindo  apenas  a  ponta  em  seu  
ânus;   deixe-­‐o   lá   e   acostume-­‐se   com   o   sentimento.  Adicione   um   pouco   de  
lubrificante.  Mova  o  dedo,  gentilmente,  contra  os  lados  da  abertura  vaginal,  sem  ir  muito  
fundo.  

Quando  se  sentir  mais  preparada,  vá  um  pouco  mais.  Veja  como  os  músculos  do  esfíncter  
se   sentem   em   torno   do   seu   dedo.  Você   pode   querer  continuar   a   se   masturbar   com   a  
outra  mão  ou  usar  um  vibrador.  

Lembre-­‐se   de   ser   paciente   com   você   mesmo.   Vá   no   seu   próprio   ritmo  e   ouça   o   seu  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


corpo.  Se   em   algum   momento   você   sentir   desconforto   ou  dor,   pare.  Não   há  
pressa.  Mantenha  o  dedo  no  interior  até  o  quanto  você  quiser  que  ele  vá.  

Faça  a  experiência  com  todas  as  sensações  diferentes  que  você  puder  criar  com  apenas  
um   dedo.  Você   pode   se   aventurar   mais   no   interior,   centímetro   por   centímetro,  
experimentando  uma  variedade  de  profundidades.  

Algumas  pessoas  gostam  de  um  movimento  circular,  criando  círculos  dentro  do  ânus  com  
um  dedo  e  sentindo  as  paredes  do  ânus  em  torno  do  dedo.  Outras  pessoas  desfrutam  da  
sensação   de,  simplesmente,   ter   algo   em   seu   ânus;   veja   o   que   se   sente   ao  esfregar   seu  
clitóris  enquanto  seu  dedo  ainda  permanece  em  seu  ânus.    

Você  também   pode   praticar   com   algum   jogo   que   permita   a   penetração,   tentando  
velocidades   e   ritmos   diferentes,   deslizando   o   seu   dedo   para   frente   e   para   fora   do   seu  
ânus.  Desfrute  da  sensação  de  cada  movimento.  

Certifique-­‐se   sempre   de   usar   muita   lubrificação   e  começar   devagar.  Preste   atenção   em  


como  contrair  os  músculos  em  torno  do  brinquedo.  Certifique-­‐se  de  deixar  seu  ânus  se  
acostumar  com  a  sensação,  portanto,  coloque  cada  centímetro  por  vez.    

Se   você   apressar   sua   penetração,   seu   ânus,   provavelmente,   ficará   dolorido   e  você   vai   ter  
que  parar  todas  as  atividades  antes  que  você  queira.  Se  você  escutar  seu  corpo  e  dar  ao  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 49


seu  ânus  uma  chance  de  relaxar  e  de  se  preparar,  ele  vai  se  abrir  cada  vez  mais,  a  cada  
dia  que  passa,  e,  com  o  tempo,  seu  ânus  não  terá  mais  limites.  

Orgasmo  Anal  

"Cargas   elétricas   atravessando   seu   corpo”.  Um   arco-­‐íris   de   cores   atinge   as   suas  
pálpebras.  Uma  linda  música  para  os  seus  ouvidos,  isso  é  um  orgasmo”.  

Você  pode  pensar  que  um  orgasmo  é  apenas  um  orgasmo,  não  importa  em  qual  buraco  
você  está  sendo  penetrada,  mas  deixe-­‐me  dizer-­‐lhe  que  não  é  assim.  

O   orgasmo   anal,   como   você   vai   descobrir,   é   um   orgasmo   provocado   pela   estimulação  
anal,   como   por   um   dedo   inserido,   um   pênis   ou   brinquedos   sexuais.  Todas   as   mulheres  
são  capazes  de  alcançá-­‐lo,  mas  poucas  têm  a  sorte  de  realmente  experimentá-­‐lo.  

O   clímax   sexual   pode   ser   completo   ou   incompleto,   dependendo   da   sua   habilidade   de  


fazer  as  coisas  no  tempo  certo.  Algumas  sortudas  podem  vir  a  experimentar  um  orgasmo  
anal  mesmo  sem  estimulação  do  ânus.  Seria  pela  estimulação  das  nádegas  e  da  entrada  
do  ânus,  pela  língua.  Mas,  não  conte  com  isso,  é  raríssimo.  

Mas  como  isso  acontece?  

Da  estimulação  do  ponto  G,  porém,  a  estimulação  acontece  através  da  “parede”  que  é  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


compartilhada  entre  a  vagina  e  o  reto.  Sim,  é  uma  estimulação  indireta,  mas  talvez  seja  
por   isso   que   tantas   mulheres   gostem.  É   um   fato   anedótico   que   algumas   mulheres  
experimentem  o  orgasmo  anal  como  sendo  diferente  do  orgasmo  clitoriano  ou  vaginal.  
Mas  isso  acontece!  

Então,   sim,   o   orgasmo   anal   não   é   apenas   uma   teoria   "conveniente"   promulgada   por  
homens   que   querem   convencer   suas   namoradas   de   tentar.  É   real,   acontece   e   pode   ser  
ensinado.  

1.  Comece  com  uma  pequena  e  suave  massagem  em  suas  nádegas.  Se  você  curtir  essas  
coisas,  pode  usar  movimentos  para  aumentar  o  prazer  como  alguns  apertões  e  beliscões.    

2.  Depois   disso,   comece   a   massagear   a   área   perto   do   ânus,   mas   desta   vez   use  
movimentos  mais  suaves  e  precisos.  

3.  Em   seguida,   com   um   dedo   bem   lubrificado,   circunde   a   abertura   anal   com   movimentos  
leves.  

4.  Peça   para   seu   parceiro   fazer   um   sexo   oral   com   seu   ânus,   movendo   sua   língua   em  
movimento   circular,   para   depois   passar   a   língua   ao   redor   da   borda  do   ânus   (isso   é  
conhecido  como  rimming  -­‐  e  é  citado  nesse  livro).  

5.  Depois   de   ter   um   dedo   todo,   ou   um   pênis,   todo   em   seu   reto,   um   outro   conjunto   de  
prazeres   estarão   envolvidos.  A   parte   exterior   do   reto,   como   a   vagina,   tem   várias  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 50


terminações   nervosas.  A   parte   interna   responde,   principalmente,   à   pressão.  A   pressão  
retal  é  particularmente  importante  para  os  entusiastas  do  fisting.  

6.  Quando   você   estiver   quase   no   clímax,   você   pode   melhorar   um   pouco.   Faça   uma  
estimulação  manual  adicional  ao  clitóris  -­‐  é  bem  aconselhável.  

7.  Além   disso,   para   as   mulheres   que   não   abrem   mão   de   uma   sensação   completa,   tente   a  
penetração  simultânea  do  ânus  e  da  vagina  (colocando  um  acessório  sexual  na  vagina,  e  
o  pênis  no  ânus  (ou,  vice-­‐versa).  

8.  A   intensidade   do   orgasmo   anal   pode   ser   alcançada   também   por   aspectos   psicológicos,  
bem   como   físicos.  O   tabu   anal   contribui   para   a   emoção   do   proibido.  O   mito   mais   comum  
contra   o   sexo   anal   (de   que   é   pervertido!)   retorna   às   vezes   como   uma   fonte   de   excitação.  
É  sempre  interessante  desfrutar  disso,  algumas  vezes.  

9.  A  maneira  mais  fácil  para  não  se  chegar  a  um  orgasmo  anal  é  ficar  desesperada  para  se  
ter   um.  Relaxe   e   aproveite   o   sexo   anal,   em   si,   com   o   orgasmo   vindo   ou   não.   Não   se  
preocupe  que,  uma  hora  ele  virá.  

10.  Uma   boa   dieta   também   contribui   para   a   sensação   de   prazer   anal.  Movimentos  
intestinais  regulares  e  uma  quantidade  suficiente  de  fibras  no  sistema  evitam  a  irritação  
dos  tecidos  do  intestino,  o  que  evita  também,  conseqüentemente,  desconforto  e  tensão  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


muscular.  

16. A Língua no Sexo Anal


Rimming   é   a   estimulação  da   área   anal   com   a   boca   e   a   língua.   Seja   mordiscando,  
chupando,   lambendo   e   etc.  As   pessoas   o   fazem   pelo   simples   prazer   de   ter   seu   ânus  
lambido,   ou,   de   lamber   um  ânus   do   parceiro.  Porque   a   área   anal   é   tão   cheia   de  
terminações  nervosas,  até  mesmo  as  menores  sensações  podem  fazer  diferença.  

“Eu  adoro  quando  meu  namorado  fica  lambendo  minha  buceta  por  muito  tempo  e,  em  
seguida,  vai  pra  baixo  e  começa  a  lamber  em  volta  do  meu  ânus,  é  um  momento  em  que  
faz   com   que   eu   me   sinta   muito   conectada   a   ele,   fora   que,   o   sentimento  de   sua   língua,  
levemente  contra  a  minha  pele,  me  deixa  maluca”.  

Uma  boa  maneira  de  introduzir  o  rimming  é  começar  lambendo  o  seu  parceiro  (ou  ele  te  
lambendo).  Como   é   com   as   outras   atividades,  é   importante   explorar   o   prazer   em   todas   a  
área,  ao  invés  de  ir  direto  ao  ponto.  

Eu  uso  minha  língua  para  explorar  cada  cantinho  do  ânus  do  meu  amante,  e  espero  que  
ele  faça  o  mesmo  por  mim.  Porque  o  buraco  é  enrugado.  São  milhões  de  dobras  e  fendas  
para  encontrar  e  lamber.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 51


Muitas   pessoas   se   sentem   especialmente   preocupadas   com   rimming,  por   causa   da  
associação  entre  o  ânus  e  o  ato  de  defecar.  

Nós  aprendemos   desde   cedo   que   se   algo   está   sujo   ou   mau   cheiroso,   nós  não   devemos  
colocar  a  nossa  boca  nele.  Lembre-­‐se  que  existem,  normalmente,  apenas  alguns  vestígios  
de  coliformes  fecais  no  ânus  e  no  canal  anal.  

Se   você   e   seu   parceiro   estão   especialmente   preocupados   com  limpeza,   o   seu   parceiro  
pode   ter   um   enema.  (Lembre-­‐se   que   um  enema   deve   ser   feito   pelo   menos   duas   horas  
antes  do  encontro  sexual).    

Esteticamente  falando,  o  sexo  oral  anal  não  precisa  ser  mais  sujo  do  que  sexo  oral  anal.  
Algumas   pessoas   acham   o  ânus   repugnante,   assim   como   algumas   pessoas,   não  
esclarecidas,  tem  esse  sentimento  pelo  clitóris  e  a  vagina.    

No   entanto,   muitos   de   nós   pensam   exatamente   o   contrário,   e   tem   muito   desejo   e  


entusiasmo,  tanto  com  o  sexo  oral  como  o  anal.  Tenha  em  mente,  contudo,  que,  além  do  
HIV   e   das   DSTs,  entramos   em   contato   com   vestígios   de   fezes   a   partir   do  cólon,   o   que  
pode  levar  os  parasitas,  da  hepatite  A  e  outros  vírus.  

Deixe  sua  boca,  lábios  e  língua  explorar  o  ânus  da  sua  amante  livremente,  experimente  
técnicas   diferentes.  Escute   as   respostas   verbais   e   não   verbais   da   sua   parceira  e   deixe-­‐a  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


ajudar   a   guiá-­‐lo.  Algumas   pessoas   gostam,   de   verdade,   de  meter   a   língua   dentro   e   fora  
do   ânus   da   sua   parceira,   e   assim,   você   pode  penetrar   o   ânus   da   sua   amante   com  
vontade.  

Eu   realmente   gosto   quando   alguém   lambe   ou   suga   o   meu   ânus,   mas   até   do   que   a  
penetração   com   os   dedos.  Uma   vez,   uma   amante   com   quem   eu   fazia   sexo,   enfiou   a  
língua  dentro  de  mim  e  eu  me  senti  muito  bem.  Então,  eu  descobri  o  quanto  eu  gostava  
de  penetração  com  a  língua.  

Há  uma  variedade  de  posições  que  você  pode  tentar  para  o  rimming.  

Algumas   pessoas   gostam   de   lamber   o   ânus   do   seu   parceiro   por   trás,   na   posição   de  
“cachorrinho”.  Outros  gostam  de  criar  uma  versão  da  posição  69,  para  que  eles  possam  
dar  prazer  um  ao  outro,  simultaneamente.  Você  pode  lamber  o  ânus  do  seu  parceiro  de  
quase   qualquer   posição,  incluindo   em   pé,   sentados   ou   deitados.  Façam   como   for   mais  
confortável  e  agradável  para  ambos.  

Eu  gosto  de  colocar  um  travesseiro  em  minhas  costas,  sob  a  bunda,  os  joelhos  dobrados  
com  as  pernas  no  ar.  Gosto  quando  ele  abre  bem  as  minhas  pernas,  puxando  pela  minha  
bunda  e  colocando  a  língua  nos  lábios  da  minha  buceta,  e  depois,  deslizando  a  ponta  da  
língua  até  o  meu  ânus.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 52


Rimming  pode  ser  extremamente  prazeroso  para  todos  os  envolvidos,  incluindo  a  pessoa  
que  dá  o  prazer.  Nina  Hartley  demonstra  em  seu  vídeo  de  sexo  anal:  

Ele  é  extremamente  agradável...  Mas,  novamente,  nunca  deve  ser  algo  que  você  só  está  
fazendo  para  agradar  a  outra  pessoa,  é  algo  que  você  estão  fazendo  para  vocês.  

Rimming  Seguro  

Se  você  planeja  se  aventurar  ao  redor  e  dentro  do  ânus,  e  você  não  está  em  uma  relação  
monogâmica,  você  deve,  definitivamente  pela  prática  do  sexo  seguro,  utilizando  sempre  
uma   “dental   dam”   para   o   contato   anal.  Rimming   sem   dental   dam   é   considerada   uma  
atividade  de  alto  risco  para  a  transmissão  de  DSTs  e  HIV.  

Mesmo   sendo   monogâmico,   vocês   ainda   podem   ser   um   casal   que   preferem   se  
proteger.  Porém,   nesses   casos,   é   bem   comum   que   não   se   use   -­‐   mas   é   importante   que  
ambos  estejam  cientes  dos  riscos  de  tomar  essa  decisão.    

Lembre-­‐se  que  os  coliformes  fecais  do  reto  e  do  canal  anal  podem  conter  a  hepatite  A,  
parasitas   intestinais,  vírus   e   etc,   os   quais   podem   infectar   você   ou   seu   parceiro   e  
fazer  vocês  ficarem  doente.  Para  evitar  isso,  você  usar  uma  “dental  dam”.  

As  “dental  dams”  são  uma  barreira  de  látex  que,  algumas  vezes,  já  vem  disponível  com  
alguns   acessórios   sexuais.   Caso   você   nunca   as   tenha   visto,   procure   no   Google   e   você  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


achará  rapidamente.  

Algumas   pessoas   gostam   de   cortar   as   luvas   de   látex   para   o   rimming   porque   você   pode  
usar  um  dos  dedos  da  luva  para  furar  a  sua  língua.  

Se   você   não   estiver   usando   proteção,   lave,   abundantemente,   com  bochechos   e  


antissépticos-­‐bucais,   após   rimming   antes   de   colocar   a   boca   em   outro   lugar  (Como   na  
vagina  de  alguém  ou  pênis)  para  evitar  a  propagação  de  bactérias.    

17. Penetração Anal  


O  Parceiro  Ativo  na  Penetração  Anal  (ele)  

Um   capitão   de   um   navio,   no   meio   de   um   oceano   turbulento,   sabe   que   é   a   água   que   está  
no   controle,   o   trabalho   do   capitão   é   sintonizar   e   manobrar   as   correntes   através   das  
marés.  

O  trabalho  do  seu  homem,  na  condição  de  ativo,  é  ir  lentamente,  ser  gentil,  se  comunicar  
e  manter  um  ritmo  razoável.  

Vá  Devagar,  Seja  Gentil  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 53


Eu  gosto  de  fazer  uma  massagem  anal  longa  e  excitante,  que  acaba  tendo  efeito  por  um  
longo   tempo   e,   então,   se   prossegue   com   a   penetração   com   um   dedo   e   às   vezes  
brinquedos.  

Reveja   as   preparações   de   base,   especialmente   os   exercícios   de   relaxamento.  Comece  


com  algumas  preliminares  divertidas,  sem  stress.  

Quando   o   seu   parceiro   está   pronto   para   avançar   para   a   estimulação   anal,   faça   a  
transição,  lentamente.  Comece  por  massagear  a  parte  interna  das  nádegas.  

Trabalhe   o   caminho   ao   redor   da   área   anal   com   os   seu   dedos   e   a   boca,   ou   um  


vibrador.  Quanto  mais  você  estimular  a  área  inteira,  mais  o  sangue  correrá  lá.  Você  pode  
combinar  estimulação  anal  com  estimulação  do  clitóris,  ou  da  vagina.  

Para   mim,   ajuda   a   relaxar   meu   ânus,   se   eu   estiver   excitando   o   meu   clitóris...   Se   a  
estimulação  é  só  na  minha  bunda,  uma  parte  do  meu  corpo  é  preenchido  por  sensações  
intensas.  Se   eu   colocar   alguma   coisa   no   meu   clitóris,   como   um   vibrador,   toda   a   área   e  
todo  o  meu  corpo  passam  a  ser  tomados  por  um  prazer  intenso...  Daí,  toda  vez  que  você  
for  estimular  o  seu  clitóris,  seu  ânus  ficará  relaxado.  

Quando  o  seu  parceiro  estiver  pronto  para  a  penetração,  comece  lubrificando  um  dedo.  
Insira  apenas  a  ponta,  e  passe  por  ali.  O  primeiro  instinto  dos  músculos  do  esfíncter  serão  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


se  apertar.  Deixe  que  o  ânus  se  acostume  a  ter  algo  dentro  dele  e  deixe  os  músculos  do  
esfíncter  relaxar.  Agora  você  pode,  ainda  com  o  dedo,  começar  a  empurrar  para  dentro  e  
para  fora,  suavemente.  

Eu   adoro   sentir   o   aperto   e   o   calor   daquele   buraco   em   volta   do   meu   dedo.  Eu   amo   a  
sensação  de  estar  “abrindo  um  novo  caminho”.  

Muitas  vezes,  os  músculos  do  esfíncter  do  canal  anal  responderão  à  penetração  através  
da  contratação  ao  redor  do  objeto,  em  seguida,  liberando-­‐o.  

Se  você  acariciar  delicadamente  o  ânus,  ele  vai  fazer  um  rápido  movimento  de  contração,  
para  você,  como  se  ele  estivesse  piscando.  

Com   o   ânus   aberto,   você   poderá   deslizar,   lentamente,   um   dedo   bem   lubrificado   para  
dentro.  
 
Existem   tantas   terminações   nervosas   na   região   anal   que   cada   sensação   será  
ampliada.  Tenha   em   mente   que   um   leve   toque   já   é   capaz   de   despertar   uma   sensação   de  
prazer.  

A  mais  simples  carícia  pode  ser  extremamente  prazerosa.  Se  você  quiser  mais  profundo,  
mais  rápido,  mais  duro,  mas  é  importante  dizer.  No  começo,  se  você  não  souber  muito  
bem  o  que  você  quer  exatamente,  aconselho  a  errar  por  menos  do  que  por  mais.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 54


Ouvir  e  falar  com  seu  parceiro  

É  importante  que  você  se  concentre  em  seu  parceiro,  em  como  vocês  estão  dando  esse  
prazer   um   ao   outro.  Vocês   devem   se   sentir   confortáveis   para   falar,   um   com   o   outro,  
durante  a  experiência.  Pergunte  o  que  ele  está  achando;  perguntar  o  que  ele  quer.    

Seu  parceiro  também  deve  “ouvir”  o  seu  parceiro.  Sentir  como  os  músculos  do  esfíncter  
se  contraem   em   torno   do   dedo   dele   e   como   responde   ao   seu   toque.  Observar   o   nível   de  
tensão  e  abertura  do  ânus,  além  da  resposta  do  organismo  à  estimulação  anal.  Saber  se  
perguntar:    

“Quais  respostas  não-­‐verbais  ela  está  me  dando”?  Como  é  sua  respiração  padrão?  Quais  
os   tipos   de   sons   que   ela   está   fazendo?  Diga   ao   seu   parceiro   o   que   você   quer,  
especialmente  nas  vezes  em  que  você  estiver  prestes  a  fazer  algo  novo.    

Também  diga  a  ele  o  que  você  está  sentindo,  o  que  está  te  deixando  mais  intensa.  Tudo  
isso   irá   melhorar   a   comunicação   e   o   prazer   entre   vocês.  Diga   o   que   você   acha   mais  
provocante   e   o   que   ele   gostaria?  Você   gostaria   de   um   rimming?  Gostaria   de   mais  
pressão?  De  menos  delicadeza?  Diga  a  ele.  

Você  é  quem  deve  conduzir  

A   pessoa   que   recebe   o   prazer   anal   deve   ser   a   única   no   controle.   Ou,   ao   invés   de   você  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


orientar   a   inserção,   você   pode   levá-­‐lo   a   seguir   um   ritmo   de   acordo   com   seus  
movimentos.  Na  condição  de  passiva,  controle  os  músculos  do  esfíncter,  você  realmente  
pode  sugá-­‐lo  para  dentro  com  seu  ânus.  

Verifique   se   o   seu   parceiro   saberá   quando   você   quiser   parar,   por   não   estar   agradável.   Se  
for  preciso,  avise  e  peça  para  ele  parar.    

Nunca   pressione   o   seu   parceiro   para   fazer   sexo   anal.  Se   o   seu   parceiro   não   está  
interessado   em   explorar   a   sexualidade   anal   em   uma   determinado   ocasião,   respeite   os  
seus  desejos  -­‐  como  ele  também  deve  respeitar  os  seus.  

O  sexo  anal  ainda  pode  ser  muito  pesado,  mesmo  para  as  mulheres  mais  “ousadas”,  ou,  
mais  experientes.  Ter  seu  ânus  penetrado  pode  ser  intenso,  emocionante  e,  até  mesmo,  
um  pouco  assustador.    

Mantenha  todos  esses  fatores  em  mente  e  lembre-­‐se  que  o  seu  parceiro  lhe  deu  motivos  
para  você  confiar  nele  (afinal,  não  fosse  isso,  você  não  estaria  fazendo).    

Respeito   e   confiança   são   cruciais   que   você   tenha   com   o   seu   parceiro.  Você   pode   estar   se  
sentindo  particularmente  vulnerável,  ou  talvez,  um  pouco  ansiosa.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 55


Aqui   está   uma   parte   do   corpo   através   do   qual   podemos   experimentar   prazer   intenso,  
mas  que  também,  pode  causar  danos  no  sentido  de  causar  vergonha,  ou  até  dor.  Por  isso  
é  importante  saber  com  quem  se  está  fazendo  isso.  

Além  disso,  o  sexo  anal  me  dá  uma  grande  sensação  de  poder.  Não  o  poder  de  ferir,  mas  
o  poder  de  agradar,  de  provocar,  de  seduzir.  Especialmente  se  for  o  caso  da  mulher  estar  
inserindo  dedos  ou  objetos  no  ânus  do  seu  parceiro.  

18. O Parceiro Passivo no Sexo Anal


 
Relaxe,  relaxe,  relaxe.  Respire  fundo.    

O   relaxamento   é   tão   importante   para   fazer   um   sexo   anal   prazeroso,   mas   eu   acho   que,  
com  o  ritmo  frenético  de  nossas  vidas,  é  um  dos  estados  mais  difícil  de  ser  alcançados,  
porque  o  ânus  pode  ser  um  lugar  onde  armazenamos  muito  do  nosso  estresse  e  tensão.  

Precisamos  tirar  essa  tensão  do  nosso  corpo  antes  de  se  aventurar  no  prazer  anal.    

Fazer   15   minutos   de   respiração   profunda   ajuda   muito   o   meu   corpo   a   relaxar,   e   a  


respiração  me  deixa  em  contato  com  todas  as  sensações  do  meu  corpo.    

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


Um   banho   quente,   velas   e   uma   massagem   sensual   também   são   grandes   relaxantes.  
Devemos  também  relaxar  a  mente.    

Algumas   pessoas   gostam   de   meditar   ou,   até   mesmo,   fazer   alguma   visualização   positiva  
para   se   acalmar   e   se   preparar   para   a   penetração   anal.  Entenda   que,   o   nosso   corpo   e   a  
nossa  mente  estão  intrinsecamente  ligadas.  O  relaxamento  é  um  processo  reflexivo.  

Diga  o  que  você  quer  

Você  precisa  descobrir  quais  são  os  seus  desejos  eróticos  anais.  A  partir  daí,  você  tem  a  
responsabilidade  de  comunicá-­‐los  ao  seu  parceiro.  

Embora   possa   parecer   estranho   dizer   isso,   você   é   a   única   que   está   no   controle   disso.  
É  você   quem   define   o   ritmo   e   controla   a   ação.  Você   precisa   estar   bem   e   consciente   do  
seu   corpo,   dos   seus   músculos   anais   (especificamente   dos   esfíncteres),   para   que   você  
consiga  relaxá-­‐los.  

Converse   com   seu   parceiro   antes,   durante   e   depois,   sobre   como   tudo   ocorreu,   as  
sensações   que   você   experimentou   e   o   que   você   gostaria   de   ter   a   mais   (ou   menos,  
dependendo).  
 
Ele   pode   ser   um   pouco   alienado   para   perceber,   ou   talvez,   não   consiga   perceber,   por  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 56


causa  do  êxtase  sexual,  que  realmente  é  muito  forte  quando  se  está  fazendo  sexo  anal  
(para  ambas  as  pessoas).  

Para  mim,  é  um  pouco  como  se  eu  estivesse  fazendo  sexo  drogada:  

É   extremamente   intenso,   um   se   dando   totalmente   para   o   outro.   Envolve   uma  


vulnerabilidade  que  eu  prefiro  ter  apenas  com  um  parceiro  que  eu  realmente  sinta  uma  
ligação  forte.  

Quanto   mais   informações   você   puder   dar   ao   seu   parceiro,   mais   equipado   ele   estará   para  
agradar   você.  Como   discutido   no   capítulo   3,   é   igualmente   importante   que   vocês  
compartilhem  suas  fantasias  e  seus  medos  sobre  o  sexo  anal.    

Quanto   mais   em   contato   vocês   tiverem   com   as   suas   necessidades,   seus   desejos,   e   seu  
próprio  corpo,  melhor  o  experiência  será  para  todos.  

Quando   você   estiver   relaxada   e   pronta   para   a   penetração,   coloque   um   pouco   de  


lubrificante  em  seu  ânus  e  encontre  uma  posição  que  seja  confortável  para  você.  

Algumas   pessoas   gostam   de   ficar   deitadas,   com   as   pernas   no   ar   ou   no   ombros   do   seu  


parceiro,   desta   forma,   você   pode   manter   uma   comunicação   mais   fácil,   verbais   e   não  
verbal,  e,  pode  permitir  a  estimulação  vaginal,  além  da  anal.  Algumas  mulheres  gostam  
de   sentar   em   cima   de   seus   parceiros   (para   ficar   frente   a   frente)   para   que   elas   possam  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


controlar  o  ritmo  e  a  profundidade  da  penetração.  

Muitas   pessoas   gostam   de   fazer   em   todas   as   posições.   De   barriga   para   baixo   com   a  
bunda   no   ar.  Este   “estilo   cachorrinho”   permite   uma   melhor   profundidade   e   requer   o  
mínimo   de   flexionamento   do   canal   anal.  Experimente   várias   posições   até   encontrar   a  
mais  confortável.  

Por  estar  no  controle  da  ação,  você  deve  estar  preparada  para  dizer  ao  seu  parceiro  para  
ir  com  mais  calma,  mudar  de  posição,  ou,  parar  completamente.    

Ouça   o   seu   corpo.   Se   você   sentir   qualquer   desconforto   ou   dor,   é   absolutamente  


necessário  parar.  Não  se  engane,  mesmo  que  dê  pra  suportar  a  dor.  Sexo  anal  não  têm  
de  ser  desconfortável  ou  doloroso.  

19. Posições Para a Penetração Anal


Se  o  seu  parceiro  está  interessado  em  ser  penetrado  por  algo  maior  que  um  dedo,  você  
pode   tentar   com   vários   dedos,   um   plug   anal,   um   vibrador,   ou,   um   pênis   é   uma   boa   idéia  
para  definir  algumas  metas  realistas.  

Defina   uma   série   de   metas   e   que   de   tempo   para   relaxar,   praticar,   e   sentir-­‐se   livre   da  
pressão  de  fazer  muita  coisa  ao  mesmo  tempo.  Quando  a  penetração  avançar,  cada  vez  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 57


que  você  quiser  adicionar  um  dedo  ou  aumentar  o  tamanho  do  brinquedo,  certifique-­‐se  
de  adicionar  mais  lubrificante  e  deixar  o  canal  anal  e  do  reto  se  acostumar  com  a  nova  
sensação.    

Assim  como  você  deixa  o  seu  parceiro  assumir  a  liderança  no  ritmo,  assuma  a  liderança  
com  relação  à  profundidade  da  penetração.  Você  deve  sempre  começar  à  sua  maneira,  e  
ir  até  onde  der.  Lembre-­‐se  que  você  não  tem  que  atingir  o  objetivo  final  em  uma  única  
noite.  

O   ânus   de   cada   pessoa   é   único,   por   isso,   lembre   ao   seu   parceiro   que   ele   não   deve  
assumir   que   a   técnica   que   funcionou   com   outra   pessoa   vai   funcionar   você.  Ele   deve   ir  
lentamente,  enquanto  descobre.    

Ajude-­‐o  a  navegar  as  curvas  do  reto  e  começar  a  descobrir  a  individualidade  do  seu  canal  
anal  e  do  reto,  sem  causar  desconforto.  Haverá  tempo  de  sobra  depois  para  coisas  mais  
intensas  e  rápidas,  se  é  isso  que  você  tanto  deseja.  Mas,  em  geral,  ninguém  deve  fazer  
movimentos  rápidos  ou  bruscos.  

Se  não  estiver  legal  e  você  precisar  que  ele  pare,  ele  não  pode  fazer  isso  rapidamente.  
Isso  pode  machucar  ou  rasgar  o  tecido  retal.  Converse  com  ele  antes  para  que,  quando  
precisar  parar,  ele  o  faça  devagar.  E,  isso  vale  também  para  quando  um  de  vocês  atingiu  
o  orgasmo  e  ele  vai  parar  por  causa  disso.  Ele  precisa  tirar  o  pênis  dali  de  forma  lenta  e  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


tranquila.  

Todas   as   posições   que   as   pessoas   empregam   para   a   penetração   vaginal   podem   ser  
utilizadas   para   a   penetração   anal.  Já   que   todos   têm   necessidades   individuais,   gostos   e  
desejos,   é   importante   experimentar   todos   os   tipos   de   posições   para   descobrir   o   que  
funciona  melhor  para  você  e  seu  parceiro.  

Posição  “Papai  e  Mamãe”  

A   posição   “papai   e   mamãe”   não   tem   mais   feito   tanto   sucesso   como   antigamente   porque  
funciona   bem   para   os   homens   mas,   geralmente,   não   proporciona   a   estimulação   de  
clitóris  para  as  mulheres.  

A   posição   "tradicional"   talvez   seja   a   mais   fácil   e   que   vá   te   deixar   mais   tranquila,   nas  
primeiras   vezes.  Nessa   posição   você   fica   deitada   enquanto   seu   parceiro   fica   por  
cima.  Assim   é   mais   fácil   se   comunicar   de   forma   “não   verbal”,   e   você   pode   fazer   outras  
coisas   com   seu   parceiro   como   chupar   os   mamilos,   beijar   seu   pescoço,   mordiscar   os  
lábios.  Muitas  mulheres  preferem  essa  posição  por  se  sentirem  mais  confortáveis.  

Eu   gosto   de   ficar   de   quatro   e   que   ele   fique   nas   minhas   costas,   quando   estou   fazendo  
anal.   Ele   está   no   controle   e   eu   sinto   que   eu   estou   dando   o   meu   corpo   para   ele.  Se   ele  
usar  as  duas  mão,  ele  pode  explorar  a  minha  bunda  e  o  meu  clitóris,  ao  mesmo  tempo.    

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 58


Quando   você   está   deitada,   pode   achar   que   um   travesseiro   sob   sua   bunda   facilita   a  
penetração,  e  você  pode  dobrar  seus  joelhos,  trazer  as  pernas  até  o  seu  peito  ou  levantá-­‐
las  para  coloca-­‐las  no  ombro  do  seu  parceiro.    

Embora  essa  última  forma  possa  criar  um  melhor  ângulo  de  entrada,  e  é  até  mais  flexível  
para   a   maioria   de   nós,   é   uma   posição   em   que   o   seu   parceiro,   normalmente,   não   fornece  
estimulação  ao  seu  clitóris,  mas  você  pode  resolver  isso  com  sua  própria  mão  ou  usar  um  
vibrador.  

A  Mulher  por  Cima  

Fazendo   anal   por   cima   você   pode   controlar   o   ângulo   e   a   profundidade   da  


penetração.  Abrangendo   todo   o   corpo   do   seu   parceiro,   você   pode   se   inclinar   para   frente  
ou   para   trás   de   acordo   com   os   seus   próprios   desejos.  Mais   uma   vez,   estar   de   frente   para  
um   para   o   outro,   significa   que   você   pode   falar   e   se   comunicar,   bem   como   se   esfregar,  
apertar   e   estimular   outras   partes   do   corpo.   Esta   posição   é   ótima   para   a   estimulação  
clitoriana.  

Você   pode   realmente   assumir   a   liderança   nesta   posição   e   ser   responsável   pela  
intensidade  do  seu  prazer,  a  quantidade  de  movimentos  e,  o  ritmo  da  penetração.  

Eu   gosto   de   estar   por   cima   no   sexo   anal.  Posso   sentar-­‐me   lentamente   no   seu   pinto,  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


tomando   o   tempo   necessário   para   ter   certeza   de   que   a   minha   bunda   está   pronta.  Ele  
pode  brincar  com  meu  clitóris,  olhar  pra  todo  o  meu  corpo,  e  falar  sacanagem  para  mim  
enquanto  nós  estamos  fazendo  sexo.  

Parceiros  que  são  inexperientes,  que  estão  nervosos,  com  medo  de  ferir  a  sua  parceira,  
podem  ficar  mais  tranquilos  nesta  posição,  porque  a  mulher  pode  fazer  grande  parte  do  
trabalho   e   das   tomadas   de   decisão.  Além   do   mais,   os   homens   gostam   muito   de   poder  
ver,  plenamente,  a  sua  parceira  demonstrando  todo  o  prazer  que  está  sentindo,  e,  não  
há  melhor  posição  que  essa  para  isso.  

Estilo  Cachorrinho  

O   estilo   cachorrinho   é   provavelmente   o   primeiro   que   muitas   de   nós  


pensam   quando   falamos   sobre   sexo   anal.  O   “cachorrinho”   também   está   na    
imagem  popular,  vinda  das  revistas  pornográficas  e  vídeos.    

Esta  posição  é  a  melhor  para  penetração  profunda,  porque  o  reto  está  na  posição  mais  
reta   (não   dobrada),   que   permite   que   o   pênis   entre   bem   fundo,   em   boa   profundidade,  
além  de  ser  confortável  para  você.  Essa  posição  também  facilita  para  você  esfregar  o  seu  
clitóris.  

É  também  uma  posição  em  que  ambos  podem  se  movimentar.  Tanto  ele,  que  pode  ser  
mais  profundo,  mais  firme,  mais  rápido,  mais  devagar,  enfim.  E  você  pode  usar  os  seus  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 59


dedos   para   estimular   seu   clitóris,   se   mover   para   frente   ou   para   trás,   para   controlar   a  
intensidade.  

Muitas  mulheres  gostam  que  seu  parceiro  penetre  por  trás  porque  permite  ser  rápido  e  
frenético.   Mas   lembre-­‐se,   leva   um   tempo   até   você   poder   fazer   isso,   nessa   intensidade,  
sem  risco  de  se  machucar.  

Até  estando  por  cima  é  possível  que  ele  seja  rápido  e  frenético,  é  só  você   deixar  que  ele  
faça  os  movimentos  e  você  diminua  os  seus,  deixando  liberdade  para  ele  trabalhar.  

Pra  mim  o  estilo  cachorrinho  é  o  melhor.  Meu  namorado  começa  lentamente  e,  quando  
a  minha  bunda  já  está  no  ponto,  ele  pode  realmente  me  foder  por  trás  como  ele  faz  com  
a  minha  buceta.  Ele  diz  que  gosta  muito  porque,  além  de  ser  mais  apertado,  ele  gosta  da  
sensação  de  foder  com  a  minha  bunda  e  de  tê-­‐la  batendo  contra  o  corpo  dele.  

Meu   parceiro   atual   é   incrivelmente   sensual,   masculino   e   faz   o   que   eu   quero   e  


gosto.  Gosto   de   ficar   assim,   de   quatro,   no   ar   e   com   as   costas   arqueadas.   Eu   amo   a  
forma  como  ele  olha  quando  ele  percebe  que  vai  comer  a  minha  bunda,  de  quatro.  

Em  uma  variação  desta  posição,  a  mulher  fica  com  os  joelhos  dobrados,  ou  seja,  em  linha  
reta.  Embora   isso   possa   parecer   estranho   na   primeira   tentativa,   é   apenas   uma   questão  
de   prática.  Esta   também   é   uma   boa   posição   para   uma   profunda   penetração   porque   o  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


reto  está  em  uma  posição  ideal  para  uma  entrada  suave  (desde  que  você  não  se  esqueça  
de  que  existem  curvas  no  reto).  

Sexo  Anal  Lateral  

Na  posição  lateral  do  sexo  anal  ambos  os  parceiros  ficam  frente  a  frente,  ou,  de  frente  
para   a   mesma   direção.  Esta   posição   é   confortável,   flexível   e   facilmente   capaz   de  
controlar,   e   dá   aos   dois   parceiros   um   bom   controle   da   profundidade   da   penetração,   é  
uma  posição  que  pode  variar  dependendo  do  tamanho.  

A   maioria   das   pessoas   prefere   ficar   de   lado,   na   mesma   direção,   onde   lhes   dá   maior  
acesso   à   vagina,   ao   clitóris,   ao   pênis,   as   bolas   e   outras   partes   para   exploração   e  
estimulação.  Se  você  não  conseguir  a  profundidade  de  penetração,  desta  maneira,  você  
pode  tentar  com  outras  posições;  no  entanto,  pode  ser  apenas  uma  questão  de  ir  mais  
devagar.  Essa  deve  ser  uma  lenta  sessão,  onde  ninguém  está  com  pressa  para  chegar  a  
lugar  algum.  Mas  não  me  entenda  mal,  você  ainda  pode  ter  orgasmos  fantásticos  desta  
forma.  

Eu   gosto   muito   dessa   posição   porque   ele   pode   comer   a   minha   bunda,   suavemente,  
enquanto  eu  masturbo  meu  clitóris.  

Eu   já   fiz   as   principais   posições,   mas   certamente   não   fiz   todas   as   posições   possíveis.  Há  
muito   mais   para   você   explorar.  Algumas   pessoas   gostam   do   homem   ficar   atrás   da  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 60


mulher,   ainda   em   pé,   em   vez   de   ficar   de   frente.  Casais   que   tem   o   mesmo   tamanho  
podem  gostar  muito  de  fazer  sexo  anal  em  pé  ou  curvando  uma  das  pessoas  sobre  uma  
cama  ou  mesa.  

Eu  gosto  de  ser  dobrada  na  cama,  em  pé,  virada  para  baixo,  enfim..  

Eu  amo  a  sensação  de  ter  o  meu  parceiro  fazendo  anal  enquanto  eu  coloco  um  vibrador  
na  minha  vagina.    

Tenho  tido  muitas  fantasias  sobre  ter  dois  homens  me  fodendo  e  me  sentindo  tomada  
por   eles.   Por   mais   que   eu   não   tenha   coragem   de   fazer,   é   um   pensamento   bem  
estimulante.  
 
Pense   em   cada   nova   posição   como   uma   oportunidade   para   explorar   diferentes  
intensidades,  velocidades,  ritmos  e  dinâmicas;  ainda  há  muita  território  erótico  para  se  
descobrir.  

20. Fisting Anal


Mitos  sobre  o  Fisting  Anal  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


Assim  como  existem  muitos  mitos  sobre  o  sexo  anal  em  geral,  há  muitos  equívocos  sobre  
fisting  anal,  em  particular.  A  seguir  estão  alguns  dos  mitos  mais  comuns.  

Mito  1:  Fisting  é  apenas  enfiar  a  mão  dentro  de  alguém  

Fisting  anal  não  é  exatamente  o  que  parece.  Não  se  trata  apenas  de  colocar  o  punho  no  
ânus   de   alguém.  Fisting   é   uma   processo   gradual   de   penetração   onde   você   adiciona   dedo  
após   dedo   até   que   você   possa   colocar   todos   os   dedos   e   sua   mão   caiba,  
confortavelmente,   inteira   no   reto   de   alguém.  Algumas   pessoas   podem   se   assustar  
quando  lêem  isso,  mas  quando  feito  de  forma  segura  e  adequada,  fisting  pode  ser  uma  
experiência  incrivelmente  intensa  e  agradável  para  ambos  os  parceiros.  

Mito  2:  Só  os  homens  gays  praticam  o  Fisting  Anal  

No   final   dos   anos   60   e   70,   homens   gays   e   bissexuais   popularizaram   a   prática   do   fisting  
anal,   especialmente   em   “casas   de   banho”   e   festas   privadas   em   grandes   áreas  
urbanas.  Acredita-­‐se   que   isso   já   existia   antes   da   década   de   60,   mas   o   que   temos  
registrado   dessa   prática,   na   cultura   ocidental,   remonta   nessa   época.  (De   acordo   com   a  
educadora  sexual  Robert  Morgan.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 61


Fisting  tem  sido  praticada  na  China  e  na  Índia  por  milhares  de  anos.  

Assim  como  outras  formas  de  sexo  anal,  o  Fisting  tornou-­‐se  uma  prática  intrinsecamente  
ligada  aos  homens  gay,  e  somente  aos  gays,  porque  as  comunidades  de  gays  praticavam-­‐
o  amplamente.    

No  entanto,  embora  não  seja  muito  comum  como  as  outras  formas  de  erotismo  anal,  o  
fisting  anal  é  praticado  e  apreciado  por  muitas  mulheres,  com  duas  mulheres,  e  parceiros  
do  sexo  masculino.  

Em   seu   livro   erótico   do   início   de   1980,   Pat   Califia   escreveu   sobre   fisting   anal   entre  
lésbicas   que   praticavam   o   Sadomasoquismo,   no   início   dos   anos   90   –   até   então,   isso   só  
era  comum  de  se  ouvir  falar  entre  os  homens  gays.    

Algumas   mulheres,   de   fato,   ficam   sabendo   e   acabam   se   interessando   pelo   fisting   anal  
através   da   pornografia   masculina   gay.  Muitas   mulheres,   especialmente   lésbicas,  
desfrutam   de   histórias   eróticas,   fotografia,   vídeos   e   aprenderam   sobre   as   suas   técnicas  
de  segurança  com  os  homens  gays  que  praticam  fisting  anal.  

Minhas   fantasias   mais   eróticas   sempre   giravam   em   torno   de   imagens   gays   masculinas  
pornográficas,  que  é  parte  da  razão  pela  qual  o  fisting  anal  sempre  me  atraiu.  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


Mito  3:  O  Fisting  Anal  é  perigoso  

Algumas   pessoas   pensam   que   o   fisting   anal   deixará   a   pessoa   com   diarreia,   tendo   que  
usar  fraldas  ou,  que  o  parceiro  ativo  vai  pegar  uma  doença.  Quando  fisting  anal  é  feito  
com  paciência  e  cuidado,  não  vai  ferir  nenhum  de  vocês.  Parceiros  ativos  podem  praticar  
“sexo  seguro”  para  proteger-­‐se  de  contrair  uma  DST  ou  outras  doenças.  

Ao   contrário   do   que   alguns   equívocos   populares,   o   fisting   não   vai   fazer   você   sangrar  
excessivamente,  danificar  o  seu  reto,  esticar  o  seu  ânus,  ou  romper  seus  intestinos  -­‐  se  
feito  corretamente,  é  claro.  

Fisting  anal  e  Sexo  seguro  

A   menos   que   vocês   sejam   monogâmicos,   você   deve   praticar   sexo   seguro   toda   vez   que  
você   se   envolver   em   fisting   anal.  Mas   há   algumas   diferenças   específicas   entre   o   sexo  
seguro  regular  -­‐  práticas  já  descritas  no  livro  -­‐  e  as  precauções  que  você  deve  tomar  para  
o  fisting.  

Assim   como   você   pode   usar   lubrificantes     a   base   d’água   para   a   penetração   anal,   você  
pode  usar  para  o  fisting,  mas  em  maiores  quantidade.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 62


No  entanto  fisting,  mais  experientes  preferem  lubrificantes  à  base  de  óleo,  porque  eles  
são  mais  espessas  e  demoram  mais  a  secar  do  que  os  que  são  a  base  d’água.    

Enquanto  você  nunca  deve  usar  lubrificantes  à  base  de  óleo  para  a  penetração  vaginal,  
porque   eles   não   vão   sair,   naturalmente,   para   fora   da   vagina,   eles   saem   com   mais  
facilidade,  do  reto,  ao  defecar.    

É  importante  lembrar,  entretanto,  que  você  não  será  capaz  de  usar  preservativos  para  a  
penetração  anal  após  alguns  dias,  porque  os  óleos  irão  destruir  os  preservativos  de  látex.  

Os   praticantes   de   fisting   tem   o   hábito   de,   regularmente,   usarem   manteiga   como  


lubrificante,   porque   é   grosso,   é   barato   e   funciona.   Nesse   caso,   é   apenas   uma   questão  
pessoal.   Não   existe   motivo   negativo,   para   dizer   que   manteiga   é   contra-­‐indicado,   como  
também,   não   existe   nada   tão   positivo   que   faça   com   que   a   manteiga   seja   algo  
recomendado.  

Se   você   não   é   monogâmico,   você   deve   sempre   usar   luvas   de   proteção   para   o   fisting;  
afinal   os   riscos   que   estão   presentes   na   penetração   anal   são   ampliados   no   fisting  
anal.  Bert  Herrman  descreve  os  riscos  que  os  parceiros  ativos  correm:  

O  interior  do  corpo  fornece  as  condições  ideais  para  todos  os  tipos  de  microrganismos,  
incluindo  o  vírus  HIV.  Abrasões  na  superfície  das  paredes  do  intestino  grosso  (cólon)  são  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


uma   ocorrência   comum   mesmo   em   condições   normais.  Não   importa   o   quão   limpo   ele  
esteja,   o   interior   do   ânus   nunca  estará   livre   de   pegar   doenças   através   de   cortes   de   unha,  
arranhões  e  feridas  em  suas  mãos  (obviamente,  se  o  outro  parceiro  estiver  infectado).  

Microorganismos  podem  até  mesmo  entrar  no  sistema  através  dos  dedos.  

Luvas  de  látex  protegem  tanto  a  pessoa  que  faz  o  fisting,  como  a  pessoa  que  o  recebe.  
Mesmo   parceiros   monogâmicos   podem   preferir   usar   luvas,   já   que   o   reto   é   facilmente  
irritado  com  as  unhas  ou  pele  áspera.  

Embora   seja   um   fato   comprovado   que   a   gordura   vegetal   e   à   base   de   óleo   lubrificantes  
rasgam  preservativos  de  látex,  luvas  de  látex  tendem  a  ser  muito  mais  espessas  do  que  
os  preservativos  e,  portanto,  podem  ser  usados  para  fisting.  Muitos  educadores  sexuais  
recomendam   que   você   mude   para   um   novo   par   de   luvas   a   cada   15-­‐20   minutos,   para  
garantir  a  segurança,  impedindo  a  formação  de  pequenos  buracos  no  látex.  

Luvas  de  látex  são  vendidas  em  farmácias,  em  saquinhos  com  pequenas  quantidades  ou  
caixas  (com  um  número  maior).  Algumas  luvas  são  certificadas  e  esterilizadas,  e    outros  
não  são.  No  entanto,  o  lugar  que  você  vai  colocar  a  sua  mão  não  será  estéril,  então  as  
luvas,  não  necessariamente,  precisam  ser  estéril.  Algumas  luvas  tem  um  pó  no  interior,  
para   tornar   mais   fácil   de   colocá-­‐las.  Você   deve   lavar   as   luvas   por   causa   desse   pó,   que  
pode  irritar  o  ânus  do  seu  parceiro,  que  tem  um  tecido  sensível.  Herrman  tem  outra  dica  
para  o  usuário  de  luvas:  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 63


Sugerimos   também   (especialmente   para   aqueles   que   possam   ter   doenças   como   o   HIV)  
esfregar  nonoxynol-­‐9  em  suas  mão  antes  de  inseri-­‐las  na  luva,  no  caso  de  vazamento.  

Enquanto   o   nonoxynol-­‐9   efetivamente,   mata   o   vírus   HIV,   testes   mostraram   que   é  


também   muito   irritante   para   os   tipos   de   células   que   revestem   o   reto   e   a   vagina.  Isto  
significa   que   o   nonoxinol-­‐9   pode   permitir   que   o   vírus   penetre   mais   e   eficazmente   mais  
rápido.  Então,  limite  este  material  para  o  interior.  

Algumas  pessoas  usam  duas  luvas  de  borracha;  estas  luvas  também  tendem  a  ser  mais  
longas,   que   pode   ser   importante   para   às   pessoas   que   querem   se   aventurar   além   do  
pulso.  Mantenha   em   mente   que   as   luvas   mais   pesadas   tendem   a   diminuir   a   a  
sensibilidade.  
 
Recentemente,   muitas   pessoas   que   usam,   regularmente,   luvas   de   látex,   especialmente  
aquelas  em  profissões  de  saúde,  podem  se  tornar  sensíveis  (ou  até  alérgicas)  ao  látex.  Se  
você  está  sensível  ao  látex,  você  não  pode  tentar  colocar  nonoxynol-­‐9  dentro  da  luva.    

Você   também   pode   tentar   revestir   sua   mão   com   silicone   líquido   (encontrado   em  
farmácias  e  algumas  lojinhas)  antes  de  colocar  a  camisinha.  

Fisting  Anal:  Como  Fazer  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


Pessoas  que  gostam  de  ser  penetrado  por  coisas  maiores  que  dildos  e  pênis,  para  uma  
sensação  de  plenitude  e  de  pressão,  pode  também  deliciar-­‐se  com  o  fisting.  

Fisting   leva   uma   grande   quantidade   de   tudo   o   que   sexo   anal   exige:   camisinha,  
lubrificante,  desejo,  paciência,  relaxamento,  comunicação  e  confiança.  Fisting  toma  uma  
grande   quantidade   de   tempo   e   habilidade,   você   deve   proceder   para   o   fisting   somente  
depois  de  estar  100%  segura  e  confortável  com  a  penetração  anal  tradicional.  

Preparação  

A   fim   de   preparar-­‐se   para   o   fisting,   é   uma   boa   ideia   fazer   alguns   exercícios   de   Kegel  
durante   várias   semanas   de   antecedência.  Acostume-­‐se   a   contrair   e   relaxar   os   músculos  
do  esfíncter  anal.  Relaxe.  

Respire   profundamente   durante   as   preliminares   e   fisting   é   uma   ótima   maneira   de  


relaxar,  ficar  focado,  e  entrar  em  contato  com  seu  corpo.  

Eu   não   posso   forçar   uma   dieta   adequada,   com   bastante   fibra,   como   sendo   um  
componente   chave   para   desfrutar   o   prazer   anal.  Mas   a   dieta   é   muito   importante   para  
uma  pessoa  que  vai  praticar  o  fisting.  

A  maioria  das  pessoas  que  praticam  fisting  anal  recomendam  um  enema  para  a  mulher  (a  
pessoa   passiva)   por   causa   da   profundidade   da   penetração.  O   Capítulo   5   abrange  
diferentes   tipos   de   enemas   e   como   fazê-­‐los.  Lembre-­‐se   de   ter   um   enema   pelo   menos  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 64


duas   horas   antes   do   encontro   sexual,   evite   o   uso   de   químicos   agressivos,   e   não   faça  
enemas  com  muita  freqüência.    

Um   enema   não   só   elimina   as   bactérias   "más",   como   também   elimina   as   "boas"   bactérias  
que   normalmente   vivem   e   ajudam   os   nossos   sistemas   digestivos;   você   pode   tomar  
acidófilos   (disponível   em   lojas   de   alimentos   saudáveis)   para   trazer   o   equilíbrio   do   seu  
sistema  de  volta.    

Bert  Herrman  recomenda  que  você  se  alimente,  saudavelmente,  de  19  a  36  horas  antes  
do  seu  enema.  Evite  alimentos  contendo  pequenas  sementes  (como  morangos).  

Técnicas  de  Punho  e  Dicas  

Após   o   enema,   uma   sessão   de   fisting   deve   começar   como   qualquer  encontro   erótico  
envolvendo  penetração  anal.    

Relaxe.  Faça   o   que   você   precisar,   banhos,   velas,   música,   meditação,  visualização,  
respiração  profunda,  massagem  para  relaxar,  enfim.  

Fique  à  vontade.  Concentre-­‐se  no  seu  desejo  um  pelo  outro,  em  comunicar-­‐se,  e  confiar  
um  no  outro.  

Você  também  deve  experimentar  algumas  posições.  Você  deve  encontrar  uma  que  seja  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


confortável   para   ambos   e   permita   uma   entrada   mais   fácil   e   a   profundidade   da  
penetração.  

Algumas   gostam   de   estar   na   posição   de   cachorrinho,   proporcionando   um   bom   ângulo   de  


entrada.  Outras  preferem  estar  deitada  para  não  ter  nenhum  esforço  físico.  

Você  pode  se  deitar,  confortavelmente,  para  que  seu  parceiro  possa  ter  um  bom  acesso  
flexível  à  sua  bunda.  

Assim   como   descrito   nas   técnicas   de   penetração   anal,   você  deve   trabalhar   da   maneira  
descrita  acima,  para  a  estimulação  externa,  para  a  real  penetração.  

Lembre-­‐se   que   o   processo   de   abertura   inicial   leva   tempo   para   você.  Você   pode   querer  
começar  com  os  dedos,  mudar  para  um  plug  anal  pequeno,  talvez  um  vibrador,  e  então  
voltar  aos  dedos.  Ou  você  pode  usar  apenas  sua  mão  o  tempo  todo.    

Ao  invés  de  sair  “empurrando”  para  dentro,  tudo  de  uma  vez,  peça  ao  seu  parceiro  para  
ir   com   um   dedo   de   cada   vez.  Trabalhe   esses   dedos   lá   dentro,   adicionando  
mais  lubrificante,  até  que  você  tenha  feito  com  quatro  dedos.  

Uma   boa   maneira   de   começar   o   processo   de   fisting   é   colocar   os   seus  dedos   juntos   e,  
gentilmente,  deslizá-­‐lo   para   dentro.  Pare   assim   que   sentir   alguma   resistência   e   deixe   lá  
dentro,  permitindo  que  os  músculos  se  acostumem  com  a  sensação.    

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 65


Cada  pessoa  gosta  de  um  método  diferente  para  essa  entrada.  Algumas  pessoas  gostam  
de  começar  com  um  ritmo  lento  e  constante.  Outros  preferem  um  movimento  mais  firme  
e  amplo.  Enfim,  o  processo  é  fazer  como  se  faria  com  um  vibrador.  

Alguns  mantem   os   seus   dedos   “no   ponto”   até   que   eles   possam   espalhar   seus   dedos.   A  
parte   mais   complicada   é   o   primeiro   movimento   no   reto.  Certifique-­‐se   de   estar   tudo   bem  
lubrificado,  porque  este  será  um  passo  crucial.  

Tal  como  acontece  com  cada  progressão  da  penetração,  quando  a  mão  chegar  lá,  dentro  
do   reto,   deixe-­‐a   lá   por   um   tempo.  Deixe  o   ânus   se   acostumar   com   as   sensações,   deixe  
seu   parceiro   entender   como   é   essa   sensação   para   você,   e   de   tudo   que   você   está  
experimentando.  Agora,  lembre-­‐se  da  nossa  lição  de  anatomia  sobre  as  curvas  do  reto.  

Assim   que   estiver   no   reto,   alguns   parceiros   podem   gostar   que   você   fique   onde   está,  
enquanto   você   estimula   sua   área   genital   com  sua   mão   livre   ou   um   vibrador.  Tenha   em  
mente   que   o   seu   movimento,   enquanto   realiza   o  fisting,   nunca   deve   ser   muito  
drástico.  Novamente,  é  tudo  sobre  comunicação  entre  vocês  dois.  

O   desafio   não   é   aprender   a   esticar   o   canal   anal;  ao   contrário,   é   aprender   a   relaxar   e  
deixar   fluir,   naturalmente,   para   permitir   que   estes  músculos   aceitem   a   entrada   do   lado  
de  fora  com  o  mesma  facilidade  que  permite.  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


Lembre-­‐se  que  você  está  no  controle  da  ação.  É  fundamental  que  você  preste  atenção  ao  
seu  corpo,  conheça  seus  limites  e  comunique  ao  seu  parceiro.  

Ela   tem   de   considerar   todas   as   suas   sugestões   e,   por   isso,   você   precisa   estar  ciente   de  
seus   desejos,   suas   necessidades   e   das   sensações   que   você   está  sentimento.  Não   se   force  
a  para  fazer  algo  se  o  seu  corpo  não  está  pronto.    

Descanse   e   faça   uma   pausa,   se   você   precisar   de   uma.  Pare   quando   você   precisar  
parar.  Se  você  ouvir  o  seu  corpo,  e  sentir  que  já  é  possível  entrar  uma  mão  inteira  dentro  
do  seu  reto,  o  sentimento  poderá  ser  agradável  e  intenso.  

Depois,   você   pode   sentir   vontade   de   fazer   outro   enema,   para   limpar   todo   aquele  
lubrificante.  Não  faça  um  enema.  

Seu   sistema   foi   trabalhado,   e   um   enema   só  irritaria   o   reto,   especialmente   se   houver  


escoriações.  É  uma  boa  ideia  você  comer  e  beber  alguma  coisa.  

Você  pode  experimentar  alguma  dor,  evacuações  irregulares,  ou  ligeiras  manchas  de  
sangue  quando  você  limpar  a  si  mesmo.  Tudo  isso  deve  corrigir-­‐se  dentro  de  24  horas.  
 
Use  o  bom  senso:  se  você  estiver  sangrando,  enfrentando  graves  dores,  tendo  febre,  ou  
se  sentindo  muito  mal,  vá  a  um  médico,  imediatamente.  Mas  se  você  já  ouviu  o  seu  
corpo,  e  seu  parceiro  também,  o  fisting  anal  vai  deixá-­‐la  satisfeita  e  felizmente  esgotada.    

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 66


 

21. Sadomasoquismo e a Troca de Papéis


O  sadomasoquismo  é  muitas  vezes  deturpado  e  pouco  compreendido  em  nossa  cultura;  
freqüentemente,  ele  é  equiparado  com  chicotes  e  correntes,  abusos  violento,  e  
comportamento  desviante.  

Na  realidade,   o   sadomasoquismo   não   tem   nada   a   ver   com   abuso   de   força,   é   um  troca  
consensual  de  poder  e  despertar  de  ambos  os  parceiros  -­‐  que  pode  ou  não  envolver  sexo  
genital.    

Sadomasoquismo  inclui  um  parceiro  que  é  o  dominante.  Esta  pessoa  é  a  responsável  pelo  
encontro,  tendo  um  papel  ativo,  direcionando  as  atividades.  A  outra  parte,  referida  como  
submissa,  assume  um  papel  receptivo  e  passivo  na  cena.  

Ambos   os   parceiros   negociam   uma   cena   de   antemão,   comunicando  seus   gostos   e  


desgostos,  bem  como  os  limites  e  fronteiras  do  seu  desenvolvimento  físico  e  emocional.  
 
Sadomasoquismo   engloba   um   amplo   espectro   de   práticas,   e   que   faz   uso   da   privação  
sensorial,  como  o  uso  de  vendas,  capuzes,  mordaças,  cordas,  tampões  para  os  ouvidos  e,  
modificações   corporais   (piercings   permanentes   e   não   permanentes,   cortes,   tatuagens.  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


enfim).  

Uma  das  minhas  fantasias  atuais  tem  o  meu  parceiro  chegando  em  casa,  enquanto  estou  
esfregando   o   chão   em   uma   roupa   de   empregada.  Ela   larga   a   bolsa   e  diz   para   não   me  
virar,   e   então   eu   percebo   que   ele  já   está   sem   calças   e   passa   a  me   comer,   pelo   ânus.    
 
Sexo   anal   pode   ser   uma   parte   muito   excitante   de   uma   cena   de   sadomasoquismo   por  
muitos  razões   diferentes.  Ele   já   é   considerado   um   tabu,  impertinente,   e   proibido,   essas  
atitudes  podem  ser  exageradas  e  desempenhadas  no  contexto  de  um  encontro  erótico.    

Às   vezes   eu   gosto   de   incorporar   alguns   dos   tabus   em   nosso   diálogo,   durante   o   sexo.  
 
Para   os   homens   e   as   mulheres   interessadas   em   abrir   mão   do   controle,  deixe   alguém  
decidir   o   que   será   feito   e   o   que   será   dito,   o   sexo   anal   irá   proporcionar   uma   atividade  
perfeita  de  rendição.  

Outros  acham  que  ser  penetrado  analmente  é  a  última  experiência  de  submissão,  porque  
eles  podem  estabelecer  os  limites  e  estar  no  controle  da  ação.  

O  sadomasoquismo  pode  ser  uma  exploração  dos  limites  do  seu  corpo  no  sentido  de:  o  
quanto  você  pode  dar  e  receber  e,  por  quanto  tempo.    

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 67


Muitas   pessoas   que   praticam   o   Sadomasoquismo   exploram   o   poder  e   a   dinâmica   da  
dominação  e  da  submissão.  

Para   as   pessoas   interessadas   em   incorporar   o   sexo   anal   nesses   joguinhos   de  


interpretações   sadomasoquistas,   é   especialmente   importante   discutir   seus   desejos   e  
seus  limites  com  seu  parceiro.  Mantenha  em  mente  que,  deve-­‐se  tomar  cuidado  em  uma  
cena  de  anal,  com  sadomasoquismo,  porque  pode  acabar  sendo  muito  forte  e  machucar,  
portanto,   ele   deve   ir   devagar   e   deixar   que   você   (a   parte   passiva)   assuma   a   liderança.    
 
Praticantes  de  sadomasoquismo,  frequentemente,  exploram  seus  limites  do  prazer  e  da  
dor,  mas   estas   práticas   não   devem   nunca   ser   confundida   com   a  experiência   do   sexo  
anal.  Sexo  anal  não  deve  ser  forçado  ou  doloroso  -­‐  mesmo  no  contexto  de  uma  cena  de  
sadomasoquismo,   porque   você   pode  causar   danos   ao   seu   corpo.  Quando   o   sexo   anal   é  
consensual  e   desenvolve-­‐se   com   paciência,   gentileza,   e   muito   lubrificante,   pode   ser,  
tranquilamente,  incorporado  a  uma  cena  de  sadomasoquismo.  

Troca  de  Papéis  e  Sexo  Anal  

Esse   é   um   ponto   que   muito   me   agrada.   Há   uma   fluidez   de   gênero   que   é   muito  
importante   para   mim.  Muitos  pessoas  desfrutam   da   “troca   de   papéis”,   durante   o   sexo  
anal.    
     

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


“Troca   de   papéis”   são  grandes   maneiras   de   explorar   as   complexidades   dos   nossos  
próprios  gêneros  e  como  se  relacionam  com  nossas  identidades  e  práticas  sexuais.  

Alguns   dos   mitos   associados   ao   sexo   anal   estão   relacionados   ao   gênero   e   a   identidade  
sexual.  Por  exemplo,  alguns  homens  gostam  de  passar  pela  experiência  de  submissão  e  
passar  por  essa  experiência  da  feminização.  

Uma  inversão  de  papéis,  às  vezes,  podem  envolver  três  itens  como:  mudar  de  gênero,  de  
dominação  e/ou  de  identidade  -­‐  tudo  ao  mesmo  tempo!  

Devido  às  associações  entre  sexo  anal  e  os  gays,  alguns  casais  heterossexuais  e  lésbicas  
gostam  de  fantasiar  cenas  de  sexo  masculino  gay.  

Eu  gosto  da  “troca  de  papéis”  em  situações  de  sexo  anal...  também  acho  interessante  a  
ideia  com  uma  parceira  mulher  que  queira  estar  no  papel  de  um  homem.  

Com   a   ajuda   de   um   pouco   de   imaginação,   diálogo,   sensualidade,  figurinos,   adereços   -­‐  


como  um  vibrador  e  um  chicote  -­‐  você  e  seu  parceiro  podem  ser  o  que  vocês  quiserem  
ser.  

Você   pode   ser   o   namorado   da   sua   namorada,   seu   parceiro   pode   ser   um   amante   gay,   ou,  
apenas  um  "pintinho  com  um  pau."  Você  pode  ser  um  homem  e  marido.  O  seu  parceiro  
masculino  pode  ser  uma  jovem  mulher..  enfim...  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 68


Eu  gosto  muito  de  penetrar  dedos  e  vibradores  em  meus  parceiros,  nessa  situação.  Isso  é  
algo  muito  importante  pra  mim  para  que  eu  consiga  assumir  os  gêneros  de  forma  plena.  

Embora   vibradores   não   sejam   substitutos   do   pênis,   eles   certamente  simbolizam   um  


grande  potencial  erótico.  Mulheres  com  cintas  que  tem  vibradores  podem  se  sentir  sexy,  
poderosas  e,  alucinadamente  descontrolada.  

Principalmente  agora,  que  eu  só  faço  sexo  com  homens  (na  verdade,  eu  só  faço  sexo  com  
UM   homem   agora   –   mesmo   antes   de   decidirmos   casar   e   viver   uma   vida   juntos),   eu  
gostaria  de  ter  um  pênis  e  foder  com  ele.    

Eu  gosto  de  correr  ao  redor  da  casa  com  a  minha  “cinta  com  pênis”,  sabendo  que  eu  vou  
usar   isso   no   meu  parceiro,   que   pode   ficar   nervoso   ou   animado,   e   me   faz   sentir  boba   e  
egoísta,   rude   e   animada.   Quando   eu   coloco   meu   “pênis”,   fico   com   uma   personalidade  
totalmente  nova,  e  com  um  erotismo  único.  

Combinar   essa   “troca   de   papéis”   com   o   sexo   anal   é   uma   forma   de   explorar   uma  
variedade   de   fantasias:   de   estar   em   uma   função   mais   dominante,   agressiva;  de  
experimentar   um   papel   submisso-­‐passivo,   de   assumir   uma  identidade   sexual   diferente.  
Afinal,  todo  mundo  tem  o  orifício  anal  e  pode  usá-­‐lo  no  sexo,  seja  por  fantasia,  desejo,  
enfim,  possibilidades  ilimitadas.  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


 

22. Saúde Anal


Muitas  pessoas  acreditam  que,  se  você  pratica  o  sexo  anal,  regularmente,  você  está  mais  
propenso   a   ter   doenças   anais.   Vários   mitos   populares   perpetuam   essa   ideia,   de   que   a  
pessoa   passiva   do   sexo   anal,   pode   ficar   com   hemorroidas,   fissuras   anais,   ter   o   “reto”  
esticado  e  deixando-­‐o  “frágil”,  obrigando-­‐lhe  a  usar  fraldas  para  adultos.  

Porém,   o   mais   engraçado   de   tudo   isso,   é   que,   as   pessoas   que   praticam   o   sexo   anal  
(seguro)  regularmente,  costumam  ter  o  “reto”  e  o  canal  anal  bem  mais  saudável  do  que  
as  pessoas  que  não  tem  essa  prática.  

Embora   isso   possa   soar   estranho,   à   primeira   vista,   o   fato   é   que,   com   a   prática   do   sexo  
anal,   você   aprende   a   trabalhar   muito   bem   seus   músculos   anais,   devido   ao   trabalho   de  
relaxamento,  da  penetração  e,  acredite,  até  em  termos  de  higiene  mesmo.  

Ter   como   hábito   a   prática   do   sexo   anal,   torna   menos   provável   que   o   seu   ânus   e  reto  
tenham   quaisquer   problemas   de   saúde   anal.  Pessoas   que   têm   mais  consciência   dos  
músculos  anais  e  tem  a  prática  de  relaxá-­‐los,  estão  menos  propensos  de  ter  uma  tensão  
anal  recorrente.  

Seu  reto  e  canal  anal  são  usados  para  expulsar  as  fezes,  não  sendo  penetrados  por  dedos  
ou  pênis.  Como  tudo  que  é  novo,  o  sexo  anal  leva  algum  tempo  para  se  acostumar.    

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 69


Logo  após  ter  um  sexo  anal  com  penetração,  você  pode  sentir  que  você  precisa  ter  de  ir  
ao  banheiro.  Em  alguns  casos,  você  terá  de  usar  o  vaso  sanitário.  Em  outros  casos,  o  reto  
é  simplesmente  ajustado  à  experiência  da  penetração  anal.  Lembre-­‐se  que  as  contrações  
que   os   músculos   anal   experimentam,   durante   o   orgasmo,   é   o   mesmo   que   os   músculos  
experimentam  quando  estão  tendo  evacuações  intestinais.  

Se  você  sentir  que  tem  que  ir  ao  banheiro,  vá.  Você  pode  achar  que  é  um  alarme  falso,  
por   ter   um   movimento   de   entranhas,   você   também   pode  sentir   um   pouco   de   irritação,  
dor  e/ou  diarreia.  

Quando   as   fezes   descem   do   canal   anal,   elas   podem   se   misturar   com   óleo  
lubrificante,  tornando   as   coisas   um   pouco   esquisitas.  Algumas   mulheres   podem   sentir  
algumas  irritações  menores,  na  bexiga,  e  dor  ao  urinar,  após  a  relação  sexual  anal.    

Tudo   isso   é   temporário,   e   saiba   que   as   coisas   vão   voltar   ao   normal   rapidamente.   Se   o  
problema  persistir  ou  ocorrer  alguma  irritação  ou  sangramento,  procure  um  médico.  

Em  geral,  se  você  quer  cuidar  do  seu  ânus  e  do  reto,  certifique-­‐se  de  fazer  o  seguinte:    

Coma   alimentos   ricos   em   fibras;   tenha   uma   boa   higiene;   pratique   exercícios,  
regularmente,   para   melhorar   sua   saúde   e   evitar   o   estresse,   melhorando   assim,   a   sua  
qualidade   de   vida.   Se   você   fizer   qualquer   tipo   de   sexo   anal   que   seja   doloroso   ou  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


desconfortável,  pode  ter  tensões  musculares  e  causar  danos  aos  tecidos  das  paredes  anal  
e  retal,  que  são  muito  sensíveis.  

Vários   fatores   contribuem   para   a   maioria   dos   males   do   ânus   e   do   reto:   a   falta   de   fibras   e  
outras   deficiências   na   sua  dieta;   crônicas   anais,   retais,   e   tensões   muscular   intestinais,  
estresse  e  tensão,  em  geral.  Sexo  anal  seguro,  em  si,  não  causa  problemas,  no  entanto,  a  
atividade  sexual  pode  exacerbar  as  condições  existentes.    

Se   você   estiver   experimentando  alguma   prisão   de   ventre   recorrente,   diarréia,   coceira,  


queimação,  irritação,  dor,  ou  sangramento  no  ânus  (ou  no  reto)  durante  os  movimentos  
intestinais,  você  deve  ver  um  médico.    

Problemas   como   distúrbios   intestinais,   hemorroidas,   fissuras   anais   ou,   coágulos   de  


sangue,   podem   normalmente  ser   diagnosticados   e   tratados.   No   entanto,   se   não   forem  
tratados,  podem  levar  a  complicações  mais  graves  e  problemas  de  saúde.  

Sexo  Anal  e  DST  

É   importante   que   as   mulheres   tenham   conhecimento   sobre   seus   corpos,  incluindo   a  


vagina,   clitóris,   seios   e   o   ânus.  Você   é   sua   melhor   fonte   de   informação;   você   sabe   (ou  
deveria  saber)  mais  do  seu  corpo  e  suas  singularidades  melhor  do  que  ninguém.    

Quando  você  experimenta  algo  de  anormal,  incluindo  erupções  cutâneas,  feridas,  coceira  
persistente,  irritação,   dor   abdominal   (ou   pélvica),   queimação,   sangramento   anormal   ou  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 70


irregular,  cólicas,  desconforto  (ou  dor)  durante  o  sexo,  você  deve  ver  um(a)  ginecologista  
ou  outro  médico,  imediatamente.    

Em   muitos   casos,   você  pode   ter   uma   infecção   simples   e   facilmente   curável,   mas   você  
também   pode  ter   uma   doença   sexualmente   transmissível   (DST).  Para   muitas  
mulheres,  DSTs   podem   ocorrer   sem   nenhum   sintoma,   por   isso   a   única   maneira   de   serem  
detectados   são   através   de   exames   e   testes.  Portanto,   todas   as   mulheres   sexualmente  
ativas   devem   fazer  exames   pélvicos   e   o   famoso   teste   conhecido   como   Papanicolaou   -­‐  
anualmente.    

É  igualmente  importante  encontrar  um  ginecologista  ou  médico  de  confiança  e  se  para  
falar  sobre  a  sua  saúde  e  práticas  sexuais.  Eu  fui  para  ginecologistas  que  perguntaram  se  
eu   era   heterossexual,   perguntaram   sobre   as   "formas   de   controle   de   natalidade   que   eu  
usava".  Eu   fui   a  outros   que   não   me   perguntaram   nada   sobre   minhas   práticas  
sexuais,  parceiros,  ou  preocupações.  Muitas  mulheres  ainda  seguem  uma  velha  ideia  que  
é:  "Não  Pergunte,  Não  Conte".  

Se   eles   não   pedirem,   é   sua  responsabilidade   contar.  Enquanto   um   exame   regular   no  


ginecologista  deve   incluir   um   exame   pélvico,   papanicolau,   exame   de   mama,   e  exame  
retal,   muitos   médicos   não   realizam   exames   retais,   a   menos  as   pacientes   apresentem  
sintomas  retais.    

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


Se   você   pratica   sexo   anal,   regularmente,   de   qualquer   tipo,   deve   informar   ao   seu  
médico,  ser  franca  sobre  as  suas  práticas,  e  solicitar  um  exame  retal,  mesmo  que  você  se  
sinta  bem.  

Doenças   sexualmente   transmissíveis   podem   estar   tanto   no   ânus   como   na  vaginal.  Se  
você  é  diagnosticada  com  uma  doença  sexualmente  transmissível,  você  pode  passar  para  
o  próximo  tanto  pela  vagina  como  pelo  ânus.  

Práticas  Anais  e  o  Sexo  Seguro  

NÃO   SEGURO:   rimming   desprotegido,   dedo   sem   proteção,   compartilhar   brinquedos   para  
sexo   anal   sem   desinfectar   ou   colocar   um   novo   preservativo;   relação   anal   tradicional  
(pênis  no  ânus)  sem  preservativo.  

SEGURO:   masturbação   anal;   rimming   com   dental   dam;  masturbação   com   luva   de   látex,  
desinfectar  ou   trocar   o   preservativo   após   usar   os   brinquedos   sexuais;   relação   anal  
tradicional  com  preservativo;  fisting  com  uma  luva  de  látex.  

Devido  à  proximidade  da  nossa  vagina  para  o  nosso  ânus,  é  fácil  para  as  mulheres  que  as  
infecções  se  espalhem  de  um  orifício  para  o  outro.  E,  se  você  estiver  desprotegida  então  
o   vírus   pode   viver   em   ambos   os   lugares;  proteja-­‐se,   é   melhor   prevenir   do   que  
remediar.  A  maioria  das  DSTs  podem  ser  tratadas  e  curadas  facilmente  com  antibióticos,  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 71


se   forem   descobertas   no   seu  estágios   inicial.  DSTs   não   tratadas   podem   levar   a  
complicações  mais  graves,  esterilidade  -­‐  incluindo  câncer  e,  em  alguns  casos,  a  morte.  

Aqui   estão   algumas   das   doenças   sexualmente   transmissíveis   mais   comuns   na   América,  
seus  sintomas   e   seus   tratamentos.  Vou   discutir   e   apresentar,   especificamente,   as   DSTs  
que   podem   ser   transmitidas   através   do   sexo   anal   e   como   essas   doenças   podem  
afetar  seu  ânus  e  seu  canal  retal,  já  que  este  livro  trata  do  sexo  e  da  saúde  anal.    

Repito,  a  maioria  das  mulheres  que  contraem  uma  DST  nunca  apresentam  sintomas  até  
que   suas   condições   se   tornam  graves.  Você   não   deve   tentar   se   auto-­‐diagnosticar.   Use  
as  informações   a   seguir   como   uma   orientação   e   não   como   um   substituto   para  visitas  
regulares  ao  doutor.  

As  Verrugas  Anais  

Verrugas   anais   (como   as   verrugas   genitais)   são   espalhadas   quando   a   sua   região  
anal  entra  em  contato  com  a  área  afetada  de  um  parceiro  infectado.  

Verrugas  anais  começam  como  pequenas  saliências  de  cor  rosa,  ao  redor  do  ânus  e  do  
canal   anal,   eles   tendem   a   se   espalhar   rapidamente,   formando   aglomerados  
de  solavancos  que  podem  ser  como  um  dolorosos  e  causar  irritação.  

Seus  períodos   de   incubação   são   geralmente   de   um   a   seis   meses.  Verrugas   anais  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


são  tratadas,  removendo-­‐as  da  pele  através  da  aplicação  de  produtos  químicos  para  elas  
(geralmente   ácidos),   queimando-­‐as   com   uma   agulha   elétrica  (eletrocautério),   ou   o  
congelamento   com   nitrogênio   líquido  (crioterapia).   Mesmo   depois   que   as   verrugas  
visíveis  forem  removidas,  o  vírus  que  faz  com  que  eles  permaneçam  em  seu  corpo,  e  as  
verrugas  anais  podem  recorrer.  

Você  também  pode  espalhar  as  verrugas  de  seu  ânus  para  a  vagina  e  vice-­‐versa  -­‐  outra  
razão  para  fazer  exames  retais  regulares.  Se  você  têm  verrugas  anais,  você  também  deve  
verificar  se  tem  verrugas  vaginais.  

Mulheres   com   diagnósticos   de   verrugas   anais   devem   fazer   exames   regulares  mesmo  
depois  de  terem  resolvido  esse  problema.  

Hepatite    

A   hepatite   é   uma   inflamação   do   fígado   que   tem   várias  estirpes   diferentes,   eu   vou   falar  
diretamente  sobre  a  hepatite  A  e  hepatite  B  porque  elas  são  as  mais  comuns  e  relevantes  
na  questão  do  sexo  anal.  O  vírus  da  hepatite  A.  

Protegendo-­‐se    

Faça   testes   de   HIV   e   DST,   regularmente,   especialmente   se   você   fizer  sexo   anal  
desprotegida.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 72


Sempre   use   preservativos,   luvas   de   látex   e  lubrificantes   à   base   d’água   em   todas   as  
atividades   anais.   Saiba   como   usar   preservativos   corretamente   (ver   capítulo   4).    
 
Se  quiser  ter  um  nível  de  segurança  maior,  durante  suas  relações  anais,  peça  para  o  seu  
parceiro  retirar  o  pênis  antes  da  ejaculação.  Lembre-­‐se,  sêmen  de  homens  que  tem  HIV  
tem  uma  alta  concentração  do  vírus  e  é  muito  contagioso.    

Sexo  anal  seguro,  lento  e  suave  diminui  as  chances  de  danos  no  tecido  anal/retal.  

Se   você   e   seu   parceiro   tem   HIV,   ainda   sim,   vocês   deveriam   praticar  sexo   seguro   para  
evitar  a  exposição  a  outros  tipos  de  infecções  diferentes,  que  podem  ocorrer.  

O   vírus   da   hepatite   B   é   encontrado   em   todos   os  fluidos   corporais   de   uma   pessoa  


infectada,   incluindo   o   sêmen,   saliva,   secreções   vaginais,   sangue,   fezes   e   suor.  Pessoas  
com   hepatite   pode  experimentar   uma   variedade   de   sintomas,   incluindo   baixo   consumo  
de   energia,   perda  de   apetite,   depressão,   dores   no   corpo,   náuseas,   diarreia,  dor  
abdominal,   erupções   cutâneas,   inchaço   das   glândulas,   febre,   calafrios,   urina  
escura,  perda  de  peso,  e,  se  as  condições  se  agravarem,  icterícia.  

Algumas   pessoas   podem   ser   portadores   de   hepatite   e   não   ter   quaisquer  sintomas,  
enquanto  outros  podem  desenvolver  hepatite  crônica  e  recorrente.  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


Pessoas  que  estão  em  risco  de  contrair  hepatite  B  podem  ser  vacinadas  contra  o  vírus.    

Herpes  Genital  

Cerca   de   150   milhões   de   pessoas   nos   Estados   Unidos   foram  expostas   ao   vírus   da  
herpes.  A  Herpes  genital  pode  ser  transmitida  através  do  contato  sexual,  incluindo  sexo  
vaginal,   oral,   e   anal;  o   vírus   da   herpes   também   pode   entrar   no   corpo   através   das  
membranas  mucosas  ou  cortes  na  pele.    

Dentro   de   uma   semana   de   exposição,  pessoas   com   herpes   geralmente   experimentam,  


pela   primeira   vez,   um   formigamento   ou   queimação  na   área   genital,   em   seguida,   eles  
desenvolvem   inchaços   ou  bolhas   nas   áreas   afetadas,   que   pode   ser   coceira,   dor   de  
garganta  e/ou  dolorosa.    

As   mulheres   também   podem   experimentar   sintomas   semelhantes   à   gripe,   inchaço  nas  


glândulas  ou  de  gânglios  linfáticos,  um  corrimento  vaginal  ou  infecção  por  fungos,  e  dor  
ao  urinar.  Dores  iniciais  geralmente  desaparecem  em  1-­‐3  semanas  sem  tratamento.  Não  
há   cura   para   a   herpes,   e  os   sintomas   podem   reaparecer   durante   surtos.  Estes   surtos  
podem   ser  causados   por   stress,   um   sistema   imunológico   comprometido,   ou  exposição  
prolongada  ao  sol,  pois  eles  podem  durar  até  três  semanas.    

Feridas  podem  aparecer,  mas  não  apenas  em  torno  dos  genitais,  e  os  preservativos  irão  
proteger  apenas  a  área  que  eles  abrangem,  de  modo  que  os  parceiros  devem  limitar-­‐se  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 73


as   suas   atividades   quando   estiverem   nessa   situação.  Nos   últimos   anos,   pessoas   com  
herpes   têm  utilizado,   com   sucesso,   uma   droga   chamada   “ZoviraxTM”   (em   pomada  
ou  comprimidos)  para  controlar  e  tratar  os  sintomas.    

A  Gonorréia  Retal  

Gonorreia   retal   é   transmitida   exclusivamente   através   do   contato   sexual.  Os   sintomas  


aparecem   dentro   de   três   a   sete   dias   de  exposição   e   incluem   dor   ou   queimação   no  
intestino  nos  movimentos  anais.  Até  80  por  cento  das  mulheres  que  têm  gonorréia  não  
apresentam  sintomas,  e  isso  é  ainda  mais  verdade  nos  casos  de  gonorréia  retal  do  que  na  
gonorréia  vaginal.    

Gonorréia   retal   é   tratada   com   antibióticos,   incluindo   a   penicilina,  tetraciclina   e  


ceftriaxona.  

Clamídia    

Os   sintomas   da   clamídia   se   apresentam   de   uma   à   três   semanas   após   a   infecção   e  são  


muito   semelhantes   aos   da   gonorreia,   como   problemas   e   desconfortos   intestinais,  
ardência  anal,  dores  e,  as  mulheres,  em  específico,  também  podem  sofrer  inchaço  e  dor  
da  gânglios  linfáticos  e  sangramento  retal.  

Dois  terços  das  mulheres,  no  entanto,  não  têm  os  sintomas.  Clamídia  também  é  tratada  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


com  antibióticos   como   doxiciclina   e   azitromicina.  Estudos   mostram  que   45   por   cento   das  
pessoas   com   gonorréia   também   têm   clamídia.   Se   você   for   uma   das   pessoas   que  
estiverem  diagnosticadas  com  gonorreia,  faça  também  o  exame  para  clamídia.  

Sífilis    

Hoje  ela  é  muito  menos  comum  do  que  no  passado.  A  sífilis  é  transmitida  através  do  sexo  
vaginal,   oral,   anal   e   através   de  membranas   mucosas   e   cortes   na   pele.  Ele   pode   ter  
um  período  de  incubação  de  2  à  8  semanas.  De  10  há  90  dias,  após  a  exposição,  começa  
o  estágio  primário  do  vírus.  A  úlcera  irrompe  na  área  afetada.  A  área  em  torno  do  cancro  
pode   queimar   ou   não.  As   pessoas   também   podem   ter   inchaço   dos   gânglios   linfáticos.    
 
Após  o  endurecimento  do  cancro,  o  estágio  secundário  começa.  O  estágio  secundário  é  
marcado,  em  geral,  por  uma  erupção  cutânea  que  pode  ser  pruriginosa  e  dolorosa.  Você  
também   pode   ter  febre,   gânglios   inchados,   dor   nas   articulações,   dores   de   cabeça,  
náuseas   e   /   ou  prisão   de   ventre.  Esta   fase   é   quando   as   pessoas   são   mais   contagiosas.    
 
Os   estágios   III   e   IV,   latente   e   terciário,   são   muito   graves  e   podem   ser   mortais   se   não  
forem   tratados.  A   sífilis   é   tratada   com  antibióticos,   normalmente   penicilina,   doxiciclina  
ou  tetraciclina.  

HIV  e  AIDS  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 74


O   HIV,   vírus   causador   da   Aids,   é   transmitido  através   de   fluidos   corporais   como  
sêmen,  sangue   menstrual,   leite   materno   e   secreções   vaginais.  O   HIV   é  transmitido   de  
várias   maneiras:   através   das   relações   sexuais   desprotegidas;   do   contato   com   fluidos  
corporais   de   uma   pessoa   infectada,   através   de   agulhas   partilhadas   com   uma   pessoa  
infectada  (através  do  uso  de  drogas  injetáveis),  ao  receber  sangue  contaminado  (através  
de   uma   transfusão),   ou   de  mãe   para   o   bebê,   através   do   líquido   amniótico,   durante   o  
parto  ou  amamentando.    

A   literatura   atual   confirma   que   é   mais   fácil   para  mulheres   pegarem   AIDS   do   que   os  
homens,   através   de   relações   sexuais.   Isso   ocorre   porque   o   tecido   da   vagina   é  
mais  sensível   do   que   o   tecido   do   pênis,   e   isso   é   ainda   mais   verdadeiro   com   relação  
ao  tecido   do   reto.  Além   disso,   o  sêmen   tem   uma   carga   viral   mais   elevada   do   que   o  fluido  
vaginal.  

As   mulheres   podem   transmitir   o   vírus   para   parceiras   do   mesmo   sexo  através   da  


estimulação   oral   e   manual,   sem   proteção,   especialmente   se  há   cortes   ou   feridas   (que  
podem   ou   não   ser   visíveis)   em  suas   bocas   ou   em   suas   mãos.  Elas   também   podem  
transmitir   o   vírus  através   da   partilha   de   brinquedos   sexuais   sem   usar   preservativos   ou  
desinfectá-­‐los.  

Finalmente,  o  uso  de  drogas  por  via  intravenosa  é  o  mais  arriscado  dos  caminhos.  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


     

23. Seis Regras que Você Nunca Deve Ignorar


Eu  não  estou  dizendo  que  devem  haver  muitas  regras,  não  entendam  dessa  forma.  Mas  
dado  o  fato  de  que  homens  e  mulheres  são  tão  diferentes,  há  uma  série  de  situações  e  
de  mal-­‐entendidos  que  podem  acabar  ficando  no  caminho  e  estragando  as  coisas.    

Eu  não  vejo  as  regras  como  se  fossem  destruidores  do  prazer  e  da  intimidade,  mas  como  
ferramentas   de   prazer   que,   se   seguidas   corretamente,   pode   levar   a   uma   maior  
compreensão  na  cama.  

Quando  se  trata  de  sexo  anal,  as  regras  são  ainda  mais  importantes.  Se  você  quebrá-­‐las,  
você  pode  acabar  insatisfeita  e  com  nenhuma  chance  de  querer  tentar  novamente.    

Aqui  estão  as  mais  importantes,  resumidas  de  modo  que  você  compreenda  plenamente  a  
sua  importância.  

Não  faça  isso  enquanto  estiver  grávida  

Dr.   Ruth   Westheimer,   terapeuta   sexual   (já   citado),   aponta   que   alguns   homens   pensam  
que   ter   relações   sexuais   vaginais   durante   a   gravidez,   de   alguma   forma,   prejudica   o   bebê,  
e   por   isso,   acabam   sugerindo   a   relação   sexual   anal.   Mas   esse   “achismo”   não   tem  
fundamento.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 75


Muito   pelo   contrário.   O   sexo   anal   pode   ser   muito   perigoso   durante   a   gravidez,  
especialmente  por  causa  do  risco  da  propagação  de  bactérias  do  ânus  e  do  reto  para  a  
vagina.  Infecções  vaginais  durante  a  gravidez  pode  ser  muito  mais  difíceis  de  se  tratar  e  
muito  mais  grave.  

Converse  com  seu  homem  para  que  ele  não  faça  nada  “de  surpresa”    

Dê   um   conselho   para   o   seu   parceiro:   as   mulheres   não   se   divertem   quando   os   meninos  


enfiam   seus   pênis   no   buraco   errado   "por   engano".  Não   importa   o   quão   excitado   ela  
esteja.  Vai  ser  ruim  e  nenhuma  mulher  tem  como  gostar  disso.  A  única  maneira  saudável  
de  se  fazer  sexo  anal  é  se  preparando  para  isso.  

Nunca  Pule  as  Preliminares  

Mesmo  que  você  se  considere  bem  mais  liberal  e  ousada  que  suas  amigas,  não  pense  que  
pode  fazer  isso  em  uma  relação  sexual  anal.  Nunca  tente  começar  pelo  sexo  anal.  

Não  Enfie  Cedo  demais  

Uma  das  leis  de  Murphy  do  sexo  é:  ".O  sexo  anal  é  como  a  neve,  quando  seu  pé  afunda  
nela  você  nunca  sabe  qual  é  a  distancia  do  chão  e  qual  é  a  profundidade."  

Começar   fora   de   hora   pode   ser   quase   tão   ruim   quanto   pular   as   preliminares.   Primeiro  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


porque   você   ainda   não   está   preparada   como   gostaria,   e   segundo   porque,   em  
consequência   do   primeiro,   você   acaba   ficando   mais   nervosa   por   as   coisas   estarem  
começando  antes  do  que  você  gostaria.  

Não  Vá  Muito  Rígido  

Preste  bem  atenção  nessa  frase  que  li  uma  vez:  “Você  tem  que  aceitar  que  o  fato  de  que  
o  perigo  é  o  maior  tempero  do  sexo  anal”.  

Essa  é  uma  grande  verdade,  não  há  muito  o  que  se  questionar,  porém,  é  importante  ficar  
atenta  para  não  deixar  que  o  calor  do  momento  deixe  as  coisas  mais  “selvagens”.  Pense  
nas  consequências.  

Mantenha   seu   entusiasmo   na   sua   cabeça,   e   não   nos   seus   movimentos,   caso   contrário  
você  pode  acabar  se  machucando.  Fique  atenta!  

Não  se  Esqueça  de  Respirar  

Inspiração  e  expiração  é  muito  importante  durante  o  sexo  anal.  Relaxe  e  respire  para  que  
o   ânus   possa   ficar   relaxado.  Depois   de   ter   inserido   o   dedo   ou   o   pênis   dentro   do   ânus,  
expire  profundamente,  de  forma  que  os  músculos  relaxem.  Aulas  de  yoga  podem  ajudá-­‐
lo  a  controlar  sua  respiração,  e  não  faz  mal  a  ninguém.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 76


24. A Última Fronteira
Meu   objetivo   nesse   livro   era   dar   às   mulheres   o   conhecimento   adequado   sobre  
seus  corpos   para   que   você   possa   ter   experiências   anais   agradáveis.   Minhas   pesquisas  
envolveram   tantas   mulheres   que   gostam   do   sexo   anal.   Das   sensações   físicas,   da  
intensidade  emocional  e  dessa  dinâmica  psicológica  complexa  que  ele  (o  sexo  anal)  é.  

São   mulheres   que   deram   um   passo   muito   importante   em   romper   o   silêncio   profundo,  
contra  todos  os  mitos  e  absurdos  que  se  diziam  sobre  o  sexo  anal  para  poderem  dizer  o  
quanto  elas  gostam  de  praticar  o  sexo  anal.  

Então  elas  me  disseram  porque  elas  gostavam  tanto  de  fazê-­‐lo,  de  como  elas  gostavam,  
com  quem  elas  gostavam  de  fazer,  por  quais  sensações  elas  já  passaram.  

Foi  ótimo  finalmente,  ouvir  histórias  de  outras  mulheres  e  não  me  sentir  tão  sozinha  com  
meus  desejos,  fantasias  e  experiências  com  o  sexo  anal.  

Espero   que   O  Guia   definitivo   para   Sexo   Anal   para   Mulheres   incite   esse   tipo  
de  comunicação   entre   os   leitores   e   passem   a   dialogar   mais   sobre   esse   assunto.  
 
Existem  outros  livros,  como  esse,  que  tratam  da  sexualidade  anal,  e  isso  me  excita  muito.  

Por  mais  que  não  exista  muita  investigação  médica  ou  científica  a  ser  feita  acerca  do  sexo  

nciado para Paulo César, E-mail: paulinhocross99@hotmail.com, CPF: 35302983443


anal,   sempre   podem   haver   novidades   e   novos   truques.   Precisamos   de   mais  inquéritos,  
mais   histórias,   mais   guias,   mais   informações.   Quando   mais   for   possível   estudar   e  
conhecer   o   tema,   mas   você   terá   para   aproveitar   na   sua   vida   sexual.    
 
Você,  obviamente,  tinha  o  desejo  e  a  curiosidade  de  aprender  mais  sobre  a  sexualidade  
anal  ou,  você  nunca  teria  escolhido  este  livro.  Se  você  chegou  até  aqui,  o  meu  desejo  é  
que   essas   novas   informações,   recursos   e   ideias   tenham   respondido   todas   às   suas  
perguntas.    

Isso  mesmo,  perguntas!  As  pessoas  têm  tantas  perguntas  sobre  o  erotismo  anal.  Espero  
ter   respondido   a   algumas   perguntas   importantes.  Espero   também   que,   se   você   ainda  
tiver  outras,  corra  atrás  dessas  respostas.  

Pergunte   há  uma   amiga,   um   amante,   um   profissional   de   saúde,   um   sexólogo,  


enfim.  Quanto   mais   eu   tratava  do   assunto   “erotismo   anal”   em   minhas   viagens,   mais   as  
pessoas  descobriam  que  realmente  queria  falar  sobre  isso.  

Não   deixe   se   censurar,   pois   você   sempre   pode   aprender   algo   novo   com   alguém   (como  
elas   também   podem   aprender   com   você).   Seja   algum   segredinho,   alguma   técnica,  
pequenas  coisas  podem  lhe  trazer  novas  perspectivas.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 77


Use   este   livro   com   amor,   compreensão,   desejo   e   confiança;  Ele   irá   recompensá-­‐lo   com  
muito  prazer  e  alegria.  

Lembre-­‐se   que   a   paciência   e   a   prática   levam   à   perfeição.  Nas   minhas   experiências  


eróticas  anais  eu  pude  atingir  sentimentos  de  plena  satisfação  e  de  entrega  absoluta  que  
quase   chegaram   à   perfeição.   Sentimentos   que   eu   nunca   tinha   tido,   de   nenhuma   outra  
forma.  

Aproveite   essa   jornada   com   essas   novas   experiências.  Você   também   pode   descobrir  
sensações  e  sentimentos  que,  até  então,  nunca  imaginou  que  poderia  ter.  

© Copyright MuitoBomDeCama.com.br – Todos os direitos reservados 78