Você está na página 1de 3

Aluno : Djeyson Henrique Ertel

Curso: Engenharia Civil 1a Fase


Disciplina: Comunicação e Expressão

Sustentabilidade na Construção Civil: Benefícios Ambientais e Econômicos


Para Octaviana (2010), a palavra sustentabilidade é a palavra que mais vem sendo
usada nos últimos anos, invadindo vários setores sendo um deles o da economia, na
construção civil não é diferente, a sustentabilidade vem sendo utilizada de várias formas,
como a utilização de matérias que causam menos impactos ambientais, a reutilização de
alguns materiais que podem servir de matéria prima para os materiais, para o conforto
térmico, e até a reduzir o consumo de energia.

"Uma das inovações resultantes de pesquisa são os Materiais de Mudança de


Fase (PCM, na sigla em inglês), ou materiais termo - ativos, que atuam no isolamento
térmico e armazenamento de energia, por meio da utilização de parafinas micro
encapsuladas que podem ser dispersas em rebocos de revestimento, a fim de garantir o
conforto térmico e reduzir o consumo de energia nas edificações " (OCTAVIANA,2010,
p.1).

Um outro exemplo de sustentabilidade são os coberturas verdes que podem trazer


vários benefícios para a área rural e urbano, onde que nessa construções as telhas são
substituídas por vegetação, onde esses tipos de telhados podem trazer varias ajudas
ambientais sendo eles a diminuição das ilhas de calor dos centro urbanos, absorvem uma
parte dos gases de efeito estufa, melhora a absorção da água das chuvas, estes tipos de
telhados são bastante utilizados em países de primeiro mundo como os Estados Unidos e
Alemanha (OCTAVIANA,2010).

A autora explica não é apenas nas construções residenciais que o conceito de


sustentabilidade veio para ficar. Para sediar a Copa do Mundo de 2014, o Brasil deve
seguir uma série de normas estabelecidas pela Fifa, como, entre outras coisas, a
construção e a reforma dos estádios para que eles estejam de acordo com o ideal de uma
competição "verde", ou seja, ecologicamente correta e que gere o menor impacto
ambiental possível(...). Temos que pensar que, ao cuidar do planeta, estamos cuidando de
nós mesmos e reduzindo inclusive os gastos que teremos no futuro (OCTAVIANA,2010,
p.1).
Segundo Octaviana (2010), alguns estádio da copa utilizaram energias limpas
como a solar e a eólica, serão utilizadas também águas das chuvas para limparem os
estádios, na irrigação dos gramados e nas torres de resfriamento dos ar-condicionado,
alguns estádios terão aproveitamento do esgoto tratado das pias e chuveiros, e o
aproveitamento de plásticos recicláveis.

Para gomes da Unicamp, as construções dos estádios verdes trazem vários


benefícios para o meio ambiente e para o país, diminuído o impacto ambiental e
aumentando o marketing do país, e também mudando a visão mundial que se tem de copa
do mundo (OCTAVIANA,2010).

De acordo com Octaviana (2010), " a Conferência das Nações Unidas sobre o
Homem e o Meio Ambiente, que aconteceu em Estocolmo, em 1972, deixou claro que,
além do desenvolvimento econômico, era preciso pensar na questão ambiental", reforça.
Ela lembra que a temática construção civil esteve presente em outras duas conferências
das Nações Unidas, no Rio de Janeiro, em 1992, e em Joanesburgo, em 2002".

De acordo com Octaviana (2010), José Kós, da UFRJ salienta que a economia e o
meio ambiente podem e devem andar juntos, reforçando a ideia que é muito mais caro
limpar do que não sujar, onde que a construção civil é uma atividade bem forte no Brasil,
sendo um ramo que vem diminuindo muito seu impacto ambiental nos últimos anos, pelo
fato da evolução tecnológica que vem sofrendo.

Para Octaviana (2010), o papel do marketing verde está na conscientização, tendo


um papel que ajuda a esclarecer ao consumidor leigo os seus benefícios, vale salientar
também que a palavra sustentabilidade vendo sendo banaliza nos últimos anos onde várias
pessoas vem se utilizando de formas equivocadas que confundem o consumidor
diminuindo o investimento nesta área.

Octaviana (2010), destaca que "no Brasil, quando se fala que vai custar mais caro,
a adesão é menor de pessoas que vão optar pelas tecnologias sustentáveis, complementa.
Porém, ela comenta que, quando se explica os benefícios ambientais e nos casos em que
o valor é o mesmo das construções convencionais, as pessoas costumam aderir a essas
tecnologias".
O consumidor tem como saber se um projeto é de fato sustentável ou se o
marketing verde o está levando a comprar "gato por lebre"? (...). Um modo de saber os
impactos ambientais de um certo material é analisando o seu ciclo de vida. "Você deve
colocar na ponta do lápis desde a extração de material até a implementação nas
construções e a vida útil que eles têm (OCTAVIANA,2010,P.1).

Para Octaviana (2010), outra forma de certificar os produtos são as normas ISO,
esses selos ajudam para o entendimento dos projetistas, para saber qual a melhor forma
de utilizar melhor o material, sendo fundamental para orientar um projeto da melhor
forma possível para diminuir o impacto ambiental.