Você está na página 1de 8

12

HISTÓRIA I
O ILUMINISMO

CONTEXTO HISTÓRICO
A ciência medieval católica preservava sua força até meados
do XVII. Foi neste século que ocorreu um dos mais notáveis
processos de desenvolvimento científico do mundo ocidental: a
revolução astronômica e física, ou simplesmente a “Revolução
Científica” do século XVII. A nova física superava os conceitos
aristotélicos de “senso comum” de um universo centrado em
uma Terra estática, em repouso. O silogismo aristotélico (“Todos
os homens são mortais. Sócrates é um homem. Logo, Sócrates é
mortal”) começava a perder força. A ciência passaria a privilegiar a
observação da natureza e do movimento.
1543 é considerado simbolicamente o ano do nascimento
da Ciência moderna. Neste ano foram publicados dois livros que
alterariam irremediavelmente os conceitos da natureza até então
compreendidos pelo homem: Sobre a revolução das esferas
celestes, do clérigo polonês Nicolau Copérnico, e Sobre a estrutura
do corpo humano, do flamengo André Vasalius. O primeiro
inaugurou um novo conceito em ciência: a dinâmica; o segundo,
estabeleceu a observação anatômica e introduziu os conceitos de
fisiologia na medicina.
No início do século XVII, o italiano Galileu Galilei ganhou
a fama de inventor do telescópio, poderoso instrumento de
observação dos astros, além de deslocar o Sol para o centro do
sistema universal, retirando a prerrogativa do sistema geocêntrico
medieval. Nascia, enfim, o heliocentrismo. Johannes Kepler
seguiria Galileu, ao desenvolver a noção de órbitas elípticas,
derrubando os conceitos de um universo em que os astros
desenvolveriam órbitas circulares perfeitas. Em  1687, Isaac
Newton publicou Principia, na qual sintetizava os fundamentos de
força e movimento empregados até hoje na Física. A Revolução
Científica do século XVII seria uma espécie de preâmbulo
das ciências astronômicas e físicas para um novo período de
florescimento da Filosofia Política do século XVIII: o Iluminismo.
Além da Revolução Científica, os eventos ocorridos na Inglaterra
no século XVII influenciaram as concepções filosóficas que seriam
responsáveis pelo movimento iluminista. O movimento social
Obra desenhada por Charles-Nicolas Cochin e gravado por Bonaventure-Louis Prévost.
responsável pelo fim do Absolutismo inglês e suas repercussões Disponível em: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/f/fd/
ecoaram pela Europa. Houve grande interesse da intelectualidade
pelo primeiro governo de caráter liberal do Velho Continente. Encyclopedie_frontispice_full.jpg/300px-Encyclopedie_frontispice_full.jpg

Nesse sentido, a interpretação de John Locke acerca dos eventos O Iluminismo pode ser conceituado como um movimento
do setecentos ganhou grande relevo. Em Dois Tratados sobre o filosófico liberal do século XVIII. Os filósofos iluministas se
governo civil, Locke analisou a sociedade liberal inglesa como consideravam preceptores da liberdade do gênero humano
oriunda de um contrato entre governante e governados. A análise contra uma sociedade ainda mergulhada no conservadorismo
de viés contratualista não era novidade; pensadores como Thomas do Antigo Regime europeu. Os conceitos de Estado Nacional
Hobbes já a tinham proposto. No entanto, a novidade de Locke absolutista de direito divino, sociedade aristocrática de privilégios
veio por conta de suas categorias e consequências. Ao contrário e intervencionismo estatal mercantilista sofreriam um processo
de Hobbes, que pensava em termos de “súditos e soberano”, de degradação irreversível pelos autores das luzes. É preciso
Locke colocava o contrato tendo como pactuantes “governantes ressaltar que o Iluminismo não era um movimento homogêneo,
e governados”. Além disso, o pensador inglês do século XVII já que encontramos os mais diversos agentes sociais entre os
formatava o contrato em bases liberais, com prevalência do poder pensadores iluministas, dentre os quais burgueses, padres, nobres
dos governados: a função dos governantes era atendê-los e, caso e novos ricos. A crítica ao Antigo Regime era o ponto fundamental
isso não ocorresse, cabia aos governados romper o contrato e que unia os escritos de autores tão diferentes como Jean Jacques
conduzir novo governante. As ideias de Locke serviram de base Rousseau, Voltaire e o barão de Montesquieu. O Iluminismo não era
para a construção do pensamento liberal do Século das Luzes. um movimento burguês em sua composição social, mas em suas
ideias e princípios liberais.

PRÉ-VESTIBULAR PROENEM.COM.BR 299


HISTÓRIA I 12 O ILUMINISMO

OS FILÓSOFOS
Jean Jacques Rousseau (1712 - 78) escreveu sobre
Pedagogia, Botânica, Ciência Política, Antropologia, entre outros
assuntos. Uma das características mais marcantes do movimento
iluminista era a disposição de seus autores em buscar a razão, a
ciência, a experimentação como instrumentos de um processo
que deveria provocar a emancipação da humanidade. Rousseau
elaborou a teoria da soberania popular contemporânea em
Do contrato social, no qual nega os preceitos modernos de
que a origem do poder temporal residisse na vontade divina. A
sociedade, segundo Rousseau, teria sido estabelecida a partir de
um contrato não declarado entre governados e governantes, isto
é, uma relação de obrigações na qual os primeiros contratantes
delegam legitimidade para o governante, o qual deve defender os
interesses do corpo social. O governante que rompesse o contrato
seria tratado como tirano, e os governados se reservariam o
direito de sublevação contra o mau governo. Nascia o conceito da
democracia representativa contemporânea. Rousseau identificou,
ainda, a origem da desigualdade entre os homens na propriedade
privada, tema que seria retomado no século XIX pelos socialistas.
A natureza humana, segundo ele, era boa e a sociedade corrompia
o indivíduo. Os antropólogos aprenderam o mito do “bom
selvagem” com Rousseau. Emílio (ou Da Educação) e Devaneios
do caminhante solitário são outros dos memoráveis livros deste
fecundo autor: o primeiro é uma obra pedagógica, o segundo, um
amargurado livro de memórias.
O barão de montesquieu (1689-1755) consubstanciou, em
Do espírito das leis, um dos princípios mais difundidos na política
ocidental contemporânea: a divisão dos três poderes harmônicos
e interdependentes. Montesquieu não negava a existência de uma
monarquia, apenas propunha a reforma do modelo absolutista.
Na Idade Moderna, o poder político ficava concentrado na figura
do monarca, estando os demais poderes subordinados a ele. O
Legislativo, denominado “Parlamento” na Inglaterra e “Estados
Gerais” na França, somente era convocado por vontade do
rei em casos de graves ameaças contra o Estado. Os juízes
eram escolhidos pelo rei ou adquiriam seus cargos através de
famigeradas negociatas. Montesquieu propunha que cada um
destes poderes — Executivo, Legislativo e Judiciário — deveria ser
Disponível em: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/8/8e/ENC_1-
independente, ou seja, não existiriam hierarquias entre os poderes, NA5_600px.jpeg/377px-ENC_1-NA5_600px.jpeg
tal como ocorre hoje.
Voltaire (1694-1778), autor do Dicionário Filosófico e de No campo econômico, Adam Smith ganha destaque com sua
Cândido (ou O Otimismo), era oriundo da burguesia francesa, obra Investigação sobre a natureza e as causas da riqueza das
mas frequentava os salões da aristocracia. Ele poderia ser nações (1776), já citada no capítulo anterior. Para ele, o Estado teria
qualificado como uma espécie de emergente. Era um autor que a função somente de zelar pela propriedade privada e pela ordem,
apresentava escritos de caráter elitista, discordava de Jean não tendo o papel de intervir na economia.
Jacques Rousseau e ocupava o tempo da ociosa sociedade
de Corte francesa. Voltaire era também o mais anticlerical
dos autores do Iluminismo, encarando a Igreja Católica como EXERCÍCIOS
uma instituição medieval que mantinha um controle estéril
sobre a vida social e religiosa dos indivíduos. O autor, que não PROTREINO
negava a existência divina, propunha um culto deísta, ou seja,
desvinculado dos ritos romanos e da hierarquia católica. O fiel 01. Explique as razões que justifiquem a denominação do XVIII
poderia encontrar Deus sem a necessidade de intermediários. como Século das Luzes.
Em 1751, Denis Diderot e Jacques D’Alembert publicaram 02. Aponte as principais características dos autores iluministas a
A Enciclopédia, tentativa idealista e otimista de reunir todas as realidade europeia moderna.
obras de caráter liberal iluminista em uma grandiosa publicação.
Os enciclopedistas acreditavam que os seus textos seriam um 03. Indique as principais ideias de John Locke.
importante passo no sentido da emancipação do homem em
04. Caracterize as propostas de Rousseau.
relação ao período absolutista e aristocrático do Antigo Regime.
05. Analise a importância da Enciclopédia de Diderot e D’Alembert.

300 PROENEM.COM.BR PRÉ-VESTIBULAR


12 O ILUMINISMO HISTÓRIA I

Sobre os trechos de Voltaire, é correto afirmar que o autor


a) define, com suas ideias, os interesses da burguesia como
EXERCÍCIOS classe, no século XVIII: o comércio como condição para a
acumulação de capital, a riqueza como fator de liberdade e do
PROPOSTOS poder de Estado e a propriedade ligada à desigualdade.
b) crê, como filósofo iluminista do século XVIII, nas igualdades
01. O movimento intelectual conhecido como Iluminismo ocorreu social e política, pois a filosofia burguesa elabora uma doutrina
no século XVIII. universalista que confunde a causa da burguesia com a de
Leia as informações abaixo. toda a humanidade.
I. O pensamento político e econômico dos iluministas c) critica a centralização do poder na medida em que ela breca a
correspondia aos anseios da burguesia e ambos se opunham liberdade, impedindo o progresso das técnicas e a expansão
ao Positivismo. do comércio que geram riqueza, e, ao mesmo tempo, aceita a
propriedade como fundamento da igualdade.
II. O período ficou conhecido como o Século das Luzes.
d) considera que a burguesia não se constitui em uma classe
III. O Iluminismo combateu o absolutismo monárquico, o
no século XVIII, e ela precisa do poder do Estado centralizado
mercantilismo e o poder da Igreja.
para garantir a sua riqueza e, nessa medida, aproxima-se da
IV. O Iluminismo encontrou forte resistência entre os adeptos do nobreza para obter apoio político.
liberalismo.
e) defende, como representante da Ilustração, a liberdade ligada
Estão corretas à ausência da propriedade e elabora princípios universais, com
a) as afirmativas I, II, III, IV. direitos e deveres para todos os homens, o que faz a igualdade
econômica ser o fundamento da sociedade.
b) apenas as afirmativas I e II.
c) apenas as afirmativas III e IV. 04. O Princípio de Separação dos Poderes, embora tenha sido
d) apenas as afirmativas I e IV. positivado por meio da revolução constitucionalista do final do
e) apenas as afirmativas II e III. século XVIII, tem raízes muito mais profundas, tendo em vista que
a preocupação de atribuir as funções fundamentais do estado
a órgãos distintos é objeto de reflexão e discussão desde os
02. O Iluminismo, como movimento intelectual, reuniu pensadores
primórdios da organização estatal. A separação dos poderes do
que abordaram a política, a organização social e a natureza de
Estado tem suas bases definidas por meio de uma teoria, que se
formas distintas. Podemos, no entanto, encontrar um conjunto de
desenvolveu ao longo do tempo, mediante a reflexão de filósofos
princípios comuns que dão identidade ao pensamento iluminista
que remontam à Antiguidade, consagrando-se efetivamente após
europeu do século XVIII. Sobre esse movimento, analise as
a análise de Montesquieu, no século XVIII.
alternativas abaixo:
BARBOSA, Marília Costa. Revisão da Teoria da Separação dos Poderes do Estado.
I. As ideias Iluministas estão associadas às críticas ao Antigo Escola Superior do Ministério Público do Ceará. (Adaptado)
Regime, em particular ao direito divino dos reis e aos privilégios
hereditários, entendidos como contrários ao direito natural do Diante do contexto explicado, qual a principal característica da
homem. separação dos poderes no pensamento de Montesquieu?
II. Os iluministas defendiam que as sociedades humanas tendiam a) Combater a expansão dos ideais socialistas.
para um estágio inevitável de progresso material e espiritual b) Possibilitar a exploração dos trabalhadores.
que levaria à regeneração do homem e que seria guiada por
c) Garantir a manutenção do Antigo Regime.
Deus.
d) Propiciar a expansão da industrialização.
III. A defesa da razão como principal recurso humano para
conhecer e explicar os fenômenos sociais e naturais estava no e) Assegurar a liberdade dos indivíduos.
centro da atitude intelectual dos filósofos iluministas.
IV. A igualdade e a liberdade são, para os pensadores do século 05. (Enem) O texto abaixo, de John Locke (1632-1704), revela
XVIII, valores fundamentais e naturais, que constituem a base algumas características uma determinada corrente de pensamento.
política do nascente Estado Absolutista. "Se o homem no estado de natureza é tão livre, conforme
São corretas apenas as afirmativas: dissemos, se é senhor absoluto da sua própria pessoa e posses,
igual ao maior e a ninguém sujeito, por que abrirá ele mão dessa
a) I e II. liberdade, por que abandonará o seu império e sujeitar-se ao
b) II e III. domínio e controle de qualquer outro poder?
c) III e IV. Ao que é óbvio responder que, embora no estado natureza
d) I e III. tenha tal direito, a utilização do mesmo é muito incerta e está
constantemente exposto à invasão terceiros porque, sendo todos
e) I e IV.
senhores tanto quanto ele, todo homem igual a ele e, na maior
parte, pouco observadores da equidade e da justiça, o proveito
03. “O gênero humano é de tal ordem que não pode subsistir, a da propriedade que possui nesse estado é muito inseguro e
menos que haja uma grande infinidade de homens úteis que não muito arriscado. Estas circunstâncias obrigam-no abandonar
possuam nada.” uma condição que, embora livre, está cheia de temores e perigos
(Dicionário filosófico, verbete Igualdade) constantes; e não é sem razão que procura de boa vontade juntar-
se em sociedade com outros estão já unidos, ou pretendem unir-
“O comércio, que enriqueceu os cidadãos na Inglaterra, se, para a mútua conservação da vida, da liberdade e dos bens a
contribuiu para os tornar livres, e essa liberdade deu por sua vez que chamo de propriedade."
maior expansão ao comércio; daí se formou o poderio do Estado.” (Os Pensadores. São Paulo: Nova Cultural, 1991
(Cartas inglesas)

PRÉ-VESTIBULAR PROENEM.COM.BR 301


HISTÓRIA I 12 O ILUMINISMO

Do ponto de vista político, podemos considerar o texto como uma Em relação a essas novas normas de conduta relativas ao
tentativa justificar: comportamento de homens e mulheres, assinale a resposta
a) a existência do governo como um poder oriundo da natureza. CORRETA:
b) a origem do governo como uma propriedade do rei. a) o mundo das mulheres deveria estar restrito ao lar, podendo se
dedicar à música e ao bordado, enquanto os homens teriam
c) o absolutismo monárquico como uma imposição da natureza que entender de política e finanças.
humana.
b) as mulheres burguesas deveriam se comportar de forma
d) a origem do governo como uma proteção à vida, aos bens e emancipada, esforçando-se para se inserir no mercado de
aos direitos. trabalho competitivo com os homens.
e) o poder dos governantes, colocando a liberdade individual acima c) os homens e mulheres detinham os mesmos papéis sociais,
da propriedade. devendo se comportar de forma similar em todas as atividades
sociais.
06. (FAMERP 2018) No livro Investigação sobre a natureza e a
d) as regras de comportamento entre mulheres e homens na
causa da riqueza das nações, publicado em 1776, Adam Smith
sociedade burguesa europeia foram aderidas somente entre
argumentou que um agente econômico, procurando o lucro,
os camponeses e pobres, sendo considerados os detentores
movido pelo seu próprio interesse, acaba favorecendo a sociedade
de civilidade.
como um todo. Esse ponto de vista é um dos fundamentos
e) a hierarquia entre homens e mulheres não faziam parte dos
a) do liberalismo, que dispensou a regulamentação da economia
rituais e regras de civilidade burguesa do século XIX.
pelo Estado.
b) do utilitarismo, que defendeu a produção especializada de 09. (ENEM 2019) TEXTO I
objetos de consumo.
A centralização econômica, o protecionismo e a expansão
c) do corporativismo, que propôs a organização da sociedade em ultramarina engrandeceram o Estado, embora beneficias sem a
grupos econômicos. burguesia incipiente.
d) do socialismo, que expôs a contradição entre produção e ANDERSON, P. In: DEYON, P. O mercantilismo. Lisboa: Gradiva, 1989 (adaptado).
apropriação de riqueza.
e) do mercantilismo, que elaborou princípios de protecionismo TEXTO II
econômico. As interferências da legislação e das práticas exclusivistas
restringem a operação benéfica da lei natural na esfera das
07. (CPS 2018) Brasília foi inaugurada em 1960, poucos anos relações econômicas.
depois do início de sua construção. Planejada por Lúcio Costa e SMITH, A. A riqueza das Nações. São Paulo: Abril Cultural, 1983 (adaptado).
Oscar Niemeyer, a nova capital do Brasil foi estruturada a partir
de dois grandes eixos que se cruzam: o Eixo Rodoviário, em torno Entre os séculos XVI e XIX, diferentes concepções sobre as relações
do qual estão as áreas residenciais, e o Eixo Monumental, onde entre Estado e economia foram formuladas. Tais concepções,
se localizam os órgãos governamentais e culturais. Em uma das associadas a cada um dos textos, confrontam-se, respectivamente,
extremidades do Eixo Monumental, encontra-se a Praça dos Três na oposição entre as práticas de
Poderes. a) valorização do pacto colonial — combate à livre-iniciativa.
O nome dessa praça faz referência à teoria b) defesa dos monopólios régios — apoio à livre concorrência.
a) da divisão das responsabilidades sobre o país que, com a c) formação do sistema metropolitano — crítica à livre navegação.
Constituição de 1891, definiu que o presidente, os governadores d) abandono da acumulação metalista — estímulo ao livre-
e os prefeitos exerceriam o poder de forma compartilhada. comércio.
b) do Estado tripartido, de origem medieval, que definia as e) eliminação das tarifas alfandegárias — incentivo ao livre-
funções que deveriam ser desempenhadas pela nobreza, pela cambismo.
burguesia e pelos trabalhadores em benefício da sociedade.
c) da organização da república, proposta por Platão, em que 10. (PUC CAMPINAS 2017)
o presidente, o povo e os deputados debatem a respeito do
Um pensamento liberal moderno, em tudo oposto ao pesado
funcionamento da sociedade.
escravismo dos anos 1840, pode formular‑se tanto entre políticos e
d) do Estado moderno europeu, segundo a qual o Senado, a intelectuais das cidades mais importantes quanto junto a bacharéis
Câmara e a Presidência da República exercem os poderes egressos das famílias nordestinas que pouco ou nada poderiam
conferidos pela população por meio do voto direto e secreto. esperar do cativeiro em declínio.
e) da separação dos poderes, proposta por Montesquieu, em que (BOSI, Alfredo. Dialética da Colonização. São Paulo:
o Executivo, o Legislativo e o Judiciário devem exercer os seus Companhia das Letras, 1992, p. 224)
poderes de forma independente e equilibrada entre si.
Faz parte das características do pensamento liberal europeu, no
século XIX, a defesa
08. (UFJF-PISM 2 2017) A partir do final do século XVIII, as novas
regras e condutas burguesas passaram a ganhar popularidade. a) da liberdade de imprensa e de ações afirmativas visando à
As intimidades fisiológicas, atitudes à mesa, comportamento de reparação estatal a grupos discriminados.
homens e mulheres eram algumas dessas maneiras que indicavam b) da distribuição equitativa de riquezas e do estado de bem-estar
civilidade. Os  manuais de “bom-tom” fizeram um certo sucesso no social.
século seguinte, sobretudo no que se refere aos papéis sociais dos c) do livre cambismo e do direito à propriedade privada.
indivíduos. Tais papéis foram incorporados, paulatinamente, pela
população europeia. d) da liberdade de culto e do mutualismo.
e) da nacionalização dos meios de produção e da doutrina do
destino manifesto.

302 PROENEM.COM.BR PRÉ-VESTIBULAR


12 O ILUMINISMO HISTÓRIA I

11. Fala-se muito nos dias de hoje em direitos do homem. Pois 14. As ordens já são mandadas,
bem: foi no século XVIII — em 1789, precisamente — que uma já se apressam os meirinhos.
Assembleia Constituinte produziu e proclamou em Paris a Entram por salas e alcovas,
Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Essa Declaração relatam roupas e livros:
se impôs como necessária para um grupo de revolucionários, por (...)
ter sido preparada por uma mudança no plano das ideias e das Compêndios e dicionários,
mentalidades: o iluminismo. e tratados eruditos
FORTES, L. R. S. O Iluminismo e os reis filósofos. São Paulo: Brasiliense, 1981 (adaptado). sobre povos, sobre reinos,
sobre invenções e Concílios...
Correlacionando temporalidades históricas, o texto apresenta uma E as sugestões perigosas
concepção de pensamento que tem como uma de suas bases a da França e Estados Unidos,
a) modernização da educação escolar. Mably, Voltaire e outros tantos,
que são todos libertinos...
b) atualização da disciplina moral cristã.
(Cecília Meireles, Romance XLVII ou Dos sequestros. Romanceiro da Inconfidência)
c) divulgação de costumes aristocráticos.
d) socialização do conhecimento científico. As sugestões perigosas mencionadas no poema, amplamente
difundidas pelo Iluminismo e incorporadas ao processo de
e) universalização do princípio da igualdade civil.
Independência dos Estados Unidos no século XVIII, correspondem
12. Os direitos civis, surgidos na luta contra o Absolutismo real, ao a) ao racionalismo cartesiano como método para emancipação
se inscreverem nas primeiras constituições modernas, aparecem política e o progresso econômico do Estado independente.
como se fossem conquistas definitivas de toda a humanidade. Por b) à concepção de sociedade igualitária, legitimada pela abolição
isso, ainda hoje invocamos esses velhos “direitos naturais” nas da escravatura e pelo sufrágio universal.
batalhas contra os regimes autoritários que subsistem. c) à valorização do liberalismo econômico e do mercantilismo
QUIRINO, C. G.; MONTES, M. L. Constituições. São Paulo: Ática, 1992 (adaptado). como modelos de desenvolvimento da Nação moderna.

O conjunto de direitos ao qual o texto se refere inclui d) ao emprego do conhecimento ilustrado e das teses absolutistas
como instrumentos revolucionários.
a) voto secreto e candidatura em eleições.
e) aos ideais de liberdade, igualdade e fraternidade, que
b) moradia digna e vagas em universidade. justificavam a concepção de autonomia do Estado.
c) previdência social e saúde de qualidade.
d) igualdade jurídica e liberdade de expressão. 15. (UNESP 2015) O pensamento iluminista, baseado no
e) filiação partidária e participação em sindicatos. racionalismo, individualismo e liberdade absoluta do homem,
ao criticar todos os fundamentos em que se assentava o Antigo
Regime, revelava as suas contradições e as tornava transparentes
13. Os enciclopedistas constituíram uma pequena elite de letrados aos olhos de um número cada vez maior de pessoas.
e de técnicos, ligados à vida material como elementos de ponta
(Modesto Florenzano. As revoluções burguesas, 1982. Adaptado.)
do progresso econômico e também estreitamente vinculados ao
aparato estatal, o qual se esforçaram por tornar melhor e mais Entre as críticas ao Antigo Regime, mencionadas no texto, podemos
racional. (...) Por toda a parte na Europa das Luzes, encontramos citar a rejeição iluminista do
esta pretensão e esta vontade [dos filósofos] de pôr-se à testa e na
direção da sociedade. a) princípio da igualdade jurídica. d) republicanismo.
VENTURI, Franco. Utopia e reforma no Iluminismo. Bauru: Edusc, 2003, p. 44, 239-240. b) livre comércio. e) absolutismo monárquico.
c) liberalismo econômico.
A elite intelectual a que o texto se refere foi responsável pela
organização e publicação do mais importante veículo de divulgação
16. (UNESP 2012) Encontrar uma forma de associação que defenda
das ideias do Iluminismo, no século XVIII: a Enciclopédia. Essa obra
e proteja a pessoa e os bens de cada associado com toda a força
de inspiração racionalista,
comum, e pela qual cada um, unindo-se a todos, só obedece contudo
a) defendia a teoria de que a economia deveria funcionar por suas a si mesmo, permanecendo assim tão livre quanto antes. Esse, o
próprias leis e na eliminação da intervenção do Estado sobre os problema fundamental cuja solução o contrato social oferece.
negócios comerciais que entravava as aduanas internas.
[...]
b) estabelecia a tese segundo a qual as estruturas sociais eram
Cada um de nós põe em comum sua pessoa e todo o seu poder
determinadas pelas circunstâncias ambientais e pela liberdade
sob a direção suprema da vontade geral, e recebemos, enquanto
como direito incontestável de todos os homens da época.
corpo, cada membro como parte indivisível do todo.
c) afirmava que a única esperança de garantir os direitos de (Jean-Jacques Rousseau. Do contrato social, 1983.)
cada um seria ceder todos esses direitos à comunidade civil
para que a governasse de acordo com as ideias dos filósofos O texto apresenta características
iluministas. a) iluministas e defende a liberdade e a igualdade social plenas
d) defendia uma monarquia absolutista moderada por um entre todos os membros de uma sociedade.
governo baseado na razão e no ideário político e social vigente b) socialistas e propõe a prevalência dos interesses coletivos
na época e não mais pelos pressupostos religiosos divulgados sobre os interesses individuais.
pela Igreja.
c) iluministas e defende a liberdade individual e a necessidade de
e) propunha, de maneira geral, a imediata autonomização da uma convenção entre os membros de uma sociedade.
Igreja em relação ao Estado e o combate às superstições
e às diversas manifestações do pensamento dogmático d) socialistas e propõe a criação de mecanismos de união e
eclesiástico. defesa de todos os trabalhadores.
e) iluministas e defende o estabelecimento de um poder
rigidamente concentrado nas mãos do Estado.

PRÉ-VESTIBULAR PROENEM.COM.BR 303


HISTÓRIA I 12 O ILUMINISMO

17. (FUVEST) "A autoridade do príncipe é limitada pelas leis da 20. (UERJ) "Não se veem, porventura (...) povos pobres em
natureza e do Estado... O príncipe não pode, portanto, dispor terras vastíssimas, potencialmente férteis, em climas dos mais
de seu poder e de seus súditos sem o consentimento da nação benéficos? E, inversamente, não se encontra, por vezes, uma
e independentemente da escolha estabelecida no contrato de população numerosa vivendo na abundância em um território
submissão..." exíguo, até algumas vezes em terras penosamente conquistadas
Diderot, artigo "Autoridade política", Enciclopédia. 1751 ao oceano, ou em territórios que não são favorecidos por dons
naturais? Ora, se essa é a realidade, é por existir uma causa sem
Tendo por base esse texto da Enciclopédia, é correto afirmar que a qual os recursos naturais (...) nada são (...). Uma causa geral e
o autor comum de riqueza, causa que, atuando de modo desigual e vário
a) pressupunha, como os demais iluministas, que os direitos de entre os diferentes povos, explica as desigualdades de riqueza de
cidadania política eram iguais para todos os grupos sociais e cada um deles (...)"
étnicos. (SMITH, Adam. Apud HUGON, Paul. "História das Doutrinas Econômicas."
São Paulo: Atlas, 1973.)
b) propunha o princípio político que estabelecia leis para legitimar
o poder republicano e democrático. O texto anterior evidencia a preocupação, por parte de pensadores
c) apoiava uma política para o Estado, submetida aos princípios do século XVIII, com a fonte geradora de riqueza. As "escolas"
da escolha dos dirigentes da nação, por meio do voto universal. econômicas do período - Fisiocracia e Liberalismo - apresentavam,
contudo, discordâncias quanto a essa fonte.
d) acreditava, como os demais filósofos do Iluminismo, na
revolução armada como único meio para a deposição de Os elementos geradores de riqueza para a Fisiocracia e para o
monarcas absolutistas. Liberalismo eram, respectivamente:
e) defendia, como a maioria dos filósofos iluministas, os a) terra e trabalho
princípios do liberalismo político que se contrapunham aos b) agricultura e capital
regimes absolutistas.
c) indústria e comércio
d) metal precioso e tecnologia
18. (UNESP) Adam Smith, autor de "A Riqueza das Nações" (1776),
referindo-se à produção e à aquisição de riquezas, observou:
"Não é com o ouro ou a prata, mas com o trabalho que toda
a riqueza do mundo foi provida na origem, e seu valor, para EXERCÍCIOS DE
aqueles que a possuem e desejam trocá-la por novos produtos, é
precisamente igual à quantidade de trabalho que permite alguém 05.
APROFUNDAMENTO
adquirir ou dominar."
01. (CFTCE 2005) Explique que foi o Iluminismo, destacando as
Os pontos de vista de Adam Smith opõem-se às concepções principais críticas feitas ao Antigo Regime.
a) mercantilistas, que foram aplicadas pelos diversos estados
absolutistas europeus. 02. (UFRJ 2005) “Dois acontecimentos que fizeram época marcam
b) monetaristas, que acompanharam historicamente as o início e o fim do Absolutismo clássico, Seu ponto de partida foi a
economias globalizadas. guerra civil religiosa. O Estado moderno ergue-se desses conflitos
religiosos mediante lutas penosas, e só alcançou sua forma e
c) socialistas, que criticaram a submissão dos trabalhadores aos
fisionomia plenas ao superá-los. Outra guerra civil - a Revolução
donos do capital.
Francesa - preparou seu fim brusco.”
d) industrialistas, que consideraram as máquinas o fator de Fonte: KOSELLECK, Reinhart. “Crítica e crise”.
criação de riquezas. Rio de Janeiro, Eduerj & Contraponto, 1999, p. 19.

e) liberais, que minimizaram a importância da mão de obra na


a) Identifique dois aspectos que caracterizavam o exercício da
produção de bens.
autoridade pelo Estado Absolutista.
19. (UERJ 2012) O Iluminismo é a saída do homem do estado de b) Em 1651, em meio às guerras religiosas que assolavam
tutela, pelo qual ele próprio é responsável. a Europa, o filósofo inglês Thomas Hobbes defendia a
necessidade de um Estado forte como forma de controlar os
O estado de tutela é a incapacidade de utilizar o próprio sentimentos anti-sociais do homem. Pouco mais de um século
entendimento sem a condução de outrem. Cada um é responsável depois, o filósofo J.J. Rousseau, em sua obra Contrato Social
por esse estado de tutela quando a causa se refere não a uma (1762), apresentou uma outra visão sobre o mesmo problema.
insuficiência do entendimento, mas à insuficiência da resolução
e da coragem para usá-lo sem ser conduzido por outrem. Sapere
03. (UNICAMP 2003) O liberalismo tornou-se ideologia
aude!* Tenha a coragem de usar seu próprio entendimento.
predominante na sociedade ocidental a partir da segunda metade
Essa é a divisa do Iluminismo. do século XIX.
IMMANUEL KANT (1784)
a) Quais direitos naturais que o liberalismo se propõe a garantir?
*Expressão latina que significa “tenha a coragem de saber, de aprender”. b) Quais as principais características do liberalismo econômico?
In: BOMENY, Helena e FREIRE-MEDEIROS, Bianca. Tempos modernos, tempos de c) Quais correntes de pensamento se opuseram ao liberalismo no
sociologia. São Paulo: Ed. do Brasil, 2010. século XIX?

No contexto da expansão capitalista no século XIX, uma das ideias 04.(UERJ 2002) O liberalismo econômico, que incorporou a máxima
centrais do Iluminismo, de acordo com o texto, está associada “deixai fazer, deixai passar”, criada em meados do século XVIII,
diretamente à valorização da: objetivava romper com as práticas tradicionais do mercantilismo.
a) superioridade técnica a) Aponte duas características do liberalismo que o diferenciavam
b) soberania econômica do mercantilismo.
c) liberdade política b) Explique como o liberalismo econômico contribuiu para o fim
d) razão científica do sistema colonial.

304 PROENEM.COM.BR PRÉ-VESTIBULAR


12 O ILUMINISMO HISTÓRIA I

05. (UNESP 2006) Leia o texto.


“O governo arbitrário de um príncipe justo [...] é sempre mau.
Suas virtudes constituem a mais perigosa das seduções: habituam
o povo a amar, respeitar e servir ao seu sucessor, qualquer que seja
ele. Retira do povo o direito de deliberar, de querer ou de não querer,
de se opor à vontade do príncipe até mesmo quando ele deseja
fazer o bem. O direito de oposição [...] é sagrado. Uma das maiores
infelicidades que pode advir a uma nação seria a sucessão de dois
ou três reinados de um todo poderoso justo, doce, [...] mas arbitrário:
os povos seriam conduzidos pela felicidade ao esquecimento
completo de seus privilégios, a mais perfeita escravidão”.
(D. Diderot. “Refutação de Helvétius”, 1774.)

a) Como se denomina a forma de regime monárquico a que se


refere Diderot?
b) O texto apresentou uma concepção de cidadania que teve
reflexos, quase imediatos, nas revoluções do século XVIII e
permaneceu nas experiências democráticas e no horizonte
político dos séculos seguintes. Quais aspectos de cidadania
são defendidos por Diderot ao afirmar que, sem esses direitos,
“os povos seriam conduzidos a mais perfeita escravidão”?

GABARITO
EXERCÍCIOS PROPOSTOS
01. E 05. D 09. B 13. E 17. E
02. D 06. A 10. C 14. E 18. A
03. A 07. E 11. E 15. E 19. D
04. E 08. A 12. D 16. C 20. A

EXERCÍCIOS DE APROFUNDAMENTO
01. O iluminismo foi um movimento filosófico ocorrido entre os séculos XVII e XVIII,
fundamentado na crença da razão humana como única forma de aqusição de
conhecimento e de explicação dos fenômenos naturais, e na defesa dos princípios de
liberdade, igualdade, fraternidade e busca da felicidade, como condição natural dos
homens.
Entre as críticas dos iluministas ao Antigo Regime, pode-se destacar o poder absoluto
dos reis, a divisão da sociedade em estamentos e os privilégios de classe, e a intolerância
religiosa
02. a) O Estado ampliou sua autoridade por meio do monopólio do poder militar e da
justiça, da formação de uma burocracia estatal e da interferência na economia. O Estado
do Antigo Regime baseava sua autoridade nas contínuas negociações com os poderes
locais (como a aristocracia e as Comunas Urbanas), e no exercício da justiça como forma
de garantir a ordem social e política.
b) Rousseau considera que o Estado fora criado pelo homem para preservar sua liberdade,
o povo é o depositário do poder e os governantes constituem apenas seus funcionários.
As leis devem ser aprovadas por todos, a soberania do povo deve ser absoluta e se
manifestar através da vontade geral, pois a liberdade só existe quando há igualdade entre
os componentes da sociedade.
03. a) Direitos à vida, à liberdade e à igualdade perante a lei.
b) Não-intervenção do Estado na economia.
c) Em termos conservadores, o absolutismo; em termos progressistas, as diversas
correntes socialistas, com destaque para o socialismo científico ou marxista.
04. a) A condenação da intervenção do Estado na economia e a afirmação do trabalho
humano como fonte geradora das riquezas constituem-se em fundamentos do
liberalismo.
b) O liberalismo econômico, ao condenar as ideias de monopólio e de pacto colonial,
características essenciais do sistema colonial, propiciou uma série de reivindicações que
resultou no processo de independência das colônias americanas, pondo fim ao sistema
colonial.
05. a) Absolutismo Monárquico, modelo de governo característico do Antigo Regime.
b) Denis Diderot defende o direito à cidadania, apoiado no direito de oposição à opressão
e ao direito à liberdade de escolha.

ANOTAÇÕES

PRÉ-VESTIBULAR PROENEM.COM.BR 305


HISTÓRIA I 12 O ILUMINISMO

306 PROENEM.COM.BR PRÉ-VESTIBULAR