Você está na página 1de 16

8 May, 2020 | created using FiveFilters.

org

INANNA E ENKI 15–26. Depois que Enki havia falado assim com ele, Isimud, o
ministro, seguiu as instruções de seu mestre com atenção. Ele
deixou a moça entrar no Abzu e Eridug. Ele deixou Inana entrar
Segmento A
no Abzu e Eridug. Quando a moça entrou no Abzu e Eridug,
quando Inana entrou no Abzu e Eridug, ela teve bolo de
aprox. 6 linhas em falta
manteiga para comer. Eles ofereceram água refrescante para ela,
1–10. Ela (…) do deserto. Ela colocou o Su-gura, a coroa do e deram-lhe cerveja para beber, em frente ao Portão do Leão. Ele
deserto, em sua cabeça a fez se sentir como se estivesse em casa, tratou-a (…) como
uma filha. Ele recebeu a santa Inana na mesa sagrada, na mesa
(…) Ela vestiu o traje de pele de carneiro, para o pastor (..) seus de An.
órgãos genitais eram notáveis (..) Seus órgãos genitais eram
notáveis. Ela elogiou a si mesma, cheia de prazer em seus 27–30. Então aconteceu que Enki e Inana estavam bebendo
órgãos genitais, ela elogiou a si mesma, cheia de prazer em seus cerveja juntos no Abzu, e apreciando o sabor do vinho doce. Os
órgãos genitais. Ela olhou (…) olhou (..) olhou (…) vasos Aga de bronze estavam cheios até a borda, e os dois
começaram uma competição, bebendo nos vasos de bronze de
11–27. “Quando eu tiver satisfeito o senhor (…) quando eu fizer Uras.
(..) brilhante, quando eu fizer (..) lindo, quando eu fizer (..)
glorioso, quando eu tiver (..) quando eu fizer (…) perfeito, aprox. 35 linhas em falta
quando eu fizer (..) luxuriante, quando eu fizer (…) exuberante,
Segmento D
quando eu fizer (..) brilhante (?), quando eu fizer (..) de retorno,
quando eu fizer (…) brilhante, quando eu fizer (..) cintilante, eu
1–5. “Para minha filha Santa Inana Eu darei (…) ” Santa Inana
irei dirigir os meus passos para o Abzu, para Eridug, vou dirigir
recebeu o heroísmo, o poder, a maldade, a justiça, a pilhagem
os meus passos para Enki, ao Abzu, para Eridug, e eu própria
das cidades, a arte de criar lamentações, a arte de trazer à
falarei simpaticamente para ele, no Abzu, em Eridug, eu própria
alegria. “Em nome do meu poder, em nome do meu Abzu, eu vou
falarei simpaticamente a Enki, no Abzu, em Eridug (..) ”
dá-los a Santa Inana, minha filha ( …)”
aprox. 21 linhas em falta
6–9. Santa Inana recebeu as terras dos rebeldes, a bondade, os
Segmento B nômades e os sedentários. “Em nome do meu poder, em nome
do meu Abzu, eu vou dá-los a Santa Inana, minha filha, (…)”
1–5. “Inana, (…) eu é que (…) eu, Inana, pessoalmente {a intenção de
ir para o Abzu}. Pretendo ir para Eridug. Vou proferir um 10–13. Santa Inana recebeu o ofício da carpintaria, o ofício do
fundamento para o Senhor Enki.Tal como o azeite doce do ferreiro, a arte do escriba, o artesanato do couro trabalhado, o
cedro, que (..) para o meu santo (…) perfume?(…) Nunca deve ofício do construtor, o ofício do trabalhador de canavial. “Em
escapar-me e nem ignorar-me após ter tido sexo. ” nome do meu poder, em nome do meu Abzu, eu vou dá-los a
Santa Inana, minha filha (.…)”
15/ 06. Naquele dia, ó donzela Inana, Santa Inana, dirigiu seus
passos sozinha para o Abzu de Enki em Eridug. Naquele dia, ele 14–17. Santa Inana recebeu sabedoria, atenção, rituais sagrados
de conhecimentos excepcionais, que conhece os poderes de purificação, cabana do pastor, carvão incandescente, o
divinos no céu e na terra,Ele que conhece o coração de todos os respeito, pastoril, reverência, silêncio reverente. “Em nome do
deuses, Enki, o rei do Abzu, que, mesmo antes da Santa Inana meu poder, em nome do meu Abzu, eu vou dá-los a santa Inana,
ter percorrido seis quilômetros em direção ao templo do Abzu minha filha (..)”
em Eridug, sabia tudo sobre sua intenção — Enki falou a seu
18–21. Santa Inana recebeu o amargo dos dentes (?) (…) O
homem, deu-lhe instruções: “Vem cá, meu homem, escuta as
acendimento do fogo, o extintor de incêndio, trabalho duro (…)
minhas palavras. ”
a família reunida, descendentes. “Em nome do meu poder, em
1 Linha fragmentada nome do meu Abzu, eu vou dá-los a Santa Inana, minha filha,
aprox. 2 linhas em falta (…)”

Segmento C 22–27. Santa Inana recebeu contenda, o triunfo, o


aconselhamento, conforto, a arte de julgar, tomada de decisão.
14/01. “(…) Ela vai beber (…) ela vai comer. Vem cá! (…)Vou (…) fazer “Em nome do meu poder, em nome do meu Abzu, eu vou dá-los a
(..) A donzela (..) o Abzu e Eridug, Inana (…) o Abzu e Eridug Santa Inana , minha filha, (…) Santa Inana recebeu (…)
(…) Quando a donzela Inana no Abzu e Eridug, quando Inana no
Abzu e Eridug entrar, ofereça-lhe bolo de manteiga para comer. aprox. 78 linhas em falta
De-lhe água refrescante. Despeje a cerveja para ela, em frente ao
Segmento E
Portão do Leão. Faça ela sentir-se em casa, e trate-a (…) como
uma filha. Receba a santa Inana na mesa sagrada, na mesa de An.
1–4. “Ele deu-me justiça. Ele me deu o saque das cidades. Ele me deu a

arte de criar lamentações. Ele me deu alegria.”
5–9. “Ele deu-me engano. Ele me deu as terras rebeldes. Ele me 29–30. “Onde está o padrão, o tremor, a relação sexual, o beijo, a
deu carinho. Ele deu-me o nômade. Ele me deu o sedentário”. prostituição (…) (?) execução”.
“Meu mestre lhes deu para sua filha.”
10–17. “Ele me deu o ofício de carpinteiro. Ele me deu o ofício
de ferreiro. Ele me deu o ofício de escriba. Ele me deu o 31–32. “Onde está o discurso direto, discurso enganoso, o
artesanato do couro. Ele me deu o ofício de construtor. Ele me discurso grandiloqüente (…) a prostituta sagrada, a taverna
deu o ofício do trabalhador da cana “. sagrada?”
“Meu mestre lhes deu para sua filha.”
18–26. “Ele tem me dado sabedoria. Ele me deu atenção. Ele me
deu rituais sagrados de purificação. Ele me deu a cabana do 33–34. “Onde está o santuário nigin-gar (…) a dona do céu,
pastor. Ele me deu carvão incandescente. Ele me deu o aprisco. altos instrumentos musicais, a arte da música, a velhice
Ele deu-me respeito . Ele me deu pavor. Ele deu-me reverente venerável?”
silêncio. ” “Meu mestre lhes deu para sua filha.”

27–36. “Ele deu-me o amargo de dentes (?) (…) Ele me deu os aprox. 33–36 linhas faltando
gravetos de fogo. Ele me deu a extinção do fogo. Ele me deu
muito trabalho. Ele me deu (…) Ele me deu a família reunida. Segmento G
Ele me deu descendentes. Ele deu-me luta. Ele me deu o triunfo.
21/01. (…) Rei na casa de Enki não se deve esquecer uma palavra (…)
Ele me deu conselhos. ”
Cheio de conselhos, sabendo muito (…) Eles disseram: “Pela
aprox. 34–35 linhas em falta fechadura da porta do templo, um sapo falou.” Ele mostrou-lhe
um lugar. Enki agarrou o sapo pela sua pata direita. Mostrou-o
Segmento F seu sagrado (…) Ele recebeu (…) a árvore ?alub e a sua caixa de
árvores. Ele deu (…) a ave do céu. Ele deu (…) para os peixes das
1–13. Enki falou ao ministro Isimud: “Isimud, meu ministro, meu doce águas subterrâneas.
nome do céu!” “Enki, meu senhor, estou ao seu serviço! Qual é o
seu desejo?” “Ela disse que ainda não iria partir para Unug 11 linhas fragmentadas
Kulaba, que ainda não iria partir para o lugar onde Utu (..) eu aprox. 15/ 10 faltando
ainda posso alcançá-la?” Mas a Santa Inana havia reunido os
poderes divinos e embarcou no barco dos Céus. O Barco do Céu Segmento H
já havia deixado o cais. Quando os efeitos da cerveja havia
1–7. O príncipe falou a seu ministro Isimud, Enki dirigiu-se ao Doce
deixado a cabeça do que tinha bebido cerveja, quando os efeitos
Nome do Céu: “Isimud, meu ministro, meu doce nome do céu!”
da cerveja deixaram o Pai Enki que havia bebido cerveja, o
“Enki, meu senhor, estou ao seu serviço! Qual é o seu desejo?” ”
grande senhor Enki voltou sua atenção para a (…) construção.
A que altura está o Barco do Céu neste momento?” “Ele etá
O senhor olhou para o Abzu. O rei Enki voltou sua atenção para
agora (..)” “Vá agora! Os enkum devem tomar dela o barco do
Eridug.
Céu!”

14–18. Enki falou a Isimud, o ministro: “Isimud, meu ministro,


19/ 08. O ministro Isimud falou à Sagrada Inana!. “Minha
meu doce nome do céu!” “Enki, meu senhor, estou ao seu
senhora, Seu pai me mandou aqui, seu pai enviou-me a você. O
serviço! Qual é o seu desejo?” “Onde estão os documentos
que seu pai disse é muito sério. O que Enki falou é muito sério,
sacerdotais, a divindade, a grande e bela coroa, o trono real?”
as palavras de seu pai são ordens elas não podem ser
“Meu mestre lhes deu para sua filha.”
desobedecidas.” “Sagrada Inana respondeu-lhe: “O que meu pai
19–20. “Onde está o nobre cetro, o mastro e o gancho, o vestido lhe disse? Que são estas ordens que não podem ser
nobre, o barco do pastor, a realeza?” desobedecidas?” “Meu mestre falou para mim, Enki disse-
“Meu mestre lhes deu para sua filha.” me:“Inana poderá viajar para Unug, mas você deverá tirar dela o
Barco do Céu e trazê-lo para mim em Eridug”.
21–22. “Onde estão os documentos de sacerdotisa egir-zid, o
cargo de sacerdotisa da deusa, o cargo de sacerdote išib, o 20–33. Sagrada Inana falou para o ministro Isimud: “Como o
documento do sacerdócio lu-mah, o cargo de sacerdote gudug?” meu pai poderia ter mudado o que ele me disse: Como ele
“Meu mestre lhes deu para sua filha.” poderia ter alterado a sua promessa, estou muito frustrada ao
saber que as palavras de Enki não possuem mais autoridade.
23–24. “Onde está a constância, (…), a descida aos infernos, o Era mentira o que ele me disse? Ele falou falsamente comigo?
regresso do submundo?” Será que ele jurou falsamente pelo nome de seu poder e pelo
“Meu mestre lhes deu para sua filha.” nome do seu abzu? ” Imediatamente, quando as palavras ainda
estavam na boca de Inana, ele pegou os enkum para apropriar-se
25–26. “Onde está a espada e o clube de guerreiros, o culto, o do barco dos Céus. Sagrada Inana dirigiu a palavra a Ninšubur
vestuário preto, o vestido colorido, o estilo do cabelo (…) o seu ministro: “Vem, meu bom ministro E-ana, Meu emissário de
estilo de cabelo?” palavras de confiança, a água nunca tocará sua mão, a água
“Meu mestre lhes deu para sua filha.” nunca tocará seus pés!!”

27–28. “Onde estão (…)?” 34–41. Então Inana pegou de novo o poder divino, que havia
“Meu mestre lhes deu para sua filha.” sido apresentado a ela, e o Barco do Céu e, então, mais uma vez,
o príncipe falou a seu ministro Isimud, Enki dirigiu–se ao Doce
Nome do Céu: “Isimud, o meu ministro, meu Doce Nome do dirigiu a palavra a Ninšubur seu ministro: “Vem, meu bom
Céu! ” “Enki, meu senhor, estou ao seu serviço! Qual é o seu ministro E-ana, Meu emissário de palavras de confiança, a água
desejo?” ” A que altura está o Barco do Céu neste momento?” nunca tocará sua mão, a água nunca tocará seus pés!!”
“Ele neste momento já alcançou a sagrada (…)” “Vá agora! Os
cinquenta gigantes de Eridug estão tirando dela o barco do 102–109.Então Inana pegou de novo o poder divino, que havia
Céu!” sido apresentado a ela, e o Barco do Céu e, então, mais uma vez,
o príncipe falou a seu ministro Isimud, Enki dirigiu–se ao Doce
42–53. O ministro Isimud falou à Sagrada Inana!. “Minha Nome do Céu: “Isimud, o meu ministro, meu Doce Nome do
senhora Seu pai me mandou para você Inana, seu pai enviou-me Céu! ” “Enki, meu senhor, estou ao seu serviço! Qual é o seu
a você. O que seu pai disse é muito sério. O que Enki falou é desejo?” ” A que altura está o Barco do Céu neste momento?”
muito sério, as palavras de seu pai são ordens elas não podem “Ele está chegando neste momento à montanha dos campos.”
ser desobedecidas.” “Sagrada Inana respondeu-lhe: “O que meu “Vá agora! Todos os peixes gigantes (…) deverão tomar dela o
pai lhe disse? Que são estas ordens que não podem ser Barco do Céu!”
desobedecidas?” “Meu mestre falou para mim, Enki disse-
me:“Inana poderá viajar para Unug, 110–121.O ministro Isimud falou à Sagrada Inana!. “Minha
mas você deverá tirar dela o Barco do Céu e trazê-lo para mim senhora Seu pai me mandou para você Inana, seu pai enviou-me
em Eridug”. a você. O que seu pai disse é muito sério. O que Enki falou é
muito sério, as palavras de seu pai são ordens elas não podem
54–67. Sagrada Inana falou para o ministro Isimud: “Como o ser desobedecidas.” “Sagrada Inana respondeu-lhe: “O que meu
meu pai poderia ter mudado o que ele me disse: Como ele pai lhe disse? Que são estas ordens que não podem ser
poderia ter alterado a sua promessa, estou muito frustrada ao desobedecidas?” “Meu mestre falou para mim, Enki disse-
saber que as palavras de Enki não possuem mais autoridade. me:“Inana poderá viajar para Unug, mas você deverá tirar dela o
Era mentira o que ele me disse? Ele falou falsamente comigo? Barco do Céu e trazê-lo para mim em Eridug”.
Será que ele jurou falsamente pelo nome de seu poder e pelo
nome do seu abzu? ” Imediatamente, quando as palavras ainda 122–135.Sagrada Inana falou para o ministro Isimud: “Como o

estavam na boca de Inana, os cinquenta gigantes apropriaram- meu pai poderia ter mudado o que ele me disse: Como ele

se do barco dos Céus. Sagrada Inana dirigiu a palavra a poderia ter alterado a sua promessa, estou muito frustrada ao

Ninšubur seu ministro: “Vem, meu bom ministro E-ana, Meu saber que as palavras de Enki não possuem mais autoridade.

emissário de palavras de confiança, a água nunca tocará sua Era mentira o que ele me disse? Ele falou falsamente comigo?

mão, a água nunca tocará seus pés!!” Será que ele jurou falsamente pelo nome de seu poder e pelo
nome do seu abzu? ” Imediatamente, quando as palavras ainda
68–75.Então Inana pegou de novo o poder divino, que havia estavam na boca de Inana, Todos os peixes gigantes
sido apresentado a ela, e o Barco do Céu e, então, mais uma vez, apropriaram-se do barco dos Céus. Sagrada Inana dirigiu a
o príncipe falou a seu ministro Isimud, Enki dirigiu-se ao Doce palavra a Ninšubur seu ministro: “Vem, meu bom ministro E-
Nome do Céu: “Isimud, o meu ministro, meu Doce Nome do ana, Meu emissário de palavras de confiança, a água nunca
Céu! ” “Enki, meu senhor, estou ao seu serviço! Qual é o seu tocará sua mão, a água nunca tocará seus pés!!”
desejo?” ” A que altura está o Barco do Céu neste momento?”
“Ele está chegando neste momento ao morro UL.MA”. “Vá 136–143.Então Inana pegou de novo o poder divino, que havia
agora! Os cinquenta Lahama das águas sido apresentado a ela, e o Barco do Céu e, então, mais uma vez,
subterrâneas deverão tomar dela o Barco do Céu!” o príncipe falou a seu ministro Isimud, Enki dirigiu–se ao Doce
Nome do Céu: “Isimud, meu ministro, meu Doce Nome do Céu!
76–87.O ministro Isimud falou à Sagrada Inana!. “Minha ” “Enki, meu senhor, estou ao seu serviço! Qual é o seu desejo?”
senhora Seu pai me mandou para você Inana, seu pai enviou-me ” A que altura está o Barco do Céu neste momento?” “Ele está
a você. O que seu pai disse é muito sério. O que Enki falou é chegando neste momento ao (…)” “Vá agora! (…), Os guardiões
muito sério, as palavras de seu pai são ordens elas não podem de Unug deverão tomar dela o Barco do Céu!”!”
ser desobedecidas.” “Sagrada Inana respondeu-lhe: “O que meu
pai lhe disse? Que são estas ordens que não podem ser 144–155.O ministro Isimud falou à Sagrada Inana!. “Minha
desobedecidas?” “Meu mestre falou para mim, Enki disse- senhora Seu pai me mandou para você Inana, seu pai enviou-me
me:“Inana poderá viajar para Unug, mas você deverá tirar dela o a você. O que seu pai disse é muito sério. O que Enki falou é
Barco do Céu e trazê-lo para mim em Eridug”. muito sério, as palavras de seu pai são ordens elas não podem
ser desobedecidas.” “Sagrada Inana respondeu-lhe: “O que meu
88–101.Sagrada Inana falou para o ministro Isimud: “Como o pai lhe disse? Que são estas ordens que não podem ser
meu pai poderia ter mudado o que ele me disse: Como ele desobedecidas?” “Meu mestre falou para mim, Enki disse-
poderia ter alterado a sua promessa, estou muito frustrada ao me:“Inana poderá viajar para Unug, mas você deverá tirar dela o
saber que as palavras de Enki não possuem mais autoridade. Barco do Céu e trazê-lo para mim em Eridug”.
Era mentira o que ele me disse? Ele falou falsamente comigo?
Será que ele jurou falsamente pelo nome de seu poder e pelo 156–169.Sagrada Inana falou para o ministro Isimud: “Como o
nome do seu abzu? ” Imediatamente, quando as palavras ainda meu pai poderia ter mudado o que ele me disse: Como ele
estavam na boca de Inana, Os cinquenta Lahama das águas poderia ter alterado a sua promessa, estou muito frustrada ao
subterrâneas apropriaram-se do barco dos Céus. Sagrada Inana saber que as palavras de Enki não possuem mais autoridade.
Era mentira o que ele me disse? Ele falou falsamente comigo?
Será que ele jurou falsamente pelo nome de seu poder e pelo
nome do seu abzu? ” Imediatamente, quando as palavras ainda
estavam na boca de Inana, Os guardiões de Unug apropriaram- 1 linha Fragmentada
se do barco dos Céus. Sagrada Inana dirigiu a palavra a 1 linha em falta
Ninšubur seu ministro: “Vem, meu bom ministro E-ana, Meu 3 linhas fragmentadas
emissário de palavras de confiança, a água nunca tocará sua
mão, a água nunca tocará seus pés!!” “(…) Festa no Barco dos Céus. Ele deve recitar grandes orações.
O rei deve abater touros, deve sacrificar carneiros. Ele deve
170–178.Então Inana pegou de novo o poder divino, que havia derramar cerveja nas taças. Ele terá de tocar os tambores šem e
sido apresentado a ela, e o Barco do Céu e, então, mais uma vez, ala, e fazer soar os instrumentos tigi. Terras estrangeiras devem
o príncipe falou a seu ministro Isimud, Enki dirigiu–se ao Doce declarar a minha grandeza. Meu povo deve proferir o meu
Nome do Céu: “Isimud, meu ministro, meu Doce Nome do Céu! louvor. ”
” “Enki, meu senhor, estou ao seu serviço! Qual é o seu desejo?”
” A que altura está o Barco do Céu neste momento?” “Ele 249–256. Quando ela tinha (…) o Barco do Céu no Portal da
alcançou o canal Surungal (…) ” “Vá agora! O canal Surungal Alegria em Unug Kulaba, passou magnificamente ao longo da
(…) deverá tirar dela o Barco do Céu! (…) Para a Sagrada Inana”. estrada. Ela chegou à casa da donzela, e ela (…) o seu lugar (…)
O bom purificado, seu principal bem. Inana (…) os poderes
179–190.O ministro Isimud falou à Sagrada Inana!. “Minha divinos que tinham sido apresentados à ela, e o Barco do Céu,
senhora Seu pai me mandou para você Inana, seu pai enviou-me no Portal Gipar. Na Câmara Agrun (…) Sagrada Inana (…)o
a você. O que seu pai disse é muito sério. O que Enki falou é Barco do Céu (…)
muito sério, as palavras de seu pai são ordens elas não podem
ser desobedecidas.” “Sagrada Inana respondeu-lhe: “O que meu 257–266. O príncipe se dirigiu a seu ministro Isimud, Enki

pai lhe disse? Que são estas ordens que não podem ser falou ao Doce Nome do Céu: “Isimud, meu ministro, meu doce

desobedecidas?” “Meu mestre falou para mim, Enki disse- nome do céu!” “Enki, meu senhor, estou ao seu serviço! Qual é o

me:“Inana poderá viajar para Unug, mas você deverá tirar dela o seu desejo?” “Onde está o Barco do Céu neste momento?” “Ele

Barco do Céu e trazê-lo para mim em Eridug”. acabou de chegar no Cais Branco”. “Vá agora (…) adoração. (…)
Adorando o Barco dos Céus. Sagrada Inana (…) Admiração (…)”

191–205.Sagrada Inana falou para o ministro Isimud: “Como o


aprox. 3 linhas em falta
meu pai poderia ter mudado o que ele me disse: Como ele
poderia ter alterado a sua promessa, estou muito frustrada ao Segmento I (Muito Fragmentado)
saber que as palavras de Enki não possuem mais autoridade.
Era mentira o que ele me disse? Ele falou falsamente comigo? FONTE: http:// etcsl .orinst .ox.ac.uk/
Será que ele jurou falsamente pelo nome de seu poder e pelo
nome do seu abzu? ” Imediatamente, quando as palavras ainda Resumo do desfecho:
estavam na boca de Inana, Os guardiões de Unug apropriaram- A Sagrada Inana é reverênciada em Unug por ter trazido
se do barco dos Céus. Sagrada Inana dirigiu a palavra a consigo os ME ( Poderes divinos; uma espécie de manual com
Ninšubur seu ministro: “Vem, meu bom ministro E-ana, Meu instruções para a criação de uma grande civilização). Devido à
emissário de palavras de confiança, a água nunca tocará sua fragmentação da tabuleta, fica muito difícil entender o que
mão, a água nunca tocará seus pés!!” acontece depois .Do pouco que restou do texto podemos
concluir que Enki foi pessoalmente até Unug para recuperar
206–217. Então Inana pegou de novo o poder divino, que havia seus ME, mas estando lá concordou em deixar os poderes
sido apresentado a ela, e o Barco do Céu, e então divinos nas mãos de Inana.

1 Linha fragmentada (…) Unug Unug= Uruk.


1 Linha fragmentada (…) o Barco dos Céus. Ninšubur (…) o
Barco dos Céus.Mais uma vez(…) Hino 1 — À SAGRADA SACERDOTISA DOS CÉUS
1 Linha fragmentada (..) Grande príncipe, santa (…) Sagrada
Eu digo “Ave!” à Deusa que aparece nos céus!
Inana (…) o Barco dos Céus. Sagrada Inana naquele tempo (…)
Eu digo “Ave!” à Alta Sacerdotisa dos Céus!
218–223. Seu ministro, Ninšubur, falou à Sagrada: “Minha Eu digo “Ave!” à Inana, a Grande Senhora dos Céus!
senhora, hoje você trouxe o Barco do Céu para o Portal da Tocha Sagrada! Vós encheis os céus de luz!
Alegria, para Unug Kulaba. Agora haverá júbilo em nossa Vós iluminais o dia ao alvorecer!
cidade, agora haverá júbilo em nossa cidade (…) barcaças no
Poderosa, Magnífica Deusa dentre os Anunnaki, os Grandes Deuses!
nosso rio (…) ”
Coroada com o diadema do Touro dos Céus,
224–248. Sagrada Inana respondeu-lhe: “Hoje eu trouxe o Barco Vós encheis o céu e a terra com vosso brilho!
do Céu para o Portal da Alegria, para Unug Kulaba. Ele deve
Eu digo “Ave!” à Primogênita do Deus da Lua!
passar magnificamente ao longo da estrada. O povo deve
permanecer cheio de admiração nas ruas”. Poderosa, majestosa e radiante,
Vosso brilho é o encanto do anoitecer,
1 linha fragmentada
Vosso brilho é a mágica do alvorecer!
(…) de alegria (…) Os velhos da cidade (…) conforto (…) as Vós brilhais nos céus tal qual o Sol e a Lua,
mulheres mais velhas (…) conselho (…) os jovens (…) a força Vossas maravilhas são conhecidas tanto nas Grandes Profundezas
das armas (…) as crianças (…)alegria. (…) Unug.
quanto no mais alto dos Céus, O povo da Suméria toca a harpa sagrada e címbalos perante a vós.
À grandeza da Grande Sacerdotisa dos Céus, O povo da Suméria desfila em parada diante de vós.
À vós, Inana, eu canto!
Eu digo “Ave!” à Inana, a Primogênita do Deus da Lua!
**********************************************************************
******* Os sacerdotes sagrados do amor penteiam seus cabelos diante de vós.
Eles adornam os seus pescoços com lenços coloridos.
Hino 2 — À TEMPESTADE TROVEJANTE E RUIDOSA Eles dispõem as dobras do manto dos deuses sobre seus ombros.
Os homens e mulheres justos caminham ante a vós
Orgulhosa Rainha dos Deuses da Terra, Suprema dentre os Segurando a harpa do consolo a um lado.
Deuses do Firmamento, Tempestade Trovejante e Ruidosa, vós Os que os seguem trazem o cinto para espada
derramais a chuva por toda a terra, para todos os Povos. Vós E em uma das mãos carregam uma lança.
fazeis os céus tremerem e a terra vibrar, Grande Sacerdotisa,
quem pode acalmar vosso coração atribulado? O povo da Suméria desfila em parada diante de vós.

Vós brilhais feito relâmpago sobre as terras altas; vós projetais As mulheres adornam seu lado direito com roupas masculinas.
vossas labaredas por sobre a terra.Vosso comando O povo da Suméria desfila em parada diante de vós.
ensurdecedor, assobiando como o Vento Sul, Tem o poder de
Eu digo “Ave!” à Inana, a Grande Senhora dos Céus!
separar grandes montanhas. Vós pisais sobre os desobedientes
como touro selvagem; O céu e a terra tremem na vossa Os homens adornam seu lado esquerdo com roupas femininas.
presença. Sagrada Sacerdotisa, quem pode acalmar vosso O povo da Suméria desfila em parada diante de vós.
coração assoberbado?
Eu digo “Ave!” à Inana, a Grande Senhora dos Céus!
Vosso brado amedrontador descendo dos céus devora suas
vítimas. Vossa mão quando estremece faz com que o calor do O povo compete com cordas coloridas e de salto
meio-dia paire sobre o mar. Vosso andar à noite traz frescor à O povo da Suméria desfila em parada diante de vós.
terra com a brisa da escuridão dos céus Sagrada Inana, as
Eu digo “Ave!” à Inana, a Primogênita do Deus da Lua!
margens dos rios abundam com as grandes ondas de vosso
coração… Os jovens que carregam aros cantam a vós
As jovens donzelas e sacerdotisas enfeitadas caminham diante de vós
No sétimo dia, quando a lua crescente atinge o seu brilho maior, Carregando a espada e o machado de bordas duplas.
Vós vos banhais e vos perfumais com água sagrada. Vós cobris Os sacerdotes ascendentes que celebram os ritos funerários e as
vosso corpo com as longas vestimentas de lã das rainhas. Vós lamentações erguem suas
ajustais os resultados dos combates e das batalhas para vosso espadas diante de vós.
lado; Vós os têm amarrados ao vosso cinturão, onde eles Os sacerdotes que cobrem suas espadas de sangue aspergem sangue
descansam. Em Eridu, vós recebestes as Medidas Sagradas, os E os tambores tigi e sem, e os tamborins ala* ressoam!
Me, do Deus da Sabedoria, Pai Enki presenteou-vos com os Me
em seu templo sagrado de Eridu, Colocando os dons da realeza Nos céus, a [mais] Sagrada aparece sozinha.
e da divindade em vossas mãos.
Minha Senhora contempla com doce alegria lá nos céus
Vós subis os degraus para o trono mais alto. Em toda majestade Ela se maravilha docemente e zela por todas as terras
vos sentais lá, Com vosso adorado esposo Dumuzi, ao vosso E pelo povo da Suméria, tão numeroso quanto rebanhos
lado. Os deuses da terra, querendo saber os seus destinos, vêm A vós, Inana, eu canto!
até vós. Os deuses do céu e da terra ajoelham-se ante a vós. Os
**********************************************************************
seres vivos e o povo da Suméria vêm até vós. O povo da Suméria
*****
que desfila em grande parada ante vós São agraciados pelo
HINO 4 — A SENHORA DO ENTARDECER
vosso olhar E mantidos seguros em vosso seio.

Ao final do dia, a Estrela Radiante, a Grande Luz que enche os


**********************************************************************
céus,
**********
A Senhora do Entardecer aparece no firmamento.
HINO 3 — SAGRADA INANA
Os povos de todas as terras erguem os olhos para ela.
O povo da Suméria desfila em parada diante de vós Os homens lavam; as mulheres se banham.
Eles tocam os doces tambores ala perante a vós Os rebanhos de gado nos campos fazem uma reverência à Inana,
O povo da Suméria desfila em parada diante de vós. Os rebanhos de ovelhas sacodem a poeira e se perfilam,
Todos os seres vivos da estepe,
Eu digo “Ave!” à Inana, a Grande Senhora dos Céus! As criaturas de quatro pernas das altas estepes,
Os jardins viçosos e os pomares, os juncos verdes e as árvores,
O povo da Suméria toca o tambor sagrado e címbalos perante a vós. Os peixes das profundezas e os pássaros do céu -
O povo da Suméria desfila em parada diante de vós. Minha Senhora a todos acorda, fazendo espantar todo sono de
todos os lugares.
Eu digo “Ave!” à Inana, a Grande Senhora dos Céus!
Todas os seres vivos e os povos da Suméria ajoelham-se diante dela. Os deuses e o povo da Suméria vão até ela com alimentos e bebidas
Aqueles escolhidos pelas velhas senhoras preparam grandes pratos de Eles alimentam Inana no local puro e limpo.
alimentos e bebidas Para ela.
A Senhora se regozija [com o amor de todos] da terra. Minha Senhora contempla com doce alegria lá nos céus
Reina grande alegria na Suméria. O povo da Suméria desfila ante à Sagrada Inana.
Os jovens fazem amor com suas amadas. A deusa que ascende aos Céus, Inana, está radiante.
A vós, Inana, eu canto
Minha Senhora contempla com doce alegria lá nos céus A Senhora que Ascende aos Céus brilha radiante na linha do
O povo da Suméria desfila ante à Sagrada Inana. horizonte!
Inana, a Senhora do Entardecer, está radiante.
A vós,[mais] Sagrada Inana, eu canto **********************************************************************
A Senhora do Entardecer brilha radiante na linha do horizonte! **********

********************************************************************** Hino 7 — A ALEGRIA DOS SUMÉRIOS

***********
O Rito do Casamento Sagrado
HINO 5 — SENHORA DA MANHÃ
O povo da Suméria se reúné no palácio
Conselheira [mais] Honrada, Ornamento dos Céus, Jóia de Añu! A casa que guia a terra.
Quando doces sonhos terminaram nos quartos [desta terra], O rei faz um trono para a rainha do palácio
Vós apareceis como brilhante luz do dia! E senta-se ao lado dela no trono.
Quando todas as terras e os povos da Suméria se reúnem,
A fim de zelar pela vida de todas as terras,
Aqueles que dormem nos tetos e aqueles que dormem junto às
O primeiro dia exato do mês é examinado com atenção,
muralhas,
E no dia em que a lua desaparece,
Quando eles cantam vosso nome, trazendo a vós suas
No dia em que a lua está adormecida,
atribulações,
As Medidas do Céu e da Terra são executadas com perfeição
Vós estudais as palavras de todos que vos procuram.
Para que o Primeiro Dia do Ano, o dia dos ritos possa ser determinado
Vós julgais severamente aqueles que fazem o mal, de forma adequada,E um local para dormir seja erguido para Inana
Vós destruís aqueles que são cruéis.
As pessoas limpam os galhos com óleo de cedro perfumado
Vós olhais com brandura os que trilham o caminho da justiça,
Elas arrumam os galhos para o leito sagrado
A estes, vós concedeis vossas bênçãos.
Elas estendem o lençol da noiva sobre o leito.
Minha Senhora contempla com doce alegria lá nos céus O lençol de noiva que alegra o coração,
O povo da Suméria desfila ante à Sagrada Inana. O lençol de noiva que adoça as coxas,
Inana, a deusa das Manhãs, está radiante. O lençol de noiva para Inana e Dumuzi.
A vós,Sagrada Inana, eu canto
A rainha banha suas coxas sagradas,
A Senhora da Manhã brilha radiante na linha do horizonte!
Inana se banha para as coxas sagradas de Dumuzi,
********************************************************************** Ela se banha com sabonete,
********** Ela espalha óleo de cedro perfumado no chão.
HINO 6 — A SENHORA QUE SOBE AOS CÉUS
O rei apresenta-se de cabeça erguida às coxas sagradas,

Minha Senhora, a Maravilha da Terra, a Estrela Solitária, Dumuzi apresenta-se de cabeça erguida para as coxas sagradas de

A [mais] Brava que aparece primeiro nos céus - Inana.

Toda terra treme diante dela. Ele se deita ao lado dela no leito.
Com ternura, ele a acaricia, murmurando palavras de amor:
Nos locais sagrados das estepes Ah, minha jóia sagrada! Ah, minha maravilhosa Inana!
Nos tetos altos de todas as moradias
Nas plataformas das cidades Depois de haver penetrado a vulva sagrada, trazendo alegria à rainha,
As pessoas trazem oferendas a Inana: Depois de haver penetrado a vulva sagrada, trazendo alegria à Inana,
Incenso, ovelhas gordas, ovelhas de pêlo longo, Inana traz o rei para mais perto dela e murmura:
Manteiga, queijo, tâmaras, frutos de todos os tipos. Dumuzi, és realmente o meu amor!

Todos purificam a terra para Minha Senhora, O rei pede às pessoas que entrem no grande átrio.
Todos festejam-na em canção. As pessoas trazem alimentos e baixelas.
Todos enchem a mesa da terra com os primeiros frutos. Elas trazem resina de junípero, fazem rituais de purificação
Todos oferecem cerveja preta para ela, E queimam incensos de doces perfumes.
Todos oferecem cerveja clara para ela,
O rei abraça sua adorada noiva,
Todos os tipos de cerveja são oferecidos para Minha Senhora.
Dumuzi abraça Inana.
Os barris de tagub e de lamsari borbulham alegremente para ela.
Inana, sentada no trono real, brilha como a luz do dia.
Farinha, farinha no mel, cerveja ao alvorecer.
O rei, tal qual o sol, brilha radiante ao lado dela.
Vinho e mel são ofertados à Minha Senhora ao sol nascer
Ele dispõem os símbolos da abundância, viço e exuberância diante de 26–33. Martu foi para casa da sua mãe, e falou-lhe: “Na minha
Inana. cidade eu estou entre os meus amigos e todos eles já estão
Ele reúné o povo da Suméria. casados com mulheres, eu estou lá entre os meus
companheiros, e todos eles têm esposas .Ao contrário dos meus
Os músicos tocam para a rainha: amigos na minha cidade, eu estou solteiro, estou solteiro e não
Eles tocam os instrumentos de som alto que apagam o rugir tenho filhos mas meu imposto é superior ao dos meus
das tempestades do Sul, amigos(..)
Eles tocam os doces intrumentos algar, ornamento do palácio.
Eles tocam os instrumentos de corda que trazem alegria a todas as 34–40. Um dia, quando a noite chegou, e povo foi novamente ao
pessoas, local de rações, eles estabeleceram as rações diante do deus (.
Eles tocam canções para alegrar o coração de Inana. ….) A ração de um homem casado foi dada como dupla, a ração
de um homem com uma criança foi estabelecida como tripla, a
O rei estende sua mão para os alimentos e bebidas, ração de um homem solteiro foi estabelecida como única, mas a
Dumuzi estende sua mão para os alimentos e bebidas. ração de Martu, apesar de ser solteiro, foi estabelecida como de
O palácio está em festa. O rei está feliz. casal.
No local puro e limpo, todos cantam Inana em canções,
Ela é o ornamento da assembléia, a alegria da Suméria! 41–52. Martu foi para casa da sua mãe, e falou-lhe: “Minha mãe,
me arruma uma mulher para casar e vos levarei a minha ração.”
O povo passa o dia na abundância. Sua mãe respondeu-lhe: “Su-?enuna, meu filho, vou lhe dar
O rei desfila ante a assembléia em grande alegria. conselhos, possa ouvir o meu conselho, direi uma palavra a
Ele saúda Inana com as graças dos deuses e da assembléia: você, você deve prestar atenção. Case-se com uma mulher de sua
Sacerdotisa Sagrada! Criada com os céus e a terra, escolha, case-se com uma mulher do desejo do seu coração, dá-
Inana, a Primogênita do Deus da Lua, a Senhora do Entardecer! me, portanto, a companhia dela (..) dê-me uma criada. Tendo
A vós eu canto! construído as casas de (?) para o seu povo que vive ao redor da
cidade, e (..) jardins, você vai cavar os poços de (?) sua
Minha Senhora contempla com doce alegria lá nos céus
companheira (..) ”
O povo da Suméria desfila ante à Sagrada Sacerdotisa, Adorada
Inana. 53–66. Naquele tempo um festival foi anunciado na cidade, um
A deusa que ascende aos Céus, Inana, está radiante. festival foi anunciado na cidade de Inab. (Martu disse:)
Poderosa, majestosa, radiante e sempre jovem, “Venham, amigos, vamos, vamos lá, vamos visitar as cervejarias
A vós, Inana, eu canto! de Inab, vamos lá.” O Deus Numušda participou da festa; sua
amada filha Adgar–kidug participou do festival, Namrat sua
**********************************************************************
esposa, a bela mulher participou do festival. Na cidade, os
*
tambores šem de bronze, e os sete tambores ala ressoaram
Fonte: http:// www.sigghil .com
como homens fortes, campeões anelados entraram na casa

1–8. Quando a cidade de Inab já existia, mas a cidade de Kiritab lutando para competir uns com os outros em honra a Numušda

ainda não existia, quando a coroa sagrada já existia, mas a tiara no templo de Inab. Havia muitos chegando a Inab, a cidade onde

sagrada ainda não existia, quando a erva santa já existia, mas o o festival estava acontecendo, e todos se maravilhavam com

cedro santo ainda não existia, quando o sal santo já existia, mas isso.

o santo sal alcalino ainda não existia, quando o ato de beijar já


67–75. Em honra a Numušda, porque ele era santo (?), Martu
existia, quando o parto nos campos já existia — eu era o avô do
também caminhou em torno do grande ringue de lutas para
santo cedro, eu era o ancestral da árvore meš, eu era a mãe e o
competir no portal de Inab. Eles continuaram procurando
pai do cedro branco, eu era a vida do cedro ?ašur.
lutadores fortes para ele, eles continuaram oferecendo-lhe

15/ 09. Naquela época havia uma terra principesca entre as lutadores fortes. Martu caminhou em torno do grande ringue.

cidades; Inab era esta terra principesca entre as cidades. O Ele bateu-lhes com uma destrutiva (..) um por um. No grande

governador de Inab foi Tigi-sem-ala. Ele tinha uma esposa cujo ringue, na batalha, ele quebrou os ossos de vários oponentes,

nome era gur Sage, e uma criança, que (… …) e seu nome era (… . no grande ringue de Inab ele levantou os corpos dos mortos.

…)
76–83 Encantado com Martu, Numušda ofereceu-lhe a prata,
16–25. As pessoas que vivem ao redor da cidade lançaram redes, mas ele não quis aceitá-la. Ele ofereceu jóias, mas ele não quis
as pessoas que vivem em torno de Inab lançaram redes, aceitá-las. Tendo feito isso uma segunda vez, depois de ter feito
perseguiram as gazelas e mataram as gazelas como mata-se uma terceira vez (Martu diz): ” O que farei com sua prata? O
seres humanos. Um dia, quando a noite chegou, e eles tinham que farei com suas valiosas jóias? Eu, Martu, prefiro me casar
chegado ao local de rações,eles estabeleceram o sistema de com a sua filha, eu prefiro casar com a sua filha Adgar-kidug”.
rações diante do deus (… …) A ração de um homem casado foi
8 linhas perdidas
dada como dupla, a ração de um homem com uma criança foi
estabelecida como tripla, a ração de um homem solteiro foi 91–97. (Numušda diz:)” Você (..) a mulher e bezerros como um
estabelecida como única, mas a ração de Martu, apesar de ser presente de casamento. Vacas leiteiras devem alimentar os
solteiro, também foi estabelecida como dupla. bezerros. No estábulo do touro para reprodução devem deitar-
se (..) as vacas devem viver no (..) e os animais devem
permanecer nos seus devidos lugares. Você deve dar a sua Que iremos mudar?
palavra e, assim, somente assim, eu lhe darei a minha filha Que iremos criar?
Adgar kidug “. ó Annunnaki, grandes deuses,
Que iremos mudar?
98–104. ” Você (..) a mulher com bezerros como um presente de Que iremos criar?“
casamento. Vacas leiteiras devem alimentar os bezerros. No Ó grandes deuses, altíssimos,
estábulo do touro para reprodução devem deitar-se (..) as vacas Ó Anunnaki, que determinam os destinos.
devem viver no (..) e os animais devem permanecer nos seus Os dois responderam a Enlil;
devidos lugares. Você deve dar a sua palavra e, assim, somente “na terra onde cresce a carne,o vínculo de céu e terra,
assim, eu lhe darei a minha filha Adgar kidug “. Lamga, Lamga, nós derrotaremos;
De seu sangue faremos a humanidade,
105–111. ” Você (..) a mulher e filhos como um presente de
Deixe as características dos Anunakis existirem neles;
casamento. O leite deve alimentar as crianças. Na tenda deve
Para futuro dias os limites
deitar-se. As cabras e cabritos devem viver no (..) e as crianças
Sejam estabelecidos;
devem ficar (..) É preciso dar a sua palavra e, assim, somente
O unir e o elevar em suas mãos
assim, eu lhe darei a minha filha Adgar kidug “.
Estejam,
112–114. Ele (..) grande. Ele gritou como (..) No cais de Inab ele
… .… O tempo dos grandes deuses
Em local elevado coloquem,
115–125. Ele presenteou os anciãos de Inab com anéis de ouro. As pastagens delimitem,
Ele presenteou as mulheres mais velhas de Inab com colares de Para sempre seus limites
ouro (…) Ele presenteou os homens e mulheres de Inab com Estabeleçam,
ouro (…) Ele presenteou os escravos de Inab com (..) e os Os retos canais
presenteou também com tecidos coloridos (..) Ele presenteou Uma fronteira estabeleçam,
as escravas de Inab com jarras de prata. A terra aguem, os vegetais
Cultivem,
126–141. Os dias tinham se multiplicado, nenhuma decisão A chuva do céu, a chuva do céu.…
havia sido tomada. (Uma amiga de Adgar– kidug diz à ela): A ravina das terras delimitem,
“Agora escute, suas mãos são destrutivas e suas características Os armazéns dos distritos meçam,
são as de macacos, ele come o que Nanna proíbe e não mostra Façam os campos dos Anunnaki produzir,
reverência. Ele nunca para de perambular (..) Ele é abominação Para aumentar a abundãncia da terra,
para a moradia dos deuses. Suas idéias são confusas; Ele causa Para manter as festas dos deuses,
incômodo.Ele usa sacos de couro como vestimenta (…) vive em Água fria para resfriar
uma barraca, fica exposto ao vento e à chuva, e não sabe recitar Nos domicílios dos deuses que estãm no alto.
orações corretamente. Ele vive nas montanhas e ignora os Ullugarra e Nigarra
lugares dos deuses, escava trufas no sopé, não sabe como Sejam chamados,
dobrar o joelho, e come carne crua. Ele não tem casa, e quando Vaca, carneiro, gado, peixe, e pássaro,
ele morrer não será levado para um local de sepultamento. A abundância da Terra aumentem,
Minha amiga, por que você iria se casar com Martu? “. Adgar- O senhor da alegria e a senhora da alegria
kidug responde sua amiga: ” Vou casar com Martu!”. Com seu mês sagrado supliquem.
O Aruru, que foi criado depressa no alto para a (..) da senhora,
142. Inab — ulum, alam!
Grandes estruturas eles construam por si mesmos,

FONTE: http:// etcsl .orinst .ox.ac.uk/ Sábios homens para os povos, heróis para os fracos,
Como o grão espalhando-se sobre a terra, por si mesmos, eles
Quando ambos céu e terra tinham sido completamente sejam–
estabelecidos; Um destino intocável como uma Estrela para sempre .
Quando a mãe das deusas havia nascido; Noite e dia
Quando a terra tinha sido fortalecida, a terra cirada, Festejem os deuses,
Quando os domos de céu e terra tinham sido estabelecidos, Apontem os grandes festivais por si mesmos
Retos canais tinham sido construídos; Celebrem.“
Añu, Enlil,
As margens do Tigris e Euphrates tinham sido estabelecidas; Ea, Ninmakhu
Os grandes deuses,
Añu, Enlil, Shamash, Ea,
O lugar criado para a humanidade.
Os grandes deuses,
A deusa Nishaba no lugar da humanidade foi estabelecida.
Os Anunnaki, os grandes deuses,
Poderes e coisas secretas
Altos santuários habitados como criadores.
Como escrever, ensine.
Em ansiedade as senhoras pediram:
“Uma vez que cúpulas de céu e terra foram estabelecidos, Fonte: http:// www.sigghil .com/
Retos canais foram construídos,
O Tigris e Euphrates–
Suas margens foram estabelecidas,
Resumo: Adapa, ou talvez Adamu, filho de Ea, havia recebido de Ele vestiu-o e deu-lhe conselhos
seu pai, o deus Ea, sabedoria, mas não a vida eterna. Ele era um Dizendo: “Adapa, tu irá diante do Rei Añu
ser semi-divino e foi um homem sábio e sacerdote do templo de (…) para o céu
Ea em Eridu, onde ele praticava o ritual do pão e da água. No Quando ires para cima, e quando tu se aproximar da porta de
exercício deste direito ele liderava a pesca no Golfo Pérsico. Añu,
Certa vez, Adapa foi para mais um dia de pesca em águas Na porta de Añu, Tamuz e Gishzida estarão te esperando,
tranqüilas, mas o vento sul subiu de repente e virou seu barco, “Eles vão te ver, eles vão perguntar-te;” Senhor “,
de modo que ele foi atirado ao mar. Irritado com o acidente, ele Para que razão tu aparecestes assim, Adapa? Por que
quebrou as asas do vento sul, para que por sete dias ele não vestes uma roupa de luto?
pudesse soprar frescor do mar sobre a terra quente. Añu “Em nosso país, dois deuses desapareceram, por isso
chamou Adapa para dar conta deste crime, e seu pai Ea o avisa Estou assim. ” “Quem são os dois deuses, que na terra
sobre o que deve acontecer a ele. Ele diz-lhe como enganar Desapareceram? ” “Tamuz e Gishzida”.
Tamuz e Gishzida, que irão a seu encontro na porta do céu. Ea Eles vão olhar um ao outro e ficarão admirados. Boas palavras.
avisa-lhe para não comer ou beber qualquer coisa no Eles vão falar com Añu. Farão com que o rosto
céu,temendo que o alimento e bebida envenenadas serão benigno de Añu seja mostrado. Quando estiveres diante de Añu
servidas ao seu filho. No entanto, alimento e bebida da vida O alimento da morte será servido diante de ti,
eterna são oferecidas para Adapa e sua cautela o priva da Não coma. Água da morte será servida diante de ti,
imortalidade.Após a recusa, ele recebe ordens para voltar à Não beba. O vestuário que irão apresentar diante de ti,
Terra. Coloque-o. O óleo que irão oferecer-lhe, unge-te.
O conselho que tenho dado a ti, não te esqueças. As palavras
TABULETA 1 Que eu falei,guarde-as.

Ele possuía inteligência… “A mensagem De Añu veio: “Adapa quebrou


Seu comando era como o comando de Añu … A asa do vento sul. Traga-o diante de mim. “
Ele (Ea) concedeu-lhe uma orelha grande para revelar o destino A estrada para o céu o fez tomar, e ele subiu ao céu.
da terra, Quando ele veio para o Céu, quando ele se aproximou da porta
Ele concedeu-lhe sabedoria, mas não lhe concedeu a vida eterna. de Añu,
Naqueles dias, naqueles anos, o homem sábio de Eridu, Na porta de Añu, Tamuz e Gisbzida estão em pé.
Ea, tinha criado Adapa como chefe entre os homens, Quando viram Adapa, eles gritaram:
Um homem sábio, cujo comando ninguém deveria opor-se, “Senhor, para quem tu vais aparecer?
O prudente, EA era o mais sábio entre os Anunnaki, Adapa, para quem tu vens vestido com uma roupa de luto?
Adapa era irrepreensível, de mãos limpas, ungido, “No meu país, dois deuses desapareceram, por isso eu estou
observador dos estatutos divinos, com
Com os padeiros ele fez pão Roupa de luto”. ” Quem são os dois deuses que
Com os padeiros de Eridu, ele fez o pão, desapareceram da terra? “Tamuz e Gishzida”.
O alimento e a água de Eridu ele produzia diariamente, Eles se entreolharam e Ficaram atônitos.
Com as mãos limpas, preparou a mesa, Quando Adapa diante de Añu, o rei, Aproximou-se, Añu gritou:
E sem ele a mesa não ficava pronta. “Vem cá, Adapa. Porque tu quebraste as asas
O navio dirigiu, pesca e caça para Eridu ele trouxe. Do vento sul? “Adapa respondeu:” Meu senhor,
Então Adapa de Eridu (..) Para a casa de meu senhor, no meio do mar,
Em cima da barragem pura, a barragem de lua nova, Eu estava a captura de peixe. O mar estava como um espelho,
ele embarcou no navio, O vento sul soprou, e virou-me.
O vento soprou e seu navio partiu, com o remo, Para a casa de meu senhor, fui conduzido.
e dirigiu o navio sobre o vasto mar… Na raiva do meu coração, Tomei cuidado”.

TABULETA 2 Tamuz e Gishzida Respondem: (…) “Tu és”. Para Añu


O vento sul (…) quando Eles falam. Acalmou-se, seu coração foi (…)
Ele tinha me levado para a casa de meu senhor, eu disse: “Por que é que EA, a um indigno humano
O vento sul, no caminho eu te (…) tudo o que, Revelou o coração do céu e da terra,tornando-o
as tuas asas, eu vou quebrar. “Como pronunciado pela sua boca, distinto e fez-lhe um SHEM ?
A asa do vento sul foi quebrada, por sete dias O que podemos fazer com ele? Alimento da vida,
O vento sul não soprou sobre a terra. Traga-o, que este homem, coma. “Alimento da vida
Añu Chamou o seu mensageiro Ilabrat: Trouxeram-lhe, mas ele não comeu. Água da vida
Por que o vento sul não tem soprado sobre a terra por sete Trouxeram-lhe, mas ele não bebeu. Vestuário
dias? Trouxeram-lhe. Ele vestiu-se. Óleo
Seu mensageiro Ilabrat respondeu-lhe: “Meu senhor, Trouxeram-lhe. Ele ungiu-se.
Adapa, o filho de Ea, a asa do vento Sul ele quebrou “. Añu olhou para ele, e maravilhou-se dele.
Quando Añu ouviu estas palavras “Come, Adapa, por que tu não comeu, nem bebeu?
Ele gritou por ajuda! “Ele subiu no seu trono, Agora tu não viverás. “(…) Os homens (…) Ea, meu senhor
“Que Adapa seja trazido aqui”, Disse: “Não comereis, nem bebereis.“
Ea o sábio, que conhece o céu, foi ter com Adapa Levá-lo e trazê-lo de volta à sua terra.
(…) ele o fez vestir. Com uma vestimenta de luto (…) olhou para ele.
FONTE: http:// etcsl .orinst .ox.ac.uk/ realmente a ter relações com ela, ele estava realmente a beijá-la!
— Pai Enlil, flutuando a jusante … … — ele estava realmente a
NOTA: O texto deixa claro que Adapa recebeu de EA ter relações com ela, ele estava realmente a beijá-la! — Ele
conhecimento divino com o qual ele pôde ” Quebrar a asa do agarrou-a — ele estava realmente a ter relações com ela, ele
Vento Sul”. Añu ficou furioso ao descobrir que EA tinha estava realmente a beijá-la! — De forma a se deitar com ela
revelado “O coração do céu e da Terra” a um indigno humano, sobre um pequeno banco … .… Ele realmente teve relações
tornando-o distinto entre os demais homens. O Rei Añu queria sexuais com ela, na verdade ele a beijou. Nessa relação, neste
conhecer o homem que possuía conhecimento divino e exigiu a beijo, ele derramou uma semente de Suen-Ašimbabbar em seu
presença de Adapa no Céu. Enki pensou que estivessem ventre.
armando matar seu filho e recomendou a Adapa que não
comesse nada que lhe oferecessem no Céu. Entretanto, Añu 54–64. Enlil estava andando no Ki-ur. Enlil estava indo sobre no
desejava dar vida eterna para Adapa, uma vez que Adapa era Ki-ur, os cinqüenta grandes deuses e os sete deuses que
sábio e possuía poderes divinos, deveria viver como um deus e decidem os destinos mantinham Enlil preso no Ki-ur. Enlil,
não com a humanidade. Seguindo o conselho de seu pai, Adapa ritualmente impuro, deixou a cidade. Nunamnir, ritualmente
perde a oportunidade de ganhar a vida eterna, entretanto, volta impuro, deixou a cidade. Enlil, em conformidade com o que
para Eridu como sumo sacerdote e detentor dos conhecimentos havia sido decidido “Enlil, ritualmente impuro, deixou a cidade
ocultos. Nunamnir, ritualmente impuro, deixou a cidade!” Nunamnir, em
conformidade com o que havia sido decidido, Enlil partiu. Ninlil
1–12. Havia uma cidade, havia uma cidade — a única em que foi atrás dele. Nunamnir passou, a donzela perseguiu.
vivemos. Nippur era a cidade, a única em que vivemos. Dur-
gišnimbar era a cidade– a única em que vivemos.ID-Sala é o seu 65–90. Enlil falou com o homem na porta da cidade: “Guardião
rio sagrado, Kar –geština é o seu cais. Kar-Asar é o seu cais da Cidade, Guardião da barreira,Porteiro!”. Guardião da sagrada
onde os barcos atracam rápido. Pu-lal é a sua água potável. Id- barreira!”.Quando a senhora Ninlil vier, se ela perguntar de
tum-nunbir é o seu canal de ramificação, e se mede a partir daí, mim, não diga a ela onde eu estou!!”. Ninlil dirigiu-se ao
sua área cultivada é de 50 sar em cada sentido. Enlil era um de guardião da cidade: “Guardião da Cidade, Guardião da
seus jovens, e Ninlil foi uma de suas jovens. Nun-bar-še günü barreira,Porteiro!”. Guardião da sagrada barreira!”. O senhor
foi uma de suas sábias velhas. Enlil passou por aqui!!?” Ela falou com ele; Enlil respondeu
como o guardião da cidade: “Meu senhor não tem falado
13–21. Naquela época a jovem foi aconselhada por sua própria comigo,ó mais linda Enlil não falou comigo, ó mais
mãe, Ninlil foi aconselhada por Nun-günü še-bar: “O rio é santo, bela..”…“Vou deixar bem claro o meu objetivo e explicar a minha
mulher! O rio é sagrado — não se banhe nele!Ninlil não ande ao intenção. Você pode encher meu ventre, uma vez que está vazio
longo da margem do Id-nunbir-tum Seus olhos são brilhantes, -. Enlil, senhor de todas as terras, fez sexo comigo. Assim como
os olhos do Senhor são brilhantes, ele vai olhar pra você! A Enlil é seu senhor, eu também sou sua mulher! ” “Se você é
Grande Montanha, Pai Enlil — Seu olho é claro, ele vai olhar pra minha senhora, deixe minha mão tocar sua (..)!” “A semente do
você! O pastor que decide todos os destinos! — seu olho é seu senhor, a semente brilhante, está no meu ventre. A semente
claro, ele vai olhar para você! logo de cara ele vai querer ter de Suen, a semente brilhante, está no meu ventre.”.. ” A Semente
relações sexuais, ele vai querer beija-la! Ele terá o prazer de do meu mestre pode ir até aos céus! Deixe eu derramar a minha
derramar sémen sensual em seu útero, e então ele vai te deixar! semente!”. Enlil, como o guardião da cidade, fez a moça deitar-
” se na câmara. Ele teve relações sexuais com ela lá, ele beijou-a
lá. Nessa relação, neste beijo, ele derramou uma semente de
22–34. Ela aconselhou-a em seu coração, ela deu a sabedoria
Nergal-ea-Mešlamta em seu ventre.
para ela. O rio é santo, a mulher tomou banho no rio sagrado.
Então Ninlil caminhou ao longo da margem do Id-nunbir-tum, 91–116. Enlil passou. Ninlil foi em seguida. Nunamnir passou, a
seu olho era brilhante, os olhos do Senhor eram brilhantes, ele donzela perseguiu. Enlil se aproximou do homem do Id kura
olhou para ela. A Grande Montanha, Pai Enlil — seu olho era (rio do submundo), o rio devorador de homens. “Meu homem do
brilhante, ele olhou para ela. O pastor que decide todos os Id kura, o rio antropófago! Quando sua senhora Ninlil vir, se ela
destinos — os olhos eram brilhantes, ele olhou para ela. O rei perguntar de mim, não diga a ela onde eu estou!” Ninlil se
disse-lhe: “Eu quero ter sexo com você!”. Enlil disse a ela: “Eu aproximou do homem do Id kura, o rio devorador de homens.
quero te beijar”.Mas ele não conseguia convence-la “Minha “Meu homem do Id kura, ó rio antropófago! Seu senhor Enlil
vagina é pequena, ela não sabe da gravidez. Meus lábios são passou por aqui?”, Disse ela para ele. Enlil respondeu como o
jovens, eles não sabem beijar. Se minha mãe descobre, ela vai me homem do Id kura: “Meu senhor não tem falado comigo, ó mais
bater! Se meu pai descobre, ele vai colocar as mãos sobre mim! linda.Enlil não falou comigo, ó mais bela..” “Vou deixar bem
Mas agora, ninguém vai me impedir de dizer isso para minha claro o meu objetivo e explicar a minha intenção. Você pode
namorada! ” encher meu ventre, uma vez que está vazio -. Enlil, senhor de
todas as terras, fez sexo comigo. Assim como Enlil é seu senhor,
35–53. Enlil falou com seu ministro Nuska: “Nuska, meu
eu também sou sua mulher! ” “Se você é minha senhora, deixe
ministro!” “Ao seu serviço! O que você deseja?” “Construtor
minha mão tocar sua (..)!“A semente do seu senhor, a semente
mestre do E-kur!” “Ao seu serviço, meu senhor!” “Alguém já
brilhante, está no meu ventre. A semente de Suen, a semente
teve relações sexuais com ela? Alguém já beijou uma moça tão
brilhante, está no meu ventre.” ” A Semente do meu mestre
bonita, tão radiante? — Ninlil, tão bonita, tão radiante” O
pode ir até aos céus! Deixe eu derramar a minha semente!”.
ministro trouxe seu mestre através de um barco, trazendo-lhe
Enlil, como o Id kura, fez a moça deitar-se na câmara. Ele teve
mais com a corda de um barco pequeno, levando-o ao longo de
um grande barco. O senhor, flutuando a jusante (..) — ele estava
relações sexuais com ela lá, ele beijou-a lá. Nessa relação, neste Huluppu
beijo, ele derramou a semente de Ninazu, o rei que estende Foi plantada nas margens do Eufrates.
linhas de medição sobre os campos. A árvore nutria-se das águas do Eufrates.
O vento sul a embalava, e suas raízes
117–142. Enlil passou. Ninlil foi em seguida. Nunamnir passou, E galhos ramificavam-se
a donzela perseguiu. Enlil aproximou-se de SI.LU.IGI, o homem Até onde as águas do Eufrates desaguavam.
da balsa. “SI.LU.IGI, meu homem do barco! Quando a senhora Uma mulher que caminhava com temor das palavras do deus do
Ninlil vir, se ela perguntar de mim, não diga onde estou!” Ninlil céu, Ann,
aproximou-se do homem da balsa. “Ó homem do barco! Seu Com temor do deus do ar, Enlil,
senhor Enlil passou por aqui?”, Disse ela para ele. Enlil Encontrou a árvore no rio e falou:
respondeu como o homem SI.LU.IGI: “Meu senhor não tem “Eu levarei esta árvore para Uruk,
falado comigo, ó mais linda Enlil não falou comigo, ó mais Eu plantarei esta árvore no meu jardim particular”.
bela..” “Vou deixar bem claro o meu objetivo e explicar a minha Inana tomou a árvore com cuidado em suas mãos
intenção. Você pode encher meu ventre, uma vez que está vazio Ela revolveu a terra em torno da árvore com seus pés
-. Enlil, rei de todas as terras, fez sexo comigo. Assim como Ela maravilhou-se:
Enlil é seu senhor, eu também sou sua mulher! ” “Se você é “Como crescerá até que eu tenha um trono para sentar-me?
minha senhora, deixe minha mão tocar sua (..)!” “A semente do Como crescerá até que eu tenha uma cama para dormir?“
seu senhor, a semente brilhante, está no meu ventre. A semente Os anos passaram; cinco anos passaram, e então dez.
de Suen, a semente brilhante, está no meu ventre.” “A semente A árvore germinou rápido,
do meu mestre pode ir até aos céus! Enlil, como o SI.LU.IGI, fez Mas sua casca não se dividia.
a moça deitar-se na câmara. Ele teve relações sexuais com ela lá, Então a serpente que não pode se encantada
ele beijou-a lá. Nessa relação, neste beijo, ele derramou em seu Fez seu ninho nas raízes da árvore Huluppu.
ventre a semente de Enbilulu, o inspetor de canais. O pássaro Anzu fez seu ninho em seus ramos.
E a sombria Lilith fez sua casa em seu tronco.
143–154. Tu és o Senhor! Você é o rei! Enlil, Tu és o Senhor!
A jovem mulher que gostava de sorrir, chorou.
Você é o rei! Nunamnir, Tu és o Senhor! Você é o rei! É o Senhor
Como Inana chorou!
Supremo, Tu és Senhor poderoso! Senhor, que faz crescer o
(Ela não podia mais se aproximar de sua árvore)
linho, o senhor que faz crescer a cevada, você é senhor do céu,
Quando os pássaros começam a cantar, com a chegada da
senhor poderoso, senhor da terra! Você é o senhor da terra,
aurora,
Senhor da abundância, Senhor do céu! Enlil no céu, Enlil é rei!
O deus do Sol, Utu, deixou seu quarto.
Senhor cujas declarações(.…) Cujos pronunciamentos não pode
Inana chamou seu irmão Utu, dizendo:
ser alterado! Suas primordiais declarações não serão alteradas!
“Utu, nos dias em que os destinos foram decretados,
Pelo louvor falado à mãe Ninlil, louvado seja (.…) a Grande
Quando a abundância da terra foi descoberta,
Montanha, Pai Enlil!
Quando o deus do Céu ( An ) fêz os céus, e o deus do ar ( Enlil )
FONTE: http:// etcsl .orinst .ox.ac.uk/ Fez a Terra,
Quando Ereshkigal ganhou o grande abaixo por domínio,
Nos primeiros dias, nos muito primeiros dias, O deus da Sabedoria, Pai Enki, navegou pelas
Nas Primeiras noites, nas muitas primeiras noites, Águas do mundo inferior,
Nos primeiros anos, nos muitos primeiros anos, E o submundo o atacou …
Nos primeiros dias, quando cada uma das coisas estava sendo Neste tempo, uma árvore, uma árvore solitária, a árvore
criada, Huluppu
Nos primeiros dias, quando cada uma das necessidades estava Foi plantada nas margens do Eufrates.
sendo dimensionada, O vento sul a embalou e suas raízes e ramos cresceram
Quando o pão deixou de ser um segredo na terra, Até onde o Eufrates desagua.
Quando o pão era assado nas casas da terra, Eu peguei esta árvore do rio,
Quando o céu se afastou da terra, E a plantei em meu jardim particular.
Quando a terra foi separada do céu, Eu cuidei da árvore, esperando que ela fosse meu trono e minha
E as naves dos homens aterrissaram; cama.
Quando deus do céu, Ann, chegou dos céus, Então a serpente que não pode ser encantada
Quando o deus do AR, Enlil, chegou da terra, Aninhou-se em suas raízes,
Quando a rainha do abismo, Ereshkigal, teve E o pássaro Anzu aninhou-se em seus galhos,
O submundo por domínio, E a sombria Lilith construiu sua casa em seu tronco.
Ele navegava, O Pai navegava, Eu chorei.
Enki, o deus da Sabedoria, ele navegou para o mundo inferior. Como eu chorei!
Pequenas pedras passaram por ele, ( porque não podia mais aproximar-me de minha árvore ) “
Por grandes pedras ele passou, Utu, o valente guerreiro, Utu,
Como se fossem tartarugas, Não podia ajudar sua irmã, Inana.
Foram recolhidas no barco de Enki. Quando os pássaros começam a cantar com a Segunda aurora,
As águas do mar abatiam-se sobre seu barco como lobos, Inana chamou seu irmão, Gilgamesh, dizendo:
As águas do mar abatiam-se sobre seu barco como leões. “Gilgamesh, nos dias em que os destinos foram criados,
Neste tempo, uma árvore, uma árvore solitária, a árvore Quando a abundância foi descoberta no local da aterrissagem,
Quando o deus do céu criou os céus e o deus do ar Suméria florir com alegria, nos dias cheios de prosperidade. As
A Terra, fundações assentou firmemente e as sagradas fundações
Quando Ereshkigal ganhou o grande abaixo para seu domínio, construiu. O enkum e ninkum agradeciam e Enki fazia o templo
O deus da sabedoria, Pai Enki, navegou alegrar-se com suas fórmulas cheias de arte.
Pelo submundo,
E o submundo o atacou. 20–30 O pastor Ur-Namma fez o E-kur brilhar em Dur-an-ki. Ele
Neste tempo, uma árvore, uma árvore solitária, a árvore o fez maravilhar a multidão de povos. Ele fez brilhar o arco-íris
Huluppu do Portão Perdido, o Grande Portão, o Portão da Paz, a
Foi plantada nas margens do Eufrates. Habilidosa Montanha de Construir e o Portão do Eterno
O vento sul a embalou e suas raízes e ramos cresceram Suprimento de Grãos, cobrindo-os com prata refinada. O
Até onde o Eufrates desagua. pássaro Anzud correu de lá e a águia agarrou os inimigos com
Eu peguei esta árvore do rio, as garras. Suas portas são altas, elas enchem-se de alegria. O
E a plantei em meu jardim particular. templo é alto, ele tem uma radiação que amedronta. Ele é amplo,
Eu cuidei da árvore, esperando que ela fosse meu trono e minha ele infunde respeito. Nele, a Hábil Montanha de construir, o
cama. tempo nascente, a sagrada habitação caminha rápida para a
Então a serpente que não pode ser encantada Grande Montanha como uma torre elevada.
Aninhou-se em suas raízes,
31–38 No Gagiccua do grande palácio, onde se pronunciam
E o pássaro Anzu aninhou-se em seus galhos,
grandes verdades, ele fez a grande mãe Ninlil alegrar-se. Enlil e
E a sombria Lilith construiu sua casa em seu tronco.
Ninlil estabelecem-se aqui. Em sua grande sala-de-jantar, o
Eu chorei.
verdadeiro herói escolhido por Nunamnir faz suas refeições
Como eu chorei!
com o trigo: o E-kur alegrava-se. Eles observam com aprovaçào
( porque não podia mais aproximar-me de minha árvore ) “
o pastor Ur-Namma, e a Grande Montanha decreta um grande
Gilgamesh, o valente guerreiro Gilgamesh,
destino para Ur-Namma por todo o tempo, fazendo-o poderoso
O herói de Uruk, chamado por Inanna.
sobre o povo de povo de cabeça preta.
Gilgamesh vestiu sua armadura de cinqüenta minas como
proteção. 39 O sagida.
Cinqüenta minas eram para ele como cinqüenta plumas.
Pegou seu machado de bronze, o machado do caminho, ——————————————————————————–
Pesando sete talentos e sete minas, em seu ombro.
Ele entrou no jardim de Inana. 40–45″ Eu sou Nunamnir, cujos firmes comandos e decisões são
Gilgamesh atacou a serpente que não podia ser encantada. imutáveis! Você fez meu elevado santuário E-kur brilhar
O pássaro Anzu fugiu para as montanhas; gloriosamente, você fez com que brilhasse alto com um
E Lilith abandonou sua casa e fugiu no vento, para lugares brilhante crenellation. Verdadeiro herói, você fez o santuário
desabitados. glorioso na Terra. Ur-Namma, senhor poderoso, você entrará no
Gilgamesh então cortou as raízes da árvore Huluppa; navio real, sem paralelos, possa sua fama espalhar-se nos
E os filhos da cidade, que o acompanhavam, cortaram seus limites do céu, tão rápido como se pisasse montanhas!”
ramos.
46–51“Eu sou a grande Montanha, pai Enlil, cujos firmes
Do tronco ele fez um trono para sua irmã.
comandos e decisões são imutáveis. Você fez meu elevado
Do tronco, Gilgamesh fez uma cama para Inana.
santuário E-kur brilhar gloriosamente, você fez com que
Das raízes ela fez um pukku para seu irmão.
brilhasse alto com um brilhante crenellation. Verdadeiro herói,
Da coroa da árvore ela fez um mikku para Gilgamesh,
você fez o santuário glorioso na Terra. Ur-Namma, senhor
O herói de Uruk.
poderoso, você entrará no navio real, sem paralelos, possa sua
FONTE: http://www.sigghil.com/ fama espalhar-se nos limites do céu, tão rápido como se pisasse
montanhas!”
Uma tigi para Enlil por Ur-Namma (Ur-Namma B):
52–57 Senhor Nunamnir deu ao meu rei a maça elevada com que
1–6 Exaltado Enlil, .….. famoso .….., senhor que .….. seu grande empilha cabeças humanas como pilhas de grãos, nas terras
principado, Nunamnir, rei do céu e da terra .….., observa através hostis, e esmaga as terras rebeldes;, e agora ele pode pisar as
das pessoas. A Grande Montanha, Enlil, escolheu Ur-Namma o terras estrangeiras e destruir suas armadilhas. Senhor
bom pastor para a multidão de pessoas: “Ele será o pastor de Nunamnir deu ao pastor Ur-Namma.
Nunamnir!” Ele os fará Ter respeito.
FONTE: http:// www.sigghil .com/
7–19 Os divinos planos de construir o E-kur aonde estão. A
grande Montanha, Enlil, tinha em sua mente, encheu-o com As ordens de Enlil seguem rápidas para o alto, suas palavras
pureza e utilidade, para fazer o santuário como o sol no E-Kur, são sagradas, sua pronúncia é imutável. Os destinos ele decide
seu augusto santuário. Ele instruiu o pastor Ur-Name para fazer inteiramente, seu olhar torna as montanhas ansiosas, sua …
o E-Kur com brilho intenso; o rei o fez poderoso na Terra, ele o enche o interior das montanhas. Todos os deuses da Terra
fez com as primeiras pessoas. O bom pastor Ur-Namma, .….. inclinam-se diante do pai Enlil, que senta-se confortavelmente
cuja verdade se fundamenta em Nunamnir , o juiz conhecedor, o nos sagrados daïs, diante de Nunamnir, cujo capitão e príncipe
senhor de grande sabedoria, preparou o molde.. Enlil trouxe as da barca são perfeitos. Os deuses Anunnaki entram diante dele
terras rebeldes e hostis para o pastor Ur-Namma, e fez a e obedecem suas instruções, completamente.
O poderoso senhor, o grande no céu e na terra, o juiz que tudo
conhece, o amplo de sabedoria, tomou seu assento no Dur-an-ki sombras espalham-se sobre todas as terras estrangeiras, e sua
, e fez o Ki-ur , o grande palácio, resplandecer em majestade. Ele crenellation chega ao meio do céu. Todos os senhores e
fez sua residência em Nibiru, a corrente elevada entre o céu e a soberanos regularmente suplicam e fazem oferendas,
terra. A Frente da cidade é carregado com terríveis e aproximando Enlil com orações e súplicas.
ameaçadoras radiaçòes, ele volta seu empuxo de poderoso deus Enlil , se você olhar o pastor favoravelmente, se você eleva o
para atacar, ninguém ousa atacá-lo, e seu interior é espada como único realmente chamado na Terra, então os países estrangeiros
dente afiado de tubarão, uma lâmina de catástrofe. Para as estarão em suas mãos, os países estrangeiros estarão a seus
terras rebelder ele é uma armadilha, uma astúcia, uma rede. pés. Ele então causará enormes remessas e pesados tributos,
Ele corta cedo a vida dos que falam poderosamente. Ele não como se fossem água fria, para enriquecer o tesouro. Na grande
permite palavras assassinas no julgamento … decepção, falar corte, ele suplica com oferendas. Ao E-kur , o templo brilhante,
inamistosamente, hostilidade, impropriedade, fala malvada, ele trará .……Enlil , pastor enternecido das multidões, vaqueiro,
engano, erro, ultraje, violência, escravidão, arrogância, líder de todas as criaturas vivas, manifestou os domínio do
licenciosidade, egoísmo, e embustes são abominações grande príncipe, adornando-se com a sagrada coroa. Como o
intoleráveis em sua cidade. Vento da Montanha ocupa os daïs, ele divide os céus como o
Os limites de Nibiru formam uma grande rede, sobre a qual a arco-íris. Como uma nuvem flutuando, ele move-se sozinho.Ele
águia abre suas grandes asas. O assassino ou mentiroso não sozinho é o príncipe do céu, o dragão da terra. O deus elevado
escapam à suas garras. Em sua cidade firmemente assentada, dos Anunnaki, ele determina os destinos. Nenhum deus pode
para a qual o direito e a justiça são como uma possessão, e que olha-lo. Seu grande ministro e comandante, Nuska, ouve suas
está vestida com o mais puro do quay, o jovem irmão honra o ordens e suas intenções, consulta-se com ele e então executa
irmão mais velho e o trata com dignidade, atenta o povo às suas instruções. Ele fala palavras sagradas para os divinos
palavras do pai, e coloca-se sob sua proteção; as crianças poderes..
crescem com humildade e modestamente obedecem sua mãe, e Sem a Grande Montanha Enlil , nenhuma cidade seria
atem-se aos mais velhos. construida, nenhum edifício seria fundado; nenhum couro seria
Na cidade, a construção sagrada de Enlil, em Nibiru ‚o sagrado usado, nenhum curral seria estabelecido; nenhum rei se
santuário do pai Grande Montanha, ele fez os daïs de elevaria, nenhum senhor nasceria; nenhuma oração ou orador
abundância, o E-kur, o templo brilhante, elevar-se do solo; ele poderia estar no espaço exterior; soldados não teriam generais
fez o chão de pura terra, alta como uma torre na montanha. Seu ou capitães; nenhuma carpa encheria o rio … os rios em suas
príncipe, o grande Montanha, pai Enlil, sentou-se nos daïs do E- nascentes; a carpa não … viria do mar, elas não nadariam neles.
kur, o santuário elevado. Nenhum deus causa dano aos divinos O mar não produziria o pesado tesouro, nenhum peixe do rio
poderes do templo. Seus ritos de lavar as mãos são difundidos desovaria nas cabeceiras, nenhum pássaro do céu faria seus
sobre a Terra. Seus divinos poderes são divinos poderes do ninhos na terra espaçosa; os céu as nuvens não abririam suas
abzu: ninguém pode olhá-lo. bocas; nos campos o grão não germinaria nas terras aráveis,
Seu interior é mar imenso que toca o horizonte. Em seus .….. vegetação não haveria na planície; nos jardins, as árvores
brilhando como bandeira, as correntes e os divinos poderes espalhariam-se na montanha sem frutos. Sem a Grande
antigos são perfeitos. Suas palavras são orações, e seus Montanha, Enlil , Nintud não mataria, ela não atacaria a morte;
encantos são súplicas. Suas palavras são favoráveis … , seus nenhuma vaca teria cria, nenhuma ovelha viria .….. nos currais ;
ritos são os mais preciosos. Em seus festivais, plenos de as criaturas viventes que se multiplicam por si mesmas não
gordura e manteiga, há abundância. Seus divinos planos dormiriam em seus …; os animais de quatro patas não
alegram e rejubilam, seu veredicto é grande. Diariamente há o propagariam, eles não teriam companheiros.
grande festival, e ao final do dia a abundância permanece. O Enlil , a ingenuidade de sua respiração continua! Por sua
tempo de Enlil é uma montanha de abundância; olhá-lo com natureza, ele é como raízes que não podem ser reveladas, raízes
inveja e medi-lo são abominações. O lagar de seu templo sua cruzadas que o olho não pode seguir. Sua divindade pode ser
palavra vem à Terra, sempre com uma sábia benção; o gudu do apreciada. Você é seu próprio conselheiro e mensageiro, você é
abzu instrui-se nos ritos ilustres; seu nuec é perfeito para os o senhor de si mesmo. Quem pode compreender suas ações?
oradores sagrados. Seu fazendeiro é o bom pastor da Terra, que Nenhum divino poder resplandece como o seu. Nenhum deus
nasceu forte em dias propícios. Seu fazendeiro para os campos pode olha-lo na face.
férteis, ricos de oferendas, ele não … no brilhante E-Kur. Você, Enlil , é o senhor, deus, rei.. Você é o juiz que toma
Enlil , quando você delimitou os lugares sagrados, você também decisões sobre o céu e sobre a Terra. Suas palavras elevadas são
construiu Nibiru, sua própria cidade. Você … o Ki-ur, a pesadas como o céu, e não existe quem possa elevar-se como
montanha, seu lugar puro. Você o fundou no Dur-an-ki, no meio elas. Os Anunnaki … a sua palavra. Suas palavras são pesadas no
dos quatro cantos da Terra ;é a vida da Terra, e a vida de todos céu e são fundamentos da Terra. Nos céus, são grandes …
os países estrangeiros. Seus tijolos são ouro vermelho, sua enriquecem o céu. Na terra, sua fundação não pode ser
fundação é de lapis lazuli. Você o fez brilhar no alto da Suméria destruída. Quando se relaciona ao céu, eles trazem abundância.
como os chifres de um touro selvagem. Ele faz os países Quando se relaciona com a Terra, ela é próspera: a terra produz
estrangeiros tremerem com medo. Como um grande festival, seu prosperidade. Suas palavras significam flax, suas palavras
povo vive em abundância. significam grãos. Suas palavras significam sangue fluindo, a
Enlil , o sagrado Urac é favorecido com beleza por você; você é vida das terras. Ela faz as criaturas, os animais que copulam e
grandemente seguido pelo abzu, o trono sagrado (1 ms. engur) ; que vem alegremente sobre o verde. Você, Enlil, o bom pastor,
você se refresca nas águas do mundo inferior, a câmara sagrada. conhece seus caminhos … as estrelas esparsas.
Sua presença espalha-se sobre o E-kur , o templo brilhante, a Você desposou Ninlil , a consorte sagrada, cujas palavras são do
morada elevada. Corajosos e radiantes elevam-se ao céu, suas coração, sua nobreza é um sagrado ornamento de sabedoria, sua
beleza supera todos os limites, a verdadeira senhora de sua 53 Sa-jara.
escolha. Veste-se com sedução, a senhora conhece aqueles que
atacam o E-kur. Suas palavras são avisos perfeitos, suas 54.….. alegrem-se .……
palavras trazem conforto como fino óleo ao coração, que
55 É jicgijal.
partilha o trono sagrado, o puro trono, ela aconselha-se e
discute com você. Você decide os destinos no lugar diante do 56–68 Seu rei é worthy de Enlil o rei na verdadeira casa da
sol nascente. Ninlil, a senhora do céu e da terra, a senhroa de juventude. O herói Ninurta é worthy de Enlil o rei da verdadeira
todas as terras, é honrada na oração para a Grande Montanha. A casa da juventude. A primavera de Ninlil é worthy de Enlil o rei
pronúncia destas palavras estão bem estabelecidas, cujo na verdadeira casa da juventude. O senhor, o herói (?) do E-kur,
comando e apoio são coisas imutáveis, cujas expressão tem é worthy de Enlil a verdadeira casa da juventude. A primavera de
precedência, cujos planos são palavras decididas, a Grande Enlil é worthy de Enlil a verdadeira casa da juventude. O senhor
Montanha, pai Enlil: sua oração é sublime! Acimbabbar é worthy de Enlil o rei da casa da verdadeira
juventude. O Filho-Príncipe do E-kur é worthy de Enlil o rei da
FONTE: http:// www.sigghil .com/
verdadeira casa da juventude.

1–13 A grande casa é grande como uma montanha. A casa de


69.….. (A assinatura foi omitida acidentalmente)
Enlil é grande como uma montanha. A casa de Ninlil é grande
como uma montanha. O quarto é grande como uma montanha. A 70Ele é o favorito de Enlil.
casa que não conhece a luz do dia é grande como uma
montanha. A casa no Portão Lofty é grande como uma 71 É jicgijal.
montanha. A casa no Portão do Bem-Feito é grande como uma
montanha. O palácio de Enlil é grance como uma montanha. O FONTE: http://www.sigghil.com/
Hursaj-galama é grande como uma montanha. O sagrado Portão
Enlil, cujas ordens alcançam a distância, cuja palavra é santa,
Renowned é grande como uma montanha. O portão do qual o
O senhor cuja decisão é imutável, que decreta para sempre os
cereal nunca é perdido é grande como uma montanha. O ubcu-
destinos,
unkena é grande como uma montanha. O Jac-jic-cua é grande
Cujos olhos erguidos percorrem as terras,
como uma montanha.
Cuja luz levantada prescruta o coração de todas as terras,
14-27A casa de Ninlil é grande como uma montanha. O portão Enlil, que está sentado com abandono sobre o altar branco,
Innamra é grande como uma montanha. O E-itida-buru é grande sobre o altar sublime,
como uma montanha. O palácio de Egal-mah é grande como uma Que consuma os decretos da força, da realeza, da soberania,
montanha. O logty E-itida-buru é grande como uma montanha. Perante o qual se inclinam, temerosos, os deuses da Terra,
O Innam-gidazu é grande como uma montanha. O portão Suen é Perante o qual se humilham os deuses do Céu (…),
grande como uma montanha. O Dul-kug, o lugar sagrado, é A cidade (Nippur), seu aspecto inspira terror e respeito (…),
grande como uma montanha. O campo de E-dima é grande como O ímpio, o mau, o opressor,
uma montanha. O Ane-jara é grande como uma montanha. O O denunciante,
Acte, o lugar puro, é grande como uma montanha. O Etilla-mah O arrogante, o violador dos pactos,
é grande como uma montanha. O já-apina é grande como uma Ele não tolera os seus malefícios na cidade,
montanha. A grande rede (…)
Ele não deixa os opressores e malfeitores escapar às suas
28 Sa-gida. malhas.
29Ele declara: “Aviso dos Céus (?)!” Nippur – o santuário onde habita o pai, a “grande montanha”,
O altar da abundância, o Ekur que se ergue,
30Seu jicgijal. A alta montanha, o nobre lugar,
Seu príncipe, a “grande montanha”, pai Enlil,
31–41 Para ele que diz isto, para ele cuja fortaleza brilha como
Estabeleceu a sua morada no altar de Ekur, sublime santuário;
luz do dia. Para ele queé declara isto, cuja casa é como a
O templo – as suas divinas leis, como o Céu, não podem ser
montanha, a casa que brilha como o dia. Para aquele que declara
subvertidas,
isto, que é como a casa de Enlil, a casa forte que brilha como o
Os seus puros ritos, como a Terra, não podem ser abalados,
dia. Para o que declara isto, a casa é como a casa de Nilil, a
As suas divinas leis são como as divinas leis do abismo,
fortaleza que brilha como dia. Para o que declara que a casa de
ninguém as pode olhar,
Ninurta, a fortaleza que brilha como o dia, para o que declara
O seu ‘coração’ como um distante santuário, desconhecido
que ele é da casa do Príncipe e Filho.
como o zénite do Céu…,
42 Kirugu.
As suas palavras são orações,

43–52 As torres da casa são altíssimas, no meio das montanhas Os seus propósitos são súplicas,

de cedros aromáticos. As torres da casa de Enlil são altíssimas, O seu ritual é precioso,

no meio das montanhas de cedros aromáticos. As torres da casa Nas suas festas jorram a gordura e o leite, são ricas e

de Ninlil são altíssimas, no meio das montanhas de cedros abundantes,

aromáticos. As torres do palácio de Enlil são altíssimas, no Os seus armazéns dão felicidade e alegria,

meio das montanhas de cedros aromáticos. As torres do palácio A casa de Enlil é uma montanha de abundância,

de Ninlil são altíssimas, no meio das montanhas de cedros O Ekur, a casa de lápis-lazúli, a sublime morada, que inspira

aromáticos. medo,
Cujo medo e terror estão próximos do Céu, Aprendeu os presságios inscritos no Céu,
Cuja sombra se estende sobre todas as terras, Neles aprendeu a observar as leis divinas,
Cuja majestade atinge o coração do Céu, Estudou as decisões dos deuses.
Onde os senhores e os príncipes levam os seus presentes No jardim, em cinco para dez lugares inacessíveis,
sagrados, as suas oferendas, Em cada um destes lugares plantou uma árvore como sombra
Vêm dizer as suas orações, as suas súplicas, os seus pedidos. protectora,
Enlil, o pastor que contemplais favoravelmente, A sombra protectora da árvore, a árvore sarbatu de muita
A quem chamastes e tornastes eminente na Terra, folhagem
Que prostra todas as terras estranhas por onde passa, A sombra que ela dá ao alvorecer,
Libações apaziguadoras de toda a parte, Ao meio-dia e ao crepúsculo nunca desaparece.
Sacrifícios dos pesados produtos, Ora, um dia, a minha rainha, depois de ter atravessado o Céu,
Foram trazidos; no armazém atravessado a Terra,
Nos altos pátios determinou as suas oferendas; Inanna, a minha rainha, depois de ter atravessado o Céu,
Enlil, o digno pastor, sempre em movimento, atravessado a Terra,
O rei do principal pastor de tudo o que respira, Depois de ter atravessado Elam e Shubur,
Trouxe à existência o seu principado, Depois de ter atravessado (…),
Colocou a coroa sagrada na sua cabeça. A hierodula (Inanna), exausta, aproximou-se do jardim, deixou-
No Céu – é o príncipe; na Terra – é o grande, se adormecer,
Os Anunnaki – é o seu exaltado deus; Shukallituda viu-a do extremo do seu jardim,
Quando no seu poder aterrador, ele decreta os destinos, Possuiu-a, beijou-a,
Nenhum deus se atreve a olhá-lo. E regressou ao extremo do seu jardim.
Só ao seu exaltado vizir, o camarista Nusku, Ao alvorecer, quando o sol se ergueu,
A ordem, a palavra do seu coração, A mulher olhou à sua volta horrorizada.
Deu a conhecer, só a ele informou, Inanna olhou à sua volta horrorizada.
Mandou-o executar todas as ordens que a todos obrigavam, Então, a mulher, por causa do seu sexo, que mal fez!
Confiou-lhe todas as regras sagradas, todas as sagradas leis. Inanna, por causa do seu sexo, que fez ela!
Sem Enlil, a grande montanha, Encheu de sangue todos os poços do país,
Nenhuma cidade seria construída, nenhumas instituições Encheu de sangue todos os bosques e jardins do país,
fundadas, O escravos (varões) que vinham buscar lenha para o lume só
Não seriam construídos quaisquer estábulos, nem feito nenhum tiveram sangue para beber,
redil, Os escravos (fêmeas) que vinham buscar água só tiveram
Ninguém seria levado à realeza, não nasceria qualquer grande sangue para levar,
sacerdote, “Eu quero encontrar aquele que me possuiu procurando em
Nenhum sacerdote-mah, nenhuma grande sacerdotisa seriam todas as terras”, disse a deusa.
escolhidos Mas ela não encontrou aquele que a tinha possuído,
pelo carneiro-presságio, Porque o homem entrou em casa de seu pai,
Os trabalhadores não teriam nem chefe nem superintendente, Shukallituda disse a seu pai:
Os caudais dos rios não teriam transbordado, “Pai, quando deitava água nos regos,
O peixe do mar não depositaria os ovos no canavial, Quando abria sulcos ao longo dos canteiros,
Os pássaros do Céu não construiriam ninhos na vasta Terra, Tropeçava nas raízes, era por elas arranhado;
No Céu as arrastadas nuvens não produziriam a sua humidade, Os ventos furiosos, com tudo o que eles trazem,
Plantas e ervas, a glória da planície, não poderiam crescer, Com a poeira das montanhas, fustigavam-me o rosto,
No campo e no prado o rico grão não poderia florir, No meu rosto e mãos,
As árvores plantadas na floresta da montanha não produziriam Eles sopravam a poeira, e eu já não reconhecia os seus (…)
o seu fruto (…) Eu então levantei os meus olhos para as terras do sul,
Olhei as estrelas do leste,
FONTE: http://www.pauloliveira.com/My S ite OL D/Z igur ate /Z igur ate Levantei os meus olhos para as terras do norte,
s.htm Olhei para as estrelas do oeste,
Contemplei o Céu, onde se inscrevem os auspícios,
Shukallituda,
Aprendi os presságios inscritos no Céu,
Quando deitava água nos regos,
Neles aprendi a observar as leis divinas,
Quando cavava sulcos ao longo dos canteiros,
Estudei as decisões dos deuses.
Tropeçava nas raízes, era arranhado por elas;
No jardim, em cinco para dez lugares inacessíveis,
Os ventos furiosos, com tudo o que trazem,
Em cada um deles plantei uma árvore como sombra protectora.
Com a poeira das montanhas, fustigavam-lhe o rosto,
A sombra protectora da árvore – a árvore sarbatu de muita
No seu rosto e mãos,
folhagem
Eles sopravam a poeira, e ele já não reconhecia os seus (…)
A sombra que ela dá ao alvorecer
Ele então levantou o seu olhar para as terras do sul,
Ao meio-dia e ao crepúsculo nunca desaparece.
Olhou as estrelas do leste,
Um dia a minha rainha, depois de ter atravessado o Céu,
Levantou os olhos para as terras do norte,
atravessado a Terra,
Olhou para as estrelas do oeste,
Inanna, depois de ter atravessado o Céu, atravessado a Terra,
Contemplou o Céu, onde se inscreviam os auspícios,
Depois de ter atravessado Elam e Shubur, Porque o pai respondeu ao jovem,
Depois de ter atravessado (…), O pai respondeu a Shukallituda:
A hierodula (Inanna), exausta, aproximou-se do jardim, deixou- “Filho, conserva-te junto das cidades dos teus irmãos,
se dormir; Dirige os teus passos para junto dos teus irmãos, o povo da
Eu vi-a do extremo do meu jardim, cabeça preta,
Possuí-a, beijei-a, A mulher (Inanna) não te encontrará no meio das terras”.
E voltei para o extremo do meu jardim. Ele (Shukallituda) conservou-se junto das cidades dos seus
Ao alvorecer, quando o sol se ergueu, irmãos,
A mulher olhou à sua volta horrorizada, Dirigiu os seus passos para junto dos seus irmãos, o povo da
Inanna olhou à sua volta horrorizada, cabeça preta,
Então, a mulher, por causa do seu sexo, que mal fez! A mulher não o encontrou no meio de todas as terras.
Inanna, por causa do seu sexo, que fez ela! Então a mulher, por causa do seu sexo, que mal fez!
Encheu de sangue todos os poços do país, Inanna, por causa do seu sexo, que fez ela! (…)
Encheu de sangue todos os bosques e jardins do país,
O escravos (varões) que vinham buscar lenha para o lume só FONTE: http:// www.paulo liveira.com/ M y Si t eO LD / Zi gurat e/ Zi gu
tiveram sangue para beber, rat es.htm
Os escravos (fêmeas) que vinham buscar água só tiveram
sangue para levar, http://documentofantastico.blogspot.com/search/label/TABULETAS%20
“Hei-de encontrar aquele que me possui”, disse ela”. SUM%C3%89RIAS
Mas aquele que a possuiu não foi encontrado,