Você está na página 1de 5

AULA 21

“MIGRAÇÕES CONTEMPORÂNEAS”
TEMA: MIGRAÇÕES
Trump promete deportação de “milhões” de imigrantes na próxima semana
Na véspera de lançar campanha eleitoral, republicano promete que estrangeiros sairão dos EUA "tão rápido quanto entraram"
VEJA, 18 jun 2019, 18h00
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, prometeu na Se o presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador,
noite de segunda-feira 17 que a Agência de Imigração e Alfândega concordasse com a proposta, os migrantes centro-americanos não
(ICE) americana começará a deportar “milhões de estrangeiros poderiam mais atravessar a fronteira entre os Estados Unidos e o
ilegais” já na próxima semana. As declarações agressivas do líder México para se entregarem às autoridades americanas. Teriam de
americano foram feitas na véspera do lançamento oficial de sua permanecer em território mexicano durante todo o processo de
campanha de reeleição, nesta terça-feira, 19, em Orlando. avaliação do pedido de refúgio.
“Na próxima semana, a ICE começará o processo de remoção O México se recusou a assinar o acordo, apesar das ameaças
dos milhões de imigrantes ilegais que entraram ilicitamente nos americanas de impor tarifas em suas exportações. Mas, no último dia
Estados Unidos. Eles serão removidos tão rápido quanto entraram”, 7, López Obrador evitou o “tarifaço” ao aceitar cooperar com as
escreveu o presidente em sua conta no Twitter, sem entrar em detalhes políticas migratórias dos Estados Unidos, incluindo a deportação de
sobre a operação. migrantes com processos de asilo na Justiça americana e o reforço na
O republicano ainda elogiou as “leis rígidas de imigração” do segurança fronteiriça.
México, ameaçado por ele com a adoção de tarifas de importação, por Os Estados Unidos têm apenas um Acordo de Terceiro País,
“parar as pessoas antes mesmo que elas alcancem a fronteira sul.” com o Canadá, assinado em 2004. Apesar dos esforços, cerca de 12
“A Guatemala está se preparando para assinar um Acordo de milhões de imigrantes ilegais continuam em território americano, a
Terceiro País. Os únicos que não fazem nada (sobre a questão maioria do México e da América Central.
migratória) são os democratas no Congresso”, continuou o Na última semana, o vice-presidente, Mike Pence, já havia
americano. sugerido que a Guatemala recebesse refugiados de seus vizinhos
“Eles (os democratas) devem votar para eliminar as brechas e como um “terceiro país seguro”. As autoridades guatemaltecas não
resolver o asilo. Caso façam isso, a crise de fronteira acabará confirmaram as informações, mas o Departamento de Estado
rapidamente”, concluiu Trump, criticando a oposição por não apoiar americano afirmou que novas reuniões sobre a ideia acontecerão na
seus projetos para os migrantes, como a redução de ajuda humanitária sexta-feira, 21.
e a construção de um muro nos limites com o México. A organização não governamental Human Rights First se
O Acordo de Terceiro País a que o republicano se refere — mostrou contra a afirmação “simplesmente ridícula” de que a
ou Safe-Third Agreement, em inglês — tem sido um ponto de conflito Guatemala seria capaz de proteger os refugiados enquanto seus
nas negociações entre o México e o governo Trump. Segundo o próprios cidadãos estão fugindo da violência local.
documento, potenciais refugiados seriam obrigados a pedir asilo no O governo mexicano concordou em discutir um possível
primeiro país estrangeiro em que chegassem e não onde realmente Acordo de Terceiro País com os Estados Unidos caso as atuais
pretendiam permanecer. medidas para parar o fluxo de migrantes se mostrem ineficazes.

Total de refugiados tem recorde histórico de 70,8 milhões, diz Acnur


Aumenta número venezuelanos em fuga para o exterior e de deslocados internos na Etiópia; (VEJA, 19 jun 2019)
Nos últimos 70 anos, nunca houve tantas pessoas obrigadas a O relatório informa que, em média, 37.000 pessoas foram
deixar seus lares e países por causa de conflitos, perseguições e forçadas a deixar seus lares ou países em cada dia de 2018. Do total
guerras. Em 2018, o recorde de 70,8 milhões de seres humanos de 70,8 milhões, 58,3% ou 41,3 milhões de pessoas estão deslocadas
nessas condições, dos quais a metade tem menos de 18 anos de dentro de seus países. De cada cinco refugiados, quatro estão
idade, foi registrado pela Agência das Nações Unidas para os abrigados em países vizinhos, o que faz da Turquia, do Paquistão,
Refugiados (Acnur), conforme os dados do relatório de Uganda e do Sudão os maiores receptores de migrantes forçados.
anual Tendências Globais, divulgado nesta quarta-feira, 19. O quinto maior, Alemanha, está distante dos principais países
De acordo com a Acnur, esse contingente de refugiados é de origem dos refugiados – Síria, Afeganistão, Sudão do Sul,
100% maior do que o total verificado em 1999 e 2,3 milhões maior Mianmar e Somália – que, juntos, respondem por 67% desse
do que o de 2017. Trata-se do número equivalente de habitantes da universo.
Turquia, da Tailândia e do somatório das populações dos estados
brasileiros de São Paulo, Minas Gerais e do Distro Federal.
Quase um quarto da população da Venezuela precisa de ajuda humanitária, diz ONU
Relatório enviado ao regime de Nicolás Maduro nesta quinta-feira aponta que mais de 94% dos venezuelanos viveram na pobreza em
2018. ONU pede solução para a crise. Por G1, 28/03/2019 21h19
Quase um quarto da população da Venezuela precisa • Ao menos 22% das crianças menores de 5 anos sofrem
de ajuda humanitária urgente, apontou relatório de desnutrição crônica;
da Organização das Nações Unidas enviado nesta quinta-feira • Aproximadamente 300 mil pessoas estão sob risco porque não
(28) ao regime de Nicolás Maduro. De acordo com o estudo, conseguem acesso a remédios e medicamento para doenças
cerca de 7 milhões de venezuelanos têm "necessidades como câncer e diabetes ou para controle do HIV;
prioritárias urgentes de assistência e proteção". • O acesso a água, saneamento e higiene está prejudicado a
O informe também apontou uma série de dados cerca de 4,3 milhões de venezuelanos;
alarmantes sobre o colapso econômico e humanitário na • Cerca de 5 mil pessoas abandonam a Venezuela todos os dias.
Venezuela, segundo as agências Reuters e France Cerca de 10% da população (3,4 milhões) vive
Presse. Veja abaixo: como imigrantes ou refugiados em países vizinhos;
• Em 2018, mais de 94% da população venezuelana vivia na • A Unicef aponta que 48% das crianças e adolescentes
pobreza– 60% na pobreza extrema; matriculados nas escolas correm o risco de abandonar os
• O número de pessoas subnutridas na Venezuela chegou a 3,7 estudos porque não conseguem frequentar as aulas com
milhões – o triplo do registrado entre 2010 e 2012; regularidade.
A ONU espera que o regime de Nicolás Maduro dê alguma Maduro, em contrapartida, aceitou ajuda enviada
resposta aos números apontados pelos observadores da pela Rússia. O governo russo, inclusive, manifestou apoio ao
organização. Entretanto, o governo chavista diz que a crise é presidente chavista e enviou recentemente guarnições
resultado das sanções impostas pelos Estados Unidos e o militares à Venezuela – movimento criticado por Guaidó, pelos
autoproclamado presidente interino Juan Guaidó. EUA e pelo governo brasileiro.
Em fevereiro, o regime Maduro bloqueou a ajuda O documento da ONU enviado a Maduro nesta quinta-
humanitária enviada à Venezuela em uma coalizão liderada feira, porém, pede pressa em uma solução ao colapso
pelos Estados Unidos e seguida principalmente por Brasil e humanitário. "A politização da ajuda humanitária no
Colômbia. O governo chavista fechou as fronteiras contexto de crise torna mais difícil a entrega da assistência
venezuelanas, e, no "Dia D" da entrega dos carregamentos com conforme os princípios de neutralidade, imparcialidade e
comida e remédios, houve tumulto nas cidades fronteiriças – independência", criticou o documento da ONU.
inclusive com relatos de mortes.

A CRISE DOS REFUGIADOS: ONDE ESTÁ O RESPEITO AO


PRÓXIMO? (vestibular.brasilescola.uol.com.br 06/06/2017)
Pessoas que fogem de seu país de origem para sobreviver ainda têm que conviver com o preconceito diário Por Lorraine Vilela Campos
Fugir para sobreviver, mesmo que os caminhos sejam o domínio islâmico em países europeus só causam mais
incertos e não haja garantia de que a jornada chegue ao fim. sofrimento na vida de quem busca abrigo.
Esta é a realidade de aproximadamente 60 milhões de pessoas Brasil
que deixaram suas casas por causa de guerras, tragédias No Brasil, os haitianos estão entre os que mais sofrem
humanitárias, violação dos Direitos Humanos e crescimento com o preconceito. Desde o terremoto que atingiu o Haiti em
da violência. 2010, mais de 45 mil refugiados vieram ao país em busca de
Segundo a Agência da Organização das Nações Unidas ajuda. Eles chegam com o visto humanitário e depois precisam
para Refugiados (ACNUR), desse grande número de pessoas regularizar a permanência para que possam obter os
que saem de seu local de origem em busca de novas documentos necessários para atividades como estudo e
oportunidades, cerca de 15 milhões se encaixam na definição trabalho.
de refugiado. O refugiado é quem foge de seu país por Como existe uma demora na regularização dos
perseguição ou guerra e busca refúgio em outro território. estrangeiros e os custos podem pesar no bolso de quem chega
Crise Humanitária ao Brasil como refugiado, ainda é grande a quantidade de
A pior crise humanitária dos últimos 70 anos, segundo haitianos que permanecem no país na ilegalidade. Com isso,
a ACNUR, é causada pela Guerra na Síria. Estima-se que abrem-se as portas para que empresas os contratem por
sejam cerca de 5 milhões de refugiados sírios, os quais preços baixos e sem as mínimas condições de trabalho.
arriscam sua vida diariamente em busca de abrigo em Infelizmente, viver em condições desumanas tornou-se
diferentes países. comum para quem não conta com apoio da sociedade e não
A maior parte dos sírios procura refúgio na Turquia e tem para onde voltar.
no Líbano, mas nem sempre eles conseguem ser reconhecidos Acolhimento
como refugiados. Quando há apoio do governo local, o Apesar das dificuldades enfrentadas pelos refugiados
refugiado tem seus direitos básicos atendidos e apoio para que chegam ao Brasil, o país ainda é bastante procurado por
encontrar uma solução para permanência prolongada, como quem procura ajuda.
entrar no mercado de trabalho. O Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE),
Diversos países da Europa também são procurados presidido pelo Ministério da Justiça, é responsável pela
pelos sírios que não conseguem refúgio em outro lugar. No regularização de refugiados de diferentes países, dando para
entanto, a receptividade do velho continente não é das eles a possibilidade de viver legalmente no Brasil.
melhores, as fronteiras são perigosas e o destino de muitos é Outro estímulo para os refugiados é a inserção no
ficar em campos de refugiados. Nesses lugares, são precárias ensino superior. Instituições como as universidades federais
as condições de higiene e o acesso à água e a comida, tornando de São Carlos (UFSCar), de Santa Maria (UFMS) e a
escassa a esperança em um futuro melhor. Estadual de Goiás (UEG) têm realizado processos seletivos e
Mas não só os sírios buscam salvar suas vidas fugindo programas de ingresso para estrangeiros em seus cursos de
de conflitos. Afegãos, iraquianos, congoleses, senegaleses e graduação.
angolanos integram grande parte dos refugiados que se Programas focados no convívio social e no acolhimento
arriscam diariamente pelos mares e estradas de diferentes aos refugiados também estão presentes entre os
países. universitários. Na Universidade Federal de Goiás (UFG)
Preconceito existe o projeto “Be Welcome”, no qual os estudantes se
A falta de informação gera o preconceito. Ligar voluntariam para ensinar português aos refugiados.
atentados terroristas praticados por diferentes pessoas à No entanto, o apoio mais precioso no momento de
entrada de refugiados em um país é sinal de ignorância e falta dificuldade vem de cidadãos comuns, que se juntam em
de empatia e solidariedade. O discurso de ódio faz mal para grupos e entidades sem fins lucrativos para dar teto, comida,
todos. carinho e ensino de algumas atividades aos refugiados,
Os refugiados, independente de sua origem, buscam principalmente àqueles que vivem na ilegalidade.
lutar pela sobrevivência. É possível ver em documentários e na A importância da empatia
mídia em geral a luta de famílias, crianças órfãs e adultos que Não é possível que nós, enquanto cidadãos, tenhamos
não veem outra saída a não ser deixar familiares para trás. controle da situação política de um país em Guerra. Mas
O que os refugiados mais precisam é de ajuda, podemos nos colocar no lugar de quem larga tudo o que tem
acolhimento, mas a realidade se mostra diferente em muitos para trás e leva consigo apenas a esperança de sobreviver.
lugares. O preconceito é disseminado livremente na internet, Empatia! Sim, falta ao ser humano empatia para
mitos como “vão roubar nossos empregos”, “são uma ameaça entender que as diferenças religiosas ou culturais não podem
para a segurança do país” ou a falsa perspectiva que há sobre sobrepor o direito à vida. Fechar os olhos é fácil, difícil é lidar

3
com o preconceito (inclusive as questões internas de cada um) enraizados na sociedade. Se cada um se informar e ajudar da
e ajudar o próximo da forma como for possível. Informação maneira que estiver ao alcance, vidas poderão ser mudadas
ainda é a melhor saída para derrubar os preconceitos aos poucos.
Migração contemporânea e o Brasil
O problema social da migração contemporânea gera implicações Conare são: Venezuela 33%; Haiti 14%; Senegal 13%; Síria e Angola
na vida daqueles que se deslocam e cruzam a fronteira internacional. 7%; Cuba e Bangladesh 6%; Nigéria e República Democrática do
São vítimas da violência sexual e de gênero, crianças são detidas para Congo 4%; Gana e China 3%. Dentre os 10.145 refugiados
fins de determinar seu status de migração, além de serem reconhecidos pelo Estado brasileiro, atualmente 5.134 residem no
estereotipados como ilegais, todavia relevante destacar que nenhum território nacional, e possuem as seguintes nacionalidades: Síria 35%;
ser humano no mundo pode ser considerado juridicamente ilegal. República Democrática do Congo 13%; Colômbia 10%; Angola 8%;
Neste sentido, a Organização Internacional para Migrações Palestina 5%; Líbano 4%; Paquistão 3%; Iraque 2%; Mali 2%, outras
(OIM), atualmente, integrante da Organização das Nações Unidas 17%.
(ONU), dirimiu algumas lacunas existentes nas denominações A migração haitiana, iniciada com força no ano de 2010, se
pertinentes à migração. Dentre elas a conceituação daqueles que se mantém como o principal coletivo de migrantes no mercado de
deslocam forçadamente ou de forma voluntária, sem o documento trabalho formal. A migração venezuelana, que desde 2015 aporta uxos
hábil para tanto, ou seja, não possuem o visto para ingressar no país de migratórios crescentes ao Brasil, também se destaca entre os
destino. Tal conduta faz com que sejam considerados migrantes trabalhadores regulares, sendo, no primeiro semestre de 2018, a
indocumentados ou no máximo a nomenclatura de irregular. primeira nacionalidade em emissão de carteiras de trabalho, segundo
Do mesmo modo, sobre os deslocamentos forçados no Brasil, os dados do Observatório das Migrações Internacionais.
observa-se, de acordo com a apuração dos últimos dados pelo Ambos os casos trouxeram grandes desafios não somente para o
Ministério da Justiça (MJ) e Comitê Nacional para Refugiados governo brasileiro na gestão de políticas migratórias, mas também às
(Conare), que as principais nacionalidades de origem daqueles que diversas instituições públicas e privadas, ONGs e à sociedade civil que
solicitam o status de refugiado no País e que estão em tramitação no cumprem papel histórico na acolhida dos migrantes.
Joseane Mariéle Schuck Pinto - Integrante do Projeto de Extensão Migração, Identidade e Cidadania, da Faculdade do Ministério Público
Pelo fim das fronteiras (Helio Schwartsman, Folha de S.Paulo, 25.ago.2018)
Imigração é um fenômeno estranho. Do ponto de vista país pobre de origem e transportá-lo para os EUA elevaria sua
puramente racional, ela é a solução para vários problemas renda anual em US$ 14 mil.
globais. Mas, como o mundo é um lugar menos racional do que A imigração se torna ainda mais tentadora quando se
deveria, pessoas que buscam refúgio em outros países considera que é a resposta perfeita para países desenvolvidos
costumam ser recebidas com desconfiança quando não com que enfrentam o problema do envelhecimento populacional.
violência, o que diminui o valor da imigração como remédio Não obstante tantas virtudes, imigrantes podem ser
multiuso. maltratados e até perseguidos quando cruzam a fronteira,
No plano econômico, a plena mobilidade da mão de especialmente se vêm em grandes números. Isso
obra seria muito bem-vinda. Segundo algumas estimativas, está acontecendo até no Brasil, que não tinha histórico de
ela faria o PIB mundial aumentar em até 50%. Mesmo que xenofobia. Desconfio de que estão em operação aqui vieses da
esses cálculos estejam inflados, só uma fração de 10% já Idade da Pedra, tempo em que membros de outras tribos eram
significaria um incremento da ordem de US$ 10 trilhões (uns muito mais uma ameaça do que uma solução.
cinco Brasis). De todo modo, caberia às autoridades incentivar a
Uma das principais razões para o mundo ser mais imigração, tomando cuidado para evitar que a chegada dos
pobre do que poderia é que enormes contingentes de humanos estrangeiros dê pretexto para cenas de barbárie. Isso exigiria
vivem sob sistemas que os impedem de ser produtivos. Um recebê-los com inteligência, minimizando choques culturais e
estudo de 2016 de Clemens, Montenegro e Pritchett estimou distribuindo as famílias por regiões e cidades em que podem
que só tirar um trabalhador macho sem qualificação de seu ser mais úteis. É tudo o que não estamos fazendo.

Desejo de criar muros para barrar imigrantes


cresce no mundo (Exame, 21/08/2015)
A globalização aboliu muitas fronteiras para
mercadorias, mas, para os seres humanos, as preocupações
com a segurança e o desejo de conter a imigração ilegal fazem
subir muros em todo o mundo, apesar de especialistas
duvidarem de sua eficácia a longo prazo.
Há um quarto de século, durante a queda do Muro
de Berlim, havia 16 muros defendendo as fronteiras do
mundo. Existem agora 65, concluídos ou prestes a ser, de
acordo com a pesquisadora Elisabeth Vallet, da Universidade
de Quebec.
O muro de separação israelense (o "muro do
apartheid" para os palestinos), a cerca de arame farpado de
4.000 km que a Índia construiu em sua fronteira com
Bangladesh, ou o enorme dique de areia que separa o
Marrocos das regiões controladas no Saara pela rebelião da Em julho, o governo conservador húngaro começou a
Frente Polisário: os muros e barreiras são cada vez mais construir uma cerca de quatro metros de altura ao longo de sua
procurados pelos políticos ansiosos por parecer firmes nas fronteira com a Sérvia, em uma tentativa de impedir o fluxo de
questões de migração e segurança. refugiados da Síria, Iraque e Afeganistão.

4
Ilusão de segurança todas essas barricadas não tiveram impacto algum sobre o
Embora sejam símbolos agressivos, sua eficácia é aumento dos pedidos de asilo ou ataques terroristas.
relativa, segundo os especialistas. Eles simplesmente levaram os grupos a se adaptar.
A cocaína nunca faltou nas mesas de Manhattan nem Segundo Reece Jones, professor da Universidade do
os cigarros contrabandeados em Montmartre. E, apesar dos Havaí, os muros só são eficazes contra os mais pobres e mais
sentinelas que atiravam, mesmo o Muro de Berlim nunca foi desesperados.
selado. "O fechamento das fronteiras apenas desloca o
Os defensores dos muros acreditam que vazamentos problema, conduzindo os migrantes através de terríveis desertos
são melhores do que inundações, mas para Marcello Di Cintio o ou embarcações precárias no Mediterrâneo. Isso só aumenta o
impacto psicológico da construção de tais barreiras não pode ser número de vítimas", ressalta.
ignorado. É mais difícil aceitar a ideia de que a cooperação
Pobres, os mais atingidos diplomática e partilha de informação é muito mais eficaz a
Na realidade, os muros não mudam as causas longo prazo.”
profundas da insegurança ou de imigração: a construção de
SYLVIE KAUFFMANN é diretora-editorial e ex-editora-chefe do jornal francês "Le Monde".
MÃOS À OBRA
Proposta : A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de
sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa
sobre o tema: “FLUXOS MIGRATÓRIOS CONTEMPORÂNEOS” apresentando proposta de intervenção que
respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione argumentos, fatos e opiniões para defender seu
ponto de vista.
O texto deverá ter no mínimo 7 (sete) e no máximo 30 (trinta) linhas escritas.
Receberá nota zero, em qualquer das situações expressas a seguir, a redação que:
• tiver até sete linhas escritas, sendo considerada “texto insuficiente”.
• fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo.