Você está na página 1de 7

Resumo de Zoologia

➔ Filo Porífera (Espongiários)


Diagnose: animal filtrador, sem qualquer órgão ou sistema; diblásticos e de simetria radial.
Hábitat: ambientes aquáticos, sendo a maioria das espécies marinhas.
Exemplo: poríferos usados como esponjas de banho.
Anatomia e Fisiologia:
- Sist. Digestivo: ausente (o alimento é fagocitado pelos coanócitos); a digestão é
intracelular. - Sist. Circulatório: ausente (ocorre por difusão das substâncias).
- Sist. Respiratório: ausente (trocas gasosas diretamente entre as cels. e o ambiente). -
Sist. Excretor: ausente (excreções lançadas diretamente no ambiente pelas cels). - Sist.
Nervoso: ausente
Reprodução: assexuada, por fragmentação e brotamento, ou sexuada, com desenvolvimento indireto (larva anfiblástula).

➔ Filo Cnidária (Cnidários)


Diagnose: animal com forma de pólipo (sésseis) ou de medusa (livre natantes), diblásticos e com cels. urticantes (cnidoblastos);
simetria radial.
Hábitat: ambientes aquáticos, sendo a maioria das espécies marinhas.
Exemplos: Physalia pelagica (caravela-portuguesa), Aurelia aurita (grande medusa marinha), Hydra viridis (pequeno pólipo de
água doce), recifes coralíneos.
Anatomia e Fisiologia:
- Sist. Digestivo: incompleto (não existe ânus); digestão extra e intracelular.
- Sist. Circulatório: ausente (alimento distribuído diretamente na cavidade gastrovascular).
- Sist. Respiratório: ausente (trocas gasosas diretamente entre as cels. e o ambiente).
- Sist. Excretor: ausente (excreções lançadas diretamente no ambiente pelas cels).
- Sist. Nervoso: presente (do tipo difuso por todo o corpo).
Reprodução:em alguns pólipos há reprodução assexuada por brotamento; algumas espécies têm ciclos de vida com alternância de
gerações sexuada (medusas) e assexuada (pólipos).

➔ Filo Platyhelminthes (Platelmintos)


Diagnose: verme de corpo achatado, triblástico, acelomado e com simetria bilateral; são protostômios.
Hábitat: de vida livre, terrestres ou aquáticos, de água doce ou salgada; e parasitas.
Exemplos: classe Turbellaria, Dugesia tigrina (planária); classe Trematoda, Schistosoma mansoni (causador da esquistossomose);
classe Cestoda, Taenia solium (causador da teníase e da cisticercose) e T. saginata (causador da teníase).
Anatomia e Fisiologia:
- Sist. Digestivo: incompleto (não existe ânus); digestão extra e intracelular, e intestino muito ramificado.
- Sist. Circulatório: ausente (alimento distribuído pelo intestino ramificado a todas as células do corpo).
- Sist. Respiratório: ausente (trocas gasosas diretamente entre as cels. e o ambiente); espécies aeróbias e anaeróbias.
- Sist. Excretor: presente (do tipo protonefridial com cels.-flamas); poros excretores presentes.
- Sist. Nervoso: presente (do tipo ganglionar com um par de gânglios cerebrais).
- Sist. Sensorial: presente (órgãos especializados na captação de estímulos luminosos, mecânicos e químicos).
Reprodução: em algumas planárias pode haver reprodução assexuada por fragmentação; as planárias são monóicas, sem
autofecundação e com desenvolvimento direto; as tênias (classe Cestoda) também são monóicas mas se reproduzem sexuadamente
por auto fecundação e com desenvolvimento indireto (fase larval); o esquitossomo (classe Trematoda) é dióico e também apresenta
estágio larval.

Doenças: 1- Teníase: Agente etiológico – Taenia solium e T. saginata (classe Cestoda).


H.D. seres humanos (parede intestinal); / H.I. suínos e bovinos.
Forma de contaminação – ingestão de cisticercos presentes na carne mal cozida.
Formas larvais – oncosfera (larva que perfura a parede intestinal do H.I e chega até a musculatura, transformando-se em
cisticerco).
Profilaxia – não ingerir carnes mal-cozidas, hábitos higiênicos e saneamento básico.
2- Cisticercose: Agente etiológico – Taenia solium.
Forma de contaminação – ingestão de ovos presentes em alimentos como verduras e frutos.
Profilaxia – hábitos higiênicos como lavar as mãos antes das refeições.

1
Obs.: o homem passa a ser o H.I. desse verme; é uma doença rara porém muito mais perigosa que a teníase pois os
cisticercos passam pela corrente sangüínea e se alojam em órgãos nobres como cérebro e coração.
3- Esquistossomose: Agente etiológico – Schistosoma mansoni (classe Trematoda).
H.D. seres humanos (vasos sanguíneo do fígado e intestino).
H.I. moluscos do gênero Biomphalaria (caramujo).
Forma de contaminação – penetração ativa das cercárias através da pele.
Formas larvais – miracídios (penetram ativamente nos caramujos) e cercárias (penetram ativamente nos humanos).
Profilaxia – saneamento básico, não nadar em águas infestadas por caramujos, hábitos higiênicos como não defecar ao ar
livre, ferver a água a ser bebida, entre outros.

➔ Filo Nematoda (Nemathelmhintes)


Diagnose: animal de corpo fino e tubular, triblásticos, pseudocelomados e bilaterais; são protostômios.
Hábitat: animais de vida livre, terrestres ou aquáticos, de água doce ou salgada e espécies parasitas de animais e plantas.
Exemplos: Ascaris lumbricoides (lombriga), Ancylostoma duodenale e Necator americanus.
Anatomia e Fisiologia:
- Sist. Digestivo: completo; digestão extra e intracelular.
- Sist. Circulatório: ausente (alimento distribuído pelo fluido da cavidade celômica).
- Sist. Respiratório: ausente (troca gasosa ocorre por difusão entre cels. e o ambiente).
- Sist. Excretor: presente (par de canais excretores).
- Sist. Nervoso: presente (um anel nervoso em torno da faringe com dois cordões nervosos longitudinais).
Reprodução: sexuada; espécies monóicas e dióicas; desenvolvimento indireto.
Doenças: 1- Ascaridíase: Agente etiológico – Ascaris lumbricoides.
Verme monoxeno (um só hospedeiro para terminar o ciclo).
Forma de contaminação – ingestão de ovos presentes em alimentos e água.
Formas larvais – larvas rabditóides.
Profilaxia – saneamento básico, medidas higiênicas como lavar as mãos antes das refeições, lavar bem os alimentos e ingerir
somente água potável ou filtrada.
2- Ancilostomose: Agentes etiológicos – Necator americanus e Ancylostoma duodenale.
Verme monoxeno.
Forma de contaminação – penetração ativa das larvas através da pele.
Profilaxia – saneamento básico, não defecar ao ar livre e utilização de calçados.
Obs.: também conhecida como amarelão.
3- Larva migrans: Agente etiológico – Ancylostoma braziliensis e A.caninum (parasitas intestinais de cães e
gatos).
Forma de contaminação – penetração ativa das larvas através da pele.
Profilaxia – tratamento de cães e gatos parasitados, evitar que esses animais freqüentem áreas freqüentadas por seres humanos
e uso de calçados.
Obs.: esses parasitas só conseguem completar seus ciclos quando atingem seus hospedeiros próprios; nos seres humanos, as larvas
não passam para a fase adulta e ficam migrando pela pele; também conhecida como dermatite ou bicho-geográfico.
4- Enterobiose: Agente etiológico – Enterobius vermicularis.
Verme monoxeno.
Forma de contaminação – ingestão de ovos contaminando a água e alimentos, além de autocontaminação.
Profilaxia – medidas higiênicas como lavar as mãos antes das refeições, lavar bem os alimentos, ingerir somente água
potável ou filtrada, não coçar o ânus e trocar as roupas de cama diariamente nas casas que tenha alguém parasitado.
Obs.: também conhecida como oxiurose.

5- Filariose: Agente etiológico – Wuchereria bancrofti.


Verme heteroxeno (H.D. são os seres humanos e H.I. são os mosquitos do gênero Culex).
Forma de contaminação – picada dos mosquitos fêmeas do gênero Culex, que transmite as larvas do parasita que entram na
corrente sangüínea.
Profilaxia – combate ao mosquito vetor protegendo as casas com telas, uso de repelentes, combate às
larvas, entre outros.
Obs.: também conhecida como elefantíase.

➔ Filo Mollusca
Diagnose: animal de corpo mole, com ou sem concha, triblásticos, celomados e bilaterais; são protostômios.

2
Hábitat: animais de vida livre, terrestres ou aquáticos, de água doce ou salgada; algumas poucas espécies apresentam larvas e são
parasitas de guelras de peixes.
Exemplos: mexilhão, lula, polvo, caracol de jardim.
Anatomia e Fisiologia:
- Sist. Digestivo: completo (intestinos com regiões diferenciadas e glândulas digestivas associadas); presença da rádula
(exceto nos bivalves) e digestão predominantemente extracelular.
- Sist. Circulatório: presente, aberta ou lacunar (com coração e vasos sangüineos, nos quais circulam o fluido celômico –
sangue); fechado nos cefalópodes.
- Sist. Respiratório: presente (trocas gasosas ocorrem em órgãos especializados, as brânquias e pulmões); - Sist. Excretor:
presente (excreção por meio de metanefrídios). A principal excreta é amônia.
- Sist. Nervoso: presente (composto por três ou quatro pares de gânglios nervosos, ligados a nervos que atingem todo o
corpo).
Reprodução: sexuada, existindo espécies monóicas e dióicas; existem espécies com desenvolvimento direto e espécies com
desenvolvimento indireto.

➔ Filo Annelida (Anelídeos ou Vermes Segmentados)


Diagnose: animal de corpo metamerizado (segmentado), triblástico, celomado e bilateral, são protostômios.
Hábitat: animais de vida livre, terrestres ou aquáticos, de água doce ou salgada.
Exemplos: minhoca (Oligoqueta terrestre), Nereis virens (Poliqueta marinho) e sanguessuga (Hirudíneo de água doce).
Anatomia e Fisiologia:
- Sist. Digestivo: completo (intestino com regiões diferenciadas – faringe, papo, moela, etc); digestão extracelular.
- Sist. Circulatório: presente, fechado (presença de vasos pulsáteis – corações laterais); pigmentos respiratórios presentes.
- Sist. Respiratório: ausente (trocas gasosas ocorrem pela superfície corporal) ou branquial.
- Sist. Excretor: presente (do tipo metanefridial); amônia é o principal composto excretado.
- Sist. Nervoso: presente (composto por uma cadeia nervosa ventral, com um par de gânglios por segmento; gânglios
cerebróides bem desenvolvidos).
Reprodução: sexuada, com espécies monóicas (minhocas) e dióicas (certos poliquetas marinhos); o desenvolvimento pode ser direto
ou indireto.

➔ Filo Arthropoda
Diagnose: animal de pernas articuladas e exoesqueleto quitinoso, com o corpo metamerizado, triblásticos, celomados e bilaterais;
são protostômios.
Principais classes: o Crustacea
(crustáceos)
▪ Características gerais: animais dotados de cefalotórax e abdome, dois pares de antenas e cinco pares
de pernas locomotoras, geralmente com apêndices abdominais.
▪ Hábitat: animais de vida livre, na maioria aquáticos, de água doce ou salgada; poucas espécies
terrestres de áreas úmidas.
▪ Exemplos: camarão, lagosta, siri, tatuzinho-de-jardim, etc. o Arachnida (aracnídeos)
▪ Características gerais: animais dotados de corpo dividido em cefalotórax e abdome, sem antenas,
quatro pares de pernas locomotoras e sem apêndices abdominais.
▪ Hábitat: a maioria é terrestre.
▪ Exemplos: aranha, escorpião, ácaros, entre outros. o Insecta (insetos)
▪ Características gerais: animais dotados de corpo dividido em cabeça, tórax, e abdome, um par de
antenas, três pares de pernas locomotoras no tórax e sem apêndices abdominais.
▪ Hábitat: vivem em todos os ambientes, estando ausentes apenas no mar; são os únicos invertebrados
capazes de voar.
▪ Exemplos: mosca doméstica , pernilongo, pulga, etc.
Anatomia e Fisiologia:
- Sist. Digestivo: completo (tubo digestivo com regiões diferenciadas e glândulas acessórias), digestão extracelular; peças
bucais para manipular e triturar o alimento (maxilas, mandíbulas maxilípedes, etc).
- Sist. Circulatório: presente, aberto; sangue (hemolinfa) com ou sem pigmentos.
- Sist.Respiratório: branquial (crustáceos), traqueal (insetos e aracnídeos) e pulmonar ou filotraqueal (aracnídeos).
- Sist. Excretor: glândulas verdes ou antenais (crustáceos), túbulos de Malpighi (insetos, aracnídeos e miriápodes) e
glândulas coxais (aracnídeos).
- Sist. Nervoso: composto por um cérebro (fusão de vários gânglios) e por uma cadeia nervosa ventral, com cadeias de
gânglios dispostas em seqüência.
3
- Sist. Sensorial: olhos (simples ou compostos), órgãos de equilíbrio, sensores táteis e químicos.
Reprodução: sexuada; espécies dióicas, fecundação externa ou interna; desenvolvimesto direto ou indireto, com metamorfose
gradual ou completa.

➔ Filo Echinodermata (equinodermos)


Diagnose: simetria radial quando adultos, celomados, com esqueleto interno e sem metameria (não são segmentados) são
deuterostômios.
Hábitat: animais de vida livre, exclusivamente marinhos.
Exemplos: ouriço-do-mar, estrela-do-mar, bolacha-de-praia, entre outros.
Anatomia e Fisiologia:
- Sist. Digestivo: completo (com lanterna de Aristóteles no ouriço-do-mar); digestão extracelular.
- Sist. Circulatório: ausente ou muito reduzido – sistema hemal (distribuição de substâncias pelo fluido celômico).
- Sist. Respiratório: reduzido (branquial) ou ausente (trocas gasosas facilitadas pelo sistema hidrovascular).
- Sist. Excretor: ausente (excreções liberadas diretamente na água).
- Sist. Nervoso: presente (anel nervoso em torno da boca e nervos radiais).
- Sist. Hidrovascular: exclusivo dos equinodermos, desempenha funções de locomoção, fixação e captura de alimentos,
contribuindo também na respiração e excreção.
Reprodução: sexuada; espécies dióicas, fecundação externa e desenvolvimento indireto, com um ou mais tipos de larvas.

Os Cordados (Filo Chordata):


Características gerais: animais triblásticos, celomados, deuterostômios, bilaterais e metamerizados. Características
exclusivas: presença de notocorda (sustentação esquelética do embrião), tubo nervoso dorsal (forma o encéfalo e a
medula espinal), fendas branquiais (dar sustentação às brânquias) e cauda.
Obs.: nos vertebrados, a notocorda desaparece no fim da fase embrionária, sendo substituída pela coluna vertebral.

Protocordados:
o Urocordados (notocorda na região caudal) ou tunicados (revestimento cuticular espesso na superfície do corpo do adulto):
marinhos, desenvolvimento indireto e somente a larva apresenta as características dos cordados.
- fase larval: curta; depois de nadar durante um tempo, a larva sedimente-se e fixa-se a um substrato, onde sofre
metamorfose.
- ex.: Ascídia: uma extremidade fixa-se ao substrato e na outra existe duas aberturas (o sifão inalante e o sifão exalante).
- animais filtradores: a respiração, nutrição e excreção ocorrem pela circulação da água, que entra no corpo do animal
pelo sifão inalante trazendo alimento (microorganismos e resíduos orgânicos) e oxigênio, (e sai pelo sifão exalante
levando os resíduos da digestão e também o gás carbônico oriundo da respiração); a digestão é extracelular.
- Reprodução: sexuada, maioria monóica, fecundação externa; algumas podem reproduzir-se assexuadamente por
brotamento, originando colônias. o Cefalocordados:
- representante mais comum é o anfioxo, que vive semi-enterrado na areia das praias, e tem as duas extremidades afiladas;
a boca é ventral e rodeada pelos cirros (tentáculos filiformes), e na região mediana, encontra-se o atrióporo.
- animais filtradores: a água penetra pela boca, passa pelas fendas branquiais e cai no átrio, saindo pelo atrióporo, e nesse
percurso, ela traz o oxigênio, as partículas alimentares e elimina o gás carbônico e os resíduos da digestão.
- reprodução: sexuada, dióicos, fecundação externa e desenvolvimento direto.

Vertebrados: característica mais comum é a presença da coluna vertebral, com função de sustentação do corpo e proteção da medula
espinhal.
o Características gerais dos Vertebrados:
▪ Sist. Esquelético: de origem mesodérmica; divide-se em:
- esqueleto axial: formado pelo crânio e coluna vertebral, onde se articulam as costelas.
- esqueleto apendicular: formado pelos apêndices corporais (nadadeiras, asas pernas braços, etc) e pelas cinturas pélvica
e escapular.
▪ Sist. Muscular: estriado esquelético (fixados no esqueleto e responsáveis pelos movimentos
corporais), liso (presente nas vísceras ocas como esôfago, estômago, intestino, etc) e estriado cardíaco (presente no coração e
responsável pelo bombeamento sangüíneo).
▪ Sistema Tegumentar (pele): formado pela epiderme e derme, com função de proteger os tecidos e
órgãos (origina escamas, placas córneas, cornos, penas e pêlos) e também secretar substâncias e atuar como superfície
respiratória, entre outras;

4
Exemplos: peixes e anfíbios possuem glândulas mucosas que secretam um muco que umedece e lubrifica a pele; algumas
espécies apresentam glândulas de veneno que servem para afastar os inimigos; mamíferos possuem como glândulas
tegumentares as glândulas mamárias, sebáceas, sudoríparas e as lacrimais.
▪ Sistema Nervoso: sistema nervoso constituído pelo:
SNC - encéfalo, nervos cranianos (10 pares nos peixes e anfíbios e 12 nos répteis, aves e mamíferos), SNP - medula espinhal
e nervos espinhais;
▪ Sistema Sensorial: formado por células especializadas na detecção de estímulos físicos e químicos
constituindo os órgãos dos sentidos como ouvidos, olhos, linha lateral nos peixes, etc.
▪ Sistema Digestivo: completo (boca, faringe, esôfago, estomago, intestino e ânus ou cloaca); duas
glândulas associadas: o fígado (produz a bile, cuja função é emulsionar as gorduras presentes no alimento, facilitando a
digestão) e o pâncreas (produz uma secreção que neutraliza acidez estomacal e também produz enzimas digestivas).
- intestino: comprimento relacionado ao tipo de dieta da espécie; os herbívoros apresentam um intestino mais longo que os
carnívoros pois a digestão dos vegetais é mais lenta.
▪ Sistema Circulatório: sangue é bombeado pelo coração, passa pelas artérias e capilares sangüineos
e retornam ao coração através das veias; o coração apresenta dois tipos de câmaras: o átrio e o ventrículo.
- Peixes: o coração possui um átrio e um ventrículo; átrio – ventrículo – brânquias – artéria aorta, de onde segue para
todo o corpo.
- Anfíbios: o coração possui dois átrios e um ventrículo; o sangue venoso penetra no átrio direito e o sangue arterial no
átrio esquerdo e desses, o sangue passa para o ventrículo onde ocorre a mistura do sangue arterial com o sangue venoso
e então é bombeado sendo conduzido parte para os pulmões e parte aos diversos tecidos corporais.
- Répteis: o coração possui dois átrios e um ventrículo, mas a mistura do sangue arterial com o venoso é menor do que
a mistura que ocorre nos anfíbios, pois o ventrículo é dividido em cavidade direita e esquerda.
- Aves e Mamíferos: o coração possui dois átrios e dois ventrículos completamente separados, não havendo mistura dos
sangues arterial e venoso.
▪ Sistema Respiratório: brânquias – órgãos especializados em realizar trocas gasosas com a água;
pulmões – órgãos especializados em realizar trocas gasosas com o ar.
- branquial: peixes e larvas dos anfíbios;
- pulmonar: anfíbios adultos, répteis, aves e mamíferos.
- respiração cutânea: ocorre nos anfíbios, através da pele.
▪ Sistema Excretor: excreção consiste na eliminação das substâncias nitrogenadas; o órgão excretor
dos vertebrados é o rim.
- animais amoniotélicos: são os que excretam amônia, substância solúvel mas muito tóxica e por isso os animais perdem
grande quantidade de água para excreta-la; são os animais aquáticos, em especial os peixes.
- animais ureotélicos: são aqueles que excretam uréia, substância menos tóxica que a amônia; são os anfíbios, os
mamíferos e algumas tartarugas.
- animais uricotélicos: são os que excretam acido úrico, também menos tóxica que a amônia; são os répteis e as aves. o
Obs.: tanto a uréia quanto o acido úrico podem ser acumulados temporariamente na forma de soluções concentradas
(urina), fazendo com que esses animais economizem água.
- rim pronefro ou cefálico: presente em todos os vertebrados durante a fase embrionária, desaparecendo ao fim dessa
fase. Recolhe excreta apenas do celomas
- rim mesonefro ou torácico: persiste nos adultos de peixes e anfíbios. Recolhe excretas do celoma e do sangue.
- rim metanefro ou abdominal: substitui o rim mesonefro nos répteis, aves e mamíferos. Recolhe excretas do sangue.

o Reprodução dos Vertebrados: sexuada, sendo a maioria das espécies dióicas; a fecundação pode ser interna
ou externa e nos peixes ósseos e nos anfíbios, de modo geral, ocorre desenvolvimento indireto; nos peixes
cartilaginosos, répteis, aves e mamíferos, o desenvolvimento é direto.

▪ Reprodução dos peixes:


- Agnatos: têm desenvolvimento direto como os peixes-bruxa ou desenvolvimento indireto, como as
lampreias, cuja larva é denominada de amocetes (vivem enterradas e são filtradoras).
- Condrictes: têm fecundação interna e desenvolvimento direto; há espécies ovíparas, ovovivíparas e
algumas vivíparas.
- Osteíctes: a fecundação pode ser externa ou interna e o desenvolvimento pode ser direto ou indireto
(alevinos); podem ser ovíparos ou ovovivíparos e muitas apresentam rituais de corte nupcial. ▪
Reprodução dos anfíbios:
- a maioria é ovípara com fecundação externa e desenvolvimento indireto (girino); apresentam rituais
de corte. ▪ Reprodução dos répteis e aves:

5
- apresentam fecundação interna e seus ovos desenvolvem-se no ambiente terrestre; o desenvolvimento
é direto.
- ovo terrestre: possui uma casca que protege do ressecamento e também possui grande quantidade de
reservas alimentares (vitelo) que nutre o embrião durante o desenvolvimento.
- anexos embrionários: estruturas que possibilitam o desenvolvimento do ovo fora da água; são: o
âmnio: repleto de líquido que envolve o embrião e protege contra o ressecamento e choques
mecânicos. o alantóide: ligado ao intestino e é onde são armazenadas as excreções do
embrião.
o saco vitelínico: local de armazenamento do alimento que nutre o embrião.
o córion: membrana bastante vascularizada que envolve o embrião e demais anexos embrionários e com função
de realizar trocas gasosas.
▪ Reprodução dos mamíferos:
- Ordem Prototheria (monotremados): são ovíparos e seus ovos são carregados em uma bolsa de pele ventral ou
aquecidos em um ninho; os recém nascidos alimentam-se do leite que escorre entre os pelos da mãe (elas não possuem
mamilos); os representantes mais comuns são os ornitorrincos e as équidnas.
- Ordem Metatheria (marsupiais): seu desenvolvimento inicia-se no interior do útero materno, mas depois de algumas
semanas, o embrião ainda imaturo nasce e desloca-se para o marsúpio (bolsa de pele no ventre da mãe), onde completa
o seu desenvolvimento; os filhotes nutrem-se do leite sugando-o dos mamilos da mãe; são os cangurus, os gambás,
entre outros.
- Ordem Eutheria (placentários): são mamíferos cujo desenvolvimento embrionário ocorre no interior do útero
materno, recebendo alimento e O2 e eliminando excreções e CO2 através da placenta; é a maioria dos mamíferos,
inclusive os humanos.

➔ Filo Chordata (cerca de 53 mil espécies descritas):

Categoria Taxonômica Características


Subfilo Urochordata Animais cujas larvas apresentam características típicas dos cordados, com notocorda na
(tunicados) região caudal, adultos só mantém as fendas branquiais; marinhos e com uma túnica
protetora; são as ascídias.
Subfilo Cephalochordata Animais com extremidades afiladas e tubo nervoso dotado de pequena dilatação na região
anterior; notocorda persistente no adulto, marinhos, vivendo semi-enterrados nas areias das
praias; são os anfioxos.
Subfilo Vertebrata Animais dotados de crânio e vértebras (coluna vertebral).
Superclasse Pisces Vertebrados desprovidos de pernas, aquáticos e exotérmicos (temperatura varia em função
da temperatura do ambiente).
- Classe Agnatha Peixes com esqueleto cartilaginoso e sem mandíbula; são os peixes-bruxa e as lampreias.
- Classe Chondrichthyes Peixes mandibulados com esqueleto cartilaginoso, corpo recoberto por escamas
(peixes cartilaginosos) epidérmicas; são os tubarões, raias e quimeras.
- Classe Osteichthyes Peixes mandibulados com esqueleto ósseo, corpo recoberto por escamas de origem dérmica;
(peixes ósseos) maior nº de espécies e são exemplos às sardinhas, cavalos-marinhos, bagres, etc.
Superclasse Tetrapoda Vertebrados dotados de pernas.
- Classe Amphibia Tetrápodes geralmente com desenvolvimento indireto cujas larvas apresentam respiração
(anfíbios) branquial e adultos respiração pulmonar e cutânea, exotérmicos; sapos, rãs e salamandras.
- Classe Reptilia Tetrápodes recobertos com escamas ou placas córneas epidérmicas, respiração pulmonar,
(répteis) exotérmicos e com ovos terrestres; são os jacarés, tartarugas, lagartos e serpentes.
- Classe Aves Tetrápodes recobertos por penas, respiração pulmonar, endotérmicos (controle interno da
temperatura corporal) e ovos terrestres; são os pássaros como pombos, patos, etc.
- Classe Mammalia Tetrápodes com corpo recoberto por pêlos, respiração pulmonar, endotérmicos e com
(mamíferos) glândulas produtoras de leite para a alimentação dos jovens; cães, baleias, morcegos,
humanos, entre outros.

6
7