Você está na página 1de 15

Índice

Declaração de honra..........................................................................................................2
1. Introdução..................................................................................................................3
2. Objectivos..................................................................................................................4
2.1. Abordagem metodológica......................................................................................4
CAPITULO I.....................................................................................................................5
3. Referencial teórico.....................................................................................................5
3.1. O que são práticas pedagógicas?........................................................................5
3.2. Importância das práticas pedagógicas....................................................................6
CAPITULO II....................................................................................................................8
4. Descrição da Escola primária do 1º e 2º Graus de Namuithi.....................................8
4.1. Breve historial da escola primária do 1º e 2º Graus de Namuithi..........................8
4.2. O porque do nome Namuithi..................................................................................8
4.3. Direcção da escola..................................................................................................8
4.4. Número de professores, disciplinas, sexo...............................................................8
4.5. Número de classes e turmas por classe...................................................................9
4.6. Número de alunos por classe..................................................................................9
4.7. Como esta distribuição dos alunos por turma.......................................................10
CAPITULO III................................................................................................................11
1. Processo de Assistência............................................................................................11
1.1. Dias de aula e as disciplinas dadas.......................................................................11
1.2. Temas assistido durante as práticas pedagógicas.................................................11
2. Interacção e Métodos usados pela professora..........................................................11
3. Aspectos negativos...................................................................................................12
4. Aspecto positiva.......................................................................................................12
5. Conclusão.................................................................................................................13
6. Referências bibliográficas........................................................................................14
7. Anexos......................................................................................................................15

1
Declaração de honra

Eu, Amelia Boavida Cossa, declaro por minha honra que este trabalho de licenciatura é
da minha autoria. Este trabalho nunca foi submetido em nenhuma instituição para
obtenção de qualquer grau académico e que ela constitui o resultado da minha
investigação, estando indicadas no texto e na bibliografia as fontes que foram usadas.

Assinatura

_____________________________________

Amelia Boavida Cossa

Cuamba, Novembro de 2018

2
1. Introdução

Escola é um espaço fechado que permite a realização de projectos pedagógicos


encerados no meio social que se abre cada vez mais para o exterior, esta organizada
duma maneira que condiciona a aprendizagem e que tem as suas características do
funcionamento.

O relatório está dividido em capítulos para facilitar a compreensão das actividades


executadas pelo autor. Espelhou se a necessidade de observar o domínio das funções
didácticas, dos métodos, dos meios, da planificação diárias, pois é na efectivação destes
elementos que os conteúdos possam ter efeitos positivos imediatos.

É na cadeira de Práticas Pedagógica, que são implementadas as actividades curriculares


que garantem um contacto experimental com situações psíquicas e pedagógicas e ainda
didácticas concretas que contribuem para preparar de forma gradual o estudante para a
vida profissional da qual a importância é de aproximar o futuro professor a situações
reais de ensino e aprendizagem permitindo a aplicação de conhecimentos adquiridos na
sala.

As PPs, visam colocar o estudante em contacto directo com a realidade profissional do


curso em que esta frequentar, proporcionando-lhe novas aprendizagens, prática.

2. Objectivos
3
Os objectivos deste relatório centram-se em descrever a Escola primária do 1º e 2º
Graus de Namuithi indicar os sectores que guiam o funcionamento da escola, a
estruturação e o seu funcionamento, ainda mais procura Identificar os problemas
enfrentados pela escola, Fornecer o número de professores e alunos que fazem parte
desta escola, identificar os níveis académicos do corpo directivo e dos de mais docentes,
indicar os constituintes básicos duma escola, descrever os materiais necessários numa
escola, identificar a contribuição de cada sector no PEA.

2.1. Abordagem metodológica

O autor partiu da concepção de Nérici (1991) ao afirmar que Método é o caminho pelo
qual se pretende alcançar um certo objectivo proposto. Nesta ordem de ideia, para a
elaboração deste presente relatório foi necessário o uso de diversos métodos com maior
destaque para o método de observação de entre eles (Directa e Indirecta) e método
bibliográfico que consistiu na revisão bibliográfica.

CAPITULO I

4
3. Referencial teórico

De acordo com DIAS (2010:16) as PPs visa preparar os estudantes para observar e
analisar criticamente situações escolares nos aspectos organizacionais, pedagógicos e
administrativos. Esta disciplina possibilita ainda uma vivência real no meio escolar em
contacto com os alunos, professores e funcionários de modo a criar no estudante da IFPs
hábitos de trabalho, de colaboração e de convivência apropriada a esse meio.

O Trabalho de Campo nas Práticas Pedagógicas pode ser realizado de forma real ou
virtual (simulada). Na forma real, o praticante desloca-se a Escola Integrada e trabalha
em ambiente escolar verdadeiro. Na forma virtual ou simulada, o praticante permanece
na IFPs e trabalha com vídeos de escolas, de aulas, com entrevistas aos vários actores
intervenientes no ambiente escolar diz (DIAS;2010:24).

Quando pensamos em práticas pedagógicas, imediatamente reflectimos sobre medidas


que podem implicar melhor aprendizagem dos alunos. Mais do que isso: atitudes e
condutas que tornem o processo educativo mais enriquecedor, tanto para os
alunos quanto para os professores.

Nesse sentido, fazer uma constante análise de qualidade da educação e dos métodos de
ensino é parte fundamental nesse processo, já que eles interferem directamente no
quotidiano escolar.

3.1. O que são práticas pedagógicas?

O processo de ensino, por ser uma prática social, se constitui em um fenómeno


complexo que envolve uma multiplicidade de elementos interdependentes. No
quotidiano da sala de aula, esses elementos (professor, aluno, conteúdo, procedimentos,
teoria, prática, disciplina, tempo, família, tecnologias, ensino, aprendizagem, contexto
sóciopolítico-econômico, entre outros,) interagem e determinam a prática pedagógica. É
fato que tais elementos se apresentam com maior ou menor intensidade e de maneira
variada, a depender do contexto em que os sujeitos estão inseridos. Na escola, espaço
onde se concretiza o processo de ensino, materializado na prática pedagógica, destaca-
se o professor como sujeito responsável para organizar, mediar, gestar situações de
ensino e de aprendizagem a partir dos desafios suscitados por tais elementos no
quotidiano escolar. Dentre os diversos desafios que interferem na prática pedagógica,

5
destacamos neste trabalho a dificuldade de leitura dos alunos que ingressam no Ensino
Fundamental.

Primeiramente, nós precisamos ter a noção de que há uma definição fechada desse
conceito. Ele está apto a novas contribuições e é constantemente renovado pelos
pensadores da área de pedagogia.

Além disso, uma prática pedagógica não se encerra na sala de aula ou na relação
professor e aluno, já que expande a  sua abrangência, englobando a sociedade como um
todo.

A prática pedagógica é influenciada pelos aspectos conjunturais e estruturais da


sociedade brasileira. A conjuntura pode ser visualizada nos aspectos da gestão
educacional, do desenvolvimento das propostas curriculares, dos programas sociais a
exemplo da políticas de cotas etc.

3.2. Importância das práticas pedagógicas

A relevância de uma prática pedagógica aplicada na educação infantil está em sua


continuidade. Ou seja, um aluno que, quando criança, entrou em contacto com boas
práticas, carrega isso durante o resto de seus anos escolares. Tanto o formando quando
submetido a boas práticas pedagógicas se torna um professor com competências
suficientes se não boas para a futura profissão.

Isso não diminui, nem um pouco, a importância de aplicá-las também no ensino médio
ou fundamental. Apenas realça a necessidade de pensarmos nessas estratégias sob uma
perspectiva estrutural, que também implique conquistas obtidas a longo prazo.

Desse modo, fica nítida a contribuição que um planeamento efectivo e a busca por
melhores práticas pedagógicas podem trazer para uma instituição, renovando-a e
fazendo com que ela tenha seus diferenciais na formação.

Este relatório foi compilado a seguir uma sequência lógica:

Estas tiveram início no 1º semestre do ano 2018, mas concretamente no mês de Março e
estas gozaram de um relatório parcial do mesmo género onde eram ilustradas
informações dos espaços físicos da escola, e assistências das aulas ou seja contacto com
os alunos e os espaços físicos.

6
Neste poderemos especificar exactamente o sentimento de leccionar, a experiencia
obtida por mim em meio as praticas e expressar não só por palavras mas por anexos
inseridos no mesmo relatório para concretizar o aprendizado naquela instituição de
ensino.

7
CAPITULO II
4.  Descrição da Escola primária do 1º e 2º Graus de Namuithi
4.1. Breve historial da escola primária do 1º e 2º Graus de Namuithi

Breve historial da escola primária do 1º e 2º Graus de Namuithi, localiza-se no bairro do


mesmo nome, e fica situada no sul da Cidade de Cuamba a 1,5 km do cemitério de
nayeka, próximo da quinta Timbwa.

Esta escola foi fundada no ano 2006, na altura da sua fundação esta escola pertencia a
salas anexas da escola primária completa de Mutxora, actual EP1 e EP2. Através da
contribuição da comunidade daquele bairro foram adquiridas 2 salas de aula feitas de
material precário e no dia 2 de Março de 2007 a escola passou a funcionar como EP1 de
namuithi, independente, actualmente a escola funciona com 12 salas de aula, das quais 7
feitas de material precário e 5 de material convencional.

4.2. O porque do nome Namuithi

A escola e o bairro são chamados de namuithi porque antigamente as mulheres haviam


escolhido uma pedra onde pilavam e moíam seus alimentos, “mapira, arroz, milho,
feijões”, entre tanto houve uma briga entre duas mulheres em que uma levou almofariz
e começou a espancar a outra. Por almofariz significar “Muithi” em emakhua, foi
baptizado o bairro e por a escola estar dentro do mesmo passou a usar o nome do bairro.

4.3. Direcção da escola

A escola como sendo uma organização com regras e regulamentos, segue uma
hierarquia.

Director: Ysmildo Lourenço

Director Adjunto Pedagógico: Irene Constância Galhardo Soares Mário

Actual Director da escola: Castelo Aloane

4.4. Número de professores, disciplinas, sexo

A escola primária do 1º e 2º Graus de Namuithi funciona com 36 professores dos quais


28 são do sexo feminino e 8 são do sexo masculino leccionando as diferentes classes e
disciplinas que a escola possui.

8
4.5. Número de classes e turmas por classe

A escola tem 7 classes e distribuídas em 29 turmas em classes diferentes como segue o


quadro:

4.6. Número de alunos por classe

Classe Turma Homens Mulheres total


1ª A,B,C,D 190 207 397
2ª A,B,C,D,E 186 204 390
3ª A,B,C,D,E 134 152 286
4ª A,B,C,D,E 121 175 296
5ª A,B,C,D 138 175 313
6ª A,B,C,D 112 105 217
7ª A,B,C 117 138 255

Docentes

Docentes Docentes Docentes Quadros Contratados Total Doentes Total


N1 N3 N4 geral no
activo
H M H M H M H M H M H M H M H M
- - 8 13 2 12 10 25 - - 1 26 - 1 1 25
0 0
- 21 14 35 - 36 35

Não docentes

Técnicos As. Técnico Ag. Serviço Guara Total


H M H M H M H M H M
- 2 - 1 1 3 1 - 2 6
3 1 4 1 8

4.7. Como esta distribuição dos alunos por turma

A escola dispõe de 3 “três” turnos que são:

1º Turno pertence ao 1º ciclo e uma classe do 3º ciclo (1ª, 2ª , e 7ª classes), a entrada e


as 6:30 e a saída e as 9:30 sendo que a 7ª classe vai até as 12:05.

9
2º Turno pertence ao 2º ciclo (3ª e 5ª), entra as 10:00h e saem as 13h:30.

3º Turno (4ª , 5ª e 6ª classes), entrada as 13h:30 e saída as 16h:45.

CAPITULO III
1. Processo de Assistência
1.1. Dias de aula e as disciplinas dadas

10
As aulas foram dadas nas quartas-feiras, nas disciplinas de português e matematica na 5ª
classe.

1.2. Temas assistido durante as práticas pedagógicas


 Operação e propriedade;
 Modo conjuntivo;
 Numeração romana;
 Como posso ajudar a manter a minha casa segura;
 Unidade de Capacidade;
 Leitura e interpretação do texto (onde devemos atravessar a rua);
 Leitura e interpretação de texto (porque devemos usar cinto de segurança);
 Grandezas e medidas;
 Província de Maputo;
 Exercício de aplicação;
 Classificação dos quadriláteros;
 Voz activa e voz passiva;
2. Interacção e Métodos usados pela professora

Segundo Merenne (1999) e Libâneo (1992) método é o caminho para se alcançar um


objectivo pré-definido. Portanto, os professores de Geografia usam várias alternativas
no processo de leccionação para alcançar esses objectivos numa dada aula.

No que tange aos métodos, durante o processo de assistência de aulas notou-se uma
predominância do método de elaboração conjunta porque na aula houve muitas
contribuições por parte dos alunos o que permitia uma forte interacção entre a
professora e alunos até em algum momento a professora foi obrigada a limitar alguns
alunos como forma de gerir o tempo diante deste facto, ela sentiu a necessidade do uso
do método expositivo, pois tratando-se de ultimo trimestre, o objectivo de qualquer
docente é terminar com os programas.

A interacção entre alunos, principalmente em grupos pequenos, favorece uma


aprendizagem mais rica através do diálogo que irá estimular o aparecimento de níveis
de pensamento mais elevados, isto é, o pensamento crítico (Fontes & Freixo, 2004).

A aprendizagem significativa dá-se quando o aluno escolhe relacionar novas


informações com ideais que já conhece. A sua qualidade também esta dependente da
riqueza conceptual do novo material a ser aprendido. A aprendizagem por memorização

11
ocorre quando o aluno memoriza novas informações sem as relacionar com
conhecimentos anteriores, ou quando apreende material que não tem relação com
conhecimentos anteriores. Existe uma sequência na aprendizagem, desde da puramente
memorizável até a altamente significativa. Para que as aprendizagens sejam
significativas, elas devem proporcionar às crianças uma variedade de actividades e de
utilização de materiais. Os alunos devem ter tempo para adquirir conhecimentos
experienciados. As aprendizagens melhoram significativamente, se houver oportunidade
das crianças trabalharem com pares e em grupo. Os professores deverão fazer perguntas
ou sugestões que estimula o pensamento os alunos (Le Galle, s.d., p.45). A
aprendizagem significativa tem 3 requisitos: conhecimentos anteriores relevantes;
material significativo e os alunos devem escolher aprender significativamente.

3. Aspectos negativos

Durante as pesquisas que fiz puderam notar que os alunos faltam muito chegam muito
tarde. Numero maior dos alunos atrasam nos primeiros tempos.

Nos dias de chuva e o maior número dos alunos chegam tarde, não assistem aulas das
primeiras horas, isso acontece pelo motivo de matope existente na escola e em todo
caminho a escola.

4. Aspecto positiva

Do meu ponto de vista a direcção da escola é muito hospitaleira, assim como os


funcionários docentes e não docentes. Os professores trabalham bem com os formandos.
Os alunos receberam-nos bem e estão a ser bem comportados

5. Conclusão

A prática pedagógica é uma etapa fulcral para a prática profissional, pois permite-nos
desenvolver e construir competências para a prática profissional. Foi uma experiência

12
enriquecedora, quer ao nível pessoal, quer ao nível profissional. Esta etapa foi
fundamental, para podermos colocar na prática todos os conhecimentos teóricos que
fomos adquirindo ao longo do percurso académico. Também nos permite o contacto
com a realidade profissional, com todos os nossos receios e incertezas.

Um professor nunca deixa de aprender e todos os dias tem de se recriar, investir na sua
formação, de se adaptar. O que pretendemos é nos reinventarmos todos os dias,
afastando assim a acomodação que tanto incomoda.

6. Referências bibliográficas

https://www.ebah.com.br/content/ABAAAgOuIAI/relatorio-pratica-pedagogica-geral

13
https://googleweblight.com/i?u=https://www.ebah.com.br/content/ABAAAgOuIAI/relatorio-
pratica-pedagogica-geral&hl=pt-PT&grqid=Hs8x23fI&geid=1055#

Fontes orais:
 Director: Ysmildo Lourenço
 Director Adjunto Pedagógico: Irene Constância Galhardo Soares Mário

7. Anexos

14
15