Você está na página 1de 15

®

MOROSIL
BIONAP / ITÁLIA
Morosil® (Bionap/Itália)
Até 50% menos barriga

Nome Científico: Citrus aurantium dulcis (Citrus Sinensis L. Osbeck)

A obesidade e o sobrepeso têm se tornado um grave problema de saúde pública


no mundo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que pelo menos 1 bilhão
de pessoas apresente excesso de peso, das quais, 300 milhões são obesos. No Brasil,
um levantamento feito pelo Ministério da Saúde pela Pesquisa de Vigilância de
Fatores de Risco e Proteção para Doenças crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel),
de 2017, apontou que quase 1 em cada 5 (18,9%) são obesos e que mais da metade
da população das capitais brasileiras (54,0%) estão com excesso de peso.
A obesidade é caracterizada pelo acúmulo de gordura corporal devido,
principalmente, à má alimentação, sendo que esta condição quando não tratada pode
levar ao desenvolvimento de outras doenças metabólicas, como diabetes mellitus tipo
2, esteatose hepática e doenças cardiovasculares.
As causas do sobrepeso e obesidade não são apenas individuais, mas também
ambientais e sociais. A determinação multifatorial do sobrepeso e da obesidade está
relacionada ao modo de vida das populações modernas, que consomem cada vez
mais alimentos processados, energeticamente densos e ricos em açúcares, gorduras e
sódio, com uma quantidade de calorias consumidas além da necessidade individual.
Quando consumimos alimentos capazes de fornecer mais energia que nosso
organismo necessita, diversos mecanismos são ativados para o armazenamento de
energia na forma de triacilgliceróis nos adipócitos. Em uma dieta desregrada, ocorre
um aumento no volume dessas células, pois as mesmas acumulam triacilglicerol
durante o excesso nutricional.
Os adipócitos também são responsáveis por sintetizar e segregar moléculas
biologicamente ativas chamadas de adipocitocinas. Este fato demonstra que o tecido
adiposo atua em uma importante função endócrina, mantendo intensa comunicação
com os demais órgãos e sistemas orgânicos, tendo influência em uma série de
processos fisiológicos como o controle da ingestão alimentar, a homeostase
energética, sensibilidade à insulina, angiogênese, proteção vascular, regulação da
pressão e da coagulação sanguínea. Uma alteração na secreção de adipocitocinas,
devido à hipertrofia e/ou hiperplasia dos adipócitos, poderia estar relacionada ao
início do processo fisiopatológico da obesidade e suas complicações.
A adiponectina é uma adipocitocina altamente expressa pelos adipócitos. Ao
contrário da maior parte das proteínas secretadas pelo tecido adiposo, a concentração
de adiponectina secretada é inversamente proporcional ao tamanho do adipócito, ou
seja, ao conteúdo lipídico nele contido. Sendo assim, observa-se que adipócitos com
baixo conteúdo de lipídio secretam hormônios sensíveis à insulina, como a
adiponectina, leptina e outros peptídeos. Já os adipócitos com alto conteúdo lipídico
causam uma diminuição da produção de desses hormônios, resultando na resistência
à insulina. Dessa forma, as concentrações séricas de adiponectina são menores em
indivíduos obesos, uma vez que se correlacionam negativamente com a porcentagem
de gordura corpórea.
A dieta mediterrânea é extremamente conhecida e considerada muito saudável
por ser baseada nos alimentos característicos de alguns dos países banhados pelo
mar Mediterrâneo. É rica em frutas, legumes, peixes, grãos integrais, gordura
insaturada, como o azeite e quantidades moderadas de vinho. O consumo desses
alimentos cotidianamente trazem inúmeros benefícios por serem fontes de vitaminas,
minerais, ácidos graxos mono e poliinsaturados, fibras e antioxidantes, que
proporcionam uma modulação no peso corporal, diminuição do risco de doenças
crônicas e consequente aumento da longevidade. Dentre os alimentos consumidos
nessa dieta encontra-se a laranja Moro, que se diferencia dos outros tipos de laranjas
por apresentar uma polpa de tom avermelhado. Essa cor é garantida por um
pigmento natural hidrossolúvel, a antocianina, que possui uma ação antioxidante
capaz de regular as disfunções dos adipócitos. Pensando nos benefícios vindos do
mediterrâneo, a Galena apresenta um importante aliado no gerenciamento do peso, o
Morosil, ativo natural obtido do suco da laranja Moro que auxilia na redução da
gordura abdominal, atua como coadjuvante no cuidado da esteatose hepática, além
de contribuir na sensibilidade à insulina, sendo um importante aliado para o cuidado e
prevenção da obesidade.

Morosil® é um extrato seco obtido a partir do suco de laranjas vermelhas Moro


(Citrus sinensis (L) Osbeck ou Citrus aurantium dulcis), cultivado exclusivamente na
área em torno do vulcão Etna no leste da Sicília (Itália), devido às únicas condições
climáticas e ambientais da região. A laranja Moro se destaca por sua excelente
aparência e coloração vermelha, que é a principal fonte dos pigmentos de
antocianina, um excelente antioxidante, que geralmente não é encontrado em outras
frutas cítricas, como nas laranjas amarelas. Além desta diferença, sabe-se que as
laranjas vermelhas também possuem maior teor de vitamina C e compostos fenólicos
do que as amarelas.
Os compostos bioativos da laranja Moro são principalmente: antocianinas,
flavonoides, ácidos hidroxicinâmicos e ácido ascórbico, apresentando propriedades
biológicas interessantes, sendo considerado um suplemento alimentar com grande
potencial antioxidante.
Compostos bioativos de Morosil®.

Estudos científicos têm mostrado o papel do suco da laranja vermelha no


cuidado e prevenção da obesidade, resistência à insulina, esteatose hepática e
doenças cardiovasculares.
Sabe-se que a hipertrofia dos adipócitos é um mecanismo presente na
obesidade que, por gerar hipóxia tecidual, está associada com o desenvolvimento de
inflamação e resistência à insulina sistêmica. Os compostos presentes no suco da
laranja Moro são capazes de atuar diretamente na prevenção desses mecanismos,
especialmente a antocianina especifica C3G, que é responsável por contribuir no
controle da expressão da proteína transportadora de ácidos graxos, diretamente
envolvida na captação de lipídeos pelos adipócitos.
A adiponectina é um hormônio responsável por modular diversos processos
metabólicos. A redução do conteúdo lipídico nos adipócitos, devido à ação dos
bioativos presentes no suco da laranja Moro, leva ao aumento da secreção de
adiponectina. Este hormônio irá atuar regulando os níveis de triglicérides no músculo
e fígado, reduzindo a resistência à insulina. Este efeito é consequência do aumento de
moléculas envolvidas tanto na metabolização de ácidos graxos, quanto na dissipação
de energia muscular.
O efeito do extrato da laranja vermelha Moro se deve pela ação sinérgica dos
polifenóis presentes neste extrato. Neste caso, observa-se a diminuição da HMG-CoA
redutase, enzima fundamental na síntese do colesterol, levando a uma redução do
colesterol tecidual e um consequente aumento na expressão dos receptores de LDL.
Os compostos fenólicos do suco da laranja Moro também contribuem para a redução
da inflamação e estresse oxidativo (EO), eventos que estão associados com a
hipertrofia dos adipócitos e com a adipogênese.

O suco de laranja vermelha também reduz as concentrações sanguíneas de


citocinas, endotoxinas, PCR-US (proteína C-reativa ultra sensível), lipoproteína de
baixa densidade (LDL), bem como melhora a dilatação mediada pelo fluxo, o perfil de
coagulação e os níveis séricos de vitamina C e acido fólico. Além disso, os compostos
bioativos do extrato da laranja Moro podem contribuir para a redução da esteatose
hepática por aumentar a expressão de genes lipolíticos e diminuir a expressão de
genes lipogênicos no fígado como o LXR e a FAS, envolvidos na síntese de
triacilgliceróis, além de aumentarem a oxidação de gorduras via mecanismos
dependentes de PPAR. O resultado dessa modulação na expressão gênica é uma
melhora significativa do acúmulo de gordura no fígado e uma redução nos níveis
sanguíneos de triacilgliceróis.
Acredita-se que grande parte desses efeitos da laranja vermelha na obesidade
sejam mediados pelas antocianinas (especialmente a C3G) e seus metabólitos.
Entretanto, sabe-se que esses antioxidantes também têm seu efeito ampliado pelos
outros compostos presentes na laranja Moro. Todos estes fatores fazem do Morosil®
um importante nutracêutico, contribuindo efetivamente para o combate da obesidade
e suas complicações.

Regulação de adipocitocinas relacionadas com o desenvolvimento de


diabetes Mellitus e obesidade, pela antocianina C3G (Tsuda et al. 2008)

A desregulação das adipocitocinas está fortemente associada à síndrome


metabólica. Por exemplo, os níveis de adiponectina apresentam-se baixos no plasma
sanguíneo nos casos de obesidade e de resistência à insulina. Dessa forma, a
utilização de compostos capazes de melhorar a função dos adipócitos e regular a
expressão das adipocitocinas pode ser uma forma de prevenir e amenizar o
desenvolvimento dessas doenças.
Sendo assim, no estudo de Tsuda et al. 2008, foi avaliada a expressão gênica
de diversos fatores relacionados com o metabolismo lipídico e a regulação das
adipocitocinas em células adiposas humanas. Neste estudo, pré adipócitos humanos
foram cultivados em meio de cultura até se diferenciarem em adipócitos, sendo que
13 dias após a diferenciação foram tratadas com antocianina C3G ou cianidina, como
controle positivo, por 24h. O nível de expressão gênica das adipocitocinas foi avaliado
pela técnica de microarranjos de RNA.

Avaliação da expressão gênica de adipocitocinas por adipócitos humanos.

Resultados: Os resultados obtidos demonstraram um aumento da expressão


gênica de adiponectina, citocinas importante no aumento da sensibilidade à insulina.
Além disso, os adipócitos apresentaram redução na expressão gênica de PAI-1
(inibidor do ativador de plasminogênio) e IL-6, sendo que os níveis elevados da
expressão gênica dessas adipocitocinas estão diretamente relacionados com o
desenvolvimento de diabetes Mellitus tipo 2 e da obesidade.

Efeito do suco da laranja Moro no gerenciamento do peso (Titta L, et al.


2009)

Estudo publicado na conceituada revista International Journal of Obesity


mostrou que o extrato Moro obtido do suco enriquecido, pode reduzir o ganho de
peso e o acúmulo de gordura induzida em ratos alimentados com dieta hiperlipídica.
Neste estudo, os ratos foram alimentados com uma média de 4,0 ml de água,
suco de laranja amarela ou suco de laranja moro diariamente, e recebendo uma dieta
rica em gordura contendo aproximadamente 5,24 kcal/g. Durante 12 semanas, o
peso corporal dos ratos foi medido e na última semana os ratos foram sacrificados e a
massa gorda inguinal, interescapular e abdominal foram avaliadas. Neste mesmo
estudo também foi analisado o tecido adiposo dos ratos em corte histológico, a fim de
verificar o efeito do suco de laranja Moro na redução do tamanho dos adipócitos

a) b)

Porcentagem de redução do peso corporal (a) e de gordura abdominal/inguinal (b).


HFD=Dieta rica em gordura.

Avaliação do tamanho dos adipócitos em ratos.


Resultados: Avaliando o peso corporal e a gordura abdominal, os ratos que
consumiram o suco de laranja Moro apresentaram um ganho de massa corporal muito
menor que os ratos alimentados com água ou com suco de laranja amarela. Além
disso, os ratos alimentados com o suco de laranja Moro apresentaram uma redução
de até 50% da gordura abdominal. Foi observado de acordo com o tamanho dos
adipócitos, que os ratos que receberam somente água durante a dieta rica em
gordura apresentaram, de fato, uma hipertrofia dos adipócitos, sendo que os ratos
que receberam o suco de laranja amarela não apresentaram nenhuma alteração no
tamanho dos adipócitos. Por outro lado, os ratos que receberam o suco de Laranja
Moro apresentaram redução significativa do tamanho dos adipócitos.
O suco de laranja Moro, devido à sua composição, apresentou um efeito
interessante no controle do peso corporal e da gordura abdominal, além de atuar
diretamente na redução do tamanho das células adipócitas. Além disso, observou-se
que, diferentemente da laranja Moro, o suco de laranja comum não apresenta
influência no controle de peso e no acúmulo de gordura.

Efeito do suco de laranja Moro na esteatose hepática (Salamone et al.


2012)

A esteatose hepática caracteriza-se pelo acúmulo de gordura nas células do


fígado, é comum em pacientes com sobrepeso, obesos e diabéticos, e é geralmente
induzida pelo alto consumo de álcool e/ou de alimentos gordurosos. No estudo de
Salamone et al. 2012 diversos fatores relacionados à esteatose hepática foram
avaliados a fim de se observar a ação do suco da laranja Moro na modulação desses
fatores. Três grupos contendo 6 ratos foram determinados, sendo o primeiro um
grupo controle alimentado com uma dieta padrão e água (SD + água), um segundo
grupo alimentado com uma dieta rica em gorduras e água (HFD + água) e um
terceiro grupo alimentado com uma dieta rica em gorduras e suco de laranja Moro
(HFD + Moro) durante 12 semanas e o peso corporal monitorado semanalmente. Os
ratos foram então sacrificados e amostras do sangue e do fígado foram analisadas.

Níveis plasmáticos de colesterol, triglicérides e ALT em ratos recebendo dieta padrão + água
(SD + água), dieta rica em gorduras + água (HFD + água) e dieta rica em gorduras + suco
de laranja Moro (HFD + Moro).
Corte histológico do fígado dos ratos submetidos à dieta padrão + água (A), dieta rica em
gordura + água (B) e dieta rica em gordura + Moro (C).

Resultados: Nas amostras de sangue pode-se observar que o suco da laranja


Moro atuou reduzindo os níveis plasmáticos de triglicérides e colesterol dos animais,
os quais se apresentam aumentados quando submetidos à uma dieta rica em
gorduras. Além disso, observou-se que nos ratos em que a esteatose hepática foi
induzida pela alimentação, houve um aumento significativo dos níveis plasmático de
ALT (alanina transaminase), enzima presente nos hepatócitos que quando em altas
concentrações no sangue indica lesão celular. Os ratos que receberam o suco de
laranja Moro apresentaram níveis plasmáticos de ALT semelhantes aos ratos controle,
indicando que os compostos presentes na laranja Moro têm ação direta nos fatores
que levam ao desenvolvimento da esteatose hepática, assim como nos altos níveis de
triglicérides, colesterol e acúmulo de gordura nos hepatócitos.
Através do corte histológico do fígado, pode-se observar também que os ratos
submetidos a uma dieta rica em gorduras e água apresentaram esteatose hepática
além da presença de inflamação lobular e morte das células parenquimais. Já nos
ratos submetidos a uma dieta padrão e água, ou à dieta rica em gordura e suco de
laranja Moro apresentaram o tecido hepático íntegro, indicando que o suco de laranja
Moro é capaz de impedir a lipogênese nas células hepáticas e prevenir o dano celular.

Avaliação do efeito de Morosil® na redução de medidas (Venera Cardile,


Adriana Carol Eleonora Graziano & Alessandro Venditti, 2015)

Este estudo foi realizado para avaliar o efeito da suplementação de Morosil®


em voluntários saudáveis com sobrepeso durante 12 semanas em comparação com
um grupo não tratado (placebo) na redução de medidas. O estudo clínico avaliou 30
voluntários com IMC entre 25 e 35 kg/m2 que se suplementaram com 400 mg ao dia
de Morosil®. Foram realizadas medidas da circunferência de quadril e cintura, das
quais foram avaliadas no início do tratamento (T0) e após 12 semanas (T4).
Mudanças nos parâmetros físicos do tempo inicial do estudo (T0) até 12 semanas (T4)
com o placebo e suplementação com Morosil®.

Resultados: A partir dos resultados acima, pode-se observar que com a


suplementação dos voluntários com Morosil®, houve uma redução significativa das
medidas das circunferências da cintura e do quadril quando comparado com o
placebo, sendo uma redução de 7 centímetros de cintura e 6 centímetros de quadril.
Em conclusão, neste estudo clínico foi possível observar que a ingestão de
Morosil® foi capaz de inibir o acúmulo de peso em seres humanos saudáveis com
excesso de peso. Sendo assim, Morosil® pode ser considerado um ingrediente
natural útil no controle do excesso de peso e na prevenção e cuidado da obesidade.

Outros estudos desenhados e seus respectivos resultados na obesidade


e síndrome metabólica
 Contribui para o gerenciamento do peso;
 Favorece a redução em até 50% da gordura abdominal;
 Modula o metabolismo dos adipócitos, reduzindo a adipogênese e
estimulando a lipólise;
 Potente ação antioxidante através do sinergismo entre seus componentes;
 Auxilia no aumento da sensibilidade à insulina;
 Estimula a redução de triglicerídeos e colesterol total;
 Pode ser utilizado como coadjuvante no cuidado da esteatose hepática.

Morosil® é indicado para auxiliar no gerenciamento do peso, como coadjuvante


no cuidado da esteatose hepática, além de contribuir na sensibilidade à insulina,
sendo um importante aliado para o cuidado e prevenção da obesidade.
Pode ser administrado em cápsulas, sachês e adicionados em alimentos
funcionais como bebidas instantâneas.

 Gerenciamento do peso: 400 mg a 500 mg ao dia;


 Outras aplicações: 200 mg a 500 mg ao dia.

Morosil® pode ser aquecido até no máximo 30°C na fase de resfriamento.

Aspecto: Pó
Coloração: Vermelha púrpura
Sabor: Ácido
Solubilidade: Moderadamente solúvel em água
LIPODETOX – AÇÃO LIPOLÍTICA E DETOXIFICANTE
Morosil® 400 mg
Cactin 500 mg
Altilix™ 100 mg
Administrar 1 dose ao dia.

AUMENTO DA LIPÓLISE E REDUÇÃO DA ABSORÇÃO DE GORDURAS E


CARBOIDRATOS
Morosil® 200 mg
Extrato de Chá Verde (EGCG 98%) 100 mg
ID-alG™ 100 mg
Administrar 1 dose meia hora antes do almoço e jantar.

ASSOCIAR COM:

NeOpuntia® 1g
Administrar 1 dose após o almoço e jantar.

REDUÇÃO DA GORDURA ABDOMINAL E CELULITE


Morosil® 300 mg
®
Dimpless 40 mg
Cactin 500 mg
Administrar 1 dose ao dia pela manhã.

REDUÇÃO DE MEDIDAS E CUIDADO NA HIPERCOLESTEROLEMIA


Morosil® 200 mg
®
Bergavit 500 mg
ID-alG™ 200 mg
Administrar 1 dose ao dia.

ACELERADOR DE DIETAS COM RESTRIÇÃO DE CARBOIDRATOS


GoBHB™ 3g
®
Morosil 400 mg
Administrar 1 dose ao dia.

COADJUVANTE NO CUIDADO DA ESTEATOSE HEPÁTICA, RESISTÊNCIA À


INSULINA E DISLIPIDEMIAS
Morosil® 200 mg
Vinoxin® 50 mg
Ácido alfa lipoico 100 mg
Vit B6 (piridoxal 5-fosfato) 25 mg
Vitamina C 60 mg
Vitamina B5 30 mg
N-acetil cisteína 100 mg
Administrar 1 dose ao dia.

PREVENÇÃO E CONTROLE DA ESTEATOSE HEPÁTICA


Morosil® 150 mg
N-acetil-cisteína 100 mg
Ácido alfa lipóico 40 mg
Vit B6 (piridoxal-5-fosfato) 5 mg
Fosfatidilcolina 50 mg
MSM (metil sulfonil metano) 200 mg
Zinco quelato 20 mg
Administrar 1 dose 2 vezes ao dia.

ASSOCIAR COM:
Cactin 1g
Administrar 1 dose pela manhã.

- Literatura do Fabricante (Bionap/Itália)


- Guo H, et al., Cyanidin 3-glucoside protects 3T3-L1 adipocytes against H2O2 – or
TNF-a-induced insulin resistanc by inhibiting c-Jun NH2-terminal Kinase activation.
Biochem Pharmacol 75:1393-1401 (2008).
- Salamone, F et al. Moro orange juice prevents fatty liver in mice. World J Gastr
18(29):3862-3868 (2012).
- Titta L, et al., Blood Orange juice inhabits fat accumulation in mice. Int J Obesity
34(3):578-588 (2009).
- Cardile, Venera, Adriana Carol Eleonora Graziano, and Alessandro Venditti. "Clinical
evaluation of Moro (Citrus sinensis (L.) Osbeck) orange juice supplementation for the
weight management." Natural product research 29.23 (2015).
- Tsuda T, et al., Microarray profiling of gene expression in human adipocytes in
response to anthocyanins. Biochem Pharmacol 71:1184-1197(2006).
- Tsuda T. Regulation of adipocyte function by anthocyanins; possibility of Preventing
the Metabolic Syndrome. J Agric Food Chem 56:642-646 (2008).
- Tsuda T et al., Anthocyanin enhances adipocytokine secretion and adipocyte-specific
gene expression in isolated rat adipocytes. Biochem Biophys Res Commun
316(1):149-157 (2004).

Propaganda exclusiva para profissionais da Saúde

Atualização 04.12.18 / MN & SD & DR