Você está na página 1de 20

VOCABULÁRIO

INTERNACIONAL DE
METROLOGIA - VIM
A linguagem da
metrologia
Até 1995:
“Torre de Babel”
Em 10 de Março de 1995:
Portaria INMETRO n° 029
“Vocabulário de Termos Fundamentais e Gerais
de Metrologia” (VIM)
Em sintonia com: ISO, BIPM, IEC, IFCC, IUPAC,
IUPAP

FRATEC - Formação Técnica Profissional Prof. Hussiklyphee


Principais termos
Metrologia (VIM 2.2)
Ciência da medição e suas aplicações.
NOTA: A metrologia engloba todos os aspectos teóricos e práticos da medição,
qualquer que seja a incerteza de medição e o campo de aplicação.

Mensurando (VIM 2.3)


Grandeza que se pretende medir

Medição (VIM 2.1)


Processo de obtenção experimental de um ou mais valores que podem ser,
razoavelmente, atribuídos a uma grandeza.
NOTA: A medição não se aplica a propriedades qualitativas

FRATEC - Formação Técnica Profissional Prof. Hussiklyphee


Principais termos
Procedimento de medição (VIM 2.6)
Descrição detalhada de uma medição de acordo com um ou mais princípios de
medição e com um dado método de medição, baseada em um modelo de
medição e incluindo todo cálculo destinado à obtenção de um resultado de
medição.
NOTA: Um procedimento de medição é geralmente documentado em detalhes
suficientes para permitir que um operador realize uma medição.

Instrumento de medição (VIM 3.1)


Dispositivo utilizado para realizar medições, individualmente ou associado a um
ou mais dispositivos suplementares.
Observação: muitos termos diferentes são empregados para descrever os
equipamentos utilizados nas medições. Entre estes, encontramos com
frequência os seguintes: dispositivos de medição, sistema de medição (SM) e
equipamentos de medição. Vamos considerar como equivalentes estes termos.

FRATEC - Formação Técnica Profissional Prof. Hussiklyphee


Principais termos
Valor de uma divisão (VIM 4.22 (2000))
Diferenças entre os valores da escala correspondentes a duas marcas
sucessivas.
O valor de uma divisão (VD) é expresso na unidade marcada sobre a escala,
qualquer que seja a unidade do mensurado.

Resolução (VIM 4.14)


Menor variação da grandeza medida que causa uma variação perceptível na
indicação correspondente.
A avaliação da resolução (R) é feita em função do tipo de instrumento, se
digital ou analógico.

Resultado de medição (VIM 2.9)


Conjunto de valores atribuídos a um mensurando, completado por todas as
outras informações pertinentes disponíveis.

FRATEC - Formação Técnica Profissional Prof. Hussiklyphee


Principais termos
Uma expressão completa do resultado de medição inclui informações sobre
a incerteza de medição.
O resultado de medição deve ser sempre expresso da seguinte forma:
RM = VM ± IM
Onde,
RM: resultado de medição
VM: valor medido, no caso de mais de uma medição utiliza-se a média
aritmética das medições;
IM: incerteza de medição.

Incerteza de Medição (VIM 2.26)


Parâmetro não negativo que caracteriza a dispersão dos valores atribuídos a
um mensurando, com base nas informações utilizadas.

FRATEC - Formação Técnica Profissional Prof. Hussiklyphee


Principais termos
Erro de medição (VIM 2.16)
Diferença entre o valor medido de uma grandeza e um valor de referência.
E = VM – VC
onde, E: erro de medição; VC: valor convencional.

Valor Convencional (VIM 2.12)


Valor atribuído a uma grandeza por um acordo, para um dado propósito.
EXEMPLO: Valor convencional de um dado padrão de massa, m = 100,00347 g.

Tipos de erros

Erro Sistemático (VIM 2.17)


Componente do erro de medição que, em medições repetidas, permanece
constante ou varia de maneira previsível.
Es = MM – VC
onde, MM: média das medições;
FRATEC - Formação Técnica Profissional Prof. Hussiklyphee
Principais termos
Erro Aleatório (VIM 2.19)
Componente do erro de medição que, em medições repetidas, varia de
maneira imprevisível.
Ea = VM – MM

Erro Grosseiro (termo não descrito no VIM)


É, geralmente, decorrente de mau uso ou mau funcionamento do SM. Seu
valor é totalmente imprevisível, porém geralmente sua existência é facilmente
detectável.

Erro Fiducial (VIM 5.28:VIM 2000)


Erro de um instrumento de medição dividido por um valor especificado para o
instrumento.

Erro de Histerese (termo não descrito no VIM)


É a diferença entre a indicação de um instrumento para valores crescentes e
valores decrescentes do mesmo ponto de medição.
FRATEC - Formação Técnica Profissional Prof. Hussiklyphee
Principais termos
Correção (VIM 2.53)
Compensação de um efeito sistemático estimado.
C = -E

Exatidão de medição (VIM 2.13)


Grau de concordância entre um valor medido e um valor verdadeiro de um
mensurando.
NOTA 1: A “exatidão de medição” não é uma grandeza e não lhe é atribuído
um valor numérico. Uma medição é dita mais exata quando é caracterizada por
um erro de medição menor.

Precisão de medição (VIM 2.15)


Grau de concordância entre indicações ou valores medidos, obtidos por
medições repetidas, no mesmo objeto ou em objetos similares, sob condições
especificadas.
NOTA 2: O termo “precisão de medição” é algumas vezes utilizado,
erroneamente, para designar a exatidão de medição.
FRATEC - Formação Técnica Profissional Prof. Hussiklyphee
Precisão x Exatidão

Preciso Impreciso Preciso Impreciso


Inexato Exato Exato Inexato

FRATEC - Formação Técnica Profissional Prof. Hussiklyphee


Precisão x Exatidão
Nota:
2. Exato
2. Preciso
VM – Valor Medido
VC – Valor Convencional
R – menor resolução do instrumento de medição

Exemplo:

Resolução do instrumento (R) = 0,05 mm


Valor Convencional (VC) = 19,00 mm
Valor médio das medições (VM) = 19,61 mm
Amplitude (maior valor – menor valor) = 19,75 – 19,50 = 0,25 mm

2. Exato 2. Preciso
19,61 – 19,00 ? 2 x 0,05 0,25 ? 2 x 0,05
0,61 > 0,10 Inexato 0,25 > 0,10 Impreciso

FRATEC - Formação Técnica Profissional Prof. Hussiklyphee


Principais termos
Repetitividade de medição (VIM 2.21)
Precisão de medição sob um conjunto de condições de repetitividade.
Condições de repetitividade incluem:
mesmo procedimento de medição;
mesmo observador
mesmo instrumento de medição, utilizando nas mesmas condições;
mesmo local;
repetição em curto período de tempo.

FRATEC - Formação Técnica Profissional Prof. Hussiklyphee


Principais termos
Reprodutibilidade de medição (VIM 2.25)
Precisão de medição sob um conjunto de condições de reprodutibilidade.
Para que uma expressão da reprodutibilidade seja válida, é necessário que
sejam especificadas as condições alteradas. As condições alteradas podem
incluir:
Princípio de medição;
Método de medição;
Observador;
Instrumento de medição;
Padrão de referência;
Local;
Condições de utilização;
Tempo.

FRATEC - Formação Técnica Profissional Prof. Hussiklyphee


Principais termos
Rastreabilidade metrológica (VIM 2.41)
Propriedade de um resultado de medição pela qual tal resultado pode ser
relacionado a uma referência através de uma cadeia ininterrupta e
documentada de calibrações, cada uma contribuindo para a incerteza de
medição.

Padrão (VIM 5.1)


Realização da definição de uma dada grandeza, com um valor determinado e
uma incerteza de medição associada, utilizada como referência.

Padrão internacional (VIM 5.2)


Padrão reconhecido pelos signatários de um acordo internacional, tendo como
propósito a sua utilização mundial.
EXEMPLO 1: O protótipo internacional do quilograma.

FRATEC - Formação Técnica Profissional Prof. Hussiklyphee


Principais termos
Padrão Nacional (VIM 5.3)
Padrão reconhecido por uma autoridade nacional para servir dentro de um
estado ou economia, como base para atribuir valores a outros padrões de
grandezas do mesmo tipo.

Padrão Primário (VIM 5.4)


Padrão estabelecido com auxílio de um procedimento de medição
primário ou criado como um artefato, escolhido por convenção.
EXEMPLO: O protótipo internacional do quilograma como um artefato escolhido
por convenção.

Padrão Secundário (VIM 5.5)


Padrão estabelecido por meio de uma calibração com referência a um
padrão primário de uma grandeza do mesmo tipo.

FRATEC - Formação Técnica Profissional Prof. Hussiklyphee


Principais termos
Padrão de Referência (VIM 5.6)
Padrão designado para a calibração de outros padrões de grandezas do
mesmo tipo em uma dada organização ou local.

Padrão de Trabalho (VIM 5.7)


Padrão que é utilizado rotineiramente para calibrar ou controlar
instrumentos de medição ou sistemas de medição.

FRATEC - Formação Técnica Profissional Prof. Hussiklyphee


Principais termos
Calibração (VIM 2.39)
Operação que estabelece, numa primeira etapa e sob condições especificadas,
uma relação entre os valores e as incertezas de medição fornecidos por
padrões e as indicações correspondentes com as incertezas associadas;
numa segunda etapa, utiliza esta informação para estabelecer uma relação
visando a obtenção de um resultado de medição a partir de uma indicação.
NOTA 1: Convém não confundir a calibração com o ajuste de um sistema de
medição, freqüentemente denominado de maneira imprópria de “auto-
calibração”, nem com a verificação da calibração.

Verificação (VIM 2.44)


Provimento de evidência objetiva de que um dado item atende a requisitos
especificados.
NOTA 3: A verificação não deve ser confundida com calibração. Nem toda
verificação é uma validação.

FRATEC - Formação Técnica Profissional Prof. Hussiklyphee


Principais termos
Ajuste de um sistema de medição (VIM 3.11)
Conjunto de operações efetuadas em um sistema de medição, de modo que
ele forneça indicações prescritas correspondentes a determinados valores de
uma grandeza a ser medida.
NOTA 1: Diversos tipos de ajuste de um sistema de medição incluem a
regulagem de zero, a regulagem de defasagem (às vezes chamada
regulagem de “offset”) e a regulagem de amplitude (às vezes chamada
regulagem de ganho).
NOTA 2: O ajuste de um sistema de medição não deve ser confundido com
calibração, a qual é um pré-requisito para o ajuste.
NOTA 3: Após um ajuste de um sistema de medição, tal sistema geralmente
deve ser recalibrado.

Regulagem de zero (VIM 3.12)


Ajuste de um sistema de medição de modo que o mesmo forneça uma
indicação igual a zero correspondente a um valor igual a zero da grandeza
a ser medida.

FRATEC - Formação Técnica Profissional Prof. Hussiklyphee


Principais termos
Critério de Aceitação(termo não descrito no VIM)
Sistema de avaliação utilizado para verificar se os resultados de uma
determinada calibração são admissíveis.
Para determinar o critério de aceitação (CA) existe, basicamente, o critério de
tonks, conhecido na metrologia como regra de ouro da metrologia.

CA ,
onde IT- Intervalo de Tolerância e N – divisor

Em termos de utilização na indústria em geral, N é um número entre 3 e 10

FRATEC - Formação Técnica Profissional Prof. Hussiklyphee


Principais termos

Ø 100 ± 2 mm; IT= 4 mm


= = 1,33 0,40
Então, um instrumento admissível para essa medição tem que ter uma
resolução entre 0,40 a 1,33 mm

FRATEC - Formação Técnica Profissional Prof. Hussiklyphee