Você está na página 1de 9

TOMADAS E PRESTAÇÕES DE CONTAS ações que desempenha, dos bens que produz e dos serviços que

presta à população.

RESPONSÁVEIS: DOCUMENTAÇÃO
Segundo o art. 93 do Decreto-lei nr 200/67, reproduzido no art. 145 As peças integrantes dos processos de tomadas e prestações de
do Decreto nr 93.872/86, “quem quer que utilize dinheiro público terá de contas anuais são reguladas pela IN/TCU nr 47/04 e por Decisão
justificar seu bom e regular emprego na conformidade das leis, Normativa expedida anualmente pela Corte de Contas para aplicação
regulamentos e normas emanadas das autoridades administrativas no exercício nela citado.
competentes”. O mesmo Decreto em seu art. 147 esclarece que “terão Os documentos que compõem a prestação de contas são exigidos
sua situação perante a Fazenda Nacional evidenciada na tomada de de acordo com a natureza jurídica da entidade, a modalidade do
contas anual, o ordenador de despesas, o agente recebedor ou pagador instrumento de descentralização adotado (convênio, acordo, ajuste)
e o responsável pela guarda ou administração de valores e outros bens ou a forma de concessão dos recursos (subvenções, auxílio,
da União ou pelos quais responda”. contribuição, suprimento de fundos).
Na hipótese de ocorrência de qualquer ilegalidade da despesa ou Tanto na Tomada como na Prestação de Contas, a legislação
irregularidade de contas, o órgão de contabilidade analítica ou os órgãos vem dando ênfase crescente às informações sobre execução dos
de controle no exercício de suas funções identificarão sua natureza, o programas, à compatibilização dos aspectos físico e financeiros, à
período e o agente responsável pelo ato administrativo pertinente. O eficiência e à eficácia, enfim, ao desempenho das atividades do órgão
período, para o TCU, é o de efetiva gestão. ou entidade. O Relatório de Gestão deverá destacar os programas
Entende-se como agente responsável toda pessoa física que de trabalho planejados e executados, apresentando-se justificativas,
utilize, arrecade, guarde, gerencie ou administre dinheiros, bens e sempre que, na execução, não hajam sido alcançados todos os
valores públicos da União e das entidades da administração indireta, ou objetivos previstos na programação.
pelos quais estas respondam, ou que, em nome destas, assuma A partir da publicação da IN/TCU nr 47/04, ficou evidente a
obrigação de natureza pecuniária e, ainda, o gestor de quaisquer necessidade de o tribunal incluir, no exame e julgamento das tomadas
recursos repassados pela União mediante convênio, acordo, ajuste ou e prestações de contas dos gestores, o controle da conformidade e
outros instrumentos congêneres, a Estado, ao Distrito Federal, a do desempenho da gestão, a fim de contribuir para o
Município, a entidades públicas ou organizações particulares. aperfeiçoamento da administração pública. (Projeto Certificação
Este entendimento está compatível com o parágrafo único do art. 70 da Gestão Pública).
da Constituição Federal: O exame da conformidade abrange a análise da legalidade,
“Art. 70. .... legitimidade e economicidade da gestão dos responsáveis em relação
Parágrafo único. Prestará contas qualquer pessoa física ou jurídica, a padrões normativos e operacionais, contidos nas normas e
pública ou privada que utilize, arrecade, guarde, gerencie ou administre regulamentos, e da capacidade dos controles internos de identificar e
dinheiros, bens e valores públicos, ou pelos quais a União responda, ou corrigir falhas e irregularidades.
que, em nome desta, assuma obrigações de natureza pecuniária.” O exame do desempenho consiste na análise da eficácia,
eficiência e efetividade da gestão em relação a padrões
DIFERENÇA ENTRE TOMADA E PRESTAÇÃO, NOS TERMOS DA administrativos e gerenciais, expressos em metas e resultados
IN/TCU NR. 47/04: previamente acordados com a administração superior ou definidos
Tomada de Contas é o “processo de contas relativo à gestão dos nas leis que instituem o plano plurianual e as diretrizes orçamentárias.
responsáveis por unidades jurisdicionadas da administração federal Inclui, ainda, o exame de capacidade do controles internos da
direta”, e Prestação de Contas é o “processo de contas relativo à gestão unidade de minimizar riscos e evitar falhas e irregularidades.
dos responsáveis por unidades jurisdicionadas da administração federal Entende-se como controles internos o conjunto de atividades,
indireta e daquelas não classificadas como integrantes da administração planos, métodos, indicadores e procedimentos interligados utilizados
direta federal”. com o objetivo de assegurar a conformidade dos atos administrativos
e contribuir para que os objetivos e metas estabelecidos sejam
PROCESSOS: alcançados pela Unidade.
A Instrução Normativa IN/TCU nr. 47/04 estabele especialmente os Compete ao órgão de controle interno a realização da auditoria
documentos que devem instruir os processos e os prazos a serem para avaliação da gestão dos administradores públicos, assim
observados no seu encaminhamento. Estabelecem-se, ademais, entendida como avaliação dos resultados quantitativos e qualitativos
documentos, registros e controles a serem mantidos, a fim de facilitarem da gestão, da qualidade e confiabilidade dos indicadores utilizados,
os trabalhos de auditoria e de inspeção. bem como das demais informações que compõem as contas.
Anualmente, o TCU vem definindo, mediante decisão normativa, No certificado de auditoria, o órgão de controle interno avaliará
aspectos específicos de formalização e conteúdo dos processos de a regularidade da gestão, concluindo pela regularidade plena, com
contas a serem apresentados à Corte de Contas. ressalvas ou pela irregularidade, e fará síntese das falhas e
As instituições privadas prestarão contas a órgãos e entidades irregularidades que resultaram no parecer pela irregularidade, quando
repassadores de auxílio, subvenções, contribuições e outras formas de for o caso.
transferências de valores. No parecer do dirigente do órgão de controle interno, será
A IN/TCU nr 47/04 trouxe definições para: feita a avaliação das conclusões sobre a regularidade da gestão,
 Processo de contas consolidado: processo de contas ordinárias, constantes do certificado de auditoria, indicando-se, sinteticamente,
organizado coma finalidade de possibilitar a avaliação sistêmica da as falhas e irregularidades verificadas e as medidas já adotadas pelos
gestão de unidades jurisdicionadas subordinadas a uma unidade central, gestores para corrigir e evitar ocorrências da mesma natureza.
responsável pela coordenação, supervisão funcional ou gerência de
programa incluído no PPA; PRAZOS PARA ENCAMINHAMENTO E JULGAMENTO DAS
 Processo de contas agregado: processo de contas ordinárias, CONTAS
organizado com a finalidade de possibilitar o exame conjunto da gestão Do encaminhamento...
de unidades administrativas não integrantes da estrutura da unidade  Processo de contas ordinárias: são encaminhadas ao TCU no
jurisdicionada; exercício financeiro subseqüente ao de seu encerramento, de acordo
 Risco: suscetibilidade de ocorrência de eventos indesejáveis, tais com escalonamento definido anualmente em decisão normativa e no
como falhas e irregularidades em atos e procedimentos, ou de insucesso prazo máximo de 180 dias, contados da data do correspondente
na obtenção de resultados esperados; exercício financeiro;
 Materialidade: representatividade dos valores orçamentário,  Tomadas de contas da Justiça Eleitoral: serão apresentadas no
financeiro e patrimonial, colocados à disposição dos gestores, e/ou do prazo máximo de 210 dias, contados da data do encerramento do
volume de bens e valores efetivamente geridos; correspondente exercício financeiro e os processos de contas
 Relevância: importância social ou econômica de uma unidade extraordinárias em até 120dias da efetiva extinção. Liquidação,
jurisdicionada para a Administração Pública Federal ou para a dissolução, transformação, fusão ou incorporação da unidade
Sociedade, em razão das suas atribuições e dos programas, projetos e jurisdicionada.
atividades sob responsabilidade de seus gestores, assim como das

1
As contas relativas a fundos especiais de natureza contábil ou acompanhado de cópia dos documentos que caracterizam a
financeira serão encaminhadas juntamente com as contas da entidade ou responsabilidade apurada;
órgão a que se acham vinculados, evidenciadas em demonstrações e) cópia das notificações de cobrança expedidas;
distintas e conforme o disposto na legislação que os criou, bem como na f) cópia da notificação da entidade beneficiária, no caso de omissão
que regula os processos dessa natureza. no dever de prestar contas de recursos repassados mediante
convênio, contrato de repasse ou instrumento congênere;
Do julgamento... g) relatório do tomador de contas (pode ser o responsável pela gestão
O julgamento das contas dos dirigentes e demais responsáveis, a ser dos recursos ou outro agente designado para tomar as contas);
feito pelo TCU com base nos processos de tomadas e prestações de h) relatório e o certificado de auditoria (emitidos pelo controle interno);
contas encaminhados e instruídos pelos órgãos de controle interno, dar- i) pronunciamento ministerial; e
se-á até o término do exercício seguinte àquele em que as contas j) outros elementos  que contribuam para caracterização do dano e da
tiverem sido apresentadas. responsabilidade.
Porém, tal prazo será suspenso quando:
- do exame do processo resultar inspeção; Se o processo for encaminhado ao Tribunal e não contiver os
- encontrar-se tramitando no Tribunal processo de denúncia, elementos acima, será restituído à origem, sem autuação, para
representação, inquérito, inspeção, auditoria, e outros cuja decisão a ser regularização.
proferida possa vir afetar o julgamento do mérito das respectivas contas.
As Tomadas de contas especial só devem ser instauradas pelas
OBS: Note-se que esta sistemática é independente da apreciação das unidades competentes e encaminhadas ao TCU para julgamento se o
contas anuais do Presidente da República. Essa apreciação resulta no dano ao erário, atualizado monetariamente, for de valor igual ou
Parecer Prévio emitido em 60 dias do recebimento das contas, que por superior à quantia estabelecida pelo Tribunal, atualmente fixada em
sua vez, deve ocorrer dentro de 60 dias após a abertura da sessão R$ 23.000,00 (IN/TCU 56/2007, art. 11). Se o dano for de valor
legislativa (que ocorre em 2 de fevereiro). Logo, o parecer prévio inferior, a autoridade administrativa federal competente, ainda assim,
deverá ser emitido até 2 de junho. deverá esgotar as medidas administrativas internas visando ao
ressarcimento pretendido e providenciar a inclusão do nome do
responsável no Cadastro Informativo dos débitos não quitados de
TOMADA DE CONTAS ESPECIAL órgãos e entidades federais – CADIN e em outros cadastros afins,
Será instaurada tomada de contas especial quando se verificar que observando-se os requisitos especificados na respectiva legislação
não houve prestação de contas por agente responsável ou que ocorreu (art. 1º, §3º, c/c art. 5º, §2º, da Instrução Normativa TCU 56/2007). E
desfalque, desvio de bens ou outra irregularidade de que resulte prejuízo quando o somatório dos débitos de um mesmo responsável perante a
para a Fazenda Nacional. unidade exceder o valor estipulado na IN, a autoridade administrativa
A Tomada de Contas Especial é um processo devidamente competente deve consolidá-los em um mesmo processo de TCE e
formalizado, com rito próprio. encaminhá-lo ao TCU.
Objetivo: apurar a responsabilidade daqueles que derem causa a perda,
extravio ou outra irregularidade de que resulte dano ao erário.
É considerada como medida de exceção, só devendo ser adotada CONTROLE INTERNO
após esgotadas as providências administrativas internas sem a obtenção
ressarcimento ao erário (art. 3º da Instrução Normativa TCU 56/2007). Constituição Federal de 1988
A autoridade administrativa competente, sob pena de Art. 70. A fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e
responsabilidade solidárias, deverá adotar providências no sentido patrimonial da União e das entidades da administração direta e
de:apurar os fatos (o que aconteceu); identificar os responsáveis (quem indireta, quanto à legalidade, legitimidade, economicidade, aplicação
participou e como); quantificar os danos (quanto foi o prejuízo ao erário). das subvenções e renúncia de receitas, será exercida pelo Congresso
Caso essas providências não sejam adotadas no prazo máximo de 180 Nacional, mediante controle externo, e pelo sistema de controle
dias, ficará caracterizada grave infração à norma legal, sujeitando a interno de cada Poder.
autoridade administrativa omissa à imputação das sanções cabíveis, sem
prejuízo da responsabilidade solidária. (IN/TCU nr 56/07 – art. 1º, § 1º).
Conforme estabelece o art. 1º da Instrução Normativa TCU 56/2007 DIFERENÇAS ENTRE CONTROLE INTERNO E EXTERNO
c/c o art. 8º, são determinantes para a instauração de TCE a ocorrência Controle Interno:
de pelo menos um dos seguintes fatos: - É exercido do âmbito de cada Poder
a)omissão no dever de prestar contas; - Diferente de auditoria interna.
b) não comprovação da aplicação dos recursos repassados pela União, - A atuação do controle interno no âmbito das entidades, que têm
mediante convênio, contrato de repasse ou instrumento congênere; estrutura própria, mais se assemelha à da auditoria independente
c) ocorrência de desfalque, desvio ou desaparecimento de dinheiros, (externa).
bens ou valores públicos; - Servem de base às verificações e conclusões do TCU.
d) prática de ato ilegal, ilegítimo ou antieconômico de que resulte dano à
administração pública federal.
Controle Externo:
Assim, por ocasião da TCE, os débitos deverão ser atualizados
- É exercido pelo Poder Legislativo, em todas as esferas, em relação
monetariamente e acrescidos de encargos legais, nos termos da
aos demais Poderes.
legislação vigente, sendo:
- Diferente de auditoria externa
- caso seja a letra c, a base de cálculo dos encargos deve ser o valor de
mercado ou o de aquisição de bem igual ou similar, no estado em que se
encontrava, com os acréscimos legais; O CONTROLE INTERNO E A SUPERVISÃO MINISTERIAL
- devem ser calculados a partir da data do recebimento dos recursos ou Os três poderes manterão, de forma integrada, sistema de
da data do crédito na respectiva conta-corrente bancária, no caso de controles interno, com a finalidade de:
ocorrência relativa a convênio, contrato de repasse ou instrumento Art. 74. Os Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário manterão,
congênere (letra b); e de forma integrada, sistema de controle interno com a finalidade
- devem ser calculados a partir da data do evento, quando conhecida, ou de:
da data de ciência do fato pela Administração, nos demais casos. I - avaliar o cumprimento das metas previstas no plano plurianual, a
execução dos programas de governo e dos orçamentos da União;
O processo de tomada de contas especial deverá conter (art. 4º da II - comprovar a legalidade e avaliar os resultados, quanto à eficácia e
IN/TCU nr. 56/07): eficiência, da gestão orçamentária, financeira e patrimonial nos órgãos
a) ficha de qualificação do responsável; e entidades da administração federal, bem como da aplicação de
b) demonstrativo financeiro do débito; recursos públicos por entidades de direito privado;
c) cópia integral do processo de transferência de recursos, juntamente III - exercer o controle das operações de crédito, avais e garantias,
com a prestação de contas, quando for o caso; bem como dos direitos e haveres da União;
d) cópia do relatório de comissão de sindicância ou de inquérito, IV - apoiar o controle externo no exercício de sua missão institucional.

2
A supervisão ministerial tem por principais objetivos, na área de AUDITORIA
competência do Ministro de Estado: AUDITORIA X FISCALIZAÇÃO
- Promover a execução dos programas do Governo. A AUDITORIA visa avaliar a gestão pública, pelos processos e
- Avaliar o comportamento administrativo dos órgãos supervisionados e resultados gerais, e a aplicação de recursos públicos por entidades de
diligenciar no sentido de que estejam confiados a dirigentes capacitados. direito privado.
- Fiscalizar a aplicação e utilização de dinheiros, valores e bens públicos. A FISCALIZAÇÃO visa comprovar se o objeto dos programas de
- Transmitir ao Tribunal de Contas, sem prejuízo da fiscalização deste, governo corresponde às especificações estabelecidas, atende às
informes relativos à administração financeira e patrimonial dos órgãos do necessidades para as quais foi definido, guarda coerência com as
Ministério. condições e características pretendidas e se os mecanismos de
A supervisão ministerial tem um campo de abrangência mais restrito controle são eficientes.
que o do controle interno, restringindo-se aos casos de controle
deliberativo, enquanto o controle interno (e externo) se aplica a quaisquer
A auditoria interna deve vincular-se ao conselho de administração
casos de utilização de recursos públicos, a quaisquer pessoas, inclusive
ou órgão de atribuições equivalentes e, na sua inexistência, ao
de direito privado, e mesmo privadas.
dirigente máximo da entidade, vedada a delegação. Caberá a
auditoria interna examinar e emitir parecer sobre a prestação de
SISTEMA DE CONTROLE INTERNO
contas anual e tomada de contas especiais.
A partir de março de 1994, ocorreu um a reestruturação do Sistema de
Controle Interno (juntamente com o de Planejamento e Orçamento) do
Poder Executivo, organizando-o sob a forma de Sistemas: NORMAS DO SISTEMA DE AUDITORIA
 Sistema de Administração Financeira Federal: compreende as
atividades de programação financeira da União, de administração de
De acordo com a IN SFC nr 1, que tem por fim disciplinar e
direitos e haveres, garantias e obrigações de responsabilidade do
padronizar a realização das atividades do sistema, estão sujeitas ao
Tesouro Nacional e de orientação técnico-normativa referente à
controle interno:
execução orçamentária e financeira. Integram o Sistema de
Administração Financeira Federal:
        I - como órgão central, a Secretaria do Tesouro Nacional do  Unidades da administração direta (da estrutura da Presidência da
Ministério da Fazenda; República e dos Ministérios);
        II - como órgãos setoriais, as unidades de programação financeira  Entidades da administração indireta e outros: autarquias,
dos Ministérios, da Advocacia-Geral da União, da Vice-Presidência e da fundações públicas, empresas públicas, sociedades de economia
Casa Civil da Presidência da República. mista, entre outros.
       Os órgãos setoriais ficam sujeitos à orientação normativa e à
supervisão técnica do órgão central do Sistema, sem prejuízo da
subordinação ao órgão em cuja estrutura administrativa estiverem TIPOS DE AUDITORIA:
integrados.  de avaliação da gestão;
Subordinam-se tecnicamente à STN os representantes do Tesouro  de acompanhamento da gestão;
Nacional nos conselhos fiscais ou órgãos equivalentes.  contábil;
 Sistema de Contabilidade Federal: compreende as atividades de  operacional;
registro, de tratamento e de controle das operações relativas à  especial.
administração orçamentária, financeira e patrimonial da União, com
vistas à elaboração de demonstrações contábeis. FORMAS DA EXECUÇÃO DA AUDITORIA:
        I - como órgão central, a Secretaria do Tesouro Nacional do  direta: centralizada, descentralizada e integrada;
Ministério da Fazenda;  indireta; compartilhada e terceirizada;
        II - como órgãos setoriais, subordinados ao órgão em cuja estrutura  simplificada.
administrativa estiverem integrados, as unidades de gestão interna dos
Ministérios e da Advocacia Geral da União. TÉCNICAS DE AUDITORIA:
O Órgão de controle interno da Casa Civil exerce também as  Indagação Escrita ou Oral 
atividades de órgão setorial contábil de todos os órgãos integrantes da  Análise Documental 
Presidência da República, da vice-presidência da República, além de  Conferência de Cálculos 
outros determinados em legislação específica.  Confirmação Externa
Sistema de Controle Interno (propriamente dito) do Poder
 Exame dos Registros 
Executivo Federal: compreende o conjunto das atividades relacionadas
 Correlação das Informações Obtidas 
à avaliação do cumprimento das metas previstas no Plano Plurianual, da
execução dos programas de governo e dos orçamentos da União e à  Inspeção Física 
avaliação da gestão dos administradores públicos federais, utilizando  Observação das Atividades e Condições 
como instrumentos a auditoria e a fiscalização.  Corte das Operações ou “Cut-Off” 
I - como órgão central, a Secretaria Federal de Controle Interno;  Rastreamento 
        II - como órgãos setoriais são aqueles de controle interno que
integram a estrutura do Ministério das Relações Exteriores, do Ministério FORMAS DE EXECUÇÃO DA FISCALIZAÇÃO:
da Defesa, da Advocacia-Geral da União e da Casa Civil, este  direta: centralizada, descentralizada e integrada;
abrangendo todos os órgãos da Presidência da República e da vice-  indireta; compartilhada e terceirizada.
presidência da República, além de outros determinados em legislação
específica. Os órgãos centrais e setoriais podem subdividir-se em TÉCNICAS DE FISCALIZAÇÃO:
unidades setoriais e regionais, como segmentos funcionais e espaciais,  Indagação Escrita ou Oral 
respectivamente.  Análise Documental 
Houve, então, através da Medida Provisória nr 103, de 1º-1-03, que  Conferência de Cálculos 
dispôs sobre a organização da Presidência da República e Ministérios, a  Confirmação Externa
mudança da Corregedoria –Geral da União em Controladoria-Geral da  Exame dos Registros 
União, integrando a Presidência da República, tendo a ela afetos a  Correlação das Informações Obtidas 
defesa do patrimônio público, o controle interno, a auditoria pública e as  Inspeção Física 
atividades de ouvidoria geral. A MP foi convertida na Lei nr 10.683, de  Observação das Atividades e Condições 
28-5-03, aditando-se a suas funções o incremento da transparência da
 Teste laboratorial 
gestão no âmbito da Administração Pública Federal, denominando seu
 Rastreamento 
titular de Ministro de Estado do Controle e da Transparência. Do órgão
fazem parte a Secretaria Federal de Controle Interno e a Comissão de
Coordenação de Controle Interno, além de outros.

3
A opinião do órgão ou Unidade de controle Interno do Poder apreciação das contas prestadas anualmente pelo Presidente da
Executivo Federal deverá ser expressa na forma de relatório, parecer, República até o julgamento das contas dos administradores e demais
certificado ou nota. responsável por dinheiros, bens e valores públicos da administração
Nota é o documento destinado a dar ciência ao gestor/ direta e indireta. Compreende, além do mais:
administrador da área examinada, no decorrer dos exames, das
impropriedades ou irregularidades constatadas ou apuradas no I - apreciar, para fins de registro, a legalidade dos atos de admissão
desenvolvimento dos trabalhos. Finalidade: obter a manifestação dos de pessoal e as concessões de aposentadorias, reformas e pensões;
agentes sobre fatos que resultaram em prejuízo à Fazenda Nacional ou II – realizar inspeções e auditorias de natureza contábil, financeira,
de outras situações que necessitem de esclarecimentos formais. orçamentária, operacional e patrimonial.
Relatório é o documento pelo qual os resultados dos trabalhos III - fiscalizar as contas nacionais das empresas supranacionais de
realizados são comunicados às autoridades competentes: cujo capital social a União participe, de forma direta ou indireta, nos
- à direção, dando informações para tomada de decisões sobre a termos do tratado constitutivo;
política da área supervisionada; IV - fiscalizar a aplicação de quaisquer recursos repassados pela
- às gerências executivas, para o atendimento das recomendações União, mediante convênio, acordo, ajuste ou outros instrumentos
sobre as operações de sua responsabilidade; congêneres, a Estado, ao Distrito Federal ou a Município;
- aos responsáveis pela execução das tarefas, para correção dos V - prestar as informações solicitadas pelo Congresso Nacional, por
erros detectados; qualquer de suas Casas, ou por qualquer das respectivas comissões,
- ao TCU, instrumentalizando o controle externo; sobre a fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e
- a outras autoridades interessadas, inclusive em razão de patrimonial e sobre resultados de auditorias e inspeções realizadas;
solicitação, sugestão ou denúncia, dependendo do tipo ou forma de VI - aplicar aos responsáveis, em caso de ilegalidade de despesa ou
auditoria/ fiscalização realizada. irregularidade de contas, as sanções previstas em lei, que
Parecer do dirigente do Órgão de Controle Interno é peça estabelecerá, entre outras cominações, multa proporcional ao dano
compulsória nos processos de tomada e prestação de contas a serem causado ao erário;
remetidos ao TCU. Externaliza a avaliação conclusiva do Sistema de VII - assinar prazo para que o órgão ou entidade adote as
Controle Interno sobre a gestão examinada para que os autos sejam providências necessárias ao exato cumprimento da lei, se verificada
submetidos à autoridade ministerial, que se pronunciará de acordo com a ilegalidade;
Lei Orgânica do TCU. Consignará qualquer irregularidade ou ilegalidades VIII - sustar, se não atendido, a execução do ato impugnado,
constatadas, indicando as medidas adotadas para corrigir as falhas comunicando a decisão à Câmara dos Deputados e ao Senado
identificadas, bem como avaliará a eficiência e a eficácia da gestão, Federal;
inclusive quanto à economia na utilização dos recursos públicos. IX - representar ao Poder competente sobre irregularidades ou abusos
Certificado de auditoria será emitido na verificação das contas dos apurados.
responsáveis pela aplicação, utilização ou guarda de bens e valores TRIBUNAL DE CONTAS
públicos, e de todo aquele que der causa à perda, subtração ou estrago
de valores, bens e materiais de propriedade ou responsabilidade da Tribunal de Contas é um órgão autônomo, que auxilia o Poder
União. Expressa a opinião do Sistema sobre a exatidão e regularidade, Legislativo a exercer o controle externo, fiscalizando os gastos dos
ou não, da gestão e a adequacidade, ou não, das peças examinadas, Poderes Executivo, Judiciário e do próprio Legislativo. Sua
devendo ser assinado pelo Coordenador-Geral ou Gerente Regional de fiscalização pode ser desencadeada por iniciativa própria, ou
Controle Interno ou autoridades de nível hierárquico equivalente nos provocada pelo Congresso Nacional, por denúncia ou por
órgãos e unidades setoriais. representação.
Os tipos de certificado são: de regularidade, de regularidade São instrumentos de fiscalização: levantamentos, auditorias,
com ressalvas e de irregularidade. inspeções, acompanhamentos e monitoramentos.
Certificado de regularidade: será emitido quando o Órgão ou Unidade Constituem objeto de fiscalização: atos e contratos;
formar a opinião de que na gestão dos recursos públicos foram transferências constitucionais e legais; convênios, acordos e ajustes e
adequadamente observados os princípios da legalidade, legitimidade e outros instrumentos congêneres; aplicação de subvenções, auxílios e
economicidade. contribuições; arrecadação de receita; e renúncia de receitas.
Certificado de regularidade com ressalvas - será emitido quando o As decisões do Tribunal de que resulte imputação de débito ou
Órgão ou Unidade constatar falhas, omissões ou impropriedades de multa terão eficácia de título executivo.
natureza formal no cumprimento das normas e diretrizes governamentais, O Controle externo da Câmara Municipal será exercido com o
quanto à legalidade, legitimidade e economicidade e que, pela sua auxílio dos Tribunais de Contas dos Estados e Municípios ou dos
irrelevância ou imaterialidade, não caracterizar irregularidade de atuação Conselhos ou Tribunais de Contas dos Municípios, onde houver. (SP,
dos agentes responsáveis. RJ, PA, CE, BA e GO).
Certificado de Irregularidade - será emitido quando o Órgão ou Estão sujeitas à jurisdição do TCU, para efeito de tomadas e
Unidade verificar a não observância da aplicação dos princípios de prestações de contas:
legalidade, legitimidade e economicidade, constatando a existência de  Órgãos e entidades da administração pública federal direta
desfalque, alcance, desvio de bens ou outra irregularidade de que resulte e indireta, incluídas as fundações e empresas estatais, bem
prejuízo quantificável, para a Fazenda Nacional e/ou comprometam, como suas unidades internas;
substancialmente, as demonstrações financeiras e a respectiva gestão  Fundos de transferência e de destinação cujo controle se
dos agentes responsáveis, no período ou exercício examinado. enquadre como competência do Tribunal;
 Serviços sociais autônomos;
Comparação com a Contabilidade Empresarial:  Contas nacionais das empresas supranacionais de cujo
capital a União participe, de forma direta ou indireta, nos
A Resolução nr 820, de 17-12-97, do CFC, prevê quatro tipos de termos do respectivo tratado constitutivo;
pareceres, que se classificam em:  Empresas encampadas, sob intervenção federal ou que, de
- sem ressalva, com ressalva, adverso e com abstenção de opinião. qualquer modo, venham a integrar, provisória ou
** Parecer com abstenção de opinião: quando o Auditor não obtiver permanentemente, o patrimônio da União ou de entidade
elementos comprobatórios suficientes e adequados, de tal modo que o pública federal;
impeça de formar opinião quanto à regularidade da gestão, a opinião  Entidades cujos gestores, em razão de previsão legal,
decorrente dos exames fica sobrestada, por prazo previamente fixado devam prestar contas ao Tribunal.
para o cumprimento de diligência pelo órgão ou unidade examinado, o
que, mediante novos exames, o Sistema de Controle Interno emitirá o Os Estados, o Distrito Federal, os Municípios e as pessoas
competente Certificado. físicas ou entidades privadas, quando beneficiárias de transferências
de recursos federais, incluindo subvenções, auxílios, contribuições ou
CONTROLE EXTERNO outra forma de transferência de valores por intermédio de órgãos ou
entidades da administração federal direta, indireta, de fundações
O controle externo, a cargo do Congresso Nacional, será exercido instituídas e mantidas pelo poder público federal e de suas entidades
com o auxílio do Tribunal de Contas da União, ao qual compete desde a paraestatais, prestarão contas ao órgão ou entidade repassador

4
quanto à boa e regular aplicação de tais recursos, apresentando III - não adoção pela entidade fiscalizada, no prazo assinado pelo
documentos e informações necessários à composição das tomadas e Tribunal de Contas da União, das providências necessárias ao exato
prestações de contas dessas unidades jurisdicionadas. cumprimento da lei;
A jurisdição do Tribunal abrange qualquer pessoa física, IV - verificação de irregularidade grave na aplicação dos recursos pela
administradores e responsáveis pelos órgãos e entidades que integram a entidade fiscalizada, que caracterize ato de improbidade
Administração, que estão sob seu controle ou sua gestão, e mais: administrativa.
- que utilize, arrecade, guarde, gerencie ou administre dinheiros, bens e O bloqueio e a suspensão serão mantidos enquanto persistir, a
valores públicos ou pelos quais a União responda, ou que, em nome juízo do TCU, o motivo determinante de sua efetivação.
desta, assuma obrigações de natureza pecuniária; Segundo a LRF, Transferência voluntária é a entrega de recursos
- aqueles que derem causa a perda, extravio ou outra irregularidade de correntes ou de capital a outro ente da Federação, a título de
que resulte dano ao erário; cooperação, auxílio ou assistência financeira, que não decorra de
- os dirigentes ou liquidantes das empresas encampadas ou sob determinação constitucional ou legal, ou que sejam destinados ao
intervenção ou que, de qualquer modo, venham a integrar, provisória ou Sistema Único de Saúde. Além de exigências fixadas na LDO deve-se
permanentemente, o patrimônio da União ou de outra entidade federal; levar em conta:
- os responsáveis pelas contas nacionais das empresas supranacionais
de cujo capital social a União participe, de forma direta ou indireta, nos - existência de dotação específica;
termos do tratado constitutivo; - proibição de utilização desses recursos para pagamento de
- os responsáveis por entidades dotadas de personalidade jurídica de despesas com pessoal ativo, inativo e pensionista;
direito privado que recebam contribuições parafiscais e prestem serviço - comprovação, pelo beneficiário:
de interesse público ou social; - de que se acha em dia quanto ao pagamento de tributos,
- todos aqueles que lhe devam prestar contas ou cujos atos estejam empréstimos e financiamentos devidos ao transferidor, bem como a
sujeitos à sua fiscalização por expressa disposição de lei; prestação de contas de recursos anteriormente dele recebidos;
- os responsáveis pela aplicação de quaisquer recursos repassados pela - de cumprimento dos limites constitucionais relativos à
União, mediante convênio, acordo, ajuste ou outros instrumentos educação e à saúde;
congêneres, a estado, ao Distrito Federal, a município, e a qualquer outra - da observância dos limites da dívida consolidada e
pessoa, física ou jurídica, pública ou privada; mobiliária, de operações de crédito...
- os sucessores dos administradores e responsáveis, até o limite do valor - de previsão orçamentária de contrapartida.
do patrimônio transferido;
- os representantes da União ou do poder público federal na assembleia DECISÕES E MANISFESTAÇÕES DO TCU
geral das empresas estatais e sociedades anônimas de cujo capital as
referidas pessoas jurídicas participem, solidariamente com os membros A decisão em processo de prestação ou de tomada de contas,
dos conselhos fiscal e de administração, pela prática de atos de gestão mesmo especial, pode ser preliminar, definitiva ou terminativa.
ruinosa ou liberalidade à custa das respectivas sociedades. Preliminar é a decisão pela qual o relator ou o Tribunal, antes de
O TCU não se limita a julgar as contas dos administradores e pronunciar-se quanto ao mérito das contas, resolve sobrestar o
responsáveis de cada órgão e entidade. O que antes se aplicava apenas julgamento, ordenar a citação ou a audiência dos responsáveis,
às contas do Presidente da República, a partir da LRF, é valido para rejeitar as alegações de defesa e fixar novo e improrrogável prazo
todos os dirigentes dos Poderes e consubstancia-se na apreciação das para recolhimento do débito ou, ainda, determinar outras diligências
contas anuais dos seguintes dirigentes: Presidente da República; necessárias ao saneamento do processo.
presidentes do Senado Federal e da Câmara dos Deputados; presidentes
do STF, STJ, do Conselho de Justiça Federal (também presidente do Definitiva é a decisão pela qual o Tribunal julga as contas
STJ), TST, TSE, STM e TJDF e territórios; e Procurador-Geral da União. regulares, regulares com ressalva ou irregulares.
No âmbito estadual, trata-se do Governador, dos Presidentes da
Assembleia Legislativa e do Tribunal de Justiça, e do Procurador-Geral Terminativa é a decisão pela qual o Tribunal ordena o
do Estado. trancamento das contas que forem consideradas iliquidáveis.
No âmbito distrital, aplica-se ao Governador, ao Presidente da
Câmara Legislativa e ao Procurador-Geral do DF. O Tribunal julgará as tomadas e prestações de contas até o
E na esfera Municipal, tais dirigentes são o Prefeito e o Presidente da término do exercício seguinte àquele em que lhe tiverem sido
Câmara de Vereadores. apresentadas.
No tocante às contas do próprio Tribunal ou Conselho de Contas, em Ao julgar as contas, o Tribunal decidirá se são regulares,
cada esfera, o parecer será emitido, no âmbito federal, pela Comissão regulares com ressalva ou irregulares.
Mista – denominada de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização, ou Regulares: As contas serão julgadas regulares quando expressarem,
equivalente, no âmbito estadual, distrital e municipal. de forma clara e objetiva, a exatidão dos demonstrativos contábeis, a
Tais pareceres terão caráter conclusivo e serão emitidos no prazo de legalidade, a legitimidade e a economicidade dos atos de gestão do
60 dias do recebimento das contas, ou o estabelecido nas Constituições responsável.
Estaduais ou Leis Orgânicas Municipais, não podendo o Tribunal ou Quando julgar as contas regulares, o Tribunal dará quitação plena ao
Conselho de Contas entrar em recesso com contas pendentes de responsável.
apreciação. A Constituição Federal fixa em 60 dias após a abertura da Regulares com ressalva: As contas serão julgadas regulares com
sessão legislativa o prazo para encaminhamento, pelo Presidente da ressalva quando evidenciarem impropriedade ou qualquer outra falta
República, da prestação de contas. Não há prazo fixado para o de natureza formal de que não resulte dano ao erário.
julgamento das contas pelo Legislativo, apenas para a Comissão Mista, Irregulares: O Tribunal julgará as contas irregulares quando
tanto na apreciação dos pareceres enviados pelo TCU, como na evidenciada qualquer das seguintes ocorrências:
elaboração do parecer de sua própria responsabilidade. I omissão no dever de prestar contas;
A fiscalização da aplicação dos recursos tributários arrecadados pela II prática de ato de gestão ilegal, ilegítimo ou antieconômico, ou
União e transferidos aos Estados, ao Distrito Federal, aos Territórios e infração a norma legal ou regulamentar de natureza contábil,
aos Municípios, correspondentes aos fundos e aos tributos a seguir financeira, orçamentária, operacional ou patrimonial;
especificados, será efetivada, a partir do exercício de 1986, pelo Tribunal III dano ao erário decorrente de ato de gestão ilegítimo ou
de Contas da União: antieconômico;
O Tribunal de Contas da União poderá determinar o bloqueio das IV desfalque ou desvio de dinheiros, bens ou valores públicos.
parcelas ou quotas-partes dos recursos tributários mencionados no art. 1º O Tribunal poderá julgar irregulares as contas no caso de
e a suspensão da transferência de quaisquer outros recursos federais, descumprimento de determinação de que o responsável tenha tido
nas seguintes hipóteses, sem prejuízo da sanções administrativas, civis e ciência, feita em processo de tomada ou prestação de contas. E, nos
penais cabíveis: casos de dano, desfalque ou desvio, terceiros poderão responder
I - falta de entrega pela entidade fiscalizada ao Tribunal de Contas da solidariamente.
União, nos prazos estipulados, dos documentos previstos; As contas serão consideradas iliquidáveis quando caso fortuito ou
II - inexistência na entidade fiscalizada de sistema de controle interno ou de força maior, comprovadamente alheio à vontade do responsável,
verificação de falha grave na sua execução; tornar materialmente impossível o julgamento de mérito. Assim, o

5
Tribunal ordenará o trancamento das contas e o consequente de seus gestores, assim como das ações que desempenha, dos bens
arquivamento do processo. que produz e dos serviços que presta à população.
Dentro do prazo de cinco anos contados da publicação, nos órgãos a) Processo de Contas Consolidado
oficiais, da decisão terminativa a que se, o Tribunal poderá, à vista de b) Risco
novos elementos considerados suficientes, autorizar o desarquivamento c) Materialidade
do processo e determinar que se ultime a respectiva tomada ou d) Relevância
prestação de contas. Transcorrido o prazo, sem que tenha havido nova
decisão, as contas serão consideradas encerradas, com baixa na 7. Consiste na análise da eficácia, eficiência e efetividade da gestão
responsabilidade do administrador. em relação a padrões administrativos e gerenciais, expressos em
No caso de contas irregulares, quando o responsável for julgado em metas e resultados previamente acordados com a administração
débito, poderá ainda o Tribunal aplicar-lhe multa de até cem por cento do superior ou definidos nas leis que instituem o plano plurianual e as
valor atualizado monetariamente do dano causado ao Erário. diretrizes orçamentárias:
O responsável poderá ser temporariamente afastado de suas funções a) Exame de conformidade
se existirem indícios suficientes de que possa retardar ou dificultar a b) Relatório de Gestão
realização de auditoria ou inspeção, causar novos danos ao erário ou c) Exame de capacidade
inviabilizar seu ressarcimento. Da mesma forma, o Tribunal poderá d) Exame de desempenho
decretar, por até um ano, a indisponibilidade dos bens do responsável,
até o montante necessário para o ressarcimento dos danos em apuração. 8. Processo de contas ordinárias, organizado coma finalidade de
Se a infração cometida for considerada grave pela maioria absoluta dos possibilitar a avaliação sistêmica da gestão de unidades
membros do tribunal, o responsável ficará inabilitado, de cinco a oito jurisdicionadas subordinadas a uma unidade central, responsável pela
anos, para o exercício de cargo em comissão ou função de confiança no coordenação, supervisão funcional ou gerência de programa incluído
âmbito da Administração Pública Federal. E, por intermédio do MP, o no PPA;
Tribunal poderá solicitar as medidas necessárias ao arresto dos bens dos a) Auditoria
responsáveis julgados em débito, devendo ser ouvido quanto à liberação b) Prestação de Contas
dos bens arrestados e sua restituição. c) Processo de Contas Consolidado
d) Processo de Contas Agregado
EXERCÍCIOS
9. Deverá destacar os programas de trabalho planejados e
1. Toda pessoa física que utilize, arrecade, guarde, gerencie ou executados, apresentando-se justificativas, sempre que, na execução,
administre dinheiros, bens e valores públicos da União e das entidades não hajam sido alcançados todos os objetivos previstos na
da administração indireta, ou pelos quais estas respondam, ou que, em programação.
nome destas, assuma obrigação de natureza pecuniária e, ainda, o a) Exame de conformidade
gestor de quaisquer recursos repassados pela União mediante convênio, b) Relatório de Gestão
acordo, ajuste ou outros instrumentos congêneres, a Estado, ao Distrito c) Exame de capacidade
Federal, a Município, a entidades públicas ou organizações particulares. d) Exame de desempenho
È o conceito de:
a) Auditor do Tribunal 10. Processo de contas ordinárias, organizado com a finalidade de
b) Ordenador de Despesas possibilitar o exame conjunto da gestão de unidades administrativas
c) Agente Responsável não integrantes da estrutura da unidade jurisdicionada;
d) Agente Diretor a) Processo de Contas Agregado
b) Risco
2. É o processo de contas relativo à gestão dos responsáveis por c) Materialidade
unidades jurisdicionadas da administração federal indireta e daquelas d) Relevância
não classificadas como integrantes da administração direta federal:
a) Auditoria 11. Correlacione
b) Prestação de Contas 1. Exame de conformidade
c) Processo de Contas Consolidado 2. Parecer do dirigente do órgão de controle interno
d) Processo de Contas Agregado 3. Exame de capacidade
4. Exame de desempenho
3. Qualquer pessoa física ou jurídica, pública ou privada que utilize, 5. Certificado de auditoria
arrecade, guarde, gerencie ou administre dinheiros, bens e valores ( ) abrange a análise da legalidade, legitimidade e economicidade da
públicos, ou pelos quais a União responda, ou que, em nome desta, gestão dos responsáveis em relação a padrões normativos e
assuma obrigações de natureza pecuniária.” operacionais, contidos nas normas e regulamentos, e da capacidade
a) Auditor do Tribunal dos controles internos de identificar e corrigir falhas e irregularidades.
b) Ordenador de Despesas ( ) consiste na análise da eficácia, eficiência e efetividade da gestão
c) Agente Diretor em relação a padrões administrativos e gerenciais, expressos em
d) Agente Responsável metas e resultados previamente acordados com a administração
superior ou definidos nas leis que instituem o plano plurianual e as
4. Representatividade dos valores orçamentário, financeiro e patrimonial, diretrizes orçamentárias.
colocados à disposição dos gestores, e/ou do volume de bens e valores ( ) minimizar riscos e evitar falhas e irregularidades.
efetivamente geridos: ( ) o órgão de controle interno avaliará a regularidade da gestão,
a) Processo de Contas Agregado concluindo pela regularidade plena, com ressalvas ou pela
b) Risco irregularidade, e fará síntese das falhas e irregularidades que
c) Materialidade resultaram no parecer pela irregularidade, quando for o caso.
d) Relevância ( ) será feita a avaliação das conclusões sobre a regularidade da
gestão, constantes do certificado de auditoria, indicando-se,
5. È o “processo de contas relativo à gestão dos responsáveis por sinteticamente, as falhas e irregularidades verificadas e as medidas já
unidades jurisdicionadas da administração federal direta” adotadas pelos gestores para corrigir e evitar ocorrências da mesma
a) Prestação de Contas natureza.
b) Tomadas de Contas
c) Processo de Contas Consolidado 12. Conjunto de atividades, planos, métodos, indicadores e
d) Risco procedimentos interligados utilizados com o objetivo de assegurar a
conformidade dos atos administrativos e contribuir para que os
6. Importância social ou econômica de uma unidade jurisdicionada para a objetivos e metas estabelecidos sejam alcançados pela Unidade.
Administração Pública Federal ou para a Sociedade, em razão das suas a) Controles Internos
atribuições e dos programas, projetos e atividades sob responsabilidade b) Prestação de Contas

6
c) Tomada de Contas 20. O processo de tomada de contas especial deverá conter, exceto:
d) Relatório de Gestão a) cópia das notificações de cobrança expedidas;
b) demonstrativo financeiro do crédito.
13. A que órgão compete a realização da auditoria para avaliação da c) cópia integral do processo de transferência de recursos, juntamente
gestão dos administradores públicos, assim entendida como avaliação com a prestação de contas, quando for o caso.
dos resultados quantitativos e qualitativos da gestão, da qualidade e d) relatório do tomador de contas (pode ser o responsável pela gestão
confiabilidade dos indicadores utilizados, bem como das demais dos recursos ou outro agente designado para tomar as contas);
informações que compõem as contas.
a) Controles Internos 21. São características do Controle Interno, exceto:
b) Tribunal de Contas a) É exercido pelo Poder Legislativo, em todas as esferas, em
c) Conselho de Justiça relação aos demais Poderes.
d) Ministério Público b) Diferente de auditoria interna.
c) Sua atuação ocorre no âmbito das entidades, que têm estrutura
14. Suscetibilidade de ocorrência de eventos indesejáveis, tais como própria, mais se assemelha à da auditoria independente (externa).
falhas e irregularidades em atos e procedimentos, ou de insucesso na d) Servem de base às verificações e conclusões do TCU.
obtenção de resultados esperados;
a) Processo de Contas Agregado
b) Risco 22. O Sistema de Controle Interno tem como finalidade:
c) Materialidade a) Promover a execução dos programas do Governo.
d) Relevância b) Avaliar o cumprimento das metas previstas no plano
plurianual, a execução dos programas de governo e dos
15. Os processos de contas ordinárias são encaminhados ao TCU: orçamentos da União;
a) no prazo máximo de 210 dias, contados da data do encerramento do c) Fiscalizar a aplicação e utilização de dinheiros, valores e bens
correspondente exercício financeiro e os processos de contas públicos.
extraordinárias em até 120dias da efetiva extinção. Liquidação, d) Transmitir ao Tribunal de Contas, sem prejuízo da fiscalização
dissolução, transformação, fusão ou incorporação da unidade deste, informes relativos à administração financeira e patrimonial dos
jurisdicionada. órgãos do Ministério.
b) no exercício financeiro subseqüente ao de seu encerramento, de
acordo com escalonamento definido anualmente em decisão 23. Compreende as atividades de programação financeira da União,
normativa e no prazo máximo de 180 dias, contados da data do de administração de direitos e haveres, garantias e obrigações de
correspondente exercício financeiro. responsabilidade do Tesouro Nacional e de orientação técnico-
c) no exercício financeiro subseqüente ao de seu encerramento, de normativa referente à execução orçamentária e financeira:
acordo com escalonamento definido anualmente em decisão normativa e a) Tomada de Contas Especial
no prazo máximo de 210 dias, contados da data do correspondente b) Sistema de Controle Interno
exercício financeiro. c) Sistema de Controle Externo
d) juntamente com as contas da entidade ou órgão a que se acham d) Sistema de Administração Financeira Federal
vinculados, evidenciadas em demonstrações distintas e conforme o
disposto na legislação que os criou, bem como na que regula os 24. Correlacione:
processos dessa natureza. 1. Tipo de Auditoria
2. Forma de Execução de Auditoria
16. Será instaurada quando se verificar que não houve prestação de 3. Técnica de Fiscalização
contas por agente responsável ou que ocorreu desfalque, desvio de bens
ou outra irregularidade de que resulte prejuízo para a Fazenda Nacional: ( ) Indagação Escrita ou Oral 
a) Prestação de Contas ( ) de avaliação da gestão;
b) Tomada de Contas ( ) direta: centralizada, descentralizada e integrada;
c) Relatório de Gestão ( ) Confirmação Externa
d) Tomada de Contas Especial ( ) contábil;
( ) Inspeção Física 
17. O julgamento das contas dos dirigentes e demais responsáveis, a ser ( ) operacional;
feito pelo TCU com base nos processos de tomadas e prestações de ( ) indireta; compartilhada e terceirizada;
contas encaminhados e instruídos pelos órgãos de controle interno, dar- ( ) simplificada.
se-á no término do exercício seguinte àquele em que as contas tiverem ( ) Análise Documental 
sido apresentadas. ( ) Teste laboratorial 
( ) VERDADEIRA ( ) FALSA ( ) Rastreamento 

18. Quanto à tomada de contas especial, assinale a alternativa incorreta: 25. São técnicas de auditoria, exceto:
a) É considerada como medida de exceção, só devendo ser adotada a) Conferência de Cálculos 
após esgotadas as providências administrativas internas sem a obtenção b) Exame dos Registros 
ressarcimento ao erário; c) Corte das Operações ou “Cut-Off” 
b) Tem como objetivo apurar a responsabilidade daqueles que derem d) Teste laboratorial 
causa a perda, extravio ou outra irregularidade de que resulte dano ao
erário. 26.: “Os órgãos setoriais ficam sujeitos à orientação normativa e à
c) Visa avaliar a gestão pública, pelos processos e resultados supervisão técnica do órgão central do Sistema, sem prejuízo da
gerais, e a aplicação de recursos públicos por entidades de direito subordinação ao órgão em cuja estrutura administrativa estiverem
privado. integrada”. Esta afirmativa é:
d) A omissão no dever de prestar contar é um dos motivos para a sua
instauração. ( ) VERDADEIRA ( ) FALSA

19. São motivos para a instauração de TCE, os seguintes fatos, exceto: 27. Estão sujeitas ao controle interno:
a) não comprovação da aplicação dos recursos repassados pela União, a) Unidades da administração direta (da estrutura da Presidência da
mediante convênio, contrato de repasse ou instrumento congênere. República e dos Ministérios);
b) ocorrência de desfalque, desvio ou desaparecimento de dinheiros, b) Entidades da administração indireta;
bens ou valores públicos. c) Autarquias, fundações públicas, empresas públicas, sociedades de
c) prática de ato ilegal, ilegítimo ou econômico de que resulte dano economia mista, entre outros;
à administração pública federal. d) O órgão central, a Secretaria Federal de Controle Interno.
d)omissão no dever de prestar contas.

7
28. Compreende as atividades de registro, de tratamento e de controle a) Irregular
das operações relativas à administração orçamentária, financeira e b) Preliminar
patrimonial da União, com vistas à elaboração de demonstrações c) Definitiva
contábeis: d) Regular
a) Sistema de Contabilidade Federal
b) Sistema de Controle Interno 36. O Tribunal julgará as tomadas e prestações de contas até o
c) Sistema de Controle Externo término do exercício seguinte àquele em que lhe tiverem sido
d) Sistema de Administração Financeira Federal apresentadas. Sendo assim, ao julgar as contas, o Tribunal decidirá
se são regulares, regulares com ressalva ou irregulares. Assinale a
29. É um órgão autônomo, que auxilia o Poder Legislativo a exercer o alternativa correta:
controle externo, fiscalizando os gastos dos Poderes Executivo, a) As contas serão julgadas regulares com ressalva quando
Judiciário e do próprio Legislativo. Sua fiscalização pode ser expressarem, de forma clara e objetiva, a exatidão dos
desencadeada por iniciativa própria, ou provocada pelo Congresso demonstrativos contábeis, a legalidade, a legitimidade e a
Nacional, por denúncia ou por representação: economicidade dos atos de gestão do responsável.
a) Controles Internos b) Quando julgar as contas irregulares, o Tribunal dará quitação plena
b) Tribunal de Contas ao responsável.
c) Conselho de Justiça c) O Tribunal julgará as contas regulares com ressalva quando
d) Ministério Público evidenciada a prática de ato de gestão ilegal, ilegítimo ou
antieconômico, ou infração a norma legal ou regulamentar de
30. Será emitido quando o Órgão ou Unidade verificar a não observância natureza contábil, financeira, orçamentária, operacional ou
da aplicação dos princípios de legalidade, legitimidade e economicidade, patrimonial;
constatando a existência de desfalque, alcance, desvio de bens ou outra d) O Tribunal poderá julgar irregulares as contas no caso de
irregularidade de que resulte prejuízo quantificável, para a Fazenda descumprimento de determinação de que o responsável tenha
Nacional e/ou comprometam, substancialmente, as demonstrações tido ciência, feita em processo de tomada ou prestação de
financeiras e a respectiva gestão dos agentes responsáveis, no período contas. E, nos casos de dano, desfalque ou desvio, terceiros
ou exercício examinado: poderão responder solidariamente.
a) Certificado de Irregularidade
b) Nota 37. É a decisão pela qual o Tribunal ordena o trancamento das contas
c) Parecer que forem consideradas iliquidáveis.
d) Relatório a) Irregular
b) Preliminar
31. São instrumentos de fiscalização do TCU, exceto: c) Definitiva
a) levantamentos d)Terminativa
b) auditorias
c) inspeções 38. O Tribunal julgará as contas irregulares quando evidenciada
d) rastreamento qualquer das seguintes ocorrências, exceto:
a) omissão no dever de prestar contas;
32. A Nota é o documento destinado a dar ciência ao gestor/ b) dano ao erário decorrente de ato de gestão ilegítimo ou
administrador da área examinada, no decorrer dos exames, das antieconômico;
impropriedades ou irregularidades constatadas ou apuradas no c) quando caso fortuito ou de força maior, comprovadamente
desenvolvimento dos trabalhos e tem por finalidade: alheio à vontade do responsável, tornar materialmente
a) Expressar a opinião do Sistema sobre a exatidão e regularidade, ou impossível o julgamento de mérito.
não, da gestão e a adequacidade, ou não, das peças examinadas, d) desfalque ou desvio de dinheiros, bens ou valores públicos.
devendo ser assinado pelo Coordenador-Geral ou Gerente Regional de
Controle Interno ou autoridades de nível hierárquico equivalente nos 39. O Tribunal de Contas da União poderá determinar o bloqueio das
órgãos e unidades setoriais. parcelas ou quotas-partes dos recursos tributários e a suspensão da
b) Externalizar a avaliação conclusiva do Sistema de Controle Interno transferência de quaisquer outros recursos federais, na seguinte
sobre a gestão examinada para que os autos sejam submetidos à hipótese, sem prejuízo da sanções administrativas, civis e penais
autoridade ministerial, que se pronunciará de acordo com a Lei Orgânica cabíveis
do TCU a) falta de entrega pela entidade fiscalizada ao Tribunal de Contas
c) Obter a manifestação dos agentes sobre fatos que resultaram em da União, nos prazos estipulados, dos documentos previstos.
prejuízo à Fazenda Nacional ou de outras situações que necessitem b) omissão no dever de prestar contas;
de esclarecimentos formais. c) prática de ato de gestão ilegal, ilegítimo ou antieconômico, ou
d) Consignar qualquer irregularidade ou ilegalidades constatadas, infração a norma legal ou regulamentar de natureza contábil,
indicando as medidas adotadas para corrigir as falhas identificadas, bem financeira, orçamentária, operacional ou patrimonial;
como avaliará a eficiência e a eficácia da gestão, inclusive quanto à d) dano ao erário decorrente de ato de gestão ilegítimo ou
economia na utilização dos recursos públicos. antieconômico;

33. Constituem objeto de fiscalização do TCU, exceto: 40. É a entrega de recursos correntes ou de capital a outro ente da
a) convênios, acordos e ajustes e outros instrumentos congêneres. Federação, a título de cooperação, auxílio ou assistência financeira,
b) atos e contratos; transferências constitucionais e legais. que não decorra de determinação constitucional ou legal, ou que
c) relatórios, pareceres e prestações de contas. sejam destinados ao Sistema Único de Saúde:
d) aplicação de subvenções, auxílios e contribuições; arrecadação de a) Conferência de Cálculos 
receita; e renúncia de receitas. b) Exame dos Registros 
c) Transferência voluntária 
34. São tipos de certificado, exceto: d) Teste laboratorial 
a) de desempenho
b) de regularidade 41. Quanto ao julgamento das contas por parte do TCU, assinale a
c) de regularidade com ressalvas alternativa correta:
d) de irregularidade. a) No caso de contas regulares com ressalva, quando o responsável
for julgado em débito, poderá ainda o Tribunal aplicar-lhe multa de até
35. É a decisão pela qual o relator ou o Tribunal, antes de pronunciar-se cem por cento do valor atualizado monetariamente do dano causado
quanto ao mérito das contas, resolve sobrestar o julgamento, ordenar a ao Erário.
citação ou a audiência dos responsáveis, rejeitar as alegações de defesa b) As contas serão julgadas regulares com ressalva quando
e fixar novo e improrrogável prazo para recolhimento do débito ou, ainda, evidenciarem impropriedade ou qualquer outra falta de natureza
determinar outras diligências necessárias ao saneamento do processo: formal de que não resulte dano ao erário.

8
c) Quando julgar as contas regulares com ressalva, o Tribunal dará 48. A jurisdição do Tribunal abrange qualquer pessoa física,
quitação plena ao responsável. administradores e responsáveis pelos órgãos e entidades que
d) Por intermédio do Congresso Nacional, quando a conta for julgada integram a Administração, que estão sob seu controle ou sua gestão,
irregular, o Tribunal poderá solicitar as medidas necessárias ao arresto e mais:
dos bens dos responsáveis julgados em débito, devendo ser ouvido a) que utilize, arrecade, guarde, gerencie ou administre dinheiros,
quanto à liberação dos bens arrestados e sua restituição. bens e valores públicos ou pelos quais a União responda, ou que, em
nome desta, assuma obrigações de natureza pecuniária;
42. Para que ocorra transferência voluntária, além de exigências fixadas b) aqueles que derem causa a perda, extravio ou outra irregularidade
na LDO deve-se levar em conta, exceto: de que resulte dano ao erário;
a) existência de dotação específica; c) todos aqueles que lhe devam prestar contas ou cujos atos estejam
b) permissão de utilização desses recursos para pagamento de sujeitos à sua fiscalização por expressa disposição de lei;
despesas com pessoal ativo, inativo e pensionista; d) todas estão corretas
c) comprovação, pelo beneficiário de que se acha em dia quanto ao
pagamento de tributos, empréstimos e financiamentos devidos ao 49. É a decisão pela qual o Tribunal julga as contas regulares,
transferidor, bem como a prestação de contas de recursos anteriormente regulares com ressalva ou irregulares.
dele recebidos; a) Regular
d) comprovação do beneficiário de cumprimento dos limites b) Preliminar
constitucionais relativos à educação e à saúde. c) Definitiva
d)Terminativa
43. Expressa a opinião do Sistema sobre a exatidão e regularidade, ou
não, da gestão e a adequacidade, ou não, das peças examinadas, 50. A Resolução nº 820, de 17-12-97, do CFC, prevê quatro tipos de
devendo ser assinado pelo Coordenador-Geral ou Gerente Regional de pareceres, que se classificam em, exceto:
Controle Interno ou autoridades de nível hierárquico equivalente nos a) sem ressalva
órgãos e unidades setoriais. b) com ressalva
a) Certificado de auditoria c) adverso
b) Nota d) irregular
c) Parecer
d) Relatório 51. Quando o Auditor não obtiver elementos comprobatórios
suficientes e adequados, de tal modo que o impeça de formar opinião
44. Visa comprovar se o objeto dos programas de governo corresponde quanto à regularidade da gestão, a opinião decorrente dos exames
às especificações estabelecidas, atende às necessidades para as quais fica sobrestada, por prazo previamente fixado para o cumprimento de
foi definido, guarda coerência com as condições e características diligência pelo órgão ou unidade examinado, o que, mediante novos
pretendidas e se os mecanismos de controle são eficientes. exames, o Sistema de Controle Interno emitirá o competente
a) Auditoria Certificado:
b) Fiscalização a) Parecer sem ressalva
c) Tomada de Contas b) Parecer com ressalva
d) Prestação de Contas c) Parecer adverso
d) Parecer com abstenção de opinião.
45. Visa avaliar a gestão pública, pelos processos e resultados gerais, e
a aplicação de recursos públicos por entidades de direito privado: 52. São características do controle externo, exceto:
a) Auditoria a) O controle externo, a cargo do Congresso Nacional, será exercido
b) Fiscalização com o auxílio do Tribunal de Contas da União.
c) Tomada de Contas b) É exercido pelo Poder Legislativo, em todas as esferas, em relação
d) Prestação de Contas aos demais Poderes.
c) Diferente da auditoria externa
46. Estão sujeitas à jurisdição do TCU, para efeito de tomadas e d) Serve de base às verificações e conclusões do TCU.
prestações de contas, exceto:
a) Contas nacionais das empresas nacionais de cujo capital a
53. Compete desde a apreciação das contas prestadas anualmente
União participe, de forma direta ou indireta, nos termos do
pelo Presidente da República até o julgamento das contas dos
respectivo tratado constitutivo;
administradores e demais responsável por dinheiros, bens e valores
b) Serviços sociais autônomos;
públicos da administração direta e indireta:
c) Contas nacionais das empresas supranacionais de cujo capital a
a) Controles Internos
União participe, de forma direta ou indireta, nos termos do respectivo
b) Tribunal de Contas
tratado constitutivo;
c) Conselho de Justiça
d) Entidades cujos gestores, em razão de previsão legal, devam prestar
d) Ministério Público
contas ao Tribunal.

47. O TCU não se limita a julgar as contas dos administradores e


responsáveis de cada órgão e entidade. O que antes se aplicava apenas
às contas do Presidente da República, a partir da LRF, é valido para
todos os dirigentes dos Poderes. Com relação ao julgamento do TCU,
assinale a alternativa correta:
a) No âmbito distrital, trata-se do Governador, dos Presidentes da
Assembleia Legislativa e do Tribunal de Justiça, e do Procurador-Geral
do Estado.
b) No âmbito municipal, aplica-se ao Governador, ao Presidente da
Câmara Legislativa e ao Procurador-Geral do DF.
c) E na esfera Estadual, tais dirigentes são o Prefeito e o Presidente da
Câmara de Vereadores.
d) Com relação às contas do próprio Tribunal ou Conselho de
Contas, em cada esfera, o parecer será emitido, no âmbito federal,
pela Comissão Mista – denominada de Planos, Orçamentos Públicos
e Fiscalização, ou equivalente, no âmbito estadual, distrital e
municipal.