Você está na página 1de 13

direção, e funcionamento custeado por recursos da União e de outras

fontes. Ex.: FUNAI, Fundação Padre Anchieta etc.

CONCEITO: Aplica as normas de escrituração contábil, registra os atos e Sociedades de Economia Mista: entidade dotada de personalidade
fatos administrativos relevantes ao patrimônio público. jurídica de direito privado, criada por lei para a exploração de
atividade econômica, sob a forma de sociedade anônima, cujas
CAMPO DE APLICAÇÃO: Seu campo de atuação é o das pessoas ações com direito a voto pertençam, em sua maioria, à União ou a
jurídicas de Direito Público interno – União, Estados, Distrito Federal, entidade da Administração Indireta, mas somente à União, em caráter
Municípios e suas autarquias -, bem como o de algumas de suas permanente, quando a atividade for submetida a regime de monopólio
entidades vinculadas – fundações públicas e empresas públicas -, estas estatal. Ex.: Petrobrás, Banco do Brasil etc.
pelo menos quando utilizam recursos à conta do Orçamento Público.
Empresas Públicas: entidade dotada de personalidade jurídica de
OBJETO: É o Patrimônio Público, excetuando os BENS DE USO direito privado, com patrimônio próprio e capital exclusivo da União,
COMUM (mares, praças, estradas, rios, viadutos etc.). O direito de uso criada por lei para a exploração de atividade econômica que o
precisa ser exclusivo da entidade. Governo seja levado a exercer por força de contingência ou de
Os bens público são: de uso comum do povo (rios, mares, estradas, ruas conveniência administrativa, podendo revestir-se de qualquer das
e praças), de uso especial (edifícios ou terrenos destinados a serviço ou formas admitidas em direito. Se revestem da forma de sociedades
estabelecimento da Administração Pública) e os dominicais (patrimônio por ações, embora todas sejam de propriedade da União,
das pessoas jurídicas de direito público). Estados/DF ou Municípios. Ex.: Infraero, Correios, CEF etc.

REGIME CONTÁBIL: No Brasil, o regime contábil adotado é o Regime Autarquias: serviço autônomo, criado por lei, com personalidade
Misto, isto é, adota-se ao mesmo tempo o regime de caixa (Receitas) e o jurídica, patrimônio e receitas próprios para executar atividades
regime de competência (Despesas). Art. 35 da lei 4.320/64: “Pertencem típicas da Administração Pública, para seu melhor funcionamento,
ao exercício financeiro: As receitas nele arrecadadas; As despesas nele gestão administrativa e financeira descentralizada. Destinadas ao
legalmente empenhadas.” atendimento das necessidades sociais básicas (atividades típicas
do governo).
RECEITAS REALIZADAS: São consideradas realizadas nas transações Ex.: INSS, CFC, OAB, BACEN, IBGE, CVM, ANEEL, ANA, ANATEL
com terceiros, quando estes efetuarem o pagamento ou assumirem etc.
compromisso firme de efetivá-lo; quando ocorre extinção, parcial ou total,
do passivo, sem o desaparecimento concomitante de um ativo de valor
igual ou maior; pela geração de novos ativos independente de terceiros e ORÇAMENTO PÚBLICO
no recebimento efetivo de doações e subvenções. É a parcela
efetivamente arrecadada. Conceito: é o instrumento de que dispõe o Poder Público (em
qualquer de suas esferas) para expressar, em determinado período,
DESPESAS INCORRIDAS: São consideradas incorridas quando deixar seu programa de atuação, discriminando a origem e o montante dos
de existir o correspondente valor ativo, por transferência de sua recursos a serem obtidos, bem como a natureza e o montante dos
propriedade para terceiros; pela diminuição ou extinção do valor dispêndios a serem efetuados”. O orçamento não é essencialmente
econômico de um ativo ou pelo surgimento de um passivo, sem o uma lei, mas um programa de trabalho do Poder Executivo. É um
correspondente ativo. programa de custeios, investimentos, inversões, transferências e
receitas, proposto pelo Poder Executivo para um período financeiro, e
ANO FINANCEIRO, PERIODO ADICIONAL E EXERCÍCIO aprovado pelo Poder Legislativo.
FINANCEIRO:
Ano financeiro é o período durante o qual se executa o orçamento, Princípios Orçamentários:
podendo ou não coincidir com o ano civil. No Brasil, coincide com o ano
civil.
Período adicional é o tempo acrescentado ao ano financeiro com o Unidade: o orçamento deve ser uno, ou seja, todas as receitas e
objetivo de, nesse período, concluir-se a arrecadação de tributos e despesas devem estar contidas numa só lei orçamentária;
pagamento de despesas relativas ao ano financeiro findo. Pode o período
adicional abranger um ou mais meses seguintes ao ano financeiro, e Universalidade: o orçamento (uno) deve compreender todas as
como é obvio, correm nesse período, concomitantemente, operações receitas e todas as despesas, não podendo haver omissão.
relativas ao ano findo e as do novo exercício. Tanto no Brasil, como na
maioria dos países, aboliu-se essa prática. Anualidade ou Periodicidade: de acordo com esse princípio, as
Exercício financeiro é o tempo compreendido entre o início do ano previsões de receita e despesa devem referir-se, sempre, a um
financeiro e o final do período adicional. Nos países onde não mais se período limitado de tempo (geralmente um ano). No Brasil, o
adota o período adicional, como é o caso do Brasil, o exercício financeiro orçamento coincide com o ano-calendário.
confunde-se com o ano financeiro. Logo, as expressões Ano
Financeiro e Exercício Financeiro podem ser usadas
Não-vinculação ou não afetação das Receitas de Impostos:
indistintamente.
nenhuma parcela da receita de impostos poderá ser reservada ou
comprometida para atender a certos ou determinados gastos.
ESTRUTURA POLÍTICO-ADMINISTRATIVA BRASILEIRA: A
Administração Federal compreende a Administração Direta ( que se
constitui dos serviços integrados na estrutura administrativa da Exclusividade: a lei orçamentária não conterá matéria estranha à
Presidência da República e dos Ministérios) e a Administração Indireta previsão da receita e à fixação da despesa.
que compreende as seguintes categorias de entidades, dotadas de
personalidade jurídica própria e que são vinculadas ao Ministério em cuja Especificação ou Discriminação ou Especialização: veda as
área de competência estiver enquadrada sua atividade principal. E são autorizações globais, tanto para arrecadar tributos como para aplicar
elas: as fundações*, as sociedades de economia mista, as empresas os recursos financeiros. Esse princípio preconiza a identificação de
públicas e as autarquias. cada rubrica de receita e despesa, de modo que não figurem de
forma englobada, como exemplo, utilização de título de “Outros (as)”
*Fundações Públicas: entidade dotada de personalidade jurídica de ou de intitulações genéricas representando, às vezes, parcelas
direito privado, sem fins lucrativos, criada em virtude de autorização consideráveis dos totais.
legislativa, para o desenvolvimento de atividades que não exijam
execução por órgãos ou entidades de direito público, com autonomia
Orçamento Bruto: utilização das rubricas de receitas e despesas
administrativa, patrimônio próprio gerido pelos respectivos órgãos de
pelos seus valores brutos, isto é, sem compensações, sem deduções.

1
Clareza: o orçamento deve ser claro e de fácil entendimento. Por esse III - Os orçamentos anuais
princípio, a intitulação das contas deveria ser auto-explicativa; o sistema
contábil, primar pela simplicidade, sem prejuízo dos desdobramentos PLANO PLURIANUAL(PPA): foi estabelecido pelo parágrafo primeiro
necessários, os demonstrativos deveriam permitir um razoável do Art. 165, da Constituição Federal, conforme segue:
entendimento para o público e, ainda, ser complementados pelo que “A lei que instituir o plano plurianual estabelecerá de forma
fosse relevante no interesse dos que pretendem conhecer com mais regionalizada as diretrizes, objetivos e metas da administração pública
detalhes e profundidade as contas públicas. federal para as despesas de capital e outras delas decorrentes e para
as relativas aos programas de duração continuada.”
Publicidade: diz respeito à garantia da transparência e pleno acesso a A Constituição, no artigo 167, parágrafo primeiro, determina,
qualquer interessado às informações necessárias ao exercício da ainda, que nenhum investimento cuja execução ultrapasse um
fiscalização sobre a utilização dos recursos arrecadados dos exercício financeiro poderá ser iniciado sem prévia inclusão no plano
contribuintes. plurianual, ou sem lei que autorize a inclusão.
Os planos e programas nacionais, regionais e setoriais, bem
como as leis de diretrizes orçamentárias e dos orçamentos anuais
Equilíbrio: os valores autorizados para a realização das despesas no
deverão estar compatíveis com a Lei do Plano Plurianual.
exercício deverão ser compatíveis com os valores previstos para a
arrecadação das receitas.
ENCAMINHAMENTO DO PROJETO DO PPA AO PODER
LEGISLATIVO:
Evolução do Orçamento
- até quatro meses antes do encerramento do primeiro exercício
financeiro (31.08) do mandato presidencial
Orçamento Tradicional ou Clássico: Orçamento que era elaborado
DEVOLUÇÃO DO PPA AO PODER EXECUTIVO PARA SANÇÃO:
antes do advento do Orçamento-programa. Tratava-se de um simples
relacionamento das receitas a arrecadar e das despesas de custeio. - até o encerramento da sessão legislativa correspondente
Essa técnica produzia um orçamento que se restringia à previsão da (22.12)
receita e à autorização de despesas. Não se verificava uma preocupação VIGÊNCIA DO PLANO PLURIANUAL:
primária com o atendimento das necessidades bem formuladas da - até o final do primeiro exercício financeiro do mandato
coletividade ou da própria Administração Pública, nem mesmo eram presidencial subseqüente
claros os objetivos econômicos e sociais que motivaram a elaboração da
peça orçamentária. Em suma: a Administração analisava em primeiro LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS (LDO): foi estabelecida pelo
lugar os recursos disponíveis e em seguida, definia a distribuição desses parágrafo segundo do art. 165, da Constituição Federal, conforme
recursos na manutenção da rede de serviços públicos existentes. Não segue:
tinha cunho de planejamento. “A lei de diretrizes orçamentárias compreenderá as metas e
prioridades da administração pública federal, incluindo as despesas
Orçamento de Desempenho ou de Realizações: A evolução do de capital para o exercício financeiro subseqüente,
orçamento clássico trouxe um novo enfoque na elaboração da peça - orientará a elaboração da lei orçamentária anual,
orçamentária. Saber o que a Administração Pública compra tornou-se - disporá sobre as alterações na legislação tributária e
menos relevante do que saber para que se destina a referida aquisição. - estabelecerá a política de aplicação das agências financeiras oficiais
Embora este tipo de orçamento já esteja ligado aos objetivos, não pode, de fomento.”
ainda, ser considerado um orçamento-programa, visto que lhe falta uma As emendas ao projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias não
característica essencial, que é a vinculação ao Sistema de Planejamento. poderão ser aprovadas quando incompatíveis com o Plano Plurianual
(parágrafo quarto do artigo 166 da CF).
Orçamento-programa: orçamento que põe em destaque as metas, os
ENCAMINHAMENTO DO PROJETO DA LDO AO PODER
objetivos e as intenções do Governo. É um programa de trabalho
LEGISLATIVO:
definindo objetivos a serem alcançados, seus custos e as fontes de
recursos; constitui um instrumento de planejamento. Sua elaboração - até oito meses e meio antes do encerramento do exercício
abrange quatro etapas: financeiro, ou seja até o dia 15.04

Planejamento: definição dos objetivos a atingir; DEVOLUÇÃO DA LDO AO PODER EXECUTIVO PARA SANÇÃO:
Programação: definição das atividades necessárias à consecução dos - até o encerramento do primeiro período da sessão legislativa, que
objetivos; ocorre no dia 17.07
Projeto: estimação dos recursos de trabalho necessários à realização OBS: A sessão legislativa não será interrompida sem a
das atividades; aprovação do projeto da LDO (art. 57, § 2º da CF)
Orçamentação: estimação dos recursos financeiros para pagar a LEI DE ORÇAMENTO ANUAL (LOA)
utilização dos recursos de trabalho e prever as fontes de recursos. Instrumento legal que prevê as fontes de recursos a serem
arrecadados (receita) e fixa os gastos a serem realizados (despesa)
No orçamento-programa, as metas governamentais são classificadas na consecução dos programas de governo.
em funções de governo e estas divididas em programas, sub-programas, De acordo com o § 5º do art. 165 da Constituição, a LOA
projetos e atividades. compreenderá:
As primeiras e principais fontes de recursos são as receitas próprias,  O orçamento fiscal,
provenientes dos tributos. Outra fonte de recursos é a contribuição de  O orçamento da seguridade social
melhoria que permite recuperar o custo de certas obras que beneficiam  O orçamento de investimento das estatais e
indiretamente determinados grupos de contribuintes.
O financiamento de obras de infra-estrutura física, tributáveis, que Fiscal: Compreende os Poderes da União, seus fundos, Órgãos e
garantem o retorno do capital aplicado, a curto e a médio prazos, entidades da administração direta e indireta, inclusive fundações
constitui também legítima fonte de recursos para levar a bom termo as instituídas e mantidas pelo poder público.
metas governamentais, além dos empréstimos a curto, a médio e a longo Seguridade Social: Abrange todas as entidades e órgãos da
prazos obtidos por meio de operações financeiras ou emissão de títulos administração direta e indireta, fundos e fundações instituídas e
da dívida pública. mantidas pelo poder público, vinculadas à seguridade social (saúde,
previdência e assistência social).
Sistema Orçamentário: Art. 165 da Constituição Federal: “Leis de Investimento das EstataisRefere-se ao orçamento de investimento
iniciativa do Poder Executivo estabelecerão: das empresas em que a União, direta ou indiretamente, detenha a
maioria do capital social com direito a voto. De acordo com a LDO,
I - O plano plurianual
considera-se investimento a aquisição de ativo imobilizado.
II - As diretrizes orçamentárias
INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES:

2
a) A LDO considera como investimentos apenas os dispêndios com
aquisição do ativo imobilizado.  Elaboração do orçamento (confecção da Proposta Orçamentária
b) Sobre os orçamentos: que se transforma em Projeto de LOA quando enviada à Casa
- Fiscal: por sua abrangência e dimensão, o orçamento fiscal constitui-se Legislativa): iniciativa do Poder Executivo, em conformidade com o
no principal dos três orçamentos; PPA e LDO;
- Investimento: com o processo de desestatização, fenômeno comum na
década de 90, o orçamento de investimentos das empresas estatais teve  Estudo, aprovação e sanção e publicação da Lei Orçamentária:
diminuída sua importância e significado; estudo e aprovação por parte do Poder Legislativo. Aprovada a LOA,
- Seguridade Social: trata-se de um orçamento de áreas funcionais, que cabe ao Presidente da República, sancioná-la e promulgá-la. Após a
cobre todas as despesas classificáveis como de seguridade social e não promulgação, há necessidade de publicação da Lei para que essa a
apenas as entidades e órgãos da seguridade social. Lei se torne executável.
c) O projeto de LOA tem que ser compatível com o PPA e LDO. São admitidas as emendas aos projetos de LOA e dos projetos
O conjunto de documentos, sintéticos e analíticos, demonstrando que a modifiquem se indicarem os recursos necessários provenientes
os planos do Governo, enviados à Casa Legislativa, denomina-se de anulação de despesas, exceto se incidirem sobre dotações para
Proposta Orçamentária. pessoal e seus encargos, serviço da dívida e transferências tributárias
constitucionais para Estados, Municípios e Distrito Federal.
 Proposta orçamentária
Constitui uma das atribuições do Congresso Nacional examinar,  Execução: constitui a concretização anual dos objetivos e das
discutir, emendar e aprovar, anualmente, os Planos de Custeio e de metas determinados para o setor público, no processo de
Investimentos do Poder Executivo. planejamento integrado, e implica a mobilização de recursos
Assim, o planejamento completo é encaminhado ao Poder humanos, materiais e financeiros.
Legislativo para exame, discussão, emenda e aprovação. Denomina-se
Proposta Orçamentária o conjunto de documentos sintéticos e  Acompanhamento e Avaliação: a avaliação refere-se à
analíticos, demonstrando os planos do Governo, enviados à Casa organização, aos critérios e trabalhos destinados a julgar o nível dos
Legislativa. objetivos fixados no orçamento e as modificações nele ocorridas
Com a aprovação do Legislativo, a proposta orçamentária durante a execução; à eficiência com que se realizam as ações
transforma-se em Orçamento Público. empregadas para tais fins e o grau de racionalidade na utilização dos
Somente depois da publicação da lei orçamentária, o Chefe do recursos correspondentes.
Poder Executivo poderá dar início à execução dos seus planos. Passa-
se, então, das atividades de estimação da receita e da fixação da CRÉDITOS ADICIONAIS (Lei 4.320 - art. 40 a 46):
despesa (proposta orçamentária) às atividades de realização da receita e São autorizações de despesas não computadas ou insuficientemente
da despesa (execução orçamentária). dotadas na lei de orçamento anual. Os créditos adicionais
aumentam a despesa pública do exercício, já fixada no orçamento,
 Exame da Proposta Orçamentária pelo Poder Legislativo pois são solicitados pelo Poder Executivo ao Poder Legislativo
- Da União: é examinada no Congresso Nacional por uma comissão durante a execução orçamentária. Provém dos recursos do tesouro.
mista de senadores e deputados. Classificam-se em:
- Das unidades da federação (estados e DF): são examinadas e  SUPLEMENTARES: destinados a reforço de dotação
aprovadas pelas Assembleias Legislativas correspondentes. orçamentária;
- Dos Municípios: são examinadas e aprovadas pelas Câmaras de  ESPECIAIS: destinados a despesas para as quais não haja
Vereadores. dotação orçamentária específica;
- Das Autarquias: são elaboradas e aprovadas por decreto, após  EXTRAORDINÁRIOS: destinados a despesas urgentes e
exame e aprovação dos órgãos técnicos do Poder Executivo. imprevistas, em caso de guerra, comoção interna ou calamidade
pública.
 Prazos determinados CARACTERÍSTICAS
Se até trinta dias antes do encerramento do exercício financeiro, o Os créditos suplementares e especiais serão autorizados por lei,
Congresso Nacional não devolver o projeto de LOA para sanção, o abertos por decreto executivo e dependem de recursos disponíveis.
projeto será promulgado como lei. Os créditos extraordinários serão abertos por decreto executivo,
Se o projeto for rejeitado pelo Poder Legislativo, subsistirá, para o com imediata comunicação ao Poder Legislativo.
ano seguinte, a Lei Orçamentária do exercício em curso. Os créditos suplementares vigoram no exercício financeiro em que
Entretanto, o Legislativo (federal, estadual ou municipal) considerará forem abertos. Os especiais e extraordinários podem ser
o orçamento vigente como proposta se, no prazo constitucional, não prorrogados.
receber do Executivo a proposta orçamentária. Constituição Federal - art.167.
OBS.: Nos estados e respectivos municípios os prazos são É vedada a abertura de crédito suplementar ou especial sem
estabelecidos pelas constituições estaduais e correspondentes. autorização legislativa e sem recursos correspondentes.
A autorização para abertura de crédito suplementar poderá estar
**Emendas à LOA ou aos Projetos de LOA: Não serão aprovadas contida na própria lei de orçamento, até certo valor.
emendas à LOA ou aos Projetos de LOA e suas modificações quando Os créditos extraordinários somente serão abertos para atender
incompatíveis com o PPA e a LDO. despesas imprevisíveis e urgentes, por meio de medida provisória.
Enfim, a Constituição exige que as emendas estejam relacionadas Os créditos especiais e extraordinários poderão ser prorrogados e
com os dispositivos do texto do projeto de lei ou com a correção de incorporados ao orçamento do ano seguinte, caso tenham sido
erros ou omissões. autorizados nos últimos quatro meses do ano.
Os créditos adicionais aprovados pelo Congresso Nacional serão
a) Duração: um ano; considerados automaticamente abertos com a sanção e publicação da
b) Vigência: A LOA tem vigência de UM ANO; lei (LDO).
a) Prazos: - será encaminhado para o Poder Legislativo até quatro O crédito suplementar se incorpora ao orçamento, adicionando-
meses antes do encerramento do primeiro exercício financeiro se a importância autorizada à dotação orçamentária a que se destinou
(31/08) e será devolvido para sanção, do Poder Executivo, até o o reforço. Já, os créditos especial e extraordinário apresentam as
encerramento da sessão legislativa (22/12). respectivas despesas realizadas separadamente.
Os créditos suplementares e especiais são autorizados por lei e
Resumo dos prazos de encaminhamento e devolução abertos por decreto, dependendo da existência de recursos
LEI ORÇAMENTÁRIA (ANUAL) 31.08 22.12 disponíveis para ocorrer a despesa, requerendo-se uma exposição
LEI DE DIRETRIZES 15.04 17.07 justificativa. Os créditos extraordinários serão abertos por decreto do
ORÇAMENTÁRIAS (ANUAL)
Executivo, que dará conhecimento ao Legislativo; sua abertura deve
PLANO PLURIANUAL (4 ANOS) 31.08 22.12
ser precedida do reconhecimento expresso de uma das situações que
Ciclo Orçamentário: sequencia das etapas desenvolvidas pelo processo
o justificam.
orçamentário. O ciclo orçamentário apresenta-se em quatro etapas:

3
FONTES DE RECURSOS - CRÉDITOS ADICIONAIS Congresso Nacional. Portanto, nesses casos não há decreto
I SUPERÁVIT FINANCEIRO presidencial de abertura do crédito adicional.
II EXCESSO DE ARRECADAÇÃO
III ANULAÇÃO PARCIAL OU TOTAL DE DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA OBS: CRÉDITOS ADICIONAIS X PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS:
OU CRÉDITOS ADICIONAIS AUTORIZADOS EM LEI
IV PRODUTO DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO AUTORIZADAS
Os créditos adicionais representam exceções aos princípios
orçamentários:
I - SUPERÁVIT FINANCEIRO 1º) Exceções ao princípio da UNIDADE: CRÉDITOS SUPLEMENTARES,
Diferença positiva entre o ativo financeiro e o passivo financeiro, ESPECIAIS E EXTRAORDINÁRIOS; e
apurada no balanço patrimonial do ano anterior. SF = AF > PF
Devem ser conjugados os saldos dos créditos adicionais transferidos 2º) Exceções ao princípio da ANUALIDADE: CRÉDITOS ESPECIAIS E
EXTRAORDINÁRIOS.
e as operações de crédito a eles vinculadas, a fim de encontrar o
montante dos recursos disponíveis à conta de superávit financeiro.
RECEITAS PÚBLICAS
RD = SF - CT + OC
RD: recursos disponíveis à conta de superávit financeiro CONCEITO: Caracteriza-se como um ingresso de recursos ao
SF: superávit financeiro (AF menos PF) patrimônio público, mais especificamente como uma entrada de
CT: saldo de créditos adicionais transferidos recursos financeiros que se reflete no aumento das disponibilidades.
OC: saldo de operações de crédito (empréstimos) vinculadas aos
créditos transferidos Receita Orçamentária

II - EXCESSO DE ARRECADAÇÃO É aquela que integra o orçamento público. A arrecadação das


Saldo positivo das diferenças acumuladas mês a mês entre a receitas deste grupo depende de autorização legislativa que é a
arrecadação prevista e a realizada, considerando-se a tendência do própria lei orçamentária. A realização desta receita é através da
exercício. execução do orçamento.
Devem ser deduzidos os créditos extraordinários abertos no
exercício, a fim de se encontrar o montante dos recursos utilizáveis a
esse título. Quanto à coercitividade, a Receita está dividida em: Originária
- EXCESSO/INSUFICIÊNCIA DE ARRECADAÇÃO – (Provêm da exploração do patrimônio da pessoa jurídica de direito
EA = RA > RP e IA = RA < RP público, como em qualquer empresa) e Derivada (Resultam do poder
EA: excesso de arrecadação que tem o Estado, como mandatário da coletividade, para exigir dos
IA: insuficiência de arrecadação cidadãos prestações pecuniárias necessárias ao custeio das
RA: montante da receita arrecadada até o mês necessidades públicas, pelo cumprimento de suas funções).
RP: montante da receita prevista até o mês Quanto à categoria econômica, a Receita Orçamentária,
Do excesso de arrecadação deve-se reduzir o montante dos créditos classifica-se em:
extraordinários abertos (CEA) no ano, então: Receitas Correntes: São as receitas propriamente ditas, ou
Recursos Utilizáveis = EA – CEA fatos modificativos aumentativos, provêm essencialmente tanto do
III - ANULAÇÃO DE DOTAÇÃO: poder tributante do Estado como da renda de fatores, como em
Cancelamento parcial ou total de dotações aprovadas na lei de qualquer atividade econômica. Representam um aumento do ativo
orçamento ou nas leis de créditos adicionais. sem redução concomitante do mesmo ou sem aumento do passivo.
Provoca a redução dos montantes autorizados para execução da Também chamada efetivas.
despesa, liberando recursos financeiros estimados para outras despesas.
Consiste em reduzir despesa e não em criação de fonte de receita. São consideradas Receitas Correntes:

IV - OPERAÇÕES DE CRÉDITO:  Tributária;


Consiste em autorização para realização de empréstimos, de  De contribuições;
financiamentos, bem como a emissão de títulos do tesouro.
 Patrimonial;
Forma de captação de recursos financeiros a serem utilizados no
 Agropecuária;
atendimento de desequilíbrio orçamentário e realização de obras e
serviços públicos. Provoca o crescimento da dívida pública.  Industrial;
 De serviços e outras; e
Na lei orçamentária, normalmente, consta a autorização para  Provenientes de recursos financeiros recebidos de outras pessoas
abertura de créditos suplementares até determinados limites e de direito público ou privado, quando destinadas a atender a
condições. despesas classificáveis em Despesas Correntes.

CREDITO CREDITO CREDITO Receitas de Capital: São receitas por mutação patrimonial,
CARACTERÍSTICAS SUPLEMENTAR ESPECIAL EXTRAORDIN. constituem fatos meramente permutativos, que resulta aumento de um
NÃO REQUER item do ativo (por ingresso de recursos) com redução de outro, ou
PROJETO DE LEI
AUTORIZAÇÃO PROJETO DE LEI (MEDIDA
com aumento simultâneo do passivo. Também chamada não-
PROVISÓRIA) efetivas.

DECRETOS DO PODER EXECUTIVO (*)


ABERTURA São consideradas Receitas de Capital:
EXERC. FINANCEIRO. SE ABERTO
EXERCÍCIO
NOS ÚLTIMOS 4 MESES, PODE SER  Provenientes da realização de recursos financeiros oriundos da
ABERTO NO ANO SUBSEQUENTE
VIGÊNCIA FINANCEIRO
PELO LIMITE DE SALDO
constituição de dívidas;
 Da conversão, em espécie, de bens e direitos;
GUERRA,
COMOÇÃO  De amortização de empréstimos anteriormente concedidos e outras;
REFORÇO DE NOVAS INTERNA,  Dos recursos recebidos de outras pessoas de direito público ou
FINALIDADE DOTAÇÃO DESPESAS CALAMIDADE
PÚBLICA privado, destinados a atender despesas classificáveis em Despesas
PODE
de Capital; e
RECUSTOS DISP.
REQUER INDICAÇÃO DE RECURSOS DISPENSAR.  Do superávit do Orçamento Corrente (RC – DC).
DISPONÍVEIS PARA ABERTURA INDICAÇÃO DE
RECURSOS
Fontes de Recursos
OBS: (*) Atualmente, na área federal, a LDO considera um crédito
As receitas são indicadas por um conjunto de três dígitos
adicional aberto com a sanção e publicação da lei aprovada pelo
segundo suas fontes de recursos. Entende-se por fonte a origem,

4
procedência do recurso e é utilizada para indicar como são financiadas independem de autorização legislativa. Ex.: Cauções, Fianças,
as despesas. Consignações em Folha de Pagamento a Favor de Terceiros,
Vinculam, determinados tipos de recursos a certos tipos de Retenções na Fonte, Salários não-reclamados, Operações de crédito
aplicações; e ao mesmo tempo, o comprometimento da despesa fica a curto prazo etc.
condicionado à realização de receitas. DESPESAS PÚBLICAS
A grosso modo, as receitas provêm propriamente do Tesouro ou
de outras fontes, mas podem ser utilizadas diretamente pelo CONCEITO: Dispêndio de recursos do patrimônio público,
órgão/entidade que as recebe ou mediante transferência entre representado essencialmente por uma saída de recursos financeiros,
órgãos/entidades. imediata – com redução de disponibilidades – ou mediata – com
reconhecimento dessa obrigação.”
Vinculação da receita ao orçamento
Pode-se fazer uma abordagem da classificação da receita no que Despesa Orçamentária
diz respeito a sua condição de estar prevista no orçamento – É aquela cuja realização depende de autorização legislativa e
orçamentária – ou não – extraorçamentária. que não pode efetivar-se sem crédito orçamentário correspondente,
As receitas extraorçamentárias afetam a execução financeira, mão ou seja, é a que integra o orçamento (despesa discriminada e fixada
não pode ser computada para efeito de programação das despesas. no orçamento público).
A receita também pode ser considerada vinculada a cada um dos
três tipos de orçamento – fiscal, seguridade social e de investimento. Quanto à categoria econômica, a Despesa Orçamentária,
classifica-se em:
Estágios da Receita Despesas Correntes: São chamadas de efetivas, ou despesas
O art. 139 do Regulamento de Contabilidade Pública dispõe que a propriamente ditas, correspondem a fatos modificativos diminutivos,
receita percorre três estágios: fixação, arrecadação e recolhimento. com diminuição de ativo sem concomitante diminuição de passivo ou
Fixação: Começa pelas estimativas, passa pela discussão e aumento de ativo, ou com aumento de passivo sem concomitante
aprovação do orçamento e termina pelo lançamento, que permite a aumento de ativo ou diminuição de passivo. São consideradas
identificação, a individualização do contribuinte, do devedor. Despesas Correntes:
O período de realização da receita se desdobraria em:
Lançamento, Arrecadação e Recolhimento, visto que a única atividade do
estágio da Fixação que realmente se opera dentro do período de  De Custeio:
realização da receita é o lançamento. Porém em algumas circunstâncias, - pessoal civil;
não ocorre propriamente lançamento (que é uma intersecção entre - pessoal militar;
estimação e realização); e em outros casos, arrecadação e recolhimento - material de consumo;
se confundem. - serviços de terceiros;
- encargos diversos;
Lançamento: É o ato da repartição competente, que verifica a
procedência do crédito fiscal e a pessoa que lhe é devedora e inscreve o  Transferências Correntes:
débito desta. Não correspondem à contraprestação direta em bens ou
Compete privativamente à autoridade administrativa, preenchendo serviços; como subvenções, são destinações para a cobertura de
finalidades de: despesas de custeio das entidades beneficiadas, e, por conseguinte,
 Verificar a ocorrência do fato gerador da obrigação e identificar o constituem receita propriamente dita dessas entidades, na
sujeito passivo; Contabilidade Empresarial. E são:
 Determinar a matéria tributável, analisar seus elementos e calcular - subvenções sociais;
o montante do tributo devido; - subvenções econômicas;
- inativos;
 Propor a aplicação da penalidade cabível, quando for o caso.
- pensionistas;
- salário-família e abono familiar;
Há três espécies de lançamento: direto ou de ofício, por
- juros da dívida pública;
declaração e por homologação (autolançamento).
- contribuições da previdência social;
- diversas transferências correntes.
Arrecadação: caracteriza-se pela transferência, pelo depósito
(geralmente pela rede bancária, inclusive oficial) em favor, em nome do
Despesas de Capital: São chamadas de por mutação
Tesouro, das obrigações dos contribuintes perante o Poder Público.
patrimonial, correspondem a fatos permutativos. São consideradas
Despesas de Capital:
Recolhimento: Caracteriza-se pela transferência do produto da
arrecadação diretamente ao caixa do Tesouro. Só através do  Investimentos:
recolhimento, em conta específica, é que se pode dizer que os recursos - obras públicas;
estarão efetivamente disponíveis para utilização pelos gestores - serviços em regime de programação especial;
financeiros. - equipamentos e instalações;
Princípio de unidade de caixa: CONTA ÚNICA DO TESOURO - material permanente;
NACIONAL, mantida pelo Banco Central, mas o agente financeiro é o - participação em constituição ou aumento de capital de
Banco do Brasil. empresas ou entidades industriais ou agrícolas.

Dívida Ativa  Inversões Financeiras:


Constitui-se nos créditos da Fazenda Pública, tributários ou não - aquisição de imóveis;
que – pagos no vencimento – são inscritos em registro próprio, após - participação em constituição ou aumento de capital de
apurada sua liquidez e certeza, de acordo com a legislação específica. A empresas ou entidades comerciais ou financeiras ;
dívida ativa da União deve ser apurada e inscrita na Procuradoria Geral - aquisição de títulos representativos de capital de empresas em
da Fazenda Nacional (Os Estados, DF e Municípios dispõem dos órgãos funcionamento;
correspondentes). - constituição de fundos rotativos;
Compõem o ativo da união, são créditos que ela tem contra - concessão de empréstimos;
terceiros; difere da dívida passiva que é a que constitui seu passivo, seus - diversas inversões financeiras.
débitos com terceiros.
 Transferência de Capital:
Receita Extra-orçamentária São destinadas a investimentos ou inversões financeiras a serem
efetuados pelos beneficiários (de direito público ou privado), também
É aquela que não integra o orçamento público. Compreende os independentemente de contraprestação direta em bens ou serviços,
recolhimentos feitos e que constituirão compromissos exigíveis, cujo estando associadas ao que se classifica como reserva de capital na
pagamento independe de autorização orçamentária e, portanto, Contabilidade Empresarial. E são:

5
- amortização da dívida pública;
- auxílios para obras públicas; 2º Estágio: LIQUIDAÇÃO - é a verificação de implemento de
- auxílios para equipamentos e instalações; condição. (Despesa plenamente incorrida).
- auxílio para inversões financeiras; Consiste na verificação do direito adquirido por parte do credor
- outras contribuições. ou entidade beneficiária, tendo por base os títulos e documentos
comprobatórios do respectivo crédito ou da habilitação do benefício.
OBS1: A Lei estabeleceu que a cooperação financeira da União com A verificação tem por fim apurar:
entidade ou empresa pública ou privada poderá ser feita por meio de: - a origem e o objeto do que se deve pagar;
* Subvenção social – quando se destinar a entidade de assistência - a importância exata a pagar;
social, médica e educacional sem fins lucrativos, independentemente de - a quem se pede pagar a importância para extinguir a obrigação.
legislação especial; A liquidação da despesa por fornecimento ou prestação de
* Subvenção econômica – quando se destinar a empresa agrícola, serviços terá por base:
pastoril, industrial ou comercial, mediante expressa autorização em lei - ajuste, contrato ou acordo respectivo;
especial; - nota de empenho ou documento de efeito equivalente;
* Auxílio – quando se destinar a entidade sem fins lucrativos, - documento fiscal pertinente;
independentemente de legislação especial; - comprovantes da entrega do material ou da prestação do serviço.
* Contribuição – quando se destinar a entidade sem fins lucrativos, para
atender a ônus ou encargo assumido pela União, mediante expressa 3º Estágio: PAGAMENTO - é o último estágio da despesa. Consiste
autorização em lei especial; no ato onde o Poder Público faz a entrega do numerário
correspondente ao credor, através da emissão da Ordem de
OBS2: Grupos de natureza de despesas: Pagamento. É onde o credor comparece perante o agente pagador,
I – pessoal e encargos sociais – 1; identificando-se, recebe seu crédito e dá a competente quitação.
II – juros e encargos da dívida – 2;
III - outras despesas correntes – 3; Agentes pagadores: são as tesourarias, as exatorias, as pagadorias,
IV – investimentos – 4; as caixas e outros órgãos públicos. Não existem agentes pagadores
V – inversões financeiras, incluídas quaisquer despesas referentes à privados.
constituição ou aumento de capital de empresas – 5;
VI – amortização da dívida – 6. Restos a pagar ou Resíduos Passivos:
A Lei estabeleceu o dígito 9 no que se refere ao grupo de natureza São as despes empenhadas, pendentes de pagamento na data
de despesa para identificar a Reserva de Contingência especificamente a de encerramento do exercício financeiro, inscritas contabilmente como
determinado órgão, unidade orçamentária, programa ou categoria obrigações a pagar no exercício subseqüente.
econômica. Restos a pagar processados: quando a despesa já
transcorreu i estágio da liquidação. Empenhadas, liquidadas e não
Estágios da Despesa pagas
De acordo com o art. 227 do Regulamento de Contabilidade Restos a pagar não-processados: são aquelas cujos
Pública toda despesa percorre três estágios: empenho, liquidação e serviços encontram-se em execução, não existindo ainda o direito
pagamento. líquido e certo do credor. Empenhadas, não liquidadas e não pagas.
O Prof. João Angélico diferencia o período da estimação da
despesa com o período de realização da despesa. O primeiro período, o Despesas de Exercícios Anteriores:
professor chamou de fixação (por analogia à receita), correspondendo à O orçamento anual consigna dotação específica destinada a
organização das estimativas e à conversão da proposta no orçamento. O fazer face aos pagamentos de despesas resultantes de compromissos
outro compreenderia os estágios de programação, licitação, empenho, gerados em exercícios financeiros já encerrados.
liquidação, suprimento e pagamento.
 Despesas de exercícios encerrados, para as quais o orçamento
1 º Estágio: EMPENHO - ato emanado de autoridade competente que respectivo consignava crédito próprio, com saldo suficiente para
cria para o Estado obrigação de pagamento pendente ou não de atendê-las, que não tenham processado na época própria
implemento de condição. É um ato de ordenamento da despesa  Restos a Pagar com prescrição interrompida
autorizada em lei.  Compromissos reconhecidos após o encerramento do exercício
Os valores empenhados não poderão exceder o limite dos créditos correspondente decorrentes de obrigação de pagamento criada
concedidos na dotação própria, não se admitindo, outrossim, a realização em virtude de lei.
de despesa sem prévio empenho.
Para cada empenho será extraído um documento denominado Suprimento de Fundos:
Nota de Empenho, que indicará o nome do credor, a especificação e a Modalidade de realização de despesa destinada a realizar
importância da despesa, bem como a dedução desta do saldo da despesas que não possam subordinar-se ao processo normal de
dotação própria. Através da nota de empenho é que se reserva a dotação utilização de recursos, sempre precedida de empenho na dotação
orçamentária para garantir o pagamento estabelecido na relação própria.
contratual entre o Estado e os seus fornecedores e prestadores de O ordenador de despesa é autoridade competente para
serviços. conceder suprimento de fundos, fixando-lhe o valor, nos seguintes
casos:
Serão consideradas incorridas as despesas quando: a) Para atender despesas eventuais, inclusive em viagens e
I – deixar de existir o correspondente valor ativo, por transferência com serviços especiais, que exijam pronto pagamento em
de sua propriedade para terceiro; espécie;
II – pela diminuição ou extinção do valor econômico de um ativo; b) Quando a despesa deva ser feita em caráter sigiloso;
III – pelo surgimento de um passivo, sem o correspondente ativo. c) Para atender despesas de pequeno vulto, assim entendidas
aquelas cujo valor, em cada caso, não ultrapassar limite
Modalidades de Empenho: estabelecido em portaria do Ministro da Fazenda.
Ordinário: é utilizado quando o montante a ser pago for previamente
conhecido e deva ocorrer de uma só vez. São perfeitamente conhecidos Limites Gerais para Concessão
o credor e o valor. Obras e Serviços de R$7.500, (5% do valor máx.
Global: é utilizado quando o montante a ser pago também for Engenharia na modalidade Convite.
previamente conhecido, mas deva ocorrer parceladamente. Outros Serviços e R$4.000, (5% do valor máx.
Estimativa: é utilizado quando não se possa determinar previamente o Compras em Geral na modalidade Convite.
montante exato a ser pago.
A nota de empenho poderá ser anulada parcialmente quando seu
Limites Individuais – Despesas de Pequeno Vulto
valor exceder o montante da despesa realizada ou totalmente de
Obras e Serviços de R$375, (0,25% do valor
acordo com outros casos.

6
Engenharia máx. na modalidade a) É a disciplina que aplica, na Administração Pública, as técnicas de
Convite. registros e apurações contábeis em harmonia com as normas gerais
Outros Serviços e R$200, (0,25% do valor do Direito Financeiro.
Compras em Geral máx. na modalidade b) Seu objeto é o Patrimônio Público
Convite. c) É restrito à Administração Pública nos seus três níveis de governo e
correspondentes autarquias, bem como algumas de suas entidades
A Lei proíbe a concessão de suprimento de fundos, nos casos: vinculadas como fundações e empresas públicas, essas pelo menos
a) A responsável por dois suprimentos; quando utilizam recursos à conta do Orçamento Público.
b) A servidor que tenha a seu cargo a guarda ou a utilização do d) Seu objeto é o Patrimônio Público, excetuando os BENS DE USO
material a adquirir, salvo quando não houver na repartição COMUM (mares, praças, estradas, rios, viadutos etc.).
outro servidor;
c) A responsável por suprimento de fundos que, esgotando o 2) O Regime Contábil utilizado no Brasil, na Contabilidade Pública, é o
prazo, não tenha prestado contas de sua aplicação; e Regime:
d) A servidor declarado em alcance. a) de Caixa
b) de Competência
Dívida Pública ou Dívida Passiva: c) Misto
Conjunto de compromissos assumidos pelo Estado com terceiros. d) de Receita
Compreendem os empréstimos internos e externos, a curto e a longo
prazos, bem como os valores arrecadados a título de receita extra- 3) O Crédito Especial é uma classificação dos Créditos Adicionais que
orçamentária. poderá ser autorizado com o fim de atender a despesas:
É classificada em: Dívida fundada e Dívida flutuante. a) Consideradas imprevistas e urgentes.
b) Com programas de trabalho não previstos no orçamento em
Dívida fundada ou consolidada: refere-se às exigibilidades de vigor.
prazo superior a 12 meses, contraídas mediante emissão de títulos ou c) Com aumento dos vencimentos dos servidores públicos ativos.
celebração de contratos para atender a desequilíbrio orçamentário, ou a d) Previstas no orçamento, mas insuficientes para atender às
financiamento de obras e serviços públicos, e que dependem de necessidades da Administração Pública
autorização legislativa para amortização ou resgate. Pode ser interna ou
externa, conforme o empréstimo seja feito no país ou no exterior. 4) Marque (V) para verdadeiro, (F) para falso e assinale a alternativa
Depende de autorização legislativa. cuja sequência está correta:
Pode ser dividida em: ( ) Ano Financeiro é o período durante o qual se executa o
a) Dívida pública mobiliária – dívida pública representada por orçamento, podendo coincidir ou não com o ano civil.
títulos emitidos pela União, inclusive os do Banco Central do ( ) No Brasil, podemos utilizar indistintamente as expressões “Ano
Brasil, Estados e Municípios. financeiro” ou “exercício financeiro”.
b) Operações de créditos – contratação de empréstimos junto a a) V – F
uma instituição financeira nacional ou estrangeira. b) V – V
c) F – V
Integram a dívida pública consolidada ou fundada as operações de d) F – F
créditos de prazo inferior a 12 meses, cujas receitas tenham constado
do orçamento. 5) Conforme o art. 35 da Lei 4.320/64: Pertencem ao exercício
financeiro:
Dívida flutuante ou não-consolidada: corresponde aos a) as receitas nele legalmente empenhadas e as despesas
compromissos cujo pagamento independe de autorização legislativa. É arrecadadas
restrita à área nacional e seu resgate é sempre programado a curto b) as receitas nele fixadas e as despesas nele legalmente
prazo. Compreende: empenhadas
 Restos a pagar c) as receitas nele recolhidas e as despesas nele legalmente pagas
 Serviços da dívida d) as receitas nele arrecadadas e as despesas nele legalmente
 Depósitos de terceiros, inclusive consignações em folha empenhadas
 Operações de créditos por antecipação da receita (débitos de
tesouraria) 6) O princípio que diz que “as receitas e despesas deverão ser
 Papel-moeda lançadas por seus valores brutos, ou seja, sem deduções ou
compensações”, é o princípio:
Despesa Extra-Orçamentária a) da clareza
b) da especificação
Não estão vinculadas ao orçamento e, portanto, não dependem de c) do orçamento bruto
autorização legislativa. Representa uma saída financeira decorrente da d) da universalidade
devolução dos recursos recebidos anteriormente sob o título de ingresso
extra-orçamentário. 7) No município Três Vendas, foram reservados certos valores das
Ex.: Devoluções de cauções, fianças, salários e vencimentos não receitas de impostos para o pagamento das despesas de material de
reclamados, pagamento de restos a pagar, restituições a pagar e expediente, ferindo o princípio:
consignações em folha de pagamento. a) da exclusividade
b) da não-afetação das receitas
DESPESAS X RECEITAS NO ORÇAMENTO PÚBLICO c) da especificação
No orçamento público, as aplicações correspondem à despesa d) do orçamento bruto
fixada, autorizada, e que, portanto, não pode ser ultrapassada. A
utilização ou comprometimento dos recursos caracteriza a despesa 8) Princípio que estabelece a inclusão de todas as receitas e
realizada (que não equivale necessariamente apenas à despesa paga). despesas do Estado no orçamento uno:
Economia orçamentária é o saldo não utilizado de uma dotação. a) da universalidade
Assim, o orçamento pode ser deficitário (despesa autorizada > b) da unidade
receita orçada), superavitário (receita estimada > despesa fixada) ou c) da anualidade
equilibrado. Formalmente, sempre existe equilíbrio, pois o superávit pode d) da exclusividade
ficar esterilizado e o déficit tem de ser coberto.
9) Princípio que estabelece que o orçamento deve ser uno, ou seja,
Exercícios de Fixação em sua expressão mais ampla, cada pessoa jurídica de direito
público, cada esfera da Administração deveria dispor de um
orçamento que contivesse suas receitas e despesas:
1) Sobre Contabilidade Pública, marque a alternativa incorreta: a) do equilíbrio

7
b) da exclusividade b) Especialização
c) da universalidade c) Periodicidade
d) da unidade d) Exclusividade

10) No município de Coral, o prefeito reservou valores de receitas de 19) Considerando o objeto da Contabilidade Pública, sabe-se que
taxas e contribuições de melhoria para o pagamento de material de alguns bens não integram o patrimônio dos órgãos da Administração
consumo ferindo o princípio de não afetação ou não vinculação das Pública, consequentemente, não são objeto de relevação contábil.
receitas. Esta afirmativa é: Indique a alternativa que contém um exemplo desse bem:
( ) verdadeira ( ) falsa a) praça pública
b) prédio público
11) Princípio, segundo o qual, o Poder Executivo deve submeter a c) estoques públicos
proposta orçamentária ao Poder Legislativo, para ser votada a cada ano, d) bens de uso especial
é:
a) Anualidade 20) A Lei Orçamentária não conterá matéria estranha à previsão da
b) Universalidade receita e à fixação da despesa, é o que determina o Princípio da:
c) Unidade a) unidade.
d) Legalidade b) anualidade.
c) especificação.
12) Princípio, segundo o qual, todas as receitas e despesas do Governo d) exclusividade.
devem compor apenas uma só peça orçamentária, evitando-se a
pluralidade de orçamentos é: 21) Em relação aos Regimes Contábeis da Contabilidade Pública,
a) Anualidade assinale a opção correta:
b) Universalidade a) no regime de Competência, a receita é reconhecida no período em
c) Unidade que é arrecadada
d) Legalidade b) no regime de Caixa, as receitas e as despesas são atribuídas aos
exercícios de acordo com a real incorrência, isto é, de acordo com a
13) Quando se diz que as receitas e as despesas devem constar na lei data do fato gerador, e não quando são recebidas ou pagas
de orçamento, sem quaisquer deduções, isto decorre da aplicação do c) no Brasil, a administração pública deve adotar o Regime Contábil
princípio: de escrituração Misto, ou seja, o Regime de Competência para a
a) Da unidade arrecadação das receitas e o Regime de Caixa para a realização das
b) Da exclusividade despesas
c) Do orçamento bruto d) o Regime de Caixa compreende, exclusivamente, todos os
d) Da exatidão recebimentos e pagamentos efetuados no exercício, mesmo aqueles
relativos a períodos contábeis anteriores
14) Sobre as autarquias é incorreto dizer: e) no Brasil, a administração pública deve adotar o Regime Contábil
a) São as únicas entidades responsáveis por atividades típicas do de escrituração por Competência tanto para as receitas quanto para
governo (Administração Pública) as despesas, a fim de atender à convenção contábil de Consistência
b) Destinadas ao atendimento das necessidades sociais básicas
c) Serviço autônomo, criado por lei, com personalidade jurídica, 22) No que diz respeito ao Orçamento Público, qual o princípio
patrimônio e receitas próprios orçamentário segundo o qual os orçamentos de todos os órgãos
d) Requerem para seu melhor funcionamento, gestão administrativa e autônomos que constituem o setor público devem-se fundamentar em
financeira centralizada uma única política orçamentária estruturada uniformemente e que se
ajuste a um método único?
15) O orçamento deve ser claro e compreensível para qualquer indivíduo. a) especificação
a) Princípio da Publicidade b) exclusividade
b) Princípio da Uniformidade c) anualidade
c) Princípio da Especificação d) unidade
d) Princípio da Evidenciação e) universalidade

16) O princípio que veda a inclusão de matérias estranhas à Lei de Meios 23) No Brasil, os termos Exercício Financeiro e Ano Financeiro
é denominado Princípio da: possuem o mesmo significado pelo fato do:
a) Exclusividade a) Exercício Financeiro coincidir com o ano civil
b) Especificação b) Exercício Financeiro ser acrescentado de um período adicional
c) Unidade c) Exercício Financeiro ser inferior ao ano civil
d) Universalidade d) Ano Financeiro não coincidir com o ano civil
e) Ano Financeiro ser acrescentado de um período adicional
17) Com base nos Princípios Orçamentários observados pela
Constituição da República, relacione colunas a seguir: 24) O artigo 35 da Lei 4.320/64 estabeleceu que pertencem ao
1- Legalidade ( ) O orçamento deve ser atualizado anualmente. exercício financeiro as receitas nele arrecadadas e as despesas nele
2- Discriminação ( ) O orçamento deve ser veiculado por lei. legalmente empenhadas, instituindo, dessa forma, o regime contábil:
3- Universalidade ( ) “Consiste na obrigatoriedade de detalhamento de a) misto, sendo de competência para as receitas e de caixa para as
todas as receitas e despesas públicas.” despesas
4- Anualidade ( ) A Lei Orçamentária não pode conter dispositivos b) misto, sendo de caixa para as receitas e de competência para as
estranhos à estimativa e previsão da receita. despesas
5- Unidade ( ) Todas as receitas e despesas do governo devem c) de competência para receitas e despesas
estar previstas no orçamento. d) de caixa para receitas e despesas
6- Exclusividade ( ) Todas as receitas e despesas do governo devem e) de crédito anual para receitas e despesas
integrar um único documento.
a) 6, 1, 4, 3, 2, 5 25) O princípio orçamentário cuja doutrina determina que os
b) 4, 1, 2, 6, 3, 5 orçamentos, de todos os órgãos autônomos que constituem o setor
c) 5, 1, 2, 6, 3, 4 público, devem ser fundamentados em uma única política
d) 4, 2, 5, 3, 6, 1 orçamentária é o da:
a) clareza
18) O Princípio orçamentário que proíbe autorizações globais, tanto de b) unidade
arrecadar receita quanto de realizar despesa é denominado: c) universalidade
a) Unidade d) exclusividade

8
e) anualidade a) o orçamento vigente
b) o projeto
26) Instrumento constitucional utilizado para o planejamento estratégico, c) a lei de diretrizes orçamentárias
pelo qual se estabelecerá, de forma regionalizada, diretrizes, objetivos e d) o plano plurianual
metas da Administração Pública para programas de duração continuada.
a) Lei de Diretrizes Orçamentárias 34) Crédito que se incorpora ao orçamento, adicionando-se a
b) Plano Plurianual importância autorizada à dotação orçamentária a que se destinou o
c) Orçamento de Seguridade reforço.
d) Lei Orçamentária Anual a) suplementar
b) especial
27) Instrumento legal orçamentário que compreende as metas e c) extraordinário
prioridades da Administração Pública, incluindo as despesas de capital d) extra-orçamentário
para o exercício financeiro subsequente:
a) Plano Plurianual 35) Instrumento legal orçamentário que estabelecerá a política de
b) Lei de Diretrizes Orçamentárias aplicação das agências financeiras oficiais de fomento:
c) Lei Orçamentária Anual a) Plano plurianual
d) Lei da Programação Financeira b) Lei Orçamentária anual
c) Lei de Diretrizes Orçamentária
28) Marque (V) para as afirmativas verdadeiras e (F) para as falsas e d) Lei da Seguridade Social
assinale a alternativa correta:
( ) A Constituição Federal de 88 determina que a lei que instituir o Plano 36) As autorizações de despesas não computadas no orçamento
Plurianual deve estabelecer objetivos e metas da Administração Pública, anual ou dotadas de forma inferior, constituem créditos adicionais e se
de forma regionalizada, para as despesas de capital e as dela classificam em:
decorrentes. a) Suplementar, especial e extra-orçamentários
( ) Um Plano Plurianual deverá ter início no segundo ano de mandato de b) Suplementar, especial e extraordinário
um presidente e vigência até o final do primeiro exercício financeiro do c) Orçamentário, suplementar e extraordinário
mandato presidencial subsequente. d) Orçamentário, especial e extra-orçamentário
a) V – F
b) F – V 37) Se o Projeto de Lei Orçamentária for rejeitado pelo Legislativo,
c) V – V subsistirá para o ano seguinte:
d) F – F a) A Lei Orçamentária em vigor corrigida com a inflação
b) A Lei Orçamentária do exercício em curso
29) Créditos que dependem de prévia autorização legislativa e de c) A Lei Orçamentária do exercício anterior
indicação de recursos disponíveis para sua cobertura: d) O Projeto de Lei elaborado pelo Legislativo
a) suplementar e extraordinário
b) especial e extraordinário 38) Crédito adicional que, segundo a lei 4.320/64, não precisa da
c) suplementar e especial indicação dos recursos compensatórios com fonte de cancelamento
d) suplementares total ou parcial de dotações orçamentárias para ser aberto:
a) Suplementar
30) A Lei Orçamentária compreenderá: b) Especial
a) o plano plurianual de investimentos, as diretrizes orçamentárias e os c) Extraordinário
orçamentos anuais d) Extra-orçamentário
b) as metas e prioridades da administração pública federal
c) o orçamento fiscal, o orçamento da seguridade social e o orçamento 39) O princípio que diz que a Lei Orçamentária não conterá dispositivo
de investimentos estranho à previsão da receita e à fixação da despesa é:
d) metas e prioridades da administração pública federal de iniciativa do a) Anualidade
poder legislativo b) Unidade
c) Universalidade
31) O projeto de Lei Orçamentária deverá ser encaminhada ao Poder d) Exclusividade
Legislativo até:
a) oito meses e meio antes do encerramento do exercício financeiro 40) A Lei de Diretrizes Orçamentárias:
b) oito meses antes do encerramento do exercício financeiro a) Estabelece as diretrizes, objetivos e metas da Administração
c) quatro meses antes do encerramento do exercício financeiro Pública para as despesas de capital e programas especiais de
d) quatro meses antes do encerramento do primeiro exercício financeiro duração continuada
b) Compreende o Orçamento Fiscal, de Investimentos e da
32) Com relação às emendas aos projetos de Lei Orçamentária, marque Seguridade Social
a alternativa incorreta: c) É elaborada para viabilizar as realizações planejadas no Plano
a) são admitidas as emendas aos projetos de LOA e dos projetos que a Plurianual e transformá-las em realidade
modifiquem se indicarem os recursos necessários provenientes de d) Dispõe sobre as alterações na legislação tributária
anulação de despesas, inclusive se incidirem sobre dotações para
pessoal e seus encargos, serviço da dívida e transferências tributárias 41) O orçamento Tradicional ou Clássico é aquele que:
constitucionais para Estados, Municípios e Distrito Federal. a) Define objetivos, seus custos e as fontes de recurso
b) São admitidas as emendas aos projetos de LOA e dos projetos que a b) Conta com um planejamento estratégico com vigência de 4 anos
modifiquem se indicarem os recursos necessários provenientes de c) As metas do governo são classificadas em funções de governo e
anulação de despesas, exceto se incidirem sobre dotações para pessoal estas são divididas em programas, sub-programas, projetos e
e seus encargos, serviço da dívida e transferências tributárias atividades
constitucionais para Estados, Municípios e Distrito Federal. d) Trata-se de um simples relacionamento das receitas a arrecadar e
c) Não serão aprovadas emendas à LOA ou aos Projetos de LOA e suas das despesas; não tem cunho de planejamento
modificações quando incompatíveis com o PPA e a LDO.
d) As emendas à LOA ou ao projeto de LOA, segundo a CF/88, devem 42) Conjunto de documentos, sintéticos e analíticos, demonstrando os
estar relacionadas com os dispositivos do texto do projeto de lei ou com a planos de governo, enviados à Casa Legislativa, denomina-se:
correção de erros ou omissões. a) Lei de Diretrizes Orçamentária
b) Lei Orçamentária Anual
33) Se até trinta dias antes do encerramento do exercício financeiro, o c) Plano Plurianual
Congresso Nacional não devolver o projeto de LOA para sanção, d) Proposta Orçamentária
_______ será promulgado como lei.

9
43) A Lei Orçamentária Anual: c) O regime de caixa para as receitas arrecadadas e de
a) Estabelece as diretrizes, objetivos e metas da Administração Pública competência para as despesas legalmente empenhadas.
para as despesas de capital e programas especiais de duração d) De caixa para as receitas efetivamente recebidas e competência
continuada para as despesas liquidadas no exercício.
b) Compreende o Orçamento Fiscal, de Investimentos e da Seguridade
Social 51) O Crédito Extraordinário é uma classificação dos Créditos
c) Compreende as metas e prioridades da Administração Pública Adicionais que poderá ser autorizado com o fim de atender a
d) Dispõe sobre as alterações na legislação tributária e estabelece a despesas:
política de aplicações financeiras oficiais de fomento a) Consideradas imprevistas e urgentes.
b) Com programas de trabalho não previstos no orçamento em
44) O Poder Executivo é responsável pela elaboração da proposta vigor.
orçamentária, que deve ser entregue ao Poder Legislativo em prazo c) Com aumento dos vencimentos dos servidores públicos ativos.
adequado. Em nível Federal, o prazo para encaminhamento da proposta d) Previstas no orçamento, mas insuficientes para atender às
orçamentária ao Poder Legislativo é até: necessidades da Administração Pública.
a) 15 de abril
b) 15 de agosto 52) O elemento básico da contabilidade pública é:
c) 31 de agosto a) Empenho.
d) 30 de setembro b) Licitação.
c) Patrimônio.
45)Para cobrir despesas não-previstas no orçamento, autorizadas com a d) Orçamento.
indicação de recursos disponíveis, poderão ser criados créditos
adicionais denominados: 53) A Lei das Diretrizes Orçamentárias é de iniciativa do:
a) Especiais a) Poder Executivo.
b) Suplementares b) Poder Judiciário.
c) Extraordinários c) Poder Legislativo.
d) Superavitários d) Senado Federal.
46)Os créditos suplementares e especiais somente podem ser abertos se 54) O exercício financeiro, tendo em vista a Lei 4.320/64:
houver:
a) Coincide com o mandato do gestor.
a) Decreto legislativo
b) Permite mais de um exercício.
b) Autorização executiva
c) Decreto autorizativo c) Coincide com o ano civil.
d) Autorização legilativa d) Não coincide com o ano civil.

47)Assinale V ou F, quanto aos itens abaixo. Com relação à Lei de 55) De acordo com a legislação vigente, os recursos disponíveis para
Diretrizes Orçamentárias, pode-se afirmar que: fins de abertura de créditos suplementares e especiais incluem:
( ) A iniciativa da sua proposição é de competência do Legislativo
( ) Ela deve estabelecer as metas e objetivos para as despesas de I. Produto de operações de crédito por antecipação de receita
capital, relativas a vários exercícios financeiros autorizada, em forma que, juridicamente, possibilite ao
( ) A LDO deverá dispor sobre as modificações a serem feitas na Poder Executivo realizá-los.
legislação tributária, para exercício financeiro a que ela se aplicará II. Superávit financeiro apurado em Balanço Financeiro do
( ) A LDO estabelecerá política de recursos das instituições financeiras exercício anterior.
oficiais de fomento III. Recursos provenientes do excesso de arrecadação.
( ) A LDO estabelecerá as metas e prioridades da Administração Pública IV. Resultados de anulação parcial ou total de Dotações
e norteará a elaboração da Lei Orçamentária Anual Orçamentárias ou de Créditos Adicionais autorizados em lei.
V. Operações de crédito.
a) F–F–V–V–V
b) F–V–V–F–F A alternativa CORRETA é:
c) F–F–V–F–V
d) V–F–F–V–V a) I , II e IV.
b) II , III e IV.
48)De acordo com o art. 165, § 2° da Constituição Federal de 1988, foi c) III , IV e V.
reservada à Lei de Diretrizes Orçamentárias a função de, exceto: d) I , II e III.
a) Especificar as ações prioritárias do plano de governo pelo período
superior a um ano 56) Os regimes contábeis da receita e despesa, segundo a Lei
b) Estabelecer a política de recursos das instituições financeiras oficiais 4.320/64, são respectivamente:
de fomento a) Competência e Misto.
c) Dispor sobre as alterações na legislação tributária b) Caixa e Prudência.
d) Estabelecer, em conformidade com o PPA, as metas e prioridades da c) Caixa e Competência.
Administração Pública Federal, incluindo as despesas de capital para o Competência e Caixa
exercício seguinte.
57) São fases do ciclo orçamentário:
49) Os créditos suplementares serão autorizados por lei e abertos por a) Medição, execução, aprovação e acompanhamento
decreto do Poder Executivo, destinando-se a: b) Elaboração, aprovação, execução e acompanhamento
a) despesas urgentes e imprevisíveis c) Execução, suspensão, acompanhamento e aprovação
b) reforço da dotação orçamentária d) Medição, execução, suspensão e acompanhamento
c) despesas de natureza especial
d) despesas para as quais não haja dotação orçamentária específica. 58) A Lei de Orçamento Anual obedecerá à orientação da Lei de
Diretrizes Orçamentárias e compreenderá o orçamento:
50) Na entidade pública, para registro das transações e visando a a) Fiscal, social e de investimento das estatais
apuração dos resultados gerais do exercício, devem ser observados, por b) De seguridade social, de investimento e de saúde
imposição de lei: c) Da sociedade, fiscal e de assistência social
a) O regime de competência ou de confrontação entre despesas d) Fiscal, de investimento das estatais e de seguridade social
incorridas no período e a correspondente geração das receitas.
b) De competência para as receitas geradas e de caixa para as
despesas efetivamente pagas.

10
59) Se até ______ antes do início do exercício financeiro seguinte, o b) III, I, II
Congresso não devolver para sanção, a Proposta Orçamentária será c) I, III, II
promulgada como lei. d) II, I , III
a) 15 dias
b) 20 dias 66) No orçamento-programa, as metas governamentais são
c) 30 dias classificadas em funções de governo e estas são divididas em:
d) 45 dias a) programas - sub-programas - projetos - atividades
b) programas - co-programas - projetos - atividades
60) As emendas à LOA ou aos projetos que a modifiquem serão c) programas - sub-programas - diretrizes - planejamento
aprovados se: d) planejamento - atividades - precisão – projeto
a) Forem compatíveis com o PPA e com a LDO
b) Forem relacionadas com a correção de erros ou omissões e com os 67) A vigência do Plano Plurianual é:
dispositivos do texto do projeto de lei a) até quatro meses antes do encerramento do primeiro exercício
c) Indicarem os recursos provenientes de anulação de despesas com financeiro do mandato presidencial
pessoal e encargos sociais, serviço da dívida e transferências b) até o encerramento da sessão legislativa correspondente ao
constitucionais primeiro exercício financeiro do mandato presidencial
c) até o final do primeiro exercício financeiro do mandato
a) Todas as afirmativas estão corretas presidencial subseqüente
b) Somente as afirmativas I e II estão corretas d) até o final do primeiro exercício financeiro do mandato
c) Somente as afirmativas I e III estão corretas presidencial
d) Todas as afirmativas estão erradas
68) Aplicando as normas de escrituração contábil, registra a previsão
61) A abertura dos créditos suplementares e especiais depende da das receitas, a fixação das despesas e as alterações introduzidas no
existência de recursos disponíveis para ocorrer à despesa e será orçamento:
precedida de exposição justificativa. Considera(m)-se recurso(s) para a) Contabilidade Pública
atender a essa abertura dos créditos suplementares e especiais, desde b) Orçamento Público
que não-comprometidos, as opções abaixo, exceto: c) Plano de Contas Público
a) O superávit do orçamento de capital d) Finanças Públicas
b) As operações de crédito
c) A anulação total ou parcial de dotação orçamentária ou créditos 69) No Brasil, em relação às Receitas públicas, adota-se o regime
adicionais contábil:
d) A reserva de contingência a) De caixa c) De competência
b) Misto d) Jurídico
62) O Sistema de Planejamento Integrado, também conhecido no Brasil
como Processo de Planejamento-orçamentário, consubstancia-se nos 70) As leis de iniciativa do Poder Executivo estabelecem:
seguintes instrumentos: Plano Plurianual, Lei de Diretrizes Orçamentárias a) O Orçamento Fiscal, de Investimento e da Seguridade Social.
e Lei Orçamentária Anual. No que diz respeito à LDO, aponte uma única b) Os planos Governamentais da União, dos Estados e Municípios.
opção falsa: c) Os Créditos Suplementares e Extraordinários.
a) Tem finalidade de nortear a elaboração dos orçamentos anuais d) O Plano Plurianual, as Diretrizes Orçamentárias e os
b) Contém as metas e prioridades da Administração Pública Federal Orçamentos Anuais.
c) Dispõe sobre as alterações na legislação tributária
d) Compreende o orçamento fiscal, o orçamento de investimento das 71) O regime contábil utilizado na Contabilidade Pública é:
estatais e o orçamento da seguridade social a) Misto
b) De competência
63) O projeto de Lei das Diretrizes Orçamentárias será encaminhado ao c) De Caixa
Poder Legislativo até ____ antes do encerramento do exercício financeiro d) De Gestão
e devolvido para sanção até o encerramento do primeiro período da
seção legislativa. 72) Marque a alternativa correta:
a) oito meses e meio a) Ano financeiro e exercício financeiro tem significados distintos no
b) quatro meses Brasil
c) quatro meses e meio b) Período adicional é o mesmo que ano financeiro
d) três meses c) O Ano financeiro coincide, no Brasil, com o ano civil, enquanto
que o exercício financeiro não coincide
64) O Plano Plurianual: d) Tanto o ano quanto o exercício financeiro, no Brasil, coincidem
a) Estabelece as metas e as prioridades da Administração Pública com o ano civil
Federal incluindo as despesas de capital para o exercício seguinte
b) Estabelece as diretrizes, objetivos e metas da Administração Pública 73) Programa de trabalho do Poder Executivo que contém planos de
para as despesas de capital e programas especiais de duração custeio, investimentos, inversões e transferências e ainda planos de
continuada obtenção de recursos, denomina-se:
c) Compreende o Orçamento Fiscal, de Investimentos e da Seguridade a) Programação de Receitas
Social b) programação financeira
d) Dispõe sobre as alterações na legislação tributária c) orçamento público
d) lei de diretrizes
65) Complete as lacunas da direita conforme as lacunas da esquerda e
marque a resposta correta de acordo com os Créditos Adicionais: 74) O Orçamento-Programa:
I. Suplementares a) Deixa a mercê da existência de saldo positivo entre receitas e
II. Especiais despesas a criação de novos serviços públicos ou a ampliação e
III. Extraordinários aprimoramento dos já existentes
b) É um programa de trabalho que realça o que se pretende
( ) destinados a despesas urgentes e imprevistas, em caso de guerra realizar, definindo objetivos, seus custos e as fontes de recursos.
etc. c) É o mesmo que Orçamento Plurianual
( ) destinados a reforço de dotação orçamentária d) É um programa de Receitas previstas e despesas fixadas,
( ) destinados a despesas para as quais não haja dotação orçamentária elaborado pelos dirigentes das repartições públicas
específica
a) I, II, III

11
75) Planejamento, Programação, Projeto e Orçamentação, são etapas d) fixada / complementares
do:
a) Orçamento-programa 86) Segundo a lei nº 4320/64, a Lei de Orçamento conterá a
b) Orçamento anual discriminação da receita e da despesa, obedecendo os seguintes
c) Orçamento de Custeio princípios:
d) Orçamento administrativo a) unidade, plurianualidade e equilíbrio.
b) universalidade, plurianualidade e equilíbrio
76) Ao programa de custeio, investimentos, inversões, transferências e c) unidade, universalidade e anualidade
receitas, proposto pelo Poder Executivo para um período financeiro, e d) anualidade, orçamento global e unidade.
aprovado pelo Poder Legislativo denominamos:
a) proposta orçamentária c) crédito adicional 87) Correlacione os conceitos com os Princípios Orçamentários
b) reserva de contingência d) orçamento existentes na Contabilidade Pública e assinale a alternativa correta.
I – Unidade
77) O conjunto de documentos sintéticos e analíticos, demonstrando os II – Universalidade
planos do Governo, enviados à Casa Legislativa, denomina-se: III – Anualidade
a) Proposta Orçamentária IV – Exclusividade
b) crédito público V – Clareza
c) orçamento público ( ) “A lei orçamentário não conterá matéria estranha à previsão da
d) Carta de Intenções receita e à fixação da despesa”.
( ) “O orçamento deve ser expresso de forma clara, ordenada e
78) Princípio orçamentário que estabelece que todas as receitas e todas completa”.
as despesas devem constar da Lei Orçamentária pelos seus totais, ( ) “Os orçamentos de todos os órgãos autônomos que constituem o
vedadas quaisquer deduções: setor público devem fundamentar-se em uma única política
a) anualidade c) unidade orçamentária estruturada uniformemente, que se ajuste a um
b) exclusividade d) Orçamento bruto método único”.
( ) ”Devem ser incluídos no orçamento todos os aspectos do
79) A proposta orçamentária da União é examinada programa de cada órgão, principalmente aqueles que envolvam
a) Pelas Câmaras de Vereadores qualquer transação financeira ou econômica”.
b) Pelas Assembléias Legislativas ( ) “As previsões de receita e despesa devem referir-se, sempre, a
c) Pelos Senadores no Congresso Nacional um período limitado de tempo”.
d) Por uma Comissão Mista de Senadores e Deputados no Congresso ( ) “O orçamento deve manter o equilíbrio”.
Nacional
a) IV – V – I – II – III - x
b) x – V – III – IV – II – I
80) A receita que se espera arrecadar, é o mesmo que:
c) V – x – III – II – I – IV
a) Receita orçada, receita estimada ou receita realizada
b) Receita de Caixa, Receita prevista ou receita orçada d) II – x – III – V – IV – I
c) Receita Estimada, receita orçada ou receita prevista
d) Excesso de Arrecadação 88) O campo de aplicação da Contabilidade Pública é restrito:
a) apenas a nível de Governo Federal
81) O orçamento deve constituir uma só peça, compreendendo as b) apenas a nível de Governo Estadual
receitas e as despesas do exercício, de modo a demonstrar, pelo c) apenas a nível de Governo Municipal
confronto das somas, se há equilíbrio, saldo ou déficit. Este é o princípio d) nos três níveis de Governo
orçamentário:
a) da anuidade 89) São princípios orçamentários:
b) do conservadorismo a) clareza, unidade, autoridade e regime misto
c) do equilíbrio b) exclusividade, unidade, anualidade e equilíbrio
d) da unidade c) anualidade, sigilo orçamentário, equilíbrio e unidade
d) universalidade, clareza, regime misto e exclusividade
82) As propostas orçamentárias das Autarquias são por elas elaboradas
e aprovadas por Decreto do Poder Executivo, após exame e aprovação 90) Coloque F (falso) ou V (verdadeiro) nas afirmativas abaixo,
a) dos Órgãos técnicos da Autarquia assinalando a seguir a correta:
b) dos Órgãos técnicos do Poder Legislativo ( ) Créditos adicionais diminuem a despesa pública do exercício, já
c) dos Órgãos técnicos do Poder Executivo fixada no orçamento.
d) dos Órgãos técnicos do Congresso Nacional ( ) Denomina-se economia orçamentária o saldo não utilizado de
uma dotação.
83) O planejamento de aplicações dos recursos esperados em ( ) Denomina-se orçamento público o conjunto de documentos,
programas de custeio, investimentos, inversões e transferências durante sintéticos e analítico, demonstrando os planos do governo,
um período financeiro,denomina-se: enviados ao Legislativo.
a) plano plurianual. ( ) Créditos especiais destinam-se a reforçar dotação já existente no
b) programação financeira. orçamento em vigor.
c) orçamento público. ( ) Excesso de arrecadação é a diferença positiva (favorável) entre
d) lei de diretrizes. a receita prevista e a realizada.
a) F – V – F – F – V c) V – F – V – V – F
84) O orçamento público é uma Lei que tem por vigência: b) V – V – F – V – F d) F – V – V – F – V
a) tempo indeterminado.
b) o prazo de dois anos. 91) Os créditos destinados a atender despesas imprevisíveis e
c) o prazo de um ano. urgentes como as decorrentes de guerra, Comoção interna ou
d) qualquer prazo até ser revogado por outra lei. calamidade pública, denominamos:
a) especiais c) extraordinários
85) Assinale a alternativa que completa as lacunas da sentença abaixo: b) suplementares d) vinculados
“No Orçamento Geral da União as despesas são ______ e as receitas
são ______.” 92) As autorizações de despesas não computadas ou insuficiente
a) previstas / fixadas dotadas na Lei Orçamento, denomina-se:
b) complementadas / previstas a) orçamento
c) fixadas / previstas b) crédito orçamentário

12
c) superávit financeiro
d) créditos adicionais

13