Você está na página 1de 7

NASCER E CRESCER

revista do hospital de crianças maria pia


ano 2010, vol XIX, n.º 1

Clonagem Reprodutiva

Dalva Alves da Neves1

RESUMO INTRODUÇÃO Professora Helena Maria Pereira de


O homem anseia em si perpetuar, Melo(2), descreve uma frase de um Pro-
podendo para isso ultrapassar barreiras “Não ser ninguém além de mim fessor da Comunidade de Oxford, que
éticas, na tentativa de preservar o seu mesmo – em um mundo que está fa- afirma: “O meu sentimento funda-se na
patrimônio genético e se imortalizar. zendo possível, dia e noite, para nos pura curiosidade. Sei aquilo em que me
Criar um ser à sua imagem e semelhan- transformar em qualquer outra pessoa – tornei, tendo nascido nos anos 40, ido à
ça, desde os primórdios da civilização é significa travar a mais dura batalha que escola nos anos 50, atingido a maiorida-
um sonho do homem, que com a divul- qualquer ser humano é capaz de travar de nos anos 60 e assim sucessivamente.
gação da ovelha Dolly (05/07/1996), tor- e jamais parar de lutar.” Penso que seria fascinante, do ponto de
nou possível. O grande desafio atual é Edward E. Cumming, 1958 vista pessoal, observar uma cópia reduzi-
conciliar o saber humanístico e cientifico da de mim mesmo, cinqüenta anos mais
na busca da felicidade, pois as frontei- A palavra clone surgiu na língua in- nova (...) que iria crescer nas primeiras
ras biológicas estão sendo derrubadas, glesa no início do século XX, para identi- décadas do século XXI. Não teria a sen-
e devemos refletir no utilizar indiscrimi- ficar indivíduos idênticos geneticamente. sação de fazer recuar o meu relógio pes-
nado da ciência. A sua origem etimológica é da palavra soal cinqüenta anos?”. Esta afirmação
A clonagem terapêutica é atualmen- grega Khon, que quer dizer broto de um nos remete a pensamentos de que o ho-
te aceita por muitos países, porque ofere- vegetal. A clonagem é uma forma de re- mem, na ânsia de se perpetuar, pode ul-
ce á medicina a oportunidade de repor te- produção assexuada que existe natural- trapassar barreiras éticas, na tentativa de
cidos perdidos e de tratar várias doenças mente em organismos unicelulares e em preservar o seu patrimônio genético, e de
etc. A clonagem reprodutiva dos seres plantas. Este processo reprodutivo se cientistas na ânsia de se imortalizar, po-
humanos é proibida por quase todos os baseia apenas em um único patrimônio dendo cair na tentação de querer serem
países e é considerado um ilícito penal, genético. A clonagem pode ser natural, “deuses” e ceder a desejos eticamente
podendo levar ao empobrecimento da quando surgem gêmeos univitelinos, e condenáveis?
diversidade genética. A conferência geral artificial (geração de um novo animal a
da UNESCO (11/11/1997) diz “as práticas partir de um outro pré-existente). Os in- O grande desafio da Bioética(3) é
contrárias a dignidade humana, não de- divíduos resultantes deste processo te- conciliar o saber humanista com o saber
vem ser permitidas”; sendo reiterada esta rão as mesmas características genéticas científico na busca da felicidade do ser
idéia na Declaração das Nações Unidas cromossômicas do indivíduo doador(1). A humano. As fronteiras biológicas estão
(08/03/2005). Por este motivo, a clona- clonagem artificial de organismos pode sendo derrubadas, deve-se refletir sobre
gem é um desafio ético atual, podendo ser efetuada por métodos diferentes o papel do direito na tentativa de evitar
constituir uma ameaça ao patrimônio ge- como duplicação embrionária (a sepa- a utilização indiscriminada da ciência não
nético da humanidade. ração das novas células de um embrião, jungida aos princípios éticos consensu-
produzirá novos indivíduos exatamente ais, oferecidos pela reflexão da Bioética.
iguais, quanto ao patrimônio genético, O Professor Ian Wilmut(4), do Institu-
Nascer e Crescer 2010; 19(1): 34-40 porém diferentes de qualquer outro já to Roslin da Escócia, realizou em 1996,
existente(1). É semelhante ao que ocorre uma substituição de núcleo de um óvulo
na natureza, quando de geração de gê- pelo de uma célula mamária proveniente
meos univitelinos (origem em 1 mesmo de uma ovelha adulta – nasceu a ovelha
óvulo e de um mesmo espermatozóide Dolly, em 5 de Julho de 1996,o primeiro
__________
– ocorre em cerca de 4% dos nascimen- mamífero clonado por transferência de
1
Vice-presidente do CRM-MT; aluna do tos) e a transferência nuclear – (é a que células somáticas. O núcleo utilizado
2º Curso de Doutoramento em Bioética reproduz assexuadamente um indivíduo no processo de clonagem foi oriundo de
da Universidade do Porto e do Conse- igual a outro pré-existente, pela substitui- uma célula da glândula mamária (Belin-
lho Federal de Medicina ção do material nuclear-duplicação). da – 1 ovelha de 6 anos) da raça Finn

34 perspectivas actuais em bioética


current perspectives in bioethics
NASCER E CRESCER
revista do hospital de crianças maria pia
ano 2010, vol XIX, n.º 1

Dorset. Uma outra ovelha, Fuffy, da raça tiva com o nascimento de Dolly (célula doador também é introduzido num óvu-
Scottish Blackface, foi a doadora do óvu- somática de mamífero, já diferenciada), lo “vazio”, mas depois de algumas divi-
lo utilizado para receber o núcleo. Final- poderia ser reproduzida, ao estágio ini- sões as células-tronco são direcionadas
mente uma segunda ovelha, Lassie, da cial e voltar a ser totipotente. É interes- no laboratório para fabricação de tecidos
raça Scottish Blackface,foi quem gestou sante que, dentre os mamíferos que já idênticos ao do doador(7). Este tipo de clo-
a ovelha Dolly. Para evitar que pudes- foram clonados, a eficiência é um pouco nagem é admitido por muitos, porque ofe-
sem ser misturadas às características maior em bezerros (cerca de 10 a 15%)(6). rece à medicina a possibilidade de repor
destas três fêmeas, elas eram de raças E hoje em 27/08/2009, surge nos meios tecidos perdidos em acidentes e de tra-
com características fenotípicas diferentes de comunicações a primeira clonagem de tar doenças neuromusculares, doenças
entre si1. Não foi um processo fácil: Dolly macacos gêmeos. Isto nos leva a pensar cerebrais, Alzeimer, cegueira e câncer e
só nasceu depois de 276 tentativas que se existem ou não o processo de clona- muitas outras.
fracassaram. Além disso, dentre as 277 gem humana em seres humanos em an- A clonagem terapêutica tem argu-
células “da mãe de Dolly” que foram inse- damento? mentos favoráveis e contrários, um dos
ridas em um óvulo sem núcleo, 90% não A comunicação do nascimento de argumentos contrários é de que os em-
alcançaram nem o estágio de blastocisto. Dolly gerou inúmeras controvérsias no briões gerados seriam obrigatoriamente
A tentativa posterior de clonar outros ma- mundo, favoráveis e contra a sua realiza- mortos, com a finalidade de serem obti-
míferos tais como camundongos, porcos, ção. No Brasil, à época do nascimento de das as células-tronco desejadas, porém,
bezerros, um cavalo e um veado, tam- Dolly, o Professor Joaquim Clotet(6) “reco- existem outras linhagens celulares não
bém tem mostrado uma eficiência muito nhece que este procedimento tinha riscos embrionárias, que poderiam ser utiliza-
baixa e uma proporção muito grande de mas que não deveria ser simplesmente das. Para quem trabalha com pacientes
abortos e embriões malformados. Pen- banido, devendo ser utilizado o princípio portadores de doenças graves, os argu-
ta, a primeira bezerra brasileira clonada da precaução”. mentos favoráveis a esta são de que a
a partir de uma célula somática morreu clonagem de células com fins terapêuti-
adulta, em 2002, com um pouco mais de OBJETIVO cos é uma esperança no fim do túnel para
um mês. Ainda em 2002, foi anunciada a Avaliar as diferentes teorias e legis- cura de milhares de pessoas que sofrem
clonagem do copycat, o primeiro gato de lações sobre o tema. de doenças graves e, se os mais de 90%
estimação clonado a partir de uma célula dos embriões não fecundados são joga-
somática adulta. Para isto foram utiliza- MÉTODO dos no lixo, porque não usar estes embri-
dos 188 óvulos que geraram 87 embriões Revisão da literatura sobre a Clona- ões para fins terapêuticos? Os que defen-
e apenas um animal vivo. Na realidade, gem Reprodutiva. Pesquisas realizadas dem o uso desses embriões empregam o
experiências recentes, com diferentes ti- em livros didáticos, artigos médicos, arti- critério Utilitarista de custo-benefício, que
pos de animais, têm mostrado que esta gos jurídicos, periódicos e Internet. privilegia o útil em vez do bem.
reprogramação dos genes, para o está-
gio embrionário, o qual originou Dolly, é RESULTADOS Clonagem Reprodutiva
extremamente difícil(5). O século XX foi cheio de descober- A clonagem reprodutiva pode acon-
Em 13/04/1998 Dolly gerou um tas, como o estudo do DNA, clonagem tecer por partição embrionária (imita o
filhote, a ovelha Bonnie, em um cruza- de mamíferos adultos, o projeto Geno- processo de geração de gêmeos), ou
mento habitual com um carneiro Montês ma Humano, entre outros, observaram por transferência nuclear (clonagem no
da raça Welch (David). Esta situação também a bomba nuclear e avanços de sentido estrito). A clonagem reprodutiva(8)
permitiu verificar que Dolly era fértil e ca- aparelhos para manutenção da vida em pode: 1) Incentivar a eugenia, tentando
paz de se reproduzir. Em 1999 gera mais condições terminais. O Projeto Manhat- reproduzir seres humanos superiores
três filhotes em uma única gestação que tan levou a se repensar os limites das com excelência genética. 2) Possibilitar a
tiveram problemas e morreram. Em 2002 pesquisas científicas e a refletir sobre se reduplicação, na tentativa de “ressuscitar”
surgiu outra questão importante, que foi o nós deveríamos ou não colocar limites ou “imortalizar” alguém. 3) Na multiplica-
diagnóstico de uma forma rara de artrite àquilo que é permitido procurar conhecer. ção de embriões para futuras implanta-
em Dolly (doença não habitual em ove- A clonagem reprodutiva possibilita criar ções e para um diagnóstico genético da
lha de 5 anos), seria este, pois um sinal seres humanos sem necessidade de re- qualidade do embrião, ou possibilitar a
de envelhecimento precoce? Qual seria produção sexual, permitindo também que geração de um filho sem determinada
a idade de Dolly? Uma infecção pulmo- se reproduzisse grande número de indiví- tara genética, correspondente a um dos
nar não controlada comum em animais duos iguais do ponto de vista genético. cônjuges.
velhos mantidos em confinamentos, fez A grande notícia da Dolly5 foi justa-
com que os pesquisadores optassem em Clonagem Terapêutica mente a descoberta de que uma célula
fazer eutanásia em Dolly, em 14/01/2002, Na clonagem terapêutica, as células- somática de mamífero, já diferenciada,
para evitar o seu sofrimento. Assim teve -tronco não são introduzidas no útero. poderia ser reprogramada ao estágio ini-
início o processo de clonagem reprodu- O DNA retirado de uma célula adulta do cial e voltar a ser totipotente. Isto foi con-

perspectivas actuais em bioética 35


current perspectives in bioethics
NASCER E CRESCER
revista do hospital de crianças maria pia
ano 2010, vol XIX, n.º 1

seguido através da transferência do nú- questões éticas sobre a clonagem. Re- ca não-reprodutiva que visa a eliminação
cleo de uma célula somática da glândula latando em seu artigo as várias propos- profilática de doenças ou evitar a rejeição
mamária da ovelha que originou Dolly tas de modificações desde 1970 sobre de órgãos, ela deveria ser permitida e não
(óvulo enucleado). Surpreendentemente, a questão da clonagem na substituição prescrita, pois a determinação do que é
este começou a comportar-se como um da reprodução pela duplicação em seres um mal ou um dano depende de padrões
óvulo recém-fecundado por um esper- humanos que vem sendo aventadas. Em culturais. Critica o argumento pragmático
matozóide. Isto provavelmente ocorreu 1932 a Revista da Associação Médica que sustenta que uma regulamentação
porque o óvulo, quando fecundado, tem Americana (JAMA), publicou um editorial da clonagem não deveria ser realizada,
mecanismos, para nós ainda desconhe- sobre clonagem colocando a questão: porque não pode ser evitada em escala
cidos, para reprogramar o DNA de modo Será que é isto mesmo que queremos? mundial; em algum lugar ela continuará a
a tornar os seus genes novamente ativos, Em 1974 Hans Jonas, “criticava o projeto ser empreendida clandestinamente ou em
o que ocorre no processo normal de fer- de clonagem, por retirar a possibilidade algum lugar com legislação favorável.
tilização. do novo indivíduo descobrisse como pes- O fundamento do Biodireito
Para a obtenção de um clone, este soa, pois, ele já vinha com uma expecta- assenta-se sobre o princípio da dignida-
óvulo enucleado, no qual foi transferido tiva pré- determinada.” de humana. Ferraz(13) afirma que “O reco-
o núcleo da célula somática, foi inserido Em 1977, foi discutida a seleção de nhecimento e a afirmação da dignidade
num útero de outra ovelha. No caso da indivíduos gerados, em caso de clona- humana, com quanto seja esta um direito
clonagem humana reprodutiva, a propos- gem humana (Eugenismo). Em 1993 hou- fundamental, sofre um impacto diário das
ta seria retirar-se o núcleo de uma célula ve uma manifestação de vários cientistas contingências dos apetites espúrios ou
somática, que teoricamente poderia ser com a preocupação de clones, que pode- das degradações culturais”. Em verdade,
de qualquer tecido de uma criança ou riam ser gerados por divisão de embriões tem-se aqui uma luta permanente, que
adulto, inserir este núcleo num óvulo e em fases iniciais, apenas com finalidade perpassa toda a história da humanidade,
implantá-lo num útero (que funcionaria terapêutica. Em todas estas situações e que registra ora animadores progres-
como uma barriga de aluguer). Se este nos deparamos com o questionamento sos, ora dolorosos recuos.
óvulo se desenvolver teremos um novo ético básico – utilizar o ser humano como
ser com as mesmas características fí- meio e não como fim (Ética Kantiana). Teoria Antropológica
sicas da criança ou adulto de quem foi Com o passar dos anos a clonagem tera- As técnicas procriativas artificiali-
retirada a célula somática. Seria como pêutica passou a ser defendida por vários zam gradativamente a reprodução hu-
um gêmeo idêntico, mas nascido poste- cientistas e já é aceite em vários países mana reduzida, cada vez mais, a uma
riormente. com legislação própria. fabricação de filho. Procriar é totalmente
Em 1999, renomados cientistas pu- diferente (a própria etimologia da pala-
Teorias blicaram na Revista Science uma carta vra “pró” indica “movimento em direção
Teoria Ética da Clonagem defendendo a não intromissão da política a”, como em “pro-jeto”). Procriar indica
A “Convenção dos Direitos do Ho- na limitação de liberdade da ciência. A projetar no tempo, ousar um ato de fé e
mem e a Biomédica do Conselho da Eu- justificativa de se utilizar um ser humano esperança na vida. Gerar um filho quer
ropa” e o Protocolo Adicional é claro: “pro- para salvar outro não é atual, é já aceite dizer enfrentar o desconhecido, no fundo
íbe a clonagem de seres humanos(9)”. em caso de transplantes de órgãos de toda a procriação autenticamente huma-
Sobre a clonagem reprodutiva Jun- pessoas com morte cerebral e existe le- na engloba a esperança e o acolhimento
ges(10) diz: “o perigo deste tipo de pro- gislação própria para pessoas doadoras. do desconhecido.
cedimento é empobrecer a diversidade Em Abril de 2002, a Revista New Scien- A clonagem reprodutiva contradiz
genética, pois através da mistura dos tist publicou uma nota afirmando que o fundamentalmente esse significado an-
caracteres, introduzem-se novidades na Dr. Antinori já tinha conseguido que uma tropológico da procriação, porque trans-
combinação possíveis entre os genes. senhora ficasse grávida de um animal forma a geração em produção de filho,
Diminuir estas possibilidades significaria clonado, mas esta informação nunca foi permitindo ter um filho conforme os dese-
perder um patrimônio de biodiversidade confirmada. jos narcisistas de quem o gerou8.
que levou milhões de anos para se cons- Feldhaus(12) relata a posição haber-
tituir e não se têm as condições de aferir masiana de defender a especificidade da Teoria Religiosa
as conseqüências, a longo prazo, desta moralidade em relação às ciências natu- As religiões se dividem no que seja
nivelação, e aprender a controlá-los em rais, sendo esta uma postura justificada concepção de vida e onde ela começa.
poucos anos”. por toda uma tradição de reflexão moral, Para o Catolicismo a tese de que o ser
Os aspectos envolvendo a ética particularmente da metaética. A clona- humano tem direito de nascer de forma
na clonagem já são antigos e vêm sen- gem reprodutiva e não terapêutica atenta humana e não em um laboratório é uma
do discutidas por vários autores. Goldin contra a autocompreensão normativa ou verdade. A clonagem foi condenada pelo
JR(11), em seu artigo Clonagem Aspectos ética de pessoas autônomas, livres e res- Vaticano, pois a vida é um dom de Deus
Biológicos e Éticos, faz um histórico das ponsáveis. Quanto à clonagem terapêuti- e deve ser concebida de maneira natu-

36 perspectivas actuais em bioética


current perspectives in bioethics
NASCER E CRESCER
revista do hospital de crianças maria pia
ano 2010, vol XIX, n.º 1

ral. Donun Vitae, publicado pelo Vaticano quer outro como equivalente; mas quan- brionárias obtidas de embriões humanos
em 1987, afirma: “O que é tecnicamente do uma coisa está acima do preço e, por- produzidos por fertilização in vitro e não
pessoal não é, por esta razão moralmen- tanto, não permite equivalente, então ele utilizado no respectivo procedimento.” Ar-
te admissível”. Leonard Martin em 1993, tem dignidade”. tigo 6º, proíbe a clonagem humana.
completa com a seguinte frase: “Além da A dignidade do ser humano como O novo Código de Ética Médica(19),
questão técnica do que se pode fazer, pessoa na criação de seres idênticos aprovado em São Paulo em Agosto/2009
sempre há a questão ética do que se por clonagem é considerável por vários e ainda não publicado no artigo 15 - Des-
deve fazer.” Apud(11). O Padre Léo Pas- países do mundo como ilícito penal e é cumprir legislação específica nos casos
sini(14) assim se pronunciou: “Clona-se veementemente condenado, podendo de transplantes de órgãos ou tecidos, es-
biologia e não biografia. A criança será ser considerado um retrocesso moral na terilização, fecundação artificial, aborta-
fisicamente idêntica àquela criatura que história da civilização. mento, manipulação ou terapia genética.
morreu. Mas nascerá numa outra época, O artigo 11º da Declaração Univer- § 1º No caso de reprodução medica-
passará por experiências distintas, terá sal sobre o Genoma Humano e os Direi- mente assistida, a fertilização não
outra personalidade, será outra pessoa.” tos do Homem adotado pela Conferência deve conduzir sistematicamente à
A Igreja Muçulmana considera lícito Geral da UNESCO em 11 de Novembro ocorrência de embriões supranu-
recorrer à clonagem, uma vez que esta de 1997, proclama que “as práticas con- merários.
conduta é um progresso lógico no sentido trárias à dignidade humana, não devem § 2º O médico não deve realizar a pro-
de um melhor conhecimento da natureza ser permitidas”, sendo esta idéia reitera- criação medicamente assistida com
pelo homem, depois da descoberta da da na Declaração das Nações Unidas so- nenhum dos seguintes objetivos:
estrutura do DNA e do domínio da PMA. bre a Clonagem Humana, de 08 de Março I - criar seres humanos geneticamente
O Budista Donald Lopes pergunta o que de 2005. A pessoa humana traz em seu modificados;
fez a ovelha numa vida anterior que de- bojo associação dignidade e respeito que II - criar embriões com as finalidades
terminasse que nesta vida fosse clonada. cada um deve ter. de escolha do sexo, eugenia ou
(Helena Melo(2)). para originar híbridos ou quimeras.
Brasil § 3º Praticar procedimento de reprodu-
O Movimento Raeliano afirma que A Constituição Federal de 1988(17) ção medicamente assistida, sem
“a ética não pode ser envolvida, não deve garante a proteção da pessoa humana, que os participantes estejam de in-
ser aplicada à ciência. A ética apenas fazendo várias referências ao princípio teiro acordo e devidamente esclare-
prejudica. Não há espaço para ela na ci- da dignidade da pessoa humana, pro- cidos sobre o mesmo.
ência. A ciência deve ser livre” (Goldin(8)). tegendo a vida, a saúde e garantindo a
À luz do espiritismo, não se conde- igualdade, a liberdade e condições dig- Portugal
na o progresso científico; pelo contrário, nas de sobrevivência. A definição de Em Portugal a Lei nº 32/2006, de 26
Kardec em “A Gênese” declara que a células-tronco está contida na Instrução de julho, sobre procriação medicamente
Doutrina Espírita acompanha a marcha Normativa 08/1997 do CTNBio. assistida, proíbe a clonagem reprodutiva
da ciência, aceitando os seus novos co- que tenha “como objetivo criar seres hu-
nhecimentos e até retifica o Espiritismo Lei nº 11.105 de 24/03/2005(18): manos geneticamente idênticos a outro”.
alguns de seus conceitos caso a ciên- “Regulamenta os incisos II, IV e V No seu artigo 36, pune com pena de pri-
cia prove que ele esteja errado naquele do § 1º do art. 225 da Constituição Fe- são a transferência para o útero embrião
assunto. Tendo Kardec escrito isto em deral, estabelece normas de segurança obtida através de técnica de transferên-
1868, a ciência ainda não o desmentiu; e mecanismos de fiscalização de ativi- cia nuclear ou através de cisão de em-
pelo contrário, percebe-se que a Doutri- dades que envolvam organismos gene- briões(2).
na dos Espíritos já no tempo de Kardec ticamente modificados – OGM e seus
anunciava noções que só agora a ciência derivados, cria o Conselho Nacional de Reino Unido
descobriu. De igual modo, o espiritismo Biossegurança – CNBS, reestrutura a Neste país é legal a utilização de
vê com bons olhos os avanços da ciência Comissão Técnica Nacional de Biosse- embriões humanos na investigação mé-
no melhoramento das espécies, devendo gurança – CTNBio, dispõe sobre a Polí- dica, conforme Lei de Fertilização Hu-
ser usada sempre uma base na moral do tica Nacional de Biossegurança – PNB, mana e Embriologia, desde 1990, com
Cristo e nunca dele abusar para usufruir revoga a Lei nº 8+974, de 5 de janeiro de alterações, a partir de 2001 para inves-
vantagens inspiradas pelo egoísmo e 1995, e a Medida Provisória nº 2.191-9, tigação de doenças genéticas. Os embri-
pelo orgulho(15). Para cada religião a ética de 23 de agosto de 2001, e os arts. 5º, 6º, ões devem ser eliminados a partir do 14º
é uma. 7º, 8º, 9º, 10 e 16 da Lei nº 10.814, de 15 dia pós a fertilização. É legal a produção
de dezembro de 2003.” de embriões para fim de pesquisa após o
Legislação No artigo 5º da Lei 11.105/2005 – consentimento dos doadores(20).
Kant(16) diz, “Quando uma coisa tem diz: “É permitido para fins de pesquisa e Clonagem Terapêutica – Tornou-
um preço, pode pedir em vez dele qual- terapia, a utilização de células-tronco em- -se legal em 2001, após a alteração na

perspectivas actuais em bioética 37


current perspectives in bioethics
NASCER E CRESCER
revista do hospital de crianças maria pia
ano 2010, vol XIX, n.º 1

Lei de Fertilização Humana e Embriolo- França poderia ameaçá-la, pois diminuiria a va-
gia; permite-se a produção de embriões É ilegal a investigação médica em riabilidade genética de nossa população.
para obtenção de células estaminais. embriões humanos, exceto em benefício Sob o prisma reprodutivo, a clo-
Clonagem Reprodutiva – A lei so- do próprio embrião, conforme prescreve a nagem humana apresenta-se como um
bre clonagem reprodutiva entrou em vi- Lei sobre Bioética, de Julho de 19942,20. grande dilema, tendo em vista que a du-
gor em Dezembro de 2001. Esta Lei con- A clonagem humana com fins repro- plicação do ser humano implica poder
sidera crime a implantação de embriões dutivos é proibida na maioria dos países programar o nascimento de uma criança
clonados em útero humano, com pena de da comunidade européia, Coréia, Isra- sob medida, negando-se a sua identida-
prisão. el, Grécia, Canadá... Foram aprovadas de, o que acarretaria sérios problemas na
pesquisas com células embrionárias em ordem das relações familiares, que pode-
Alemanha diversos países, e é também a posição rão trazer importantes reflexos psicológi-
Neste país é ilegal a utilização de das academias de ciências de 63 países cos. Portanto, se o avanço da ciência não
embriões humanos na investigação mé- (clonagem terapêutica é legal a partir de pode ser contido, deve-se adotar um cri-
dica. Existe a “Lei de Proteção do Em- embriões excedentários). tério de prudência e de responsabilidade
brião”, em vigor desde janeiro de 1991, para aceitação das novas intervenções
que proíbe o fabrico ou a utilização de DISCUSSÃO sobre o ser humano e suas descendên-
embriões para fins de investigação mé- A clonagem é, pois, um dos gran- cias21.
dica, salvo em benefício do próprio em- des temas de questionamento ético atu-
brião 2,20 al, o desafio é estabelecer os direitos no CONCLUSÃO
Clonagem Terapêutica – É proibi- início da vida e o status dos embriões
da conforme interpretação da Lei de Pro- e fetos. A grande discussão acerca da “Entre o sonho feliz do simbólico
teção do Embrião. clonagem reprodutiva é determinar se e o egoísmo cruel da técnica, o homem
Clonagem Reprodutiva – É proibi- é ética ou não, pois os defensores da escolhe a felicidade do simbólico e proí-
da conforme interpretação da Lei de Pro- clonagem humana argumentam que be a crueldade técnica”.
teção do Embrião. ela traria grande benefício para os se-
res humanos. Os genótipos de pessoas A clonagem reprodutiva é uma re-
Japão talentosas, de indivíduos superiores, alidade e cabe à sociedade fixar limites
Em 1998, o Conselho para Ciên- etc., poderiam ser reproduzidos e imor- rígidos na defesa das gerações futuras e
cia e Tecnologia criou uma Comissão talizados. O seu genótipo exato poderia impedir a “loucura” de cientistas ávidos
de Bioética que emitiu um parecer em ser transmitido de geração em geração de fazer seres humanos perfeitos, pelo
17/11/1999, no sentido de proibir a clona- e a raça humana seria enriquecida. Os que o princípio da responsabilidade deve
gem humana com fins reprodutivos, por que condenam a clonagem reprodutiva ser usado para impedir a clonagem. Sa-
ser ofensiva à dignidade humana e por argumentam veementemente que a clo- bemos que o que move o mundo são as
não garantir a produção “segura” de clo- nagem implicaria no facto de o homem perguntas e não as respostas, portanto,
nes humanos20 ser usado somente como meio para ob- é nosso dever perguntar o que queremos
jetivos sociais ou pessoais e os clones para as futuras gerações? Quais serão as
Espanha seriam meros produtos de laboratório consequencias dos nossos atos? Quais
Segundo o direito espanhol, a cria- nas mãos de homens egoístas. E que os limites que deveremos ter?.
ção de seres humanos e destes por clo- poderia criar um novo tipo de escravos As perguntas são inúmeras e ainda
nagem, constituiu ilícito penal previsto e e este facto introduziria novas formas de não temos respostas. A clonagem huma-
punido em seu Código Penal. Porém, é discriminação e divisão em nossa socie- na reprodutiva tenta buscar a produção
permitida a investigação em embriões in- dade. Além de que a reprodução clonal em série de indivíduos iguais, que poderá
viáveis até o 14º dia 2,20. constituiria uma ameaça aos valores da levar a um eugenismo e a ideologias de
paternidade humana, do amor conjugal raças superiores levando a uma falta de
Finlândia e da família. respeito à dignidade do ser humano. É
Neste país é ilegal a criação de A individualidade humana não é um facto de que nem tudo que é cientifi-
embriões para fins de investigação mé- apenas uma questão de princípios; em camente possível de ser realizado é etica-
dica, de acordo com a Lei de Investiga- termos biológicos, ela representa diver- mente aceitável e isto nos levar a pensar
ção Médica de 1999. Mas a lei permite a sidade biológica, já que todo o indivíduo na necessidade de reconhecer o valor da
investigação em embriões excedentários é único, não somente em seus sonhos, dignidade do ser humano e o imperativo
das fertilizações in vitro, desde que haja desejos e personalidade, mas também de se proteger a vida e gerações futuras,
consentimento informado dos doadores. em seu patrimônio genético. A diversida- que devem ter direito à sua própria identi-
Os embriões não podem ser implantados de biológica é fundamental para a sobre- dade e a cometer os seus próprios erros,
e devem ser destruídos no prazo de 14 vivência de nossa espécie e a clonagem e não vir a este mundo com uma carga já
dias a partir da fertilização2,20. humana, se realizada em larga escala, pré-determinada.

38 perspectivas actuais em bioética


current perspectives in bioethics
NASCER E CRESCER
revista do hospital de crianças maria pia
ano 2010, vol XIX, n.º 1

A proteção do patrimônio genético REPRODUCTIVE CLONING 5. Zatz Mayana. “Clonagem e células-


da humanidade representa a garantia -tronco”. Cienc. Cult. 2004; 56(3):23-
de que não ocorrerão alterações que ABSTRACT -7.
possam vir a acarretar possibilidades de Man desires to perpetuate himself 6. Clotet J: A ovelhinha Dolly e a medici-
transferências a outras gerações das al- and thereby will cross ethical barriers in na genética, Zero Hora. 1997; 9:21
terações implementadas nos genes21. A the attempt to preserve his genetic heri- 7. Varella D: Clonagem Humana
possibilidade de melhoria dos genes não tage and thus to immortalize himself. To http: //drauziovarella.ig.com.br/arti-
justifica o risco não calculável de tais in- create a being in one’s own image has gos/clonagemhumana.asp, acedido
tervenções em gerações futuras. been a dream of man since the dawn of em 15/06/2009
O homem sonha em fazer um ser civilization and since the advent of the 8. Jungs JR: Bioética Hermenêutica e
a sua imagem e semelhança desde cloned sheep Dolly (05/07/1996) it now Casuística, Edições Loyola, S Paulo,
os primórdios da civilização. Na ficção seems possible. The great challenge Brasil. 2006; 17
científica, a imaginação de escritores, now is too reconcile human knowledge 9. Conselho da Europa, Protocolo Adi-
já criou sociedades perfeitas de clone. and scientific knowledge in the search for cional à Convenção para a Protecção
A clonagem pode permitir ao homem happiness, as the frontiers of science are dos Direitos do Homem e da Dignida-
sonhar com a perpetuação de talentos being expanded and we must ponder the de do Ser Humano face às Aplicações
artísticos, intelectual, levando a uma indiscriminate use of science. da Biologia e da Medicina, que Proíbe
idéia de eugenismo do ser humano per- Therapeutic cloning is currently ac- a Clonagem de Seres Humanos, Uni-
feito como no livro Admirável Mundo cepted in many countries because this versidade Católica Editora, Lisboa.
Novo22. technique enables medicine to offer pa- 2003; 219-21 disponível em: http://
tients the possibility of replacing injured conventions.coe.int
Citanto o Professor Luis ARCHER23: tissues, treat several conditions, etc. 10. Jungs JR: Bioética Perspectiva e de-
“O homem, depois de duplamente refleti- Human reproductive cloning is forbid- safio, Unsinos, São Leopoldo. 1999.
do na desmitificação científica e na remi- den in most countries in the world and 11. Goldin JR: Clonagem aspectos bioló-
tificação técnica, recebe de si mesmo e is considered a criminal act, as it would gicos e éticos
do seu próprio olhar uma imagem nova, diminish genetic diversity. The UNESCO http: //www.ufrgs.br/bioética/clone.
mais complexa e autônoma. A sua ima- general conference (11/11/1997) stated htm, acedidoem 15 de junho de 2009
gem assumiu a alteridade. Mas o diálo- that “practices contrary to human dignity 12. Feldhaus C: Habernas e a Clonagem
go não é fácil porque as linguagens são must not be permitted”. This idea is reite- Humana, Porto Alegre. 2006.
basicamente diferentes. Uma exprime a rated in the United Nations Declaration of 13. Ferraz S: Manipulação biológica e
percepção imediata que o homem inevi- 08/03/2005. For this reason, human clo- princípios constitucionais: Uma in-
tavelmente tem de si. A outra é cruelmen- ning is currently an ethical challenge, as it trodução, Sergio Fabrizi editor, Porto
te mediada pelo Tecnocosmos”. represents a threat to the diversity of the Alegre. 1991.
Por seu lado, V. Finzi24 opina que: human genome. 14. Passini L, Palestra na Universidade
“Procriação sem exercício da sexualida- São Camilo, São Paulo
de exprime inconscientemente o desejo Nascer e Crescer 2010; 19(1): 34-40 15. Martins C: Tópicos de Bioética, DPL-
de onipotência de ser gerado por si mes- -Editora e Distribuidora de Livros
mo. O clone representa a negação da Ltda, São Paulo. 2001.
diferença e, como tal, coaduna-se com BIBLIOGRAFIA 16. Kant E: Fundamentação da Metafísi-
a lógica particular do inconsciente que ca dos Costumes, Edições 70 limita-
tende justamente a buscar a identidade e 1. Goldin JR. O caso Dolly – Primeiro da, Lisboa. 1992.
a repetição; ao prescindir, além disso, da Mamífero Clonado. 2003. 17. Constituição Federal. 1988. http://
relação sexual, o inconsciente prefere o Caso Dolly http: //www.ufrgs.br/bioéti- www.planalto.gov.br 31/8/2009
funcionamento autárquico, enfim, já que ca/dollyca.htm, acedido em 15/06/09 18. Lei nº 11.105, 24/03/2005 - http: //
procura perenizar o eu corpóreo, gratifica 2. Melo HMP: Clonagens e Direito, Grá- www.planalto.gov.br/ccivil_03/_
o narcisismo infantil.” fica Coimbra 2, Coimbra. 2008. Ato2004-2006/2005/Lei/L11105.htm
3. Brauner M C: Clonagem Humana: al- 31/8/2009
Em conclusão, fazem parte da ima- gumas premissas para o debate jurí- 19. Codigo de Ética Médica, aprovado em
ginação humana e da ficção científica os dico, 2003. 22/08/2009 em São Paulo, no Con-
cenários fantásticos e, às vezes, quase http: //www.ufrgs.br/bioetica/cobral. gresso de Revisão do Código de Ética
diabólicos a respeito do futuro do desen- htm, acedido em 18/06/2009 20. Lino MH: Diaféria – Posicionamento
volvimento científico, nas mais diversas 4. Wilmut I. Schineke E, Mcwhir J, Kind dos países europeus
áreas do conhecimento. AJ, Campbell HS: Viable Offspring http: //www.ghente.org/temas/células-
derived from fetal and adult mamma- -tronco/discussãoeuropeus.htm aces-
lian cells. Natture. 1977; 385:810-3 sado 27 de agosto de 2009

perspectivas actuais em bioética 39


current perspectives in bioethics
NASCER E CRESCER
revista do hospital de crianças maria pia
ano 2010, vol XIX, n.º 1

21. Brauner M C: Clonagem Humana: al- 23. Archer L: “O Homem perante o Tec- CORRESPONDÊNCIA
gumas premissas para o debate jurí- nocosmos emergente da Biologia”,
dico. 2003. Brotéria – cultura e informação. 1986; Dalva Alves da Neves
http: //www.ufrgs.br/bioetica/cobral. 122:79 Avenida José Rodrigues do Prado,
htm, acedido em 18/06/2009 24. Finzi V: Volere um figlio. La nuova 78040-500 Cuiabá,
22. Huxley A: Admirável Mundo Novo, maternità fra natura e scienza, Mon- Mato Grosso, Brasil
Globo, São Paulo. 2009. dadori, Milano. 1997. Tel. 65-36262518
e-mail: dalvaaneves@hotmail.com

40 perspectivas actuais em bioética


current perspectives in bioethics