Você está na página 1de 19

Prática Recomendada Internacional AACE

No. 30R-03

IMPLEMENTAÇÃO DA CONSTRUTIVIDADE DO
PROJETO
Estrutura do TCM: 11.5 - Gerenciamento de
valor e práticas de melhoria de valor (VIPs)

Tradução: Eng. Civil Gabriel Coelho


Objetivo

Esta prática recomendada para "implementar a construtibilidade do

projeto” tem como objetivo servir de orientação, não estabelecer um padrão. Como

prática recomendada (PR) da AACE Internacional, “Implementando

Construtibilidade do Projeto ”fornece diretrizes para o desenvolvimento e

implementação de programas de construtibilidade em todas as fases do ciclo de vida

de um projeto.

Construtibilidade é a integração da experiência em construção em todas as

fases do projeto para beneficiar os custos, cronograma, qualidade e objetivos gerais

do projeto. O uso bem-sucedido do conhecimento de construção e experiência

aumentam a probabilidade de sucesso do projeto. Revisões de construtibilidade

(CRs) devem ser conduzidas nos pontos-chave (marcos) do ciclo de vida do projeto:

na fase de planejamento, no início da fase de elaboração do projeto executivo, no

início da fase de aquisição e novamente no início da fase de mobilização para

construção. Os CRs devem conter as verdadeiras intenções do projeto executivo e o

conceito deste projeto é mais facilmente moldado para uma boa construtibilidade

no início do Estágio de elaboração dos projetos executivos.

A construtibilidade, conforme abordado neste RP, é aplicável a projetos em

qualquer setor (industria) e em qualquer local (por exemplo, arquitetura, planta de

processo, transporte, serviços públicos, offshore etc.) que incluem trabalhos de

construção de qualquer escopo. No gerenciamento de custo total (TCM), a

construtibilidade é uma das muitas práticas de melhoria de valor (VIPs) como

análise de fabricação; análises de confiabilidade, disponibilidade e manutenção

(RAM); e assim por diante. [9] A construtibilidade também é útil como uma prática

de gerenciamento de riscos que suporta a mitigação de riscos. No entanto, esses


outros VIPs e práticas de gerenciamento de riscos não estão diretamente incluídos

neste PR.

A AACE não é o único ou mesmo principal administrador da prática de

construtividade recomendada; existem várias organizações líderes incluídas na

seção de referência. No entanto, construtibilidade é uma habilidade e conhecimento

da área de engenharia de custos porque, como VIP, as práticas de construtividade

exigem a avaliação de custos, cronograma, riscos e outros atributos do projeto para

os quais a AACE é a organização líder. Esta RP destaca o papel da engenharia de

custos na prática.

Esta PR discutirá como implementar um programa de construtibilidade

para maximizar o impacto positivo no projeto. Também fornece exemplos de

projetos que ilustram o sucesso daqueles esforços que foram implementados

adequadamente. A integração da construtibilidade nos planos do projeto pode

resultar em melhor segurança, custos mais baixos, melhor produtividade, conclusão

antecipada e, em última análise, ponto de partida para projetos melhores.

Prática Recomendada

Construtibilidade é um termo da arte que passou a abranger uma revisão

detalhada dos desenhos de projeto (detalhamentos do projeto), modelos,

especificações e processos de construção por um ou mais engenheiros altamente

experientes na execução de obras ou especialistas, trabalhando com a equipe do

projeto (incluindo engenharia de custos) antes de um projeto ser colocado para

licitações e também antes da mobilização da construção. É definido como “o uso do

conhecimento da construção e experiência em planejamento, design (elaboração

dos projetos executivos), compras e operações de campo para alcançar os objetivos


gerais do projeto”. [4] O objetivo da revisão da construtibilidade é identificar os

cinco itens a seguir:

• Erros de projeto, na seleção ou nas dimensionamento dos materiais.

• Especificações ambíguas.

• Recursos do projeto (especificidades) que serão difíceis ou extremamente

caros de construir conforme projetados.

• Recursos do projeto que excedem a capacidade da indústria de criar

adequadamente.

• Recursos do projeto (especificidades) que são difíceis de interpretar e

dificultarão a precisão da licitação.

Os "recursos" do projeto incluem características físicas e atributos de

planejamento (por exemplo, estratégia de execução, lógica de programação etc.).

As análises de construtibilidade agregam valor ao processo de

planejamento e desenvolvimento do projeto através das seguintes métodos:

1. As estratégias pelas quais são implementadas uma melhor construtibilidade

incluem:

• Utilizar sistemas de construção aprimorados.

• Simplificar os projetos executivos ou combinar elementos.

• Padronizar os projetos executivos e repetir os elementos.

• Melhorar a disponibilidade e a clareza das informações.

• Melhorar a sequência de construção.

• Melhorar o uso de equipamentos e ferramentas.

• Melhorar a comunicação entre construtor e projetista.

2. A economia de custos deriva de:

• Menos atrasos.
• Redução do esforço direto de construção.

• Redução da duração das atividades.

• Menos trabalho em alturas elevadas.

• Menos material necessário (requerido).

• Diminuição da probabilidade de conflitos trabalhistas.

3. É preciso um investimento inicial para obter a economia de custos com uma

melhor construtibilidade:

• Mais esforço do projeto executivo e compras.

• Mais comunicação entre construtor, projetista e fornecedores.

4. Melhorar a construtibilidade e reduzir custos, mediante:

• Atenuação dos efeitos de condições adversas do canteiro.

• Implementação melhores tecnologias (práticas) de elaboração do projeto,

construção ou processo.

• Oferecimento de condições para linha de montagem.

• Aceleração do cronograma pela dissociação das atividades sequenciais da

superfície de trabalho.

• Redução do número de trabalhadores e habilidades mais caras.

5. Melhores métodos de construtibilidade podem incluir:

• Pré-fabricação. Economia e qualidade via processo de fabricação.

• Pré montagem. Associe componentes à subunidade (subsistema) em local

remoto (central de montagem) e melhor controlado.

• Modularização. As operações de montagem criam a maior unidade

(padronização) logisticamente possível; contém tudo componentes do

estado final.
A aplicação da construtibilidade em projetos arquitetônicos e de plantas de

processo existe há décadas. No entanto, seu uso em projetos de transporte é

relativamente novo. [8] Um estudo abrangente neste campo é apresentado nos

relatórios 390 e 391 do Programa Nacional de Pesquisa em Rodovias Cooperativas

(NCHRP). [1,2] Neste estudo, a construtibilidade é considerada parte integrante do

processo de desenvolvimento do projeto, onde o projeto é dividido em três fases:

planejamento, design (elaboração dos projetos executivos) e construção. Seus

autores desenharam esse processo a partir de um estudo da implementação da

construtibilidade nos setores não-transporte. Então construtividade como

apresentado neste PR representa não apenas o pensamento atual sobre este

assunto, mas também uma síntese das pesquisas mais recentes, tornando-o

geralmente aplicável a qualquer tipo de projeto.

Processo de revisão da construtibilidade orientada a


projetos
A revisão da construtibilidade é incorporada ao processo de

desenvolvimento do projeto, definido por fases paralelas de construtibilidade, como

construtibilidade no planejamento, projeto (elaboração dos projetos executivos) e

construção. Essas três fases da revisão da construtibilidade são subdivididas em

características do trabalho com base nas necessidades do projeto em questão. Esse

formato pode ser usado como guia, para orientar os revisores de construtividade e

os designers (projetistas), garantindo que todo o escopo do trabalho do projeto seja

incluído no processo de revisão e que os documentos de construção resultantes são

da melhor qualidade possível.


Como validado por um estudo de Yates e Battersby [15], a implementação

de uma revisão da construtibilidade não pode ser concebida separadamente da

experiência no campo. Portanto, experiências passadas e melhores práticas são

contribuições inestimáveis para o processo de construtibilidade. Com a

implementação das informações aprendidas em projetos semelhantes, áreas

potenciais de dificuldade podem ser identificadas antes da construção. Análises e

revisão de construtividade durante as fases de planejamento, desenvolvimento dos

projetos e construção somente melhoram a qualidade o produto final. Ao fazer as

análises e revisões de construtibilidade, a equipe de construtividade tenta

estabelecer algumas conexões com projetos anteriores semelhantes. Os fatores que

levaram ao sucesso em um projeto passado podem ser replicados no novo projeto,

e os motivos que levaram à falha do projeto podem ser evitados no futuro. Um

problema prático no uso de experiências passadas em organizações novas para

construtibilidade é a falta de documentação referente à experiência e ao

conhecimento adquiridos durante cada projeto anterior. A aquisição dessas

informações da experiência passada pode ser realizada dentro da organização do

projeto ou pode ser compartilhado com outras organizações semelhantes. Como um

processo chave na etapa da TCM em geral, e especificamente para a

construtibilidade, o conhecimento acumulado dentro de uma organização deve ser

armazenada em um banco de dados e recuperada conforme necessário.

As organizações que são novas na implementação da construtibilidade

podem se basear na experiência bem-sucedida do Corpo de Engenheiros do Exército

dos EUA (USACE) que, no início dos anos 80, instituiu um programa de condução

revisões formais de construtibilidade em todos os projetos antes de serem liberados

para licitações. [13] A experiência no USACE mostrou que praticamente todas as


revisões detectam algum fator que, se não fosse alterado, exigiria uma ordem de

mudança de construção potencialmente cara durante esse projeto.

Para aqueles em processos industriais, pesquisa quantitativa e empírica da

Independent Project Analysis, Inc. demonstrou que os programas VIP (que quase

sempre incluem construtibilidade) melhoram o custo desempenhado do projeto

quando combinado com um escopo de projeto bem definido antes da autorização

total dos fundos.

O conceito USACE pode ser facilmente aplicado a outros projetos públicos

e privados. Essencialmente, é uma revisão da capacidade da indústria de determinar

se o nível necessário de ferramentas, métodos, técnicas e tecnologia está disponível

para permitir que um empreiteiro de construção contratado, competente e

qualificado, construa o projeto com características compatíveis com o nível de

qualidade exigido pelos documentos do contrato (ou seja, desenhos e

especificações). A revisão da construtibilidade também envolve uma avaliação da

capacidade a industria (setor) de entender o nível de qualidade exigido e estimar

com precisão o custo e o cronograma de fornecê-lo. Assim, o nível de risco do projeto

devido a má interpretação que é inerente a um conjunto de especificações ou aos

recursos do projeto é reduzido. Quando uma revisão formal da construtibilidade é

combinada com uma análise econômica minunciosa, o projeto executivo final é

bastante aprimorado. E o projeto é, portanto, menos suscetível ao crescimento de

custo e tempo resultantes de pedidos de alteração e reivindicações. Os benefícios de

uma revisão da construtibilidade estão listados abaixo. [7]

• Custo reduzido

• Cronogramas mais curtos

• Qualidade melhorada
• Segurança aprimorada

• Melhor controle de risco

• Menos pedidos de alteração

• Menos reivindicações

Uma pesquisa realizada no Canadá confirmou muitos dos benefícios de

construtibilidade mencionados acima. [10] Além disso, este estudo constatou que

“as áreas” indicadas pelos entrevistados têm maior potencial para gerar os

benefícios são alcançados implementando o seguinte:

• Envolvimento inicial (precoce) do pessoal da construção.

• Uso de cronogramas sensíveis à construção.

• Uso de projetos que facilitam a eficiência da construção. ”[10]

Assim, o estudo reforça que a oportunidade para o desenvolvimento de

projetos e organização daconstrução em usar a revisão de construtibilidade

eficiente como uma ferramenta para melhorar seus projetos. Infelizmente, alguns

estudos não destacam o papel principal da engenharia de custos na

construtibilidade. Uma avaliação mal feita do custo, cronograma, riscos e economia

de alternativas de construtividade diminuirão, se não negarem, os resultados da

prática. Portanto, especialistas em custo e cronograma devem fazer parte da equipe

de revisão da construtibilidade. Isso leva a discussão a um exemplo em que os

detalhes de como aplicar a construtibilidade em todas as fases do projeto pode ser

usado para ilustrar ao leitor os benefícios da implementação de um programa de

construtibilidade.

Implementação da Construtibilidade
Para esta prática recomendada, o conceito de acumular os benefícios da

implementação da construtibilidade é detalhado ao longo de todas as fases de um

projeto de construção - estudos de viabilidade, planejamento conceitual, projeto

(elaboração de projetos executivos), aquisição e construção, bem como após a

construção. Durante essas fases, os métodos de implementar a construtibilidade

pode envolver alterações em:

• Supervisão de campo e planejamento operacional.


• Localização do esforço direto, da área de trabalho à loja.
• Aplicação de equipamentos e ferramentas.
• Esforço de projeto e seleção de material.
• Comunicação entre projetista e construtor.
Nota sobre competências: as seguintes discussões de implementação por

fase descrevem papéis típicos de proprietários, contratados, consultores entre

outros, em revisão de construtividade. Além da necessidade de trazer a melhor

competência de construção disponível para da suporte à prática, a discussão deste

RP sobre situações típicas é não recomendar funções (exercício de papéis)

específicas, exceto nas circunstâncias indicadas. A equipe do projeto deve primeiro

avaliar a competência necessária e disponível (ou seja, entre proprietário,

contratado, consultor etc.) em consideração das estratégias do projeto. Por exemplo,

o Instituto da Indústria da Construção (CII) desenvolveu um kit de ferramentas de

avaliação de competências essenciais que inclui a avaliação da competência da

construtibilidade. [11]

Fase de Viabilidade: Muitas vezes, os proprietários de projetos não têm

capacidade “interna” para os serviços de construção, então eles contratam os

serviços de uma empresa de consultoria para realizar a "fase de viabilidade" inicial


e revisão da construtibilidade. A empresa de consultoria trabalha com os

documentos preliminares do projeto e fornece sugestões úteis que são incorporadas

ao pacote de design (premissas para elaboração dos projetos). Os resultados da

revisão da construtibilidade podem literalmente criar ou quebrar (destruir) a

viabilidade de um projeto.

Entrada de construtibilidade como um serviço fornecido por um consultor

ou empresa de gerenciamento de construção durante as atividades do projeto antes

do início da construção são chamadas de serviços de construtibilidade. Esta

abordagem dos serviços de construtibilidade durante a fase conceitual ou de

viabilidade do projeto fornece ao proprietário uma habilidade que atenda a todos os

objetivos do projeto. Essa abordagem geralmente combina os benefícios e custos de

construtibilidade com outros serviços prestados, como engenharia de valor,

gerenciamento de riscos e planejamento de projeto. Os serviços destinam-se

principalmente a complementar os recursos limitados de um proprietário para o

planejamento antecipado e avaliação do projeto. Melhorias de construtibilidade

obtidas através do uso de serviços de construtibilidade “é mais um subproduto do

envolvimento inicial da construção do que uma tentativa intencional de evitar

dificuldades de construção desnecessárias. Como resultado, essa abordagem tende

a ser informal. ”[5] Além disso, um proprietário que estiver explorando a viabilidade

potencial de um determinado projeto desejará limitar seus custos ao mínimo

necessário para determinar a viabilidade econômica. Assim, o foco de uma revisão

de construtibilidade da fase de viabilidade será gerar alternativas que possam ser

expandidas pelas decisões do projeto conceitual de maneira que permita que as

considerações financeiras e de cronograma necessárias para cada alternativa sejam

determinadas com o grau de certeza exigido por especialistas em engenharia de


custos ou equivalente. Essencialmente, o revisor / consultor de construtibilidade

fornecerá ao proprietário opções que não foram contempladas pelo projetista.

Fase Inicial de Design (Desenvolvimento dos Projetos): À medida que os

arquitetos / engenheiros desenvolvem o design do projeto; o proprietário

normalmente mantém um segunda equipe de profissionais especializados no

fornecimento de serviços de gerenciamento de construção (CM). A revisão da

construtibilidade ocorre quando os documentos de construção estão sendo

desenvolvidos. Esta equipe de CM irá realizar uma revisão detalhada da

construtibilidade (CR) dos documentos do projeto proposto: desenhos de projeto,

especificações técnicas, incluindo materiais de construção especificados, o layout

proposto do canteiro e se disponível; estimativa de custos de construção e

cronograma de marco do projeto. Este esforço de revisão se concentrará em

determinar se o projeto pode ser construído como projetado e deve ser conduzido a

um ponto onde o esforço de design não se perca pela incorporação das

recomendações de CR. Para projetos grandes ou aqueles com uma estrutura

analítica de projeto e / ou estratégia de execução complexa, a execução de várias

revisões pode ser apropriada. Como com outros VIPs, é uma prática recomendada

que o esforço de construtividade nessa fase seja formalmente planejado, com uma

designação de uma equipe, trabalhando em sessões ou sessões especiais, com

descobertas documentadas. Esse esforço da equipe de CM / CR fornecerá sugestões

sobre maneiras de melhorar o projeto: como um layout de canteiro mais eficiente,

alternativas de materiais de construção e identificação de especificações de projeto

possivelmente prejudiciais que podem resultar em aquisições com tempo de espera

ou técnicas de construção exóticas Todas essas informações de revisão da

construtibilidade são fornecidas ao proprietário (que tem sua participação


otimizada durante todo o processo) junto com sua opinião especializada de

construção sobre a probabilidade de sucesso na construção do projeto.

Esses especialistas em gerenciamento de construção também podem

ajudar o proprietário a estabelecer a filosofia, procedimentos e sistemas de

rastreamento durante as atividades de design pré-detalhadas do projeto. Embora

seja tipicamente um aspecto informal do programa de construtibilidade, a aplicação

dessa abordagem para fornecer as entradas (premissas) da construção é

tipicamente limitada a projetos especializados. Rastreamento formal em nível

corporativo das lições aprendidas edados de custo / benefício resultantes da

implementação da construtibilidade é uma prática recomendada, mas não é

rotineiramente realizada.

Fase de Aquisição: Quando o desenvolvimento geral do projeto executivo

estiver aproximadamente de 60 a 90% concluído, o proprietário manterá uma

empresa de gerenciamento de construção para preparar o projeto para a fase de

aquisição: a preparação de subcontratos e pacotes de licitações, pré-qualificação de

vendedores, fornecedores e empreiteiros comerciais. Esses pacotes de licitação

devem ser pacotes de projetos completos para fornecer aos licitantes qualificados

as informações necessárias para apresentar propostas de custos inteligentes para o

sucesso geral do projeto. Por exemplo: Durante uma análise de CM de esboço

preliminar dos pacotes de licitação; uma subcontratação para fornecimento de

várias unidades independentes de filtragem / monitoramento de ar semi-reboque

foi especificada pelo engenheiro mecânico para fabricação por um subcontratado. O

esforço do trabalho artesanal (manufartura) e o custo dessa fabricação própria no

canteiro seria enorme. Com a modificação deste pacote de trabalho através de um

subcontrato com um fornecedor especializado para fabricar e entregá-los como


unidades de semi-reboque totalmente montadas, o proprietário conseguiu evitar

um custo significativo para o projeto.

Durante o processo de aquisição ou subcontratação, após o recebimento da

solicitação de proposta (RFP), os vários concorrentes (participantes) da licitação

normalmente conduzem suas próprias análises de construtibilidade antes da

licitação. Perguntas de esclarecimento de construtibilidade são frequentemente

transmitidas ao representante do proprietário que fornece informações adicionais

sobre as condições do local, detalhes ambíguos ou ausentes da construção e

frequentemente, os empreiteiros podem propor métodos alternativos de

construção para consideração. Apesar deste não ser um aspecto formalizado do

processo de construtibilidade, esses também são elementos importantes da

construtibilidade e este processo de solicitação de informações (RFI) durante a

solicitação de licitações deve ser estabelecido de uma maneira que permita capturar

dados inesperados (questionamentos/proposições) de construtibilidade dos

subcontratados durante a fase de compras (contratações).

Fase de Construção: A construtibilidade continua a ser uma ferramenta

viável para o sucesso do projeto após a adjudicação dos principais contratos e

ordens de compra. Por exemplo, um empreiteiro mecânico, empregando revisão de

construtibilidade formal ou informal para seu escopo, pode determinar que certos

componentes da tubulação podem ser fabricados em sua loja e transportados

economicamente por caminhão para o local do projeto, melhorando a produtividade

do trabalho e reduzindo os custos operacionais de produção para esse grande

componente do trabalho de um projeto. O proprietário, o engenheiro e o CM devem

lembrar que os subcontratados comerciais são os técnicos especialistas em seu

campo e deve incluir uma linguagem de contrato de construção que incentive as


sugestões de melhoria de construtibilidade, bem como solicitações de substituição

de especificações (requisitos) dos materiais e meios de sua realização. O processo

de envio de revisão deve ser estabelecido para identificar possíveis melhorias de

construtibilidade e, em seguida, analisar o impacto de implementá-los no orçamento

e no cronograma do projeto.

Um exemplo desse processo ocorreu em um projeto em que

aproximadamente 2.000 pés lineares de tubulação de grande dimensão (bitola) foi

eliminada do escopo de trabalho pelo empreiteiro mecânico realocando o local de

implantação do tanque de retenção de líquido para um local adjacente a um ponto

de conexão em T existente (e não utilizado). O tanque de retenção também foi

redesenhado para aproveitar as vantagens "superior e inferior" prontamente

disponíveis de componentes que agilizaram a fabricação e entrega dessa unidade,

melhorando assim o cronograma em diversas semanas. Ao eliminar uma função

(transporte de tubos), essa decisão de construção combinou abordagens de

construtibilidade e engenharia de valor.

A construtibilidade e a engenharia de valor são frequentemente

confundidas como termos sinônimos que devem ser separadamente diferenciados.

A construtibilidade não inclui engenharia de valor, nem viola as responsabilidades

do projetista para o projeto. Uma pesquisa recente conduzida pela Gerência de

Construção Association of America (CMAA) concluiu: “Os arquitetos precisam ser

responsabilizados pela conclusão de um projeto de qualidade que pode ser

construído com poucas requisições de mudança ou solicitações de informações. ”[6]

A definição de engenharia de valor é “uma função prática voltada para o próprio

projeto, que tem como objetivo o desenvolvimento do projeto de uma instalação ou

item que traga menor custo de ciclo de vida ou forneça maior valor, satisfazendo ao
mesmo tempo todo o desempenho e outros critérios estabelecidos (para a instalação

ou item). ”[3] A análise e a engenharia de valor estão focadas na avaliação e

otimização de funções do processo ou instalação[9], considerando que,

construtibilidade é a integração dos conhecimentos de construção em todas as fases

da concepção do projeto para beneficiar custos, cronograma, qualidade e objetivos

gerais do projeto.

Após as ações de revisões: A construtibilidade não termina quando o

projeto é concluído. Freqüentemente os participantes do projeto têm pressa de

encerrar o projeto e passar para outra tarefa. Existe ainda a eduforia pelo o sucesso

do projeto, ou existe um forte desejo de deixar suas más experiências para trás eles

e seguir em frente. Em ambos os casos, deve haver uma revisão formal para

identificar (registrar) as lições aprendidas de construtibilidade no projeto. A

corporação deve estabelecer um banco de dados de construtibilidade.

“Implementando essa abordagem, acredita-se que o programa de revisão da

construtibilidade inicialmente proporcionará grandes aumentos na economia

documentada total anual. No entanto, à medida que o programa amadurece, e o

projeto executivo e processos de construção são otimizados, o aumento incremental

das economias do programa no total anual documentado atingem uma condição

estável. No estado "maduro", as economias adicionais documentadas de

construtibilidade são obtidas através da aplicação de novos métodos e tecnologias

de construção. ”[5]

Plano de Implementação da Construtibilidade: A literatura mostra

claramente que o envolvimento de construtores no início do ciclo de vida de um

projeto aumenta muito a possibilidade de acumular quantificáveis benefícios

através da redução dos custos de pedidos de mudança, programações de entrega


compactadas (calendários de entrega compactos) e meios e métodos do estado da

arte da construção sendo integrados ao processo de elaboração dos projetos

executivos. Em seguida, também mostra que é difícil para os profissionais

projetistas sozinhos, desenvolverem a experiência de campo necessária para poder

reconhecer potenciais oportunidades de melhorias e riscos das construções

durante o processo de elaboração dos projetos.

O uso bem-sucedido do conhecimento e experiência em construção

otimizará as oportunidades de sucesso do projeto. As análises de construtibilidade

devem ser conduzidas em pontos-chave (marcos) do projeto: na fase de

planejamento, no início da fase de projeto, antes da fase de aquisição, e novamente

antes da fase de mobilização para construção. A integração da construtibilidade

pode resultar na redução de custos, melhor produtividade, antecipação da conclusão

e, em ultima análise, inicio da melhoria dos projetos.

Um plano de implementação da construtibilidade deve incluir processos e

os procedimentos para conduzir a CR em cada fase do projeto. É uma prática

recomendada (melhores práticas) que, durante a fase inicial do projeto, a

construtibilidade, como em outras VIPs, seja um processo planejado, formal e

documentado, com recursos especializados atribuídos. O plano deve reconhecer que

a avaliação do custo, cronograma, riscos e economia des alternativas de

construtibilidade será aprimorado com a inclusão de especialistas em custo e

cronograma como parte da equipe de revisão da construtibilidade. A seguir, estão

alguns outros elementos-chave a serem incluídos em um plano de implementação

de construtibilidade:

• Procedimentos para incorporar CR na fase de viabilidade. Estes devem

identificar o método pelo qual o proprietário escolherá utilizarar recursos


internos ou terceirizar o requisito para um CM qualificado ou consultor

semelhante.

• Procedimentos para incorporar CR na fase inicial do projeto. Estes

devem identificar o método qual o proprietário garantirá que o arquiteto /

engenheiro desenvolva documentos iniciais do projeto iniciais que possam

ser submetido pelo CR a um CM qualificado ou consultor equivalente ou a

uma equipe de CR apropriada. Eles também devem conter uma linguagem

apropriada de contrato que será inserida no projeto executivo e nos

contratos de CM relativos à administração de CRs durante esta fase.

• Procedimentos para incorporar CR na fase de compras. Estes devem

identificar o método pelo qual o proprietário garantirá que o arquiteto /

engenheiro desenvolva documentos de projeto detalhados que possam ser

submetidos pelo CR a um CM qualificado ou consultor equivalente ou a uma

equipe de CR apropriada. Estes procedimentos devem ser desenvolvidos com

a idéia de que o CR deve minimizar o esforço de projeto perdido

(desperdiçado) para ser eficaz. Eles também devem conter a linguagem de

contrato apropriada que será inserida nos projetos técnicos e contratos de

CM referentes à administração de CRs durante esta fase. Eles também

deveriam conter instruções específicas para identificar dados de entrada de

construtibilidade dos RFIs e uma metodologia para avaliar e implementar

essa entrada durante esta fase.

• Procedimentos para incorporar CR na fase de construção. Estes devem

identificar a linguagem de contrato apropriada que será inserida nos projetos

técnicos e contratos de CM referentes à administração de envios (ordens de

serviços) durante esta fase. Eles também devem conter instruções


específicas para identificação de entradas de construtibilidade a partir de

propostas de construção e uma metodologia para avaliar e implementar essa

entrada durante esta fase. Eles devem fazer a diferenciação entre o valor

apresentado pelo contratado nas propostas de engenharia e sugestões de

construtibilidade indicadas pelo contratado.

• Procedimentos para CR após ações de revisões. Estes devem estabelecer

um programa sistemático para avaliar o desempenho do projeto e capturar

(registrar) as melhores práticas para implementação futura e “áreas

problemas” que devem ser tratadas (dirigidas) para iniciar o próximo

projeto.

A implementação de revisões formais de construtividade o mais cedo

possível no ciclo de vida de um projeto é de benefício tanto para os projetistas

quanto para os construtores e proprietários na redução do esforço de projeto

perdido (desperdiçado) devido às mudanças necessárias identificadas durante a

construção e à melhor coordenação de questões interdisciplinares. A

construtibilidade é uma ferramenta poderosa que trabalha em benefício de todas as

partes dos processos de entrega em um projeto de capital de construção. A principal

conclusão pode ser melhor resumida pela seguinte declaração da CII: [5]

“Construtibilidade pode significar melhores projetos – menores custos,

melhor produtividade, conclusões antecipadas no projeto e partidas antecipadas.”

Proprietários, projetistas e construtores que pertencem ao Instituto da Industria da

Construção (CII) acreditam que esta declaração e sua mensagem são: “Certifique-se

de que as considerações da construção estão incorporadas em todas as fases de um

projeto - estudos de viabilidade, planejamento, projeto técnico, compras bem como

construção.”

Você também pode gostar