Você está na página 1de 2

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO

EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DO MUNICÍPIO Y,


pessoa jurídica de
direito privado, inscrita no CNPJ sob o número ..., com sede à rua ..., número ...,
bairro ..., Município Y/SP, CEP ..., representado por seu Presidente CAIO,
nacionalidade, estado civil, profissão, portador da identidade número ..., inscrito no CPF
sob o número ... , residente e domiciliado à rua ... , número ... , bairro ..., cidade/Estado,
CEP ..., endereço eletrônico, por meio de seu procurador que a esta subscreve, com base
no artigo 5º, inciso LXXI da Constituição Federal vem perante Vossa Excelência,
impetrar

MANDADO DE INJUNÇÃO COLETIVO

em face do PREFEITO DO MUNICÍPIO Y, nacionalidade, estado civil, portador da


cédula de identidade número ..., inscrito no CPF sob o número ..., residente e
domiciliado à rua ..., número ..., bairro ..., Município Y/Sp, CEP ..., que deverá ser
citado na pessoa de seu Procurador-Geral, na sede da Prefeitura Municipal na rua ...,
número ..., bairro ..., Município Y/SP, CEP ..., sob os fatos e fundamentos que se
seguem:

DOS FATOS

Os sindicalizados da impetrante exercem atividade profissional em estação de


tratamento de esgoto, submetendo-se à exposição constante a agentes nocivos à saúde.
Recebem, assim como todos aqueles que trabalham nesta função, adicional por
insalubridade.

Segundo a lei orgânica do município, compete ao impetrado apresentar proposta de Lei


Complementar para regular o exercício do direito à aposentadoria especial dos
servidores públicos municipais, efetivando-se, assim, o direito previsto na Constituição
Estadual a tal benefício, trata-se de norma de eficácia limitada que gera um dever de
agir do Município Y que deve regular a norma para garantir o exercício do direito
previsto na Constituição Estadual.

DOS FUNDAMENTOS

A autoridade impetrada encontra-se em mora, no que se refere à consolidação de Lei


Complementar conducente à efetivação do direito subjetivo à aposentação especial dos
servidores públicos municipais que laboram em condições insalubres, consoante os
termos do art. 40, §4º, inc. I, da Constituição Federal e Art. 126, § 4º, inc. III, da
Constituição Estadual.
Por esta razão o mandado de injunção coletivo é o instrumento adequado à satisfação da
pretensão veiculada conforme regula o artigo 12, inciso III da Lei 13.300/16:

Art. 12. O mandado de injunção coletivo pode ser promovido:

III - por organização sindical, entidade de classe ou associação legalmente constituída e


em funcionamento há pelo menos 1 (um) ano, para assegurar o exercício de direitos,
liberdades e prerrogativas em favor da totalidade ou de parte de seus membros ou
associados, na forma de seus estatutos e desde que pertinentes a suas finalidades,
dispensada, para tanto, autorização especial; que autoriza organização sindical
legalmente constituída e em funcionamento há pelo menos 1 (um) ano, para assegurar o
exercício de direitos, liberdades e prerrogativas em favor da totalidade ou de parte de
seus filiados, na forma de seus estatutos e desde que pertinentes a suas finalidades,
dispensada, para tanto, autorização especial.

O Prefeito tem autonomia para legislar sobre a aposentadoria especial de seus servidores
no exercício da competência suplementar como rezam os artigos 24, parágrafo 3º
combinado com o artigo 30, inciso II, da Constituição Federal.

A competência legislativa das pessoas políticas para editar normas sobre previdência
social, em especial acerca do regime jurídico dos seus servidores públicos, é
concorrente, de modo que inexistente norma de caráter geral expedida pela União
haverá competência plena do Chefe do Executivo local para a propositura da lei.

Insta salientar que o impetrado incide em mora, não restando outra alternativa a não ser
buscar a tutela jurisdicional para a aplicação analógica àqueles que laboraram por 15, 20
ou 25 anos conforme estabelecido no artigo 57 da Lei 8.213.

III- DOS PEDIDOS

Diante do exposto, requer:

a) a notificação da autoridade coatora para prestar informações;

b) intimação do Ministério Público para emitir parecer no prazo de 10 dias;

c) a procedência do pedido para declarar a omissão normativa e aplicação analógica do


artigo 57parágrafo 1º da Lei nº 8.213/91, para todos os associados da impetrante.

Dá-se a causa o valor de alçada.

Nestes termos,
Pede deferimento

De Município Y para São Paulo, ... de ... de ....

Advogado/OAB