Você está na página 1de 3

A seguinte queixa foi encaminhada ao Conselho Regional de Psicologia.

Uma adolescente, atendida no setor de orientação vocacional, queixou-se de que o psicólogo in uenciava
pacientes a participar de cultos, relacionando acontecimentos à vontade de Deus; utilizava-se de mapa astral
em suas orientações e realizava atendimento a diferentes pessoas de uma mesma família, propiciando a
troca de informações entre elas. Foi constatado o uso de mapas astrológicos em sessões de orientação
vocacional como ferramenta complementar de análise. Veri cou-se, ainda, que houve indução a convicções
morais e religiosas e que foi realizado atendimento individual a diversos membros da família.
Em sua defesa, o psicólogo negou ter abordado a questão religiosa e devassado o sigilo, destacando ser
relativa a inviolabilidade, já que a atendida era menor de idade. A rmou utilizar-se somente de instrumentos
cientí cos e, eventualmente, da técnica de mapa astral para melhor compreender os pacientes e abreviar os
processos psicoterápicos.

Psi Jornal de Psicologia CRP SP, n. 168, mar./abr./2011. Disponível em:


<http://crpsp.or.br/portal/comunicacao>. Acesso em: 06 jul.2012 (adaptado).

Com base na situação apresentada e tendo como referência o Código de Ética Pro ssional do Psicólogo,
avalie as a rmações abaixo.

I. A astrologia não é prática complementar da Psicologia e tampouco método cientí co, desse modo, não
pode ser utilizada direta ou indiretamente no decorrer de um processo ou tratamento psicológico.
II. O psicólogo tem o dever de respeitar o sigilo pro ssional, protegendo, por meio da con dencialidade, a
intimidade das pessoas, entretanto, na situação apresentada, a pessoa atendida era menor de idade, o que
autoriza o psicólogo a repassar aos familiares as informações obtidas.
III. Ao psicólogo é vedado induzir a convicções políticas, losó cas, morais ou religiosas no exercício de suas
funções pro ssionais, portanto, no caso relatado, o psicólogo infringiu o Código de Ética Pro ssional.

É correto o que se a rma em:

I, apenas.

I, II e III.

II e III, apenas.

I e III, apenas.

II, apenas.

 Enviar para revisão


2 // MARGARETE ALCANTARA DA FONSECA ARIOZA (ID 54203)
AVALIAÇÃO, TRATAMENTO E PREVENÇÃO PSICOLÓGICA > PRÁTICA CLÍNICA EM PSICOLOGIA
50 PONTOS
7 SEGUNDOS

A corrente psicológica criada por John Watson(1878/1958), baseada na teoria S-R, ou seja, para cada
resposta comportamental existe um estímulo é:
 

Gestaltismo.
 

Psicanálise.
 

Behaviorismo.
 

Humanismo.
 

Relacional.
 

Resolução da questão
Veja abaixo o comentário da questão:

O Behaviorismo surgiu nos EUA com John Watson (1878/1958), e foi conhecida pela teoria S-R, ou seja,
para cada resposta comportamental existe um estímulo.

Comentário da sua resposta:


Colocamos abaixo uma breve explicação sobre a alternativa que você marcou errada:

Correta. A corrente apresentada  corresponde a descrição do enunciado da questão.

 Enviar para revisão

3 // FERNANDA FERNANDES DA SILVA (ID 45139)


AVALIAÇÃO, TRATAMENTO E PREVENÇÃO PSICOLÓGICA > PSICOTERAPIAS, TEORIAS E TÉCNICAS
PSICOTERÁPICAS
50 PONTOS
14 SEGUNDOS

A segunda tópica freudiana -  conceito de aparelho psíquico - prevê três instâncias psíquicas: ID, EGO e
SUPEREGO. Assinale a alternativa que apresenta as de nições dessas estruturas na sequência correta.

Consciente. Inconsciente. Pré-consciente.

Inconsciente. Consciente. Reservatório das pulsões.

Reservatório das pulsões. Pré-consciente. Sede das defesas.

Reservatório das pulsões. Sede das defesas. Comporta a censura e os ideais.

Sede das defesas. Reservatório das pulsões. Comporta a censura e os ideais.

Resolução da questão
Veja abaixo o comentário da questão:

Reservatório das pulsões. Sede das defesas. Comporta a censura e os ideais.

Comentário da sua resposta:


Colocamos abaixo uma breve explicação sobre a alternativa que você marcou errada:

O Id é o lugar de onde partem as pulsões (libido é a parte psíquica da pulsão). O ego é o mediador e
precisa sediar as defesas contra os impulsos do Id. O Superego é o representante da lei (censura) e
dos ideais futuros.

 Enviar para revisão

4 // LORENA FLEURY DE MOURA (ID 45134)


AVALIAÇÃO, TRATAMENTO E PREVENÇÃO PSICOLÓGICA > PSICOPATOLOGIA
50 PONTOS
23 SEGUNDOS

Uma pessoa do sexo feminino, separada, 43 anos de idade, nível socioeconômico baixo.  A paciente
encontra-se em tratamento há pelo menos 10 anos e apresentava as seguintes falas que faziam referências:
a) a fatos de sua vida: “Vou fazer 19 anos”, “Peguei lho sem transar”; b) a conteúdos religiosos: “A Virgem
Maria falou que eu sou moça”; e c) ação de outrem contra si: “Pra que foram mexer na minha mente”.
 Referia também sua enteada aparecia na televisão e a insultava. Ao ser chamada pelo seu nome,
demonstrava postura agressiva e dizia não ser este o seu nome.