Você está na página 1de 3

Evolução da Frente Polar

1 - Ondulação pouco nítida – Frente Estacionária.

2 - Interpenetração das massas de ar – Superfície Frontal.

3 – Ondulação muito pronunciada – Sistema Frontal.

Frente Quente – quando o ar quente substitui o ar frio:

 a inclinação da superfície frontal é pouco acentuada;


 o ar quente desloca-se lentamente sobre o ar frio;
 formam-se nuvens de fraco desenvolvimento vertical;
 precipitação sob a forma de chuva fraca ou chuvisco.

Frente Fria – quando o ar frio substitui o ar quente:

 a inclinação da superfície frontal é muito acentuada;


 o ar quente ascende rapidamente e violentamente;
 formam-se nuvens de grande desenvolvimento vertical;
 precipitação sob a forma de aguaceiros fortes, acompanhada de trovoadas.

Sistema Frontal – conjunto de uma frente quente e uma frente fria.

Perturbação Frontal – sistema frontal associado a um centro de baixas pressões.

Circulação Geral da Atmosfera

Equador:

Devido à elevada temperatura, o ar sobe, formando-se baixas pressões. Em altitude, o ar, já


mais frio, dirige-se para as regiões subtropicais;

Regiões subtropicais:

O ar desce, originando altas pressões e, à superfície, diverge em direção ao equador e às


latitudes médias (40º a 60º N e S);
Latitudes Médias:

O ar tropical encontra-se com o ar que vem dos pólos, provocando um movimento ascendente
e a formação de baixas pressões;

Pólos:

Devido às baixas temperaturas, formam-se altas pressões, por isso, o ar diverge à superfície, a
partir dessas duas regiões;

A circulação geral da atmosfera origina:

 ventos contantes ou dominantes que sopram durante todo o ano com a mesma
direção: alísios (ar que se desloca das altas pressões subtropicais para as baixas
pressões equatoriais), ventos de oeste (ar que se desloca das altas pressões
subtropicais para as baixas pressões subpolares, sentido influenciado pelo movimento
de rotação da Terra, de Oeste no hemisfério morte), ventos polares (ar que se desloca
das altas pressões polares para as baixas pressões subpolares);

A frente polar no hemisfério norte:

Frente Fria (é o ar frio que avança, introduzindo-se como uma cunha por baixo do ar quente,
obrigando-o a subir), frente quente (é o ar quente que avança, sobrepondo-se ao ar frio);

Perturbações frontais: é constituída por um sector de ar tropical quente, entre dos sectores de
ar polar frio (anterior e posterior), verificando-se uma dupla ascensão dinâmica do ar (frente
fria: efeito da interposição do ar frio por baixo do ar quente, frente quente: sobreposição do ar
quente ao ar frio);

Massa de ar: extensa porção da atmosfera que, no plano horizontal, apresenta características
físicas muito homogéneas (massas de ar: tropical, polar)

Centros de altas pressões e Centros de baixas pressões:

Pressão atmosférica:

Força exercida pela atmosfera em cada unidade da superfície terrestre, mede-s em milibares
(mbar),

A pressão atmosférica é:

 normal (quando o valor é igual a 1013 mbar),


 alta (quando o valor é superior a 1013 mbar),
 baixa (quando o valor é inferior a 1013 mbar);

Linhas isóbaras: linhas que unem pontos com a mesma pressão atmosférica;

Centros de altas pressões (anticiclones):

a pressão aumenta da periferia para o centro, o movimento vertical do ar é descendente e, à


superfície é divergente, ao descer, a temperatura do ar aumenta, não se dando a condensação
do vapor de água.

Os centros de altas pressões associam-se a céu limpo e tempo seco;


Origem dos centros de altas pressões:

 Térmica (o arrefecimento do ar, pelo contacto com a superficie da Terra muito fria,
torna-o mais denso e pesado),
 Dinâmica (resultam do movimento descendente do ar frio que se encontra a maior
altitude);

Centro de baixas pressões (depressão barométrica):

A pressão diminui da periferia para o centro, o movimento do ar, à superfície, é convergente e


o movimento vertical é ascendente. Ao subir, a temperatura do ar diminui, o que provoca a
condensação do vapor de água, formando-se nuvens que podem originar precipitação;

Origem dos centros de baixas pressões:

 Térmica ( aquecimento do ar, pelo contacto com a superficie da Terra muito quente,
torna-o menos denso, provocando a ascensão),
 Dinâmica ( ascensão é provocada pela convergência de ar proveniente da direções
opostas);