Você está na página 1de 5

RESUMO EXECUTIVO - Memorando Técnico de Saúde (HTM) 01-04

Este Memorando Técnico de Saúde (HTM) 01-04 faz parte da série de Descontaminação HTM 01. Outras
peças incluem:

• HTM 01-01: Gestão e descontaminação de instrumentos cirúrgicos (dispositivos médicos) utilizados em


cuidados agudos.

• HTM 01-05: Descontaminação nas primárias cuidados práticas dentárias.

• HTM 01-06: Reprocessamento de flexível endoscópios: gestão e descontaminação.

Objetivos do HTM

O objetivo deste HTM é fornecer um estrutura que permitirá a tomada de decisão local relativa à gestão,
utilização e descontaminação dos cuidados de saúde e dos cuidados sociais linho. A orientação foi
concebida para garantir segurança do paciente e resultados melhorados em custo controlado utilizando o
controlo de risco. Esta orientação de boas práticas será de direto interesse para prestadores de cuidados
e aqueles que trabalham na gestão de roupa e roupa de roupa descontaminação. Gestão e técnica
informações também são fornecidas para prestadores de cuidados e prestadores de serviços de linho.

A orientação fornecida neste HTM promove um princípio de melhoria contínua em linho desempenho de
processamento a todos os níveis. Fornece opções que permitem lavandarias, lavandaria operadores e
processadores de linho local (doravante referidos como "processadores de linho") para escolher como
encontrar o QEE e como progredir para a BP.

1 RESUMO DOS INSPETORES DE QUALIDADE

1.1 BS EN 14065 descreve uma gestão sistema para assegurar a qualidade microbiológica de têxteis
processados usados especificamente sectores definidos em que é necessário controlar a contaminação
microbiológica. O Departamento de Saúde incentiva a adoção deste padrão para aqueles laundries
operativos tanto em um ambiente comercial e dentro do SNS. Esta secção descreve para qualidade
inspetores o padrão e sua relação com requisitos essenciais de qualidade (EQR).

1.2 O volume de "gestão e provisão"contém uma secção detalhando funcional responsabilidades para os
envolvidos no fornecimento de descontaminação de linho. No entanto, é escrito a partir da premissa
inicial do sector público organizações que operam dedicadas lavandarias e não aqueles que podem ser
apenas responsável por lavandarias comerciais no setor privado. Esta secção também oferece conselhos
sobre como as funções descritas na cláusula 6.1.2 de BS EN 14065 sobre a constituição do Risco Controlo
de Análise e Biocontaminação (RABC) equipa cross-match contra as funções identificadas em "Gestão e
provisão".

2. INTRODUÇÃO

2.1 A Norma Europeia BS EN 14065 descreve um sistema de gestão para assegurar a qualidade
microbiológica do linho processado usado em sectores especificamente definidos em que é necessário
para controlar microbiológico contaminação. Descreve uma Análise de Risco e Sistema de Controlo de
Biocontaminação (RABC) projetado para permitir processadores de linho para assegurar continuamente a
qualidade microbiológica do linho processado.
2.2 Aplica-se aos têxteis transformados em lavandarias e usado em setores específicos como produtos
farmacêuticos, dispositivos médicos, alimentos, cuidados de saúde e cosméticos, mas exclui aqueles
aspetos relacionados com a segurança dos trabalhadores e a esterilidade de o produto final.

2.3 Como pré-requisito para a implementação do padrão, um processador de linho deve seguir bem
práticas de fabrico; BS EN 14065 também pomba com qualquer BS EN ISO existente Sistema de gestão de
qualidade baseado em 9001.

2.4 BS EN 14065 exige que um formal sistema ser estabelecido, implementado e mantido para avaliar e
controlar riscos que podem afetar a qualidade microbiológica do processo e produto. Neste sistema,
específico os perigos microbiológicos devem ser identificados. As medidas de controlo e a sua eficácia
deve ser determinado, analisado e documentado.

2.5 Os princípios de um sistema RABC são:

• Princípio 1. Lista de microbiológicos Perigos e lista de medidas de controlo:

i. i identificação do microbiológico perigo(s) associado a cada passo do processo, com o produto ou


com o pessoal;
ii. ii avaliação e classificação de níveis de risco(s) do microbiológico contaminação dos têxteis em
cada passo do processo como um consequência do perigo;
iii. iii identificação das medidas de controlo eliminar ou reduzir o risco(s) do contaminação
microbiológica de têxteis para chegar ao acordado qualidade microbiológica para o uso final dos
têxteis.

• Princípio 2. Determinação do controlo pontos:

Determinação dos pontos/etapas/ condições ambientais que podem ser controlado (pontos de controlo)
para eliminar ou reduzir os riscos.

• Princípio 3. Níveis e limites de destino – tolerâncias:

Estabelecimento de limites em cada ponto de controlo, que não deve ser ultrapassado a fim de assegurar
qualidade microbiológica dos têxteis.

• Princípio 4. Sistema de monitorização:

Estabelecimento de ensaios regulares ou observação para monitorizar os pontos de controlo.

• Princípio 5. Ações corretivas:

Estabelecimento de ações corretivas a ser tomada saqueada quando a monitorização indica que um
ponto/procedimento/operacional específico condição passo/ambiente não é sob controlo.

Princípio 6. Verificação do sistema RABC procedimentos: Estabelecimento de procedimentos para


verificar se o sistema está funcionando efetivamente.

• Princípio 7. Documentação:

Estabelecimento e manutenção documentação adequada.

2.6 Se corretamente implementado, o BS EN 14065 base baseia-se nesta fundação, desde que utilizadores
com uma abordagem RABC para assegurar desinfeção consistentemente eficaz de linho e proteção fiável
depois de recontaminação. O padrão totalmente descreve a abordagem RABC, mas não pode prever cada
variável de lavandaria/mercado e folhas especificação do processo e do produto desempenho para
jurisdições locais e/ou indústrias.

2.7 Associação de Serviços Têxteis «Implementação da Análise de Riscos e Controlo de Biocontaminação


(RABC) em lavandarias é um guia para a implementação do BS EN 14065.

3 - BS EN 14065, REQUISITOS ESSENCIAIS QUALIDADE (EQR) E BOAS PRÁTICAS (BP)

3.1 Não há requisito neste HTM para Processadores de linho para adotar BS EN 14065. No entanto, os
processadores de linho que obtêm certificação independente do seu BS EN 14065 sistema pode
considerar este estatuto para contribuir para Boas Práticas (BP) e para satisfazer todos os Requisitos
Essenciais de qualidade deste HTM. Ver o Volume de "gestão e provisão" deste HTM.

Certificação à BS EN 14065

É prática no Reino Unido para o cumprimento das normas britânicas, europeias e internacionais
certificado por certificadores que tenham sido acreditados pelo Serviço de Acreditação do Reino Unido
(UKAS), reconhecido pelo governo. A acreditação permite que os clientes identifiquem e selecionem, por
informação escolha, certificadores com competência comprovada em operar a sistemas de gestão de
qualidade que satisfazem com êxito os requisitos das normas internacionais de acreditação.

UKAS oferece acreditação a laboratórios, casas de teste, equipamentos e calibração de instrumentos


organismos de serviços e certificação, todos relevantes para o HTM 01-04. É um requisito da UE que todos
os Estados-Membros reconheçam os certificadores que foram acreditados pelos seus próprios organismos
de acreditação nacionais. Consequentemente, as organizações são livres de usar qualquer certificador
acreditado nacional de qualquer Estado-Membro. Exemplos de organizações acreditadas incluem BSI, SGS
e Intertek (acreditado pela UKAS), e da Irlanda, NSAI, que é acreditado pelo Conselho Nacional de
Acreditação da Irlanda (INAB).

Certificadores acreditados recebem acreditação para um calendário específico de normas para cada um
dos que é feita uma taxa de acreditação. Como organizações comerciais, os certificadores não podem
justificar acreditação de normas que não dêem retorno ao seu investimento. Atualmente no Reino Unido
o negócio gerado por certificação à BS EN 14065 é pequeno e nenhum certificador acreditado inclui-o no
seu calendário de acreditação. No entanto, ainda é de grande valor para ser certificado por um
certificador credenciado porque a certificação ainda será administrada através de uma gestão de
qualidade sistema auditado às mesmas normas internacionais de acreditação.

4 EXECUÇÃO DE RESPONSABILIDADES FUNCIONAIS

4.1 O volume de "gestão e provisão" contém uma secção detalhando funcional responsabilidades para os
envolvidos no fornecimento de descontaminação de linho. No entanto, é escrito a partir da premissa
inicial do sector público organizações que operam dedicadas lavandarias e não aqueles que podem ser
apenas responsável por lavandarias comerciais no setor privado.

4.2 Embora seja baseado numa estrutura que é no lugar no SNS já, tem alguns equivalência com
funcionamento alternativo estruturas no setor privado, que se seguem cláusula 6.1.2 de BS EN 14065
sobre a Constituição da equipa RABC.
4.3 Cláusula 6.1.2 de BS EN 14065 dá um lista equivalente de pessoal que deve compõem a equipa RABC e
cumprir o mesmo responsabilidades. Membros da equipa, além de seus deveres normais, têm
responsabilidades específicas dentro da lavanderia para descontaminação/ Controlo de recontaminação:

• Gerente/Unidade de Lavandaria/Gestor Produção;

• Gestor de Oficina de Lavanderia/ Engenheiro Sénior;

• representação de cada departamento de a lavandaria - supervisores, operadores séniores;

• representante do departamento de higiene;

• representante da limpeza e departamento de manutenção;

• Gestor de Qualidade – para BS EN ISO 9000 e BS EN 14065;

• Microbiólogo Qualificado.

4.4 As seguintes secções abaixo fornecem orientações adicionais sobre a implementação das funções e
mostrar quais das funções bS EN 14065 são equivalente. A "Gestão e provisão" volume deste HTM deve
ser referido para as definições completas.

Gestor Executivo

4.5 O Gestor Executivo é definido como o pessoa com gestão final responsabilidade, incluindo a atribuição
de recursos e a nomeação de pessoal da lavandaria.

4.6 Dependendo da natureza do organização, este papel pode ser preenchido pelo gerente geral, gerente
de lavanderia ou chefe executivo, ou em termos de BS EN 14065, o Gerente da Unidade de Lavanderia.

NHS/Organização Descontaminação do Chumbo

4.7 Todos os cuidados sociais de saúde e adultos organização deve ter um nomeado Descontaminação
Chumbo com responsabilidade descontaminação. Esta pessoa deve ser a nível de conselho ou têm gestão
de linha responsabilidade para com uma pessoa responsável sénior em que o nível.

4.8 Não existe qualquer exigência para o sector privado processadores de linho para ter uma
Descontaminação Chumbo embora devam estar cientes do papel dentro das suas organizações de
clientes e pode beneficiar de identificar alguém no organização que tem a responsabilidade de
descontaminação.

Pessoa designada

4.9 Esta função funciona como a interface entre o processador de linho e serviços de suporte, fornecidos
interna ou externamente, e incluirá a manutenção, manutenção e testes. Este é suscetível de ser o
gerente de manutenção da lavanderia (Lavandaria Gestor de Workshops/Engenheiro Sénior na BS EN
14065 termos). O papel fará parte da sua deveres habituais de gestão de engenharia.

Utilizador (Operador)

4.10 Para este papel, a terminologia utilizada em BS EN 14065 pode ser difícil de conciliar com isso usado
em outras organizações. O termo Utilizador é usado dentro de outros HTMs, enquanto a indústria muitas
vezes refira-se a isto como o operador de lavanderia. Se o termo Operador é usado neste contexto, o
termo Os agentes devem ser utilizados no lugar do Operador abaixo.
4.11 Independentemente da terminologia, isto é definido como a pessoa designada pela Gestão para ser
responsável pela gestão do processo. O Utilizador também é responsável pelo Operadores (Operativos)
conforme definido abaixo.

4.12 Este papel é suscetível de ser cumprido pela Gerente de Unidade de Lavanderia ou Gerente de
Produção e ser um membro de um apropriado corpo profissional com experiência no objeto de gestão da
lavandaria (por exemplo, Sociedade de Serviços de Linho Hospitalar & Lavandaria Gestores (SHLS&LM),
Serviços Têxteis Associação (TSA), Guild of Cleaners & Branqueadores (GCL) etc.

Diretor do SNS para a Prevenção de Infeções e Controlo, ou Assistência Social Líder da organização para
a infeção Prevenção e Controlo

4.13 Esta função não é diretamente comparável com qualquer papel dentro de um sector privado
comercial processador de linho, uma vez que a função não é exigida em um organização de lavanderia
comercial. No entanto, Clientes do SNS de qualquer roupa de saúde processador teria o seu próprio
chumbo nomeado e esta pessoa poderia estabelecer ligação com a lavanderia.

Praticante de Controlo de Infeções

4.14 O Praticante de Controlo de Infeções é definido como uma pessoa designada por Gestão a ser
responsável por aconselhar o Utilizador (Operador) em todos os aspetos de controlo de infeções numa
organização de saúde. Um papel tão direto dentro de uma lavanderia comercial não existe; no entanto,
um papel semelhante poderia ser subcontratado como e quando necessário ou ser fornecido por um dos
os clientes de cuidados de saúde da lavandaria.

Alternativamente, o Microbiólogo Qualificado pode cumprir este papel para uma lavanderia comercial,
deve sua experiência e treino são apropriados.

O Microbiólogo (ou microbiologista) (Descontaminação) ou Qualificado Microbiólogo

4.15 O Microbiólogo (Decontaminação) é definido como uma pessoa designada por Gestão a ser
responsável por aconselhar o Utilizador (Operador) em aspetos microbiológicos desinfetando o linho e os
têxteis. Deve também ser definido como o responsável por aconselhando o Utilizador sobre o
microbiológico aspetos da desinfeção e recontaminação de linho.

4.16 Esta pode ser uma função subcontratada trazida como e quando necessário ou, no caso de
organizações maiores, um papel a tempo inteiro. Em BS EN 14065 termos, esta pessoa é conhecida como
o Microbiólogo Qualificado.

Operador/Operativo

4.17 O Operador (Operativo em BS EN 14065 termos) é definido como qualquer pessoa com o autoridade
para operar um extrator de arqueadora, máquina de fazer túneis contínuos (CTW) e qualquer outro
equipamentos de lavanderia, incluindo a notação de leituras de instrumentos e limpeza simples deveres.