Você está na página 1de 9

HISTORIA DE ANGOLA

28/10/19

Professor: Fernando Manuel

Lei 3/76 – Lei dos confiscos e nacionalizações (Conselho da Revolução)


1997 – Relações bilaterais entre Angola e a Santa Sé (Nunciatura e Embaixadores)

1. Introdução
1.1. O território e a sua morfologia
1.2. O povoamento do território
1.3. Os grupos etnolinguísticos
1.4. 1º’s E’ conhecidos no território
1.4.1. Kongo
1.4.2. N’dongo
1.4.3. Bailundo
1.4.4. Lunda-Chokwe

Objetivo do ensino da cadeira de H. de Angola no ISRI, visa transmitir aos estudantes,


aos especialistas e outros operadores das R.I., conhecimentos medulares sobre a H. de
Angola pré-colonial, colonial e pós-colonial, para que estes possam defender com
conhecimentos de causa os grandes temas sobre Angola discutidos nos fóruns
nacionais, sub-regionais, regionais e internacionais.

Pioneiros do estudo da etnografia:


*Jose Redinhas (Criou o Museu regional do Dundo) ... ver as estações etnográficas.
** Padre Elli Chateuland
** Carlos Estermen

Renascimento
Enrique Abranches
Rui Duarte de Carvalho

1.1. O território e a sua morfologia


Localização:
Pontos cardeais: 12° 30′ S, 18° 30′ L

1.2. Povoamento do território


3 Tipos de povoamento
1. Povoamento Antigo
a. Khoi+san (Sul de Angola, Norte da Namíbia, Calaári & Botswana),
utilizaram instrumentos líticos (de pedra)
b. Idade da Pedra
i. Paleolítico
ii. Mesolítico (Pedra lascada ou talhada)
iii. Neolítico (Passou a polir e dar brilho com gorduras animais)
2. Povoamento Bantu
Emigraram a partir de uma região entre Nigéria/Camarões, nomeadamente de uma
região chamada de Kalabari no Vale Banué, foram para a região dos grandes lagos.. e
logo para as selvas tropicais húmidas, outros pela orla marítima oriental e outros pela
ocidental.
 Povos bantus, ícones da difusão dos metais, já faziam os seus instrumentos
com metais
Fazem parte da idade dos metais:
Período em que os homens vão usar os metais para confecionar o seu material de
trabalho

Esta etapa foi dividida em 3 períodos:


1º Período do Bronze;
2º Período do Cobre;
3º Período do Ferro;

Surge nas regiões onde se praticava a agricultura, India, Egipto, Mesopotâmia ... foi
onde apareceram as 1ª’s classes sociais

Povos bantus ergueram reinos:


Em Angola
Ndongo
Kongo
Lunda
REINOS DO PLANALTO CENTRAL
Bailundo
Vie (Bie)
Andulo
Kwanhama

9 grupos étnicos
1- Lunda Chokwe (Lundas e Moxico)
a. Religião – Mahamba
b. Lingua - Chokwe
2- Ambundos (K.N, parte do K.S.)
3- Ovimbundos
4- Ganguelas (Sul do Moxico e Norte do CC)
5- Nyaneka-Umbi (Sul da Huila e Cunene)
6- Bacongo (Uige, Cambinda & Zaire)
7- Kwanhama (Ovambo)
a. Lingua Otchikwanhama
8- Herero (Namibe)
3. POVOAMENTO BRANCO-EUROPEU
Resultado da colonização que os africanos sofreram, depois da conferencia de Berlin

4. Museus
a. Categorização:
i. Nacionais;
ii. Regionais;
1. Museu Etnográfico do Kongo (Uige)
2. Museu regional da Huila
iii. Provinciais;
b. Especialidade:
i. Segundo a sua designação e especialização
5. Biblioteca: Conjunto de bibliografia
a. Categorização:
i. Nacional
ii. Provincial
iii. Municipais
iv. Particulares
v. Individuais

Diário da Republica no tempo colonial = Boletim Oficial

6. Discotecas: Conjunto de discografias


7. Fototecas: Lugares para preservar fotografias
INAPC – Instituto Nacional do Património Cultural

Registo:
SADIA (Angola) ---- OAPI ---- OMPI

Estações etnográficas por províncias

- Tchitundo-Hulo – Namibe
- da Pedra do Feitiço – Zaire
- Cuangar – Cuando Cubango
- Caninguiri – Huambo
- Feti – Huambo
- Benfica – Luanda
- Cabala – Uige (Negage)
- Alto Zambeze – Moxico
- Alto Tchikapa – Lunda Sul
- Quibala – K.S.
- Dombe Grande – BGA
- Camacupa – Bié (Centro Geodesico de Angola)
- Dundo – Lunda Norte

Lema para o património da humanidade: Mbanza Kongo, cidade a desenterrar para


preservar

Lobis: Paises quem parte da região BANTU-KONGO


Vaticano
UNESCO
1º bispo da era moderna de Mbanza Kongo Dom Afonso N’Teka
1º da antiguidade – Don Negrita “Nsaku Ne Vunda”

REINOS DE ANGOLA

REINO DO KONGO
Limites:
Norte: Rio Ogué (Gabão)
Sul: Rio Kuanza
Leste: Rio Kuango
Oeste: Oc Atlantico

Rei: N’totela

Capital: Mbanza Kongo


Havia trocas comercias reguladas por uma moeda chamada Zimbo (espécie da família
dos crustáceos, eram buscados na Bahia de Luanda)

Sistema económico: Agricultura, animais de pequeno porte...


- Importava e exportava mercadoria, tinha como porta de entrada e saída de
mercadorias no porto de MPINDA (Actual Kwanda)

Estava administrativamente dividido em 6 provincias:


- MPemba (Mais importantes e com control total do rei... por era onde se
encontrava a capital do reino)
- Soyo (Mais importantes e com control total do rei... por causa do porto de
MPINDA)
- Nsundi
- Mbamba
- Mbata
- Mpanzu

Os aristocratas que governavam as províncias eram os MANIS (Consanguíneos do Rei,


maior parte filhos das irmãs dos Rei, faziam parte da família real)

Dos reinos mais famosos, organizados e melhor hierarquizados do centro da Africa

Reinos vassalos do Norte:


- Kakongo
- Anzikos
- Loango

Reino Vassalo do Sul:


- Ndongo

Diogo Cão chega ao reino em 1482, faz contacto com Mani Soyo e N’zinga N’kuvu
1484 – Trazendo o acordado, mas com uma arma secreta... os padres franciscanos
(Padres capuchinhos) para evangeliza-los
No Kongo predominava uma religião comum a toda africa negra, o ANIMISMO
(significa a adoração aos nossos antepassados)

Batalha da Ambuila 29/10/1665 (Fim ao reino do kongo)

Rua Senado da Camara, começa nas pontes da urpe, passa em frente a antiga dnic e
acaba no prédio do livro do são paulo, chama-se senado da camara pq dps da expulsão
dos holandeses de Lda em 1641-1648 (vieram a procura dos escravos q os portugueses
levavam para as capitanias no Brasil) dps de 8 anos Portugal manda um reforço
liderado pelo Salvador Correia de Sá, conseguindo expulsar os holandeses, a partir
desse momento tds os governadores de angola eram brasileiros.

Em 1667 os portugueses de vários extratos socias que viviam cá, ficaram fartos de
serem governados por brasileiros, e houve uma sublevação chamada .. sublevação de
Luanda.. e culmino com a expulsam do ultimo governador brasileiro ca em angola,
criou-se um governo ad-hoc, e chamou-se de Governo do Senado da Camara.

Deram fama e visibilidade ao governo a presença do Diogo Cão, Embaixador Negrita no


Vaticano e a presença de um eng. Alemão, Krupp

Introdução da escravatura no Kongo, qnd 2 exploradores portugueses descobriram a


região da Guiné Equatorial, explorada pelo explorador português Fernando Pó, chegou
a São Tome e instalou alguns portugueses que deram conta que era uma terra fértil
para agricultura então assim começaram a extrair mão de obra.

O REINO VASSALO DO NDONGO


 Fundação e limites
 Evolução Ec, Pol. e social
 Presença estrangeira no Ndongo
 A invasão portuguesa e as coligações
 A chegada dos holandeses e a acção diplo,atica da rainha ginga

- Fundação:
Foi fundada no seculo 14 Por NGola a Nzinga
Tinha 4 limites fronteiriços:
Norte: Rio Dande;
Sul: Planalto do Bié;
Leste: Região de Kassange;
Oeste: Região da Kissama

O figurino administrativo era semelhante ao reino do Kongo, dividido em províncias, a


estrutura social era igual...
Moeda: Libongo (feita de palmeiras, q era o cartão de visita do reino, planta mais
emblematica)
Moeda alternativa: Sal Gema (iam buscar na região da Kissama)
Capital:
Inicialmente chamou-se Ngola cabaça, más foi devorada pelo fogo e foi transferida
para uma localidade mais segura, cidade de Angoleme Akitambo (Dondo)

PRESENÇA DOS ESTRANGEIROS:


Primeiros estrangeiros enviados do Rei português dom sebastião:

Baltazar de Castro e Manuel Pacheco (1560-1566), esta primeira tentativa não deu em
anda, o Ngola Kiluange recebe-os de forma incordial.
Explicação: Preferir não os receber bem porque viu o que havia se passado no reino do
Kongo.

Paulo Dias de Novais (ficou 6 anos cativo), ao voltar aconselhou ao rei que neste
território só a força...!
O rei muniu este senhor com instrumentos legais para o ataque, entre eles a “Carta de
Doação” que tinha 3 directivas do rei:
1. Ocupação de 1 espaço territorial
2. Reservar algumas terras aráveis para a subsistência dos indivíduos que o
acompanhavam
3. Erguer obras de caracter defensivo (fortalezas, fortes e fortins)
**Gerald Bender – Angola sob o domínio português – mito ou realidade**

Primeira coligação foi criada em 1590 entre (Ndongo, Kongo, Kassange, Matamba e
Kissama), fez a sua primeira extreia no mesmo ano, derrotando os portugueses na
batalha de angoleme akitambo.
A partir do ano de 1600 houve retirada de outras da coligações, o Kongo foi o primeiro,
logo os jagas da Matamba (venderam-se aos portugueses)

Ngola Kiluanje é substituído pela primo irmão Ngola Mbandi, continua a lutar contra os
portugueses mesmo estando em desvantagem
Assim a sua irmã Nzinga Mbandi assumo o poder assinando as Treguas de 1621 e diz a
historia que ai a rainha manda matar seu irmão para não por em perigo os acordos
assinados
2ª coligação (1635)E forma uma nova coligação entre 3 estados (Ndongo, Kongo e
Matamba).. sitiaram muxima, massangano e ambaka

A rainha ginga converteu-se ao cristianismo, chamando-se “Ana de Sousa”


Reino da Lunda
Fundação no seculo 16

Tem 2 versões
1- Mitológica: diz ser fundado por um caçado da etnia Luba “Tchibinda Ilunga”
Explica-se que o pai do trono lunda-chokwe estava um monarca que se chamava
Nkondi, este monarca ficou doente e moribundo, e estando no seu leito tomou
conhecimento que os 3 filhos estavam a lutar pelo trono, chamou os 3 filhos
1. Tchinguri
2. Tchinhama
3. Lueji
Entregou o poder a filha, recebeu do pai a pulseira que na tradição lunda da o poder, e
chama-se lukano, feita com tendões de animais ferozes.

A princesa casou-se com o caçador Luba, e entregou a lukano ao caçador, os irmão


indignados abandonaron o reino
-Tchinguri pegou uma parte da população e foi para Bangalas, em Malanje
-Tchinhama dirigiu-se para o Moxico (Rainha Nha Ka Tolo)

2ª versão: Diz que foi fundado por um dignitário chamado Yala Mako, ditigiu um grupo
migratório muito grande de povos Bungos, nas margens do rio kadejige

Capital: Mussumba do Mutayawo

Limites fronteiriços:
Segundo João Baptista Manaças
Norte: Rio Lualaba
Sul: Cassai
Leste: Zambeze
Oeste: Kuango

O Rei tinha uma coadjutora, chamava-se Lukecheka (Mãe de todos)

Estrutura administrativa tinha como base o Sobado (Conjunto de sobas), era dirigido
por um soba
Mais acima estavam os chamados Muenes inferiores (dirigiam os distritos)
Muenes superiores (Dirigiam as províncias)
Rei Muatayawo

Base económica:
Agricultura
Borracha
Madeira preciosa
Artesanato
Metais
Caça
Exportavam o excedente chegava até as 2 Rodesias e até o Sultanato de Sanzibar

Cultura:
O Mucanda (Espécie de educação espartana) = A Iniciação
O Folclore
Dança: Tchianda (dançarino Muquixi)
Bons na arte da tatuagem, sobre tudo as mulheres para tornarem-se mais sensuais
Aguçam os dentes pelo facto de serem carnívoros
Podemos visualizar esta cultura no Museu regional do Dundo. Em 1912 qnd se
descobriram os primeiros kimberlitos na Lunda... passou a ter como base económica,
os diamantes.

Mbujimay é a capital de uma província da RDC chamada Kanangá (cidade do diamante)

REINO DO BAILUNDO
Fundado Seculo XVII – pelo Katiavala Buila, vindo da Quibala
O Bailundo chamava-se Teixeira da Silva
Diferentes Estados (Reinos) do Planalto, a par do Bailundo:
- Cilulu
- Vie
- Ndulu
- Kaconda
- Galangue
- Tchiaka
- Wambo
- Chipindo
- Kalukembe
- Cimbolo
- Mbalundo (Bailundo)

Organizados:
Olossoma
Muene inferiores (dirigiam Distritos)
Muenes superiores (Dirigiam provincias)
Ossomayenené (Rei Maximo)

- Vivenda do rei
Ombala ou Embala (Complexo do rei)

O Reino esta implantado no meio de 3 grandes montañas


1) Halavala
2) Chilono
3) Lumbanganda

Os crânios (Ekokoto) de todos os reis estão depositados na montanha de Halavala

Atingiu o seu auge durante o reinado de Ekuikui II, foi o que vulgarizou a cultura do
milho, que os ovimbundos chamam “Epumbu”, como forma de dar robustez a sua
gente
Tmb criou uma coligação do E’ do planalto para fazer frente as investida dos
protugueses, capitaneado por Teixeira da Silva

Ekuikui segundo os que conviveram com ele era um homem de grande porte

No reino existia 2 tipos de propriedade económica e social:


1) Coletiva (Oluína): a terra , os pastos, o gado, as florestas e os rios eram tido
como propriedade de toda a gente;
2) Privada (Olusse): Apareciam dirigidas por um patriarca que tinham.

Foi Numa II que enfrentou os portgueses (Juntos com os Boers) e não aguentou a
investida
Os boers chegaram em Angola em 1908
Os primeiros colonatos foram criados na Umpata
Os brasileiras criaram o colonato de Porto Alexandre (actualmente Tombua)

O objetivo dos colonatos era a politica de povoamento branco, estes foram


autorizados a procriar com os nativos
Administração direta ou presencial (Portugal/França).

TEMA V - O SURGIMENTO DA REPUBLICA PORTUGUESA


5.3 – A chegada de Norton de Matos e a sua acção governativa
A republica portuguesa surge a 5 outubro de 1910, fruto de uma revolução liberal em
que participaram indivíduos burgueses e das forças armadas, entre eles um tal Teixeira
de Sousa (cujo nome foi dado ao município do Luau), Portugal foi uma monarquia que
dominó até a data em cima, reinada pela casa dos Bragança, primeiro rei Dom Afonso
Henriques, Portugal era o Porto de Cal (Porto Cale) é a origem do nome de Portugal,
maior centro espiritual do islão (Cordoba – Espanha), Africa (Marrakech) e Asia
(Indonesia)
Constituição Portuguesa – 21/08/1911
Supostamente devia abranger as províncias ultramarinas, mas não e assim frustra os
angolenses
Surge uma elite angolana chamados “Filhos do País ou da terra”, diz a historia q este
filhos do país eram autodidatas e tinham vastos conhecimentos do contexto que
acontecia no mundo
Qnd Norton de matos vem para angola (1912-1915), vem como governador geral de
angola.

TEMA VI - Conflitualidade entre a metrópole e a colonia


6.1 - O Surgimento do Estado novo corporativo e a nova legislação colonial
6.2 – A era dos Alto Comissários portugueses e a 2ª presença de Norton de Matos em
Angola