Você está na página 1de 11

Teste de Avaliação n.

º 3

Grupo I
Atividade enzimática
A lactase é uma enzima que está envolvida na digestão da lactose, um dissacarídeo (açúcar)
formado pela ligação da glicose com a galactose, que está presente no leite de vaca e no leite
materno.
A lactase é codificada por um gene localizado no cromossoma 2 humano, sendo expressa
apenas no epitélio intestinal. Nos indivíduos em que não ocorre a produção de lactase pelas
células intestinais, ou quando a sua produção é reduzida, a lactose não digerida é
metabolizada por bactérias presentes no intestino, causando diarreias e desconforto. Estes
indivíduos tornam-se intolerantes ao leite de vaca.
Uma parte significativa da população humana tem um grau ligeiro de intolerância à lactose.
Contudo, as populações do norte da Europa possuem uma mutação no gene da lactase que
aumenta a sua expressão no intestino. Os estudos indicam que esta mutação ocorreu entre
5000 e 10 000 anos atrás.
No mercado existem leites de vaca sem lactose, que são produzidos misturando o leite de vaca
com a enzima lactase e deixando-a atuar na degradação da lactose. Neste procedimento, a
lactase pode ser imobilizada em colunas, nas quais o leite de vaca é passado várias vezes. Em
alternativa ao consumo deste tipo de leite, os indivíduos intolerantes à lactose podem ingerir
diretamente a enzima lactase, sempre que se alimentem de produtos contendo aquele açúcar.
A lactase é obtida a partir de extratos de fungos, em especial do Kluyveromyces lactis e do
Aspergillus oryzae (fig. 1). Estas espécies de fungos contaminam o leite e usam a lactase para
hidrolisar a lactose. As empresas de biotecnologia cultivam estes fungos para extraírem as
enzimas que produzem.

A B

Fig. 1 – (A) Cultura de Aspergillus oryzae observada ao microscópio ótico (400X);


(B) Estrutura da lactase.

Um estudo efetuado por Alessandra Bosso e a sua equipa analisou a atividade da lactase
extraída de K. lactis e de A. oryzae em diferentes condições experimentais.

Protocolo
1. Para o estudo foram adquiridas amostras de lactase extraída dos fungos K. lactis e A.
oryzae.
2. As reações de hidrólise da lactose na presença de lactase foram realizadas à concentração
de 5% (peso/volume) desta enzima em copos com 100 mL de leite de vaca comercial.

Óscar Oliveira | Elsa Ribeiro | João Carlos Silva 1


© Edições ASA II, 2017
3. As condições testadas incluíram diferentes valores de pH (5, 6, 6,5 e 7) e de temperatura
(30, 35, 40 e 55 °C).
4. Para cada condição foram usados três tubos (réplicas), que foram incubados durante
20 minutos.
5. Para determinar a taxa de hidrólise da lactose em cada conjunto de condições
experimentais, foram transferidos 2 mL de solução de cada um dos copos para diferentes
tubos de ensaios.
6. Estas soluções foram fervidas durante 5 minutos e colocadas posteriormente em gelo
durante 3 minutos, para inativar a lactase.
7. A concentração de glicose e lactose foi depois determinada usando métodos próprios.

Resultados
Os resultados experimentais encontram-se expressos nos gráficos da figura 2.

Fig. 2 – Variação da taxa de hidrólise da lactose pela ação da lactase proveniente de duas
espécies diferentes de fungos, em distintas condições de pH e temperatura.

Bosso, A. et al. (2016). Lactose hydrolysis potential and thermal stability of commercial
β-galactosidase in UHT and skimmed milk. Food Sci. Technol., vol. 36, n.º 1 (texto adaptado)

1. Refira o objetivo do estudo experimental liderado pela investigadora Alessandra Bosso.

2. Relativamente à lactase, é possível afirmar que…


(A) … diminui a energia de ativação da reação de hidrólise da lactose.
(B) … não funciona como catalisador biológico.
(C) … a sua atividade não é afetada pela sua concentração.
(D) … aumenta a energia de ativação da reação de hidrólise da lactose.

Óscar Oliveira | Elsa Ribeiro | João Carlos Silva 2


© Edições ASA II, 2017
3. De acordo com o modelo chave-fechadura…
(A) … as enzimas não possuem centro ativo.
(B) … não se forma o complexo enzima-substrato.
(C) … a lactose encaixa no centro ativo da lactase.
(D) … a lactase encaixa no centro ativo da lactose.

4. A taxa de hidrólise da lactase extraída de K. lactis é superior na presença de K+ e Mn2+,


atuando estes compostos como ____, e o aumento da concentração de galactose no meio
induz a sua ligação ao centro ativo, reduzindo a afinidade para com a lactose, atuando
assim como inibidor ____.
(A) inibidores (…) competitivo (C) indutores (…) não competitivo
(B) inibidores (…) não competitivo (D) indutores (…) competitivo

5. Classifique como verdadeiras (V) ou falsas (F) cada uma das afirmações, tendo por base os
dados.
A. A fervura das soluções no passo 6 do protocolo pretendia destruir as enzimas.
B. As maiores taxas de hidrólise da lactose foram obtidas com a enzima extraída do fungo K.
lactis com pH 7,0 e a 40 °C e com a lactase obtida do fungo A. oryzae com pH 5,0 e a 55 °C.
C. Se uma empresa biotecnológica necessitar de usar a lactase à temperatura de 55 °C
deverá usar a enzima extraída do fungo K. lactis.
D. A lactase do fungo K. lactis é mais sensível a pH ácido.
E. Os dados experimentais demonstram a ação de inibidores que afetam a lactase.
F. A variável dependente dos dados presentes nos gráficos da figura 2 é a temperatura.
G. Os dados demonstram que a célula pode regular a atividade das suas enzimas a partir
da expressão dos respetivos genes.
H. O estudo experimental não permitiu obter conclusões que respondessem à hipótese
inicial.

6. A lactase pode ser imobilizada para ser usada pelas empresas de biotecnologia.
Relativamente à imobilização enzimática da lactase, é possível afirmar que…
(A) … a enzima não pode ser facilmente separada da mistura de reação.
(B) … não é possível reutilizar a lactase no final.
(C) … é mais difícil de controlar as condições experimentais em que ocorre a reação.
(D) … os substratos podem ser expostos a elevadas concentrações de enzima,
aumentando a taxa de reação.

7. Explique a importância do estudo de A. Bosso para a indústria biotecnológica alimentar.

8. O fungo K. lactis é uma levedura que tem sido utilizada nas últimas décadas na produção de
alimentos (p. ex., queijo) e na indústria biotecnológica, tendo sido o primeiro organismo
usado na produção de fatores de coagulação sanguínea. Na atualidade, estas leveduras são
também usadas em algumas vacinas para aumentar a sua eficiência.
8.1. A lactase do fungo K. lactis é essencial para garantir a obtenção de energia e matéria a
partir da lactose. As expressões seguintes referem-se a etapas da fermentação lática
do fungo K. lactis. Coloque-as pela ordem correta de acontecimento. Inicie pela letra A.
A. Ligação da enzima à lactose.
B. Formação do ácido lático.
C. Libertação da glicose e da galactose.
D. O meio torna-se mais ácido.
E. A glicose é convertida em piruvato.

8.2. O fungo K. lactis pode contaminar o leite. Explique, com base nos processos enzimáticos,
a importância de manter refrigerada uma embalagem de leite após abertura.

Óscar Oliveira | Elsa Ribeiro | João Carlos Silva 3


© Edições ASA II, 2017
Grupo II
Organismos geneticamente modificados
As primeiras espécies vegetais transgénicas incluíam organismos resistentes a insetos ou a
herbicidas, tendo permitido aumentar a produção agrícola e reduzir a utilização de pesticidas.
Contudo, o cultivo destes organismos geneticamente modificados (OGM) podia colocar os
agricultores dependentes das grandes companhias de biotecnologia, pois estas detinham as
patentes comerciais das plantas e dos pesticidas usados nas culturas.
Contudo, existe uma nova geração de plantas transgénicas, produzidas a partir de alterações
do próprio genoma, que não estão dependentes da transferência de genes de outros
organismos. Por exemplo, têm sido produzidas em laboratório variedades de maçãs que
oxidam mais lentamente quando cortadas e expostas ao ar. Para tal, os cientistas transferiram
genes de variedades de maçãs que expressam enzimas que produzem menores quantidades
de polifenol oxidase, uma enzima envolvida na oxidação das superfícies frescas de maçãs
quando cortadas.
Estes novos OGM têm sido criados com ferramentas moleculares desenvolvidas recentemente
e que permitem editar o genoma dos organismos, usando enzimas que cortam o DNA em
pontos específicos e que introduzem mutações, sequências génicas completas ou removem
genes. Um dos exemplos mais importantes foi a remoção de um gene da planta do arroz que
confere suscetibilidade a uma bactéria patogénica. Sem o gene, a variedade de arroz é
resistente à infeção.

https://www.scientificamerican.com/article/transgenics-a-new-breed-of-crops/
(consultado em 15.03.2017, texto adaptado)

1. Mencione a vantagem das novas ferramentas moleculares mencionadas no texto na


produção de organismos geneticamente modificados.

2. Das seguintes afirmações, selecione as que correspondem a vantagens do uso de OGM.


A. Permitem aumentar a produção agrícola sem aumentar a área ocupada pelas culturas.
B. Os agricultores necessitam de adquirir de forma regular as sementes dos OGM às
empresas detentoras das patentes.
C. Pode ocorrer transferência dos genes mutados para outras espécies no meio
ambiente.
D. Alguns dos efeitos dos OGM nos seres humanos e no meio ambiente ainda não são
bem conhecidos.
E. O milho Bt possui um gene que é tóxico para os insetos que comem o milho,
permitindo aos agricultores cultivar o milho com a aplicação de menos pesticidas.
F. O arroz dourado possui um maior teor de compostos que são depois convertidos em
vitamina A no corpo humano.
G. As plantas transgénicas podem espalhar-se no meio ambiente e competir com as
plantas nativas.
H. Algumas plantas transgénicas conseguem crescer em solos muito pobres, combatendo
a sua erosão.

3. A cultura de células e tecidos vegetais in vitro permite regenerar e/ou propagar as plantas,
formando ____, e pode recorrer ao tecido caloso, que corresponde a um conjunto de
células ____.
(A) clones (…) diferenciadas
(B) novas espécies (…) indiferenciadas
(C) novas espécies (…) diferenciadas
(D) clones (…) indiferenciadas

Óscar Oliveira | Elsa Ribeiro | João Carlos Silva 4


© Edições ASA II, 2017
4. Na micropropagação…
(A) … as plantas crescem num meio com fatores abióticos controlados, contendo
nutrientes e hormonas, em condições de assepsia.
(B) … não é possível obter plantas de arroz transgénico a partir das células transformadas.
(C) … usam-se explantes, que correspondem a fragmentos de tecido formados apenas por
células indiferenciadas.
(D) …não é possível obter milhares de plantas a partir de um explante.

5. Os explantes usados na micropropagação deverão…


(A) … possuir apenas tecidos fotossintéticos.
(B) … ser transferidos de imediato para o solo.
(C) … possuir meristemas, para garantir a existência de células totipotentes.
(D) … não devem ser esterilizados antes de serem colocados no meio de cultura.

6. Explique a importância de transferir o tecido caloso para meios com diferentes


concentrações e combinações de hormonas, de forma a estimular a organogénese.

7. As afirmações seguintes são respeitantes à obtenção de um OGM vegetal usando


protoplastos. Coloque-as pela ordem temporal de ocorrência. Inicie pela letra A.
A. Obtenção de um fragmento da planta que se pretende manipular geneticamente.
B. Transformação do protoplasto com a sequência de DNA pretendido inserida num
vetor.
C. Digestão da parede celular, formando um protoplasto.
D. Estimulação da diferenciação celular e organogénese.
E. Formação de plântulas, que depois de crescerem na estufa podem ser transplantadas
para os terrenos agrícolas.
F. Seleção dos protoplastos transformados.

8. Uma equipa de investigadores da Universidade de Brisbane, na Austrália, está a produzir


bananeiras geneticamente modificadas que produzem bananas enriquecidas em
ß-caroteno e em ferro, resistentes à doença do Panamá, causada por um fungo patogénico.
Em muitos países das regiões tropicais, a banana é um alimento essencial na dieta das
populações.
Explique, com base no exemplo, a importância do desenvolvimento biotecnológico na
atualidade.

9. Selecione a opção que avalia corretamente as afirmações seguintes respeitantes ao


controlo de pragas.

Afirmações
I. Só é possível controlar as pragas de forma natural.
II. As pragas afetam negativamente a produtividade agrícola.
III. O controlo natural das pragas implica o conhecimento do seu ciclo de vida.

(A) II é verdadeira, I e III são falsas.


(B) II é falsa, I e III são verdadeiras.
(C) I é falsa, II e III são verdadeiras.
(D) III é falsa, I e II são verdadeiras.

Óscar Oliveira | Elsa Ribeiro | João Carlos Silva 5


© Edições ASA II, 2017
Grupo III
Poluição

A existência de elevados teores de urânio em rochas do centro de Portugal permitiu a sua


exploração mineira. Contudo, foram depositados em escombreiras resíduos contendo ainda
urânio, que tem sido transportado para os rios. Diversos estudos têm sido efetuados para
descobrir plantas capazes de prosperar nas águas contaminadas e acumularem o urânio nos
seus tecidos, permitindo a filtração da água dos rios e lagos. Estas plantas podem ser depois
removidas e enviadas para aterro de resíduos sólidos.
Uma investigação efetuada por João Pratas e a sua equipa estudou a acumulação de urânio em
diferentes plantas nativas em rios da zona Centro de Portugal Continental.

Tabela I – Acumulação de urânio em plantas (mg/kg) e na água dos rios (μL).


concentração na planta
A bioacumulação do urânio foi determinada a partir da razão
concentração na água do rio
n – número de amostras analisadas.

Média Mínimo Máximo


[Callitriche stagnalis] (n = 32) 121,26 0,53 1948,41
Água do rio 50,47 0,5 1220,4
Bioacumulação 3,78 x 103 65,5 31,3 x 103

[Fontinalis antipyretica] (n = 24) 33,89 2,42 234,79


Água do rio 58,51 0,4 1220,4
Bioacumulação 9,89 x 103 28,5 59,4 x 103

[Lemma minor] (n = 10) 3,84 0,02 8,54


Água do rio 5,18 1,2 18,6
Bioacumulação 7,97 x 102 7,2 1,4 x 103

[Apium nodiflorum] (n = 29) 4,38 0,20 31,61


Água do rio 9,6 0,47 179
Bioacumulação 1,8 x 103 35,1 21,9 x 103

[Oenanthe crocata] (n = 20) 2,24 0,03 35,15


Água do rio 2,71 0,40 12,38
Bioacumulação 8,55 x 102 7,24 11 x 103

Pratas, J., et al. (2012). Uranium accumulation by aquatic plants from


uranium-contaminated water in Central Portugal. International Journal
of Phytoremediation, 14:221–234 (texto adaptado)

1. É importante o uso de plantas nativas no estudo apresentado, uma vez que…


(A) … estas plantas apresentam maior retenção de urânio.
(B) … se evita o risco de usar plantas exóticas que se podiam espalhar pelo ambiente em
redor.
(C) … apresentam as maiores taxas de crescimento.
(D) … podem ser usadas como fonte de alimento de animais domésticos após a
acumulação de urânio.

Óscar Oliveira | Elsa Ribeiro | João Carlos Silva 6


© Edições ASA II, 2017
2. Com base nos dados da experiência, estabeleça a correspondência entre as afirmações e a
chave.
Afirmações
A. A Callitriche stagnalis não acumula quantidades significativas de urânio nos seus
tecidos.
B. A Lemma minor tem elevado potencial para ser usada na filtração das águas dos rios.
C. Concentrações elevadas de urânio nos tecidos vegetais podem tornar-se tóxicas.
D. Nem todas as plantas do estudo podem ser usadas na filtração do urânio.
E. No estudo descrito a variável independente corresponde ao teor de urânio acumulado.
F. A experiência descrita não inclui um controlo experimental.
G. Os investigadores manipularam a variável experimental (independente) ao longo da
investigação.
H. Os dados apresentados não permitiram obter conclusões válidas.

Chave
I. Afirmação apoiada pelos dados.
II. Afirmação contrariada pelos dados.
III. Afirmação sem relação com os dados.

3. As plantas com maior potencial para o uso na filtração do urânio deverão apresentar
elevada acumulação deste elemento nos seus tecidos, bem como…
(A) … reduzidas taxas de crescimento.
(B) … elevadas taxas de crescimento.
(C) … elevada sensibilidade aos efeitos tóxicos da acumulação de urânio.
(D) … reduzida sensibilidade aos efeitos tóxicos da acumulação de urânio.

4. Se as plantas usadas no estudo servirem de alimento para outros seres vivos, seria
expectável...
(A) … a ocorrência de bioampliação.
(B) … que a bioacumulação se reduza.
(C) … que os teores de urânio nos seres consumidores sejam inferiores aos das plantas
ingeridas.
(D) … que o teor de urânio dos consumidores seja semelhante ao das plantas.

5. Explique, com base nos dados, em que medida a construção de pântanos contendo as
plantas estudadas poderia ser uma estratégia para a filtração do urânio contaminante das
águas dos rios na região Centro.

6. O urânio extraído em Portugal foi exportado para outros países produtores de energia
nuclear. Quando comparada com a queima de carvão, a produção de energia de origem
nuclear…
(A) … não contribui para a formação de chuvas ácidas.
(B) … contribui para o agravamento do efeito de estufa natural.
(C) … tem menor potencial na produção de energia.
(D) … não tem desvantagens.

Óscar Oliveira | Elsa Ribeiro | João Carlos Silva 7


© Edições ASA II, 2017
7. O ozono tem sido usado de forma experimental numa mina no Brasil para oxidar os
compostos de urânio presentes na água, formando partículas sólidas em suspensão que
podem ser facilmente removidas por filtração mecânica.
Contudo, a injeção de ozono na água é efetuada em câmaras fechadas, dado que…
(A) … o ozono pode escapar-se para a atmosfera e acumular-se na camada de ozono.
(B) … a produção de ozono implica o consumo de oxigénio.
(C) … à superfície o ozono é tóxico para os seres vivos devido ao elevado poder de
oxidação.
(D) … todo o processo deve ser efetuado na ausência de raios UV, que degradam o ozono.

8. Alguns dos cursos de água da região Centro sofrem de eutrofização, em especial no verão,
quando o teor de nutrientes inorgânicos na água é ____ e o teor de oxigénio na água do
fundo do rio é ____.
(A) elevado (…) reduzido
(B) elevado (…) alto
(C) baixo (…) reduzido
(D) baixo (…) alto

9. Classifique como verdadeiras (V) ou falsas (F) as afirmações relativas ao tratamento de


resíduos.
A. Só os resíduos sólidos podem ser tratados.
B. A incineração permite reduzir de forma significativa o volume de resíduos e produzir
energia.
C. Os aterros sanitários devem possuir camadas impermeáveis na sua base, de forma a
facilitar a infiltração da água nos aquíferos.
D. Só a reciclagem permite reduzir o volume de resíduos enviados para tratamento.
E. A compostagem permite tratar os resíduos inorgânicos.
F. A redução e a reutilização são formas de diminuir os custos com o tratamento dos
resíduos.
G. Os aterros sanitários podem ser construídos em qualquer região, independentemente
das suas características geológicas.
H. As ETAR permitem reduzir a poluição causada pelos resíduos líquidos.

FIM

Óscar Oliveira | Elsa Ribeiro | João Carlos Silva 8


© Edições ASA II, 2017
Teste de Avaliação de Biologia (Teste Global 3.o Período)
12.º Ano de Escolaridade

COTAÇÕES

GRUPO I
1. ........................................................................................................................................ 10 pontos
2. ........................................................................................................................................ 5 pontos
3. ........................................................................................................................................ 5 pontos
4. ........................................................................................................................................ 5 pontos
5. ........................................................................................................................................ 10 pontos
6. ........................................................................................................................................ 5 pontos
7. ........................................................................................................................................ 10 pontos
8.1. ..................................................................................................................................... 10 pontos
8.2. ..................................................................................................................................... 15 pontos
75 pontos

GRUPO II
1. ........................................................................................................................................ 10 pontos
2. ........................................................................................................................................ 5 pontos
3. ........................................................................................................................................ 5 pontos
4. ........................................................................................................................................ 5 pontos
5. ........................................................................................................................................ 5 pontos
6. ........................................................................................................................................ 10 pontos
7. ........................................................................................................................................ 10 pontos
8 …................................................................................................................................... 10 pontos
9. … ..................................................................................................................................... 5 pontos
65 pontos

GRUPO III
1. ........................................................................................................................................ 10 pontos
2. ........................................................................................................................................ 5 pontos
3. ........................................................................................................................................ 5 pontos
4. ........................................................................................................................................ 5 pontos
5. ........................................................................................................................................ 10 pontos
6. ........................................................................................................................................ 5 pontos
7. ........................................................................................................................................ 5 pontos
8. ........................................................................................................................................ 5 pontos
9. ........................................................................................................................................ 10 pontos
60 pontos

TOTAL .............................. 200 pontos

Óscar Oliveira | Elsa Ribeiro | João Carlos Silva 9


© Edições ASA II, 2017
Proposta de resolução

GRUPO I

1. Avaliar a capacidade de hidrólise da lactose pela enzima lactase proveniente de duas


espécies de fungos, em diferentes condições de temperatura e de pH.
2. Opção (A)
3. Opção (C)
4. Opção (D)
5. A – V; B – V; C – F; D – V; E – F; F – F; G – F; H – F
6. Opção (D)
7. O estudo levado a cabo por A. Bosso permitiu perceber quais as condições mais eficazes de
temperatura e de pH em que atua a lactase e portanto tornar mais eficiente a produção
industrial de leite sem lactose, possuindo muitas aplicações em biotecnologia.
8.
8.1. A – C – E – B – D
8.2. As baixas temperaturas inibem a ação das enzimas presentes no fungo K. lactis,
impedindo o seu crescimento. Assim, a refrigeração permite manter as características do
leite e aumentar a segurança alimentar no seu consumo.

GRUPO II

1. As novas ferramentas moleculares permitem a criação de novas variedades organismos


geneticamente modificadas sem introduzir genes de outras espécies, modificando apenas o
genoma da própria espécie.
2. A, E, F e H
3. Opção (D)
4. Opção (A)
5. Opção (C)
6. As hormonas vegetais têm diferentes funções e a sua ação sobre os tecidos depende da sua
concentração no meio. Assim, para estimular a diferenciação das células do tecido caloso
em diferentes órgãos especializados, recorre-se a combinações de hormonas de forma a
estimular a formação de raízes, em primeiro lugar, e posteriormente dos órgãos aéreos,
como por exemplo os caules e as folhas.
7. A – C – B – F – D – E
8. O exemplo mostra como o desenvolvimento biotecnológico pode trazer vantagens ao nível
da qualidade de vida das populações, ao proporcionar bananeiras geneticamente
modificadas que produzem bananas enriquecidas em ß-caroteno e ferro e resistentes a um
fungo muito patogénico. Desta forma, as plantações de bananeira produzem maiores
quantidades de banana e com menor consumo de fungicidas (pesticidas) para combater a
doença. As populações dependentes da produção de banana e que a usam na sua
alimentação são beneficiadas em termos económicos e nutricionais, uma vez que a banana
é um alimento essencial na dieta destas populações.
9. Opção (C)

GRUPO III

1. Opção (B)
2. A – II; B – I; C – III; D – I; E – I; F – I; G – II; H – II
3. Opção (D)
4. Opção (A)

Óscar Oliveira | Elsa Ribeiro | João Carlos Silva 10


© Edições ASA II, 2017
5. A partir dos dados é possível perceber que determinadas espécies de plantas nativas
podem remover urânio presente na água dos rios. A construção de pântanos associados aos
rios contaminados, contendo plantas dessas espécies, seria uma estratégia de
fitorremediação com benefícios para os ecossistemas fluviais, uma vez que o urânio é uma
substância tóxica e que se acumula nos seres vivos.
6. Opção (A)
7. Opção (C)
8. Opção (A)
9. A – F; B – V; C – F; D – F; E – F; F – V; G – F; H – V

Óscar Oliveira | Elsa Ribeiro | João Carlos Silva 11


© Edições ASA II, 2017