Você está na página 1de 5

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS

DFQ-Departamento de Física e Química

Engenharia Eletrônica e de Telecomunicações

Experimento: Movimento unidimensional

Adair Fernando De Souza Calva

Professor: Omar

Belo Horizonte, 30 de agosto de 2018


Objetivos:

Aprender a construir e interpretar gráficos dos movimentos uniformes e variados


unidimensionais.

Introdução:

O movimento unidimensional é o mais simples já que todas as grandezas vetoriais


que descrevem o movimento são paralelas. Como o movimento ocorre apenas em
uma dimensão, é necessário apenas uma coordenada para especificar a posição de
um corpo em cada instante de tempo.

Avaliamos um corpo que no instante t 1 encontra-se na posição X 1. Após um lapso de


tempo ∆ t=t 2−t 1, o corpo estará na posição X 2 no instante de tempo t 2.

Definimos o deslocamento como sendo ∆ x=x 2−x 1e a velocidade média do corpo


neste lapso de tempo sendo:

X 2−X 1 ∆ x
Vmed = =
t 2−t 1 ∆t

O sentido do deslocamento do corpo é dado pelo sinal do próprio deslocamento ou da


velocidade média os quais são proporcionais. Geometricamente, a velocidade média
entre os pontos X 1 e X 2 corresponde a inclinação da reta que passa por estes
pontos.

Quando menor for o lapso de tempo considerado, isto é, quanto mais próximos
estiverem os pontos X 1 e X 2, mais precisamente a velocidade média representará a
velocidade real do corpo naquele lapso de tempo. Logo a velocidade instantânea
(real) é definida como:

∆ x dx
V = lim =
∆x →0 ∆ t dt

Em um gráfico de x (t ) a velocidade instantânea v, em qualquer momento, é a


inclinação da curva secante que representa a posição em função do tempo no instante
considerado.

Quando a velocidade do objeto varia, diz-se que aquele objeto sofreu uma aceleração.
Para movimentos unidimensionais aceleração media em um intervalo de tempo ∆ t é
definida como:
v 2−v 1 ∆ v
amed= =
t 2−t 1 ∆ t

Onde a partícula tem velocidade v1no instante t1, e velocidade v2. A aceleração
instantânea (ou simplesmente aceleração) é dada por:

∆ v dv
a= lim =
∆t→0 ∆ t dt

Graficamente a aceleração instantânea em qualquer instante é a inclinação da curva


tangente em um gráfico v (t).
Materiais utilizados:

 Plano inclinado com sensores

 Cronômetro
Método 1:

Montar o equipamento com uma inclinação de 15º. Com a ajuda do imã posicionamos
a esfera, que está no interior do tubo com meio viscoso, a 20 mm antes da marca 0
mm da escala. Liberamos a esfera e medimos o intervalo de tempo transcorrido desde
a passagem da esfera pela posição Xo= 0m até a posição Xo= 0,100m. Repita o
procedimento para as posições especificadas na tabela 1. Com os dados da tabela 1 e
com auxílio do programa Scidavis, construa o gráfico de x (t).

Método 2:

Montar o equipamento com inclinação de 2º. Libere a esfera do repouso, na calha


lateral do plano inclinado, em Xo= 0mm e medimos o intervalo de tempo transcorrido
até a esfera chegar à posição x= 0,050m. Repita o procedimento para as posições
especificadas na tabela 3. Com os dados da tabela 3 construa o gráfico de x(t).

Resultados e análises:

Tabela 1: posição x da esfera em função do tempo t quando ângulo de


inclinação do tubo é 15º

( x ± 0,001 ) m 0 0,100 0,200 0,300 0,400


(t ± 3 % ) s 0 1,53 3,30 5,89 7,79

Gráfico 1: Posição em função do tempo x (t)


 Este gráfico é linear? Qual o significado físico da inclinação da reta
(coeficiente angular)?

O gráfico não é linear, o coeficiente angular da reta é igual:


0,0497466761536289 +/- 0,00258756475827632

 Determine, através do gráfico de x (t), o modulo da velocidade da esfera.

0,400
V= =0,051m/s
7,79

 No movimento retilíneo uniforme a velocidade é constante e a função


posição em função do tempo é x (t) = Xo+vt. Então, escreva esta função
para o movimento da esfera e determine a posição que a esfera deveria
ocupar após 10 s de movimento

0,200−0,100 m
V= =0,056
3,30−1,53 s

X ( t )=X 0+ vt=0+ 0,056 x 10=0,56 m/ s

Tabela 3: posição x da esfera em função do tempo t quando ângulo de


inclinação do tubo é 2º

( x ± 0,001 ) m 0 0,050 0,100 0,150 0,200 0,250 0,350 0,350 0,400


(t ± 3 % ) s 0 0,89 1,25 1,51 1,78 1,84 2,08 2,24 2,36

Gráfico 1: Posição em função do tempo x (t)


 Qual é o significado físico da inclinação da reta tangente a um ponto da
curva x (t)?

A= Velocidade B= Posição Inicial

 O que acontece com a inclinação da reta tangente a cada ponto da curva


x (t)? Que o tempo passa?
Inclinação da reta tangente aumenta

 Aceleração do movimento é zero ou diferente de zero?


A aceleração do movimento é diferente de zero porque a aceleração não é constante

Conclusão:

Com que estes 2 experimentos podemos observar que a velocidade muda segundo o
ângulo de inclinação, também podemos observar que a cada tempo a variação de
distância muda. Também a gente observou no segundo experimento a inclinação da
reta tangente aumenta, também a aceleração do movimento é diferente de zero
porque a aceleração não é constante.

Bibliografia:

 http://www.fotonica.ifsc.usp.br/ebook/book3/Capitulo2.pdf

 HEWITT, Paul G. Física Conceitual. 11º edição Porto Alegre: Bookman, 2011