Você está na página 1de 2

FORMAS DE CONTEXTUALIZAR O TEMA

Como adiantado anteriormente, a contextualização do tema é uma etapa


de importância na construção do parágrafo introdutório da redação. Antes de
propor uma tese, devemos apresentar o tema utilizando de conhecimentos
acerca das circunstâncias (históricas, culturais, econômicas) que o
determinam, as quais definem a estrutura social e política que gera, mantém ou
representa o problema. Logo, apresentar o tema não se resume a dizê-lo, isto
é, citar as palavras-chave que o especificam; mas uma boa apresentação do
tema deve ser produtiva, demonstrando conhecimento sobre ele. Uma boa
contextualização atrai o olhar do leitor e alavanca a nota da Competência 2 no
que diz respeito ao uso de repertório sociocultural.

1) ALUSÃO HISTÓRICA
O tema pode ser apresentado a partir de sua trajetória histórica ou do
resgate de um evento passado o qual está relacionado a ele. Espera-se de
quem usa esse tipo de contextualização uma reflexão que ateste a
permanência do problema na atualidade ou uma evolução ao longo do
tempo.

No Brasil, o início do processo de educação de surdos remonta ao


Segundo Reinado. No entanto, esse ato não se configurou como inclusivo,
já que se caracterizou pelo estabelecimento de um “apartheid” educacional,
ou seja, uma escola exclusiva para tal público, segregando-o dos que
seriam considerados “normais” pela população. Assim, notam-se desafios
ligados à formação educacional das pessoas com dificuldade auditiva, seja
por estereotipação da sociedade civil, seja por passividade governamental.
Portanto, haja vista que a educação é fundamental para o desenvolvimento
econômico do referido público e, logo, da nação, ela deve ser efetivada aos
surdos pelos agentes adequados, a partir da resolução dos entraves
vinculados a ela.
(Marcos Vinícius de Oliveira, 2017)

A primeira exibição pública do cinema ocorreu no ano de 1895 na


França e, aos poucos, difundiu-se para todas as nações, sendo ainda uma
grande fonte de entretenimento, inclusive no Brasil. Além disso, é notória
sua função social ao proporcionar aos espectadores tanto uma atividade de
lazer quanto uma propagação de informações e de conhecimentos, como
os documentários e os filmes contendo alusões históricas. Nesse viés, a
Constituição brasileira de 1988 determina o direito ao entretenimento a
todos os cidadãos, assegurando o princípio da isonomia. Entretanto, o
acesso aos cinemas no país vem deixando, grandemente, de ser
democrático, sobretudo devido à segregação espacial e aos elevados
custos, ferindo o decreto, o que demanda ação pontual.
(Luísa Mello, 2019)
2) CONCEITUAÇÃO
Inicia-se o texto a partir da apresentação de um conceito central para a
discussão do tema. Esse conceito deve se relacionar ao tema e ser definido
no primeiro período da introdução.

O feminismo é o movimento que luta pela igualdade social, política e


econômica dos gêneros. Hodiernamente, muitas conquistas em prol da
garantia dessas igualdades já foram alcançadas – a exemplo do direito ao
voto para as mulheres, adquirido no Governo Vargas. Entretanto, essas
conquistas não foram suficientes para eliminar o preconceito e a violência
existentes na sociedade brasileira.
(Julia Cunha, 2015)

GRAVIDEZ NA ADOLESCENCIA **

3) EXEMPLIFICAÇÃO
Cabe a um exemplo real ou fictício representar o tema ou algum de seus
aspectos.

XXXXX
Desde o Iluminismo, já sabemos – ou deveríamos saber – que uma
sociedade só progride quando um se mobiliza com o problema do outro. No
entanto, quando se observa a persistência da violência contra a mulher no
Brasil em pleno século XXI, percebe-se que esse ideal iluminista é
verificado na teoria e não desejavelmente na prática. Muitos importantes
passos já foram dados na tentativa de se reverter esse quadro. Entretanto,
para que seja conquistada uma convivência realmente democrática, hão de
ser analisadas as verdadeiras causas desse mal.

Você também pode gostar