Você está na página 1de 2

A ação de Deus

Adilson Marques
professor e pesquisador de fenômenos mediúnicos e temas espiritualistas em geral

Uma das questões que mais intrigam os de Deus em todas as coisas. Se este caminho
pensadores ocidentais que se debruçam no estudo está bloqueado, agimos como o homem que andava
do budismo é a ausência de referência a Deus. Alguns tranqüilamente por uma linha do trem até o momento
estudiosos mais afoitos ou no afã de criticar o budismo em que seu pé fica preso. Após várias tentativas para
e fazer proselitismo de sua opção religiosa, classificam se soltar, e vendo que um trem se aproximava, lembra-
o budismo como uma filosofia atéia ou não teísta. se de Deus e roga auxilio. Ainda no meio de sua
Porém, o Lama Anagarika Govinda, um dos principais súplica, ele consegue fazer um pequeno movimento
responsáveis por difundir o Dharma (a doutrina de com a perna e o pé se solta do trilho. O homem,
Buda) no Ocidente, apresenta porém, enfeza-se e diz: “agora
uma significativa reflexão sobre não precisa mais, já me libertei
essa questão ao afirmar que Nossa tendência é achar sozinho”.
“aquele que vivenciou Deus não que se Deus existisse, sua Nossa tendência é
pode mais falar sobre isso, pois a
ação teria sempre achar que se Deus existisse, sua
vivência excede todas as palavras.
aspectos miraculosos. ação teria sempre aspectos
Enquanto uma palavra ainda
Seria feito entre luzes e miraculosos. Seria feito entre
puder significar uma imagem
luzes e sons espetaculares,
distinta, estaremos tirando algo sons espetaculares, alterando o rumo natural das
daquilo que ultrapassa todos os alterando o rumo natural coisas. Mas não é assim. Sua
significados e que por isso pode das coisas. ação é tão sutil e realizada sem
estar contido no silêncio. O
interrupção que temos a ilusão
silêncio de Buda foi mais
de viver em um mundo material
eloqüente que todas as palavras. Foi o silêncio nascido
que só existe em nosso cérebro, criado a partir dos
do respeito pelo último e indescritível mistério, um
complexos mecanismos de percepção, sensação e
mistério que está aberto a todos, mas que cada um
racionalização que o ser humano possui. Sem a ação
deve, porém, atravessar e conhecer por si próprio”.
ininterrupta de Deus, os bilhões de átomos e
Essencialmente, encontramos a mesma idéia moléculas que formam qualquer objeto material se
no Livro dos Espíritos, na resposta a questão 14, dispersariam rapidamente, desmaterializando aquele
formulada por Kardec: “Deus existe, não o podeis objeto que acreditamos ver, sentir, carregar etc.
duvidar, é o essencial. Crede-me, não vades além.
Deus não pára de criar um só segundo, mas o nosso
Não vos percais num labirinto de onde não podereis
ego carregado de orgulho sempre acredita que somos
sair. Isso não vos tornaria melhores, mas talvez um
nós os responsáveis pelos atos exteriores de nossa
pouco mais orgulhosos, porque acreditaríeis saber o
vida. Somos nós, pela percepção aguçada, os
que na realidade nada saberíeis”.
responsáveis para que um acidente deixe de
Em outras palavras, não se chega a Deus pela acontecer; somos nós que escrevemos livros e
razão. Kant tentou fazer isso no século XVIII e o que fazemos palestras devido a nossa grande capacidade
conseguiu fazer foi apenas um gigantesco livro cuja intelectual; somos nós que fazemos sexo e geramos
conclusão é que isso é humanamente impossível. Pode filhos etc. Não percebemos que na essência de
ser que um dia, quando estivermos libertos do ego qualquer ato da vida material está a mão de Deus,
humanizado da Terra, e encarnando em outros orbes seja para o “bem”, seja para o “mal”. Coloco entre
mais espiritualizados, teremos essa oportunidade. aspas essas palavras, porque é o nosso ego, incapaz
Atualmente, o único caminho que possuímos é o do de compreender a justiça divina em ação que cria
coração. É com ele que podemos sentir a presença
essas noções, classificando os fatos da vida exterior Enquanto sentirmos pena da “vítima” e criticarmos o
de forma dicotômica. “algoz”, não emanaremos amor para nenhum dos dois
Então não sou responsável pelos meus atos? espíritos humanizados presentes naquela ação
Interiormente, sim. Ou seja, é responsável pelo carmática. Não diz o Pai Nosso: “Perdoai nossas
sentimento com que o ato será vivenciado. Nunca ofensas, assim como perdoamos todos que nos têm
conseguiremos ficar parados, pois uma pulsão interior ofendido”. Enquanto estivermos vendo erro na ação
acionada por Deus vai nos levar a fazer exatamente o do outro, não estamos perdoando. E, enquanto não
que precisamos fazer, na hora que tiver que acontecer aprendermos a perdoar, novos atos serão necessários
e da forma que tiver que ser. Daí o ensinamento de para colocarmos em prática essa lição, pois na essência
Jesus para perdoarmos nossos “inimigos” e amar de qualquer ato material está a mão de Deus criando
incondicionalmente o próximo. Mesmo nossas provas, em função do gênero de provas que
inconscientemente, o nosso “algoz” está sendo um escolhemos antes de mais uma encarnação.
instrumento para nossa evolução espiritual, uma vez
Assim, quando sentimos a ação de Deus,
que ele foi o instrumento escolhido por Deus para
compreendendo que Ele é a causa primária de todas
criar nossa prova e podermos responder com
as coisas, cessam os motivos para lamentações, para
benevolência, indulgência e perdão.
críticas e para preocupações. Podemos, então, viver
Todo ato material é expiação. E expiar não é em paz, seja no momento em que somos assaltados
sofrimento como nossa mentalidade judaico-católico- na rua ou no momento em que fazemos amor com
espírita gosta de pensar. Expiar é passar pelas uma pessoa querida. O mesmo acontece com a hora
vicissitudes da vida geradas em função do gênero de da morte da mãe ou com o nascimento de um novo
provas escolhido antes da encarnação. E como filho.
vicissitude é a alternância necessária de momentos
Assim, evoluímos espiritualmente quando a obra for
agradáveis e desagradáveis, do ponto de vista do ego
a benevolência, a indulgência e o perdão. E, para isso,
humanizado, não acreditamos que estamos expiando
não podemos tomar partido, ser a favor ou contra o
também quando ganhamos na loteria ou conseguimos
que quer que seja que o nosso ego classifica como
um ótimo emprego. Achamos que estamos expiando
“bom” ou como “mau” no mundo ilusório da matéria.
somente quando vamos parar no hospital ou quando
Evoluímos quando assumimos nossa total
nossa casa é assaltada. Em ambos os casos têm uma
incapacidade de julgar o “certo” e o “errado” na ação
prova sendo escrita: vou me orgulhar, acreditando que
do outro. Evoluímos quando entregamos nossa vida
por meus próprios méritos consegui o que desejava
a Deus e vivemos felizes incondicionalmente, pois
ou foi Deus que me forneceu esses instrumentos
nosso livre-arbítrio se resume naquilo que é o essencial
carmáticos? No segundo caso, vou culpar alguém pelo
da vida: os sentimentos. Nos livramos dos “carmas”
acidente que me fez parar no hospital ou vou enxergar
quando vivemos a felicidade incondicional,
aquele irmão como um instrumento que Deus colocou
independente do que o outro fizer para nós. E
em meu caminho para eu colocar em pratica o amor
adquirimos “carma” quando amamos o próprio ego,
incondicional?
sentido prazer quando a situação nos é favorável e
E você me pergunta: “Se tudo isso for verdade, sofrendo quando não é, deixando, assim, de emanar
se não tenho domínio sobre meus atos, como posso amor àquele que meu ego diz que me feriu ou me
evoluir espiritualmente? Não é através das obras que ofendeu.
evoluímos?” É sim, mas o problema é que acreditamos Portanto, somente quando deixamos de
que evoluímos espiritualmente quando freqüentamos querer entender Deus e sua forma de agir, passando
centros espíritas ou igrejas católicas, quando damos a viver amorosamente com sua obra é que
pão para um pedinte que toca a campainha de casa, começamos a fazer aquilo que, de fato, precisamos
na maioria das vezes com a cara amarrada porque fazer na Terra: amar incondicionalmente. A
estávamos ocupados com outra atividade. São essas preocupação com as ações exteriores cabe apenas
obras exteriores que ajudam em nossa evolução? É àquele que as cria: Deus.
claro que não. Para evoluir espiritualmente é
São Carlos 22/05/2006.
necessário amar incondicionalmente. A obra é o amor.