Você está na página 1de 4

Análise de circuitos

Técnica
É possível fazer a análise de circuitos em corrente contínua - CC (direct
current-DC , em inglês) ou em corrente alternada - CA ( alternative current -AC,
em inglês), em regime estacionário (após decorrido um longo intervalo de
tempo desde a ligação do circuito) ou em regime transiente (comportamento
que se segue à ligação do circuito e que desaparece com o tempo). Em
qualquer dos casos, os conceitos deNó, Ramo e Malha, são aplicáveis. Para a
análise doe circuitos em AC, no regime estacionário, é costume introduzir o
conceito de fasores, o que evita termos que resolver sistemas de equações
diferenciais mesmo para circuitos simples. Na análise de circuitos são usadas
asLeis de Kirchoff para a Eletricidade. Elas são as chamadas Lei dos Nós e Lei
das Malhas.

Conceitos básicos
● Nó - Num circuito um nó é qualquer ponto do circuito em que três ou mais
terminais se liguem. Podem ser terminais de elementos de circuito como
resistores, capacitores e etc. ou mesmo fios de ligação. A restrição
imposta é que sejam três ou mais.
● Ramo - O único caminho entre dois nós consecutivos é chamado um
ramo. Ao longo de um ramo a corrente não muda.
● Malha - Uma malha é qualquer caminho fechado seguido sobre ramos de
um circuito.
É necessário escolher um sentido para a corrente em cada ramo e um
sentido de percurso ao longo da malha. É bastante interessante que todas as
malhas sejam percorridas no mesmo sentido( horário ou anti- horário). A
escolha dos sentidos, da corrente nos ramos e de percurso ao longo das
malhas, é arbitrária, mas uma vez escolhidos devem ser mantidos durante
todo o processo de cálculo das correntes.

LEI DE OHM : V / R = I ; V / I = R ; R . I = V

Leis de Kirchhoff
● Lei dos Nós: A soma das correntes que chegam a qualquer nó é igual à
soma das correntes que saem do mesmo nó. Os sentidos que determinam
a chegada e saída ao nó são aqueles escolhidos por quem está fazendo a
análise, como dito acima.

● Lei das Malhas: A soma das diferenças de potencial (ddp) sobre os


elementos ao longo de uma malha é nula.
É importante notar que, ao contrário do que algumas vezes se encontra, a
Lei das malhas não é a a tradução para circuitos de Princípio de
Conservação de Energia pelo simples fato de, havendo mais de uma
malha, há troca de energia em cada nó, já que temos ddp e corrente. A
equação das malhas pode ser escrita como equação,na forma:

Uma vez que a soma se anula, algumas ddp serão positivas enquanto
outras serão negativas, o que mostra a necessidade de uma convenção de
sinais para as ddp. Por outro lado é claro que a forma da ddp depende do
elemento sobre a qual seja tomado, a seguir vamos nos ocupar desses
aspectos.

Expressões para diferença de potencial (ddp) em


elementos de circuito
● Resistores :

Para resistores e, usando a convenção usual de corrente de portadores


positivos (corrente convencional) temos:
● Fontes de força eletromotriz (FEM)

As fontes de força eletromotriz são dispositivos capazes de trocar energia


com os portadores de cargas que as atravessam. Uma fonte de FEM pode
fornecer energia aos portadores e aí a chamamos gerador ou receber
energia dos portadores, caso em que as chamamosreceptores . Usando a
mesma convenção para a corrente temos:
● Capacitores

Nos capacitores a ddp aparece por causa da carga elétrica armazenada no


elemento. Partindo da definição de capacitância temos:
● Indutores
Indutores são elementos complexos de circuito. Eles podem ser classificados
em:
○ Auto-Indutores- Quando apenas o fluxo magnético produzido pelo
próprio indutor o atravessa.
○ Transformador ou Indutor Mútuo

Quando o fluxo magnético gerado em outros indutores também influencia o


indutor em questão.