Você está na página 1de 1

Sentido da corrente

No início da história da eletricidade definiu-se o sentido da corrente elétrica


como sendo o sentido do fluxo de cargas positivas, ou seja, as cargas que se
movimentam do pólo positivo para o pólo negativo. Naquele tempo nada se
conhecia sobre a estrutura dos átomos. Não se imaginava que em condutores
sólidos as cargas positivas estão fortemente ligadas aos núcleos dos átomos e,
portanto, não pode haver fluxo macroscópico de cargas positivas em condutores
sólidos. No entanto, quando a física subatômica estabeleceu esse fato, o
conceito anterior já estava arraigado e era amplamente utilizado em cálculos e
representações para análise de circuitos.
Esse sentido continua a ser utilizado até os dias de hoje e é chamado sentido
convencional da corrente. Em qualquer tipo de condutor, este é o sentido
contrário ao fluxo líquido das cargas negativas ou o sentido do campo elétrico
estabelecido no condutor. Na prática qualquer corrente elétrica pode ser
representada por um fluxo de portadores positivos sem que disso decorram
erros de cálculo ou quaisquer problemas práticos.
O sentido real da corrente elétrica depende da natureza do condutor. Nos
sólidos as cargas cujo fluxo constituem a corrente real são oselétrons livres, nos
líquidos os portadores de corrente são íons positivos e íons negativos, enquanto
que nos gases são íons positivos, íons negativos e elétrons livres. O sentido real
é o sentido do movimento de deriva das cargas elétricas livres (portadores).
Esse movimento se dá no sentido contrário ao campo elétrico se os portadores
forem negativos, caso dos condutores metálicos e no mesmo sentido do campo
se os portadores forem positivos. Mas existem casos onde verificamos cargas se
movimentando nos dois sentidos. Isso acontece quando o condutor apresenta os
dois tipos de cargas livres, condutores iônicos por exemplo.
É interessante notar que, nesses casos onde portadores de carga dos dois tipos
estão presentes, ambos contribuem para variações de carga com mesmo sinal
em qualquer volume limitado do condutor, porque cargas positivas entrando no
volume escolhido, ou cargas negativas saindo do volume escolhido, significam
um aumento da quantidade de cargas positivas. Essa é a razão para ser
necessário introduzir uma convenção de sentido para a corrente.