Você está na página 1de 9

DISCIPLINA: CONTABILIDADE NO AGRONEGÓCIO

ACQA – AVALIAÇÃO CONTINUADA QUESTÃO ABERTA


PROFESSOR RESPONSÁVEL: SÉRGIO QUERINO ANTUNES

ATIVIDADE ECONÔMICA ESCOLHIDA:


PRODUÇÃO DE CAFÉ

1 - Justificativa sobre a sua escolha em relação a atividade econômica.

A escolha pela atividade econômica, produção de café, se deu devido a grande


importância do café para Minas Gerais nos campos histórico e cultural, além disso a
produção de café vem se destacando principalmente no campo econômico, visto que
Minas Gerais é o maior produtor de café do Brasil, contribuindo também
consideravelmente para o desenvolvimento e geração de emprego no estado de Minas.

2 - Como funciona o agronegócio em sua região?

O agronegócio em Minas Gerais tem uma forte participação no desenvolvimento e


geração de renda no estado, ele é avaliado de forma discriminada em quatro
segmentos: fornecedor de bens e insumos para a agropecuária, produção
agropecuária, processamento e industrialização de bens agrícolas e a distribuição de
bens agrícolas.

Minas Gerais se insere no cenário nacional como importante produtor de café, leite,
batata, alho, feijão, sorgo, cana-de-açúcar, laranja, limão, mel, milho e soja, bem como
detém o segundo maior rebanho de gado bovino, o maior rebanho de equídeos e
posição relevante na avicultura e suinocultura, além de possuir a maior área de
florestas plantadas do país.

Quanto ao atendimento do mercado externo, o estado é o principal exportador de café


do país e possui destacada participação nas vendas externas de produtos do complexo
sucroalcooleiro, complexo soja, de carnes e produtos florestais.

3 - Qual a atividade econômica predominante em sua região dentro da cadeia


produtiva do agronegócio?

As principais cadeias produtivas de Minas Gerais são a produção de café, grãos, leite e
carnes. Outras cadeias produtivas de importância econômica para o estado são, na
agricultura, as que têm base na produção de cana-de-açúcar, batata-inglesa, carvão
vegetal, mandioca, tomate, laranja, banana e algodão seguidas daquelas embasadas
na produção de ovos, na pecuária.
Mas dentre todas as citadas acima a produção de café se destaca, Minas Gerais é o
maior produtor de café do Brasil, produzindo mais de 50% da safra nacional.
Analisado dentro do Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio mineiro de base
agrícola, o café é o principal produto, gerando empregos e distribuindo renda nas
regiões produtoras e nas regiões onde se desenvolvem as etapas seguintes nos vários
segmentos da cadeia.

4 - Qual a participação percentual da atividade econômica que predomina em sua


região e faça a projeção, seguindo como exemplo a figura 37 – projeção de grãos
(ITEM ESCOLHIDO) – MATOPIBA (SUA REGIÃO, ESTADO OU CIDADE), incluso no
Relatório (ATUALIZADO) de Projeções do Agronegócio – Brasil 2015/16 – 2025/26
– pág. 87 do Ministério da Agricultura, Pecuária e abastecimento – MAPA.

Como já dito anteriormente, Minas Gerais é o maior produtor de café do Brasil,


produzindo mais de 50% da safra nacional.
A participação percentual do café no PIB Agronegócio Minas Gerais no ano de 2017 foi
de 6,3%, segundo pesquisa feita pelo Centro de Estudos Avançados em Economia
Aplicada - CEPEA/USP/IBGE.
Em 2017, as exportações de “Café e Derivados” de Minas Gerais representaram 65,5%
das vendas brasileiras.

O gráfico a seguir foi elaborado conforme dados fornecidos pelo relatório de Projeções
do Agronegócio – Minas Gerais – 2017/2027 – pág. 41, disponível no site:
<http://www.agricultura.mg.gov.br/images/Arq_Relatorios/Publicacoes/projecoes_2017_
a_2027.pdf>
Agora, a seguir modelos de Plano de Contas, Demonstrativo do Resultado do
Exercício e Balanço Patrimonial a serem usados na contabilização da Produção
de Café.

PLANO DE CONTAS

11. ATIVO CIRCULANTE


111. Disponibilidades
111.1. Caixa
111.2. Bancos c/ Movimento
111.3 Aplicações Financeiras
112. Clientes
112.1. Duplicatas a Receber
112.2. (-) Duplicatas Descontadas
112.3. (-) Créditos de Liquidação Duvidosa
113. Créditos Diversos
113.1. Títulos a Receber
113.2. Empréstimos a Receber
113.3. Cheques a Receber
113.4. Lucros e Dividendos a Receber
113.5. Adiantamentos
114. Impostos e Contribuições a Recuperar
115. Aplicações Financeiras
116. Cultura
116.1. Cultura em formação
116.1.1. Café
117. Estoques
117.1. Estoques de produtos agrícolas
117.1.1. Café
117.2. Estoques de sementes
117.3. Almoxarifado
117.4. Estoques de insumos
117.4.1. Insumos para a agricultura
117.5. (-) Provisão p/ Ajuste ao Valor de Mercado
118. Despesas a Apropriar
118.1. Prêmios de Seguros
118.2. Encargos Financeiros
118.3. Assinaturas de Publicações
118.4. Aluguéis e Arrendamentos.

ATIVO NÃO CIRCULANTE

12. ATIVO REALIZÁVEL A LONGO PRAZO


121. Títulos a Receber.
122. Aplicações Financeiras.
123. Empréstimos Compulsórios
124. Despesas a Apropriar
125. Depósitos por Incentivos Fiscais

13. ATIVO PERMANENTE - INVESTIMENTOS


131. Participações Societárias
132. Participações Societárias em Outras Empresas
133. Participações por Incentivos Fiscais
133.1. Reflorestamento
133.5. (-) Provisão p/ Perdas.

14. ATIVO IMOBILIZADO


141. Imóveis
141.1. Terrenos
141.1.1. Terrenos da fazenda
142. Edificações da produção agrícola
142.1. Silos
142.2. Depósitos
143. Construções residenciais
143.1 Residência sede
143.2. Residência de funcionários
144. Outras edificações
145. Veículos máquinas e equipamentos
145.1. Caminhões
145.2. Tratores
145.3. Máquinas de beneficiamento
145.4. Implementos agrícolas
146. Móveis e utensílios
147. Culturas permanentes
147.1. Cafeeiro
148. Depreciação e exaustão
148.1. Depreciação acumulada
148.2. Exaustão acumulada.

21. PASSIVO CIRCULANTE


211. Empréstimos e Financiamentos
212. Fornecedores
213. Impostos e Contribuições a Recolher
214. Contas a Pagar
215. Obrigações c/ Terceiros
216. Dividendos e Lucros a Pagar
217. Provisões p/ Tributos e Contribuições
217.1. Provisão p/ Imposto de Renda
217.2. Provisão p/ Contribuição Social s/ Lucro Líquido
218. Outras Provisões
218.1. Provisão p/ Férias
218.2. Provisão p/ 13º Salário.

PASSIVO NÃO CIRCULANTE

22. PASSIVO EXIGÍVEL A LONGO PRAZO


221. Empréstimos e Financiamentos .
222. Obrigações com Terceiros

23. RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS


231. Receitas de Exercícios Futuros
232. (-) Custos de Exercícios Futuros

24. PATRIMÔNIO LÍQUIDO


241. Capital Social
241.1. Capital Social Subscrito
241.2. (-) Capital Social a Integralizar
241.3. (-) Ações em Tesouraria e/ou Quotas Liberadas.
242. Reservas de Capital
242.1. Ágio na Emissão de Ações
242.2. Incentivos Fiscais.
243. Reservas de Reavaliação - Ativos Próprios
243.1. Reavaliação de Imóveis
243.2. Reavaliação de Edifícios
243.3. Reavaliação de Máquinas e Equipamentos.
244. Reserva de Lucros
245. Lucros ou Prejuízos Acumulados
245.1. Lucros Acumulados
245.2. (-) Prejuízos Acumulados
245.3. Ajustes Credores de Exercícios Anteriores
245.4. Ajustes Devedores de Exercícios Anteriores.

31. RECEITAS
311. Receita de Vendas
311.1. Produtos agrícolas
311.1.1. Café
321. Deduções da Receita Bruta
321.1. Vendas Canceladas
321.2. Devolução de Produtos
321.3. Devolução de Mercadorias.
323. Impostos e Contribuições s/ Vendas
331. Receitas Financeiras
332. Variações Cambiais Ativas
332.1. Empréstimos.
333. Outras Receitas Financeiras
333.1. Juros de Aplicações Financeiras
341. Receitas c/ Investimentos
341.1. Receita de Equivalência Patrimonial
341.1.1. Empresas Controladas
341.1.2. Empresas Coligadas.
342. Receita de Dividendos e Lucros
342.1. Dividendos e Lucros de Empresas Controladas
342.2. Dividendos e Lucros de Empresas Coligadas
342.3. Dividendos e Lucros de Outras Empresas.
351. Receitas Operacionais Diversas
351.1. Superveniências ativas
351.2. Aluguéis e Arrendamentos
361. Reversão de Provisões
371. Receitas não Operacionais
371.1. Ganhos de Capital c/ Investimentos
371.2. Ganhos de Capital c/ Imobilizado.
381. Contas de Apuração
381.1. Exercício agrícola
381.4. Lucro do Exercício.

41. CUSTOS
411. Custos de culturas agrícolas
411.1. Custo da cultura de café
411.1.1. Sementes
411.1.2. Adubos e defensivos
411.1.3. Mão-de-obra de plantio e capina
411.1.4. Transporte plantio e colheita
411.1.5. Mão-de-obra de colheita
411.1.6. Irrigação.
412. Variações por perdas
412.1. Variações nas culturas
412.1.1. Perdas na cultura de café

413. Outros custos

42. DESPESAS
421. Despesas de Pessoal
422. Despesas c/ Entrega
423. Outras Despesas
424. Despesas Tributárias
425. Materiais e Suprimentos
426. Despesas Financeiras
427. Despesas de Equivalência Patrimonial
428. Provisões p/ Perdas e Ajustes de Ativos
429. Despesas Não Operacionais
429.1. Perdas de Capital c/ Investimentos
429.2. Perdas de Capital c/ Imobilizado.
430. Contas de Apuração
430.1. Exercício agrícola
430.4. Prejuízo do Exercício.

DEMONSTRATIVO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO

Receita Bruta de Venda


(-)Imposto sobre vendas
(-) ICMS, Pis e Cofins
(=)Receita Operacional Liquida
(-)Custo de Produtos Vendidos
(-)Compra de Mercadoria
(-)Despesa com Amortização
(-)Adubo
(-)Secagem do Café
(-)Beneficiamento do Café Produzido
(-)Beneficiamento do Café Comprado
(-)Mão de Obra
(=)Resultado Bruto
(-)Despesas Operacionais
(-)Despesa com Manutenção
(-)Despesa com Depreciação
(-)Despesas com Pessoal
(-)Despesas Administrativas
(-)Despesa Tributária
(-)Despesas Financeiras
(=)Resultado do Exercício antes do IR
(-) Provisão para o Imposto de Renda
(-)Provisão para Contribuição Social

(=) Resultado Líquido ou Prejuízo do Exercício


BALANÇO PATRIMONIAL

Ativo Passivo
Ativo Circulante Passivo Circulante
Disponível
Banco Conta Movimento Fornecedores
Caixa Empréstimo
Clientes Impostos e Contribuições a Recolher
Duplicatas a Receber Contas a pagar
Estoque
Insumos para a agricultura
Cultura
Cultura em Formação
Café

Ativo Não Circulante Passivo Não Circulante


Imobilizado Exigível a Longo Prazo
Cultura Permanente Empréstimos e Financiamentos
Cafeeiro
Imóveis
Terreno Património Líquido
Veículos máquinas e equipamentos Capital Social
Máquinas de beneficiamento Reservas de Capital
Implementos agrícolas Lucros Acumulados
Caminhões
Tratores
(-)Depreciação Acumulada

Total Total

Conclusão:

Toda essa pesquisa feita em relação a produção de café na região de Minas Gerais e
também em relação ao agronegócio como um todo, enriqueceu bastante meus
conhecimentos, quanto à importância do agronegócio para o desenvolvimento
econômica da região de Minas Gerais e também para o Brasil, com a geração de
emprego e distribuição de renda.
Foi importante também perceber como a contabilidade pode se adaptar aos vários
ramos de negócios, incluindo neste rol o agronegócio, viabilizando e auxiliando os
produtores na tomada de decisões mais acertada ao bom andamento do
empreendimento, através da apresentação de demonstrativos claros da atual situação e
controle da parte burocrática.
REFERÊNCIAS:

Cadeias Produtivas da Agropecuária. Disponível em:


<https://politicaspublicas.almg.gov.br/temas/cadeias_produtivas_agropecuaria/entenda/i
nformacoes_gerais.html?tagNivel1=192&tagAtual=10076>. Acesso em: 02 abr. 2019.

Conhecendo a cafeicultura de Minas Gerais. Disponível em:


<http://www.emater.mg.gov.br/portal.do?flagweb=site_tpl_paginas_internas&id=22530#.
XKSNof1KjIU>. Acesso em: 02 abr. 2019.

Conhecendo a cafeicultura de Minas Gerais. Disponível em:


< https://www.portaldoagronegocio.com.br/noticia/conhecendo-a-cafeicultura-de-minas-
gerais-171859>. Acesso em: 02 abr. 2019.

Contabilidade Fácil. Disponível em:


<http://contabilidadefacil.no.comunidades.net/index.php?pagina=1024642787>. Acesso
em: 02 abr. 2019.

Panorama do Comércio Exterior do Agronegócio de Minas Gerais 2018. Disponível


em:<http://www.agricultura.mg.gov.br/images/Arq_Relatorios/Publicacoes/panorama_20
18.pdf>. Acesso em: 02 abr. 2019.

Perfil do Agronegócio Mineiro – Agrícola. Disponível em:


<http://www.reformaagraria.mg.gov.br/images/documentos/perfil_mg_agricola_mar_201
9[1].pdf>. Acesso em: 02 abr. 2019.

Projeções do Agronegócio – Minas Gerais – 2017 a 2027. Disponível em:


<http://www.agricultura.mg.gov.br/images/Arq_Relatorios/Publicacoes/projecoes_2017_
a_2027.pdf>. Acesso em: 02 abr. 2019.

Você também pode gostar