Você está na página 1de 8

RAZÕES TRIGONOMÉTRICAS NO TRIÂNGULO RETÂNGULO

ÍNDICE

Introdução............................................................................................................................. 01
Conceito................................................................................................................................ 02
Razões Trigonométricas no Triângulo Retângulo.................................................................... 02
Resumindo............................................................................................................................ 03
Razões Trigonométricas Especiais.......................................................................................... 03
Exemplos............................................................................................................................... 05
Atividades Práticas................................................................................................................ 07
Referência Bibliográfica......................................................................................................... 08

INTRODUÇÃO:
Você já se perguntou como os astrônomos calcularam a medida do raio da Terra, ou à distância da
Terra à Lua, ou à distância da Terra ao Sol?
Aliás, foram os astrônomos que estabeleceram os fundamentos da Trigonometria, pois se sabe que
o famoso astrônomo grego Hiparco (190 a.C. – 125 a.C.), considerado o pai da Astronomia, empregava em
seus cálculos as relações entre os lados e os ângulos de um triângulo retângulo.
Por curiosidade, temos também a História do papiro Rhind, escrito no Egito em 1650 a.C.
(aproximadamente), um dos mais antigos registros conhecidos sobre trigonometria, no qual traz 85
problemas matemáticos e apresenta no problema 56 a construção de pirâmides, e diz que era essencial
manter uma inclinação constante nas faces, e pode ter sido essa a preocupação que levou os construtores
a usar razões entre as medidas dos lados e triângulos retângulos que chamamos atualmente de razões
trigonométricas.
No século VIII, importantes trabalhos hindus foram traduzidos para o árabe, contribuindo para
descobertas dos matemáticos árabes sobre a Trigonometria.
No século XV, foi construída a primeira tábua trigonométrica por um matemático alemão chamado
Purback, porém o primeiro trabalho sistemático sobre Trigonometria foi o Tratado dos Triângulos, escrito
pelo discípulo de Purback, o alemão Johann Muller, conhecido como Regiomontanus.
Atualmente, a Trigonometria não se limita apenas a estudar os triângulos. Sua aplicação se estende
a outros campos da Matemática, como a Análise, e a outros campos da ciência como a Eletricidade, a
Mecânica, a Acústica, a Música, a Topografia, a Engenharia Civil etc.

Prof.Ms.Carlos Henrique – Email: carloshjc@yahoo.com.br 1


CONCEITO:
A palavra trigonometria é formada por três radicais gregos: tri (três), gonos (ângulos) e metron
(medir). Daí vem seu significado mais amplo: medida dos triângulos.
Dizemos então que a Trigonometria é a parte da Matemática cujo objetivo é o cálculo das medidas
dos elementos do triângulo (lados e ângulos).
C

Hipotenusa
OBS: Um triângulo retângulo possui um ângulo interno que vale Cateto

90º e é composto por três lados, o lado maior e oposto ao ângulo


● 90º
de 90º é chamado de Hipotenusa e os outros dois lados são A B
Cateto
chamados de Catetos.

RAZÕES TRIGONOMÉTRICAS NO TRIÂNGULO RETÂNGULO:


Observando o triângulo retângulo ABC (Â = 90º), temos:
BC = hipotenusa  BC = a

C AC = cateto  AC = b
AB = cateto  AB = c

C ∧ ∧
B + C = 90 º (complementar)
a ∧
AC = cateto oposto ao ângulo B
b

AB = cateto adjacente ao ângulo B
∧ ∧

B AC = cateto adjacente ao ângulo C



B A ∧
c
AB = cateto oposto ao ângulo C

Considerando as informações acima, obtemos:


AC∧ cateto oposto a B ∧ b
sen B = = ⇒ sen B =
BC hipotenusa a

AB∧ cateto adjacente a B ∧ c
cos B = = ⇒ cos B =
BC hipotenusa a

∧AC cateto oposto a B ∧ b
tg B = = ∧
⇒ tg B =
AB cateto adjacente a B c

Prof.Ms.Carlos Henrique – Email: carloshjc@yahoo.com.br 2


Complementando, temos:

AB ∧ cateto oposto a C ∧ c
sen C = = ⇒ sen C =
BC hipotenusa a

AC ∧ cateto adjacente aC ∧ b
cos C = = ⇒ cos C =
BC hipotenusa a

AB
∧ cateto oposto a C ∧ c
tg C = = ∧
⇒ tg C =
AC cateto adjacente a C b

RESUMINDO:

RAZÕES TRIGONOMÉTRICAS ESPECIAIS:


Dado o triângulo eqüilátero abaixo:

A
• A medida de cada ângulo interno de um
l. 3 triângulo eqüilátero é 60º.
h= 30º
2 l
l

60º • A medida da altura de um triangulo eqüilátero


H ●
B C
l l. 3
l em função do lado l é h = .
2
2

Prof.Ms.Carlos Henrique – Email: carloshjc@yahoo.com.br 3


∧ ∧
No triângulo retângulo AH C , com H = 90 º , temos:

l l. 3
1 3
sen 30 º = 2 ⇒ sen 30 º = sen 60 º = 2 ⇒ sen 60 º =
l 2 l 2

l 3 l
3 1
cos 30 º = 2 ⇒ cos 30 º = cos 60 º = 2 ⇒ cos 60 º =
l 2 l 2
1 3
3
tg 30 º = 2 ⇒ tg 30 º = tg 60 º = 2 ⇒ tg 60 º = 3
3 3 1
2 2

Dado o triângulo retângulo isósceles abaixo:

C
• Os catetos têm a mesma medida l.
45º

l
l. 2 • Cada ângulo mede 45º.

● 45º
A B
l • A hipotenusa mede l . 2 .

l 1 2 2
sen 45 º = ⇒ sen 45 º = . ⇒ sen 45 º =
l. 2 2 2 2

l 1 2 2
cos 45 º = ⇒ cos 45 º = . ⇒ cos 45 º =
l. 2 2 2 2

l
tg 45 º = ⇒ tg 45 º = 1
l
ou

2
2 ⇒ tg 45 º = 2 2
tg 45 º = . ⇒ tg 45 º = 1
2 2 2
2

Prof.Ms.Carlos Henrique – Email: carloshjc@yahoo.com.br 4


Pelos cálculos anteriores, temos a formação da seguinte TABELA de valores:

ÂNGULOS

0⁰ 30⁰ 45⁰ 60⁰ 90⁰


RAZÃO
1 2 3
SENO 0 1
2 2 2

3 2 1
COSSENO 1 0
2 2 2

3
TANGENTE 0 1 3 NÃO EXISTE
3

EXEMPLOS:
01) Calcule o valor de x na figura abaixo. (observe na tabela sen 30º)

02) Determine o valor de y na figura abaixo. (observe na tabela cos 60º)

Prof.Ms.Carlos Henrique – Email: carloshjc@yahoo.com.br 5


03) Observando a figura seguinte, determine:

a)

x 3 x 300 . 3
tg 30 º = ⇒ = ⇒ 3 x = 300 . 3 ⇒ x = ⇒ x = 100 . 3 m
300 3 300 3

x 3 100 . 3 100 . 3
b) tg 60 º = ⇒ = ⇒ 3 . y = 100 . 3 ⇒ y = ⇒ y = 100 m
y 1 y 3

c) AD = 300 − 100 ⇒ AD = 200 m

Prof.Ms.Carlos Henrique – Email: carloshjc@yahoo.com.br 6


ATIVIDADES PRÁTICAS:
01)

02)

03)

04)

Prof.Ms.Carlos Henrique – Email: carloshjc@yahoo.com.br 7


05)

06)

07)

08)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
Boyer, C.B., História da Matemática – Edgard Blucher, São Paulo, 1974.
Giovanni, J.R., Matemática Fundamental, Volume Único – FTD, São Paulo, 1994.
Iezzi, G.et al. Fundamentos da Matemática Elementar. – Globo, Porto Alegre, 1977.
Revista do Professor de Matemática, SBM, São Paulo, Publicação Quadrimestral.
http://orbita.starmedia.com/~achouhp/matematica/trigonometria.htm
http://www.brasilescola.com/matematica/trigonometria-no-triangulo-retangulo.htm
http://tioheraclito.blogspot.com/2007/03/listas-de-trigonometria-no-tringulo.html

Prof.Ms.Carlos Henrique – Email: carloshjc@yahoo.com.br 8