Você está na página 1de 20

Coleção Gestão e Documentação

de Acervos
São Paulo, 23 de agosto de 2014
Agenda

Como a iniciativa surgiu?


Fala institucional
Breve cronologia das normas
 CIDOC
 SPECTRUM
 A natureza das normas
COMO A INICIATIVA SURGIU?
FALA INSTITUCIONAL
SPECTRUM PT - Juliana Rodrigues Alves (Secretaria da
equipe Cultura de Estado de São Paulo/Brazil )
e-mail: julira@yahoo.com
Alexandre Matos (Sistemas do Futuro
Ltda/Portugal) – Portuguese partner Luciane Santesso (Museu da Imigração de
e-mail: alexandre@sistemasfuturo.pt São Paulo/Brazil)
e-mail: luciane@museudaimigracao.org.br
Fernanda D´Agostino (Pinacoteca do
Estado de São Paulo / Brazil) Marcia Aparecida de Mattos (Secretaria
e-mail: fdagostino@pinacoteca.org.br da Cultura de Estado de São Paulo/Brazil)
e-mail: marciamattos66@uol.com.br
Gabriel Moore Forell Bevilacqua
(Pinacoteca do Estado de São Paulo / Mariana Esteves Martins (Museu da
Brazil) Imigração de São Paulo/Brazil)
e-mail: gabrielmoore@gmail.com mariana@museudaimigracao.org.br

Juliana Monteiro (Secretaria da Cultura de Marilúcia Bottallo (Instituto de Arte


Estado de São Paulo/Brazil) Contemporânea de São Paulo/Brazil)
e-mail: jumonteiro@sp.gov.br e-mail: mabottallo@yahoo.com.br
BREVE CRONOLOGIA DAS NORMAS
Ponto de partida em comum…
• Influência da informática – novas oportunidades
e novos desafios para a documentação em
museus.

Fonte: Fonte:
https://www.census.gov/multimedia/www/photos/census_history/ http://museumvictoria.com.au/collections/itemimages/256/567/25
early_census_machines_2/machines_1960_08012.jpg 6567_large.jpg
CIDOC - ICOM
• Criado em 1950;

• Secretariado pela
documentalista do Centro de
Informação UNESCO ICOM,
Yvonne Oddon;

• Considerado por vários


autores como o responsável
pela introdução definitiva do
termo “documentação” na
área de museus (MARÍN
Yvonne Oddon (1902-1982) TORRES, 2002; STRÀNSKY,
1994);
Cidoc

• Década de 1960: tentativas de se criar um único sistema de


documentação de coleções (OLCINA, 1986);

• Década de 1970: Estudos para coleta e síntese de formatos


de descrição e de sistemas utilizados por museus ao redor
do mundo;

• 1978: apresentação de um conjunto mínimo de 16


categorias de informação sobre objetos na Conferência
Anual do CIDOC na Suécia.
Cidoc
• Décadas de 1980 e 1990: repercurssão das categorias levou
à criação do grupo de trabalho Documentation Standards

 Subdivisão posterior em dois grupos de trabalho: Data


Standard e Data Model

 Preocupação com as questões de terminologia (ROBERTS;


FINK, 1990);

• 1992: apresentação de novas propostas de categorias na


Conferência Trianual do ICOM, no Canadá;
Cidoc

• Envolvimento de um terceiro grupo de trabalho, o Data


and Terminology, que passou a lidar o trabalho de
delineamento das diretrizes a partir de 1992;

• Participação do Conselho Internacional de Museus


Africanos – AFRICOM – movimento de incentivo à
participação de membros de fora da Europa no CIDOC;

• 1995: lançamento das International Guidelines for


Museum Object Information: the CIDOC Information
Categories.
SPECTRUM – COLLECTIONS TRUST
Spectrum
Década de 1960: Associação Britânica de Museus
 Sistematização da discussão sobre acesso às informações documentais das
coleções

Década de 1970: Constituição do Information Retrieval Group of


the Museum Association (IRGMA)
 Publicação de modelos de fichas de registro

1977: Transformação do IRGMA em Museum Documentation


Association
 Ênfase nos processos de informatização das coleções do Reino Unido e na
disponibilização de serviços de processamento de dados
Spectrum
• Década de 1980-1990:
 Lançamento de várias publicações sobre procedimentos de
gestão de acervos (Information policies for museums)

 1991: Museum Data Standard + Facts and Artifacts: how to


document a museum collection

1994: SPECTRUM – Standard Procedures for Collections


Recording Used in Museums
Alex Grant – editora
Spectrum
1997: segunda versão

2005: terceira versão


 Versão 3.1 e versão 3.2 (2009)
 SPECTRUM Partners Scheme

2008: MDA se transforma em Collections Trust

2011: quarta versão


 Crescente internacionalização da norma
 Redefinição de procedimentos e de unidades de informação
 Reorganização gráfica
2011: 4ª versão
 21 procedimentos
 41 grupos de informação
 477 unidades de informação

Rede de apoio ao uso do


SPECTRUM
 Spectrum Partners
 Spectrum Advice
 Spectrum Community
 Spectrum Advice

2013: Brasil se torna parceiro


nacional do SPECTRUM
SPECTRUM – 4ª versão
Missão
 Política de gestão de acervo

• Desenvolvimento da coleção
– Procedimentos
» Grupos de informação
• Requisitos de informação

Informação sobre a coleção (documentação)


Conservação da coleção
Acesso à coleção
A natureza das normas
CIDOC e SPECTRUM

 Não são prescritivas, mas modelos de referência ou pontos


de partida;
 Não se esgotam em si mesmas;
 Devem ter seu uso contextualizado para a realidade de um
país, de uma região ou mesmo de uma instituição;
 Foram criadas a partir da experiência prática de muitos
profissionais;
 Possuem amplo uso internacional.
Referências
• COLLECTIONS TRUST. Glossary for SPECTRUM 4.0. Dawnson, Alex (Ed.). Reino Unido, 2011a. Disponível em:
<http://www.collectionstrust.org.uk/spectrum/glossary-for-spectrum-4-0>. Acesso em: 27 jun. 2014.

• COMITÊ INTERNACIONAL DE DOCUMENTAÇÃO - ICOM (CIDOC-ICOM). Declaração de Princípios de Documentação em


Museus e Diretrizes Internacionais de Informação sobre Objetos de Museus: Categorias de Informação do Comitê
Internacional de Documentação. Tradução de Marilúcia Bottallo. São Paulo: Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo;
Pinacoteca do Estado de São Paulo, 2014. 76 p.

• MARÍN TORRES, María Teresa. Historia de la documentación museológica: la gestión de la memoria artística. Espanha:
Editora Trea, 2002. 387 p.

• MATOS, Alexandre Manuel Ribeiro. SPECTRUM: uma norma de gestão de coleções para os museus portugueses. Porto,
2012. 366 p. Tese (Doutoramento em Museologia) - Faculdade de Letras, Universidade do Porto, 2012. Disponível em:
<http://repositorio-aberto.up.pt/handle/10216/67304>. Acesso em: 29 jul. 2014.

• MONTEIRO, Juliana. Documentação em museus e objeto-documento: sobre noções e práticas. São Paulo, 2014. 177 p.
Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Escola de Comunicações e Artes, USP, 2014.

• OLCINA, Paulette. The Development and Coordination of Museum Documentation by International Agencies. In: LIGHT,
Robert B.; ROBERTS, D. Andrew; STEWART, Jennifer D. Museum Documentation Systems: developments and applications.
London: Butterworths, 1986. p. 307-314.

• STRÀNSKY, Zbynek Z. Object-document, or do we know what we are actually collecting?. ICOFOM Study Series, n. 23, p.
47-51, 1994. Disponível em: Disponível em: http://network.icom.museum/icofom/publications/our-publications/. Acesso
em: 29 jul.2013.