Você está na página 1de 11

o Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento do Leste Fluminense, abrange 16 municípios,

localizados no entorno do Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro - ÁREA


COMPERJ (Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Rio Bonito, Maricá, Tanguá, Cachoeiras de Macacu,
Casimiro de Abreu, Silva Jardim, Araruama Saquarema e Cabo Frio, Guapimirim, Magé, Nova
Friburgo e Teresópolis) com o objetivo comum de planejar, adotar e implementar iniciativas,
programas e projetos destinados a promover e acelerar o desenvolvimento gerencial urbano,
econômico, social, ambiental, tecnológico e público dentro do território de cada membro do
consórcio.
Diretrizes do Plano de Desenvolvimeto Sustentável
(CONLESTE 2030 www.conleste2030.com.br )

• Ações de retorno de investimentos na região do COMPERJ.


• Gestão Pública.
• Desenvolvimento Econômico.
• Desenvolvimento Social.
16 • Consolidação do Consórcio junto aos Municípios
MUNICÍPIOS
ATENDIDOS Três milhões e duzentos mil
habitantes, representando
20% da população total do
Estado do Rio de Janeiro.

• A soma do Produto Interno


Bruto (PIB) dos 16 municípios
Teresópolis Nova Friburgo é de R$ 90,5 bilhões (aproxi-
madamente US$ 22 bilhões),
superior a onze dos 27 estados
do Brasil.

Trabalho e renda na região


Cachoeiras Casimiro de Abreu distribuído por 97% de micro
de Macacu e pequenas empresas
Guapimirim Silva Jardim
Magé Para mais informações acesse:
http://conleste.com.br/
Cabo Frio

Itaboraí Rio Bonito


Tanguá Araruama
São
Gonçalo

Saquarema
Niterói Maricá
VETORES de
DESENVOLVIMENTO
ECONÔMICO
> Indústria do setor de Petróleo, Gás & Energia
> Indústria Naval.
> Tecnologia
> Agricultura, Pesca e Floricultura
> Turismo
VALE DO SILÍCIO DA
REGIÃO SERRANA ZONA DE PROCESSAMENTO DE
EXPORTAÇÕES DO LESTE FLUMINENSE
(ZPE-LF)

PROJETOS

CIRCUITO DO GÁS do Leste Fluminense


O CIRCUITO DO GÁS é composto diretamente pelos municí-
pios de Itaboraí e Maricá, que estão conectados pelo projeto
Rota 3 da Petrobrás, um novo gasoduto de 355 km (307 mari-
timo e 48 km terrestre) com capacidade de escoamento de
até 18 milhões de m3/dia de produção de gás, pertencente à
camada do Pré-sal da Bacia de Santos, e também, por
Niterói, São Gonçalo e Magé, completando o potencial da
região com a indústria naval e o logística.
CIRCUITO DO GÁS Os Municípios de Maricá e Niterói são hoje os maiores rece-
bedores de Royalties do Estado.
Leste Fluminense A região abriga ativos locais como a UPGN COMPERJ - a
maior Unidade de Processamento de Gás Natural do Brasil,
com capacidade de processamento de 21 milhões dem3/dia,
com previsão para iniciar a operação comercial em 2021, o
Aeroporto de Maricá, nova base offshore para atendimento
aéreo as plataformas do Pré-Sal e o futuro Terminal Portuá-
rio de Ponta Negra. O objetivo do Projeto é gerar desenvolvi-
mento social e econômico com a implementação de um
novo Polo Energético na região, tendo o Gás, como propulsor
protagonista.
Na indústria, o gás natural é usado como combustível para
fornecimento de calor, geração de eletricidade e energia de
condução. Também é utilizada como matéria-prima nos
setores químico e petroquímico.
Nesse sentido, o Circuito de Gás apresenta condições geoe-
conômicas privilegiadas, como está localizado na Região Me-
tropolitana do Rio de Janeiro, com acesso direto à Bacia de
Santos através do gasoduto (Rota 3) ao COMPERJ, ao Polo de
Gás Químico Duque de Caxias e relativamente perto de cida-
des a influência da Bacia de Campos.
Um eixo de desenvolvimento integrado, com o gás natural
como principal insumo em um novo processo de industriali-
zação no estado do Rio de Janeiro, a região tem áreas dispo-
níveis para investimentos nacionais e internacionais e esta-
mos trabalhando para gerar maior segurança e previsibilida-
de para os investidores.
Ações

Conleste e Petrobras
Fórum de Administração Palco pela inovação preve revalidação do
Ita Gás & Oil em Niterói Maricá convênio

Conleste Intermedia Prefeitura de Itaborai e Governo Federal


Fórum de Transporte obras na RJ 114 retomarão obras do
Instituto Federal Fluminense
VALE DO SILÍCIO da Região Serrana:
O projeto visa integrar um novo ecossistema regional de
INOVAÇÃO, no conceito “Tripla Hélice” integrando institui-
Benefícios:
ções de ensino, iniciativa privada e instituições governamen- • Instalação e parcerias com entidades comprometidas com
tais na busca de novas alternativas tecnológicas de desen- a tecnologia, a inovação e o empreendedorismo em prol do
volvimento dos Municípios do Conleste. desenvolvimento regional;

Será baseado no conhecimento tecnológico para obtenção • Identificação de importantes desafios e oportunidades,
de resultados, o conceito é um ecossistema integrado de visando o fortalecimento da região como polo indutor de
INOVAÇÃO em ambiente colaborativo, embasado nos prin- inovação permanente no interior do Estado;
cípios da função social, sustentabilidade, acessibilidade,
conectividade, economicidade e empreendedorismo. • Impacto socio econômico, através da criação de ambientes
colaborativos, capazes de suportar em uma região, empre-
A Região é compostas pelos Municípios de Nova Friburgo, sas, investidores, startups e o Poder Público, potencializando
Teresópolis, Guapimirim e Cachoeiras de Macacú. Importan- a Economia do Conhecimento;
te pontuar a participação do Município de Petrópolis, não
consorciado, porém integrante estratégico do MOVIMENTO • Estímulo para o desenvolvimento do ecossistema tecnoló-
SERRATEC. Local onde surgiu pela primeira vez a nomencla- gico regional, baseado na integração, atração de empresas e
tura ‘VALE DO SILÍCIO DA REGIÃO SERRANA”, devido as qualificação de mão de obra, geradores de emprego e
grandes similaridades com o projeto genuíno, localizado em renda para população local.
terras Norte Americanas.
Fórum Técnico Guapimirim Apresentação Agroleste para os secretários

Hackatruck / Novra Friburgo Conleste participa da


#StartRJ e anuncia Conlestech
ZONA DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÕES
da Região Leste Fluminense

As Zonas de Processamento de Exportação - ZPE caracterizam-se como áreas de livre comércio com o exterior, destinadas à instala-
ção de empresas voltadas para a produção de bens a serem comercializados no exterior, sendo consideradas zonas primárias para
efeito de controle aduaneiro. As empresas que se instalam em ZPE têm acesso a tratamentos tributário, cambiais e administrativos
específicos. Para a Região, além do esperado impacto positivo sobre o balanço de pagamentos decorrente da exportação de bens e
da atração de investimentos estrangeiros diretos, há benefícios como a difusão tecnológica, a geração de empregos e o desenvolvi-
mento econômico e social.

 A ZPE do LF será instalada na região menos desenvolvida do Conleste, objetivando reduzir os desequilíbrios regionais.
A região abrange 12 Municípios, 7 no Conleste (Cabo Frio, Araruama, Saquarema, Tanguá, Rio Bonito, Silva Jardim e Casemiro de
Abreu) e 5 Municípios não consorciados (Arraial do Cabo, São Pedro D’aldeia, Iguaba, Búzios e Rio das Ostras).

A região conta com um aeroporto internacional em Cabo Frio e escoará a produção da fruticultura, Floricultura e Pesca, vetores eco-
nômicos característicos dos Municípios em questão.
Fórum Técnico de Agricultura Agroleste é consagrada pelo governo

Fórum Técnico de Saúde Cabo Frio é novo membro


do Conleste
Juntos
ttos em pro
r l do Col
Cole
etivo
etiv

www.conleste.com.br
conlesterj