Você está na página 1de 18

5.4.11.

4 Corte da chicana
Escolhendo o corte da chicana H = 16% ⇒ corresponde a Di
= 5 , logo:
Di l

Di 29
l= = = 5,8 pol
5 5
5.4.11.5 Número de chicanas
Adotando l1 = 22,3 pol e l2 = 22,3 pol, para que o número de
chicanas resulte um número inteiro.

NB =
L − l1 − l2
+1 =
(20 ⋅12 − 2 ⋅ 2 ) − 22,3 − 22,3
+ 1 = 34
l 5,8
5.4.12 Cálculo da perda de carga do lado do casco
5.4.12.1 Variáveis auxiliares
H s 1
Da Figura 5.14, com
Di
= 25% e =
de 0,75
= 1,33 , se obtém: Y = 4,1 e N p = 0,34
5.4.12 Cálculo da perda de carga do lado do casco
5.4.12.1 Variáveis auxiliares

Da Tabela 5.10, Cx = 1,0


Cb = 0,97 (seção 5.3.2.1)

s − de 1 − 0,75
C a = Cb = 0,97 = 0,2425
s 1
Sc = Ca l D f = 0,2425 ⋅ 5,8 ⋅ 27,2 = 38,26 pol 2

1 1
Fp = = = 0,38
Di 29
0,8 + N p 0,8 + 0,34
s 1
5.4.12.2 Área de escoamento no casco

S c 38,26
S cf = = = 100,68 pol 2
Fp 0,38
5.4.12.3 Vazão mássica no casco
m& c 110 668 ⋅144
G cf = = = 158 285,58 lbm 2
S cf 100,68 h. pé

5.4.12.4 Número de Reynolds no casco

Gcf de 158285,58 ⋅ 0,75


Re p = = = 10 871,26
µc 0,91 ⋅12
5.4.12.5 Fator de atrito no casco
Da Figura 5.14, em função de Re=10 871 e s de = 1,33 f c = 0,44

f c = 0,44
5.4.12.6 Correção do fator de atrito no casco para escoamento não isotérmico.
Considerando a temperatura da parede interna do tubo aproximadamente igual a
temperatura da superfície externa
Tte = 114,5 o F

0 ,14 0 ,14
 µ te   1,1 
  =  = 1,027
 µc   0,91 
5.4.12.7 Perda de carga no casco
2 0 ,14
G  H  Di '  Y s  µ te 
 
cf
∆Pc = 4 f c Cx1 −  N B 1 +
2 ρ c  Di  s  Di  µ c 

158 285,582
∆Pc = 4 ⋅ 0,44 1 ⋅ (1 − 0,25)
29
(34 + 1)1 + 4,1⋅1 1,027 = 6,99 psi
2 ⋅ 46,85 ⋅ 32,2 ⋅144 ⋅ 3600 2
1  29 
5.4.12.8 Perda de carga nos bocais do casco

m& c 4 ⋅110 668 pé


Vbc = = = 3,34
πDc2  6 
2 s
ρc 46,85 ⋅ π ⋅   ⋅ 3600
4  12 
0,91
µc 2,42
= = 0,0013 ≅ 0
ρ c ⋅ Dbc 46.85 ⋅ 6

da figura 5.22, obtém-se Z = 0,34

46,85 ⋅ 32,2 ⋅ 0,34


∆Pbocal = ρ c gZ = = 0,111 psi
32,2 ⋅144
µc
= 0,0013 ≅ 0
ρ c ⋅ Dbc

Z = 0,34 ft

∆Pbocal = ρ c gZ
46,85 ⋅ 32,2 ⋅ 0,34
∆Pbocal =
32,2 ⋅144

∆Pbocal = 0,111 psi

Vbc = 3,34 pé
s
5.4.12.9 Perda de carga total no casco

∆Pc total = (∆Pc + ∆Pb1 + ∆Pb 2 )N c = (6,99 + 0,111 + 0,111) ⋅1 = 7,21

Obs: A perda de carga está muito abaixo


da permitida (20 psi).
5.4.13 Coeficiente de película do lado do casco
5.4.13.1 Variáveis auxiliares
H s 1
Em função de = 16% e de 0,75 = 1,333 , se obtém na Figura 5.14
=
Di

M = 1,01

N h = 0,73
5.4.13 Coeficiente de película do lado do casco
5.4.13.1 Variáveis auxiliares

M = 1,01

N h = 0,73

1 1
Fh = = = 0,20
Di 29
1+ Nh 1 + 0,73
s 1
5.4.13.2 Área de escoamento no casco
S c M 38,26 ⋅1,01
S ch = = = 193,21 pol 2
Fh 0,20
5.4.13.3 Vazão mássica no casco
m& c 110 668 ⋅144
Gch = = = 82 481,20 lbm 2
S ch 193,21 h. pé
5.4.13.4 Número de Reynolds no casco
Gch de 82 481,20 ⋅ 0,75
R eh = = = 5 664,92
µc 0,91 ⋅12
5.4.13.5 Coeficiente de película no casco

Da Figura 5.14

jH=55

Re = 5665
Nu
jh = 0 ,14
= 55
1 µ 
Pr 3
⋅  c 
 µte 

µ c ⋅ Cpc 0,91 ⋅ 0,52


Pr = = = 6,76
kc 0,07

0 ,14
1  0,91 
Nu = 55 ⋅ 6,76 ⋅  3
 = 100,87
 1,1 

heb ⋅ de Nu ⋅ kc 100,87 ⋅ 0,07


Nu = ⇒ heb = = = 112,97 BTU 2 o
kc de 0 ,75 h. pé .F
12
Fator de correção devido ao efeito de entrada no casco:
0,6
 2l 
( )
0, 6
 2 ⋅ 5,8 
l B + L ' − l B   203 + [(20 ⋅12 − 2 ⋅ 2 ) − 203] 
Ec =  L − lB  =  236 − 203 
= 0,93
L' 236

he = heb ⋅ Ec = 112,97 ⋅ 0,93 = 105,06 BTU


h. pé 2 .o F

5.4.14 Coeficiente global de troca térmica


Considerando a temperatura da parede do tubo na temperatura média entre as
temperaturas médias dos fluidos (t = 126,25o F ) , temos k = 40 BTU
t
h. pé.o F

1
U=
de Rdi de de de Rde 1
+ + ln + +
hi di di 2kt di he
5.4.14 Coeficiente global de troca térmica
2 o
k t = 40 BTU h. ft . F
de = 0,75 pol h. pé.o F
Rd e = 0,002
BTU
2 o
di = 0,584 pol Rd i = 0,002 h. ft . F
BTU
hi = 1117,8 BTU 2 o he = 105,06 BTU
h. ft . F h. ft 2 .o F

1
U=
de Rdi de de de Rde 1
+ + ln + +
hi di di 2kt di he
1
U=
0,75 0,002.0,75 0,75 0,75 0,002 1
+ + ln + +
1117,8.0,584 0,584 2.12.40 0,584 105,06

U = 65,01 BTU
h. ft 2 .o F
5.4.15 Área de troca térmica necessária

Q& 6 848136
A =
'
= = 2588,2 pé 2
U × ∆Tm 65.01⋅ 40,7

5.4.16 Desvio em relação a área disponível

A' − A 2588,2 − 2 054


Desvio% = ×100 = × 100 = 26%
A 2 054
O significado de um desvio positivo é que, em relação à área
disponível, falta 26% de área de troca térmica, pois em função
da geometria adotada o trocador necessita 2588,2 pé2 de área
de troca térmica e só dispõe de 2054 pé2.

Como passo seguinte pode-se modificar a geometria para


aumentar a perda de carga, e o coeficiente de película no casco,
ou substituir a área necessária no lugar da estimada no passo 8 e
propor nova geometria, até que o desvio seja inferior a 5%.