Você está na página 1de 5

A CABEÇA NO CÉU E OS PÉS NA TERRA – Gálatas 1.

4
Qual é a forma correta de um cristão viver nesse mundo?
A mesma Bíblia que nos ensina a pensar nas coisas que são do alto, nos ensina também a
sermos práticos e termos objetivos definidos para essa vida terrena.
O assunto da palavra de hoje é um grande desafio: BUSCAR UM EQUILÍBRIO ENTRE TER
A CABEÇA NO CÉU, MAS OS PÉS AQUI NA TERRA.

A apóstolo Paulo referindo-se à obra de Jesus na cruz, claramente sinaliza que Jesus veio
executar a vontade do Pai e se envolvia não apenas, entregar-se pelos nossos pecados, mas com
uma extensão da obra iniciada na cruz, “nos desarraigar desse mundo perverso”.
A palavra que traduzida como “desarraigar”, é arrancar desde as raízes, tirar.
Obviamente a bíblia não está falando de um lugar geográfico, físico, de uma estrutura
onde caminhamos. Mas está falando de um SISTEMA. Então a Bíblia está dizendo que Jesus
veio para nos desprender, tirar nossas raízes desse sistema perverso.
Em 1 João 5.19 nós lemos que “o mundo jaz no maligno”. A Palavra de Deus está dizendo
que o mundo está envolvido e absorvido por um sistema com o qual os nossos valores não
combinam. Razão pela qual o Ap Paulo escreveu os Romanos 12: “não vos conformeis com este
mundo” – não tomem a forma, não tomem o molde desse mundo.

Mais uma vez Deus está falando a respeito de valores.


Precisamos entender na perspectiva bíblica a importância da obra de Jesus de nos
manter desconectados da força desse sistema, c/ valores total/ contrários à Palavra de Deus.

No evangelho de João 15.19, o Senhor Jesus afirma “se vocês pertencessem ao mundo
ele os amaria como se fossem dele, todavia vocês não são do mundo, mas eu escolhi tirando
os do mundo por isso o mundo os odeia”
Esse “tirando-os”, é óbvio que não fomos levados embora, ainda estamos aqui, mas Ele
veio para não nos deixar sermos alimentados por este da estrutura de valores.

Nós olhamos para a própria Palavra de Deus, e a referência feita ao Senhor Jesus em
Isaías 53.2. Uma palavra messiânica que diz: “ele foi subindo como raiz de uma terra seca”.
Uma raiz numa terra seca não tem nada para extrair dela. E quando a Bíblia se refere a
Jesus como raiz duma terra seca está falando de quando Ele esteve aqui na terra, daquilo que
Ele fez por nós aqui na terra. Isso significa que Ele não tinha nada pra extrair dessa terra, os
Seus recursos vinham do Pai, seus recursos vinham de Deus.
Ele viveu aqui sem ser influenciado por esse mundo. Pelo contrário, Ele veio para trazer
mudança, impacto, transformação. Em momento algum Ele se sujeita aos valores, a estrutura ou
ao sistema desse mundo.

E aqui nós temos uma lição importante porque também precisamos compreender a
maneira correta de relacionar com o mundo, com esse sistema = Não ser influenciado, mas
transformar.
Tiago escreve em 1.27, que “A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai
é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e a si mesmo guardar-se
incontaminado do mundo”
A questão não é estar ou não num lugar físico, mas não se deixar ser influenciado por ele.
Entender essas verdades nos leva a um lugar de compreensão da maneira correta de nos
relacionarmos com Deus e com esse mundo.
No entanto além de desenvolver essa mentalidade, que Jesus veio para nos preservar
disso, nós precisamos saber que é possível mesmo depois de ser alcançado por Cristo, de
receber a palavra, se não tivermos a postura correta, somos afetados por esse sistema.
Marcos 4.19, na Parábola do Semeador, o Senhor Jesus nos mostra que uma das
sementes caiu entre espinhos. Os espinhos cresceram e a sufocaram. Ao explicar o que seria os
espinhos, Jesus se refere como sendo os cuidados do mundo e a sedução das riquezas.
Cuidar de mais com as coisas do mundo pode sufocar a semente da Palavra.

Então, o que precisamos fazer?

1º) TER A CABEÇA NO CÉU (Ter a mentalidade Cristã)

Precisamos entender o que está em Colossenses 3.1, nós devemos “pensar nas coisas que
são do alto e não nas que são da terra. Devemos buscar a coisas do alto e não as que são da terra” .
Todo o crente deveria ter A CABEÇA NO CÉU e deveria pensar no céu. Deveria buscar os
valores do céu. Aliás precisamos entender que na vida cristã temos um outro centro de
gravidade que nos puxa para cima e não para baixo e nos atrai para aquilo que é celestial,
para aquilo que é divino.

Essa mentalidade bíblica que nos é apresentada, precisa ser devidamente cultivada.
1 Coríntios 15.19, se é só para essa vida que esperamos em cristo, somos de todos os
homens os mais infelizes.
É lógico que a nossa expectativa do que Deus faz vai muito além dessa vida, projeta-se
para a eternidade, para o céu, para aquilo que nos aguarda, para todo sempre

Em Filipenses 3 20-21, Paulo diz “nossa pátria está nos céus de onde aguardamos um
salvador o qual a de transformar o corpo da nossa humilhação para ser igual ao corpo da sua
glória”. A nossa expectativa, nossa mente, os nossos olhos devem estar nos céus.
O cristão deve ter sua cabeça (sua mentalidade) no céu.
Isto deve ser cultivado

Salmo 63 mostra a intensidade da busca não pelo que Deus pode conceder por oração
respondida, mas uma profunda necessidade, carência, desejo de conhecer o Senhor.

1 Ó Deus, tu és o meu Deus, eu te busco intensamente; a minha alma tem sede de


ti! Todo o meu ser anseia por ti, numa terra seca, exausta e sem água.
2 Quero contemplar-te no santuário e avistar o teu poder e a tua glória.
3 O teu amor é melhor do que a vida! Por isso os meus lábios te exaltarão.
4 Eu te bendirei enquanto viver, e em teu nome levantarei as minhas mãos.
5 A minha alma ficará satisfeita como de rico banquete; c/ lábios jubilosos minha boca
te louvará
6 Quando me deito lembro-me de ti; penso em ti durante as vigílias da noite.
7 Porque és a minha ajuda, canto de alegria à sombra das tuas asas.
8 A minha alma apega-se a ti; a tua mão direita me sustém.

v.1 – Tem expectativa de encontrar o próprio Deus (Ideia de carência)


v.5 – Ideia de satisfação (comer algo muito agradável). E sua boca é marcada por alegria,
por causa do encontro com o Senhor.
TEMOS AQUI A IDEIA DE “ANELAR” A DEUS – “busco intensamente” “sede” “anseia” 
O que quer dizer anelar por alguém?
Significa que a pessoa está insatisfeita porque existe alguém de quem ela deseja estar
perto, ouvir aquela voz, ou experimentar aquela companhia especial.
ILUSTRAÇÃO – Você já ficou debaixo da água por um período de tempo que foi maior do
que você esperava? Você sabe, enquanto o tempo passa, como você fica desesperado para
alcançar a superfície e respirar. Quanto maior o tempo debaixo da água, mais aumenta a
necessidade de respirar, até que este desejo tom conta de você, que se apressa para chegar à
superfície o mais rápido possível. Você não tem nenhum outro pensamento a não ser satisfazer
sua necessidade por ar.

É isso o que significa “anelar por Deus”.


Quantos de nós estamos contentes em dar á Deus apenas um breve momento do nosso
tempo, uma rápida oração antes das refeições, alguns trocados de oferta no domingo, e nos
esquecer dele o resto do tempo?
Deus quer que nós ansiemos por ele porque neste desejo é que somos satisfeitos e
dominados por Deus e pelo reflexo, em nossas vidas, de seu Filho, O Senhor Jesus Cristo. 
Nunca ficamos mais satisfeitos do que quando nosso anseio por Deus é satisfeito por sua
presença em nossas vidas.
Nosso Deus e Pai, é o único de quem preciso. Anseio por Ele, para que enchas meu coração

PODEMOS DESENVOLVER ESTA AFEIÇÃO PELO SENHOR


Num relacionamento o que se espera? Necessidade de encontrar, andar, satisfazer,
porque está afeiçoado. Num relacionamento existe dependência.
Interessante que Davi mostra a subvalorização das carências comuns (coloca em 2º plano),
em vista do desejo prioritário de estar com Deus. Vemos a importância que Davi dava à
necessidade de viver na presença do Senhor
 Davi deseja o Senhor mais do que
.... saciar a sede no deserto (v.1b)
.... conservar sua vida (v.3)
.... ter alimento (v.5)
..... o tempo de descanso (v.6)
..... a segurança pessoal (v.7) Do Rei vinha do exército e muralhas
Mas note bem: nenhum desses valores que Davi subvalorizou é ruim. Ao contrário, são tão
bons que Deus abençoava Israel por meio deles (Dt 28.15-67).
Na verdade, o próprio rei os valorizava, mas nunca os colocava na frente do seu
relacionamento com o Senhor.
Assim, é chocante e inspirador ver que ele trocaria tudo o que lhe dava segurança e
conforto para andar com Deus.

Quais Instrumentos podem fortalecer, alimentar meu relacionamento com Deus? Que
aumentam a paixão pelo Senhor e faz MINHA CABEÇA ESTAR NO CÉU:
a) Demonstrar Admiração, importância, valor – v.1 – Pessoas que se amam se buscam
(como um casal, família). PARTICIPAR DE SUA OBRA
b) Buscar o Senhor em Sua Palavra e oração. Separar tempo específico para nutrir o
relacionamento. Se alegrar em estar com Deus. QUALIDADE DE TEMPO
c) Perceber as obras de Deus. Notá-las. Contá-las. Palavras de Reconhecimento.
Relacionamento é nutrido com isto. PALAVRAS DE AFIRMAÇÃO
d) Vida santa “mãos levantadas”. GESTOS DE SERVIÇO
Qual é a forma correta de um cristão viver nesse mundo?
2º) TER OS PÉS NA TERRA (Como nos relacionarmos com esta terra)
2.1) CONDUTA QUE HONRE (APONTE) P/ DEUS E TOQUE AS PESSOAS
A resposta está em Gálatas 5.13-16 “Irmãos, vocês foram chamados para a liberdade.
Mas não usem a liberdade para dar ocasião à vontade da carne; pelo contrário, sirvam uns
aos outros mediante o amor. Toda a lei se resume num só mandamento: "Ame o seu
próximo como a si mesmo". Mas se vocês se mordem e se devoram uns aos outros, cuidado
para não se destruírem mutuamente. Por isso digo: vivam pelo Espírito, e de modo nenhum
satisfarão os desejos da carne.”
v.22-26 “Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade,
bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei. Os que
pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos. Se
vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito. Não sejamos presunçosos,
provocando uns aos outros e tendo inveja uns dos outros.”

2.2) PRECISAMOS SER SÁBIOS NA ADMINISTRAÇÃO DE NOSSA VIDA


Porque cremos, na proteção de Deus, não significa que não nos cuidamos.
A Bíblia nos diz que “se o Senhor não guardar a cidade em vão vigia a sentinela”.
Podemos crer para além da sentinela, na proteção de Deus. Mas não precisamos dispensar a
sentinela.
Deuteronômio 22.8 “se você construir uma casa que tem um terraço, coloque também
um parapeito. Porque se alguém cair de lá, com falta do parapeito, você será culpado”.
Deus não está dizendo: “exerça fé p/ ninguém cair”. Mas diz de forma prática: “coloque
uma proteção”.
Temos uma mente no céu, que crê para as intervenções de Deus, e nossos pés andam de
modo sábio, agindo de forma correta.
Precisamos ter a capacidade de combinar essas duas coisas
Uma mentalidade que é focada na eternidade, dela tiramos o padrão de
comportamento, e uma praticidade em viver a vida cristã aqui na terra sabendo que mesmo
que não viveremos aqui para sempre, podemos gerar transformação.

O Salmo 84 fala daquele que está na presença de Deus e por onde passa faz dele um
lugar de bênçãos.

A minha, a sua trajetória neste mundo pode marcar a vida de muita gente, pode tornar
esse mundo melhor para alguém.
Nós precisamos entender que apesar de não esperarmos em Deus só para o que Ele pode
fazer aqui, isso não significa que enquanto esperamos por aquilo que é eterno, não podemos
ver mais daquilo que Deus pode fazer em nós e através de nós.

A vida cristã requer de nós essa capacidade de ter ao mesmo tempo os olhos no céu mas
também os pés aqui na terra gerando transformação, multiplicação.

CONCLUSÃO
A combinação das duas coisas de uma forma prática nos leva a cumprir o propósito de
Deus. Sair deste mundo não é abandonar esta terra nem nossa responsabilidade com ela, ou
afastar das pessoas, mas o contrário.
Nossa responsabilidade é ter intimidade com o senhor, não se prender ao sistema deste
mundo, nossa satisfação estar no Senhor, Dele nos nutrimos e abençoamos as pessoas.
Precisamos enxergar muito além desse tempo e daquilo que podemos ter aqui. Estar de
olho na eternidade, em Deus, e cumprindo seus propósitos.

Deus nos dê a graça de viver o desafio desse equilíbrio em nome de Jesus.