Você está na página 1de 7

Análise das decisões de

investimentos e
financiamentos
1

Visão geral da análise das decisões de investimentos e financiamentos

Trataremos nessa unidade da análise das decisões de investimentos e


financiamentos por meio do Balanço Patrimonial (BP). Utilizaremos o Ativo do
BP para análise das decisões de investimentos e o Passivo + Patrimônio
Líquido para análise das decisões de financiamentos. Esses são os dois
primeiros passos ou perspectivas para análise da performance e dos riscos das
empresas, conforme destacado no quadro a seguir.

Quadro 1 – As perspectivas ou passos para análise das demonstrações


financeiras

1) Características e evolução das decisões de investimento

 Análise dos ativos (Balanço Patrimonial - BP)

2) Características e evolução das decisões de financiamento

 Análise dos passivos (Balanço Patrimonial - BP)

3) Análise dos resultados, da rentabilidade e da qualidade das decisões de


investimento e financiamento
 Análise conjunta da Demonstração dos Resultados do Exercício
(DRE) e do Balanço Patrimonial (BP)

4) Análise de riscos de curto e longo prazo


 Análise conjunta da Demonstração dos Resultados do Exercício
(DRE), do Balanço Patrimonial (BP) e da Demonstração dos
Fluxos de Caixa (DFC)

Destacaremos a seguir as principais contribuições que uma análise detalhada


do Balanço Patrimonial pode proporcionar.
2

A análise das características e evolução das decisões de investimentos


(dos ativos) no Balanço Patrimonial busca identificar os seguintes fatores:

a. De que forma a empresa distribui seu conjunto de investimentos (ativos)?

b. O total de investimentos da empresa cresceu no último período?

c. De que forma esses investimentos evoluíram? Parece ser uma evolução


saudável, dado o modelo de negócio da empresa?

Já a análise das características e evolução das decisões de financiamentos


(dos passivos e patrimônio líquido) busca responder aos seguintes
questionamentos:

a. Como a empresa está financiando seu conjunto de ativos? Seria por meio de
recursos de terceiros (passivos) ou próprios (patrimônio líquido)?

b. Dentro dos recursos de terceiros (passivos), como está a composição das


contas circulantes e não circulantes? E como está a composição de contas
onerosas (empréstimos, financiamentos e debêntures)?

c. Ao longo do último período, como a empresa parece ter financiado seu


crescimento?

Exemplo de análise das decisões de investimentos e financiamentos

Para ilustrar a análise do Balanço Patrimonial, consideremos o exemplo da


Revendedora S/A.

O passo inicial para responder às questões levantadas é normalmente criar


três colunas adicionais ao BP. São elas:
3

i. A.V.% Análise vertical - indica o quanto cada rubrica representa do


total de ativos no ano. Na tabela a seguir, a rubrica Disponibilidade
representa, em 2015, 7,2% do ativo total;
ii. A.H.$ Análise horizontal monetária - indica a variação monetária do
saldo da rubrica de um ano para o outro. No caso da rubrica
Disponibilidade, houve um aumento de 221.878 de 2014 para 2015; e
iii. A.H.% Análise horizontal percentual - indica a variação percentual do
saldo da rubrica de um ano para o outro. No caso da rubrica
Disponibilidade, houve um aumento de 42% de 2014 para 2015.

Tabela 1 – Balanço Patrimonial da Revendedora S/A – Ativos

A.V.% A.V.%
Conta 2015 2014 A.H.$ A.H.%
2015 2014
Ativo Total 10.389.810 9.453.435 936.375 9,90% 100,00% 100,00%
Ativo Circulante 3.318.364 2.687.297 631.067 23,50% 31,90% 28,40%
Disponibilidades 750.532 528.654 221.878 42,00% 7,20% 5,60%
Créditos 1.413.529 1.197.725 215.804 18,00% 13,60% 12,70%
Estoques 1.154.303 944.147
210.156 22,30% 11,10% 10,00%
-
Outros 0 16.771 -16.771 0,00% 0,20%
100,00%
Ativo Não Circulante 7.071.446 6.766.138 305.308 4,50% 68,10% 71,60%
-
Créditos Diversos 825.592 996.593 -17,20% 7,90% 10,50%
171.001
-
Créditos com Pessoas Ligadas 332.083 578.884 -42,60% 3,20% 6,10%
246.801
Outros 23.186 14.091 9.095 64,50% 0,20% 0,10%
Investimentos 1.365.370 1.116.870 248.500 22,20% 13,10% 11,80%
Imobilizado 4.157.570 3.569.815 587.755 16,50% 40,00% 37,80%
-
Intangível 367.645 489.885 -25,00% 3,50% 5,20%
122.240
Fonte: Do autor (2017).

É importante salientar que a rubrica Disponibilidades no Balanço Patrimonial


engloba os valores de caixa, bancos e aplicações financeiras de curto prazo.
4

Tabela 2 – Balanço Patrimonial da Revendedora S/A – Passivos e Patrimônio Líquido

A.V.% A.V.%
Conta 2015 2014 A.H.$ A.H.%
2015 2014
Passivo + Patrimônio Líquido 10.389.810 9.453.435 936.375 9,90% 100,00% 100,00%
Passivo Circulante 2.478.610 3.011.331 -532.721 -17,70% 23,90% 31,90%
Empréstimo e Financiamento 161.698 511.321 -349.623 -68,40% 1,60% 5,40%
Debêntures 27.881 414.761 -386.880 -93,30% 0,30% 4,40%
Fornecedores 1.838.596 1.694.683 143.913 8,50% 17,70% 17,90%
Imposto, Taxas e Contribuição 81.884 53.602 28.282 52,80% 0,80% 0,60%
Dividendos a Pagar 50.084 20.312 29.772 146,60% 0,50% 0,20%
Outros 318.467 316.652 1.815 0,60% 3,10% 3,30%
Passivo Não Circulante 2.899.208 1.599.977 1.299.231 81,20% 27,90% 16,90%
Empréstimos e Financiamento 683.126 139.597 543.529 389,40% 6,60% 1,50%
Debêntures 779.650 - 779.650 - 7,50% -
Outros 1.436.432 1.460.380 -23.948 -1,60% 13,80% 15,40%
Patrimônio Líquido 5.011.992 4.842.127 169.865 3,50% 48,20% 51,20%
Capital Social Realizado 4.149.858 3.954.629 195.229 4,90% 39,90% 41,80%
Reservas de Capital 517.331 517.331 - 0,00% 5,00% 5,50%
Reservas de Lucro 344.803 370.167 -25.364 -6,90% 3,30% 3,90%
Fonte: Do autor (2017).

Com base na leitura das demonstrações financeiras da Revendedora S/A,


responderemos a algumas perguntas sobre o Balanço Patrimonial. Fique
atento!

a. De que forma a empresa distribui seu conjunto de investimentos


(ativos)?

Aproximadamente, 68% no Ativo Não Circulante (sendo a maior parte, 40%, no


Imobilizado e 13% nos Investimentos). Esses percentuais mencionados estão
destacados nas demonstrações financeiras apresentadas.

Aproximadamente, 32% no Ativo Circulante (sendo Crédito, Estoques e


Disponibilidades a maior concentração).

Como se trata de uma revendedora cujos estabelecimentos (lojas e prédios)


são imóveis próprios (no caso desse exemplo específico), essa distribuição
5

altamente concentrada em ativos não circulantes parece fazer sentido para o


modelo de negócio da empresa. Além disso, dadas suas atividades comerciais,
que envolvem compra de veículos, estocagem e vendas (a prazo), parece
coerente que as rubricas circulantes sejam representativas, principalmente
Créditos a receber de clientes e Estoques.

b. O total de investimentos da empresa cresceu no último período?

A empresa cresceu 9,9% no período (crescimento do Ativo Total). Esse


percentual de crescimento do Ativo Total deveria ser comparado com o
crescimento da atividade econômica do país ou, de preferência, com o setor de
atuação.

c. De que forma esses investimentos evoluíram? Parece ser uma


evolução saudável, dado o modelo de negócio da empresa?

A maior parte do crescimento foi no Imobilizado (crescimento de 587.755,


sendo a maior variação monetária das contas do Ativo). Isso indica que a
empresa deve estar investindo em novas lojas para sustentar seu crescimento.
O Circulante também consumiu boa parte dos investimentos. Verificamos ainda
que as contas circulantes operacionais (principalmente estoques e contas a
receber de clientes) cresceram de forma significativa, chegando ao total de
425.960 de variação monetária no período. Lembramos que algumas possíveis
justificativas para o crescimento de estoques são: crescimento no nível de
atividade (efeito positivo); aumento no prazo médio de estocagem (efeito
negativo, pois mantém recursos parados em estoques por muito tempo); ou
obsolescência de estoques (efeito negativo, pois tipicamente leva a perdas ou
vendas com baixas margens). Algumas das causas que podem levar ao
aumento das contas a receber são: aumento no nível de vendas (efeito
positivo) e aumento na inadimplência (efeito negativo).
6

d. Como a empresa está financiando seu conjunto de ativos? Seria por


meio de recursos de terceiros (passivos) ou próprios (patrimônio
líquido)?

Cerca de metade dos financiamentos (48,2%) é composto por capital próprio


(Patrimônio Líquido - PL).

e. Dentro dos recursos de terceiros (passivos), como está a composição


entre contas circulantes e não circulantes? E como está a composição de
contas onerosas (empréstimos, financiamentos e debêntures)?

Em relação ao capital de terceiros, como composição no total de fontes de


financiamento da empresa, notamos que 24% são de curto prazo e 28% de
longo prazo. Observe, no entanto, que houve um aumento da participação do
capital de terceiros de longo prazo e uma diminuição na de curto prazo − de
2014 para 2015.
Cerca de 16% do financiamento da empresa é de capital de terceiros onerosos,
ou seja, Empréstimos, financiamentos e debêntures [Passivo Circulante (PC)
oneroso: (1,6% + 0,3%) + Passivo Não Circulante (PNC) oneroso (6,6% +
7,5%)]. Lembramos, no entanto, que o impacto das despesas financeiras nos
resultados e os limites e riscos deste endividamento só podem ser analisados
em conjunto com a Demonstração de Resultados e Demonstrações dos Fluxos
de Caixa.

f. Ao longo do último período, como a empresa parece ter financiado seu


crescimento?

O crescimento de 9,9% foi financiado essencialmente por capital de terceiros


de longo prazo – note que o PNC passou de 16,9%, em 2014, para 27,9%, em
2015. Essa evolução aconteceu em virtude da captação de empréstimos
onerosos de longo prazo. Observamos um casamento de prazos entre os
investimentos e financiamentos, pois o foco dos investimentos foi em ativos de
longo prazo financiados com capital de terceiros também de longo prazo.

Você também pode gostar