Você está na página 1de 4

TEORIA PSICANALÍTICA

Atividade de estudo domiciliar

BAURU
2020
DIRETRIZES DE ESTUDO PARA AS DISCIPLINAS DO 5º SEMESTRE DO CURSO DE
PSICOLOGIA
Atividade para o Período de 16 a 29 de março de 2020.
DISCIPLINA ATIVIDADE DE ESTUDO DOMICILIAR
1. Resenha Crítica:
Teoria
Psicanalítica 1.1. GARCIA ROZA, L.A. Freud e o Inconsciente. Rio de Janeiro: editora Jorge Zahar, 2009. (páginas 76
- 81).

1.2. ROUDINESCO, E. A sociedade depressiva. In: Por que a psicanálise? São Paulo: Jorge Zahar Editor,
2000. 

LARISSA SALVINO REINER R.A: N3575A6

Profª Ms. Caroline Trevisan Mendes de Almeida


A primeira Tópica, foi como se chamou a primeira estrutura que
Freud deu ao aparelho psíquico, ele foi descrito em termos de
consciente, pré-consciente e inconsciente.
Foi a partir da publicação de seu livro, “A interpretação dos
sonhos” em 1900, que realmente há um estudo mais profundo do
inconsciente, inaugurando a Psicanálise, e abrindo “opções” para
estudos psíquicos, até então conhecidos somente por médicos,
apesar de ter sido muito mal recebido por psiquiatras.
Referente a Traumdeutung, Freud expõe o método fundamental, o
interpretativo, para a análise do inconsciente. Ele verifica que aquilo
que era desconsiderado sem importância ou sem sentido, poderia
guardar a verdadeira essência do sujeito. Por ser neurologista de
formação, Freud procura atender casos de origem nervosa, mas
desde o início põe em prática um método criado por outro
neurologista (Breuer) e inventado pela própria paciente de Breuer
(Ana O), que pede que ele a deixe simplesmente falar. Esse é o
início de Freud psicanalista. A partir daí Freud começa a praticar o
método que induz a fala do paciente, na época a grande maioria
eram histéricas, pois era a doença do século 19, dando início a
teoria que constituiu a psicanálise.
Na interpretação dos sonhos podemos ver passo a passo o
processo da investigação sobre o inconsciente, tentou propor uma
sistematização das suas descobertas. E esse o objetivo do capítulo
VII da Traumdeutung, no qual é mostrado a primeira tópica do
aparelho psíquico.

l) um recurso comparativo para explicar fenômenos mentais. Freud


deixa isso claro quando acentua que existem processos mentais,
que se sucedem uns aos outros, e que não se deve procurar um
correlato biológico.
Ao diferenciar Inconsciente, Pré-consciente e Consciente Freud
recorre a disponibilidade da memória (mnêmica). O inconsciente
seria composto por “resíduos” mnêmicos impedidos de surgirem
diretamente à consciência, o pré-consciente seria composto pelos
conteúdos mnêmicos que podem se tornar conscientes mediante
um aumento de catexia (concentração de todas as energias
mentais sobre uma representação precisa, um conteúdo de
memória, uma sequência de pensamentos de atos) e a consciência
propriamente dita seria a instância que se ocupa com a
imediaticidade de estímulos, internos ou externos, não
comportando nenhuma memória.
Na primeira tópica é proposto que o sonho é composto de imagens,
e que elas aparecem, se condensam, se deslocam, de maneira a
transmitir um texto, ou seja, que o sonho é um modo de
transmissão de linguagem. A construção dessa linguagem, é
determinada por características do aparelho psíquico, o que nos
permite afirmar que outra dimensão da primeira tópica é apresentar
o psiquismo como um aparelho de linguagem.
A principal descoberta de Freud é de que os sonhos têm sentidos, e
seu sentidos são para cumprir seus desejos. Como se não
bastasse o escândalo de atribuir sentido àquilo que toda tradição
médica havia considerado um ato desnecessário de ordem mental,
Freud ainda afirma que os desejos fantasiosos, são fontes
decorrentes de impulsos de restos diurnos não satisfeitos, restos
diurnos recalcados, ou seja desejos que foram suprimidos, desejos
que nada tem a ver com a vida diurna, mas que surgem somente
durante o sono, e que a outra fonte de desejo é a de natureza de
impulsos decorrentes a estímulos noturnos tais como : fome, sede.
Embora nem todos esses desejos são capazes de produzir sonhos,
somente aqueles que pertençam ao inconsciente.
Umas das características dos sonhos formulados do inconsciente é
que ele não se desfaz, não se apaga, pois o sonho é um algo
regressivo. os desejos da infância são os que geralmente induzem
aos seus conteúdos.

Você também pode gostar